Você está na página 1de 2

Trabalho de informática - Roteiro 1

"O mundo de Rafinha" argumenta sobre uma geração que está inserida totalmente na
tecnologia, e que nunca viu o mundo sem ela. E isso é super normal nos dias de hoje, já
que ali fala que Rafinha, pode ser qualquer um de "nós", meu vizinho, meus amigos eu.
Temos total autonomia do que iremos apreciar com infinitas possibilidades de escolhas, e
que dificilmente se compra um CD nos dias de hoje, já que é possível compartilhar
milhões de músicas sem a necessidade de ter em uma forma física pois todos temos
aparelhos que reproduzem este formato digital.

Ficamos muito tempo online na internet, seja para pesquisas, conversar, ou até mesmo
se informar dos assuntos mais pertinentes para seu gosto e finalidade. Ficou cada vez
mais acessível produzir seus próprios materiais, sejam eles imagens, vídeos, etc. E que
isso é super normal.

Rafinha é só um exemplo, de todos que vivem nesta "época" da humanidade, onde


empresas dividem suas escolhas com os consumidores, já que são eles que iram consumir
o que for produzido. Porém estão cada vez mais exigentes, já que ficou mais fácil do que
nunca, comunicar.

A globalização tornou este processo da comunicação ainda mais necessário, já que um


produto dificilmente é feito em um só lugar e também porque há muita mão-de-obra
capacitada. E assim vai criando uma enorme teia de interações que a cada dia vai se
tornando mais eficiente porque houve uma queda impressionante dos custos e uma
aumento da competição, já que todos teoricamente têm a mesma oportunidade do
mundo digital.

Está cada vez mais fácil também a produção do seu próprio material pois a informação
nunca esteve tão disponível. Nada pode ser escondido e que todos estão expostos. E
como se era de se esperar as empresas estão se adaptando para essa nova era da
informação deixando muitos processos na mão de pessoas comuns - que como já dito
antes - opinam pelo aquilo que querem consumir. E esperam mais do que simples
produtos das empresas.

"Hoje o poder da informação e compartilhado", porque todos temos acessos a produção


de conteúdos. Na contra - mão, bandas se aventuram mostrando seu trabalho, antes na
internet, até que pessoas que se identifiquem com a música e se torne fã para depois se
aventurar pelo mundo real.

As ferramentas de produção foram democratizadas, deixando na mão de todos o poder


de criação, fazendo com que não sejamos mais apenas consumidores e também
produtores de nossas próprias colaborações. Já que a internet é uma rede de
colaboração. Como podemos observar no caso da Wikipedia, ou no Youtube e muitas
empresas aproveitam já que é uma boa ferramenta de divulgação, sem que gaste nada na
mídia.

Para que não haja um colapso, teve a necessidade da criação de "pessoas" que
organizassem todo o conteúdo disponível. Ganhamos autonomia, para que criássemos,
esposemos tudo que é de nossa vontade e individualidade em blogs , por exemplo.

"Com a mobilidade, a Internet deixa de ser uma rede que liga computadores para ser
uma rede que liga pessoas" - E como no exemplo das rádios dos EUA, as pessoas
previamente escolhem o que vão ouvir para que filtre novamente, o que é bom para ele,
sem a necessidade de ouvir o que não gosta forçadamente. O mesmo acontece com os
comerciais. Todos gostam de se divertir, e que a interatividade está cada vez mais em
alta.

E para nossa geração, não está acontecendo nada de supremo ou indomável, já que
sempre tivemos acesso a tudo que está passando pelo mundo desde cedo.

E que a geração "C" - não só das pessoas novas, mas as que se adaptarem e ela -, é
cada vez maior e importante