Você está na página 1de 1

Alegria, alegria- Caetano Velozo A letra denuncia o abuso de poder de forma metafrica caminhando contra o vento/ sem leno,

sem documento e a violncia praticada pelo regime sem livros e sem fuzil/ sem fome, sem telefone, no corao do Brasil, e a precariedade da educao brasileira proporcionada pela ditadura que queria as pessoas alienadas: O Sol nas bancas de revistas, me enchem de alegria e preguia, quem l tanta notcia? Se, devido ao regime ditatorial, as pessoas devem andar na linha obedecendo e se submetendo a regras e metas previamente estipuladas, Caetano prope uma caminhada contra o vento, ou seja, contra a ordem imposta das coisas. Alm disso, sem leno e sem documentos conota uma crtica norma que proibia as pessoas de sarem s ruas sem portar documentos. Alegria, Alegria no se caracteriza como uma cano de protesto igual a tantas outras compostas nessa poca, como Apesar de Voc, de Chico Buarque. Ao contrrio, a msica de Caetano questionava as idias e as tenses daquelas que lutavam contra a Ditadura: enquanto o sol repartia-se em crimes, espaonaves e guerrilhas, ele seguia, sem leno e sem documento, andando contra o vento. Mesmo alguns elementos da msica reforam essa idia; pode-se perceber que a msica formada por um compasso binrio, por um andamento acelerado e por acordes dissonantes e maiores, encerrados por um consonante, o que garante um ambiente alegre, gil e dinmico msica. A composio justaposta de palavras como a passagem em caras de presidente/ em grandes beijos de amor/ em dentes, pernas, bandeira/ e bomba e Brigitte Bardot, a msica apresenta um lugar comum das letras de Caetano. As palavras acabam se misturando e neutralizando seus significados uma prtica comum do Movimento Modernista. Esse processo tambm era utilizado na linguagem cinematogrfica da poca. Em Alegria, Alegria, essa tcnica nos remete ao espao urbano fragmentado e aos meios de comunicao de massa.