Você está na página 1de 62

PROCESSO CIVIL – PROF.

MENNA

1° aula - 11.03.08
AÇÃO

DIREITO PROCEDIMENTO

Direito de ação – art. 5, XXXV, CF/88 – é o Princípio da


inafastabilidade da Jurisdição.
• Ação: Direito público subjetivo (cabe ao Estado
solucionar o conflito). Se tiver uma causa a ser
levada ao judiciário, o Estado é obrigado a conceder
o direito.

Teoria Abstrata do Direito de Ação: Qualquer pessoa pode


promover qualquer ação contra quem quiser sem a aprovação
do Estado.

AÇÃO: Classificação, Condições, Elementos

1) Classificação (Liebmann)

1.1 AÇÃO DE CONHECIMENTO:


Natureza:
• Condenatória. Ex. Indenização, cobrança.

• Declaratória. Existem ações que são meramente


declaratórias. Ex. Usucapião, art. 941; Consignação em
pagamento, neste caso o Juiz apenas declara extinta a
obrigação.

• Constitutiva
o Positiva: Ex. Investigação de paternidade
o Negativa: Ex. É aquela que rompe uma relação
jurídica. Ex. Divórcio, separação.

Procedimento
• Procedimento Comum
o Rito Ordinário
o Rito Sumário

• Procedimentos Especiais
PROCEDIMENTO
COMUM – LIVRO I, CPC
AÇÃO
DE
CONHECIME PROCEDIMENTO
ESPECIAL – LIVRO IV, 1
1.2 AÇÃO DE EXECUÇÃO, LIVRO II, CPC

1.3 AÇÃO CAUTELAR LIVRO III, CPC

2) Condições da ação (existência da ação)- requisitos da


admissibilidade para ingressar ao judiciário:
• Legitimidade
• Possibilidade jurídica do pedido
• Interesse

A ausência de uma das condições da ação = EXTINÇÃO


DO PROCESSO SEM RESOLUÇÃO DO MÉRITO, art. 267, VI,
CPC.
• A este fenômeno dá-se o nome de Carência de Ação

Quando preenche as condições da ação não quer dizer que irá ganhar a
causa, porém se não preencher o Juiz irá extinguir o processo sem
resolução de mérito – Art. 267, CPC.

O juiz pode de ofício (sem requerimento da parte) declinar


do processo (apontar uma das ausências da ação)? R.:
PODE, porque é matéria de ordem pública.

a) Possibilidade Jurídica do Pedido – o pedido será juridicamente


possível quando aquilo que se formula no judiciário esteja
previsto em lei, ou não seja por ela vedado.

o A luz do Princípio da Legalidade – O Estado deve


seguir a lei. O particular pode fazer tudo que a lei
não veda.

o Pedido juridicamente IMPOSSÍVEL – O pedido


juridicamente impossível é aquele que Não tem
previsão legal, é ATÍPICO.
• Cobrança de dívida de jogo;

• Usucapião de bens públicos;

• Herança de pessoa viva.

• De acordo com o CC a União Estável se


equipara ao casamento. E a CF/88 diz que o
casamento se dá entre homem e mulher,

2
portanto o pedido de reconhecimento de
União Estável entre homossexuais é
juridicamente impossível. Hot! hot!

b) Interesse de agir – Atrelado ao veto da dívida (Tenho um


contrato que vence dia 22, após vencido é que busco o
Judiciário.

• Duas formas de interesse:


o Necessidade – Tem-se que demonstrar a
necessidade de se promover a ação, necessidade
esta, que não esta relacionada com o mérito da
ação, tem que demonstrar que naquele
momento é necessária.
 Ex. NP não vencida (neste momento
não tem necessidade, tem que
esperar o vencimento).

o Adequação – buscar o procedimento adequado,


tem-se que buscar o caminho para se chegar ao
pedido.
 A PI tem o objetivo o PEDIDO
 A inadequação do procedimento
acarretará a falta de interesse

c) Legitimidade de partes – É a coincidência das


hot! hot!
pessoas figurarem na relação do direito material com
aquelas que estão no processo.

• A legitimidade depende da existência de uma


RELAÇÃO JURÍDICA (contexto da demanda) =
FATO e CONTRATO

Ex1 – 1° momento – Caio trabalhou 10 anos na pista do aeroporto


2° momento – Hoje Caio trabalha em um escritório de
Contabilidade
• Postula uma ação de indenização em face do
Escritório de Contabilidade alegando surdez

Pergunta? Há legitimidade de partes? SIM, é legitima (Caio X Esc.


Contabilidade) porque há uma relação jurídica (ligação) entre as
partes que é o CONTRATO DE TRABALHO.
• O PEDIDO É MÉRITO

3
Legitimidade Ordinária e Legitimidade Extraordinária

Legitimação para causa – pode ser:

Regra: Exceção
A parte é titular do A parte não é titular, mas substitui a titular (art.
direito 6, CPC)
Leg. Ordinária – parte Leg. Extraordinária – Pleitear direito que não é o
legítima (parte que seu.
figura no processo PERMITE-SE que alguém vá buscar no judiciário
tem direito). o direito pleiteado em nome próprio, mas
tutelando direito alheio.

• Ex1 – No caso de investigação de paternidade há


legitimidade ORDINÁRIA, porque o JUNIOR, não
tem capacidade.

• Ex2 – Ministério Público, Sindicatos, Hipóteses do


art. 9°, CPC (leu e explicou)

Partes têm:
Legitimidade para o processo – Toda a pessoa tem capacidade para ser parte
(contrair direitos e obrigações), mas nem todas têm capacidade de estar em
juízo.

Capacidade da pessoa Capacidade especial


Física Jurídica Cônjuges
É a capacidade de ser Sempre Art. 10, caput, ambos os cônjuges
parte. será devem ingressar com AÇÃO REAL
represe IMOBILIÁRIA. Entretanto caso um
Representada ntada dos cônjuges não queira
Absolutamente incapaz em participarem do processo basta
juízo. que autorize o outro a fazê-lo por
Assistida Relativamente meio de procuração ou outro
incapaz instrumento idôneo com esta
finalidade, entretanto a recusa da
Advogado – CF art. 133, esposa caberá AÇÃO DE
art. 2 da Lei 8906/94 hot! SUPRESSÃO DE OUTORGA. Ou
hot! - seja:
Não precisa de advogado: Ler
HC; art. 12 Esta regra não se aplica nos
Justiça do Trabalho e CPC, casos de separação absoluta de
Juizado especial Cível (até bens e participação final dos
20 sal min). aquestos.

3) Elementos da ação: Partes; Pedido e causa de pedir


• Existem para IDENTIFICAR as ações

4
• Assim para entender Conexão; Continência;
litispendência e coisa julgada têm que saber os

Causa de pedir: é o motivo pelo qual se busca o judiciário, art.


93, IX, CPC.
Remota é o vínculo que Próxima é o vício que
une autor e réu atingiu a relação

Pedido é o que se quer

REGRA: EXCEÇÃO: Pedido Genérico


certo e Não é determinado e sim
determinado DETERMINÁVEL.
A lei permite em excepcionais
Sempre se situações.
pode colocar o 1) Ações Universais – Ocorrem
valor – quando o autor não sabe a
“VALOR” universalidade de bens que
compõe o seu direito. Ex.
Inventário / Petição de
herança.
2) Ações de reparação de
dano – Quando o autor não
puder quantificar / mensurar o
tamanho do ato ilícito
elementos da ação.
• Existem

CONEXÃO – Ligação
• Objetivo: Tem como objetivo a reunião de processos.
• Motivação: Existe a fim de se evitar decisões conflitantes.
• Para tanto se faz necessário que existam 2 ou mais ações,
sendo que entre elas exista a mesma causa de pedir e o
mesmo pedido ou seja, que tenha mesma relação jurídica.

• A reunião das ações se dera perante o mesmo juiz,


conhecido como o juiz prevento.

5
Se as ações conexas estiverem na:
Mesma Comarca Comarcas diferentes
O juiz prevento será o que 1° O juiz prevento será no qual
DESPACHA, art. 105, CPC ocorreu a 1° CITAÇÃO VÁLIDA, art.
106, CPC

• Ex. O locador promove ação de despejo por falta de


pagamento em face ao locatário (10° VC). O locatário
promoveu Ação de Consignação em pagamento em face
ao locador (20° VC).
o Esses processos serão reunidos para evitar uma
decisão conflitante.

CONTINÊNCIA - é espécie de conexão


• Objetivo: reunião dos processos
• Motivação: evitar decisões conflitantes
• Nesta tem 02 ou mais ações é necessário: mesmas partes
e causa de pedir, porém o pedido de uma é mais
abrangente do que da outra.

• Na continência o Juiz PREVENTO será o juiz da causa mais


abrangente.

• Tanto a continência quanto a conexão só poderão ocorrer


antes da sentença.

LITISPENDENCIA
• São necessárias 02 ou mais ações e que entre elas exista
IDENTIDADE TOTAL entre as partes, causa de pedir e
pedido.
• Não é o nome da ação que importa e sim os seus
elementos.

• Na litispendência somente uma ação irá sobreviver. Qual?


o Aquela que ocorreu a 1° citação válida, as demais
não sobrevivem, será extintas SEM resolução de
mérito.

COISA JULGADA

6
• Tem a repetição de ações, porém estas já transitaram em
julgado, cuja conseqüência é a extinção sem resolução de
mérito.

• Ler art. 301, §1°,§2°,§3° - hot! hot! cai direto.

PARTES - Elementos da ação (existem para identificar as ações)


• CAPACIDADE
• LITISCONSORTES
• INTERVENÇÃO DE TERCEIROS

a) CAPACIDADE

Capacidade de
Capacidade de ser parte Capacidade de
Direitos estar em juízo
(capacidade

Exercer Contrair
direitos

• Aquele que tem capacidade de ser parte, mas não tem a


capacidade de estar em juízo deve ser representado ou
assistido. Ex. Incapaz.

Legitimidade Capacidade ≠

Relacionada a ordem Relacionada a ordem


processual material
(não envolve a relação

• Capacidade postulatória: Somente o advogado tem.

 O autor promove uma ação no JEC, até 20sal.min., não


precisa nomear advogado, no entanto mesmo assim não tem
capacidade postulatória, a qual é a capacidade que tem o
bacharela de direito que foi aprovado em exame de ordem e
que não tenha qualquer incompatibilidade com o exercício
da advocacia. A mesma capacidade tem o MP.

b) LITISCONSÓRCIO

• Há uma pluralidade de partes no mesmo processo, na busca de


direitos individuais e não coletivos. É promovido pelo autor em
face do réu, na mesma relação jurídica

7
Classificação: são 03

1. QUANTO AS PARTES:
 Ativo : reunião de autores
 Passivo: reunião de réus
 Misto: Reunião de autores e réus (vários).

2° aula - 12.03.08

2. QUANTO A UNIFORMIDADE DA DECISÃO - É condição de


eficácia da sentença, pode ser:

UNIFORMIDADE DA DECISÃO
Litisconsórcio UNITÁRIO Litisconsórcio SIMPLES
É a regra do ordenamento, quando É a exceção - O juiz tem decisões
o juiz proferir única sentença igual diferentes para cada
para todos os litisconsortes. litisconsortes.
• O magistrado TEM O DEVER
de julgar de maneira • Quando o lits for simples
uniforme a todos os cada litisconsorte é
litisconsortes. tratado individualmente.
Assim, os atos e omissões
• Quando o lits for UNITÁRIO de um não ajudam nem
os atos positivos de um atrapalham os demais.
ajudam aos demais (ex.
recursos, defesas), • Ex. Usucapião – réu,
entretanto os atos negativos proprietários, vizinhos
somente prejudicam aquele (art.942)
que o praticou (ex.
confissão).

Litisconsórcio obrigatório é UNITÁRIO


Litisconsórcio facultativo é SIMPLES
Hot! hot! Leu art. 47, CPC
• Exceção: Litisconsórcio necessário e simples - Ação de
usucapião, serão citados aquele que consta no CRI, os
confinantes e os demais interessados.

3. QUANTO AO MOMENTO DA SUA FORMAÇÃ0


O juiz limita o
FACULTATIV número de
litisconsortes.
O Lits. 8
FORMAÇÃ
O
Art.46
VONTADE DAS
PARTES

- LEI Art. 47
NECESSÁRIO ou
- NATUREZA DA REL
JURÍDICA OBRIGATÓRIO

• Leu § único do art. 46.


o Litisconsórcio Multitudinário: “Poderá o juiz limitar o
litisconsórcio facultativo quando verificar que pelo número
excessivo de litigantes tanto no pólo ativo como passivo,
puder ocasionar prejuízo para a defesa ou para a rápida
condução do processo.”

• “A sentença no litisconsórcio necessário só será válida se


todos os litisconsortes participar do processo.” A
formação do lits necessário é condição de eficácia da
sentença.

• Ex. Lits. NECESSÁRIO (é obrigatória a formação do lits)


o Pela Lei: Usucapião, art. 941, CPC
o Pela natureza da relação jurídica: Cônjuges

Obs: Momento de sua formação do


litisconsórcio
ANTERIOR - Antes da citação.

ULTERIOR - Após a citação, ex. chamamento ao processo e


denunciação da lide.
• Dois casos
 Quando o lits for necessário, e
 Quando a formação do lits é obrigatório.
FACULTATIVO - pode ser fruto da vontade das partes. Ex.
Acidente da TAM.
o Vantagem: Economia processual e tempo
(conhecido como Lits multitudinário).

Prazo do litisconsórcio: art. 191, CPC – O lits com procuradores


diferentes o prazo será em dobro.

c) INTERVENÇÃO DE TERCEIROS (Partes – Elementos da ação)


• Autor e réu, juiz – Pessoas que estão dentro do processo.

9
• Quem está fora do processo – TERCEIRO – Sempre que o
efeito da sentença ultrapassar as partes, este terceiro
pode ingressar no processo.

1. Quanto a iniciativa
a) Provocada: O terceiro será provocado a intervir
• Nomeação à autoria; Chamamento ao processo e
Denunciação da lide

b) Espontânea: O terceiro se manifesta espontaneamente.


• Oposição
• Assistência

2. Quanto ao terceiro
a) Coadjuvante: É um colaborador. Ex. Assistência.

b) Composição: É o terceiro hoje compondo a lide, formando


um litisconsórcio.

c) Exclusão: É a substituição – O terceiro entra e substitui a


parte. Ex. nomeação a autoria.

3. Quanto as modalidades de intervenção

5 modalidades de intervenção de
terceiros:
Nomeação a autoria
Oposição
Assistência – art. 50 e ss, CPC
Denunciação da Lide
Chamamento ao processo
NOMEAÇÃO A AUTORIA – hot! hot! art. 62 a 69, CPC .

• É a modalidade de intervenção que é EXCLUSIVA DO RÉU.

• Objetivo: É a substituição / correção do pólo passivo da


demanda em circunstâncias especiais.

• Hipóteses: Se o réu não é parte ele entra com preliminar de


contestação, em dois casos: Art. 62, 63, CPC – É a correção do
pólo passivo da demanda em circunstâncias especiais.
• Mero detentor – art. 62, “deverá” – implica um
ônus.
• Mero executor – art. 63

CONTESTA Alega Juiz determina


ilegitimidade
PI CITAÇÃO R de partes a extinção do
feito sem
NOMEAR julgamento do
AUTORIA
10
Perdas e
danos
(art. 69)

• Caso o réu opte pela contestação o juiz poderá condená-


lo a pagar perdas e danos (art. 69) a favor do autor,
contra o proprietário, caso tenha se omitido.

• Nomeação à autoria não é defesa, só poderá ser


formulada no PRAZO DA CONTESTAÇÃO, se a NA restar
infrutífera, o réu terá novo prazo para contestar a ação.

Procedimento da nomeação à autoria - hot! hot!


 Ingressa por meio de ação, é obrigatório, art. 69
 Petição simples, no prazo da defesa.
 Para que haja nomeação a autoria, tanto o terceiro como o
autor tem que concordar. Regra do art. 264, CPC
 Caso a nomeação a autoria seja julgada IMPROCEDENTE, o
juiz devolverá o prazo para a apresentação da defesa.

OPOSIÇÃO – art. 56 (leu) a 61, CPC


• É espontânea
• Ocorre oposição quando terceiro (chamado de opoente)
reivindica para si no todo ou em parte aquilo que as partes
disputam em juízo.
 Não entra para ajudar, pois é contra as partes, entra
no processo para disputar com as partes
 Ler art. 282, CPC.

OPOSIÇÃO, ART. 56 A 61,CPC EMBARGOS DE TERCEIROS, art.


≠ 1046
A A C
C Ação Penhora
Direito Ação de Emb. Terceiro
conhecimento Execução
Anulação Pehora
B A
NP B A B
B Protege seu bem Protege seu bem

Características da Oposição:
• Natureza jurídica de ação (tem que preencher todos os requisitos
da ação).
• A oposição é facultativa
• A oposição tem limite o opoente só pode ingressar no
processo até a SENTENÇA.
• Prazo comum para CONTESTAÇÃO

11
Mais de um réu, procuradores diferentes PRAZO EM DOBRO,
mas na oposição o prazo é COMUM para contestar.

Procedimento da oposição
 Se o opoente ingressar (distribuição por dependência) até a
audiência de instrução o magistrado determinará a reunião
dos feitos para que seja designada uma única audiência,
afim de que seja proferida uma única sentença.

 Entretanto se o terceiro ingressar após a audiência, o


magistrado não determinará a reunião dos feitos. Poderá
tanto julgar a causa principal independentemente da
oposição como determinar o sobrestamento do feito
principal por até 90 dias para proferir uma única sentença.

ASSISTÊNCIA – art. 50 a 55, CPC – Ocorre a assistência quando


terceiro tem interesse jurídico em que uma das partes vença a
demanda.

 É espontânea.
 O assistente entra para ajudar uma das partes. Ele torce que
uma das partes vença o processo, será bom para ele. (assistir é
ajudar a parte).

o Tem que haver um VÍNCULO (interesse jurídico) entre o


assistente e as partes.

Duas modalidades da assistência:


Assistência Simples Assistência
Se der quando um 3° embora tenha Litisconsorcial
interesse, não integra a sentença. O Se o terceiro tiver
3° assiste uma das partes (nada será relação com ambas as
para ele). partes a assistência será
• Se o terceiro tiver relação com litisconsorcial.
uma das partes a assistência • Sentença – produz
será simples. efeitos com relação
Ex. “A” aluga casa para “B” que re-aluga para a ele.
“C”, as partes seriam A e B, C seria o
assistente.

Procedimento da assistência:
• O assistente ingressa com uma PETIÇÃO SIMPLES, a
qualquer momento, até em grau recursal.

12
• OU, se manifesta por intimação das partes na pessoa
do seu advogado no prazo de 5 dias.

AS PARTES
SIM NÃO CONCORDAREM
SIMPLES INGRESSO Quem decide é o Juiz
(aceitação tácita) Desentranha a Petição
O juiz não emite juízo de valor Simples
Apensa ao processo

DENUNCIAÇÃO DA LIDE – art. 70 a 76


• É a intervenção de garantia / solidariedade, permite-se que um
terceiro seja trazido a lide para que responda a obrigação, caso
o réu sofra algum prejuízo.

CHAMAMENTO AO PROCESSO – art. 70 a 80


• Ocorre quando o réu trás à demanda os terceiros co-obrigados
que participaram da relação jurídica do direito processual, mas
que não foram demandados.

• Um credor e 04 devedores – O autor demanda em face de um


deles, e este chama os demais ao processo. É formalizado o
chamamento na contestação, no mesmo prazo, é facultativo

DENUNCIAÇÃO DA LIDE CHAMAMENTO AO


PROCESSO
Art 70 – é obrigatório Art.77
Art. 77, I – Quando fiador chama o
devedor
Art. 77,II – Quando fiador chama
fiadores
Art. 77, III – Devedor chama
devedores
Autor ou réu Exclusivo réu
Autor – Na petição Inicial Réu - Prazo da contestação
Réu – na contestação
Facultativa Facultativa
Art. 70, III – Relação subsidiária Relação solidária (todos
respondem pela obrigação)
Ex.: Seguradora: Ex. Locação
Ticio Locador
Acidente de automóveis
Caio Seguradora Locatário Fiador
(condenado)
(os dois indenizam o autor)
Há formação de litisconsórcio os dois.

13
Exceção da assistência, as intervenções de terceiros somente
são cabíveis no Processo de Conhecimento.
JURISDIÇÃO E COMPETÊNCIA

Jurisdição: É o poder-dever do Estado em fazer justiça e dirimir


conflitos de interesses.

• Características da Jurisdição: Substitutividade; Imparcialidade,


Existência da Lide; Inércia e Unidade.
O cidadão
PARA
PROVOC OBTER
A
Através da Para que
ATIVIDADE
exerça
AÇÃO JURISDICION
ESTADO AL

Princípios da Jurisdição
a) Princípio da Inércia: O Estado tem que ser provocado, por meio de
ação para exercer a jurisdição, art.2, CPC.
 Exceção: Art. 989, CPC - O juiz pode de ofício determinar a
abertura do inventário

b) Princípio da Inevitabilidade: É inevitável a procura do Estado para


solucionar o conflito.

Exceções: 03
ARBITRAGEM - Lei 9307/96 LEI 11.441/2007 - Inventário;
Ler Livro Prima (homework) JUSTIÇA divórcio; Separação, é feita de
Solução privada dos DESPORTIV forma extrajudicial.
conflitos, não admite a A  Desde que não exista
atuação do Estado conflito e não envolva
incapazes.

3° aula - 13.03.08
CONTINUAÇÃO... JURISDIÇÃO – Prof. Renato

Características da Jurisdição:
É o poder do Estado em dirimir conflitos.

Classificação de jurisdição: Contenciosa e voluntária


Contenciosa – é jurisdição – pressupõe litígio – Arts. 890 ao
1102 CPC.

Voluntária – Existem determinadas situações de vida que, a


despeito de não haver conflito é necessária a chancela do

14
Estado para que se possa operar efeitos na esfera jurídica das
partes – Arts. 1103 e ss, CPC.

COMUM JURISDIÇÃO
CONTENCIOSA
AÇÃO DE
É o conflito de
CONHECIME ESPECIA

JURISDIÇÃO
Voluntária: Arts. 1.103, CPC VOLUNTÁRIA
Refere-se a administração pública dos interesses privados.
Não há conflitos,
Há somente interessados (não partes) que convergem para a
mesma finalidade
Para produzir efeitos na esfera jurídica das partes é necessário a
sentença

ATIVIDADE JURISDICIONAL

Solucionar conflitos Jurisdição contenciosa Ex. Inventário


Administração de Jurisdição voluntária. Ex. Curatela de
interesses interditos

• A jurisdição é uma e dentro desta temos os juízes (limites


quanto a matéria, hierarquia, território).
o Todo Juiz te jurisdição, mas nem todo o juiz tem
competência.

1. Competência do Juízo – Competência é a distribuição aos


órgãos do Poder Judiciário acerca das suas funções. é o limite
da jurisdição.

Hot!hot!
Competência ABSOLUTA
MATERIAL
Competência A transgressão da competência é muito grave.
FUNCIONAL Muito grave – incompetência absoluta
Competência RELATIVA
TERRITORIAL É fixada em razão do território – competência
Competência territorial e do valor da causa (até 40 sal min).
VALOR DA Exceção – art. 95, CPC é absoluta
CAUSA Pouco grave – incompetência relativa

Critérios:
i. Material – divisão pela matéria.
ii. Funcional – competência da função do juiz:
i. Hierarquia diferente – em relação a outros juízes –
incompetência funcional em decorrência de erro
quanto ao grau de jurisdição.
ii. Hierarquia igual – em relação aos juízes que estão
no mesmo patamar.

15
iii. Territorial – território – cidades.
iv. Pelo valor da causa – juizado especial, rito sumário e rito
ordinário.

O QUE SE APLICA EM UM NÃO SE APLICA EM OUTRO – HOT! HOT!

COMPETENCIA ABSOLUTA COMPETENCIA RELATIVA


É de interesse público, a matéria é de É de interesse das partes
interesse público, nem o Juiz pode
modificar
Independe de requerimento – “pode de Não pode ser de ofício
ofício”,mas não exclui a vontade das
partes.
Suscitada pelas partes a qualquer Só o réu pode suscitar na PRIMEIRA
momento OPORTUNIDADE (contestação) sob pena
de preclusão
Objeção – Art. 301, II, CPC – preliminar de
contestação – se não alegar neste Exceção de incompetência
momento não tem problema, pode alegar
em outro momento
Não comporta derrogação – as partes não Comporta derrogação (pode abrir mão –
podem pactuar outra forma se não aquela foro de eleição – Art. 111, CPC)
prevista na lei
• Preclusão – É a perda do direito reconhecida a incompetência
(relativa e absoluta). O juiz remete os autos ao juiz competente –
não extingue.

PRORROGAÇÃO DE COMPETÊNCIA
• Tornar competente o juiz que a princípio era competente. Somente se for
competência relativa.

A incompetência relativa não pode ser conhecida de oficio


o
(Art. 114, CPC e Súmula 33, STJ) – assim se a parte não
opuser exceção de incompetência o juízo que é
relativamente incompetente passa a ser
absolutamente competente para conhecer a causa –
PRORROGAÇÃO DE COMPETÊNCIA.
EXCEÇÃO – Art. 112, p.u., CPC – poderá o magistrado conhecer
de ofício a incompetência relativa quando verificar que no
contrato de adesão se verificar a abusividade da cláusula de
eleição de foro

É Art. 88 – estabelece a competência CONCORRENTE. A ação pode


competênci ser proposta tanto no país de origem quanto no Br, é opcional.
a
internacion Art. 89 – Estabelece a competência EXCLUSIVA da autoridade
al? Brasileira. Neste caso a ação deve ser promovida no Brasil. Ex.
Imóveis situados no Brasil
Art. 88 e 89,
CPC
Quando a ação é promovida diretamente no tribunal. Ex. STF –

16
ADIN; STJ -Ação rescisória
É caso de • Justiça Especial
competênci o Trabalhista (ação de acidente de trabalho); Penal
a Militar, Eleitoral.
originária? • Justiça Comum
o Federal - CEF
Qual o tipo
o Estadual – BB, Sociedade Economia Mista
de justiça
o Exceção: TRABALHISTA (JT) E FALÊNCIA – (JE)
adequada ao
caso concreto
Análise da Justiça Estadual - Lei de organização Judiciária (regras para
cada Estado).
Regra geral – art. 94, CPC – Domicíio do réu.
• Art. 95 – ações fundadas em direitos reais sobre imóveis,
ações possessórias (competência absoluta)
Competênci • Art. 96 – regra para inventário
a Territorial
o Domicílio - no foro do de cujus.
o Domicílio incerto – Local dos bens
o Domicílio incerto + bens em lugares diferentes –
local do óbito.
• Art. 98 – Ação em que o réu é incapaz – foro do seu
representante
• Art. 100 – Parágrafo único – domicílio do autor ou local do
fato

Classificação da COMPETÊNCIA

A) Legal – Fixada em lei. Ex. Conexão de 2 ações promovidas em separado,


reúne-os perante o juiz prevento.

B) Voluntária – tácita – Quando o réu não apresenta a exceção de


incompetência.

C) Convencional – é o chamado foro de eleição (art. 112, CPC) – O juiz


poderá antes da citação, de ofício, declarar a neutralidade da cláusula de
eleição de foro se esta estiver inserida no contrato de adesão.
o Território: as partes podem eleger um território, parágrafo único: artigo
112 combinado com artigo 114, Juiz poderá antes da citação “de oficio”
declarar a nulidade da cláusula de eleição de foro se estiver inserida no
contrato de adesão caso em que determina remessa dos autos ao
domicilio do réu.

FENÔMENOS DE MODIFICAÇÃO DE COMPÊTENCIA – 02 – hot! hot!

CONEXÃO – art. 103, CPC CONTINÊNCIA


Ocorre conexão quando entre Ocorre continência quando entre
duas causas houver identidade de
duas causas lhes for comum o
partes, causa de pedir, mas o pedido
pedido e a causa de pedir. de um pode ser maior que o dá outra
o abrange.

17
• OBSERVAÇÃO: Se dois juízes tiverem a mesma competência
territorial, será prevento aquele que despachar em primeiro
lugar (artigo 106, CPC), entretanto se entre os dois juízes houver
competência territorial diferente o JUÍZO PREVENTO será aquele
que procedeu a PRIMEIRA CITAÇÃO VÁLIDA (art. 219, CPC).

ATOS PROCESSUAIS
Complementos...

IMPULSO AO PROCESSO
PRINCIPIO DA TIPICIDADE: PREVISTO EM LEI, a forma pode ser dispensada
desde que o ato
• Petição – c. estadual – artigo 156 – vernáculo
• Documentos – língua estrangeira – artigo 157 – tradução
PRINCIPIO DA INSTRUMENTALIDADE: ato deve ser útil e eficaz, quando
agravo retido não for útil e eficaz entra com agravo de instrumento.
PRINCIPIO DA PUBLICIDADE: ARTIGO 155 interesse público, casamento,
filiação, incapazes

Partes
Postulatórios – atos que envolvem requerimentos. Ex: Petição Inicial.
Instrutórios – que envolvem produção de provas. Ex: depoimento
pessoal.
Dispositivos – que envolvem a vontade das partes. São atos
realizados em conjunto. Ex: acordo.
o Para que produza seus efeitos tem que ser homologado pelo juiz.
o O juiz pode deixar de homologar um acordo? Sim, se observar
que uma das partes esteja sendo prejudicada ou um 3º.
Atos do Juiz (Artigo 162, CPC)
Sentença – ato do juiz que implica alguma das situações previstas no
Artigo 267 (sem resolução do mérito) e 269 (com resolução do
mérito).
Decisão interlocutória – resolve um incidente processual (questões
paralelas, não é analisado o pedido do autor).
 Incidente Processual – é uma questão paralela que será
resolvida por uma decisão interlocutória.
 Processo Incidente – é uma ação. É a ação incidental. Ex: uma
cautelar. Será resolvida através de uma sentença.
Despacho – ato de mero expediente do juiz. Não tem conteúdo
decisório e é irrecorrível. Ex: cite-se, Manifeste-se o autor.
Serventuários da Justiça
Atos ordinatórios – ART. 162, parágrafo 4, não há necessidade de
determinação judicial. Ex: “juntada de documentos”, “Vista dos autos”.

PROCEDIMENTOS
Tipos de Ação:
 Conhecimento
1.1. Procedimento comum
1.1.1 Rito Ordinário

18
1.1.2 Rito Sumário
1.2. Procedimentos Especiais
2. Execução
3. Cautelar

AÇÃO DE CONHECIMENTO / PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO


(FASES)

1ª Fase – POSTULATÖRIA
1º ato do processo = PETIÇÃO INICIAL
• Principal efeito: é de fixar os limites da demanda.
• Pressuposto da existência do processo.
• Para que seja válida depende de observação de
alguns requisitos previstos no Artigo 282, CPC.

Requisitos da PETIÇÃO INICIAL:


Endereçamento – Inciso I - Juiz ou Tribunal a que é dirigida
Partes – Inciso II - Partes com suas qualificações
• Estado civil, profissão, domicilio e residência. NÃO POSSO PROMOVER UMA AÇÃO
CONTRA UM RËU QUE NÃO SEI QUEM É.
 Direito Pessoal – em ações que versem sobre direito pessoal, a identificação
do réu é obrigatória.
 Direito Real – em ações que versem sobre direito real, a identificação do réu é
dispensável. Ex: Ações Possessórias
Dos Fatos – Inciso III – Fatos e fundamentos jurídicos do pedido – causa de
pedir – a teoria que justifica é a Teoria da Substanciação (Br); narrativa do
ocorrido
Do Direito – é a fundamentação Jurídica. É a demonstração efetiva do direito do autor. É
a exposição do direito do autor. Já a fundamentação legal é o fundamento da demanda,
envolve o processo, ou seja, questão de ordem processual. Fatos + Direito = Causa de
pedir.
Do pedido - Inciso IV hot! hot! – Pedido com suas especificações – Art. 286,
CPC – o pedido para que seja formalizado tem que ser Certo e
Determinado – Cumulativos e não alternativos:
a. Certo – expresso – Eu quero 02 sacas de café.
b. Determinado – individualizado pelo seu gênero e pela sua
quantidade.
c. hot! hot! A lei permite em algumas situações
excepcionalíssimas que formule um pedido certo +
determinável (genérico) – só será determinado no curso da
lide por meio de uma perícia, prova documental e etc.
1. Ações Universais – são aquelas em que o autor

19
não sabe a universalidade de bens que compõe o
seu direito. Ex.: Inventário.
2. Ações de reparação de dano – quando o autor não
puder quantificar/mensurar a extensão do ato
ilícito praticado pelo réu.
3. Dano moral – se a OAB não mencionar nada,
aplica-se art. 286, CPC.

2 requerimentos básicos: Citação


Provas – só indicar as provas, não há requerimento de
provas.

Complemento

O pedido pode ser:


Imediato – está atrelado a natureza jurídica da demanda. Ex: “condenar”,
“Declarar”.
Mediato – é o bem corpóreo pretendido. Ex: Pagamento de 20.000,00.

O pedido tem que ser CERTO E DETERMINADO.

Pedido genérico – ações universais (ex: inventário). O pedido genérico sem previsão
legal, o juiz manda emendar a inicial.

Modalidades / espécies de pedidos previstos no ordenamento jurídico


(classificação).

A) COMINATÓRIO / SIMPLES – art. 287, CPC


• Nas obrigações de fazer e não fazer e de entrega de coisa certa ou
indeterminada e nas ações de obrigação de fazer ou não fazer o réu
poderá ser cominado a cumprir a obrigação específica sob pena do
pagamento de multa pecuniária por dia de não cumprimento.
• São duas obrigações diferentes. A + B. Ex: Danos morais + Danos
materiais

B) ALTERNATIVO – art. 288, CPC


• Ocorre o pedido alternativo quando o réu tem a sua disposição duas ou
mais maneiras de cumprir a obrigação.
• O autor oportuniza ao réu a possibilidade de cumprir o pedido.
• Os pedidos têm a mesma hierarquia. Quem escolhe o pedido é o réu, ele
diz qual irá cumprir.
• A ou B. A forma de cumprimento da obrigação depende da vontade do
réu.

C) SUCESSIVO – art. 289, CPC


• No pedido sucessivo existe uma escala de interesse, assim o Magistrado
apreciará o pedido subsidiário se houver desacolhimento do pedido
principal.
• “Caso V. Excelência não aceite...”
• B  A. Ex: Eu quero alimentos, porém preciso antes ingressar com uma
investigação de paternidade.

20
D) PRESTAÇÕES PERIÓDICAS – art. 290, CPC
• No pedido de prestações periódicas o autor formulando a primeira
parcela, as demais serão devidas de pleno direito, enquanto se vencerem
as parcelas no curso da lide, trata-se de modalidade de PEDIDO
IMPLÍCITO. Ex. Ação de alimentos – Relação de trato sucessivo – O réu
deve a primeira parcela e todas as outras no curso da lide.

E) CUMULADOS – art. 292, CPC


• Ocorre quando o autor formula várias pretensões (pedidos) dentro do
mesmo processo (em uma única ação) para que o juiz aprecie todas. Ex.
danos emergentes e lucros cessantes...
o Requisitos:
 Mesmas partes;
 Pedidos compatíveis;
 Mesma competência

F) SUBSIDIÁRIO – A (se não for possível) fico satisfeito com B.


Não é o réu que escolhe, é o que for possível.

4° aula - 14.03.08
CONTINUAÇÃO... PROCEDIMENTOS – PI – Prof. Menna

Roteiro de estudo

Execução
Cautelar
Especiais
Sumário
Comum Ordinário

AÇÃO DE CONHECIMENTO / PROCEDIMENTO COMUM


ORDINÁRIO (FASES)

Hot!hot! – 70% da prova


1 fase: POSTULATÓRIA PI / RESPOSTA DO RÉU ART. 282 /
289
2 fase: SANEADORA SANEAMENTO DO FEITO ART 329 /
331
3 fase: INTRODUTÓRIA PRODUÇÃO DE PROVAS ART. 332 e
ss
4 fase: DECISÓRIA SENTENÇA ART
5 fase: COMPLEMENTO DE ART. 475 A e
SENTENÇA ss

21
Art. 282, V - Valor da Causa (Ler art. 259 e 260, CPC) –
efeitos:
Toda causa tem um valor
Art. 258 - A toda causa será atribuído um valor certo, ainda que não tenha
conteúdo econômico imediato
Efeitos: Custas
Procedimento. Ex: rito sumário (Artigo 275, I).
Competência Relativa
Regras para fixar o valor da causa:
• O valor da causa corresponderá ao proveito econômico
da demanda (regra geral).
• Existem causas que não tem proveito econômico,
atribui valor estimado, para fins de alçada. Ex:
separação consensual s/ bens.
• O valor da causa pode ser fixado pela lei
• Ação de alimentos (12 x o valor dos alimentos).
• Locação (12 x o valor do aluguel, Art. 58 da Lei 8245\91)
• Ação de despejo; revisional; renovatória;
consignação em pagamento

Impugnação do Valor da causa HOT! HOT! – art. 261


Objetivo – a adequação do valor atribuído a causa.
Momento – prazo da contestação (simultaneamente), ou seja,
deve-se apresentar a contestação e simultaneamente a
impugnação (15 dias).
Peça - É peça autônoma – não é preliminar.
Autuada - É autuada em apenso – não fica nos mesmos autos.
Incidente - tem natureza de um incidente processual.
Suspende o processo - Não suspende o processo.
Decisão – é interlocutória.
Recurso cabível – agravo.
Art. 261, § único – “Não havendo impugnação, presume-se
aceito o valor atribuído a causa na petição inicial.” HOT! HOT!
• Porém, o juiz poderá de ofício, a qualquer tempo
determinar que o autor adéqüe do valor da causa. (O
Estado tem interesse porque envolve custas....)

Provas: O autor irá protestar / indicar as provas que irá utilizar no


futuro, no final da PI, porque se não o fizer preclui, este requisito é
para evitar a preclusão.

1ª Fase – POSTULATÖRIA – CONT

22
Entre a Inicial e a Citação é possível que o processo desapareça (o
juiz poderá extinguir o feito) por dois motivos art. 295 e 285ª.

• 1º ato do processo = PETIÇÃO INICIAL


• 2º ato do processo = CITAÇÃO

CONTROLE DE ADMISSIBILIDADE DA PI – Poder do Juiz (04)


• CITE-SE – art. 285, CPC
• EMENDAR / ADITAR – art. 284, CPC
• INDEFERIR – art. 295, CPC
• APLICAR O art. 285ª – hot! hot!

Antes mesmo da citação o juiz pode extinguir o feito, em duas


hipóteses:

A) Indeferimento da PI, art. 295 – ANTES DA CITAÇÃO


• Causas do indeferimento:
o Inépcia da inicial – art. 295, parágrafo único
 Nas 04 primeiras o juiz extingue SEM A
RESOLUÇÃO DO MÉRITO (art. 267, CPC) –
Cabe APELAÇÃO – 48 HS
o Carência da ação – (ausência de uma das
condições da ação)
• Falta de interesse –
• Ilegitimidade das partes
• Possibilidade jurídica do pedido
• Caso o juiz determine que o autor
emende a PI, será concedido ao mesmo
o prazo de 10 dias para o atendimento
de tal determinação. Na hipótese do
autor restar inerte o juiz então deverá
indeferir a PI. Hot! hot!
o Prescrição – art.269, CPC
 A prescrição a luz do art. 269, IV, EXTINGUE O
PROCESSO COM RESOLUÇÃO DO MÉRITO.
 Hoje com a reforma da lei a prescrição pode
ser verificada de ofício a qualquer tempo e
grau de jurisdição – art. 295, parágrafo 5.
o Decadência

Conseqüência PI – Extinção com ou sem resolução de mérito?


R.:
• Extinção será COM resolução de mérito – se for indeferida
– PRESCRIÇÃO E DECADENCIA.

23
• Extinção serão SEM resolução de mérito – se for
indeferida – DEMAIS SITUAÇÕES

B) Artigo 285A – hot! hot! ANTES DA CITAÇÃO Sempre juízo de 1


grau
• Juiz julgue IMPROCEDENTE A AÇÃO – Antes da Citação.
o Instituto do art.285A – Julgamento de processos
repetitivos, poderá o juiz receber a inicial não
proceder a citação do réu e irá EXTINGUIR O
PROCESSO COM RESOLUÇÃO DE MÉRITO quando
verificar que a matéria objeto da ação possui
diversas sentenças de improcedência de juízo.
Neste caso fundamentará a sentença com cópia das
decisões anteriormente prolatadas.

o Cabe APELAÇÃO desta decisão, pode o Magistrado


se retratar em 5 dias.

o Caso haja retratação o juiz mandará citar o Réu


para os termos presentes. Caso não reconsidere,
igualmente citará o réu para apresentar contra-
razões.

• O juiz poderá julgar improcedente a ação antes da citação


desde que sejam preenchidos 02 requisitos:
o A) A matéria seja apenas de direito, ou seja, aquela
que não exige a produção de provas. (provas a
produzir é matéria de fato).

o B) Se faz necessário que aquele juízo tenha


proferido sentenças reiteradas em casos
semelhantes.

CITAÇÃO – art. 282, VII


• É o ato pelo qual se chama o réu em juízo afim de se
defender.

• Comunicação dos atos: Réu tem um primeiro contato no


processo, será CITADO, após este feito o réu será somente
INTIMADO dos atos processuais.

• A citação é um pressuposto de existência do processo


(relação triangular da relação processual – Juiz/Autor e
réu), SALVO o artigo 285A. Leu art. 214, CPC.

24
• Teoria da aparência: É o ato que aquele que recebeu a
citação pode fazê-lo, porque esta recebendo em nome da
pessoa.

• Citação – Leu art. 215, CPC


o PESSOAL – diretamente ao réu - Tudo é válido,
permitido. Ex. Pessoa Jurídica
o NÃO PESSOAL – Quando terceiro recebe a citação.
Se o porteiro receber a citação, não esta sendo
citado.

Efeitos da citação:
A) A citação válida produz litispendência (ações idênticas, mesmas
partes, mesmo pedido).
B) Constitui o réu em mora (é dar ciência), citado o réu este não poderá
alegar desconhecimento da ação.
C) Interrompe a prescrição.

Modalidades da citação – hot! hot!

REAL FICTEA
Realmente ocorreu Não se sabe se ocorreu
Correio (regra) Oficial de Edital Hora certa
Justiça
Se não se defender em qualquer uma das citações é REVEL
Ao réu revel citado por EDITAL ou HORA CERTA será nomeado um
CURADOR DATIVO (art. 9, CPC)

Citação pelo correio – art. 222, CPC (regra)


• Regra do CPC é a citação pelo Correio para qualquer Comarca
do País, através de CARTA c/ AR ( Aviso de Recebimento), o réu
tem que assinar. Leu art. 223, § único.

• Exceção: Execução; quando a fazenda Pública for parte, e sobre


Estados das pessoas (emancipação, interdição)
OBS.: Citação por Carta precatória é um mecanismo
para a citação quando o réu reside em outra
Comarca. E a Citação por carta rogatória – réu mora
em outro país.

Citação por Oficial de Justiça


• Quando frustrada a citação pelo correio, será por oficial de
justiça. OU
• Quando o réu fizer um requerimento expresso na inicial que
seja por OJ. OU
• Pela Lei
o Em processo de execução
o Quando o réu for incapaz
o Nas ações de estado (ex interdição)

25
o Réu (poder público)

Citação por hora certa – Se o réu foi citado 3 vezes e não foi
encontrado, art. 227, CPC, se dá a citação diante da chamada
ocultação do réu.
• Elemento objetivo – O oficial de justiça comparece 3x
em dias e horários distintos.
• Elementos subjetivos – Presunção de ocultação.

Edital (hot! hot!) – art. 231, CPC


• Quando desconhecido ou incerto o réu (quando não souber quem
é o réu)
• Quando a lei determinar
o Usucapião art. 942, CPC – Oficial e Edital.
o Invasão de terra

• Quando o domicílio for incerto ou inacessível, ignorado


(quando não souber onde mora o réu ou difícil acesso)
o Favelas.

• Se for beneficiário da Justiça Gratuita, será a citação por


EDITAL, será publicado em Diário Oficial.

Por meios eletrônicos (hot! hot!)

OBS.: Com a citação o réu deverá apresentar a sua resposta.

DEFESAS / RESPOSTAS DO RÉU – 03 MODALIDADES – art. 297,


CPC

• Contestação – NJ de defesa
• Reconvenção – NJ de ação
• Exceção – NJ de incidente
o Exceção de impedimentos
o Exceção de suspeição
o Exceção de Incompetência

EXCEÇÕES: tem natureza de incidente processual

26
• Exceção é um incidente destinado a afastar a incompetência do
Juízo a argüir a parcialidade do juiz / impedimento / suspeição.
Atacam o próprio processo, o Juiz ou o Juízo, são autos
apensados, suspende o processo.

Regra que se aplica aos 03 casos:


• A) Recurso cabível – AGRAVO
• B) PRAZO: 15 dias contados a partir do fato que gerou do
conhecimento.
• C) O protocolo da exceção gera / acarreta a suspensão
do processo / feito, art. 265, III e 306, CPC.

1) Exceção de impedimento – art. 134, CPC – Neste caso o Juiz é


impedido, proibido, de apreciar aquele processo, tem caráter
absoluto.
• Questão de ordem absoluta (não há dúvida, irrefutável)
• Ex. Cônjuge – Comprova através da certidão de
casamento.

2) Exceção de suspeição – art. 135, CPC – Neste caso há


amizade o juiz é suspeito, subjetivo, Tem caráter relativo.
Questão de ordem relativa
• Ex. Amizade
• Ex. Inimigo

27
A suspeição e impedimento existem para a imparcialidade de julgamento do
Juiz.
• Juiz de ofício pode declinar tanto do impedimento como da suspeição,
mas se NÃO o fizer as partes propõem a exceção de impedimento ou de
suspeição.

• Aplica-se também ao: (art. 138, CPC) - Serventuário da Justiça, MP,


Perito, Intérprete, hot! hot!

• Juiz amigo do advogado? NÃO SERÁ SUSPEITO

Qual o recurso cabível contra impedimento e suspeição? hot! hot!


• Se o juiz disser que é suspeito ou impedido, admitiu, não é possível
recorrer por falta de interesse. Nenhum recurso, art. 313, CPC.

• Se o Juiz rejeita o impedimento ou a suspeição:


o Reconhece e substitui o juiz. Ou
o Abrirá prazo de 10 dias para as razões e é obrigado a mandar
os autos para o Tribunal, ou seja, irrecorrível também.

Qual é SUSPEIÇÃO ou qual é IMPEDIMENTO?


Prova de plano – IMPEDIMENTO
Casos envolvendo cônjuge, parente é objetivo
Mulher do Juiz – a prova é a certidão de casamento
Demanda de provas (probatória) – SUSPEIÇÃO
Casos envolvendo amizade – subjetiva
Amigo íntimo (não existe certidão de amizade, logo preciso
provar)

5° aula – 24.03.08 – Prof. Renato Montans – (digitação Luciana)

O CPC possui três modalidades de DEFESAS / RESPOSTAS DO RÉU,


art. 297, CPC:
1ª) Contestação
2ª) Exceções
3ª) Reconveção – não só resiste, mas também pede
alguma coisa.

CONTESTAÇÃO - 1° MODALIDADE DE DEFESA

• O objetivo é demonstrar que o autor não tem razão. São


duas defesas: processual e de mérito. Preliminares é a forma
de o réu alegar vícios referentes ao processo. Já a matéria de
MÉRITO objetivo atacar o PRÓPRIO DIREITO MATERIAL que
encampa a pretensão do autor.

Prazo: 15 dias – regra.


Prazo: 10 dias – para contestação nos embargos de
terceiro
Prazo: 05 dias – para contestar as cautelares, prestação
de contas.

28
Exceções à regra do prazo de 15 dias.
⇒Art. 188 – Ministério Público e Fazenda Pública tem prazo em
quádruplo para contestar.

⇒Art. 191 – Hipótese de litisconsórcio com procuradores


diferentes, detalhe a lei favorece apenas 2 pessoas, dá prazo
em dobro, se são mais que 4 procuradores diferentes, não
importa o prazo será em dobro. Havendo mais de um réu com
procuradores diferentes o prazo se computa em dobro.

⇒Art. 241, III, todos do CPC – O prazo da juntada começa a


contar da juntada aos autos. Havendo vários réus, cujas as
juntadas dos mandados se derem em dias distintos, o prazo
para que todos se defendam começa a correr do último.

Princípios da Contestação
a) Da Concentração – Na mesma peça, mesmo momento será
apresentada as duas defesas.

b) Da Eventualidade – A defesa de mérito só será analisada se


eventualmente rejeita a defesa processual.

• Regra da Eventualidade: Toda a matéria de defesa


deve ser argüida em contestação sob pena de preclusão.
Para alguns autores é chamado de princípio da
concentração. Por mais conflitantes que sejam as
matérias deduzidas na contestação.

Exceções ao Princípio da eventualidade: São 03 exceções à


regra, ou seja, matérias que não se submetem ao (art. 303 do
CPC):
a.1) Direito Superveniente – matéria que surgiu
depois;

a.2) Matérias que o juiz pode conhecer de


ofício – matérias de ordem pública;

a.3) Expressa autorização legal – prescrição e


decadência.

c) Do Ônus da impugnação específica – É a exigência que a


parte apresente impugnação pormenorizada dos fatos trazidos
pelo autor sob pena de revelia.

29
• Tem o ônus de impugnar especificamente toda a matéria.
Lembrar do famoso “conforme faz prova...”.

• APENAS PODERÁ FAZER DEFESA POR NEGATIVA


GERAL O ADVOGADO DATIVO, O CURADOR
ESPECIAL E O MINISTÉRIO PÚBLICO (art. 302, § único
do CPC).

• A lei permite porque eles não tiveram


oportunidade de conversar com o réu,
logo, não tem como elaborar a defesa.

ESTRUTURA DA CONTESTAÇÃO

• Preliminares: Vícios do processo, o juiz não resolve o


conflito (TRETA), extingue o processo.
o São os preliminares – art. 301, CPC

o As preliminares visam aduzir vícios processuais no


processo que veicula a pretensão do autor
(perempção, litispendência, inépcia da petição inicial,
etc). estudar hot! hot!
COMPLEMENTO

Art. 301, inciso II - Incompetência absoluta, se o juiz acolher terá a remessa dos
autos ao Juiz competente.

Art. 301, inciso IV – Perempção – É a inércia, art. 268, parágrafo único.


• Ocorre quando o autor promove pela 4 vez a mesma ação sendo que
nas 3 vezes anteriores o processo foi extinto por falta de andamento. Se
acolhida esta preliminar, tem como conseqüência a extinção do feito
SEM A RESOLUÇÃO DO MÉRITO, art. 267, inciso V, CPC.

Art. 301, inciso X – Carência da Ação – Ocorre diante da ausência de uma das
condições da ação (extinção do feito SEM RESOLUÇÃO DE MÉRITO, art. 267, VI,
CPC.

Art. 301, inciso IX – Convenção de arbitragem – é a única matéria em que o Juiz não
poderá declarar de ofício e declarar a preclusão.

As partes elegem a arbitragem – Lei 9307/96, são duas modalidades: Cláusula


compromissória
Compromisso Arbitral

Mérito

 Ataca o próprio direito : a matéria de mérito o réu argúi


matérias extintivas, impeditivas ou modificativas do direito do
autor (pagamento, prescrição ...).

30
o Prevalece o ônus (do réu) que deve entrar com a
impugnação específica, todas as alegações de forma
específica, uma a uma.

• Quando o réu deixa de impugnar alguma alegação do


autor para é CONFISSÃO.

• Somente será admitida a contestação genérica aquela


apresentada pelo CURADOR.

Exemplo de questão:
• 76- Não constitui preliminar: “TRETA” ( se o juiz acolhe a preliminar,
via de regra gera a extinção do processo, sem resolução do mérito).
a) perempção; - não resolveu a treta - preliminar
b) inépcia da petição inicial – não resolveu a treta –
preliminar
c) coisa julgada – não pode ver de novo
d) pagamento. – mérito.

Se a “Tia que fez magistério”:


 Falou ................. é MÉRITO
 Não falou .......... é
PRELIMINAR

Revelia – É a ausência de defesa de contestação, pressupõe a


citação, porque só é revel o réu citado que não contestou a ação.

Efeitos da revelia:
• Presunção da veracidade dos fatos alegados pelo autor.
• O revel que não possui advogado nos autos, não será
intimado dos atos processuais.

EXCEÇÃO - 2° MODALIDADE DE DEFESA

 É o incidente destinado a afastar a incompetência, ou argüir o


impedimento/suspeição do juiz. Segundo a lei temos três
modalidades de exceção:

a) Exceção de incompetência (art. 112, CPC)


b) Exceção de impedimento (art. 134 do CPC)
c) Exceção de suspeição (art. 135 do CPC)

Regras que se aplicam aos três casos:


 a exceção constitui um incidente, cujo recurso
cabível é o Agravo.

31
 Prazo é de 15 dias, CONTADOS DA DATA EM QUE SE
TOMOU CIÊNCIA DO FATO.

 O protocolo da exceção acarreta / gera a suspensão


do processo (art´s. 265, III e art. 306 do CPC). O
processo só seguirá seu curso caso novamente após
ser julgado a exceção.

A) EXCEÇÃO DE INCOMPETÊNCIA

 Visa corrigir a comarca eleita pelo autor para propositura


da ação, ou seja, a função é para pedir a remessa dos
autos para outra cidade.

 Se a parte não entrar com a exceção, ocorre a


prorrogação de competência.

 Única exceção à regra é o contrato de adesão, cláusula de


eleição de foro abusiva, nesta hipótese (art. 112,
parágrafo único) o juiz pode declarar de ofício a

O Juiz / Magistrado não pode conhecer a incompetência relativa de


ofício. Se a parte não opuser a exceção de incompetência no
tempo e modo devidos, o Magistrado que é relativamente
incompetente passa a ser ABSOLUTAMENTE COMPETENTE, para
conhecer a causa. (Prorrogação de competência).

Súmula 33, STJ e art. 114, CPC


incompetência.

 Exceção a regra: Contrato de adesão – bancário – o correntista


do banco propõe a ação no seu próprio domicílio.

• Poderá o Magistrado nos casos de CONTRATO DE ADESÃO


COM CLÁUSULA ABUSIVA declarar sua incompetência de
ofício quando verificar que no contrato de adesão que
aparelha a demanda é abusiva à cláusula de eleição de

32
foro. Neste caso remeterá os autos para o domicílio do
consumidor, art. 112, parágrafo único.

B) EXCEÇÃO DE IMPEDIMENTO – se provar de plano é


impedimento. O impedimento é tão grave, mas tão grave que a
parte pode alegá-lo a qualquer momento.
 Prazo: 15 dias da ciência do fato.

C) EXCEÇÃO DE SUSPEIÇÃO – não consegue provar de plano é


suspeição.

OBS.: Já visto em aula anterior, suspeição e impedimento

RECONVENÇÃO - 3° MODALIDADE DE DEFESA

• É o contra ataque do RÉU, ele promove uma ação em face do


autor no mesmo processo. Tem natureza jurídica de ação (art.
315 do CPC).

• Se o juiz julgar uma procedente, deverá julgar a outra também


procedente.

Requisitos:
Deve envolver as mesmas partes:
o Pólo Ativo: Reconvinte – réu
o Pólo Passivo: Reconvindo – autor

Mesma competência, mesma relação jurídica, mesmo contexto.

Características:
 É uma ação – deve preencher todos os requisitos do art.
282. Se tiver inepta, o juiz pode extinguir sem resolução
do mérito, nesta hipótese cabe Agravo.

 É um processo com 02 ações, sendo um processo só e


uma sentença. Aqui o juiz irá proferir duas sentenças,
recurso cabível APELAÇÃO. Se o autor não contesta a
reconvenção ele é revel (ausência de defesa).

 Se processo principal e reconvenção terminarem


juntas o recurso cabível será APELAÇÃO.

33
 Entretanto, se a reconvenção terminar antes do
processo principal recurso cabível AGRAVO DE
INSTRUMENTO.

 Preclusão consumativa – Tem que ser apresentada no


mesmo momento a contestação e a reconvenção.

Processamento:
o PI – Citação – Contestação
 A reconvenção é apresentada no prazo da contestação e em peça
autônoma.
 Pode apresentar apenas a reconvenção e não a contestação
(revel).
o A reconvenção não é autuada em apenso e SIM NOS MESMOS AUTOS.
o Apresentada a reconvenção o AUTOR RECONVINTE é intimado, e não
citado, para que apresente a contestação da reconvenção no prazo de 15
dias.

6° aula – 27.03.08 – Prof. Renato Montans

RECONVENÇÃO - 3° MODALIDADE DE DEFESA - cont.

Características:
 Preclusão consumativa, art 299, hot! hot! hot! – Tem que
ser apresentada no mesmo momento a contestação e a
reconvenção.

PRECLUSÃO
• É a perda do direito de exercer um ato processual.

• Só ocorre durante o process.


Pode ser:
• Temporal – Pratica o ato fora do prazo, perda do prazo
pelo decurso do tempo.
o Ex. Tem que agravar dia 10 e agrava dia 12

• Lógica – Ocorre preclusão lógica quando a parte


apresenta no processo dois atos logicamente
incompatíveis entre si.
o Ex. Sentença tem 15 dias para apelar. No 2 dia
protocoliza petição renunciando o direito de recorrer. No
5 dia protocoliza uma contestação (atos incompatíveis)

• Consumativa – Ocorre preclusão consumativa quando a


lei exige que a parte pratique dois ou mais atos
simultaneamente. (se dá diante da repetição de um ato
já praticado).
o Ex: Contestação e Reconvenção tem que ser praticado
simultaneamente.

34
Não cabe reconvenção – No Juizado Especial Cível.
Rito Sumário
Ação de despejo
Prestação de contas

Porque estas causas não cabem reconvenção?


 R: Nestes casos a reconvenção não é cabível, pois as ações
acima referidas são de natureza DÚPLICE, em que se formula o
pedido contraposto.

 Pedido contraposto – é um pedido formulado pelo réu dentro


da contestação e necessariamente oposto ao pedido do
autor.

• Caráter dúplice – é aquela em que o juiz necessariamente e


naturalmente atribui o direito a uma das partes.

Juiz analisa o pedido do autor e julga procedente ou


improcedente

Dicas para resolver a prova sem saber (so vale para PROC CIVIL)
1) Se a OAB falar em ATOS ADMINISTRATIVOS EM GERAL – Não é a resposta
2) Sempre que a OAB especificar demais não é a alternativa.
3) Expressão MANDADO DE SEGURANÇA dentro de um processo – Não é
4) Resolver a prova de Proc Civil no MEIO.

RECURSOS
• Meio de impugnação das decisões judiciais, visando a sua
reforma, esclarecendo, invalidando ou anulando.

TEORIA GERAL DOS RECURSOS

02 fases (JUIZOS) para TODOS os RECURSOS


Juízo de admissibilidade Juízo de mérito
Recebe o recurso Se presentes os pressupostos

Requisitos / pressupostos de admissibilidade dos recursos


(para que suba)
Juízo de admissibilidade
OBJETIVOS SUBJETIVOS
EXTERNOS / EXTRÍNSECOS – É a análise INTERNOS / INTRÍNSECOS –
abstrata do próprio recurso Relacionados ao caso concreto,
Recorribilidade – Tempestividade – pessoa que recorre – art. 499,
Preparo – Adequação - Competência CPC.

35
TEMPESTIVIDADE Legitimidade Recursal
Exigência que o seu recurso esteja no prazo legal.
• 15 dias – Apelação, todos os outros, art. Partes – As partes são os que figuram
508, CPC. na relação processual.
• 10 dias – Agravos (instrumento e retido) e
rec. do JEC MP – Pode recorrer mesmo como fiscal
• 05 dias – Embargos de declaração e da lei, das causas cuja sua
Agravo interno ou Agravo regimental. intervenção seja necessária.
Hipóteses do art. 82, CPC
Exceções a regra – PRAZO EM DOBRO
Terceiro prejudicado – É todo aquele
• Hot!Fazenda Pública e Ministério Público – art. que não participou do processo, mas a
188 decisão lhe causou prejuízo.
• Autarquias e Fundação Pública (Lei 9469/97)  Tem que demonstrar uma
• Hot! Defensor Público (art. 5, parágrafo 5, Lei relação jurídica, não basta só
1060/50) o prejuízo econômico
• Hot!Litisconsórcio para procuradores diferentes O prazo do Terceiro é o mesmo das
(art. 191) partes.
Lei 9800/99 – Viabilizou a apresentação do Recurso
por FAX, e tem 5 dias para juntar originais no
processo.

PREPARO Interesse (parte vencida)


É o recolhimento (adiantamento) de custas. Quem • Esta intimamente atrelada a
tem competência para disciplinar o preparo são os idéia de sucumbência.
ESTADOS.

 Deserto – quando não há recolhimento das


custas.
o Nos termos do artigo 512, §2º, se o
preparo for insuficiente o
Magistrado concederá o prazo de 5
dias para que se recolha sob pena
de deserção.

 As custas devem acompanhar as razões de


recurso sob pena de preclusão, art. 511,
CPC
Cabimento - Hot!hot!

 Exceção: Lei 9099/95 – art. 42, parágrafo


primeiro, que permite juntar as custas 48
horas depois

Recursos que não tem preparo


Recursos para o ECA
Agravo de instrumento de despacho denegatório de
recurso especial - do art. 544, CPC
Agravo retido Hot! Hot!
Embargos de declaração Hot! Hot!
Não ministrou em aula
ADEQUAÇÃO: Usar o recurso adequado

04 atos processuais suscetíveis de recursos. Art 162, CPC


Recorre ato / decisão do JUIZ
• Sentença - APELAÇÃO
• Decisão Interlocutória – AGRAVO DE INSTRUMENTO
• Decisão não unânime – Embargos Infringentes
• Despachos – NÃO RECORRE
o É todo ato do juiz (mero expediente) para impulsionar a

36
marcha do processo mas que não tem potencialidade a
causar prejuízo.
• Atos ordinários (EC 45) São os atos praticados pelo serventuária da
justiça – NÃO RECORRE

PRINCÍPIO DA FUNGIBILIDADE
Dúvida Fundada ou Objetiva
• “Quando houver dúvida sobre qual decisão se está enfrentando a parte
recolherá o recurso que entende adequado e caberá ao Juiz, entendendo que
houve o equívoco da parte aplicar o Princípio da Fungibilidade”. Art. 810,
CPC.
o Dúvida objetiva – Quando a lei informa o RECURSO e a DOUTRINA E
JURISPRUDENCIA entendem que é outro.

o Qual decisão está enfrentando? Esta é a dificuldade para saber a


adequação.

Inexistência de Erro grosseiro


o Hot! Hot! Questão do prazo menor – NÃO APLICA O PRAZO MENOR,
ESTE NÃO SERÁ CONSIDERADO NA DÚVIDA OBJETIVA, SÓ NO ERRO
GROSSEIRO.
Princípios dos recursos:
A) DUPLO GRAU DE JURISDIÇÃO – todo recurso deverá ser apreciado por outro
órgão julgador que, necessariamente tem que ser outro órgão superior.
o Exceção: Embargos de declaração têm natureza jurídica de recurso,
tendo em vista o Princípio da Taxatividade.

Ex.: Embargos infringentes – A CÂMARA composta de 5 membros


1 2 3 4 5
Estes 03 que julgam a APELAÇÃO Estes 02 julgam os EI

B) TAXATIVIDADE – Os recursos estão previstos em lei. Hot! hot! -


o Toda decisão judicial é atacável, mas nem toda é recorrível.
Rol do art. 496 Exceção a regra:
• APELAÇÃO Agravo interno ou Agravo
• AGRAVO DE INSTRUMENTO regimental
• AGRAVO RETIDO Recurso nominado – JEC
Embargos da Lei de Execução Fiscal
• EMBARGOS DE DECLARAÇÃO
– art. 34, Lei 6830/80
• EMBARGOS INFRINGENTES
• RECURSO ESPECIAL LER: art. 120, parágrafo único; art.
• RECURSO EXTRAORDINÁRIO 527, I; art. 532; art. 545. Art. 557,
• EMBARGOS DE DIVERGENCIA parágrafo primeiro.
• RECURSO ORDINÁRIO
CONSTITUCIONAL

C) UNIRRECOBILIDADE – Só existe um recurso para cada decisão.


RECURSOS EM ESPÉCIES

AGRAVO – art. 522, CPC - O recurso de agravo é cabível nas


decisões interlocutórias, ou seja, é uma não sentença, é o ato do juiz
que decide um incidente processual no curso da lide.

37
• Regra: Todo agravo hoje é retido.

Modalidades de agravo – Agravo retido


Agravo de Instrumento

AGRAVO DE INSTRUMENTO – AI

Cabimento Nas decisões interlocutórias caberá como regra AR e só quando a


decisão puder resultar numa LESÃO GRAVE E DE DIFÍCIL
REPARAÇÃO à parte é que o agravo será interposto na forma de
AI. Lei 11.187/2005
• Decisões de urgência (dano difícil ou incerta reparação) Ex.
Liminar indeferida.
• Decisão que inadmitir a apelação (sempre que o juiz da
causa não deferir o recurso).
Hipóteses de • Decisão sobre os efeitos em que a apelação é recebida
AI • Todas as decisões posteriores à sentença.

AGRAVO RETIDO – AR – é a regra

• Fica preso ao processo, quando a apelação subir, o AR sobe em


preliminar, não sobe na hora para a decisão porque ainda não
causou prejuízo.

Conceito O agravo retido tem por finalidade evitar a preclusão da


decisão
Cabimento Nas decisões interlocutórias proferidas nas audiências de
instrução e julgamento

7° aula –31.03.08 – Prof. Renato Montans

RECURSOS cont.:

AGRAVO RETIDO – AR – é a regra

 Fica preso ao processo, quando a apelação subir, o AR sobe em


preliminar.

 6 itens para serem observados - Hot!hot!

Conceito O agravo retido tem por finalidade evitar a preclusão da


decisão
Cabimento Nas decisões interlocutórias proferidas nas audiências de

38
instrução e julgamento
1. Juiz da causa no prazo de 10 dias
Endereçamen
to
1.1 Prazo 10 dias
1.2 Juízo de Realizado pelo juízo “a quo”, analisa os pressupostos de
Admissibilida admissibilidade.
de Cumpriu art. 523, 1, CPC – requerimento de processamento nas razões
e contra-razões
2. Retratação Comporta retratação:
O magistrado ao receber o agravo pode se retratar (art. 523, § 2º)
3. O AR é apreciado em preliminar de apelação e só SOBE com a
Acessoriedad mesma.
e
4. O AR será apreciado em preliminar de apelação.
5. Reiteração O recorrente deverá reiterar nas razões ou contra-razões acerca
da existência do agravo sob pena de desistência tácita
6. Interposto ORALMENTE em AIJ, sempre retido e oral
Processament
o
Efeitos O AR é um recurso de efeito DEVOLUTIVO IMPRÓPRIO ou IMPERFEITO,
(poucas chances) porque seu RECEBIMENTO depende do conhecimento de outro recurso,
a APELAÇÃO.
AGRAVO DE INSTRUMENTO – AI

 03 regras:
o 1) Art. 525, CPC
o 2) Art. 526, CPC - O AI é dirigido
o 3) Art. 527, CPC

Cabimento Nas decisões interlocutórias caberá como regra AR e só


quando a decisão puder resultar numa LESÃO GRAVE E DE
DIFÍCIL REPARAÇÃO à parte é que o agravo será interposto
na forma de AI. Lei 11.187/2005
• Decisões de urgência (dano difícil ou incerta
reparação) Ex. Liminar indeferida.

• Decisão que inadmitir a apelação (sempre que o


Hipóteses de juiz da causa não deferir o recurso).
AI
Hot!hot! • Decisão sobre os efeitos em que a apelação é
recebida

• Todas as decisões posteriores à sentença.

39
Cópias da:
1) Art. 525, • Decisão agravada
CPC • Certidão da respectiva intimação, cujo objetivo é provar a
tempestividade
• Procuração outorgada dos advogados do agravante e
Peças agravada.
Obrigatórias,
inc I Hot!hot!
 Se você esquecer alguma das peças obrigatórias o Juiz não
manda emendar, gera o não conhecimento do (indefere) AI.
 Nos termos do art. 544, § 1º, as peças do AI serão declaradas
como autênticas pelo próprio advogado sob sua
Peças responsabilidade pessoal.rsrs
facultativas, →Todas as demais peças que escolho para instruir o recurso
ins II

2) Art. 526,  Nos termos do art. 526 o agravante tem o prazo de 3


CPC dias para informar ao Juiz da causa acerca da
interposição do recurso, juntando sua cópia. O não
cumprimento do disposto neste artigo gera o não
conhecimento do AI desde que argüido e
comprovado pelo agravado.
Endereçamen
to Interposto diretamente ao TRIBUNAL – art. 526, CPC
• Este também é pressuposto de admissibilidade AI, depende da
demonstração do agravado.
• O agravante tem o prazo de 3 dias para informar o Juiz da causa
acerca da interposição do recurso.
• O não cumprimento do art. 526 artigo, desde que devidamente
comprovado pelo agravado importa o não conhecimento.
Realizado pelo RELATOR da CÂMARA do TRIBUNAL onde o
3) Art. 527, recurso foi distribuído a análise dos pressupostos recursais.
CPC
Art. 527, CPC - Atos do relator
• 1º ) O relator pode negar provimento do agravo
liminarmente, nos termos do art. 557, CPC.
Poder do
• Dá decisão que negar seguimento ao AI caberá o
relator recurso que cabe contra esta decisão - Caberá
agravo interno / regimental no prazo de 5 dias.

Juízo de • 2º ) Art. 527, I - O relator pode converter o AI em AR,


Admissibilida só nos casos de urgência, se houver lesão.
de • O relator poderá converter o AI em AR quando
visualizar a urgência requerida. Desta decisão
caberá PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO para o
próprio relator. (2ª opção MS)
• Esta regra se aplica também nos casos de concessão aos
efeitos do agravo.
Juízo de Mérito Tribunal

Prazo 10 dias

40
Processamento • Art. 524, demonstrar os pressupostos recursais, indicar nome e
endereço do adv., juntada das peças obrigatórias, na falta destas o
tribunal pode deixar de receber o recurso.
• Recebido o AI, o relator cumpre o disposto no art. 527, CPC
• O relator pode requisitar informações ao juiz da causa....
• Cumprir o disposto no art. 526, CPC
• O agravante pode requerer o Pedido de reconsideração da DI.
Efeitos O AR é um recurso de efeito DEVOLUTIVO limitando-se a decisão
agravada.
• Agravante pode REQUERER o efeito SUSPENSIVO para evitar
lesão grave ou de difícil reparação – art. 558, CPC
Para saber se o efeito é suspensivo ou devolutivo
Se a decisão do Juiz for positiva – SIM - Suspensivo
Se a decisão do Juiz for negativa – NÃO - Devolutivo

APELAÇÃO – art. 513 e ss, CPC

Cabimento É o recurso cabível contra as sentenças proferida por


juízo monocrático, com objetivo de anulá-la ou reformá-
la.
• Anulação Ocorrerá nas hipóteses em q o Tribunal após o julgamento do
recurso DEVOLVE o processo ao juiz singular para q de
prosseguimento, salvo na hipótese do art. 515, 3, CPC.
• Reforma Ocorre quando o Tribunal, a partir de uma SENTENÇA DE
MÉRITO, alterar a sentença no todo ou em parte, sendo
VEDADA nova apreciação ao juiz “a quo”.
 Será interposta perante o Juiz “a quo”, mediante
Petição de Interposição bem como a juntada das razões
da APELAÇÃO. Nesta deverá demonstrar a necessidade
Processamen do provimento do recurso a fim de anular ou reformar a
to sentença.
Hot!hot!  Recebido o recurso intima a parte contrária para
oferecimento das Contra-razões.
 Remete ao Tribunal competente,onde será distribuída a
uma câmara, composta via de regra por 5 membros,
onde será sorteado um RELATOR, dois REVISORES que
julgarão o processo.
Prazo 15 dias
JUIZ SINGULAR “a quo” (monocrático) no ato da interposição:
 Verifica a admissibilidade do recurso
 Abrir vistas para as contra-razões
 Conceder efeitos que a apelação será concedida

Nos termos do art. 518, §1 º permite ao Juiz não receber a


apelação se a sua sentença tiver como base (em
Juízo conformidade, de acordo) uma súmula do STF ou STJ.
 Hot!hot! - NOVO REQUISITO PARA A
ADMISSIBILIDADE DA APELAÇÃO.
de
 Hot!hot! - Súmula IMPEDITIVA do recurso de
APELAÇÃO
Admissibilida
de Da sentença que indefere a PI caberá apelação podendo o
magistrado se retratar em 48Hs.
 Hot!hot! - 02 hipóteses de retratação: Juiz poderá
se retratar da sentença:

41
o Art. 296, CPC
o Art. 285A, CPC

Se RECEBIDO
 será submetido à nova admissibilidade pelo
RELATOR DO TRIBUNAL.

NÃO RECEBIDO
 o recurso o apelante pode interpor o recurso de AI –
art. 526, 4, CPC
Juízo de Juízo “ad quem” – Tribunal – relator e dois revisores
Mérito
Retratação Nos termos do art. 296, da sentença que indefere a PI, caberá
APELAÇÃO, pode o magistrado se retratar em 48. Vide ****
Regra: O recorrente deverá requerer que o recurso seja
recebido no efeito devolutivo e suspensivo.

Nos termos do artigo 520 toda a APELAÇÃO será recebida nos


Efeitos seus regulares efeitos, devolutivo e suspensivo, exceto as
hipóteses previstas no próprio art. 520 (hot! hot!).
da  ALIMENTOS
 CAUTELAR
Apelação  REJEITAR OU JULGAR IMPROCEDENTE OS EMBARGOS À
EXECUÇÃO.

Continuou aula Art. 515 – Efeito devolutivo “Tantun devolutum quantum


seguinte suspensivo”
Pelo efeito devolutivo compete à parte eleger as
matérias que serão levadas ao tribunal. O tribunal,
portanto, fica limitado aquilo que a parte recorreu.
Pressupostos Se a sentença for SEM RESOLUÇÃO DE MÉRITO, e a matéria for
processuais e de direito, permite ao TRIBUNAL ao receber a apelação
condição da conhecer o mérito da causa (que não foi apresentado o
ação recurso), como se primeira instância fosse o art. 515, § 3º.
Hot!hot!
Preparo Deve ser recolhido no ato da interposição do recurso 1% VC, o
não recolhimento DESERÇÃO DO RECURSO.
JE Cível Estadual
Particularidad  NÃO cabe apelação – e sim RECURSO INOMINADO –
es previsto art. 41, Lei 9099/95.

Juizados Especiais Federais


 Não são cabíveis recursos de sentença definitiva – art.
5, lei 10259/2001.
Matérias que sobem para o Tribunal independentemente de
provocação:
Matérias
Matérias de ordem pública: São aquelas que o poder judiciário
pode reconhecer de ofício e a qualquer grau de jurisdição. Ex.

42
Ilegitimidade de parte.

****Diferenças
Sentença no início do processo Sentença no final do processo
Cabe APELAÇÃO Cabe APELAÇÃO
Juiz pode se retratar Juiz NÃO PODE SE RETRATAR

8º aula – 02.04.08 - Renato – Digitação Luciana

APELAÇÃO (continuação... Efeito devolutivo

Regra: O recorrente deverá requerer que o recurso seja recebido no


efeito devolutivo e suspensivo.

Nos termos do artigo 520 toda a APELAÇÃO será recebida nos seus
Efeitos regulares efeitos, devolutivo e suspensivo, exceto as hipóteses
da previstas no próprio art. 520 (hot! hot!).
Apelação  ALIMENTOS
 CAUTELAR
 REJEITAR OU JULGAR IMPROCEDENTE OS EMBARGOS À
Continuou aula EXECUÇÃO.
seguinte
Art. 515 – Efeito devolutivo “Tantun devolutum quantum suspensivo”
Pelo efeito devolutivo compete à parte eleger as matérias que
serão levadas ao tribunal. O tribunal, portanto, fica limitado
aquilo que a parte recorreu.

Efeito devolutivo – toda a apelação tem efeito devolutivo e, devolve


ao Tribunal para que conheça da matéria.

o São recebidos apenas no efeito devolutivo:


1. Alimentos – não suspende a execução.
2. Processo cautelar
3. Embargos de execução
4. Decisão que indeferir liminarmente ou julgar
improcedente

Efeito Devolutivo: Pelo efeito devolutivo compete a parte escolher


as matérias que serão veiculadas na sua apelação. Em contrapartida
é vedado ao Tribunal a apreciação de matérias estranhas a apelação.

43
Efeito Translativo: Entretanto, existem determinadas matérias que
serão transportadas ao Tribunal independentemente de provocação
da parte, e independentemente de manifestação judicial.

• Tantum devolutum quantum appelatum – somente será devolvido


ao Tribunal quando apelado.

o Exceções à regra – sobem ao Tribunal para apreciação:

• Matéria de ordem pública – são aquelas em que o


Poder Judiciário pode conhecer de ofício a qualquer tempo
e grau de jurisdição (pressupostos processuais e
condições da ação).

Art. 515, § 3º CPC hot! hot! – pelo artigo referido é permitido ao


Tribunal conhecer da matéria como se de 1ª Instância fosse
desde que:
o A sentença seja sem resolução de mérito;
o A matéria seja de direito (é aquela que não
depende de provas em audiência);
o Que esteja em condições de imediato julgamento.

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO

Os embargos de declaração objetivam esclarecer


uma decisão contraditória e obscura ou suprir uma
decisão omissa.
Vícios (3) que pode alegar:
Objetivo  Obscuridade – é a difícil compreensão do
texto decisório.
 Contradição – quando o magistrado deduz
idéias incompatíveis entre si.
 Omissão - deixa de julgar alguma coisa
relevante.
Processamento 1. Interpõe os embargos ao prolator da decisão,
no prazo de 5 dias;
dos
2. Não há preparo e não há contra-razões
embargos: hot!
hot!
A) Sentença
B) Acórdão
C) Decisão Interlocutória – doutrina, objetivos:
Cabimento
 Esclarecimento da decisão – serve apenas para

44
esclarecer a decisão da omissão, obscuridade e
contradição.
 Pré-questionamento - se analisa se tem os
requisitos internos (se a sentença não for clara;
não for lógica) e externos (relatório,
fundamentação, dispositivos –
Prazo 05 dias
Preparo Não tem custas
Juízo de É feito pelo juízo (juiz em caso de sentença e pelo
Admissibilidade relator em caso de recurso).
Juízo de mérito
Efeito modificativo ou efeito infringente:
Quando os ED ao serem julgados modificarem a
Efeitos justiça da decisão (mesmo não sendo esta a sua
finalidade principal) opera-se o efeito modificativo /
infringente do julgado. Neste caso faz-se necessário
abrir prazo para contra-razões. hot! hot!

A interposição dos embargos interrompem a


contagem de prazo para outros recursos.
S 5d APELAÇÃO
ED (05) Decisão Improcedente Tem 15
dias p/ apelar

Quando um prazo é interrompido ele volta ao


Efeitos começo, faz renascer o prazo. É exatamente este
efeito que tem os embargos de declaração. Saindo a
ED decisão dos embargos o prazo para recorrer é
integral.
• Exceção: No Juizado Especial Civil os
embargos de declaração suspendem a
contagem de prazo de outros recursos (art.
50 da Lei n. 9.099/95) hot! hot!

Interrompe (Começa tudo de novo - volta zero) o prazo


se interposto dentro das regras do CPC.

Suspende (“pause”: pára e retoma do ponto que parou, é


o efeito estatua) o prazo se interposto no JEC. – Eficácia ex
nunc
EXCEÇÃO: Efeito modificativo ou Efeito Infringente
OS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO tem força de
modificar a sentença e se aplica quando tiver erro
material, é IMPOSSÍVEL interpor ED a ED

Multa protelatória – Art. 538, § único


Poderá o juiz cominar o embargante em
multa de 1% (podendo ser majorada para
10% no caso de reiteração) quando se
constatar que os embargos são

45
manifestamente protelatórios. hot! hot!

Se houver reiteração a multa será de 10% e será


Particularidad pressuposto de admissibilidade.
es
Para discutir multa cabe AGRAVO DE INSTRUMENTO.
ED
Pré-questionamento (1, 2, STJ, STF), a matéria tem
que ser pré-questionada (já discutida em instâncias
inferiores) para chegar ao STF.

Súmula 98 STJ – É inaplicável a multa protelatória se


o objetivo dos EMBARGOS DE DECLARAÇÃO for o
pré-questionamento.

EMBARGOS INFRINGENTES (art. 530) – hot! hot! ler, decorar

Objetivo O objetivo do EI é a reforma do acórdão e a


EI conseqüente manutenção da sentença. É o
apelado que interpõe o EI.
Cabem embargos infringentes das decisões não
unânimes:
• Que reformar em grau de apelação
a sentença de mérito
• Em APELAÇÃO – para ser cabível a
sentença de apelação tem que ser
de mérito – caberá EI com
provimento e voto vencido.

Princípio do eu não posso tomar duas “buxa” : não cabe


EI.
Cabimento Art. 269
EI
S AP
1º bucha Perdi

bucha perdi (2x1) = EI

• Que julgar procedente, a ação


rescisória (objetiva desconstituir
uma sentença de mérito transitada
em julgado)
• Em AR só caberá EI procedente
com voto vencido.
o Nas ações rescisórias
promovidas no tribunal
cabe quando o Tribunal
julgar procedente a AR
(dois votos a favor e um
voto contra)

46
Acórdão

Acórdão APELAÇÃO Provimento Voto


MÉRITO vencido
Acórdão AÇÃO Provimento Voto
RESCISÓRIA vencido
Preparo Tem preparo, recolhe as custas
Juízo de Quem faz é o relator do Tribunal “ad quem” da
Admissibilidad apelação ou da Ação rescisória
e
Juízo de É julgado no Tribunal “ad quem” através dos 5 membros
Mérito da Câmara.
A apelação é distribuída a uma Câmara ou
Tribunal composto por 5 membros e 3 deles
votam na apelação.
Processamen
to
Efeitos Este recurso interrompe o prazo para os demais
recursos.
o Agravo de Instrumento
o MS – mandado de segurança.
Particularida o JEC – Juizado Especial Cível.
des o Sentença terminativa – se a sentença que
originou a apelação for terminativa.
o Se o julgamento da apelação for unânime.
Não cabem EI:
o Se o Tribunal negou provimento ao recurso da
apelação mesmo que tenha proferido voto
vencido, ou julgou improcedente a ação.

9ª aula – 08.04.08 -

47
EMBARGOS INFRINGENTES (art. 530) – hot! hot! ler, decorar -
Continuação...

Processamento dos Embargos Infringentes:


a. Endereçado ao próprio relator no prazo de 15 dias.
b. Ao receber os Embargos abre-se vista para contra-razões, para
somente após verificar a admissibilidade do recurso.
c. Agravo Interno/regimental – recurso que cabe da decisão do
relator que não conhecer dos embargos.
d. Conforme dispuser o regimento interno de cada Tribunal será
sorteado um novo relator para julgar o feito.

Efeitos:
a. Os Embargos em decorrência da Apelação seguirá os efeitos em que
essa foi recebida (não tem vontade própria);
b. Os Embargos Infringentes na Rescisória será no duplo efeito.

RECURSO ESPECIAL e RECURSO EXTRAORDINÁRIO – uniformizar


decisões

RECURSO ESPECIAL RECURSO


EXTRAORDINÁRIO
JULGADO STJ STF
MATÉRIA Quando houver Quando houver
violação a Lei Federal violação a CF/88 - Será
– Será enviada ao enviada ao STJ, art.
STJ, art. 105, III,CF/88 102, III, CF/88.
NEGATIVA Lei Federal Constituição Federal
DE Não considerar
VIGÊNCIA corretamente a
norma
PRAZO 15 dias 15 dias
EFEITO Devolutivo Devolutivo
CABIMENTO Sempre contra Sempre contra
ACÓRDÃO ACÓRDÃO
ADMITE Juízo Especial Cível Juízo Especial Cível
JUÍZO DE Interpõe no Tribunal .x.
ADMISSIBILI “a quo”
DADE

Tópicos para passar na OAB:

 Pressuposto - Prévio exaurimento das instâncias ordinárias (não cabe mais


nenhum recurso);

 99,8% as decisões que caibam Recurso Especial e Recurso


Extraordinário é de ACÓRDÃOS, entretanto, das decisões do colégio

48
recursal do Juizado Especial Cível caberá Recurso Extraordinário,
somente;

Observação: hot! hot!


 Contra acórdão proferido pelo Colégio Recursal do JUÍZADO
ESPECIAL CÍVEL, admite-se apenas RECURSO EXTRAORDINÁRIO,
desde que se verifique negativa de vigência a CF/88. Se negar
vigência a Lei Federal, não cabem nenhum recurso

 Perante acórdão proferido por TRIBUNAL poderá ser interposto


simultaneamente. Ex. Cerceamento de defesa. Só será julgado no
STF, se não for possível o Recurso Especial no STJ.

 Matéria de direito – nas instâncias extraordinárias não comporta mera


revisão de prova, porque só matéria de direito pode ser veiculada.

 Efeitos – somente no devolutivo – Se quiser no Recurso Especial ou no


Recurso Extraordinário pedir efeito suspensivo, entra com uma CAUTELAR,
súmula do STF e STJ.

 Prequestionamento:
1. É a exigência que a matéria que será objeto de recurso
especial/extraordinário tenha sido discutida e levantada nas instâncias
inferiores.

2. Basta que a matéria esteja no acórdão para que esteja prequestionada;

3. Embargos de Declaração prequestionadores – Súmula 356, STF.


 “De acordo com o recente entendimento do STJ/STF, para
que haja prequestionamento é necessário que a matéria
esteja no acórdão que ora se recorre. Dessa forma, caso o
Tribunal deixe de colocar a matéria no acórdão caberão
Embargos de Declaração objetivando o prequestionamento.”

 Repercussão Geral hot! hot!– é a exigência que o Recurso Extraordinário a ser
apresentado deve ter relevância jurídica ou econômica ou social ou política. É o
requisito de admissibilidade.
o Art. 543-A, CPC – quando a decisão que se recorre for contrária a
Súmula ou Jurisprudência do Tribunal;
o Art. 543–B, §3º, CPC – quando houver recursos com base em idêntica
controvérsia.

 Processamento:
o Protocolizados no TJ, se faz a admissibilidade e sobe para o STF.

o Análise da repercussão geral é feita pelo STF – somente o plenário


por 2/3 dos seus membros – só pode se dizer que não há
repercussão geral por 2/3 dos seus membros;

o A repercussão geral deve ser apresentada em preliminar de


recurso.
o A decisão que negar a repercussão geral é irrecorrível e possui
eficácia erga omnes – recursos que tem a mesma matéria, futuros e
presentes serão atingidos:

49
 Eficácia futura – se determinado recurso teve sua matéria
declarada pelo STF como desprovida de repercussão geral,
todos os outros futuros recursos com base na mesma
matéria já serão indeferidos de plano pelo Supremo;

 Eficácia presente – havendo vários recursos com base em


idêntica controvérsia, o Tribunal de Justiça escolherá um ou
alguns para que subam ao Supremo hot! hot!. O Supremo
poderá:
1. Entender que existe a Repercussão Geral quando então
haverá julgamento de mérito do recurso, e este
julgamento incidirá em todos os recursos que ficaram
sobrestados em segundo grau.
2. Em não havendo repercussão geral o recurso será
indeferido liminarmente assim como os que ficaram
sobrestados em segundo grau.

REPERCUSSÃO GERAL do RECURSO EXTRAORDINÁRIO


Art. 543ª, CPC - HOT! HOT
 A RG é um pressuposto de admissibilidade do Recurso extraordinário
analisado exclusivamente pelo STF.
Caio interpõe Ação de Indenização por SENTENÇA INTRAPARTES
contra Danos Morais contra (interessa para as partes)
Tício
MP Ação Civil Pública para SENTENÇA
interpõe defender o “ERGA OMNES”
Meio-ambiente (interessa a todos de forma
indistinta)
SENTENÇA
Tício Ação em face a ULTRA-PARTES
interpõe telefônica porque não (interessa a um grupo
quer pagar a assinatura determinado)
REPERCUSSÃO GERAL

 Na REPERCUSSÃO GERAL tem que demonstrar ao STF que é uma matéria


que tem repercussão não só para as partes, mas para todos de determinado
grupo da sociedade.
 LER: Verificar os casos na net – STF e Art. 543A e parágrafos.
 Os pressupostos comuns são analisados pelo Juízo “a quo”.

RECURSOS
(EXISTEM OUTROS MEIOS DE IMPUGNAÇÃO QUE NÃO TEM NATUREZA
RECURSAL)
INCONFORMISMO MEIOS DE IMPUGNAÇÃO

OUTROS MEIOS DE IMPUGNAÇÃO – não dado em aula


1) PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO
 Não tem natureza recursal, não interrompe nem suspende.

2) ART. 475 – DUPLO GRAU DE JURISDIÇÃO OBRIGATÓRIA


 Não é recurso
 Toda vez que o Poder Público for parte, e parte vencida haverá
duplo grau de jurisdição OBRIGATÓRIA.

50
 Juiz tem a obrigação de remeter ao TRIBUNAL “REMESSA DE
OFÍCIO”, para que a decisão seja analisada novamente como
forma de segurança jurídica.

AÇÃO RESCISÓRIA
 Não é recurso.
 Exige o trânsito em julgado de uma sentença de mérito (coisa julgada
material).
 É cabível das hipóteses legais do artigo 485, não basta o inconformismo,
tem que haver NULIDADE ABSOLUTA.
 Se o juiz do Trabalho for absolutamente incompetente, julgou um
divórcio é NULIDADE ABSOLUTA, cabe AR.
 Se a prova é falsa e o juiz interpretou de forma errada NR, não cabe
AR.

 Requisitos específicos a Ação Rescisória


o Prazo de 2 anos do trânsito em julgado.
o Depósito de 5% sob o valor da causa (é uma garantia do processo
– uma caução)

 Competência:
o A competência da AR é ORIGINÁRIA pois será promovida no
TRIBUNAL.

 Ação Rescisória IMPROCEDENTE cabe recurso especial e recurso


extraordinário além de Embargos de Declaração.

EMBARGOS DIVERGENTES
 Objetivo é uniformizar Jurisprudência dos Tribunais Superiores.
 Mesma matéria (nasce as súmulas) – só no tribunal Superior, um
julga “X” outro julga “Y”.

EXECUÇÃO – alternativa que mais prejudicar o devedor


o Execução de Título Extra-Judicial
o Execução de Título Judicial

EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL


Fase Inicial – Inicia a execução com documentos que a lei
equipara a sentença, tais como: Cheque, Nota promissória,
Letra de Cambio, etc..

1º Ato - Petição Inicial – citado para pagar em 3 dias sob pena


10º aula – 15.04.08 Renato Montans

51
Continuação...

EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL - Lei 11.382/06.


 Conceito – A execução cai sobre o patrimônio, nunca sobre a pessoa.
 Princípios (ler)
 Requisitos: Existência de um título executivo
 CERTO - título existente
 LÍQUIDO - tem valor
 EXIGÍVEL - Pode ser cobrado – exigibilidade quem confere é a lei,
porque esta elege algumas obrigações como elegíveis, prevista no
artigo 585, o rol é taxativo.
• Aluguel (vencido ou não) é TE

Procedimento da execução

1º fase da execução: PI – INICIAL

 Requisitos da PI - Apresentação do Título Original e B) Planilha de Cálculos

 Previsto no CPC no artigo 615A, LER... LER todos os parágrafos

 Distribuída a ação o exeqüente (basta distribuição) na inicial pode obter a


CERTIDÃO DE DISTRIBUIÇÃO, esta serve para a devida averbação
(regularização) nos órgãos registrais, antes de citar o executado (devedor).

 Hot! hot! “Certidão comprobatória do ajuizamento da execução – Certidão da


distribuição, antes da citação.” É uma forma de pressionar o devedor a
pagar.
o Ex. o Executado tem um carro, com a certidão de distribuição, averba no
DETRAN, para evitar FRAUDE A EXECUÇÃO. O executado pode até vender
o bem, mas o terceiro fica ciente, que o bem tem um ÔNUS GRAVADO.

PI → Citação Pagamento
- ½ dos honorários
Devedor → para o pagamento em - extingue o processo
03 dias Devedor
Não pagamento ocorre Suspensão, art.
Credor →nomeia bens a penhora ↓ 791, III
Juiz →de plano fixa honorários O juiz autoriza a
EXPEDIÇÃO DE MANDADO Bens
DE PENHORA E AVALIAÇÃO


Arresto (3x – 10
Hoje o Oficial de Justiça faz a dias)
avaliação (atribui valor aos ↓
bens penhorados) Edital

Arresto converte
em penhora

Explicação:

 Hipóteses encontradas pelo Oficial de Justiça que comparece a casa do


DEVEDOR:

52
o Se encontrar o DEVEDOR e NÃO BENS – Ocorre a suspensão da
execução, art. 791, III.

o Se encontrar BENS e NÃO O DEVEDOR – A penhora só pode ser


efetuada com a cientificação do devedor, assim o oficial faz uma pré-
penhora, faz o arresto.

o Terá o Oficial de Justiça comparecer na casa do Devedor por 3 vezes


nos próximos 10 dias para dar a ciência,

 Se encontrar o devedor cientificado está.


 Se não encontrar o Juiz irá pedir a expedição do Edital, e se o
prazo do Editar expirar e o devedor não pagou, agora sim o
arresto se converte em penhora.

2º fase da execução: PENHORA, art. 155

Art. 155 – Art. 649 – hot! hot! Ler


1º grande grupo de bens
Ordem de bens IMPENHORÁVES.
penhorados
Penhor 1) Dinheiro Lei 8009/90 – Bem de família
a 2) Carro 2º grande grupo de bens
Bens IMPENHORÁVES.
3) Móveis
constrita
dos 4) Imóveis
Único bem da entidade familiar, são os imóveis
5) Aeronaves e e os bens que guarnecem a residência, MENOS
navios OS ADORNOS SUNTUOSOS. Ex. Tv de Plasma;
tapete persa..

Situações que o bem de família pode ser


levado a penhora
 Casa do fiador (que prestou garantia,
fiaça)
 Dívidas de alimentos
 Dívidas do próprio imóvel. Ex. IPTU,
condomínio
 Dívida Trabalhista (écati!!!!)
 Quando a parte renunciar
Penhora on line:
 É a possibilidade do juiz não expedir o mandado de penhora e
avaliação e determinar a expedição de ofício para o Banco
Central, para que este obtenha junto as instituições financeiras
a constrição patrimonial correspondente ao valor do crédito.

3º fase da execução: Moratória processual

53
 Poderá o DEVEDOR no prazo dos EMBARGOS e CONFESSANDO A EXISTÊNCIA
DO CRÉDITO requerer o depósito de 30% para que o restante seja pago em
06 parcelas iguais e consecutivas com juros de 1% ao mês.
 O Não cumprimento do acordo acarreta no vencimento antecipado das
demais parcelas, bem como na impossibilidade de se impor Embargos.

o Artigo 745A, e parágrafos – Se o devedor durante o prazo para opor embargos,


concorda que DEVE (CONCORDÂNCIA), ele poderá efetuar um depósito
correspondente a 30% do valor e requerer o parcelamento do restante em 6
meses (poderá ser pago em parcelas, é um direito do devedor).

 Art. 745A, parágrafo 2 – PRECLUSÃO LÓGICA, se o devedor já se


manifestou que “deve”, agora vedado os EMBARGOS.

4º fase da execução: DEFESA DO RÉU

15 dias Da juntada da citação


EMBARGOS Mandado de citação
Títulos Não há garantia do juízo
Extrajudiciais Não há efeito suspensivo 02 requisitos para se obter efeito
mesmo apresentando os SUSPENSIVO DA EXECUÇÃO, caso
embargos for necessária
APELAÇÃO (porque tem NJ de  Provar dano de difícil ou
ação) incerta reparação
 Garantir o juízo
o Obs.: PENHORA – é a garantia do juízo, não implica no desapossamento, não
perco a posse.

EMBARGOS

 Natureza jurídica de ação é autuada em apenso, porque o devedor


– executado é citado para pagar.

 Na Se não efetivou o pagamento o Oficial de Justiça remeta o


mandado ao Juiz e a partir da juntada do mandado o executado
tem 15 dias para propor uma ação: EMBARGOS, se o devedor
achar que o título é indevido.

 Regra dos embargos: Não tem efeito suspensivo

 Exceção: O juiz poderá em alguns casos concretos


atribuir efeitos suspensivos com os seguintes
requisitos:

54
o Penhora, posso embargar sem a
penhora, mas se quiser o efeito
suspensivo tenho que penhorar.
o Lesão / Dano

 Decisão dos embargos: É uma sentença, portanto desafia recurso


de APELAÇÃO.

5º fase – PAGAMENTO

 Artigo 647

o Adjudicação é quando o credor fica com o bem


constritado ou seja, o credor tem preferência pelo bem
penhorado. Ex. Bem de valor R$ 80.000,00, dívida de R$
100.000,00, o saldo continua o processo.

o Alienação por iniciativa particular: Poderá o credor


proceder a venda por iniciativa própria ou pleitear ao
magistrado que nomeie um corretor de sua confiança
para fazê-lo.
• Se o sujeito comprou um bem penhorado, criou-se a
figura do Corretor Judiciário, muitas vezes o valor é
menor.

o HASTA PÚBLICA
 Leilão – para bens móveis
 Praça – para bens imóveis
• Navio é bem móvel, mas para fins de alguns
aspectos é equiparado ao imóvel

EXECUÇÃO DE TÍTULO JUDICIAL

 Sentença: É o ato do juiz que implica em uma das hipóteses do


artigo 267(sem mérito) ou 269 (com mérito)

SENTEN
Processo de ÇA Conhecimento
Processo de execução
↓ ↓
hoje Fase de Conhecimento Fase de
Execução

 Para que se possa executar tem que ter título judicial transitado
em julgado, pois é este momento que inaugura a execução do
título judicial.

55
 Com o trânsito em julgado começa a fluir o prazo de 15 dias
para que o devedor pague a obrigação sob pena de multa
pecuniária por dia de cumprimento.

Processo transitado em 15º dia 16º dia


julgado
Para o pagamento Surge o prazo para o
sob pena de multa de requerimento
10%
11º última aula – 22.04.08 - Renato Montans

EXECUÇÃO DE TÍTULO JUDICIAL continuação.....

Título 15 dias LEI 11.232/05. 06 MESES


Judicial REQUERIMENT Pagamento + 10% multa
Transitado O Expedição de mandado de
em 10% MULTA penhora e avaliação
julgado
Obs.: A execução irá continuar se
achar bens, momento da juntada do
mandado de intimação da penhora é
que começa a contar o prazo para
Impugnação.

Transitado em julgado a decisão, a parte é intimada para pagar no prazo de 15 dias.


Caso não pague neste prazo, incide uma multa de 10%.

• Passados os 15 dias sem pagamento, nasce para o credor a possibilidade de


ingressar com o requerimento.

• Pode entrar com o requerimento depois de decorridos 8 anos? Não.

• A lei deu um prazo de 6 meses para entrar com o requerimento, sob pena de
arquivamento do feito. (Arquivamento é como estar com o processo em
coma) Se não entrar com o requerimento em 6 meses, não gera a extinção,
apenas o arquivamento.

• Com o requerimento o credor busca o pagamento a que o réu foi condenado


na sentença + a multa de 10%.

• O juiz expede mandado de penhora e avaliação. Feita a penhora por oficial


de justiça, o executado tem prazo para apresentar a impugnação.
o Hoje quem nomeia bens a penhora é o DEVEDOR ou o OFICIAL
DE JUSTIÇA.

IMPUGNAÇÃO DE TÍTULO JUDICIAL

56
Prazo – 15 dias
Com a penhora o devedor terá 15 dias para apresentar a
devida impugnação, sem penhora não pode impugnar.
Impugnação Garantia de Juízo – Na impugnação é EXIGIDA a
garantia de juízo, ou seja, é depositar no judiciário o valor
de da execução em bens ou em dinheiro.
Título Intimação da penhora – O prazo da impugnação
JUDICIAL começa a contar a partir da juntada do mandado de
penhora.
Agravo de Instrumento é o recurso cabível*
- Se a impugnação for julgada PROCEDENTE e esta
procedência gerar a extinção da execução o recurso cabível
será APELAÇÃO.
Não tem efeito suspensivo
- Para conseguir efeito suspensivo é necessário PROVAR o
dano de difícil ou incerta reparação.

Prazo para apresentar impugnação: 15 dias. Aqui faz-se necessário garantir o


juízo. Impugnar o juízo é depositar no judiciário o valor da execução em bens ou em
dinheiro. O prazo conta-se a partir da juntada no processo, do mandado de penhora.

Qual recurso cabe da decisão que julgar impugnação? AGRAVO DE


INSTRUMENTO. Entretanto, se a impugnação for julgada procedente e esta
procedência gerar a extinção da execução o recurso cabível será APELAÇÃO. De
regra será sempre Agravo de Instrumento, contudo, se conseguir extinguir o
processo inteiro, o recurso cabível é Apelação. LER: 475M, CPC e 475P, CPC hot!
hot!

IMPUGNAÇÃO
Apresentou na impugnação uma
FASE DA
FASE
SENTENÇ EXECUÇÃO
defesa imbatível (NULIDADE),

CONHECIMENTO A extinguiu o processo → Recurso

cabível APELAÇÃO

Embargos não têm efeito suspensivo, mas pode pedir. A impugnação


também não tem efeito suspensivo. Na impugnação para se
conseguir o efeito suspensivo é necessário provar o dano de
difícil ou incerta reparação.

LIQUIDAÇÃO DE SENTENÇA (só serve para Título Judicial

Para saber se o título é líquido, certo e exigível é necessário fazer 3


perguntas:
Certo → que deve
Liquido → quanto deve
Exijo → quando deve

Art. 275, II, alínea “d” e “e” (vedado ao juiz proferir sentença ilíquida)

57
Um título em que vem fixado o quantum debeatur é líquido, mas nem
sempre é assim, ex. condeno o réu pagar ao autor, todo o prejuízo
perpetrado na lavoura.

Fase de liquidação: liquidação tem por objetivo atribuir valor certo


a sentença ilíquida.

FASE DA LIQUIDAÇÃO FASE DA


SENTENÇ EXECUÇÃO
A

Temos dois tipos de liquidação:


• Liquidação por arbitramento – liquidação por arbitramento
ocorre quando se nomeia um perito para atribuir um valor a
execução.

• Liquidação por artigos – quando o autor precisar provar fatos


novos após a sentença. Ex. o juiz determina que o autor seja
operado e depois verifica através de recibos quanto terá que
ser exigido do plano de saúde. Hot!hot!

PROCESSAMENTO DA LIQUIDAÇÃO
1) É necessário requerimento do credor para dar início à
liquidação;
2) O devedor será intimado na pessoa do advogado para se
manifestar;
3) Recurso cabível: Agravo de instrumento
4) Não cabe liquidação de sentença nos casos de acidente de
veículo terrestre e na respectiva cobrança contra seguradora
(porque o juiz é obrigado a arbitrar valor neste tipo de ação)
5) Competência da execução – liquidação de sentença só serve
para título judicial.

De acordo com o art. 475-P, parágrafo único, a fase de


execução poderá correr:
5.1. Onde formou o título;
5.2. No novo domicílio do devedor;
5.3. No local em que se encontram os bens do devedor.

MEDIDAS DE URGÊNCIA: TUTELA ANTECIPADA – LIMINAR - CAUTELAR

A função da cautelar é uma só – ajudar em um processo (ex. cautelares: arresto,


seqüestro, produção antecipada de provas, busca e apreensão, exibição).
• O processo cautelar visa salvaguardar um processo dito principal.

• A tutela antecipada tem por objetivo antecipar o próprio direito requerido


na petição inicial que somente seria dado por sentença.

58
• Sempre que a liminar for diferente da sentença = cautelar
Sempre que a liminar for igual da sentença = tutela antecipada.

Liminar – é tudo que for concedido no início do processo. Inaldita altera


pars.

Matéria não ministrada


TEMPO DOS ATOS PROCESSUAIS
Dispõe o artigo 172 do CPC: “Os atos processuais realizar-se-ão em dias úteis, das 6 (seis) às
20 (vinte) horas”. Regra Geral.
 Dia útil – dia de expediente forense.
 Fórum – 09:00 as 17:00
 Oficial de Justiça – 06:00 as 20:00
 A regra geral é utilizada para a prática de atos processuais externos, tais como a
citação e a penhora.
 EXCEÇÃO: Artigo 172, § 2º.: “A citação e a penhora poderão, em casos
excepcionais, e mediante autorização expressa do juiz, realizar-se em domingos e
feriados, ou nos dias úteis, fora do horário estabelecido neste artigo, observado o
disposto no Art. 5º, inciso XI, da Constituição Federal.”
o Certos casos, desde que exista urgência e requerimento expresso do
autor, o juiz poderá autorizar a citação fora do horário descrito no caput
do Artigo 172, CPC (06:00/20:00).

Casos em que o réu não poderá ser citado:


Art. 217 - Não se fará, porém, a citação, salvo para evitar o perecimento do direito:
I - a quem estiver assistindo a qualquer ato de culto religioso;
II - ao cônjuge ou a qualquer parente do morto, consangüíneo ou afim, em linha reta,
ou na linha colateral em segundo grau, no dia do falecimento e nos 7 (sete) dias
seguintes;
III - aos noivos, nos 3 (três) primeiros dias de bodas;
IV - aos doentes, enquanto grave o seu estado. (o oficial de justiça que avalia).

PRAZOS
1. Legal – fixado em lei.
2. Judicial – fixado pelo juiz quando não existir o prazo legal.
• Art. 177 - Os atos processuais realizar-se-ão nos prazos prescritos em lei.
Quando esta for omissa, o juiz determinará os prazos, tendo em conta a
complexidade da causa.
• Art. 185 - Não havendo preceito legal nem assinação pelo juiz, será de 5 (cinco)
dias o prazo para a prática de ato processual a cargo da parte.
3. Dilatório – admite modificação de acordo com a vontade das partes.
• Art. 181 - Podem as partes, de comum acordo, reduzir ou prorrogar o prazo
dilatório; a convenção, porém, só tem eficácia se, requerida antes do vencimento
do prazo, se fundar em motivo legítimo.
4. Peremptório – é aquele que NÃO admite modificação.
• Art. 182 - É defeso às partes, ainda que todas estejam de acordo, reduzir ou
prorrogar os prazos peremptórios. O juiz poderá, nas comarcas onde for difícil o
transporte, prorrogar quaisquer prazos, mas nunca por mais de 60 (sessenta)
dias.
o Prazo para resposta do réu

59
o Prazo para recursos
• Todos os demais são dilatórios.

Distrib
uição
Ação
da
Citação do Réu Prazo da Contestação

As partes atravessam
uma petição
requerendo a
O juiz deve suspensão do processo
Não, pois é homologar? em virtude da
um prazo possibilidade de um
SE FOSSE UMA PE
peremptório. acordo.

PETIÇÃO PARA INFORMAR UM ACORDO, PODERIA.

5. Próprios – aqueles que pertencem as partes.


6.
Impróprios – aqueles que pertencem ao juiz e aos serventuários. Se não praticar o
ato no prazo estabelecido, não ocorre a preclusão, ou seja, não ocorre nada. O juiz
tem prazo? SIM, ARTIGO 189, II, CPC, porém não ocorre na prática.
CONTAGEM DE PRAZO

1) Ocorrência do evento – conta-se o 1º dia útil subseqüente, ou seja, não se conta a


data do evento.
Eventos:
o Publicação da decisão
o Juntada de um mandado de citação/intimação
o Decisão – audiência

Evento – termo inicial


Último dia – deverá recair em dia útil. É possível que haja a prorrogação, porém não se
antecipa. Se cair no sábado, segunda-feira será o último dia.
• Art. 184 - Salvo disposição em contrário, computar-se-ão os prazos, excluindo o dia do
começo e incluindo o do vencimento.
• Art. 188 - Computar-se-á em quádruplo o prazo para contestar e em dobro para
recorrer quando a parte for a Fazenda Pública ou o Ministério Público.
• Art. 191 - Quando os litisconsortes tiverem diferentes procuradores, ser-lhes-ão
contados em dobro os prazos para contestar, para recorrer e, de modo geral, para
falar nos autos.
• Art. 241, III – Corre da juntada aos autos do Mandado ou AR.

Prazos de Interposição:

05 10 15
Embargos de AGRAVO Todos os outros
Declaração.
Contestação de uma Recurso Inominado do Juizado Todos os outros
cautelar Especial Cível

• É possível suspender um prazo peremptório? Sim, através da Justa causa. (Exceção).


SUSPENDER SIM, AMPLIAR JAMAIS!!
o Casos de Morte, doença grave, queda de avião que fechou o aeroporto.

60
Art. 183 - Decorrido o prazo, extingue-se, independentemente de declaração judicial, o
direito de praticar o ato, ficando salvo, porém, à parte provar que o não realizou por
justa causa. Independe do tipo de prazo.
§ 1º - Reputa-se justa causa o evento imprevisto, alheio à vontade da
parte, e que a impediu de praticar o ato por si ou por mandatário.
§ 2º - Verificada a justa causa o juiz permitirá à parte a prática do ato no
prazo que lhe assinar.

1ª Fase – POSTULATÖRIA
• 1º ato do processo = PETIÇÃO INICIAL
• 2º ato do processo = CITAÇÃO
2ª Fase – SANEAMENTO
O Juiz poderá extinguir o feito por questões prejudiciais
• Preliminares – art. 301
• Prescrição
• Decadência
Art. 330 – Julgamento antecipado da lide – É matéria de direito, não exige produção de
provas.
Art. 331 – Audiência preliminar – Conciliação – Só será designada se o Juiz deslumbra a
possibilidade de conciliação, extingue o feito COM RESOLUÇÃO DE MÉRITO.
• Caso não haja conciliação juiz mandará produzir provas.
3ª Fase – PROBATÓRIA / INSTRUTÓRIA
• Provas – art. 282, VI – demonstrar a veracidade dos fatos.
• Se houver fato superveniente (fato novo) posso juntar o documento.
• Justo impedimento – Não tinha condições de juntar o documento na propositura da
ação.
Existem fatos que não dependem de provas, art. 334 (dispensa a produção de provas).
• Fatos notórios
• Fatos confessados – É a maior das provas, não precisa ser provado.
• Fatos presumidos
Meios de provas:
1) Pericial
• Consiste em exames, vistorias e avaliações.
•Art. 437, CPC – hot!hot! O juiz pode deixar de homologar o laudo e nomear
outro perito.
2) Documental
• Documentos: O autor apresentará seus documentos na PI e o réu na
contestação a juntada de documentos durante o processo acolherá o devido
acolhimento para o Juiz.
3) Inspeção Judicial = Nesta o Juiz se desloca até o local dos fatos, art. 440, CPC.
4) Provas Orais
• As provas orais são feitas na audiência de instrução.
o Oitiva do perito (esclarecimento)
o Depoimento pessoal – das partes – mentira – pena de confissão;
litigância de má-fe.
o Oitiva de Testemunhas – art. 405 – qualquer pessoa pode ser
testemunha.
 Exceto: Incapaz (menor de 16 anos)
Impedido (cônjuge, parente)
Suspeito (amigo, inimigo)

Contradita de testemunha – É a impugnação quanto a oitiva de uma testemunha


formulada pela parte contraria na audiência de instrução após a qualificação da
testemunha, sob o argumento de que ela é incapaz, impedida ou suspeita.

4ª Fase – decisória

61
• Sentença (art. 162, parágrafo único) é o ato do juiz que implica o art. 269 e 267
do CPC. Pode ser:
• Soma em dinheiro
• Obrigação de fazer ou não fazer
• Entrega de coisa

• Requisitos:
o A) internos – a sentença deve ser clara, deve ser lógica e cabem
embargos de declaração.
o Externos – art. 458, CPC – Relatório (fatos), fundamentação (direito) e
dispositivo (pedido).
O juiz não pode decidir:
Nem além – ULTRA PETITA
Nem aquém – CITRA / INFRA EPTITA
Nem fora - EXTRA PETITA

62