P. 1
Jurisprudência Obrigação Principal e Acessório

Jurisprudência Obrigação Principal e Acessório

|Views: 55|Likes:
Publicado porexplorer_93

More info:

Published by: explorer_93 on May 12, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/14/2014

pdf

text

original

Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios

Órgão Processo N. Apelante(s) Apelado(s) Relator Revisor Acórdão Nº

3ª Turma Cível Apelação Cível 20080110223195APC MAHROU VAHDAT EGHRARI MATHEUS DA COSTA Desembargador JOÃO MARIOSI Desembargador MARIO-ZAM BELMIRO 559.050 EMENTA

CIVIL E PROCESSUAL. LOCAÇÃO NÃO RESIDENCIAL. COBRANÇA IPTU/TLP E CONTRIBUIÇÃO DE CONDOMÍNIOS PREVISTOS EM CONTRATO. OBRIGAÇÕES. ACESSÓRIAS. PRESCRIÇÃO. 1. Quando previsto o pagamento dos encargos de IPTU/ TLP e contribuições de condomínio no contrato de locação, estes deverão ser considerados acessórios da obrigação principal e prescrevem junto com esta. 2. Recurso não provido.

ACÓRDÃO Acordam os Senhores Desembargadores da 3ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, JOÃO MARIOSI - Relator, MARIOZAM BELMIRO - Revisor, NÍDIA CORRÊA LIMA - Vogal, sob a Presidência da Senhora Desembargadora NÍDIA CORRÊA LIMA, em proferir a seguinte decisão: CONHECER. NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO. UNÂNIME , de acordo com a ata do julgamento e notas taquigráficas. Brasília (DF), 11 de janeiro de 2012

Certificado nº: 39 4F FB E4 00 04 00 00 0C 1C 13/01/2012 - 17:10

Desembargador JOÃO MARIOSI Relator

Código de Verificação: M6E6.2012.4V6E.7RAZ.JQAA.M4NC

22 relativo às seguintes parcelas: R$ 4.06.527.07. por fim.07 e 10. quanto à verba honorária fixada na decisão que admitiu o processamento da execução em apenso. a ausência de cumprimento da regra contida no parágrafo único do artigo 736 do CPC. 65. Código de Verificação: M6E6. 43/54. a aplicação das sanções por litigância de má-fé ao embargante. trazendo aos autos cópia dos documentos essenciais e relevantes para o entendimento do caso. 10.7RAZ. em parte. Em decisão proferida à fl. §3º. 26/42). a embargada apresentou impugnação (fls. Alega o embargante. ao final. Juntou. inicialmente.28. Alega que a verba honorária é válida. Reconhece como devido o montante de R$ 7. o que impõe a rejeição liminar dos embargos.01.33 relativo às taxas de condomínio com vencimento em 10. ainda.02. 24.04 estão prescritas.06. 10. a documentação de fls. Requer. o que torna nula a execução. anteriores a 30. com a conseqüente extinção da execução. Sustenta a validade do título executivo. foi determinado que o embargante cumprisse a regra contida no parágrafo único do artigo 736 do CPC.2012. tão-somente para alegar a sua intempestividade. em que suscita. às taxas e condomínio e ao IPTU. 57/58). 10. ainda. ao argumento de que as parcelas referentes ao IPTU/TLP e às cotas de condomínio estão submetidas ao prazo de 10 anos previsto no artigo 205 do Código Civil. que as parcelas referentes aos aluguéis.JQAA. Afirma que na planilha acostada pela embargada consta a cobrança de taxas extras. referente ao IPTU/TLP dos anos de 2005. Postula. a procedência do pedido para declarar a nulidade do título executivo.939.318.APELAÇÃO CÍVEL 2008 01 1 022319-5 APC RELATÓRIO Adoto.03. Citada. cobradas nos autos da execução em apenso.05. 12/06.11. 153/157: “Trata-se de embargos à execução opostos por MATHEUS DA COSTA contra a execução que lhe move MAHROU VAHDAT EGHRARI nos autos em apenso. o relatório da sentença de fls. Aduz que o débito objeto da execução não envolve a cobrança de qualquer taxa extra. 11/06.07. 01/07. Sustenta que as taxas extras embutidas no débito comprometem a liquidez do título. do Código Civil. cuja responsabilidade é do locador.4V6E. 02/07 e 03/07. e R$ 1. o que foi cumprido mediante a apresentação dos documentos de fls 69/87. R$ 2. Por meio da decisão de fl. Defende a não ocorrência de prescrição. preliminarmente. por força da aplicação do inciso I do artigo 206. A inicial veio instruída com documentos (fls.M4NC GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO MARIOSI 2 . de 2006 e de 2007 proporcional.12. os embargos foram recebidos sem efeito suspensivo. Argumenta pela impossibilidade de atribuição de efeito suspensivo aos embargos. O embargante manifestou-se sobre a impugnação (fls. mas apenas as taxas ordinárias de condomínio.61 correspondente aos aluguéis dos meses 10/06.093. 13/22). Insurge-se. por preencher todos os requisitos contidos no artigo 586 do CPC.

devendo o exequente trazer nova planilha com o demonstrativo do débito.Relator Presentes os pressupostos de admissibilidade. os quais deverão ser decotados da dívida exequenda. que se encontravam apensados ao presente feito.62. 89. Em seu recurso de fls. mas o previsto no art. 16/17). 93/98 foi juntada cópia da sentença proferida nos autos dos embargos nº 2007. VOTOS O Senhor Desembargador JOÃO MARIOSI .4V6E. devendo o exeqüente trazer nova planilha com o demonstrativo do débito.M4NC GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO MARIOSI 3 .APELAÇÃO CÍVEL 2008 01 1 022319-5 APC Por meio do despacho de fl. Cuida-se de embargos opostos por MATHEUS DA COSTA à execução nº 2007. 107/114. 16/17). mas o previsto no art. A sentença julgou parcialmente procedente a pretensão deduzida para pronunciar a prescrição de todos os débitos anteriores a 30 de abril de 2004. conheço do recurso.” A sentença julgou parcialmente procedente a pretensão deduzida para pronunciar a prescrição de todos os débitos anteriores a 30 de abril de 2004.01.JQAA. Às fls. Determinou-se que a execução deverá prosseguir somente em relação à dívida posterior a essa data. Contrarrazões de fls.058988-2.01.988.1. constantes da planilha que instrui os autos da execução em apenso (fls. É o relatório.. MAHROU VAHDAT EGHRARI afirma que não incide o prazo prescricional de três anos. Em seu recurso de fls. MAHROU VAHDAT EGHRARI afirma que não incide o prazo prescricional de três anos. 205 do Código Civil. 205 do Código Civil. . 123/136.1.7RAZ. na qual a credora exige o valor de R$ 32.096189-6. os autos foram conclusos. os quais deverão ser decotados da dívida exequenda. Código de Verificação: M6E6. 107/114.2012. com base em contrato de locação inadimplido.. proposta por MAHROU VAHDAT EGHRARI. Determinou-se que a execução deverá prosseguir somente em relação à dívida posterior a essa data. constantes da planilha que instrui os autos da execução em apenso (fls.

EMBARGOS A EXECUÇÃO. Na espécie. 3 . de forma que adoto e transcrevo a sua motivação como integrante dos fundamentos deste voto: “Apesar da pretendida distinção de prazos sustentada pela embargada. Logo. deve ser aquele aplicável aos aluguéis .A ação monitória para ser devidamente interposta deve obedecer aos prazos prescricionais previstos para cobrança dos créditos contidos no título. A sentença analisou adequadamente os aspectos suscitados pela recorrente em seu apelo. deve resguardar apenas as pretensões subjetivas não fulminadas pela prescrição.” (fl. conforme narrado na inicial. CONTRATO DE ALUGUEL.2012. pois a lei civil não estabelece prazo específico para a hipótese.Ação monitória. o prazo prescricional para os encargos referentes às taxas condominiais e ao IPTU e TLP. Relator LÉCIO RESENDE. PRESCREVENDO Código de Verificação: M6E6. TJDFT: “APELAÇÃO CIVIL. são considerados acessórios dos aluguéis. QUANDO PREVISTO O PAGAMENTO DOS ENCARGOS RELATIVOS AO IPTU E TLP NO CONTRATO DE LOCAÇÃO. DJ 18/05/2010 p. INCIDÊNCIA DA PRESCRIÇÃO DE 3 ANOS. quando por força contratual passam a integrar a esfera de obrigações do locatário. 1 . PRESCRIÇÃO. de modo que se aplica a regra prevista no inc. 1ª Turma Cível. (20070110583987APC. que se constituem efetivamente na obrigação principal. prescrevendo juntamente com esta. por essa razão. 205 do CC/02. e.M4NC GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO MARIOSI 4 .Os encargos relativos ao IPTU. Sem razão a apelante.APELAÇÃO CÍVEL 2008 01 1 022319-5 APC A embargada sustenta que as taxas de condomínio e IPTU/TLP são obrigações autônomas e prescrevem em dez anos.4V6E. 102) Neste sentido já decidiu o e. 2 . PRESCRIÇÃO DA PRETENSÃO DA COBRANÇA DO DÉBITO. ainda que se preste a cobrança de títulos sem eficácia executiva.JQAA. CONTRATO DE LOCAÇÃO. julgado em 12/05/2010. NEGADO PROVIMENTO AO APELO. I do § 3º do art. trata-se de contrato de locação de imóvel. na hipótese em tela. ENCARGOS DO CONTRATO DE LOCAÇÃO. são considerados acessórios da obrigação principal. COBRANÇA DE IPTU. ESTES DEVERÃO SER CONSIDERADOS ACESSÓRIOS DA OBRIGAÇÃO PRINCIPAL. entendo que os encargos relativos às taxas condominiais e ao IPTU e TLP integram as obrigações do locatário por disposição contratual. PRESCRIÇÃO PELA LEGISLAÇÃO VIGENTE.7RAZ. AÇÃO MONITÓRIA. 78) “DIREITO CIVIL E CIVIL. levando em conta que em matéria de obrigações o acessório deve seguir o principal. COBRANÇA IPTU/TLP.

OBSERVA-SE A PRESCRIÇÃO QÜINQÜENAL DO CÓDIGO CIVIL DE 1916 QUANDO OS FATOS GERADORES DA OBRIGAÇÃO OCORRERAM UNICAMENTE NA VIGÊNCIA DO ANTIGO DISPOSITIVO LEGAL.” (2007071027894-8 APC. RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO . Ante o exposto. NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO.JQAA.10. (g.M4NC GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO MARIOSI 5 .APELAÇÃO CÍVEL 2008 01 1 022319-5 APC JUNTAMENTE COM ESTA. Código de Verificação: M6E6. O Senhor Desembargador MARIO-ZAM BELMIRO . 6ª T. 07.n. Cível. Relator: João Egmont. UNÂNIME. Acórdão nº 415894.04. p.7RAZ.). É como voto.2012. j.Revisor Com o Relator A Senhora Desembargadora NÍDIA CORRÊA LIMA . NEGO PROVIMENTO ao recurso.2010. 168).Vogal Com o Relator.4V6E. DJE 15. DECISÃO CONHECER.04.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->