P. 1
A Teoria Das Vantagens Comparativas

A Teoria Das Vantagens Comparativas

|Views: 27|Likes:
Publicado porCaio Freitas

More info:

Published by: Caio Freitas on May 16, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial
Preço de Lista:$0.99 Comprar agora

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
See more
See less

02/09/2014

$0.99

USD

pdf

text

original

A Teoria das Vantagens Comparativas, também chamada de Teoria dos Custos Comparativos formulada pelo inglês David Ricardo

em 1817, foi baseada no princípio da Teoria das Vantagens Absolutas na obra Riqueza das nações de Adam Smith. A Teoria das Vantagens Absolutas tinham como fundamento principal o liberalismo comercial. Segundo ele, para que a sociedade como um todo saísse ganhando, cada país deveria se especializar na produção dos bens em que fosse mais eficiente . atestava que o comércio seria vantajoso sempre que houvesse diferenças de custos de produção de bens entre países, O comércio se justificaria apenas quando fosse mais barato adquirir itens produzidos em outra economia. Exemplo: No Brasil, um trabalhador consegue produzir 2 sapatos/ hora e 5 bolsas/hora.Na Inglaterra, um trabalhador consegue produzir 5 sapatos / hora e 2 bolsas / hora. Segundo Adam Smith, o Brasil deve se especializar na produção de bolsas enquanto a Inglaterra se especializa na produção de sapatos. Assim, com cada país se especializando na produção de um bem, teríamos ao final de 4 horas de trabalho: - No Brasil: 5 bolsas / h x 4 h = 20 bolsas - Na Inglaterra: 5 sapatos / h x 4h = 20 sapatos - A sociedade como um todo produz 20 bolsas e 20 sapatos Se ninguém se especializasse em nada e cada país trabalhasse 2 horas na produção de sapatos e 2 horas na produção de bolsas, teríamos: - No Brasil: 5 bolsas / h x 2 h= 10 bolsas - 2 sapatos / h x 2 h = 4 sapatos - Na Inglaterra: 2 bolsas / h x 2 h = 4 bolsas - 5 sapatos / h x 2 h = 10 sapatos - A sociedade como um todo produz 14 bolsas e 14 sapatos. Para a sociedade como um todo é melhor a especialização das produções, motivada pela divisão do trabalho na área internacional e pelas trocas efetuadas no comércio internacional. No entanto como ficaria a divisão de produção de bens se um país for mais eficiente na produção de todos os bens? A Teoria das Vantagens de David Ricardo traz esta resposta. Ricardo argumentou que o comércio internacional poderia beneficiar dois países, mesmo que um deles produzisse todos os produtos de forma mais eficiente, um país não precisa de ter uma vantagem absoluta na produção de um determinado produto. Pois dois países poderiam beneficiar do comércio mútuo se cada um tivesse uma vantagem comparativa na produção de qualquer produto. Ele explica a sua teoria usando um exemplo envolvendo Portugal e Inglaterra e apenas dois bens, vinho e roupa, decidiu medir todos os custos relativos de produção, expressos em horas de trabalho. (Horas de trabalho/unidade produzida) TÊXTEIS VINHO Inglaterra 63 70 Portugal 120 80

A Inglaterra tem uma vantagem absoluta quer na produção de vinho. pois menores seriam os custos de produção. Ricardo provou que cada país seria beneficiado caso se especializassem no produto onde detém maior vantagem comparativa. O problema é que o princípio das vantagens comparativas só assume a existência de diferenças. a importação de produtos e a concorrência estrangeira desta forma opõe-se ao comércio livre e portanto à Globalização sob o prisma comercial. Ricardo provou que o comércio internacional continua a ser rentável. Todos os países ganham quando existe uma liberdade de comércio. E os preços mundiais ou termos de troca neste modelo são indeterminados. Alguns exemplos de medidas protecionistas: . no entanto pode haver alguns indivíduos. Mesmo assim. Outra crítica que se faz ao modelo Ricardiano é que assume um único factor produtivo. melhorando a situação de todos os países envolvidos nas trocas internacionais. o país tem uma vantagem comparativa na produção de vinho e uma desvantagem comparativa na produção de tecido. D. os salários de subsistência dos trabalhadores e em consequência os lucros seriam os maiores possíveis. empresas e factores de produção que ficam prejudicados e teriam rendimentos maiores se existissem restrições ao comércio. em maior ou menor grau. . No caso de Inglaterra. Vinho Tecido 70h/80h=0.525 tem uma vantagem comparativa na produção de tecido e uma desvantagem comparativa na produção de vinho (0.525<0.90 Apesar da desvantagem absoluta de Portugal em ambos os bens. Protecionismo é uma doutrina. o trabalho. não é possível analisar os efeitos distributivos do rendimento. Os que perdem tentam defender-se do “inimigo internacional” e surge o “proteccionismo”. Tal teoria é utilizada por praticamente todos os países.Criação de altas tarifas e normas técnicas de qualidade para produtos estrangeiros.A partir deste estudo.14 Tecido 120h/63h=1. O modelo clássico Ricardiano procura explicar os padrões de comércio internacional com base nas diferenças de produtividade entre países.875). reduzindo a lucratividade dos mesmos. mas nunca se tenta compreender ou identificar as razões que poderão explicar as diferenças existentes.875 63h/120h = 0.Analisando a tabela conclui-se que a Inglaterra é mais eficiente que Portugal em ambas as produções. quer na de tecido. reduzindo e dificultando ao máximo. em Portugal. uma teoria que prega um conjunto de medidas a serem tomadas no sentido de favorecer as atividades econômicas internas. As unidades de trabalho necessárias à produção de qualquer dos produtos. em termos percentuais das necessidades de trabalho correspondentes para Inglaterra são: Vinho 80h/70h = 1. o produto total global de cada bem aumenta.

Todososdireitosreservados.Subsídios à indústria nacional.. a quantidade de serviços estrangeiros no mercado nacional.Fixação de quotas. O responsável pela fiscalização do comércio entre os países e dos atos protecionistas que os mesmos adotam é a OMC (Organização Mundial do Comércio). garantir a criação de empregos e incentivar o desenvolvimento de novas tecnologias. em alguns casos.br/blog/antonio_germano/files/2011/02/Vantagens-Absolutase-Comparativas. cujo papel é promover a liberalização do comércio internacional. A competividade dos produtos não é só determinada pela vantagem comparativa mas também pela valorização ou desvalorização dos capitais.htm http://www. incentivando o desenvolvimento econômico interno. . Apesar das suas limitações. fazer com que o país perca espaço no mercado externo.euvoupassar. O protecionismo é vantajoso.com.euvoupassar.brasilescola. estas políticas podem. Um país que não respeite a vantagem comparativa paga um preço elevado em termos de níveis de vida e de crescimento econômico. provocar o atraso tecnológico e a acomodação por parte das empresas nacionais.possuavantagensc http://fortium.br/? go=artigos&a=kNkfw7KemNGXVahNAIgYzkSw26GdZnkUg0mlYnHUMV8%7E EuVouPassar%AE.edu. em tese. limitando o número de produtos. No entanto.pdf Apostila “Noções de Comércio Internacional . ou até mesmo o percentual que o acionário estrangeiro pode atingir em uma empresa. pelo fato de proteger a economia nacional da concorrência externa.br/? go=artigos&a=MzM36ygORIH4RCCLW66opFhjmECx5uGz99I18tCRZl0~ http://www.com/economia/protecionismo. Bibliografia http://www.com. a teoria da vantagem comparativa é uma das verdades mais profundas de toda a economia.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->