Colégio Estadual Pedro Calmon Disciplina: História Professor: Roberto Alves ANÁLISE DO FILME DICIONÁRIO DE CAMA

FICHA TÉCNICA           Título Original: The Sleeping Dictionary Gênero: Drama Tempo de Duração: 109min Ano de Lançamento (EUA): 2002 Direção: Guy Jenkin Roteiro: Guy Jenkin Produção: Simon Bosanquet, Jimmy Mulville e Denise O'Donoghue Música: Simon Boswell Fotografia: Martin Fuhrer Efeitos Especiais: Mill Film

Quando a Inglaterra dominava o mundo, um jovem oficial inglês chamado John Truscott (HUGH DANCY), foi enviado a Sarawak, na Malásia, para participar da colonização e governo do novo território britânico, onde viviam os Ibans – uma tribo de costumes estranhos e tradições diferentes. O jovem John depara-se com sua primeira dificuldade – aprender a língua nativa. Como solução, a jovem Iban Selima (JESSICA ALBA) é oferecida para viver e dormir com ele, a fim de que aprenda a língua e os costumes do outro o mais rápido possível. Ocorre que o jovem apaixonase pelo seu ‘dicionário de cama’ e acaba abrindo mão de sua missão, seu país e seu idioma para ficar com a mulher amada. Paralelamente, a jovem Cecil (EMILY MORTIMER) que é filha do governador do distrito de Sarawak, Henry Bullard (BOB HOSKINS) e sua esposa Aggie (BRENDA BLETHYN), ingleses de natureza, mas que vivem a 30 anos na colônia, apaixona-se por John. O Caso de amor proibido entre John e Selima, porém, desperta a ira dos líderes de ambos os lados. Os conflitos gerados tomam proporções tão inesperadas que resultam numa guerra capaz de destruir as duas diferentes comunidades da nova colônia britânica Público alvo: A Censura e para 12 anos. Será melhor compreendido, do ponto de vista histórico, por pessoas que tenham lido sobre: Processo de Neocolonialismo do século XIX. Imperialismo. Acessibilidade: disponível em DVD. Potencial (de áreas de aplicação): O filme pode promover debates, sobre a história da colonização Africana e Asiatica pelas potências européias. Potencial (didático pedagógico): O filme utiliza-se de uma linguagem simples e direta, revelando a natureza humana nos seus aspectos positivos e negativos. Revela a forma como as nações imperialistas impunham sua vontade perante outros povos. Minha avaliação sobre o filme: Claro que o filme não tem pretensões de cunho histórico, mas é um ótimo veículo para analise do relacionamento entre os dominadores e os dominados, no processo de colonização imperialista. Mesmo de forma velada, o filme toca nas ideologias existentes que justificavam, para os dominadores, o processo de colonização. No início do século 19, Sarawak era um típico principado da Malásia, controlado pelo sultão de Brunei. Afora eventual pirataria na costa e a prática que algumas tribos selvagens adotavam, de tirar as cabeças de seus inimigos como troféus, Sarawak era um local pacífico. O povo Iban constitui cerca de 30% da população de Sarawak. Hoje, são conhecidos por sua energia, personalidade extrovertida e senso de humor, e pela hospitalidade e generosidade com que recebem os turistas. A pequena cidade Kuching que é capital de Sarawak, o maior estado da Malásia, foi escolhida como base da produção de “Dicionário de Cama”. Possui edifícios

ELENCO               Jessica Alba (Selima) Brenda Blethyn (Aggie) Hugh Dancy (John Truscott) Bob Hoskins (Henry) Christopher Ling Lee Ian (Jasmien) Junix Nocian (Famous) Michael Jessing Langgi (Melaka) Mano Maniam (Policial) K.K. Moggie (Tipong) Emily Mortimer (Cecil) Malcolm Rogers (Vicar) Noah Taylor (Neville) Kate Helen White (Mandar) Eugene Salleh (Belansai)

SINOPSE

1

porém. 4. Aí. Ficou claro pra você quem eram os dominadores e os dominados? Explique. o “dicionário de cama”? Em que parte do filme notamos o processo de aculturamento da sociedade dos Ibans? Você acha possível a relação romântica do filme.ingleses que lhe emprestam uma aparência sofisticada e ocidental em diversos locais. Quais eram os mecanismos utilizados pelos britânicos para manterem a dominação dos Ibans? Qual sua opinião sobre o método de aprendizagem. em 1858. foi um memorando famoso e secreto. Jenkin reuniu documentos e depoimentos de pessoas que trabalhavam nas colônias. 5. Se você tivesse vivido naquele período. marca uma nova administração e gestão da realidade colonial. Abrindo precedente pra todo o processo de descolonização que seguira. segundo suas próprias regras Conforme o depoimento do diretor e roteirista Guy Jenkin. 2. ENTENDENDO O FILME 1. que foi enviado as colônias da Inglaterra. nas quais a tribo inteira vive em harmonia. O século XIX marca o auge do Império Colonial Britânico. insejará a primeira grande revolta contra o domínio colonial britânico: a Revolta dos Sipais. Prova disso. Há várias locações originais dos Ibans como as casas comunitárias construídas sobre palafitas. que promoveu a indústria naval. entre o oficial britânico e a nativa Iban? Justifique. Exemplo disso é o governo direto da Coroa na Índia. como forma de expandir o comércio para além das Ilhas Britânicas. que ditará o fim da Companhia das Índias Orientais. nenhum dos personagens foi baseado em pessoas reais. apesar de os ‘dicionários de cama’ existirem de fato e sua prática ser comum em todo o território britânico naquela época. 6. Contextualização Histórica do Filme Os ingleses lançaram-se à conquista do mundo durante o reinado de Henrique VII (1485–1509). Por outro lado. teria se submetido ao domínio de outras nações? O que você teria feito? 2 . cuja expansão económica e humana é favorecida pelo desenvolvimento do capitalismo financeiro e industrial. 3. uma espécie de história viva. bem como pela pressão demográfica elevada. dizendo da prática da vida ‘em estado conjugal’. daí surgiu como ponto de partida a história de “Dicionário de Cama”. em torno de 1910.