Você está na página 1de 8

Química e Sociedade

Lavagem a Seco

Luciana Diniz Borges e Patrícia Fernandes Lootens Machado A limpeza de roupas é uma atividade doméstica muito antiga e, ao longo dos anos, essa prática vem sendo facilitada e aperfeiçoada com o uso de máquinas de lavar, branqueadores, tira-manchas, detergentes cada vez mais eficientes etc. Entretanto, a forma tradicional de se lavar os tecidos com água e sabão nem sempre consegue atingir um alto grau de limpeza, dada a natureza das sujidades. Esse fato, somado a outros fatores como a deformação e o desbotamento dos tecidos, gerou a necessidade de se desenvolver novos métodos de limpeza como a lavagem a seco. Esse artigo apresenta uma temática contemporânea, articulada a questões sociais, ambientais, econômicas e políticas, que possibilita a significação do ensino de química na perspectiva de mudanças nas formas de pensar e agir e se coaduna com uma abordagem de educação ambiental. lavagem a seco, percloroetileno, educação ambiental

11

Recebido em 25/05/2012, aceito em 23/07/2012

L

avar a seco significa lavar por meio de fluido ou solvente não aquoso, isto é, trata-se de um processo que limpa sem utilizar a água. Dessa forma, apesar de o nome ser lavagem a seco, o processo deixa o que está sendo lavado molhado, mas usando um solvente orgânico no lugar da água, o qual poderá ser facilmente evaporado ao final do processo. Hoje, esse tipo de lavagem pode ser considerado a forma mais eficiente para se lavar uma grande variedade de tecidos naturais e sintéticos (DOW, 1992). No entanto, ela não se restringe à lavagem de tecidos, fala-se também em lavagem a seco de carros, de estofados em geral, de embalagens reutilizáveis ou não e, até mesmo, de cabelos, na forma de spray ou em pó, sem água em sua formulação, para se absorver o excesso de oleosidade destes. Para peças de vestuário, a lavagem sem água pode significar um aumento da vida útil dos tecidos: sua não deformação (dilatação e contração das fibras), como o encolhimento, e a manutenção das cores das roupas devido à menor dissolução dos corantes nos solventes utilizados. Além disso, um processo completo de lavagem a seco pode restaurar a aparência de roupa nova. Outra grande vantagem é que a quantidade de material residual gerado no processo pode ser minimizada, já que, em geral, alguns solventes podem ser destilados e reutilizados (DOW, 1992). Todavia, nem todos os artefatos têxteis podem ser submetidos a esse tipo de lavagem e, por isso, é preciso sempre conferir as indicações presentes nas etiquetas das roupas (Figura 1).
QUÍMICA NOVA NA ESCOLA

Figura 1: Instruções geralmente presentes nas etiquetas de tecidos. O quadro em vermelho destaca o símbolo (círculo) utilizado para a lavagem a seco (Marks; Luhring, 2008).
Vol. 35, N° 1, p. 11-18, FEVEREIRO 2013

Lavagem a seco

35. solventes utilizados no processo de limpeza a descoberta como um melhor solvente de limpeza que o seco ao longo dos anos. logo foi tricloroetileno (d). apesar das suas características de inflamabilidade. a partir daí. aproximadamente 1/6 a 1/10 do custo dos sintéticos (Lohman. a partir de 1940. após lavar os vestuários com esse solvente. e na terceira. como se não tivessem sido lavadas. hidrocarboneto clorado não inflamável e com alto poder de solvência. no começo de 1930. o solvente e a [. Na década de 1870. adotou o uso de um as mesmas no que diz respeito sua funcionária tombou. o benzeno (Figura 2b) substituiu o canfeno como o mais popular solvente para lavagem.. . a sujeira desgastadas. perda da cor. Ele descobriu que um combustível comumente utilizado em lamparinas. ao final de 1850. Assim como o canfeno e o benzecialmente três etapas: na primeira. o canfeno1 (Figura 2a). uma mistura de hidrocarbonetos feno (a). elas são basicamente toalha de mesa ficou mais limpa quando Cleaning).Um pouco sobre a história. ela deixava um odor bastante dissolver e dispersar a sujeira do desagradável e era uma ameaça tecido. econômico para a lavanderia e menos prejudicial para o meio QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Lavagem a seco Vol. do benzeno (b). Não somente era mais rápido e mais seguro como também limpava muito melhor. Em 1952. algumas lojas. Essa junção lavadora/secadora possibilita a recuperação lavagem a seco e era mais seguro para se trabalhar do que quase total do solvente usado durante a limpeza. as roupas mantinham a mesma aparência. o canfeno1 (Figura 2a). Belin percebeu que uma a Seco (National Institute of Dry de lavar. quando Napoleão III (Charles Louis Napoléon Bonaparte) era presidente da mais nova segunda República Francesa. passaram a usá-lo ao lado do tricloroetileno (vide Figura 2d). ainda continuaram a ser utilizados. vestuários em sua loja. acidentalmente. Devido às experiências com as máquinas de combustão Figura 2: Representação da estrutura molecular planar do caninterna. secadoras de roupas (vide Figura constatando-se que possuía ótimas propriedades para a 3). 12 Em 1849. os sintéticos já estavam sendo usados em torno de 20% das lavanderias de lavagem a seco dos Estados Unidos. descobriu-se que máquinas de lavar domésticas. do tetracloreto de carbono (c) e do com cadeias abertas contendo de 7 a 11 carbonos. 2008). a partir daí. FEVEREIRO 2013 Experimentações com solventes sintéticos foram sendo feitas durante a década de 1920 e. em 1925. a Associação é removida do solvente pelo procombustível comumente utilizado em N a c i o n a l d e Ti n t u r e i r o s e cesso de destilação.. Entretanto.] Jolly Belin começou a usar um constante de fogo e explosão sujeira são removidos do tanque novo método para limpeza de roupas devido ao seu ponto de fulgor2.. Ele descobriu que um Então. solvente eficaz para algumas das manchas of Dyers and Cleaners). uma lamparina com o combustível sobre ela e. hoje o Apesar de haver muitas marmais comuns dos vestuários que chegavam Instituto Nacional de Lavagem cas e fabricantes de máquinas à sua tinturaria. o solvente é usado para no. a gasolina bruta. mas também Atualmente. ser substituído por dry cleaning) (Marks e Luhring. as máquinas de lavagem a seco foram aperfeiçoadas para a limpeza com o uso de fluidos de hidrocarbonetos clorados não inflamáveis. o termo dry washing veio primeiro para. benzeno para o propósito da lavagem a seco. e muitas máquinas para lavar a seco tiveram que ser redesenhadas para servir ao novo solvente. a gasolina bruta subsO processo de lavagem a seco tituiu os outros solventes pelos próximos 30 ou 40 anos do crescimento da indústria de lavagem a seco. Os solventes derivados do petróleo. chamado Jolly Belin. Por ser mais barata e mais facilmente disponível. este era uma mistura de alcanos que se utilizam de água. possibilitando lamparinas.. O canfeno podia substituir a água durante a lavagem sem causar encolhimento. necessitava equipamentos menos robustos e podia ser instalado em locais de lojas de varejo. produto do petróleo chamado aos princípios e às funções e são uma lamparina com o combustível sobre solvente Stoddard. enrugamento ou distorções das características da costura e. depois. Como a descoberta de Belin não ficou em segredo. p. Belin percebeu que uma toalha de mesa ficou mais limpa quando sua funcionária tombou. 11-18. começou a testá-lo nos vestuários em sua loja. O tetracloreto de carbono (Figura 2c) se tornou o melhor solvente conhecido dentre os sintéticos e. Ao mesmo tempo. o que é mais a gasolina bruta (Lohman. 2002). esse novo método de limpeza começou a ser chamado de lavagem a seco (no inglês. começou a testá-lo nos quisas feitas. Então. o processo de lavagem a seco segue essentinha suas desvantagens. Após pessimilares a uma combinação das ela e. de lavagem. outro sintético passou a ser mais popular: o tetracloroeteno. por causa de sua disponibilidade e seu custo muito mais baixo. acidentalmente. com as e hidrocarbonetos aromáticos. 2002). era um solvente eficaz para algumas das manchas mais comuns dos vestuários que chegavam à sua tinturaria. começou a usar um novo método para limpeza de roupas desgastadas. após a Segunda Guerra Mundial. Canadá e outros países europeus. há relatos de que. já existiam estabelecimentos de lavagem a seco em muitas partes da Europa. todavia. oferecendo serviço rápido de qualidade. um criativo alfaiate de Paris. N° 1. era um Lavadeiros (National Association sua reutilização. na segunda.

dióxido de carbono (CO2). menos detergente deve ser do gás clorofluorcarbonetos (CFC) (Anvisa. se a sujeira for menos solúvel em solvente orgânico. as roupas são submetidas à os vapores de percloroetileno são expostos a situações de agitação mecânica. pode não provocar efeitos desagradável e era uma ameaça constante o solvente é o tetracloroeteno perceptíveis. fechada e enchida com a solução em diferentes proporções Neste trabalho. Figura 3: Máquina moderna de lavagem a seco. Cada máquina possui um nível de CO2 (g) + Cl2 (g) agitação determinado pelo projeto da lavadora ou do tambor de lavagem. comercialmente conhecido ambiente se forem desconsideradas perdas por evaporação. lavado. pode-se inferir que. a gasolina bruta substituiu os detergente. pela velocidade da rotação e pela quantidade Por meio de uma reação secundária. levando à morte de fogo e explosão devido ao seu ponto (ver Figura 4). capaz de remover grande variedade (COCl2). A de solvente orgânico/detergente vinda do tanque básico. na de lavagem a seco. algumas roupas podem não ficar completamente secas ao final do processo. na presença de oxigêdo detergente. indúsquantidade de detergente deverá ser usada na limpeza. que é então na indústria de lavagem a seco como agente de limpeza. 1993): de limpeza. a roupa poderá enrugar e alguns tecidos mais sensíveis poderão ser danificados. emulsão sem água capaz de alterar o balanço hidrofílico/ lipofílico do solvente. ficando a C2Cl4 (g) + O2 (g) + H2O (g) → 2HCl (g) + CO (g) + sujeira presa no filtro. quando letais. Falando sobre o percloroetileno O solvente tetracloroeteno. requer um controle cuidadoso das CO (g) + Cl2 (g) → COCl2 (g) Por ser mais barata e mais facilmente proporções da mistura solvente/ disponível. a melhor tempor consequência de problemas de fulgor. optamos por utilizar seu nome comercial. já que o calor gerado pela máquina não será capaz de vaporizar todo o solvente. Por exemplo. A formação desse produto pode outros solventes pelos próximos 30 ou O processo de lavagem a criar riscos muito maiores do que 40 anos do crescimento da indústria de seco ocorre sob uma determinao próprio solvente. os gases monóxido de solvente na máquina. possibilitando uma remoção maior de diferentes tipos de sujeiras. observa-se a formação de cloreto de hidrogênio quanto aquela solúvel em solvente orgânico se dissolva. então. é usado largamente as roupas são colocadas no tambor da máquina. 11-18. um gás tóxico e corrosivo: de sujeiras solúveis e insolúveis. representada pela equação (DOW. mais hidrofílica. 35. uma operação de lade carbono e cloro poderão se combinar e formar fosgênio vagem a seco eficiente. N° 1. ela deixava um odor bastante utilizado. e isso está diregrau de toxicidade do fosgênio desvantagens. a qual. Quando empregado. além de provocar a QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Lavagem a seco Vol. mesmo em concentrações benzeno. apesar de as roupas já estarem aparentemente secas. a mais básica de todas. português) ou PCE (sigla em inglês). A proporção solvente orgânico/ detergente variará de acordo com o tipo de sujeira que se Figura 4: Representação da estrutura molecular do perclodeseja remover e de acordo com o tipo de tecido que será roetileno. ou seja. se ficar acima. faz com que tanto a sujeira solúvel em água nio e água. Do trias têxteis. 2011). mais lipofílica ela é e. acima de 600 ºC. (HCl). Aqui cabe uma reflexão: sabendo-se que a temperatura de ebulição desse solvente é de 121 ºC e sendo a temperatura no interior da máquina de 60 ºC. uma maior Esse solvente também é utilizado em tinturarias. Fabricada na Alemanha pela Bowe®/Permac. 1992. 2004). muito do solvente ainda pode permanecer entranhado nas fibras dos tecidos. peratura para aquecer o ar que respiratórios. como percloroetileno ou simplesmente PERC (sigla em Na primeira etapa da operação. indústrias de limpeza. somada à presença do solvente e elevada temperatura. visto o maior lavagem a seco. seu processo de limpeza utiliza o percloroetileno como solvente (Böwe. p. Assim como o canfeno e o tamente relacionado ao solvente que. fábricas de borrachas contrário. monóxido de carbono Enquanto as roupas giram no cesto perfurado da máqui(CO) e cloro (Cl2).circula no tambor da máquina é de 60 ºC. Dessa maneira. mas também tinha suas da temperatura. FEVEREIRO 2013 13 . há um fluxo constante do solvente Yasuhara. No tanque básico. O fórmula molecular do percloroetileno é C2Cl4 e sua estrutura detergente utilizado nesse processo é um estabilizador de pode ser vista na Figura 4. Além disso. se a mancha interage mais com o solvente orgânilaminadas como desengraxantes de metais e por fabricantes co. Se essa temperatura não for alcançada. O solvente sujo é bombeado continuamente através de um filtro e circula novamente limpo.

incidência de mas renais ou adenocarcinomas que se acumulam e permanecem adenomas renais ou adenocarcinomas em ratos machos. de lavanderias que lavam a seco. contaminando lençóis freáticos. Ward e Brown. aumento da incidência incidência de células leucêmicas com água (Klein. Atualmente. por sua vez. são três as principais vias de lavam a seco. garganta e nariz e provocar cadas. Também nos implica em menores quantidades de água no enxágue. vestuários. A formação da disperOutras populações possivelmente em risco são aquelas são gás-líquido (espuma) está intimamente relacionada ao pH que vivem próximas a indústrias que descartam ilegalmente da solução. Como resultado. grandes problemas afetam seu papel no abrandamento de QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Lavagem a seco Vol. estão roupas e ocorre devido à deformaassociados problemas carcinoção das fibras dos tecidos. 2001). por resultados com a lavagem a úmido absorção pelo trato gastrointesti(com água) ou nem sequer podem nal e por absorção pela pele. são três as principais vias de removê-la totalmente. Por exemplo. 2009). pode mover-se maior dureza à água como Ca2+ e Mg2+. ambos agentes de contaminar uma variedade de espaços ambientais. O desgaste está relacionado com a aparência das Ao percloroetileno. FEVEREIRO 2013 . Os compostos de Na limpeza com água. um excesso de exposição ao percloroetileno pode viscose e poliéster. encontramdisso. incidência de adenoretada por porções de detergente como. pois reaNo entanto. que já vem sendo feito da consciência (Ruder. Outros de seus vapores. aproximadamente 50 dias. é degradado lentamente por sais insolúveis. 35. dois maior basicidade e cumprirem tecidos. tonturas e náuseas. Em homens trabalhadores de lavanderias que forma que apenas uma limpeza e mulheres. a formação de espumas pode emissões gasosas) e aquelas que vivem próximas a áreas ser controlada e estabilizada utilizando-se um tensoativo de lixo tóxico contaminadas com níveis elevados do pernão iônico ou adicionando um agente antiespumante como cloroetileno. causando até mesmo perda controle e estabilização da espuma. por exemplo. Esses sintomas são facilmente observados em água. enquanto estiver no gem com o tensoativo formando solo. Toraason et por algumas marcas de detergentes em pó para lavagem com al. 2001). fosfatos presentes nos detergenproblemas afetam diretamente os tes. O desgaste está relacionado com água (Na3PO4) e o pirofosfato de sódio com a aparência das roupas e ocorre (Na4P2O7). mais roupas podem ser lavadas na máquina por vez. dois grandes microrganismos (Kamrin. 2001. apesar de conferirem devido à deformação das fibras dos Na limpeza com água. por absorção pelo trato de contaminação desse solvente: tecidos já apresentam melhores gastrointestinal e por absorção pela pele. Osório e orgânico é moderadamente estável. algumas marcas de detergentes vêm substituindistâncias significativas a partir da fonte e têm o potencial do compostos contendo fosfato por zeólitas. Além setores das indústrias químicas supracitadas. 2001). Isso porque menos espuma solvente o percloroetileno (Borges. Encontra-se na literatura gos. 1992). Sabe-se que esses imediatamente para baixo. se esse solvente for liberado no solo. íons metálicos dificultam a limpeza dos tecidos. o fosfato trissódico vestuários. trabalho. esse solvente as alcanolamidas de ácidos graxos (Motta. Por sequestrantes utilizados para remover cátions que conferem exemplo. com uma meia-vida de Oliveria. 11-18.. estão associados gênicos em animais como. N° 1. Dentro de certas condições de ser lavados a seco como. 2003). é acarproblemas carcinogênicos em animais exemplo. por deformação. Tecnologias vêm sendo desenvolvidas para ambos os dores de cabeça. aumento da nas fibras mesmo após a lavagem em ratos machos. 2007. que isso gere um excesso de espuma. Em homens e mucom água e sabão não é capaz contaminação desse solvente: por inalação lheres. Essa Ao percloroetileno. os sintéticos vinil. à quantidade de eletrólitos existente no meio e à esse produto na natureza (seja em sua forma líquida ou por dureza da água. como o trifosfato de sódio tecidos: o encolhimento e o desgaste dos Lavagem a seco versus lavagem (Na5P3O10). Encontra-se na literatura nos tecidos. por exemplo.14 corrosão de materiais metálicos presentes no local de tradiretamente os tecidos: o encolhimento e o desgaste dos balho (DOW. os vapores a mudança na composição dos detergentes é a eutrofização. de forma a diminuir os impactos no meio prolongada dessa substância pode lesar fígado e rins e deambiente e na saúde dos indivíduos. que utilizam como impactantes ao meio ambiente. Já a lavade células leucêmicas em ratos e em ratos e aumento de tumores gem a seco pode promover maior aumento de tumores hepatocelulares em hepatocelulares em camundonlimpeza e menores deformações camundongos. -se portadores dos sintomas descritos devido a exposições pois a quantidade de detergente utilizada pode aumentar sem elevadas e prolongadas ao percloroetileno. um maior primir o sistema nervoso central. além de tecidos com aplicações plastificausar irritação de pele. Uma vez liberado na atmosfera. p. dependendo da temperatura e de Outro impacto ambiental que vem sendo contornado com outras condições ambientais. olhos. por inalação de seus vapores. Também a inalação tipos de lavagens. do percloroetileno liberados no ar podem se mover em Atualmente. é um fator importante para tornar os detergentes menos trabalhadores de lavanderias a seco. Existem certas fiestudos que apontam para um aumento estudos que apontam para um bras que interagem intensamente do risco de câncer entre trabalhadores de aumento do risco de câncer entre com manchas gordurosas.

e dissolve ser os mesmos utilizados na lavagem com água. tanto sujeiras apolares são bons substitutos por serem eficientes como sequestrantes. com com filtros de carbono ativo e com ciclos fechados. Sem falar das lavanderias que À esquerda (5a). solvente mais utilizado nas lavanderias a seco. é cancerígeno para animais e bastante tóxico ao ambiente. dado tados aos solventes apolares da lavagem a seco não devem sua baixa pressão de vapor (0. ambientais. surfactantes é utilizada para a limpeza. visto a possibilidade de reutilização dos surfactantes com a água depende significativamente do desse solvente. um nível de reapromento das fibras e/ou o desbotasistemas de esgoto na forma de águas veitamento do solvente bastante mento da cor das peças durante residuais. também A maioria das lavanderias paga para ter quinas com tecnologia desenvolnão são suficientes para eliminar seus resíduos de percloroetileno removidos vida para capturar os vapores do as manchas. o percloroetileno. Por isso. já que evapora facilmente. a necessidade de detergentes. 2009). Representação esquemática da estrutura das micelas. com a cauda apolar voltada irregularmente ainda lançam para a atmosfera os vapores para dentro. a parte aponutrientes (compostos químicos ricos em fósforo ou nitrolar do tensoativo circunda as sujeiras lipofílicas. a lavagem a úmido consome. se torna vantajoso tanto para o e detergente não gera um enfradesempenho como para minimiquecimento das fibras com conzar a agressão ao ambiente e. e por orgânico (Enade. isto é. sozinha não é capaz de dissolver manchas lipofílicas.águas duras. também. na economia e nas reguladas roupas. normalmente formada na presença de um surfacde percloroetileno por não adequarem seus maquinários tante em meio aquoso e. Isso dos tecidos. 2011). 11-18. mas Em contrapartida. como polares podem ser removidas. formada em meio de bandeja para recolhimento total desse solvente. do local de serviço e recupera parte deles. esse solvente é descartado nos facilidade. o percloroetileno em vista que a água é uma substância polar com momento de é um solvente efetivo para limpeza das roupas. p. para o solo. pois evita o dipolo diferente de zero. muitas vezes. uma micela normal. já que há a lavagem. outros solventes. no impacto à saúde dos indivíduos. atingindo e contaminando águas subterrâneas. que usam a tecnologia para o percloroetileno (Figura 3) consomem mais eletricidade que aquelas desenvolvidas para lavagem com água. 35. água no tecido são originados do processo de pré-lavagem no desempenho da lavagem. como óleos. Já a água pode remover muitos tipos de sujeiras. para o solo. causam a eutrofização em aquíferos.017 atm. esse solvente é descartado nos sistemas de esgoto na forma de águas residuais. solvente para o ambiente. Não raro. as máquinas para lavagem a seco.. lavagem a seco. os detergentes acrescenencolhimento dos tecidos. As lavanderias que lavam com água oferecem os mesmos em função das polaridades similares. a água. FEVEREIRO 2013 15 . por sua vez. No caso da algas causa. para a economia sequente desgaste das roupas. não fazerem regularmente a manutenção dessas máquinas (Blackler et al. Além disso. apesar de a lavagem Na presença de tensoativos. por muito mais água que aquela com isso. Resquícios de aspectos ambientais. A maioria das lavanderias paga para ter seus resíduos de percloroetileno removidos do local de serviço e recupera parte deles. em que uma mistura de hidrocarbonetos e Os materiais zeolíticos. ceras e gorduras em geral. tamanho dos grupos polares presentes no tensoativo. seco e de lavagem com água pode ser feita com base nos formando uma micela reversa (Figura 5b). preços daqueles da limpeza a seco. O aparecimento excessivo de parte polar voltada para fora (vide Figura 5a). ficando a gênio) disponíveis no meio. As novas máos quais. causa o encolhiNão raro. um pode ser compreendida a partir do modelo de micelas. percloroetileno conseguem. com em certos casos. manchas lipofílicas. à direita (5b). No que diz respeito aos impactos orgânico são removidas com água e detergente. Isso ocorre devido à necessidade de condensadores e destiladores para controlar as emissões de vapores do Figura 5. por meio das tubulações.. por meio alto e com qualidade. 1998). N° 1. Na aumento descontrolado de algas ocasionado pelo excesso de lavagem com água e detergente (surfactante). mais polar ou até mesmo porções mínimas de água presentes Uma comparação entre os métodos de lavagem a no tecido serão circundadas pela parte polar do surfactante. um desequilíbrio no ecossistema. Além disso. 20 ºC). podendo migrar. podendo migrar. tendo Tratando-se do desempenho para lavar. dotados as cabeças polares voltadas para o interior. a interação soluto-solvente com água desprender significantemente menos capital QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Lavagem a seco Vol. Também a interação química de quem lava a seco. em geral. em que sujeiras menos solúveis no solvente mentações existentes. uma micela reversa. mas em grande parte das tubulações. aluminossilicatos de alta porosidade. As manchas apolares devido a sua alta capacidade de troca catiônica e não causam (gordurosas) serão carreadas pelo solvente e qualquer sujeira o fenômeno da eutrofização (Sutili et al. atingindo e a presença de destiladores. a limpeza com água contaminando águas subterrâneas.

efeiquímicas. cabem de mercado e não demonstrar a discussões sobre cadeias abertas. aromáticos. como aquecimento global. biocombustível (Cardoso. esses assuntos geralmente são solventes possuem diferentes graus de lipossolubilidade e tratados de uma forma mais global e. o custo de uma máquina que lava a seco para lavanderias é. que transcendem os saberes técnicos do assunto em questão e que envolvem problemas ambientais importantes a serem abordadas em sala de aula como lixo eletrônico (Oliveira. no que diz respeito ao maquinário e à manutenção. Nesse ponto. 11-18. polaridade e solubilidade. Machado e Pereira.] a temática lavagem a seco nas aulas o fator humano envolvido nessa clorados etc. o dobro de uma de tamanho similar que lava com água. no entanto. destacar mais inclusive. Os professores podem. na forma de um problema a ser resolvido a partir de poderia ser feita analisando-se as moléculas dos solventes conteúdos da química inter-relacionados a outras matérias. Gomes e Afonso. 35. por isso. Por exemplo. diferenciando suas propriedades (CTS). os problemas técnicos e mercado. solventes [. Ferracin e Biaggio. pilhas e baterias (Bocchi. aparecem frequentemente nos livros didáticos adotados ser humano. Pensando nisso. Dentro do conteúdo de ligações Hoje. Entretanto.. distribuídos nos organismos vivos (Salgado e Marona. Assim. como um material introdutório que sirva como uma ponte entre o que o aluno já conhece e o que se deseja que ele aprenda. 2008). o que não existe para a lavagem com água e sabão. 2000).. a lavagem com água envolve custos bem menores com eletricidade que a lavagem a seco. N° 1. de um determinado produto. Feitas essas comparações. esses pelas escolas. 2004). e os poucos que conhecerem podem não associar. 1998). muitas vezes. amplamente et al. já se pode e de sua toxicidade. Esse gasto a mais de energia na limpeza a seco. da atmosfera e do estudar o porquê de os solventes clorados fazerem mal ao solo. aromáticas (relembrando que o benzeno já foi estão produzindo (Lufti. um problema a ser resolvido a partir de uma tecnologia. A lavagem a seco tem ainda regulamentações mais rígidas devido à toxicidade dos solventes orgânicos utilizados. A proposição de uma temática como organizador prévio tem por objetivo retomar continuadamente problemas inicialmente relatados na perspectiva de encontrar soluções enriquecidas por conteúdos de química. em grande parte devido aos aparatos das máquinas utilizados para controlar a poluição com o solvente orgânico. No que diz respeito aos conceitos químicos a serem abordados dentro desse tema. QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Lavagem a seco Vol. isto é. É provável que a maioria dos alunos desconheça o que venha a ser lavar a seco. Também se conhecer o processo como um todo sem se isolar apenas no pode promover discussões a respeito dos haletos orgânicos conhecimento científico ou técnico. orgânicos já utilizados ao longo da história da lavagem a Além disso. Entretanto. o que acaba por torná-la ainda mais cara. por exemplo. 2005). é importante que o seco: hidrocarbonetos derivados professor aborde em sala de aula do petróleo. Assim. a lavagem a seco possui custos adicionais associados com a eliminação de resíduos perigosos. p. aquecimento global (Borges e Duso. é compensado com a grande demanda por água exigida na lavagem a úmido (Blackler et al. No entanto. somente é a polaridade que lhes confere a capacidade de atravessar servem como ilustradores de um conteúdo químico (Silva membranas biológicas e de serem. bem como contemplando aspectos quando se ensina algo sobre um a partir da estrutura orgânica da Educação Ambiental (EA). 16 encontrar diversos artigos tratando sobre temas relevantes. periculosidade e a salubridade do trabalho para aqueles que fechadas. poluição de rios. contaminados com solventes possivelmente tóxicos. a temática lavagem a seco nas aulas de química do Os conteúdos sobre reações químicas e sobre química ensino médio pode ser utilizada para inserção de uma abororgânica podem ser explorados por meio do tema lavagem dagem centrada em Ciência-Tecnologia-Sociedade (CTS). os alunos de química do ensino médio pode ser atividade profissional da limpeza poderão comparar as funções orutilizada para inserção de uma abordagem a seco e não deve apenas focar no gânicas presentes nas moléculas. 2009). em média. 2011). o custo do percloroetileno e de tensoativos para lavar a seco é significantemente menor que o custo dos surfactantes e outros agentes utilizados na lavagem com água. na forma de processo de produção ou sobre estudada. fica clara a necessidade de se analisar melhor qual lavagem aplicar dependendo do tecido que precisa de limpeza. torna-se necessário utilizado como solvente para limpeza a seco). sua solventes terem sido banidos do história. discutir com os alunos conteúdos da química inter-relacionados a as etapas do desenvolvimento sobre o porquê de alguns desses outras matérias. propõe-se que esse tema seja apresentado aos alunos como um organizador de conteúdos. essa forma de limpeza com a química envolvida nesse contexto e a grande toxicidade dos solventes orgânicos utilizados no processo.que a lavagem a seco. temas ambientais. 2010). pois é comum. Também.. FEVEREIRO 2013 . como já foi dito. No decorrer do conteúdo. Na literatura. Em função da natureza de suas ligações. uma conexão (EA). de imediato. a seco antes mesmo de serem iniciadas as explicações sobre bem como contemplando aspectos da Educação Ambiental hidrocarbonetos. pode-se perceber uma infinidade de A lavagem a seco no ensino de química conexões do assunto limpeza a seco com as matérias ensinadas ao longo do nível médio. Assim. centrada em Ciência-Tecnologia-Sociedade processo em si. pode-se tos El Niño e La Niña. ressaltando a importância do conhecimento científico para compreensão de fenômenos vivenciados cotidianamente..

mas também uma ao solvente orgânico na limpeza a seco (ou fazer um préforma segura de tratar os resíduos gerados (Saez et al. Todavia. O percloroetileno pode ser comparação entre a lavagem a seco e solventes utilizados na lavagem manuseado com segurança desde a lavagem com água. Por isso. é docente da Divisão de Ensino de Química no IQ-UnB.3 . quantidade suficiente para que a mistura vapor-ar. cioambientais que são vivenciadas diariamente sem. forma de limpeza. ao contrário da água a absorção total dos vapores. -tratamento das manchas antes de lavá-las a seco). serem percebidos. Brasília. cadeias hidrofílicas e hidroA exposição de aspectos relevantes da interface química/ fóbicas etc. seja para água e detergente. tanto para não danificar a roupa como para buscar uma solução ambientalmente mais amigável. há necessidade de normas mais severas vez da lavagem com água. e econômicas. propague uma chama a partir de do setor de lavagem a seco podem também ser abordadas uma fonte de ignição. o professor pode fazer localizados o mais próximo dos consumidores.Ponto fulgor: é a menor temperatura na qual um a seco.. é doutoranda em Química na UnB e técnica de nível superior no IQ-UnB. não consegue Todavia.dimetil . por serem moléculas apoque se utilize um maquinário com alunos poderão compreender por que lares. Por meio do desenvolvimento da e desvantagens e com base no fato de que alguns tecidos criticidade. [. novas tecnologias vêm sendo pensadas. Então. Portanto. questões socioambientais. caberá abordar conteúdos como tensão superficial. o que faz com uma comparação entre a lavagem a seco e a lavagem com que a utilização de solventes tóxicos seja prejudicial não só água.metilenonorbonano e ao emprego deste no desenvolvimento de tecnologias nem ou 3. Brasília. são apolares. 11-18. 35. bem como a manutenção polaridade dos solventes devem permanente de fiscalização sobre conduzir as discussões em sala: esses serviços (Desimone e Tumas.Laboratório de Catálise). muitas sabendo-se que cada tipo de lavagem tem suas vantagens vezes.metilenonorcanfano. é preciso analisar o tipo de tecido exigir boas condições de trabalho em ambientes insalubres. que também carbono ativado que possibilitem tecidos em vez da lavagem com água. As perspectivas apresentadas há necessidade de se utilizar surfactantes tanto em lavagem constituem-se.com). discutir problemas relacionados à tecnologia e abordar Visto que. Nesse além de testar novos solventes e cossolventes para a limpeza momento. mestre e doutora em Engenharia pela UFRGS. lavagem tanto com água como a seco. 17 Considerações finais Os estabelecimentos que limpam a seco estão geralmente QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Química pela UnB (área de Química Inorgânica . Vol. deverá ressaltar que. sociais. Dessa maneira. 2009). pois são essas conexões que levam os alunos a tomarem decisões bem fundamentadas como indivíduo e Luciana Diniz Borges (ludinizb@gmail. Assim. bacharel em Química pela UFC. dissolvem as manchas de circuitos fechados e filtros de utilizar a lavagem a seco para determinados gordura das roupas. por ser polar. os a seco. torna-se possível julgar o que vivenciamos. bem como proposta aos alunos: por que então lavar a seco? A resposta mobilizar atitudes e valores em relação aos problemas sopode ser fornecida comparando-se os impactos ambientais. seja possuem maior afinidade com as gorduras.2 . de uma forma para contribuir a seco como na lavagem com água. micelas. N° 1.3 . logo questões sobre química verde e sobre as novas tendências acima de sua superfície. Notas O uso da temática lavagem a seco possibilita discutir aspectos ambientais relacionados ao conhecimento científico 1 . Esses temas serão um complemento à matéria sociedade do tema lavagem a seco possibilita ao professor funções orgânicas e explicarão o papel dos tensoativos na desenvolver em sala de aula alguns conteúdos de ciências.. Patrícia Fernandes Lootens Machado (plootens@unb.2 . também é preciso que sejam adicionados surfactantes para uma utilização eficaz desse solvente. bacharel. agentes tensoativos. buscando líquido combustível ou inflamável desprende vapores em principalmente desenvolver um processo mais limpo. para a limpeza da roupa ser mais eficiente. Os vapores liberados a essa temperaem sala de aula. torna-se para avaliar algo simples como lavar uma peça de roupa (escomplicado remover as manchas lavando-as somente com colher entre lavagem a seco e lavagem com água). cuja fórmula sempre sustentáveis. existem novas pesquisas limpar essas manchas sem que secientíficas em desenvolvimento jam acrescidos sabões e detergentes à lavagem. Dessa maneira. políticas (CETESB.dimetil . 2003). O professor para tornar mais limpo e seguro o processo de lavagem a seco.] o professor pode fazer uma o percloroetileno e os outros 2003). licenciada e mestre em como cidadão (Brasil. p. 2002). DF – BR. procurando sempre integrar os processos tura não são suficientes para dar continuidade à combustão químicos com suas implicações ambientais. dentre outras. DF – BR.. a seco menos impactantes ambientalmente. FEVEREIRO 2013 Lavagem a seco .Ainda dentro dessa abordagem. explicações sobre a para regular esse tipo de atividade.br). pactos causados pelos solventes utilizados hoje na limpeza 2 . uma questão pode ser no processo ensino-aprendizagem de ciências. Na perspectiva de se minimizar os immolecular é C10H16. que.Nome oficial: 2. para retirar as sujeiras mais polares das Tais pesquisas procuram desenvolver não só o maquinário roupas. e as sujeiras envolvidas nas roupas para escolher a melhor como ainda são hoje algumas lavanderias a seco. os alunos poderão compreender por para a saúde daqueles que trabalham diariamente com esses que utilizar a lavagem a seco para determinados tecidos em produtos.

the traditional way of washing the fabrics with soap and water do not achieve a high degree of cleanliness. Disponível em: <http://www. e MARONA.. C. M. H.). TAYLOR. W. A. Michigan.M.S. E.com. Ijuí: Ed. p. 3. 2001. São Paulo: s/n. Projetos integrados em sala de aula: ressignificação do processo de aprendizagem por meio de uma abordagem CTS. LUFTI. 121-132. A.P. D. e BROWN. v. 2. C. 1996. São Paulo: E. Chemosphere.unb. SAEZ.A. Brasília. F. MARLOWA. J.A. 35. such as dry cleaning. v. e BOESE. M.. D.. p.E.C. Polifosfatos em detergentes em pó comerciais. Electrochemical degradation of perchloroethylene in aqueous media: an approach to different strategies. BONETEB. Thermal decomposition of tetrachloroethylene. Máquinas de lavanderia deverão ser adaptadas para diminuir exposição ao tetracloroeteno. 39.U. 8. WHO. e POLK. 1543-1547. J. R.A. tendências e resultados de pesquisa. 96f. 2. MIOTTO. n. FORRESTER.uol. v. Dossiê técnico: fabricação de produtos de higiene pessoal. 5. DENBOW. SUTILI.S.B.L. 2009. Teorias de aprendizagem.. W. p.L. CTS e educação científica: desafios. BRASIL.umich. Brasília: Ministério da Saúde. Sometimes. 31. 4. p.C. Disponível em <http://www. A. W.F. Química Nova na Escola. CARDOSO. e AFONSO. FEVEREIRO 2013 . TORAASON. H. 1993. N° 1. Nova. Currículo da educação básica das escolas públicas do Distrito Federal: ensino médio. Mortality in dry-cleaning workers: an update. p.D. 2169-2178. MATHIAS. D. RUDER. LAGO. V. A. Acesso em: 10 jul. P. OLIVEIRA. V.. R. BOCCHI. E.E. e WEY. 2005. MACHADO. RIGOTI.cdt. E. and race on oxidative DNA damage in female dry cleaners. C. MOTTA. Rio de Janeiro. n. Nova York. Acesso em: 21 jul. Water Research. 32. WARD. linked to the social. SALGADO. 11-18. MOREIRA. o mito do combustível limpo.L. Quím.. ASHLEY. 2009.L. 2002. 43. D..C. smoking. MACHADO. which allows the significance of the chemistry teaching with the prospect to change the way of thinking and acting. Monografia (Graduação) – Instituto de Química. New York: Oxford University Press. Acesso em: 21 jul. Universidade de Brasília. N. e LUHRING. 1999.br/gerenciamento-de-riscos/analisede-risco-tecnologico/28-liquidos-inflamaveis. Biocombustível. Paris: 2001. P. 2011.N. acessada Julho 2011.. J. Unijuí.H. which is consistent with an approach of environmental education. L. environmental. Brasília: Subsecretaria de Educação Pública. O lixo eletrônico: uma abordagem para o ensino fundamental e médio.nextch.. A. 2003. QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Lavagem a seco Vol. optical brighteners agents.br>.D.. Green chemistry using liquid and supercritical carbon dioxide. 2009.P. Z. depending on the nature of the dirt. e PENHA. Unijuí. RUDER. Disponível em: <http:// www. Ijuí: Ed. KLEIN. Fatos científicos a respeito do produto químico para lavagem a seco tetracloroeteno. Ensinando a química do efeito estufa no ensino médio: possibilidades e limites. environmental education.br/lavagem-a-seco8. 2001. O. e MALDANER. MARKS. M. LEVINE.F. A. e BIAGGIO. Quím. Aplicação de zeólitas sintéticas como coadjuvante em formulação detergente.. p.gov. 2008. Nova. N.. Pilhas e baterias: funcionamento e impacto ambiental. economic and political issues. 2003.. DOW. 15. n.. Os ferrados e os cromados: produção social e apropriação privada do conhecimento químico. e AULER..L.Referências ANVISA. 2000. Disponível em: <http://casa. Abstract: Dry Cleaning. São Paulo. 395-415.M.R. NEMSICK. LOHMAN. 35-58. n. SILVA.K. e QUADROS.O. 1998. p. 2009. BLACKLER. GOMES. 2008.P. Environmental Forensics. BORGES. D. A comparative analysis of tetracloroeteno dry cleaning and an alternative wet cleaning process. 2008. L.cetesb.P. CARDEAL. 268-274. Disponível em: <http://www. S. S. M.N. Nova.K.. F.. (Orgs. Salvador: CRA. Nova. Para saber mais ELECTROLUX. W.L. e PEREIRA.... Journal of Chemical Education. Acesso em 20 jul. 9-18. http://www. W. stain removers.J. e OLIVEIRA. Mutation Research.T. In: SANTOS. 2009. 2002. 32. M.edu/nppcpub/resources/ tetracloroetenoexecsum. SCHUTT. Inserção da educação ambiental no ensino médio: uma proposta para discussão do tema lavagem a seco no contexto escolar. Quím.A. São Paulo. PERGHER. n.A. 1992. Quím. v. KRIEG.C. E. KAMRIN.pdf>. FERRACIN. 2004. 24. 2004. C. DESIMONE. M. Disponível em: <http://www.M..C. This fact.. Effect of perchloroethylene. n. Quím. 2001. has generated the need to develop new methods of cleaning. L. n. perchloroethylene.L. 2009. R. 1507-1512. e TUMAS. 2007. n.L. BUTLER. Keywords: Dry Cleaning. BORGES. ed. E.R.M. 2009. K. E.L. P. n. 2a. CHEEVER. N. 4. ed.. J.. v. Série Cadernos de Referência Ambiental.html>.gov. Secretaria do Estado de Educação.L. added to others such as the deformation and the discoloration of the fabrics. LOBATO. Um guia básico para a lavagem a seco. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CUIDADOS TÊXTEIS MODERNOS. v. E. Lagoon woolmark da Electrolux laundry systems. Guidelines for drinking-water quality: health criteria and other supporting information. 539. D. over the years. J. This paper presents a contemporary theme. Geneva: World Health Organization.M. R. 77. e GONZÁLEZ-GARCÍA.. YASUHARA. 2000. 2010.sp. 28.htm>. C. p. L. 231-258.. Ensino de 18 química em foco.anvisa. 11. K. hsw.com.E.br/telecentros/files/dossie_higiene. n. n.G. 2009. P. Mudanças mundiais em solvente e maquinário oferecem novas possibilidades para limpadores a seco inovadores.Como funciona a lavagem a seco. In: SANTOS. HJERESEN. Coleção Educação Química.L. A history of dry cleaners and sources of solvent releases from dry cleaning equipment. 2010. HowStuffWorks . FRÍAS-FERRER.M. Nova. Acesso em: 13 maio 2012. ed. P. A. more efficient detergents etc. p. K.D. e TUNES. p. Experimentar sem medo de errar.org>. 12. American Journal of Industrial Medicine. 2009. Cleaning clothes is a very old domestic activity and. Informações gerais e ecotoxicológicas de solventes clorados.acsh.M.R.br>. e DUSO. n. 4. VICENTEB.. this practice has been facilitated and enhanced by the use of washing machines.R. R. OSÓRIO. Green chemistry and education. Brasília: Editora UnB..