Você está na página 1de 1

CARACTERSTICAS ROMNTICAS EM FREI LUS DE SOUSA Nacionalismo/ patriotismo - a ao decorre numa poca histrica de resistncia, de afirmao e defesa do nacionalismo

o (final do sculo XVI, Batalha de Alccer Quibir e as suas consequncias: perda da independncia e ocupao castelhana); - ideais independentistas Manuel de Sousa Coutinho a recusa submisso aos espanhis; incndio do palcio - patriotismo de Maria, Telmo e D. Joo de Portugal; - referncia a autores nacionais: Cames e Bernardim Ribeiro; - povo promotor do mito sebastianista; - o mito do sebastianismo (alimentado por Telmo e Maria) Crena em supersties, agouros, pressgios, poder dos sonhos (Madalena, Maria, Telmo) Expresso hiperblica de sentimentos, de estados de alma, frequentemente contraditrios e caticos; conflito interior de D. Madalena; os sentimentos de D. Madalena sobrepem-se razo; pessimismo de D. Madalena Temtica da morte (fsica ou social) - a morte como soluo dos conflitos um tema privilegiado pelos romnticos. No caso de Frei Lus de Sousa, verifica-se: a morte fsica de Maria; a morte psicolgica (social) de D. Madalena e de Manuel, que, ao tomarem o hbito, morrem para a vida mundana Idealizao da mulher - mulher-anjo (Maria) Individualismo - o confronto entre o indivduo e a sociedade particularmente visvel em D. Madalena e Manuel de Sousa Coutinho, ambos tomam o hbito porque a sociedade aponta Maria como filha do pecado ; Maria, no final, luta contra a lei do matrimnio que fora os pais separao; os conflitos interiores (conscincia/ amor); esprito idealista e irreverente de Maria nsia pela liberdade (Madalena, Manuel de Sousa, Maria) Referncia marcante religio e ao culto religioso presena constante na obra; soluo para os problemas, para a redeno e para a espiritualizao; resposta para a angstia existencial, o desespero e a inquietao. Madalena e Manuel encontram o conforto na crena em Deus e na tomada do hbito. Linguagem adequada realidade quotidiana e reveladora dos estados de esprito das personagens (conflitos, angstias, interioridade); recurso a apstrofes, exclamaes, interrogaes, elipses, repeties, frases inacabadas (com reticncias), hiprboles... Preferncia pelas horas sombrias: o desenrolar da ao passa-se essencialmente noite ou de madrugada. Inteno pedaggica do autor confrontar o pas com os preconceitos sociais e lev-lo a uma mudana de conduta; chamar a ateno para problemtica dos filhos ilegtimos e a condenao dos amantes