P. 1
Adenocarcinoma

Adenocarcinoma

|Views: 1.351|Likes:
Publicado porRangel de Sousa

More info:

Published by: Rangel de Sousa on Apr 16, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/31/2013

pdf

text

original

Adenocarcinoma Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Adenocarcinoma é um câncer (neoplasia maligna) que se origina em tecido glandular. Para ser classificado como um adenocarcinoma, as células não necessariamente precisam fazer parte de umaglândula, contanto que elas tenham características secretórias. Esta forma de carcinoma pode ocorrer em alguns mamíferos, incluindo humanos.[1] O termo adenocarcinoma é derivado de 'adeno', que significa 'pertencente a uma glândula' e 'carcinoma', que descreve um câncer que se desenvolveu em células epiteliais. Ele pode se originar inicialmente como um adenoma (um tumor glandular que é benigno). linfomas são tumores que se iniciam a partir da transformação de um linfócito no sistema linfático. O prefixo “linfo” indica sua origem a partir da transformação de um linfócito, e o sufixo “oma” é derivado da palavra grega que significa “tumor”. Os linfomas, inclusive o linfoma de Hodgkin, são resultado de um dano ao DNAde um linfócito. Esse dano ao DNA ocorre após o nascimento e representa, portanto, uma doença adquirida e não hereditária. Essa alteração ou mutação do DNA do linfócito gera uma transformação maligna: resulta no crescimento descontrolado e excessivo do linfócito, proporcionando uma vantagem competitiva aos linfócitos malignos e às células formadas a partir da multiplicação dos mesmos. O acúmulo dessas células em divisão resulta em massas tumorais nos linfonodos e em outros locais. Os linfomas geralmente têm início nos linfonodos ou em aglomerados de tecidos linfáticos presentes em órgãos como o estômago e os intestinos. Em alguns casos, os linfomas podem envolver a medula óssea e o sangue: é possível que eles se disseminem para outros locais. As leucemias linfocíticas se originam e ocorrem principalmente na medula óssea, passando a seguir para o sangue. Elas podem se espalhar envolvendo os linfonodos. Tradicionalmente existem 2 classificações para a doença: Linfoma de Hodgkin (que já foi chamada de doença de Hodgkin). Linfoma não-Hodgkin (que engloba todos os outros tipos de linfoma) A classificação científica dos tipos de linfoma é mais detalhada. O tratamento envolve uma procura da doença em vários órgãos, chamado de estadiamento e pode ser radioterápico , quimioterápico ou em alguns casos o transplante de medula óssea está indicado.

Leiomiossarcoma

O leiomiossarcoma é uma neoplasia maligna que se origina dos tecidos mesenquimais. Raramente, o fígado é sítio primário desse tumor, sendo acometido mais comumente de forma metastática. O leiomiossarcoma primário do fígado não tem predileção por sexo, ocorrendo principalmente a partir da quinta década de vida. A apresentação clínica desse tumor é inespecífica, com evolução lenta, causando doença metastática tardiamente. O diagnóstico dessa neoplasia é feito com exames de imagens e biópsia. O tratamento do leiomiossarcoma hepático é cirúrgico, sendo um tumor com baixa responsividade à quimioterapia. Trata-se de uma neoplasia com prognóstico reservado, com sobrevida global de 3 anos. Relata-se caso de leiomiossarcoma primário de fígado, submetido a tratamento cirúrgico isolado, com sucesso até o presente momento.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->