Você está na página 1de 7

Engenhos no Brasil

Sociedade e Produção

Por: Anne Ingrid


Gregory Laborde
Wendel Denysson
Engenho
Estrutura

O engenho era uma unidade agrícola praticamente auto-


suficiente. Nele, havia escolas administradas pelos padres,
alimentação diária vinda das plantações, da criação de gado,
da caça e da pesca, e serrarias, que faziam as peças de
mobiliário e outros trabalhos.
O mestre-de-açúcar era o técnico que supervisionava toda a
atividade do preparo do açúcar, no engenho.
A estrutura dos engenhos compreendia quatro edificações
centrais: as casas de engenho (moendas), a casa-grande
(residência dos senhores), a senzala (morada dos escravos),
e a capela (local de expressão religiosa). Havia também, as
casas dos trabalhadores assalariados, os canaviais, os
currais e as matas virgens.
Sociedade
Senhores

Autoridade absoluta.

Oferecia proteção aqueles que o servia.

Seu poder era medido pela sua quantidade de
terras.

Possuia várias Ccomborças.
Sociedade
Casa Grande

As Sinhás e Sinhazinhas.

Mucamas, escravas domésticas.

Os papeis das mucamas vai muito além de
cuidar somente do lar.
Sociedade
Senzala

O negro se alimentava das sobras.

As crianças negras trabalhavam duro desde
muito cedo.

O medo do feitor e do tronco.
Engenho
Produção

Negros constituíam a
sustentação da
produção açúcareira.

Trapiches, movidos por
tração animal.

Engenhos reais, eram
movimentados por força
hidráulica.

Grandes produtores Pernanbuco e Bahia.

A crise do açucar.

Holandeses, conhecedores das técnicas de
refino e comercialização iniciaram a produção
em suas colônias.