Você está na página 1de 2

INTRODUÇÃO

O presente trabalho objetiva discutir o desenvolvimento da auto-estima

no ser humano, com vistas ao desenvolvimento de uma boa noção de

identidade, autonomia e integração interna, libertando-se dos limites impostos

pela sociedade e pela família em um processo de auto-conhecimento contínuo.

Investigaremos as consequências da desvalorização do feminino por parte da

família e da sociedade patriarcal, e as diferentes formas das mulheres reagirem

a ela.

Os relacionamentos entre pai e filha serão abordados, dando-se ênfase

às consequências que se constata na vida das mulheres que vivenciaram más

relações com a sociedade patriarcal e relações comprometidas com o pai, que

acabam por resultarem em dificuldades de estabelecer vínculos duradouros,

falta de auto-confiança, identidade feminina prejudicada, etc, uma vez que o

pai é o elemento crucial na formação de parâmetros que pautarão o

relacionamento da mulher com seu lado masculino e com os homens.

Será tratada a incapacidade dos homens de amarem as mulheres, e a

violência empregada por eles contra elas, como uma forma de atacarem a

própria figura feminina internalizada de forma negativa e destruidora.


Apresentaremos como as mulheres provenientes de lares desajustados

buscam as resoluções de seus conflitos através da recriação da dinâmica por

elas já conhecida em seus relacionamentos futuros com homens inacessíveis e

abusadores, numa tentativa de estabelecerem um domínio sobre tais

experiências e transformarem-nas com a ilusão mágica do amor incondicional

aos homens oferecida.

Abordaremos o conceito de terapia familiar sistêmico-cibernético de

primeira e segunda ordem, enxergando a família como um sistema aberto,

sendo necessária a conscientização para que haja a libertação do

determinismo, caminhando para a fuga da lei de causa e efeito dentro do

sistema.

A técnica do genograma será também estudada, sendo este um

instrumento utilizado na descoberta de padrões relacionais dentro da família, a

história familiar, a fase do ciclo vital em que esta se encontra, as crenças,

valores e mitos que passam de geração a geração, as coincidências, os

triângulos emocionais, os contrastes, as idiossincarasias, etc.