Você está na página 1de 59

Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof.

Fernando Pestana – Aula 00

AULA 00: DEMONSTRATIVA
1234SUMÁRIO RESUMIDO Apresentação Conteúdo Programático + Cronograma Questões da FCC Gabarito Comentado PÁGINA 01 03 04 38

Apresentação
Salve, salve, meus alunos inquietos! Grande satisfação é estar em uma equipe que preza a excelência em materiais didáticos voltados para pessoas que aspiram a um cargo público de alto nível. Fui convidado pelos coordenadores do Estratégia Concursos para elaborar uma obra que irá revolucionar o que há de melhor em cursos em PDF. Você está tendo a oportunidade de ter contato com um material realmente inédito voltado para a prova de Agente Fiscal de Rendas de SP, preparada por uma banca tranquila (minha humilde opinião, rs), mas, normalmente, gramatiqueira. Na prova de Português que você irá fazer, há no máximo cinco textos (chegando até 30 questões). Isso ocorre porque a FCC trabalha com uma gramática textual, ou seja, conhecimentos gramaticais aplicados à produção e compreensão de um texto. Mas fique calmo, não há mistérios. Se você souber bem a gramática da Língua Portuguesa... só alegria. ☺ À medida que eu começar a explanação, verá que a prova é muito bem elaborada. Entretanto, não duvide de que você vai sair deste curso na “ponta dos cascos”! Vou fazer de tudo para que a vaga seja sua! Quero que, em Gramática e Interpretação, você fique tão seguro quanto eu, professor de Língua portuguesa. Não guardarei nenhum segredo de que você precisa tomar conhecimento para adquirir confiança suficiente em acertar as questões da FCC. Confie em mim! Você não precisará ter trabalho algum de cavoucar as provas nem de fazer mirabolantes organizações de estudo. Farei tudo isso por você. Seu trabalho será apenas ler com calma as questões comentadas, afinal estamos aqui para isto: fazer você enxergar o que cai realmente na sua prova. Não pense que sairá formado em Letras daqui, mas garanto que nada na prova de Português da FCC será surpresa para você. Consequentemente, se você fizer sua parte, os cobiçados $$$$$$$$ estarão em suas mãos.
Prof. Fernando Pestana

www.estrategiaconcursos.com.br

1 de 59

Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. Fernando Pestana – Aula 00 Adoro ser portador de boas notícias. E como estou “pipocando” de felicidade e sei que você também está, só tenho uma coisa a lhe dizer: ESTUDE, ESTUDE MUITO ESTE MATERIAL COMPLETO! Dessa vez a vaga é sua, e ela não vai mais escapar. Mentalize isso! Meu/minha nobre, fiquei tão empolgado com tudo isso que nem me apresentei ainda (rs). Bem, vamos lá: meu nome é Fernando Pestana, mas todos me conhecem mesmo como Pestana só. Fique à vontade, chamem-me do que quiser, só não vale xingar, hein. Sou formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em Português-Literaturas. Leciono desde os 18 anos de idade, ou seja, há mais de 10 anos. Quando me perguntam o que faço da vida, costumo dizer que estudo a Língua Portuguesa, pois sou um aficionado pelas gramáticas normativas e descritivas — tenho mais de 50 gramáticas (desde antiquíssimas (de Julio Ribeiro - 1910) a novíssimas (de José Carlos de Azeredo - 2010)). O que mais posso dizer de mim? No Rio de Janeiro, leciono nos principais cursos pré-militares, pré-vestibulares e de concursos públicos, além de escrever artigos para o site parceiro do Estratégia: www.euvoupassar.com.br. Estudei com os grandes mestres e mestras da UFRJ, além de ter feito a prova (e passado!) para o curso de pósgraduação no Liceu Literário Português, com o ilustre mestre Evanildo Bechara. Sensacional! Bem... assim como domino o corriqueiro conteúdo das provas elaboradas pelas principais bancas de concursos públicos (CESGRANRIO, CESPE/UnB, ESAF, FGV, FUJB/UFRJ, VUNESP...), conheço igualmente o das provas preparadas pela FCC, as quais apresentam normalmente 15 questões objetivas baseadas em textos, normalmente, dissertativos argumentativos ou expositivos. Os enunciados são extremamente objetivos e os conhecimentos gramaticais, geralmente, têm maior relevo que a intelecção textual. Fica ligado nisso! Bem, já estou ficando inquieto, e vou terminando aqui a apresentação, dizendo que minha função na Terra é ajudar-te a conseguir o que quer. Para isso, conte comigo:
fernandopest@yahoo.com.br fernandopestana@estrategiaconcursos.com.br.

Desde já, desejo toda a felicidade do mundo para você!

Prof. Fernando Pestana

www.estrategiaconcursos.com.br

2 de 59

Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. Fernando Pestana – Aula 00

Conteúdo Programático + Cronograma
A FCC é previsível nas questões, portanto não tema o que vem pela frente. Qualquer dúvida, não hesite em enviar um e-mail. Meu objetivo é facilitar maximamente sua vida! Chega de papinho. O conteúdo retirado do edital é este (com o cronograma): Aula 00 (15/04): Intelecção de textos. Tipologia textual. Aula 01 (25/04): Ortografia oficial. Acentuação gráfica. Aula 02 (05/05): Flexão nominal e verbal. Emprego de tempos e modos verbais. Vozes do verbo. Aula 03 (15/05): Pronomes: colocação. emprego, formas de tratamento e

Aula 04 (25/05): Sintaxe da oração e do período. Aula 05 (05/06): Pontuação. Aula 06 (15/06): Concordância nominal e verbal. Aula 07 (25/06): Regência nominal e verbal. Crase. Aula 08 (05/07): Redação (confronto e reconhecimento de frases corretas e incorretas)* Fique tranquilo, meu aluno, pois vou pontuar exatamente aquilo de que você precisa ao longo deste curso. Serei mais amplo num e noutro momento, mas sempre chamando a atenção para o que realmente importa. Espero com grande ansiedade que você, depois destas aulas, consiga a sua tão almejada vaga, pois, parafraseando nada mais, nada menos que Paulo Freire, nossa etérea missão é não desistir de ensinar, uma vez que, se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela, tampouco, a sociedade muda. É a hora do “vamos ver”! Abaixo seguem 50 questões (ou mais). Normalmente excedo este número, porque sei de sua necessidade. Aproveite!

Prof. Fernando Pestana

www.estrategiaconcursos.com.br

3 de 59

Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. Fernando Pestana – Aula 00

Questões da FCC sobre Compreensão e Interpretação de texto e Tipologia textual
Quando se fala em compreensão e interpretação de textos na FCC, saiba que as questões vinculadas aos textos quase sempre (99%) encontram respaldo nele. Portanto, você verá nos meus comentários que usualmente me valho de partes do texto para embasar a alternativa correta. Fique esperto quanto a isso. Quanto à tipologia textual, relembro que os textos da FCC são normalmente do tipo dissertativo argumentativo. Só às vezes nos esbarramos com a narração e a descrição. Ok? Procurei adaptar os textos e enunciados das provas ao novo acordo ortográfico. Espero que o Word não me tenha dado uma pernada, pois ele ainda não aprendeu direitinho o novo acordo (sorte a dele). Fique tranquilo, entretanto (ah! sem trema!). Bastante calma na resolução das questões abaixo, ok? Siga este roteiro de leitura de um texto, a fim de bem interpretar: 1) Dê uma primeira lida descompromissada e breve para tomar conhecimento do texto. 2) Releia com calma sublinhando as palavras e frases que você considera mais importantes (a CADA parágrafo) 3) Faça um resumo pequeno ao lado de cada parágrafo daquilo que você leu. 4) Tente correlacionar as ideias presentes no primeiro parágrafo (introdução) e no último parágrafo (conclusão), pois, normalmente, as ideais se encontram, havendo reiteração. 5) Busque nos parágrafos do meio as frases mais importantes que estejam sendo usadas como argumento. Isso o ajudará a entender melhor a maioria dos textos da FCC. Ah, quero deixar claro que estou inteiramente à disposição para atender suas dúvidas, demandas e sugestões. Caso haja uma necessidade de entrar em contato comigo, faça-o pelo meu e-mail pessoal ou profissional:
fernandopest@yahoo.com.br ou fernandopestana@estrategiaconcursos.com.br

Uma dica de amigo: as últimas dez questões são bem difíceis (comentei as recentes do ISS/SP, TRE/SP, TCE/SP). Faça-as com calma. Se acertar cinco, considere-se aprovado! ☺

Prof. Fernando Pestana

www.estrategiaconcursos.com.br

4 de 59

Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. Fernando Pestana – Aula 00 Vamos nessa!

FCC – TRE-SP – ANALISTA - 2004 Fundos para a Ciência É correta a disposição do novo ministro da Ciência e Tecnologia, Eduardo Campos, de abandonar os planos de seu antecessor para descentralizar os recursos investidos na área. Não se trata de ser contra a descentralização como conceito. A ideia de diminuir a excessiva concentração de laboratórios e institutos de pesquisa nos Estados mais ricos do país é uma meta a ser perseguida. A questão é um pouco mais complexa. O ponto de partida deve ser a constatação de que fazer ciência de qualidade é um processo caro e de que os recursos disponíveis não são infinitos – muito pelo contrário, são escassos. Distribuir pouco dinheiro a muitos centros pode equivaler a desperdiçar toda a verba. A alternativa que se impõe é fazer dotações que possibilitem pesquisas consistentes e destiná-las a grupos capazes de colher bons resultados. A pulverização das verbas pode atender a interesses populistas de políticos, mas está longe de representar uma forma minimamente racional de investir em ciência e tecnologia. Mesmo sem fragmentar demais as verbas, é possível buscar a tão almejada descentralização. Um exemplo é o planejado Instituto de Neurociências de Natal, que aos poucos começa a sair do papel. Trata-se de projeto de pesquisadores brasileiros – que desenvolvem ciência de ponta nos EUA – de criar no Rio Grande do Norte um centro de excelência internacional em pesquisas neurológicas. O instituto, embora ainda não tenha oficialmente nascido, já conta com terreno, alguma verba federal e, principalmente, a massa crítica proporcionada por cientistas de primeira linha, o que faz diferença. Se todo investimento em ciência é uma aposta, cabe ao poder público colocar suas fichas em projetos com maior possibilidade de oferecer retorno. Se há uma combinação nefasta, é a do populismo com a ciência. (Folha de S. Paulo, editorial, 13/03/04) 1. A opinião defendida nesse editorial (A) diz respeito à necessidade de uma maior integração entre institutos de pesquisa privados e públicos para melhor desenvolvimento de tecnologia de ponta.

Prof. Fernando Pestana

www.estrategiaconcursos.com.br

5 de 59

Considerando-se o que diz o texto. II e III. os políticos continuarão a tomar iniciativas de caráter populista.br 6 de 59 . O exemplo do nascente Instituto de Neurociências de Natal é tomado como argumento em favor da necessidade de uma bem planejada e criteriosa descentralização. com vistas a um maior desenvolvimento da tecnologia nacional. Fernando Pestana www. 2. (C))II e III. (C) A pulverização das verbas pode atender a interesses populistas de políticos tem o sentido de compromissos populares. de recursos destinados ao desenvolvimento da ciência e da tecnologia. III. somente. somente. (B) I e II.com. a frase para descentralizar os recursos investidos na área pode indicar a meta do novo ministro da Ciência e da Tecnologia. destinando-as à pesquisa competente. por parte do novo ministro do setor.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. FCC . somente. somente.TRE-SP – ANALISTA – 2006 Prof.. que ofereça retorno. como é o caso. sem a necessária descentralização dos recursos para a área de ciência e de tecnologia. Fernando Pestana – Aula 00 (B) é a de que é preciso lutar por uma suplementação de recursos orçamentários. A opinião de que distribuir pouco dinheiro a muitos centros pode equivaler a desperdiçar toda a verba é uma crítica à política a ser adotada pelo novo ministro da Ciência e da Tecnologia. 3.. (E) é a de que. (D) (. Numa primeira leitura.estrategiaconcursos. e não a do anterior. (D) diz respeito à necessidade de bem administrar as parcas verbas para a ciência e a tecnologia. II. (B) Distribuir pouco dinheiro a muitos centros pode equivaler a desperdiçar toda a verba constitui um paradoxo. O elemento sublinhado na frase (A) É correta a disposição (. (D) I e III.. (E) Não se trata de ser contra a descentralização como conceito tem o sentido de em tese.. Atente para as seguintes afirmações: I. está correto o que se afirma em (A) I.) de abandonar os planos de seu antecessor para descentralizar os recursos investidos na área expressa uma causalidade.) cabe ao poder público colocar suas fichas em projetos com maior possibilidade de oferecer retorno tem o sentido de ir de encontro a. (E) III. (C) é a de que está havendo excessiva descentralização.

os homens imaginaram que seria possível construir uma utopia em que todos teriam acesso a tudo: todos. Os seres humanos dispõem de uma variedade de bens e serviços inimagináveis até há bem pouco tempo. na luta pela abolição da escravidão. ampliaram o tempo livre a ser usufruído e ainda oferecem a possibilidade de realizar sonhos de consumo. 2001. e uma parcela considerável da humanidade ficou excluída dos benefícios. Joaquim Nabuco procurava encarar o processo social sob três óticas: a moral. A exclusão deixou de ser vista como uma etapa a ser superada: é um estado ao qual bilhões de seres humanos – os excluídos da modernidade – estão condenados. 188 e 328) 4.br 7 de 59 . tanto entre os capitalistas mais liberais quanto entre os socialistas mais ortodoxos.com. pp. Prof. que aumentaram substancialmente a esperança de vida. A afirmação acima. pelas mudanças sociais. é urgente retomar essa visão triangular. Paulo: Geração Editorial. Mas a história social não cumpriu a parte que lhe cabia no acordo. (D) desmente a afirmação anterior de que a humanidade vem dominando mais e mais as forças da natureza. (Cristovam Buarque. Fernando Pestana www. No século XX. por causa dos avanços técnicos. (C) confirma a afirmação anterior de que os homens estão sendo capazes de construir uma utopia acessível a todos. (A) desmente a afirmação anterior de que estariam ocorrendo avanços técnicos significativos ao longo do século XX. Fernando Pestana – Aula 00 Exclusão social A humanidade tem dominado a natureza a fim de tornar a vida cada vez mais longa e mais cômoda. Neste início de século. Admirável mundo atual. se se deseja superar a barbárie da exclusão. Graças à combinação dessas duas tendências. muitos chegaram a marcar o ano 2000 como a data da inauguração dessa utopia. Neste início de século. a social e a econômica. é analisado do ponto de vista econômico.estrategiaconcursos. ignorando-se ou relegando-se a um segundo plano os aspectos sociais e os éticos. S. vemos que a técnica superou as expectativas. Essas vantagens se expandiram para um número crescente de seres humanos.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. que abre o segundo parágrafo do texto. Na modernidade técnica. o processo social. Já no século XIX. (B) expande a afirmação anterior de que muitas vantagens tecnológicas estariam atingindo um número crescente de seres humanos. a tudo. Ainda mais grave: o avanço técnico correu a uma velocidade tão grande que passou a aumentar a desigualdade e a ameaçar a estabilidade ecológica do planeta. (E) expande a afirmação anterior de que as mudanças sociais estariam beneficiando um número crescente de seres humanos. numa demonstração de arrogância. Mais de um século passado. vemos que a técnica superou as expectativas.

(D) a proposição de uma nova era tecnológica a partir do ano de 2000.. como as da antiga Atenas. no terceiro parágrafo. Com a frase a exclusão deixou de ser vista como uma etapa a ser superada. o autor do texto deseja demonstrar que (A))é antiga a luta para que a inclusão social dos oprimidos se dê do modo mais abrangente possível. 6. meus sonhos mais altos.. uma ampla inclusão social.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. muitas mulheres.. Considere as seguintes afirmações: I. . (D) . propunha-se a enfrentar a barbárie do desequilíbrio ecológico do planeta. Fernando Pestana – Aula 00 5. (D) são antigas as lutas pela abolição do trabalho forçado. (B) uma melhor expectativa de vida.... Considerando-se o contexto. (E) a confiança presunçosa no domínio absoluto do homem sobre a natureza. o atrevido. No primeiro parágrafo. Fernando Pestana www. enfim. 7.. A expressão relegando-se a um segundo plano. desisti definitivamente de ir trabalhar no exterior. o autor denuncia o processo de exclusão. vivem por seus maridos e filhos.br 8 de 59 .. 8... (D) I e II. III. (E) II e III. o autor deixa claro que houve. (B) vem de longe a idéia de que o progresso tecnológico encaminha a solução das questões sociais... caracterizadas pela plena confiança nas vantagens da tecnologia. Com a frase a história social não cumpriu a parte que lhe cabia no acordo... fingindo passarse por ele.. (C) aquele escritor. (B) O diretor da empresa surpreendeu seu assessor . (E) vem de longe a idéia de que a exclusão social só ocorre quando o avanço tecnológico é pouco relevante. (B) II.. II. Na expressão todos teriam acesso a tudo. e imaginou outras. (C) Ele percebeu que as metas traçadas eram ambiciosas demais. já no século XIX.com.. preencherá adequadamente a lacuna da frase: (A) Passei a me dedicar ainda mais a ela e.. independente do estágio da ciência. (C) o desfrute plenamente socializado das conquistas tecnológicas. a utopia de que trata o autor teria como característica essencial (A) o acesso de muitos homens aos benefícios práticos da tecnologia. aquelas que de fato não poderia cumprir. o autor dá ênfase ao que há de absoluto nas pretensões dos criadores da referida utopia.. (C) III. utilizada no terceiro parágrafo.. Ao se referir ao escritor Joaquim Nabuco. Prof.. está correto o que se afirma SOMENTE em (A) I.estrategiaconcursos. . .

a tristeza nos ajuda a sobreviver. . Sem dúvida. FCC – TRE-SP – TÉCNICO – 2006 Texto I É melhor ser alegre que ser triste. vivências. uma das piores sensações da nossa existência.. seu pudor. De saber o que queremos. melancolia ou coração apertado. entoando em rima e em prosa que tristeza não tem fim. uma volta para nós mesmos. alegre e até os cachorros parecem sorrir o tempo inteiro. muita gente chora ao ouvir esses versos porque eles tocam num ponto nevrálgico da vida humana: os sentimentos. E somente com essa clareza de dados é que podemos buscar atividades que nos dão prazer. em que são liberados hormônios cerebrais responsáveis por angústia. Especialistas.. perfeita. fica difícil esquecer . funciona mais ou menos assim: parece bonita apenas nas músicas. Se passamos o dia entre esses pólos de flutuação. E se não Prof. porque se não sentíssemos medo.e ainda mais suportar. memórias. como a perda de um emprego ou de um amor. É fato: ser feliz o tempo todo está virando uma obrigação a ponto de causar angústia. ninguém a quer ver. Na vida real. poderíamos nos atirar de um penhasco. Já a felicidade.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. No caso de tristeza.. é bom não levar tão a sério os comerciais de margarina em que a família é linda. Sim. Até hoje.com. Fernando Pestana – Aula 00 (E) Há muita gente que. sim. É uma resposta natural a situações de perdas ou frustrações. uma possibilidade de nos conhecermos melhor. que nos fazem felizes. não hesita em proclamar bem alto suas supostas virtudes. O poeta ia mais longe.estrategiaconcursos. afirma o médico psiquiatra Ricardo Moreno. é necessário à condição humana. ou externos. no entanto. A tristeza. do que gostamos. Não se trata de uma emoção. “A tristeza é uma resposta que faz parte de nossa forma de ser e de estar no mundo. que é uma resposta imediata a um estímulo. isto é.. afirmam que estar infeliz é mais do que natural. como recordações. Tristeza é um sentimento que responde a estímulos internos. E quando tais sentimentos provocam algum tipo de dor.br 9 de 59 . antes de manifestá-la. já dizia Vinícius de Moraes. Assim como a dor e o medo. Fernando Pestana www. Passamos o dia flutuando entre pólos de alegria e infelicidade”. A tristeza é um dos raros momentos que nos permite reflexão. nosso organismo elabora e amadurece a emoção.. ninguém gosta dela. Vivemos numa época em que a felicidade constante é praticamente um dever de todos.

sentimentos permanentes da vida. 18-20) Sgarioni. b) Sentimentos de felicidade e de tristeza. apóia-se em descobertas recentes sobre os sentimentos humanos.com. inerente à condição humana. Historicamente baseado na agricultura e na indústria. portanto. e) A tristeza constitui um sentimento que propicia ao ser humano maior consciência de si próprio e de seus anseios. a Região Sudeste ainda responde por mais da metade do PIB nacional. a região está se sofisticando e se especializando na prestação de serviços. por isso peças de publicidade enfatizam os momentos mais agradáveis da vida familiar. c) A televisão. provocam. sensação de dor nas pessoas. sendo.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. o Sudeste está rapidamente descortinando sua vocação para os serviços. Texto II Apesar da queda relativa. ao mostrar situações familiares de felicidade completa. sim. d) Tristeza e felicidade. como o organismo poderia nos avisar de que algo não vai bem? (Adaptado de Mariana Superinteressante. embora sejam opostos entre si. mas a felicidade.estrategiaconcursos. d) O choro causado pelos versos de uma música bem triste ensina as pessoas a suportarem melhor as grandes frustrações da vida real. ambos. mas responde por cerca de um terço da riqueza produzida no País. são os temas preferidos de poetas e músicos.Identifica-se a ideia principal do texto em: a) poetas convivem com sentimentos negativos. a área financeira e todos os tipos de serviços – já é majoritário nos quatro Estados da Região. O chamado setor terciário – que engloba o comércio. em seu dia-a-dia. e) O ideal que todos devem buscar.A afirmativa correta de acordo com o texto é: a) Vinicius de Moraes tinha toda a razão quando escreveu que tristeza não tem fim. porque são incapazes de perceber os momentos felizes que ocorrem normalmente no cotidiano das pessoas. Fernando Pestana www. tecnologia e Prof. como a tristeza. O Estado de São Paulo apresentou a maior queda relativa nos últimos anos. Segundo o professor de economia da Universidade de São Paulo. 9. 10. por isso utilizados atualmente por publicitários. O Sudeste está se transformando numa referência na América Latina nas áreas de saúde. Fernando Pestana – Aula 00 tivéssemos dor. p. Carlos Azzoni. educação. b) Felicidade corresponde a uma forma ideal de vida. Emoção & Inteligência. c) Tristeza é um sentimento natural de reação a situações de frustração.br 10 de 59 . deve ser o de se sentirem constantemente alegres e felizes.

mas precisa investir em culturas extensivas para garantir a competitividade. que já se tornou o mais significativo em toda a Região. mão-de-obra qualificada e custos reduzidos em relação aos grandes centros. Fernando Pestana – Aula 00 sofisticado deve permanecer Para o mercado de trabalho.com. o Sudeste avança pelo setor terciário. considerando o contexto. para escoar a produção agrícola específica e recuperar a queda do PIB. em relação aos da Região Sudeste. Paulo. (B) As distâncias entre centros produtores e respectivos consumidores justificam a queda relativa do PIB na Região Sudeste. Alguns centros no interior de São Paulo e Minas Gerais têm força equivalente à de capitais de Estados menores. (Adaptado de Karla Terra. Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. (D) A queda relativa do PIB na Região Sudeste desperta interesse mais voltado para a agricultura. que a Região Sudeste (A) perdeu consideravelmente sua importância na área agroindustrial. com novas oportunidades de trabalho.informática. a laranja e as flores. como a cana-deaçúcar. com a interiorização do desenvolvimento econômico. O Estado de S. com a interiorização dos serviços.estrategiaconcursos.br 11 de 59 . Fernando Pestana www. especialmente na área de serviços. O setor financeiro mais concentrado na região por longos anos. além do mercado. Embora as facilidades logísticas desobriguem as empresas de produzir junto ao mercado. a força de consumo do Sudeste ainda cria muitas oportunidades. por seus custos Prof. A tendência será concentrar a produção em culturas com maior produtividade que se encaixam nesse perfil. Por isso. com a produção de alguns itens diferenciados. (B) deve ampliar sua força de consumo no mercado interno. (D) sofreu queda no PIB em consequência do afastamento de muitas empresas. ampliam oportunidades de trabalho. 11 de dezembro de 2005) 11. É correto afirmar. Novo mapa do Brasil. (E) concentra sua economia em cidades menores. por ser um setor que se desenvolve necessariamente junto aos grandes mercados. da qual as empresas dependem cada vez mais. Outra aposta recorrente está na área de logística e distribuição. que passaram a operar à distância do mercado consumidor. Essas cidades médias possuem. para torná-lo mais flexível. H2. 12. O texto está corretamente resumido da seguinte maneira: (A) A ausência de consumidores obriga o setor industrial a uma transformação no mercado de trabalho. A agricultura deverá manter sua força na Região. (C) representa papel de destaque na economia brasileira. segundo os especialistas. (E) De base historicamente agroindustrial. (C) Estados de extensão geográfica menor. a interiorização do desenvolvimento é uma tendência irreversível. a mudança da vocação regional significa a perda de vagas fixas e a abertura de muitas oportunidades de trabalho menos rígidas.

A cidadania compreende. o conceito de cidadania não se esgota no direito de eleger e de ser eleito para compor os órgãos estatais incumbidos de elaborar executar ou fazer cumprir as leis. além disso. Foi e continua sendo o grande diferencial na história evolutiva da humanidade. uma elaborada adaptação ao meio ambiente. Vê-se. Jornal dos Professores. a educação é apresentada como prioridade nos diferentes programas de candidatos a cargos executivos e legislativos. que os cidadãos participem nos negócios públicos – elegendo ou sendo eleitos como representantes do povo –. Em verdade. como é conveniente que os cidadãos tenham pelo menos boas noções de processo legislativo. em defesa do interesse comum. porque sempre foi não apenas a ferramenta essencial da construção da cultura e da civilização. de peticionar ou de representar aos poderes públicos. Fernando Pestana – Aula 00 reduzidos. como um dos fundamentos da República. (D) um conceito mais amplo de cidadania e das condições para exercê-la de uma forma eficaz e participativa. Prof. ao longo de incontáveis eras. especialmente nos períodos eleitorais.com. A educação. o que leva à perda relativa de sua importância na economia nacional. mas dos de toda a sociedade. é mais que o mero exercício do direito do voto. (C) como os candidatos a cargos executivos e legislativos devem participar efetivamente da ordem democrática. Por sua reconhecida importância estratégica para a vida das pessoas e do País. Ao contrário.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. por exemplo. cada vez mais. mas o instrumento supremo da sobrevivência humana e de sua evolução. que compete aos cidadãos (B) determinados princípios democráticos a que todos devem submeterse. o conceito de cidadania. julho de 2006) 13. Texto III Durante os períodos eleitorais. a cidadania exige. (Adaptado de Cláudio Fonseca.estrategiaconcursos. 7. no Estado Democrático de Direito.br 12 de 59 . Foi ela que permitiu aos homens. especialmente em relação ao exercício do direito do voto. o direito de apresentar projetos de lei diretamente às casas legislativas. p. não apenas em defesa de interesses próprios. é assunto de interesse público. A ideia central do texto consiste na discussão de (A) normas legais. pois. principalmente inter vindo no processo de elaboração e na fiscalização das leis. para saber como e quando devem nele intervir. No entanto. muito se fala do voto como expressão do exercício de cidadania. Fernando Pestana www.

mas pouco conseguiu investir em pesquisa polar depois disso. entre outros. Segundo o blog Science Insider. como programa básico de diferentes candidatos a cargos eletivos 14. a potência comunista construiu sete estações de pesquisa no continente. p. dezembro de 2010. Fernando Pestana www. 23) Prof. A escolha dos candidatos a cargos públicos.estrategiaconcursos.ANALISTA – 2011 Texto I De volta à Antártida A Rússia planeja lançar cinco novos navios de pesquisa polar como parte de um esforço de US$ 975 milhões para reafirmar a sua presença na Antártida na próxima década. da revista Science. mas salienta que o país tem de se posicionar para tirar vantagem dos recursos naturais caso haja um desmembramento territorial do continente. nas três décadas seguintes. um documento do governo estabelece uma agenda de prioridades para o continente gelado até 2020. Considerando-se o contexto. deve valorizar aqueles que se preocupam prioritariamente com a educação pública. Considere as afirmativas abaixo: I.com. O documento afirma que Moscou deve trabalhar com outras nações para preservar a “paz e a estabilidade” na Antártida. A primeira expedição da extinta União Soviética à Antártida aconteceu em 1955 e.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. após o colapso da União Soviética. para realizar estudos sobre mudanças climáticas. recursos pesqueiros e navegação por satélite. A Rússia herdou as estações em 1991. está correto o que se afirma SOMENTE em (A) I (B) II (C) III (D) I e II (E) II e III FCC – TRE-TO . O conceito de cidadania engloba participação ativa nos negócios públicos e ultrapassa o simples ato de votar nos dias de eleição. no 178. II. III. especialmente os que envolvem função legislativa. (Pesquisa Fapesp. Fernando Pestana – Aula 00 (E) uma educação pública de qualidade. A principal delas é a reconstrução de cinco estações de pesquisa na Antártida.br 13 de 59 . A evolução da humanidade só foi coroada de êxito a partir da definição e da aceitação de um conceito comum de educação.

Minha outra mulher teve uma educação rigorosa. II e III. onde todos se cumprimentam e ninguém nos conheça. Ao dizer que sua interlocutora parece uma moça digna apesar da origem humilde. apenas. vamos começar vida nova numa cidade antiga.estrategiaconcursos. escolherei a dedo seu guarda-roupa e livros sérios para você ler.br 14 de 59 . que a dignidade não costuma ser característica daqueles cuja origem é humilde. apenas. mas mesmo assim mamãe nunca entendeu por que eu escolhera justamente aquela. Cia. tem meigas mãos. II. a usar os diferentes talheres e copos de vinho etc. Sinto que você leva jeito porque é aplicada.com. não faz cara ruim nem quando me lava. Fernando Pestana www.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. (D) I e II. por contraste. Leite derramado. das Letras. Prof. p. apenas. 29) 16. A afirmação de que a outra mulher teve uma educação rigorosa é reafirmação. o narrador incorre numa evidente e insolúvel contradição. Fernando Pestana – Aula 00 15. o continente gelado = a Antártida II. a usar os diferentes talheres e copos de vinho. parece uma moça digna apesar da origem humilde. apenas. como ocorre em: I. Ao expressar o desejo de viver numa cidade onde todos se cumprimentam e ninguém nos conheça. apenas. Texto II Quando eu sair daqui. III e IV. a potência comunista = a União Soviética Atende corretamente ao enunciado da questão o que está em (A) I e III. o narrador sugere. em suma. apenas. (C) I e III. São Paulo. a revista Science = o blog Science Insider IV. (B) II e III. Moscou = a Rússia III. Leia atentamente as afirmações abaixo sobre o texto. (B) I e IV. Vou lhe ensinar a falar direito. apenas. III. II. (C) II e III. apenas. (E) II. 2009. Há exemplos de palavras ou expressões empregadas no texto para retomar outras já utilizadas sem repeti-las literalmente. I. de que aquela a quem o narrador se dirige não a teve. (Chico Buarque. (E) I. por meio da concessiva. II e IV. Está correto o que se afirma em (A) I. o que já estava implícito no propósito de lhe ensinar a falar direito. (D) I. entre tantas meninas de uma família distinta.

(D) entre outras coisas. Fernando Pestana – Aula 00 17. (C) critica a atração núbil para o dente daqueles que transformam o Natal em uma apologia ao consumo e se esquecem do seu caráter religioso. uma transformação. João Cabral (A) critica o egoísmo. (E) manifesta a esperança de que o Natal traga. . fresco como o pão do dia. João Cabral de Melo Neto 18. No poema. e manifesta o desejo de que na passagem do Natal as pessoas se tornem generosas e façam o sim comer o não.. e parece que vão enfim poder explodir suas sementes: que desta vez não perca esse caderno sua atração núbil para o dente. (D) observa com otimismo que o Natal é um momento de renovação em que os homens se transformam para melhor e fazem o ferro comer a ferrugem. (B) demonstra a sua aversão às festividades natalinas.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof.estrategiaconcursos. Fernando Pestana www. (E) cuidadosamente. (C) apontando. Texto III Cartão de Natal Pois que reinaugurando essa criança pensam os homens reinaugurar a sua vida e começar novo caderno. de fato. sem prejuízo para o sentido original. que o entusiasmo conserve vivas suas molas.br 15 de 59 ..com. (B) de modo incisivo. mas depois a rotina segue como sempre. seja possível começar novo caderno. pois nestes dias a aventura parece em ponto de vôo. escolherei a dedo seu guarda-roupa e livros sérios para você ler. pois que nestes dias a aventura parece em ponto de voo. Prof. por: (A) pessoalmente. e possa enfim o ferro comer a ferrugem o sim comer o não. A expressão grifada na frase acima pode ser substituída. e que. ao contrário de outros natais.

Fernando Pestana www. A intenção é a de que o filme contribua para a educação – e. mesmo quando salvas das mãos dos traficantes. será oferecido para estabelecimentos de ensino. Prof.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof.br 16 de 59 . Planeta. agora.estrategiaconcursos.com. as entrevistas e materiais pesquisados estarão disponíveis para pesquisadores que queiram se aprofundar no tema. 20. FCC – TRE-TO – TÉCNICO . Segundo o produtor Fábio Cavalheiro. especializada em resgates. A Agência Nacional de Cinema (Ancine) aprovou o projeto e. a saíra-preta. O assunto do texto está corretamente resumido em: (A) Um longa-metragem.2011 Texto I O documentário E Agora? pretende revelar detalhes do tráfico de aves silvestres no Brasil. as rotas do comércio ilegal e entrevistas com autoridades e representantes de ONGs. a araponga. O longa também se propõe a discutir outro problema: o fato de que. (O Estado de S. (E) manifesta desconfiança. Além da versão final editada para o cinema. por isso. que desta vez não perca esse caderno Com a frase acima o poeta (A) alude a uma impossibilidade. 21 de novembro de 2010) 21. (B) exprime um desejo. muitas aves não são reintroduzidas na natureza. A ONG SOS Fauna. (E) ferro e atração núbil. o tico-tico. o canário-da-terra. (C) demonstra estar confuso. o pixoxó. o longametragem apresentará cenas de flagrantes de tráfico. A30 Vida. Entre as espécies mais visadas pelos traficantes estão papagaios. (B) dente e entusiasmo. em forma de documentário. foi uma das orientadoras para a produção do filme. sabiás e bigodinho . o galode-campina. busca-se patrocínio. (C) caderno e vida. É correto perceber no poema uma equivalência entre (A) ferrugem e aventura. (D) sementes e pão do dia. e terá objetivos educativos. Paulo. Fernando Pestana – Aula 00 19. (D) revela sua hesitação. abordará o tráfico de aves silvestres no Brasil.

p. Texto II A bailarina A profissão de bufarinheiro está regulamentada. filme sobre tráfico de aves silvestres não atinge sua finalidade educativa. (C) algumas Organizações Não Governamentais estão se propondo a proteger aves silvestres capturadas e a preparar seu retorno à natureza. Que mulher! Sorria para mim como prometendo coisas. Até hoje não sei qual era o mágico: se o bufarinheiro. Procurei o bufarinheiro.estrategiaconcursos. e comprei dele um espelhinho que tinha no lado oposto a figura de uma bailarina nua. destinados às escolas brasileiras. coisas insignificantes.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. 2003. e provavelmente teria mudado de profissão. (D) o objetivo principal do documentário será oferecer subsídios a pesquisadores interessados em estudos sobre aves silvestres brasileiras. Contos plausíveis. Só que não sorria mais para mim. Fernando Pestana – Aula 00 (B) A Ancine deverá escolher e patrocinar a realização de alguns projetos de filmes educativos. e não sabia que coisas fossem. mas ainda não há patrocinador para sua produção. Fernando Pestana www. (C) ONGs voltadas para a proteção de aves silvestres buscam a realização de novos projetos. Rio de Janeiro: Nova Aguilar. O texto se desenvolve como (A) depoimento de uma criança sobre o espelhinho que tinha no lado oposto a figura de uma bailarina nua. Um dia quebrei o espelho. Passaram a vender sorvetes e sucos de fruta. como a de filmes educativos. contudo. Conheci o último bufarinheiro de verdade. (E) o projeto do documentário sobre o tráfico de aves silvestres já foi aprovado. por falta de bufarinhas*. * bufarinhas − mercadorias de pouco valor.br 17 de 59 .com. ninguém mais a exerce. (B) as discussões referentes aos diversos problemas que colocam em perigo as aves silvestres já estão em andamento na Ancine. que não estava mais na cidade. apesar dos constantes cuidados de ONGs destinadas à sua proteção. registrado em sua memória. mas a bailarina ficou intata. (E) Apesar das intenções didáticas. e são conhecidos como ambulantes. (D) Várias espécies de aves silvestres encontram-se em extinção. Era um cromo como outro qualquer.89) 23. Perturbava-me. (Carlos Drummond de Andrade. in Prosa Seleta. se o espelho. mas eu era pequeno. Prof. 22. O texto informa claramente que (A) o produtor do documentário sobre aves silvestres baseou-se em entrevistas com pesquisadores para desenvolver o roteiro do filme.

mal chegara aos 40 anos. Não fosse o romantismo. em que o autor relembra uma situação vivida quando era pequeno e reflete sobre ela. Foram os românticos. (E) ensaio de caráter filosófico. (E) No 1o parágrafo o autor constata mudança de hábitos na substituição das bufarinhas por sorvetes e sucos de fruta. Fagundes Varela com 34. embutidos nas pequenas coisas. Foram jovens. um cromo como outro qualquer. como no caso da figura da bailarina nua vendida a uma criança. que morrem como todo mundo. quebrado com o espelho partido. (D) relato de caráter pessoal. O Salão dos Poetas Românticos é também sinistro pois é de lá que sai o enterro dos imortais. Gonçalves Dias. à pomposidade do verso burilado. Casimiro de Abreu. na rosa e no verso. as praias selvagens. Casimiro morreu com 21 anos. os índios. (C) crítica a um tipo de vendedores que não se preocupa com valores morais. porém é possível entender seu sentido no decorrer do texto.br 18 de 59 .estrategiaconcursos. (D) Uma possível conclusão do texto é a de que a verdadeira mágica estava no encanto da criança. e antes deles os parnasianos. a partir de 1922. ficaríamos atrelados ao classicismo das arcádias. por referir-se a uma figura feminina que era. Os modernistas de 22. (Adaptado de 16/12/2010) Carlos Heitor Cony "Salão dos românticos". (B) Percebe-se. O mais velho de todos. certa nostalgia em relação aos bufarinheiros. o sabiá. as borboletas de asas azuis. (C) Bufarinheiro é uma palavra atualmente em desuso no idioma. que trouxe o Brasil para dentro de nossa literatura. É INCORRETO afirmar que: (A) A exclamação Que Mulher! cria uma incoerência no contexto. há um salão bonito. Texto III Na Academia Brasileira de Letras. na verdade. FSP. ainda que se destinem ao comércio de bufarinhas. mas um pouco sinistro. Gonçalves Dias. Fagundes Varela e Álvares de Azevedo. Sem falar nos poemas-piadas. em que o autor questiona o dilema diante de certos fatos da vida. Álvares de Azevedo com 22. decidiram avacalhar com essa turma de jovens. Castro Alves com 24. com bustos dos nossos principais românticos na poesia: Castro Alves. Prof. Fernando Pestana www. 24. a juriti − o cheiro e o gosto de nossa gente. que colocaram em nossas letras as palmeiras. Fernando Pestana – Aula 00 (B) discussão em torno da importância de certas profissões. que vendiam sonhos. É o Salão dos Poetas Românticos. apontado na dúvida final: Até hoje não sei qual era o mágico. na fala do contista. todos como vanguarda da vanguarda.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof.com.

− o cheiro e o gosto de nossa gente. por muito tempo restrito apenas à tela grande. ligados primeiro aos setores do espetáculo. (E) constatação dos inúmeros defeitos da produção literária modernista. do fato de a escola romântica ser considerada superior à parnasiana por esta última não ter sido produzida por jovens talentos..Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof.estrategiaconcursos. (B) produz efeito humorístico advindo do paradoxo causado por um jogo de palavras com os conceitos de mortalidade e imortalidade. E isso continua. Fernando Pestana www. que morrem como todo mundo. (E) explicação que complementa o termo imediatamente anterior. indo de fotos a pôsteres.. (D) reflexão a respeito do valor dos poetas românticos brasileiros. que teriam sido injustamente criticados por parnasianos e modernistas. é superior ao segundo. (D) opinião que sintetiza a ideia principal do parágrafo. . Mas alguns sinais já demonstravam que o sistema estava prestes a se espalhar e a invadir todos os domínios: imagens como as de Gandhi ou Che Guevara. absolutamente moderna: a estrela. (E) estabelece oposição à ideia de que o Salão dos Poetas Românticos teria algo de fúnebre. 27. (2o parágrafo) O segmento acima configura-se como (A) ressalva ao que foi afirmado antes. com o desenvolvimento das indústrias culturais. estendeu-se progressivamente. identifica-se (A) aceitação.com. pois é de lá que sai o enterro dos imortais. “mágica”. a outros domínios. do show business. mais ousado. Mas o sistema. anunciavam a Prof. criaram uma nova figura. pois são mortais como os demais escritores. e mais especificamente a do cinema. FCC – TRE-AP – ANALISTA – 2011 As indústrias culturais. (B) elogio à produção literária dos autores parnasianos. no mundo inteiro. (B) síntese valorativa da enumeração que o antecede. (C) causa dos fatos que foram apresentados. No 2º parágrafo. (D) repudia com sarcasmo o privilégio oferecido aos autores da Academia. (C) conclui que apenas os autores românticos merecem ser chamados de imortais. Depressa ela desempenhou um papel importante no sucesso de massa que o cinema alcançou. (final do texto) A frase acima (A) aponta a desvalorização dos escritores que já foram considerados os melhores do país. com ressalvas. Fernando Pestana – Aula 00 25. com base na falta de seriedade de seus autores. e conclusão de que o primeiro. da televisão. cujas obras clássicas teriam inspirado o modernismo de 22. (C) comparação do movimento de 22 com o romantismo.br 19 de 59 . 26.

de Gilles Lipovetsky e Jean Serroy. depois. (D) condenam a expansão do sistema que equivocadamente se constituiu no passado em torno da figura da estrela. do ícone único e insubstituível. trazendo consigo uma imagem de eternidade. Fernando Pestana www. Deslocamento progressivo que não é mais que o sinal de um novo triunfo da forma moda.81 a 83) 28. até na cozinha. passa-se a uma comunidade internacional de pessoas conhecidas. Uma cultura de celebridades: a universalização do estrelato. na religião. chega-se à vedete do momento. na filosofia. assim como de recordes de venda. na imprensa. às personalidades conhecidas. na literatura. de prêmios e listas dos mais populares. às “pessoas”. os quais negociam seus direitos por intermédio de agentes. perseguem a intimidade. “celebrizadas”. porque ele tornou obrigatória a figura intermediária do agente. In A cultura – mundo: resposta a uma sociedade desorientada. de fato. Da glória. São Paulo: Companhia das Letras.estrategiaconcursos. Todas as áreas da cultura valem-se de paradas de sucesso (hit-parades). No texto. segundo o sistema que prevalece nas indústrias do espetáculo. A própria literatura consagra escritores no mercado internacional. Trad: Maria Lúcia Machado. Em todo o domínio da cultura. na arte. tem-se uma economia do estrelato. com a rapidez de duas ou três décadas de hipermodernidade. (C) atribuem às estrelas do cinema a massificação dessa arte. sua expansão para todos os domínios. O que caracteriza o star-system em uma era hipermoderna é. contam os segredos. Fernando Pestana – Aula 00 planetarização de um sistema que o capitalismo de hiperconsumo hoje vê triunfar. passou-se às estrelas − forma ainda heroicizada pela sublimação de que eram portadoras − . em um sistema que permanece unicamente por força da atuação das atrizes de alta categoria. à figura fugidia da celebridade do dia. conseguindo tornar efêmeras e consumíveis as próprias estrelas da notoriedade. A extensão do star-system não se dá sem uma forma de banalização ou mesmo de degradação − da figura pura da estrela. um mercado do nome e do renome. p. (B) advogam o reconhecimento do papel exclusivo do cinema na criação e disseminação da figura da estrela. de frequência e de audiência destes últimos. 2011. própria dos homens ilustres da Antiguidade e que era como o horizonte resplandecente da grande cultura clássica. na ciência.com. assinalando como positivo o desempenho delas na constituição de sociedades modernas. das quais revistas especializadas divulgam as fotos. Prof. os autores (A) tecem elogios às indústrias culturais. (Adap. na política. dos mais vendidos (best-sellers).Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof.br 20 de 59 . às pessoas célebres.

Vale para ruas. Domicílios. FCC – TRE-AP – TÉCNICO – 2011 Texto I A França. de modo generalizante. manifestações artísticas ou procissões religiosas.br 21 de 59 .com. como o niqab (que deixa só os olhos à mostra) e a burca (que os mantém cobertos por uma tela). a proibição criminaliza o porte de indumentárias tradicionais em alguns grupos muçulmanos. parques. igualdade e fraternidade. a falta de critério na exposição da figura de um líder. (D) conferir dignidade à indústria cultural. A legislação adotada em 2010 entrou em vigor nesta semana e já motivou a aplicação de uma multa de cerca de R$ 340. demonstrando que essa indústria tem também a função de dar visibilidade à imagem de grandes líderes. na modernidade. Nesse grau de generalidade. veículos particulares e locais de culto ficam excetuados. berço da tríade de valores modernos de liberdade. práticas que na modernidade mais se associavam às indústrias do espetáculo.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. deu passo temerário ao proibir o uso. Trata-se de uma manifestação de intolerância difícil de reconciliar com os valores que a nação francesa veio a representar no mundo.estrategiaconcursos. por meio de particularização. a lei se aplicaria a qualquer acessório − como máscaras ou capacetes − que oculte o rosto. repartições. hospitais. sob o pretexto de que essa dissimulação pode favorecer comportamentos suscetíveis de perturbar a ordem pública. (E) demonstrar. Os autores referem-se a Gandhi ou Che Guevara com o objetivo de (A) insinuar que. Fernando Pestana www. em espaços públicos. (B) recriminar. "desde que se revistam de caráter tradicional". Fernando Pestana – Aula 00 (E) apontam a hipermodernidade como era que adota. delegacias e ginásios de esporte. escolas. a imagem independe do valor que efetivamente um homem representa. A lei interdita o uso de vestimentas que impeçam a identificação da pessoa. da televisão. que antes da era hipermoderna já havia sinais de que o starsystem invadiria todos os domínios. bibliotecas. em aparte irrelevante para a argumentação principal. 29. Prof. que acarreta o uso corriqueiro de sua imagem − numa foto ou pôster. (C) comprovar que o sistema associado à figura da estrela estava ligado aos setores do espetáculo. Na prática. A intenção de discriminar muçulmanas transparece quando se considera a exceção feita na lei: máscaras usadas no contexto de festas. do show business. de véus que cubram totalmente o rosto.

(B) identificação da pessoa (linha 14). visto que essa lei não preceitua nada que mereça séria consideração. No aproveitamento que o autor fez da ideia. na realidade. Decerto que em muitos casos o uso do véu é imposto pela família e pode ser um símbolo de sujeição da mulher. portanto. reconhece a França como origem de valores fundamentais. podem cobrir o rosto no Carnaval. A roupa e o uso de adereços − como crucifixos ou outros símbolos religiosos − deveriam ser considerados parte integrante do direito à expressão da personalidade. (E) Lugares públicos e privados. Muçulmanas. (Folha de S. (E) citar a legislação adotada em 2010 (linhas 10 e 11). que parece disposto a tudo para melhorar seus índices de popularidade. A imposição de multa. mas basta uma que o faça por vontade própria para que a lei resulte em violação de seus direitos. Opinião. (C) Datas religiosas e pagãs. 31. ao (A) referir-se a berço (linha 1). Vem a calhar para o presidente Nicolas Sarkozy. 13 de abril de 2011) 30. O argumento da obrigatoriedade de identificação é ponderável. ao mencionar modernos (linha 1). mas. A medida extrema só encontra explicação no sentimento xenófobo que se dissemina pela França. manifesta uma avaliação pessoal sobre a lei francesa. Fernando Pestana – Aula 00 Cristãos. critica o anacronismo da tríade (linha 1).Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. que ele considera nada dever à tradição francesa. inicia a argumentação que desabonará totalmente a lei que trata do uso de véus.estrategiaconcursos. parece abusiva. (D) Índices de popularidade de Nicolas Sarkozy. A própria legislação admite que a identidade seja confirmada em recinto policial. o grau de generalidade citado (linha 20) remete mais especificamente à não (A) citação do número da lei (linha 13). (B) falar em intolerância (linhas 4 e 5). no dia a dia. porém. Fernando Pestana www. (D) mencionar niqab e burca (linha 9).br 22 de 59 . O autor do editorial. O título que dá conta do assunto tratado com prioridade no texto é: (A) Privilégios dos cristãos. passando a fundamentar sua apreciação ao longo do texto. (C) caracterizar passo (linha 2). toma como ponto de referência a cultura europeia contemporânea. 32.com. Prof. (B) Intolerância à francesa. no Halloween ou em procissões. o que inclui a fé. defende que. essas indumentárias são símbolos dos crimes praticados por certos grupos muçulmanos. não − ainda que a peça seja de uso tradicional.Paulo.

desaparecido por volta de 1746. (D) A imposição de multa.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. e o célebre dodô da ilha Maurício. visto pela última vez na década de 1790. (D) (linhas 14 e 15) sob o pretexto de que essa dissimulação / com a alegação de que essa ocultação.... com um bico grande Prof. FCC – TRE-RN – ANALISTA – 2011 Nas ilhas Mascarenhas − Maurício. no oceano Índico. 33. localizadas a leste de Madagáscar. muitas espécies de pássaros desapareceram como resultado direto ou indireto da atividade humana. 34. berço da tríade de valores modernos de liberdade.. parece abusiva.com. O segmento que expressa ponto de vista normativo por parte do editorialista é: (A) A França. (B) (linhas 5 e 6) valores que a nação francesa veio a representar no mundo / qualidades francesas que poderiam se tornar símbolos mundiais. (E) (linhas 15 e 16) pode favorecer comportamentos suscetíveis de perturbar a ordem pública / favoreceria comportamentos passíveis de atentar contra regimes democráticos. (E) especificação de vestimentas (linha 13). com a morte de todas as espécies de uma família singular de pombos que não voavam − o solitário da ilha Rodriguez.. deu passo temerário.. (E) A roupa e o uso de adereços − como crucifixos ou outros símbolos religiosos − deveriam ser considerados parte integrante do direito à expressão da personalidade. porém. (C) A legislação adotada em 2010 entrou em vigor nesta semana. A expressão do texto que está corretamente entendida é: (A) (linhas 4 e 5) manifestação de intolerância difícil de reconciliar / forma de repressão que se manifesta pela dificuldade de conciliação com as pessoas..estrategiaconcursos. Fernando Pestana – Aula 00 (C) caracterização da forma como a lei interdita (linha 13). em cujo topo se alojava uma cabeça avantajada. Fernando Pestana www. o solitário da ilha Reunião. Reunião e Rodriguez −. Os volumosos dodôs pesavam mais de vinte quilos. (C) (linhas 7 e 8) a proibição criminaliza o porte de indumentárias tradicionais / a interdição acaba produzindo o crime de porte ilegal de indumentárias tradicionais. (D) definição do pretexto (linha 14).br 23 de 59 . encontrado pela última vez no início da década de 1680 e quase certamente extinto antes de 1690.. igualdade e fraternidade. Mas aquela que é o protótipo e a tataravó de todas as extinções também ocorreu nessa localidade. (B) Na prática. a proibição criminaliza o porte de indumentárias tradicionais em alguns grupos muçulmanos. Uma plumagem cinza-azulada cobria seu corpo quadrado e de pernas curtas. sem penas.

as duas espécies se regalaram com os ovos do dodô. (Extraído de Stephen Jay Gould... Cia. pois sua extinção ocorreu sobretudo pelos efeitos indiretos da perturbação humana. que passou vários meses no local.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. “O Dodô na corrida de comitê”. (D) é um episódio tão antigo na história das relações entre homens e animais que pode ser considerado singular e ultrapassado. inúteis (pelo menos no que diz respeito a qualquer forma de voo).br 24 de 59 . Em 1693. Os dodôs punham apenas um ovo de cada vez. Ao que tudo indica.. ao que tudo indica. e ambos se multiplicaram de maneira prodigiosa. Fernando Pestana – Aula 00 de ponta bem recurvada. as duas espécies se regalaram com os ovos do dodô. Os primeiros navegadores trouxeram porcos e macacos para as ilhas Mascarenhas. o explorador francês Leguat. passados os primeiros anos da década de 1680. provavelmente não foi a captura para o consumo pelo homem o que selou o destino do dodô. De todo modo. (C) teria ocorrido muito tempo antes do verdadeiro início da extinção de espécies por conta de ações humanas diretas ou indiretas. em ninhos construídos no chão. (último parágrafo) Prof. ninguém jamais voltou a ver um dodô vivo na ilha Maurício. inúteis.. alcançados com facilidade nos ninhos desprotegidos no chão. Fernando Pestana www. alcançados com facilidade nos ninhos desprotegidos no chão − e muitos naturalistas atribuem um número maior de mortes à chegada desses animais do que à ação humana direta. “Mas aquela que é o protótipo e a tataravó de todas as extinções também ocorreu nessa localidade. empenhou-se na procura dos dodôs e não encontrou nenhum. quando decididos a erradicar espécies inúteis ou prejudiciais. que estariam sempre ligadas à colonização humana de novas terras. (2o parágrafo) Ao que tudo indica. (B) é uma das primeiras extinções de animais vinculadas à ação direta ou indireta dos homens de que se tem notícia. 36.com. As asas eram pequenas e. A montanha de moluscos de Leonardo da Vinci. pp. As asas eram pequenas e.estrategiaconcursos. (E) deu origem a um padrão para as futuras extinções de animais. São Paulo. Que presa poderia revelar-se mais fácil do que um pesado pombo gigante incapaz de voar? Ainda assim. 2003.” (1o parágrafo) A frase acima transcrita deve ser entendida como indicação de que a extinção das espécies de pombos que não voavam das ilhas Mascarenhas (A) seria um modelo a ser utilizado pelos homens no futuro. ao que tudo indica. das Letras... 286-8) 35.

(Carlos Drummond de Andrade) 38. jóias que elas não precisam levar para casa. (B) a certeza absoluta que o autor quer partilhar com o leitor. No segmento passando de mãe a filha. Fernando Pestana www. de filha a neta. O segmento cujo sentido está corretamente expresso em outras palavras é: (A) se multiplicaram de maneira prodigiosa = cresceram ilusoriamente. especialmente no 2º parágrafo. e a lavadeira lhe dá volume e desenvolvimento. Fernando Pestana – Aula 00 A expressão grifada nas frases acima transcritas deixa transparecer. em relação às afirmações feitas. se deixariam seduzir por estranhos. Prof. Umas são arredondadas e cheias.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. Servem de espelho a suas donas. (C) uma família singular = um conjunto variegado. que se divide e se unifica ao sabor do trabalho. Outras vezes. Na pobreza natural das lavadeiras.com. II. passando de mãe a filha. parece que o canto murmurante vem da pedra. (A) a sua comprovação científica irrefutável. como vão passando as águas no tempo. (E) o seu caráter de hipótese bastante provável. 37. As pedras têm um polimento que revela a ação de muitos dias e muitas lavadeiras. nem elas. atribuem a elas qualidades humanas. (B) as duas espécies se regalaram = os dois gêneros se empanturraram. E suas formas diferentes também correspondem de certo modo à figura física de quem as usa. as pedras são uma fortuna. (D) a sua pequena probabilidade. cada uma tem sua pedra no rio. A lavadeira e a pedra formam um ente especial. (C) o receio do autor ao formular um paradoxo.estrategiaconcursos. Texto II AS LAVADEIRAS DE MOÇORÓ. (D) que selou o destino = que indigitou a fatalidade. Se a mulher entoa uma canção. aquelas magras e angulosas. (E) empenhou-se na procura = dedicou-se com afinco à busca. e todas têm ar próprio. que não se presta a confusão. Considere as observações seguintes sobre a associação de palavras no texto e o sentido decorrente dessa associação: I. de tão fiéis. As referências às pedras. como vão passando as águas no tempo há uma comparação. Ninguém as rouba. de filha a neta. cada pedra é herança de família.br 25 de 59 . percebe-se que a pedra a acompanha em surdina. que associa a transmissão de costumes ao fluxo das águas do rio.

Na frase Servem de espelho a suas donas é possível entender o sentido literal. que bem poderia ter se originado dos rincões onde jogar futebol. dispensando detalhes irrelevantes e evitando elementos de subjetividade. Arte para o futebol jamais é adjetivo. a possibilidade de interpretações equivocadas. apenas. Fernando Pestana – Aula 00 III. (C) Clareza e precisão são importantes na comunicação oficial e devem ser empregados termos de conhecimento geral. (C) I e III.br 26 de 59 . 39. Para mim. deve apresentar termos de acordo com a região e com requinte adequado à importância da função desempenhada pela autoridade a quem se dirige o documento. (E) I. Está correto o que se afirma em: (A) II. e o sentido contextual. como identidade e cumplicidade entre a mulher e a pedra. muito mais que um esforço perdido. associada ao princípio da finalidade. está INCORRETA a afirmativa: (A) A concisão procura evitar excessos linguísticos que nada acrescentam ao objetivo imediato do documento a ser redigido. essa frase tem cheiro de blasfêmia." Esta frase ecoa nos ares brasileiros sempre que perdemos. apenas. normas e padrões que devem ser respeitados com base na observância de princípios ditados pela civilidade. (B) I e II. (E) Textos oficiais devem ser redigidos de acordo com a formalidade. como referência ao reflexo da água sobre as pedras. há certos procedimentos. Fernando Pestana www. ou seja. como na afirmativa: O Diretor informou ao seu secretário que os relatórios deveriam ser encaminhados a ele. A beleza intrínseca do movimento e da harmonia é meio ideal de cultura para a Prof. (B) A impessoalidade.com. é a sua essência. Nunca emitida por um dos nossos. como cortesia e polidez. é puro desencanto. principalmente.estrategiaconcursos. apenas.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. não sendo permitido seu uso no interesse próprio ou de terceiros. inapropriados ao texto oficial. II e III. evitando-se.Considerando-se as qualidades exigidas na redação de documentos oficiais. FCC – ESCRITURÁRIO (BB) – 2011 "O futebol arte acabou. exige que a redação de um documento seja feita em nome do serviço público e tenha por objetivo o interesse geral dos cidadãos. expressos na forma específica de tratamento. ainda que respeite a norma culta. (D) II e III. apenas. (D) A linguagem empregada na correspondência oficial.

(Adaptado de: Sócrates.com. com destaque para o futebol. é de se admirar. alegria e habilidade. (E) depoimento de um ex-jogador em que se nota a decepção com os recentes resultados negativos do futebol brasileiro.br 27 de 59 . para que possam dedicar-se aos treinos e melhorar seu desempenho. nos deram Maria Ester Bueno. bem mais popular. Gustavo Borges e esse excepcional César Cielo. Considerando-se o teor do texto. explorado e excluído em sua imensa maioria e que permanece com os queixos elevados e com a esperança intocável. dom. Fernando Pestana www. E nada mais real do que o nosso futebol. Fernando Pestana – Aula 00 alegria e a criatividade. (D) proposta de maior apoio aos esportistas brasileiros. E quem. poderíamos ficar horas a desfilar as incoerências da realidade que vivemos. Do bando de desnutridos que somos nasceram Ademar Ferreira da Silva e João do Pulo. Pênalti. é correto afirmar que se trata de (A) narrativa sobre o sucesso do esporte brasileiro em todo o mundo. particularmente no futebol. espalhados por todo o planeta. Mesmo com a falta de piscinas. (C) discussão aprofundada sobre os problemas socioeconômicos que levam atletas brasileiros de destaque a sair do país. Quando qualquer de nós se aproxima de alguma forma de expressão artística é que podemos perceber a sensibilidade que exala de cada poro. em sua maioria. tivemos Manoel dos Santos. 68) 40. Não é à toa que nossos maiores jogadores desfilam seus dotes. neste mundo. FCC – TRE-RN – TÉCNICO – 2011 Rio Grande do Norte: a esquina do continente Prof. (B) exposição de um ponto de vista pessoal a respeito das qualidades dos brasileiros na área dos esportes. Raquetes. Isto é que determina o que é arte! E arte de qualidade ímpar. Nossa plena expressão social e nosso maior agregador cultural foram postos em um lugar bem especial por todos os apreciadores desse esporte. Carta Capital. No esporte não é diferente.estrategiaconcursos.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. Ricardo Prado. exatamente por nossas especialidades: espontaneidade. tenham tido quaisquer facilidades para seus ofícios? Em tantas áreas poderíamos desfilar um sem número de figuras excepcionais que se destacaram por suas criações e capacidades. criatividade. tão raras por aqui. Assim. Como podemos explicar que cá por estas bandas surgissem tantas genialidades sem que. p. apresenta com tanta clareza tais qualidades? Um povo historicamente esmagado pela colonização (que insiste em se fazer viva). 6 de abril de 2011. Thomaz Koch e um tal de Guga. E só conseguiu atingir essa capacidade de sobrevivência por suas incomparáveis características.

abriga sítios arqueológicos e até um vulcão extinto. Prof. Outro polo atraente é Agreste/Trairi. mas os índios potiguares resistiram e os franceses invadiram. é caracterizado pelo contraste: de um lado. a seguir. Fernando Pestana www. a caatinga. O turismo de aventura encontra seu espaço no Polo Serrano. a subida ao Monte Carmelo desvenda toda a beleza do sertão potiguar – em breve. de início. O petróleo é outra fonte de recursos: é o maior produtor nacional de petróleo em terra e o segundo no mar. do outro. Mossoró é a segunda cidade mais importante. Caicó. 30/10/2010. Encarte no jornal O Estado de S. Os 410 quilômetros de praias garantem um lugar especial para o turismo na economia estadual. Currais Novos e Açari compõem o chamado Polo do Seridó. com dunas. como orientação a eventuais viajantes que se disponham a conhecer a região. O Estado tornou-se centro de criação de gado para abastecer os Estados vizinhos e começou a ganhar importância a extração do sal – hoje. falésias.estrategiaconcursos. serras majestosas e cavernas misteriosas. Natal. petróleo e frutas. com sua sucessão de serras.br 28 de 59 . é conhecida por suas águas termais. o Pico do Cabugi. (Nordeste. o Rio Grande do Norte responde por 95% de todo o sal extraído no país. Paulo). (C) com o objetivo de esclarecer alguns aspectos cronológicos do processo histórico de formação do Estado e de suas bases econômicas. que oferece ainda um belíssimo panorama no Açude do Trairi. O litoral oriental compõe o Polo Costa das Dunas − com belas praias. A vaquejada e o Arraiá do Lampião são as grandes atrações de Tangará. falésias e quilômetros de praias praticamente desertas. Fernando Pestana – Aula 00 Os portugueses tentaram iniciar a colonização em 1535. dominado pela caatinga e com sítios arqueológicos importantes. Em Santa Cruz. o local vai abrigar um complexo voltado principalmente para o turismo religioso. O Polo Costa Branca. A região é grande produtora de sal. O texto se estrutura notadamente (A) sob forma narrativa. o mar. Em Caicó há vários açudes e formações rochosas naturais que desafiam a imaginação do homem. e descritiva. Além da rica história. com a fundação do Forte dos Reis Magos e da Vila de Natal. dunas e o maior cajueiro do mundo –.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof.com. A ocupação portuguesa só se efetivou no final do século. do qual faz parte a capital. (B) de forma instrucional. em Angicos. no oeste do Estado. pelo artesanato reunido no mercado São João e pelas salinas. rochas e lajedos nos 13 municípios que compõem a região. O clima pouco favorável ao cultivo da cana levou a atividade econômica para a pecuária. visando a despertar interesse turístico para as atrações que o Estado oferece. cujo clima ameno e geografia formada por montanhas e grutas atraem os adeptos do ecoturismo. 41. apresentando-lhes uma ordem preferencial de visitação.

ele poderia. Transpondo-se adequadamente o trecho acima para o discurso indireto. que adie a sessão. FCC – AL-SP – AGENTE TÉCNICO LEGISLATIVO – 2010 44. (C) Goodwin disse: “Eu nunca parei de pensar sobre isso”.com. Ao se dirigir ao juiz. uma vez que minha principal testemunha encontra-se adoentada. Indique a afirmação INCORRETA sobre o texto acima. Fernando Pestana – Aula 00 desde a época da colonização. (D) Goodwin diz: “Eu nunca parei de pensar sobre isso”. ou então nos locupletemos todos!”. Meritíssimo. para indicar seu respeito ao magistrado. está elíptica na construção seguinte. o que a impede de comparecer. (E) Goodwin disse o que pensava sobre aquilo. impossibilitada de comparecer.2011 42.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. (A) A presença de personagens e o encadeamento temporal são traços que autorizam qualificar esse texto como narrativo. impossibilitada de comparecer. (C) Há um encadeamento causal nesta sucessão de eventos: estava adoentada. a fala correta do advogado seria: Solicito-lhe. (B) Em discurso direto. para discurso indireto é: (A) Goodwin disse que nunca parara de pensar sobre aquilo. impossibilitada de comparecer e pediu-lhe o advogado de defesa que adiasse a sessão. explícita em estava adoentada. (B) Goodwin diz que nunca tivera parado de pensar sobre aquilo. (E) de maneira dissertativa. em que se apresentam tópicos que salientam as formações geográficas do Estado. pediu-lhe o advogado de defesa que adiasse a sessão. FCC – TRF – ANALISTA – 2010 43. FCC – TRE-RS . A transformação da frase "Eu nunca parei de pensar sobre isso". O velho e divertido Barão de Itararé já reivindicava (. usar a expressão tábula rasa. (D) Caso o advogado fosse um entusiasta dos latinismos.. no sentido de por essa razão. informando ao magistrado que sua principal testemunha estava adoentada e.estrategiaconcursos.br 29 de 59 . Fernando Pestana www. e ipso facto. ele ficará: O velho e divertido Barão de Itararé já reivindicava que Prof. (E) A forma verbal estava. em que se discutem as várias divisões regionais do Estado com a finalidade de comprovar qual delas se apresenta como a mais bela.DEFENDOR PÚBLICO . adequadamente. disse Goodwin.): “Restaurese a moralidade.. por essa razão. (D) como uma crônica baseada em aspectos históricos.

desodorante e roupas de plástico. por mais que achássemos que sim? Ou estará na abstração que chamamos de “natureza humana”? Teremos ajustado as nossas crenças a um conceito de homens e mulheres que não se adequava aos fatos rasteiros? Às vezes me pergunto se isso não será puro elitismo de minha parte. senão nos locupletaríamos todos. como o inimigo que haveria de ser derrotado.estrategiaconcursos. p.] Tudo de bom.. (E) a moralidade seja restaurada. com grande otimismo. A alternativa que acolhe comentário condizente com as características da carta é: Prof. (Adaptado de Cartas Políticas. ou então que nos locupletássemos todos. estaremos caindo numa sociedade do homem e da mulher medíocres onipresentes. especialmente depois de ter completado cinquenta anos de literatura.32) 45.. revista Piauí. quando não venhamos a nos locupletar.. O que antes eu via como o inimigo e. [. ou todos nos locupletávamos. e se a verdadeira premissa da democracia. Ou se. governados por altas mediocridades.br 30 de 59 . Fernando Pestana – Aula 00 (A) ou bem se restaurasse a moralidade. acabou na verdade por nos vencer. e sinto que todas as coisas pelas quais trabalhei e lutei estão em decadência. Norman Mailer.] A questão diante de nós dois é: onde está a culpa? Estava em nós? Por nunca termos feito o suficiente. 27. Fernando Pestana www. como temo. (D) seria restaurada a moralidade. não seria o que está acontecendo. Reflito sobre a minha vida. 1º de fevereiro de 1998 Caro Peter. [. como um dos degraus da escalada a um nível mais alto.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. O mundo nas cordas. a de que os sem-banho tenham acesso a sabonete barato. Entre as coisas que temos em comum está a depressão cultural. caso contrário nos locupletássemos.com. (B) fosse restaurada a moralidade. (C) seja restaurada a moralidade. FCC – OFICIAL DE CHANCELARIA – 2009 Texto I O texto abaixo foi extraído de correspondência do renomado escritor norte-americano Norman Mailer endereçada ao crítico literário Peter Balbert..

as quais. porém. Na Europa. apesar dos diversos anos dedicados à atividade intelectual nobre. insinua a existência de relação hierárquica entre o escritor e o crítico. (C) acredita ter contribuído. (B) compartilha com o interlocutor a sensação de estar declinando culturalmente. respectivamente. entre os que. como a indicação do destinatário pelo prenome e do remetente por nome e sobrenome. como acontece com as larvas e as borboletas”. seja por não ter agido nos momentos graves. que só pode ser descrita em termos de “não mais e ainda não”. O excerto demonstra que o autor (A) considera-se culpado das mazelas sociais. para o real aprimoramento de homens e mulheres. Pois o declínio do velho e o nascimento do novo não são necessariamente ininterruptos.] está rompida a continuidade e surge um “espaço vazio”. revelando dupla apreensão: com específico sentimento de culpa e com o futuro da sociedade. expõe reflexões acerca do impacto de atitudes individuais sobre cenários mais amplos. espécie de terra de ninguém histórica. especialmente no que diz respeito aos modos como conceberam e trataram homens e mulheres ao produzirem textos literários. Em algumas guinadas da história. em alguns picos críticos. (E) Em discretos matizes. Texto II Humes observou certa vez que a civilização humana como um todo subsiste porque “uma geração não abandona de vez o palco e outra triunfa.com. (D) Preservando tom subjetivo. seja por operar com crenças contraditórias e demasiadamente abstratas.. ultrapassa os limites da subjetividade e transforma as queixas do remetente em afirmações categóricas acerca da necessidade de engajamento político da elite. posteriormente submetidos à universal mediocridade. pode caber a uma geração um destino parecido com o das larvas e borboletas. (C) Por explorar temática sociocultural. restituiriam ao texto a formalidade que seu tema requer. ainda pertencem ao velho e os que pressentem a catástrofe nos próprios ossos ou já cresceram com ela [.estrategiaconcursos. (B) Focaliza a atuação profissional dos interlocutores. entre as gerações. por uma razão ou outra. Fernando Pestana www.. uma vez substituídas por “Prezado” e “Sem mais”.br 31 de 59 . (D) hesita em relação à possibilidade de preceitos democráticos estarem sendo postos em prática na época em que escreve a carta. em outras épocas. 46.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. desodorante e roupas de plástico. Fernando Pestana – Aula 00 (A) Registra inconveniente intimidade nas saudações inicial e final. (E) concorda com a premissa de que os desfavorecidos devam receber o necessário para a manutenção da dignidade: sabonete barato. essa absoluta quebra de continuidade ocorreu durante e após a Primeira Prof.

Ensaios (1930-1954). que nos apresenta a alternativa de avançar ou recuar. para ratificá-la no plano mais particular que ela aborda no seu discurso. sobre o declínio necessário da civilização ocidental ou a famosa geração perdida. São Paulo: Companhia das Letras. Hannah. In Compreender: formação. (B) vale-se de Humes como argumento de autoridade. mesmo porque a sua maneira. A capacidade de incessantemente projetar novos aspectos − não tanto mediante à ruptura crítica de convenções quanto pela maneira. a qual parece tão desprovida de sentido justamente porque ainda pressupõe uma linha de continuidade sem interrupções. sobretudo a arte da formulação instantânea − definitiva −. à concepção que ela tem acerca do que ocorre com gerações em momentos críticos. UFMG. de se comportar em relação ao objeto. de caráter universal. tornando-se. e isso apesar do caráter esotérico dos seus primeiros trabalhos e fragmentário dos últimos. tudo se metamorfoseava. ipsis litteris. que detalha para convencer o leitor sobre esta compreensão que ela tem do que seja a civilização: “A natureza não dá saltos”. pois o desfaz para reconstruí-lo em outras bases.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. Texto III Caracterização de Walter Benjamin O nome do filósofo. (ARENDT. (D) cita Humes porque a comparação que ele faz entre os homens e os animais se aplica. também se despojou do que. como se tivesse se tornado radioativo. 2008. Belo Horizonte: Ed. (C) tira proveito da constatação de Humes. que acabou com sua própria vida durante a fuga ante os esbirros de Hitler. O sujeito.br 32 de 59 . Nenhuma das intuições desse pensador inesgotável apresentava-se como mera intuição. a quem pessoalmente cabiam todas as experiências fundantes que a filosofia oficial contemporânea apenas discute de modo formal. considerando irretorquível o pensamento citado. portanto. Fernando Pestana www. Sob o olhar de suas palavras – onde quer que ele caísse −. foi ganhando uma aura nos mais de vinte anos que desde então transcorreram. Fernando Pestana – Aula 00 Guerra Mundial. dada pela organização intrínseca. geralmente na boca dos “reacionários”. a autora (A) toma como tema certo pensamento de Humes. 187) 47. p. A fascinação de sua pessoa e oeuvre só deixou a alternativa da magnética atração ou da rejeição horrorizada. parecia ao mesmo tempo não ter nenhuma participação nelas. muito mais atraente do que a banalidade do pensamento “liberal”. É essa ruptura que dá um fundo de verdade a todo o falatório dos intelectuais. “Não mais e ainda não”.com.estrategiaconcursos. Na organização do texto. (E) refere comentário do filósofo Humes e o desconstrói. como se as convenções não tivessem poder sobre ele − dificilmente conseguirá também ser captada pelo conceito de originalidade. no sentido tradicional − é Prof. exílio e totalitarismo.

pouco amadurecidas mas perenes. fundamentados em experiências da filosofia oficial. Prismas: crítica cultural e sociedade. 2001. Fernando Pestana www. FCC – TRE/SP – ANALISTA JUDICIÁRIO – 2012 Bom para o sorveteiro Por alguma razão inconsciente. 223-224) Obs. mas como verdadeiro. valendo-se de conceitos que lhes são aplicáveis com justeza. o único jornal abria na minha cara o drama da baleia encalhada na praia de Saquarema. (E) as inéditas ideias do filósofo devem ser creditadas aos seus métodos. como foi dito por locutores especializados em necrológio eufórico. (B) oferece precisa caracterização do filósofo e de sua obra. atribuível à comoção gerada por seu suicídio. É correto afirmar que o autor do excerto (A) julga o refinado pensamento do filósofo não como original ou espontâneo. eu fugia da notícia.br 33 de 59 . p. (C) a natureza dos trabalhos iniciais e finais do filósofo não obscurece sua personalidade e sua obra. Mas a notícia me perseguia.: oeuvre: obra. Até a União Soviética acabou. (B) o filósofo e sua obra adquiriram. (D) a infinidade de novos aspectos inseridos nas análises do filósofo tornou-as tão herméticas que não podem ser captadas por espíritos menos originais. Theodor. Mas o drama da Prof. apropriando-se dos achados da tradição. Afinal.com.estrategiaconcursos. unânime aprovação. 48. Fernando Pestana – Aula 00 espontâneo e esfuziante. que. Ele não dava a impressão de ser alguém que criava a verdade ou a adquiria ao pensar. no qual imprimia a sua marca. 49. mas de que a citava pelo pensamento como um refinado instrumento de conhecimento. (ADORNO. depois de quase três dias se debatendo na areia da praia e na tela da televisão. (C) expõe os artifícios formais de que se valeu o filósofo para. (D) aponta inconsistência nas formulações do filósofo. Até no avião. requisitar autenticidade para seu trabalho. o filhote de jubarte conseguiu ser devolvido ao mar. impactantes sob qualquer julgamento. O excerto autoriza a seguinte afirmação: (A) as constantes inovações do filósofo acompanharam-se de desveladas críticas às convenções vigentes. com o tempo. São Paulo: Ática. Caracterização de Walter Benjamin.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. se despegaram do necessário aporte empírico da filosofia. (E) atribui força transformadora ao modo como o filósofo concebia e expressava seus pensamentos.

(C) se esfalfar em vão na luta pela sobrevivência e levar pastéis e empadinhas para vender com ágio.br 34 de 59 . ou a diversão. com simples cordas e as próprias mãos. O cronista ressalta aspectos contrastantes do caso de Saquarema. tal como se observa na relação entre estas duas expressões: (A) drama da baleia encalhada e três dias se debatendo na areia. II. Comum. 51. Fernando Pestana www. ó céus. Até que enfim chegou uma traineira da Petrobrás. Metáfora fácil. Foi salva graças à religião ecológica que anda na moda e que por um momento estabeleceu uma trégua entre todos nós. Centenas de curiosos foram lá apreciar aquela montanha de força a se esfalfar em vão na luta pela sobrevivência. Muitos se lembravam da alegria voraz com que foram disputadas as toneladas da vítima. A expressão Tudo é símbolo prende-se ao fato de que o autor aproveitou o episódio da baleia encalhada para também figurar o encalhe de um país imobilizado pela alta inflação.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. Mas já ao raiar do dia. Fernando Pestana – Aula 00 baleia não acabava. uma tripulação de camelôs anunciava umas bugigangas. Tudo fala. sonhei com o Brasil encalhado na areia diabólica da inflação. a baleia de Saquarema. ó céus. sem recursos. acima das diferentes providências. O maior animal do mundo. Logo uma estatal. à mercê de curiosos. Folha de S. Uma santa senhora teve a feliz ideia de levar pastéis e empadinhas para vender com ágio. (Otto Lara Resende. À noite. As reações dos envolvidos no episódio da baleia encalhada revelam que. Atente para as seguintes afirmações sobre o texto: I. entre outros termos de aproximação. espero que salva. atinham-se todos a um mesmo propósito. Um belo espetáculo. a baleia de Saquarema. Prof. lá se foi. uma baleia adulta foi parar ali mesmo e em quinze minutos estava toda retalhada. Um malvado sugeriu que se desse por perdida a batalha e se começasse logo a repartir os bifes. todos se empenhavam no lúcido objetivo comum. Em 1966. À noite. (B) em quinze minutos estava toda retalhada e foram disputadas as toneladas da vítima. Por ele a baleia ficava encalhada por mais duas ou três semanas. num momento em que é preciso dar provas da eficácia da empresa privada. o encalhe dos gigantes. III. cessava o trabalho. (E) Até que enfim chegou uma traineira da Petrobrás e Logo uma estatal. Essa de agora teve mais sorte. espero que salva. De qualquer forma. (D) o filhote de jubarte conseguiu ser devolvido ao mar e lá se foi. Paulo) 50. Tudo é símbolo. A analogia entre a baleia e a União Soviética insinua.estrategiaconcursos. animais de sangue quente ou de sangue frio.com. eu já podia recolher a minha aflição. A bordo. assim frágil. vírgula. O sorveteiro vendeu centenas de picolés.

Quem leu as tragédias de Sófocles sabe como sua questão fundamental é o que ocorre quando a polis não sabe mais acolher o que ainda não tem lugar no interior de nossas formas de vida.br 35 de 59 . Para aqueles que impostam a voz na hora de falar em nome dos valores ocidentais. não seríamos capazes de sair do horizonte normativo que define o conjunto de seus valores. está correto o que se afirma em (A) I. Normalmente. apenas. aquilo que pretensamente faria a diferença e a superioridade moral de nossa forma de vida − esta que encontraria sua melhor realização no interior das sociedades democráticas liberais. ou seja. por exemplo. disputados por interpretações divergentes próprias a uma sociedade marcada por antagonismos fundamentais. Fernando Pestana – Aula 00 Em relação ao texto. Uma suspeita que se manifesta por meio da exigência de saber acolher o que nos é estranho. os "valores ocidentais" aparecem. Prof. o que não tem mais a figura de nossa humanidade. mas a respeito dos quais nós. Isso talvez nos explique por que os gregos. apenas. FCC – TCE/SP – AGENTE DE FISCALIZAÇÃO FINANCEIRA – 2012 Valores ocidentais Quando o discurso político alcança seu nível mais raso. um sofrimento indefinido que nos lembra a fragilidade de toda normatividade social extremamente prescritiva. o que não porta mais nossa imagem. ocidentais. (D) I e II. estes que teriam inventado a democracia ocidental com seus valores. justiça e autonomia significam. de antemão. saberíamos. se há algo que determina o que há de mais importante na tradição ocidental é exatamente a ideia de que não temos clareza a respeito do que nossos valores significam. legaramnos apenas um valor fundamental: a suspeita de si. mas um sentimento que Freud bem definiu como mal-estar. Fernando Pestana www.estrategiaconcursos. mesmo quando criticamos nossas sociedades ocidentais. (E) III. Nesse sentido. apenas. não há conflitos a respeito do que liberdade. (C) II e III. seu sentido. Pois se. criticamos a falta de liberdade e a injustiça social. na verdade. Não passa pela cabeça deles que talvez estejamos diante de palavras que não têm conteúdo normativo específico. seria sempre em nome de valores que ainda não se realizaram. eles são utilizados para expor "aquilo pelo qual lutamos". Por isso. Pois o que nos leva a criticar aspectos fundamentais de nossa sociedade não é um déficit a propósito da realização de valores. mas são algo como significantes vazios.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. apenas. II e III.com. (B) I e III.

em virtude de vivenciar com exclusividade a falta. (C) Suspeitar de si. Folha de S.estrategiaconcursos. perdia-se em sua errância sem fim. FCC – ISS/SP . Por isso. terça-feira. de 2011. provocam mal-estar social. fazer mau juízo de si no que se refere à natureza dos instintos humanos. em nada dependendo do modo como se organizam as sociedades. das democracias liberais. (D) Os políticos manifestam alienação ao não compreenderem que o homem moderno não almeja a superioridade moral.br 36 de 59 . nas sociedades democráticas liberais. é necessário saber se perder para poder encontrar-se". ou seja. (C) expõe que discursos políticos de pouca profundidade − os que normalmente exibem de maneira ostentatória os ideais de quem os profere. falho de conceitos que garantissem a equidade de direitos. Fernando Pestana www. pelo fato de estar baseada em equívocos conceituais que. (D) assinala que os valores ocidentais. ainda que considerados no plano da idealidade. opinião. p. a ausência do que lhe é necessário e desejável para a realização de um modo de vida que seria superior.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. Fernando Pestana – Aula 00 Por outro lado. isto é. 13 de dez. 2) 52. quando Ulisses. é a única herança que o povo heleno ofertou à modernidade.Paulo. 53. o herói de Homero. (E) denuncia a incapacidade que a sociedade contemporânea revela de se fixar num horizonte normativo. Entende-se corretamente do texto: (A) As teorias de Freud explicam que a insatisfação com o mundo em que vive é própria do ser humano. são desrespeitados por políticos que desconhecem artistas e pensadores indispensáveis dessa mesma tradição.AUDITOR-FISCAL TRIBUTÁRIO MUNICIPAL I (GESTÃO TRIBUTÁRIA) – 2012 Prof. O autor (A) considera que a expressão "valores ocidentais". padece da indefinição inerente a uma forma de vida essencialmente caracterizada por forte oposição de ideias. desde os gregos. suas palavras para os habitantes de outras terras eram sempre a exigência de abrigar o estrangeiro. exatamente por ser consciente de que não há forma de vida realmente democrática. (Vladimir Safatle. fundadores das autênticas sociedades democráticas. em voz impostada − tratam falaciosamente de conflitos. atribuindo essas imperfeições ao próprio universo grego. (E) A sociedade contemporânea desconhece o que sejam valores. (B) O homem ocidental não encontra outro ponto de referência para avaliar sua forma de vida que não seja o delineado pelos valores. (B) junta-se aos que criticam a sociedade ocidental especialmente quanto à falta de liberdade e à injustiça social. o melhor que temos a fazer diante dos que sempre pregam os valores ocidentais é lembrá-los das palavras de Nietzche: "Muitas vezes.com.

Ao que parece. da Monarquia para a República Velha. gerada em nossas próprias sociedades. Fernando Pestana www. São Paulo: Companhia das Letras. como se elas fossem novas e matinais. Continuamos repetindo. pelo fato de expressar ideias consideradas ultrapassadas. In: Mal-estar na modernidade: ensaios. "Elogio do incesto". exceto a data. pp. É o discurso do nacionalismo cultural. que nem sempre têm por que coincidir com as do mundo altamente industrializado. que começou a ser balbuciado com os primeiros escritores nativistas. que a cultura brasileira (ou latino-americana) deve desfazer-se dos modelos importados e voltar-se para sua própria tradição cultural.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. o Brasil passou do Primeiro para o Segundo Reinado. O desenvolvimento corresponde a uma matriz endógena. citação em que não se reconhece qualquer marca de atitude prescritiva sobre esses ou aqueles. desta para o Estado Novo. nada envelheceu nessas palavras. 1Relato general de la "Cumbre Del pensamiento". embora reconheça seu mérito de datar o início de uma específica visão de colonialismo. (C) inicia seu artigo com citação que apresenta fatos e descrição de processos. Passamos do regime servil para o trabalho livre − ou quase. deste para a democracia. Compreende-se corretamente que Sergio Paulo Rouanet (A) faz uma citação e a desqualifica. Cumpre avaliar criticamente os elementos culturais alheios que se pretendam impor do exterior. (D) desenvolve raciocínio que legitima a seguinte compreensão: o título Prof. Só uma coisa não mudou: o nacionalismo cultural. com tons e modulações diversas. De país essencialmente agrário transitamos para a condição de país industrial. p. (Adaptado de Sergio Paulo Rouanet. Trata-se de um documento aprovado por vários intelectuais ibero-americanos. na Guatemala. desta para a ditadura militar. na Bahia. 1993. a realizar-se em Salvador. e sob alguns aspectos nos aproximamos da pós-modernidade. como parte da preparação da III Conferência de Cúpula da região. como se fôssemos contemporâneos do grito do Ipiranga. Ela não foi redigida no princípio do século XIX e sim no dia 29 de maio de 1993. e que portanto não é possível importar. exatamente um mês antes da redação deste artigo. (B) se respalda em renomados intelectuais ibero-americanos para defender o posicionamento adotado no documento preparatório à III Conferência de Cúpula. Antígua-Guatemala. ritualmente. que hão de alimentar a busca de soluções endógenas.br 37 de 59 . Nesses 171 anos. Conhecemos bem essa linguagem no Brasil." 1 O que há de extraordinário nessa citação? Nada. passando por vários avatares.com. Fernando Pestana – Aula 00 "Ocorreu em nossos países uma nova forma de colonialismo. e desta para uma nova fase de democratização. e desde a independência não cessou. Quase todos os brasileiros se orgulhariam de repeti-las.estrategiaconcursos. 346-347) 54. Precisamos levar sempre em conta os traços culturais que nos caracterizam. 88 e ss. com a imposição de uma cultura alheia à própria da região.

pois considera que balizar corretamente é atitude essencial a intelectuais analistas da cultura.2004 1. devido à aproximação temporal entre seu texto e o documento aprovado por vários intelectuais iberoamericanos. o que você faz primeiro? Defende sua tese ou a apresenta? Normalmente você apresenta de cara sua opinião e depooooois você argumenta dizendo por que você pensa desta ou daquela maneira. Afirma-se com correção: (A) O que há de extraordinário nessa citação? é uma pergunta retórica. Fernando Pestana www. destinando-as Prof.estrategiaconcursos.”. Agora compare com a afirmação da letra D: “diz respeito à necessidade de bem administrar as parcas verbas para a ciência e a tecnologia. Afinal. o que torna consistente seu juízo positivo a respeito do que considera "nosso ritual". Fernando Pestana – Aula 00 do artigo caracteriza o que está denominado no texto como discurso do nacionalismo cultural. ao formulá-la.com. pois a resposta normalmente se encontra ou na introdução ou na conclusão. Normalmente este tipo de questão (em que se exige de você. pois o autor. mas apenas valer-se do questionamento como recurso argumentativo. (E) A referência às diversas formas de governo no Brasil demonstra o profundo conhecimento do autor acerca da realidade brasileira. a percepção da opinião defendida (tese) pelo autor do texto) é fácil. cabe ao poder público colocar suas fichas em projetos com maior possibilidade de oferecer retorno. certo? Pois bem.br 38 de 59 . não tem como objetivo receber uma resposta. (D) Ao referir-se à III Conferência de Cúpula da região. candidato. raciocina comigo.. quando alguém pede sua opinião. (B) A referência à data em que foi escrito o artigo permite ao autor evidenciar a atualidade de suas ideias.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. 55. (E) retifica equívoco sobre época de registro oficial de importante documento. Veja a conclusão de novo: “Se todo investimento em ciência é uma aposta. GABARITO: D. o autor sinaliza que a assembleia não contempla territórios que não sejam guatemaltecos. foi isso que o editorial fez.. (C) O segmento não foi redigida no princípio do século XIX e sim no dia 29 de maio de 1993 mostra que o autor considera o Brasil um país sempre em atraso no que se refere à exposição de conceitos. Gabarito Comentado FCC – TRE-SP – ANALISTA .

de abandonar os planos de seu antecessor para descentralizar os recursos investidos na área.com. E aí. Fernando Pestana www. essa foi relax. Ou seja.”.estrategiaconcursos.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. GABARITO: C. ou seja. Eduardo Campos. seu ponto de vista. nada menos do que uma maneira de dizer com outras palavras o que já estava escrito na conclusão.” Tal intenção expressa neste período pertence ao novo ministro. segundo ele. a pessoa pergunta: Por que você pensa assim? É nesse momento que você lança mão de estratégias argumentativas para sustentar a sua tese. veja o penúltimo parágrafo. e não ao anterior. que ofereça retorno. A seleção infelizmente não consegue a taça.br 39 de 59 . Prof. levando em conta a temática da descentralização. 2. Estratégias argumentativas são recursos usados por qualquer autor de um texto como ferramenta de argumentação. Fernando Pestana – Aula 00 à pesquisa competente.” A afirmação de II está correta. de convencimento do leitor. Eduardo Campos. Pelo menos ficarão as construções pós-Copa de recordação (rs). Daí. leia este trecho retirado do texto: “É correta a disposição do novo ministro da Ciência e Tecnologia. logo o trecho ‘para descentralizar os recursos investidos na área’ é uma meta tão somente do novo ministro’. pois a leitura do texto nos permite entender que a proposta de descentralizar os recursos investidos na área pertence ao novo ministro e não ao seu antecessor. Li outro dia na revista Veja em um artigo do consagrado colunista esportivo Juca Kfouri que. E. você diz: “A seleção não vai ganhar a Copa porque o time está mal estruturado desde a campanha inicial do técnico Mano Menezes. pois não há mistério algum. Uma mera leitura nos faz concluir que o caso do Instituto de Neurociências de Natal é usado como fato-exemplo (estratégia argumentativa) para corroborar a ideia de descentralização bem-sucedida. a seleção é tão desacreditada quanto à de 1994 e tão despreparada quanto à de 1990. de persuasão. E não sou só eu que penso assim. Sobre II. quando alguém pede sua opinião sobre a Seleção Brasileira de Futebol e você diz que ela não tem a mínima de chance de ganhar a Copa de 2014 — mesmo que seu desejo seja o contrário —. Isso se confirma com o período que vem a seguir: “A ideia de diminuir a excessiva concentração de laboratórios e institutos de pesquisa nos Estados mais ricos do país é uma meta a ser perseguida. sobre III. está claro que a afirmação da letra D é nada mais. Percebe a semelhança? Ah.” Percebeu que usei argumentações para defender minha tese? Entenda melhor: 1) Tese: A seleção não vai ganhar a Copa. fique tranquilo. E se você está se perguntando o que é uma estratégia argumentativa.

4) Terceiro argumento (fonte consagrada na mídia): Li outro dia na revista Veja. Em C. pois a FCC adora este modo de organização discursiva. Foi? FCC . a ideia é de finalidade e não de causa. GABARITO: E.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof.br 40 de 59 . enumeração. Bem. Em A. o gabarito é a letra E. Outra expressão sinônima de ‘em tese’ seria ‘em princípio’. pois não há sequer uma ideia de oposição. ‘muitos centros’ não se opõe a ‘pouco dinheiro’. a saber: texto dissertativo! 3. Todas estas características pertencem ao famoso tipo de texto chamado. 3) Segundo argumento (apelo ao compartilhamento de opinião): E não sou só eu que penso assim. pelas mudanças Prof. ou seja.estrategiaconcursos. ilustração. afinal. a seleção é tão desacreditada quanto à de 1994 e tão despreparada quanto à de 1990. como (além dessas) dados estatísticos. a expressão sublinhada está ligada a uma ideia positiva e a expressão em negrito não (se fosse ‘ao encontro de’. Essas vantagens se expandiram para um número crescente de seres humanos. 5) Quarto argumento (testemunho/argumento de autoridade): em um artigo do consagrado colunista esportivo Juca Kfouri que. Portanto. reiteração. Cuidado para não confundir com ‘a princípio’. Existem muitas estratégias argumentativas. voltemos a ele: “A humanidade tem dominado a natureza a fim de tornar a vida cada vez mais longa e mais cômoda. etc.com. GABARITO: B. Graças à combinação dessas duas tendências. contraposição de ideias.. que significa ‘inicialmente’. Fernando Pestana www. Em D. exemplificação. dissertação! Você acabou de ter uma microaula de tipologia textual.. Fernando Pestana – Aula 00 2) Primeiro argumento (causa/explicação): porque o time está mal estruturado desde a campanha inicial do técnico Mano Menezes. Em B. a expressão sublinhada tem valor pejorativo. já a expressão em negrito não. segundo ele. Fique esperto. ‘em tese’ e ‘como conceito’ são expressões sinônimas. não há um paradoxo. comparação.TRE-SP – ANALISTA – 2006 4. os homens imaginaram que seria possível construir uma utopia em que todos teriam acesso a tudo: todos. aí sim estaria correta a substituição). já que a questão nos remete ao texto.

No século XX. Esta percepção é ratificada pelas afirmações do 1º parágrafo. tanto entre os capitalistas mais liberais quanto entre os socialistas mais ortodoxos.” Revisto o parágrafo 1 e o início do 2. Portanto. há uma ideia de abrangência plena. Neste início de século. a técnica superou as expectativas) amplia a ideia desenvolvida no primeiro parágrafo. Assim. houve um processo de exclusão das pessoas (todos) no que tange à aquisição dos bens tecnológicos. Em I. a tudo. Fernando Pestana – Aula 00 sociais. o início do 2º parágrafo ‘expande a afirmação anterior de que muitas vantagens tecnológicas estariam atingindo um número crescente de seres humanos’. ignorando-se ou Prof. GABARITO: D. pelo menos ‘a técnica’. Portanto. cabe a afirmação de absoluto acerca das ‘pretensões dos criadores da referida utopia’. no início deste século.. mostrando que algumas expectativas se concretizaram.br 41 de 59 . o sonho do homem era que tudo estivesse à disposição de todos da melhor maneira possível. Como já havia abordado na questão anterior. é analisado do ponto de vista econômico. Relendo o parágrafo 3: “Na modernidade técnica. ou seja.. muitos chegaram a marcar o ano 2000 como a data da inauguração dessa utopia. Em outras palavras. a frase em questão significa que houve uma falha em uma das partes da utopia de “tudo para todos”. o 1º parágrafo cria uma expectativa de modernidade e acessibilidade que é ampliada (ou expandida) logo no início do parágrafo 2. Mera leitura. vemos que a técnica superou as expectativas. democraticamente.. a parte que ficou de fora da utopia não foi a tecnologia (tudo). submetendo a natureza a seus intentos. 5. Em II.com. portanto. estariam afeitos às tecnologias e a seu consequente gozo. por causa dos avanços técnicos. 6. fica claro que o início do 2º parágrafo (.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. ‘o desfrute plenamente socializado das conquistas tecnológicas’.. GABARITO: C. 7. GABARITO: A. numa demonstração de arrogância. o processo social. criam que todos. Fernando Pestana www. a tecnologia e seu usufruto a bel-prazer do homem. devido ao uso dos pronomes indefinidos todos (100% das pessoas) e tudo (100% das coisas). mas sim muitas pessoas que não podiam (nem podem) ter acesso a tudo o que se imaginou que tivessem. a saber: os seres humanos.estrategiaconcursos.

br 42 de 59 . do que gostamos. Fernando Pestana – Aula 00 relegando-se a um segundo plano os aspectos sociais e os éticos. Veja estes trechos ratificadores: “Tristeza é um sentimento que responde a estímulos internos. Joaquim Nabuco procurava encarar o processo social sob três óticas: a moral.estrategiaconcursos. A tristeza é um dos raros momentos que nos permite reflexão. vivências. afirmam que estar infeliz é mais do que natural. 8. é necessário à condição humana. No caso da tristeza. Veja: “Relegando-se a um segundo plano. Após dois séculos. ou externos.” Note que o parágrafo estabelece uma comparação entre a visão moderna (séculos XX e XXI) e a visão antiga (século XIX). submissão e afins. É uma resposta natural a situações de perda ou de frustrações. que é uma resposta imediata a um estímulo. Mais de um século passado.” FCC – TRE-SP – TÉCNICO – 2006 Texto I 9– GABARITO: C.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. segundo Joaquim Nabuco deve passar por três crivos para que haja justiça e igualdade para todos. melancolia ou coração apertado. como a perda de um emprego ou de um amor. Fernando Pestana www. segregando os desprovidos de uma renda forte a fim de aproveitar as benesses da modernidade. O fim do 1º parágrafo e todo o restante do texto explica o que vem a ser a tristeza. portanto a melhor lacuna a ser preenchida é a da letra D. O processo social.com. A expressão é carregada de uma ideia de subserviência. se se deseja superar a barbárie da exclusão. inferioridade. Portanto é ‘antiga a luta para que a inclusão social dos oprimidos se dê do modo mais abrangente possível’ para que possam usufruir a tão avançada tecnologia e seus produtos. na luta pela abolição da escravidão. Já no século XIX." Portanto. no entanto. antes de manifestá-la. muitas mulheres. De saber o que queremos. memórias. GABARITO: D. como as da antiga Atenas. em que são liberados hormônios cerebrais responsáveis por angústia. a social e a econômica. uma volta para nós mesmos. é urgente retomar essa visão triangular. vivem por seus maridos e filhos. nosso organismo elabora e amadurece a emoção. vemos que a visão moderna ainda exclui essa tríade proposta por Nabuco. Não se trata de uma emoção. fica claro que ‘a tristeza é um sentimento Prof. como recordações." e “Especialistas. uma possibilidade de nos conhecermos melhor.

A leitura desse texto provoca em quem lê a nítida percepção de que trata da questão da economia da região Sudeste. portanto. 12. ainda é a região mais rica do país. Inicialmente. inerente à condição humana’. GABARITO: D.” Portanto. Texto III 13. com novas oportunidades de trabalho. Fernando Pestana www. Depois.br 43 de 59 . GABARITO: C. do que gostamos. que hoje. sendo. a base historicamente agroindustrial do Sudeste. Depreendemos isso porque lemos que a região Sudeste. ‘ela constitui um sentimento que propicia ao ser humano maior consciência de si próprio e de seus anseios.estrategiaconcursos. que se caracterizava por ter sua força calcada na agricultura e na indústria. Prof.’ Texto II 11. Os dois primeiros parágrafos servem de base para que percebamos.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. uma possibilidade de nos conhecermos melhor. Fernando Pestana – Aula 00 natural de reação a situações de frustração. observado da perspectiva de um passado próximo. Este trecho do texto corrobora a afirmação da alternativa E: “A tristeza é um dos raros momentos que nos permite reflexão. o autor nos diz que o Sudeste tem o maior PIB do país.com. De saber o que queremos. 10– GABARITO: E. Depreendemos pela leitura do texto que o ‘Sudeste representa papel de destaque na economia brasileira. Chega-se à conclusão que a região tem a maior parte de sua riqueza deslocando-se para o setor de serviços. apesar de ter sofrido queda relativa no PIB nacional. segundo. mas condensada no último parágrafo. aborda o perfil econômico da região. avança pelo setor terciário. Tudo isso faz do Sudeste a região que mais eleva o PIB brasileiro. tornando-se o mais significativo em toda a Região. uma volta para nós mesmos. GABARITO: E. primeiro. com grande evolução no setor terciário e com grande vocação para surgimento de novos postos de trabalho. especialmente na área de serviços’. A resposta está diluída em todo o texto.

dentre esses. Malícia também ajuda. Sobre I: "A Rússia planeja lançar cinco novos navios de pesquisa polar como parte de um esforço de US$ 975 milhões para reafirmar a sua presença na Antártida na próxima década. ou seja. certo? Pois bem. A afirmação II peca por usar palavras de sentido restrito (especialmente e prioritariamente). Fernando Pestana www.". 14. Por exemplo.. de educação permitiu a evolução da humanidade. conectei uma parte do texto com outra através da substituição de uma palavra por outra (conceito no lugar de coesão). o texto da prova apresenta a expressão 'continente gelado' retomando a palavra 'Antártida'. escaldado.. o texto diz tão somente que o conceito de educação foi primordial para a evolução da humanidade. um documento do governo estabelece uma agenda de prioridades para o continente gelado até 2020. GABARITO: D. verá que não tem alternativa I e III. logo. Foi? Prof.ANALISTA – 2011 Texto I 15. a saber: a cidadania é um conceito mais amplo ligado a muitos campos da vida de modo que as pessoas devem procurar entender o que está envolvida em ser de fato um Cidadão. há o conhecimento de coesão.). a leitura e consequente intelecção (compreensão) de um texto passa por alguns critérios. nos parágrafos subsequentes. Fernando Pestana – Aula 00 Existem alguns segmentos do texto que tratam da ideia central dele. Segundo o blog Science Insider. concurseiro que é concurseiro. definido e aceito por todos. observe que eu usei a palavra conceito para retomar a palavra coesão. dando progressão ao texto e tornando o texto bem coeso. da revista Science. quando. isso que fiz foi a coesão que houve no meu texto. Por fim. evitando a repetição. Bem. FCC – TRE-TO .Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof.estrategiaconcursos. GABARITO: A. Da mesma forma. na verdade. de maneira diluída.com.br 44 de 59 . a afirmação III apresenta um equívoco por dizer que um conceito comum. Observa-se isso nos dois primeiros parágrafos e. A afirmação I é confirmada pelo segundo período do primeiro parágrafo. E o que vem a ser coesão? É um conceito que trata da ligação entre as partes do texto. isto que você está lendo agora é um texto. Cuidado ao ler um texto (e.

não? A afirmação III também está correta. o narrador sugere. mas pouco conseguiu investir em pesquisa polar depois disso. pois a subjetividade na leitura nos leva para algumas interpretações múltiplas. Ter dedo para alguma coisa: ter habilidade ou jeito. Enquanto a primeira teve uma educação rigorosa. que abusa da criatividade e do simbolismo para transmitir uma ideia de maneira artística. Poemas são sempre um problema.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. Pôr o dedo na ferida: mostrar. O documento afirma que Moscou deve trabalhar com outras nações. tocar o ponto fraco. Meter os dedos pelos olhos: obrigar alguém a ver e a julgar de certa maneira. 17. GABARITO: E. Veja outras expressões idiomáticas com a palavra dedo: Cheio de dedos. ou que se presume intocável.estrategiaconcursos. Fernando Pestana www. Ao dizer que ela era humilde. No entanto. Questão fácil. gíria: diz-se do indivíduo convencido de seus méritos quando em geral não os tem. por isso ele iria ensiná-la. GABARITO: E. pois isso já está bem claro na afirmação II. Estar a dois dedos: estar muito perto. não objetiva. Há uma comparação/contraste entre a educação da segunda mulher e da primeira mulher do locutor do texto. Texto III 18. que a dignidade não costuma ser característica daqueles cuja origem é humilde." e "A primeira expedição da extinta União Soviética à Antártida aconteceu em 1955 e. Veja o contexto. porque a ideia de concessão é justamente trabalhar ideias em oposição. A linguagem figurada (conotativa) é própria do poema. a outra não teve. após o colapso da União Soviética.com.br 45 de 59 . como diz a afirmação III. Fernando Pestana – Aula 00 O mesmo processo coesivo ocorre em II e IV. com cuidado. A afirmação II está correta e é autoexplicativa. nas três décadas seguintes. é Prof. Chovi no molhado. GABARITO: B. mas parecia ser digna.. segundo o dicionário Michaelis. respectivamente: "A Rússia herdou as estações em 1991. A expressão idiomática "escolher a dedo" significa. a potência comunista construiu sete estações de pesquisa no continente. escolher cautelosamente." Texto II 16..

revigorada como o pão quentinho da manhã.br 46 de 59 . acertar. Fernando Pestana – Aula 00 prova de concurso. podemos deduzir que os elementos do texto nos remeterão à esperança. o homem está excitado por uma nova aventura. Tais frases apresentam verbos com tom imperativo. Cristo é rememorado. Portanto. Visto que o título do poema é Cartão de Natal. fresco como o pão do dia. vontade de fazer a vida melhor.. renovação é peculiar à época. fresca. promessas. João Cabral manifesta a esperança de que o Natal traga. recordação.. afinal. e possa enfim o ferro comer a ferrugem o sim comer o não. vamos entendê-lo. que o entusiasmo conserve vivas suas molas.estrategiaconcursos. uma nova vida (novo caderno).Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. podemos dizer que. 'no poema. e parece que vão enfim poder explodir suas sementes: A impressão é que. sentem o desejo de "virar a página e começar a escrever uma outra história" para o ano seguinte. pois que nestes dias a aventura parece em ponto de voo. Quando os homens rememoram esta época. Natal significa nascimento. de modo que os homens. indicando também desejo. Fernando Pestana www. O desejo de transformação. renovação. A imagem da criança nos alude a Jesus Cristo e a seu nascimento. vida. amor. temos de fazer a questão e.. que desta vez não perca esse caderno sua atração núbil para o dente. Levando tudo isso em conta. influenciados por esse espírito natalino. bons votos. em busca de transformação do negativo para o positivo (o ferro comer a ferrugem/o sim comer o não). no Natal. analisemos a primeira parte do poema. e novos nascimentos de pessoas ((sementes) literais e simbólicos) ocorrem. de fato. uma Prof.com. etc.. Pois bem. segundo minha leitura possível: Pois que reinaugurando essa criança pensam os homens reinaugurar a sua vida e começar novo caderno. tudo se renova.

O verbo tem tom imperativo. GABARITO: A. se Prof. e é de caráter pessoal. É um relato. 20..transformação.: é uma frase que exprime desejo. por isso. A primeira linha do segundo parágrafo atesta o conteúdo da letra E: "A Agência Nacional de Cinema (Ancine) aprovou o projeto e. na sua maioria. etc. Beleza? Texto II 23. será oferecido para estabelecimentos de ensino". 22. ao possível começar novo caderno'. pois os verbos. e que.com. pois a transformação de que o texto fala é condicionada à vida do homem. Isso fica ainda mais claro quando notamos a complementação no fim do texto: "A intenção é a de que o filme contribua para a educação – e.. Fernando Pestana www. GABARITO: B.estrategiaconcursos. GABARITO: E. 19. GABARITO: C. vontade. GABARITO: D. misturando sugestão e desejo. Fernando Pestana – Aula 00 de outros natais.2011 Texto I 21. Observe que já na primeira linha do parágrafo inicial: "O documentário E Agora? pretende revelar detalhes do tráfico de aves silvestres no Brasil" o resumo da letra A encontra respaldo. seja 'Caderno' (termo de sentido conotativo) e 'vida' (seu equivalente denotativo) podem ser associados. FCC – TRE-TO – TÉCNICO . contrário Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. buscase patrocínio". cujos verbos se encontram normalmente no imperativo ou nesse tom: Deus te acompanhe!. Seja bem-vindo!. agora. Lembra-se disso? Frase optativa? Se não. Típico de frase optativa. pois o autor conta uma história (narração (verbos no passado)).br 47 de 59 .

. as borboletas de asas Prof. e não no momento em que ele se entusiasma com a primeira impressão da figura feminina bela atrás do espelho.". o sabiá. gerando paradoxo.estrategiaconcursos. Era olhar e ver. as borboletas de asas azuis.com. Não fosse o romantismo. a ideia de imortalidade com mortalidade. Imortais não morrem. 24. na prosa e no verso. as praias selvagens. pois o autor do texto só diz que a figura era um cormo como outro qualquer após o incidente com o espelho.o cheiro e o gosto de nossa gente) resume ou sintetiza toda a enumeração anterior (. GABARITO: A. os índios..br 48 de 59 . que colocaram em nossas letras as palmeiras.. O valor dos poetas românticos é realçado pelo autor nesta parte do segundo parágrafo em detrimento das críticas parnasianas e modernistas: "Foram os românticos.. o sabiá.. Fernando Pestana – Aula 00 encontram na primeira pessoa do singular. A afirmação da letra A é absurda. o que confirma a afirmação da letra D. 27. GABARITO: B. Tal expressão (. os índios. de maneira cômica/irônica. ficaríamos atrelados ao classicismo das arcádias... :-) 26. Mesmo assim darei minha colaboração: o paradoxo é a união de duas ideias contrárias. imortais morrendo é uma ideia paradoxal uma vez que o conceito de imortalidade é exatamente o avesso de mortalidade.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. a juriti − o cheiro e o gosto de nossa gente. A letra B é autoexplicativa. as praias selvagens. não tem graça nenhuma.. Fernando Pestana www. GABARITO: D. Texto III 25. ora bolas. revelando implicitamente que na verdade o título de imortalidade é meramente simbólico. que colocaram em nossas letras as palmeiras. mas o autor une. Bem. ou seja. Esta marca de pessoalidade se reflete nos dois últimos parágrafos do texto. o que equivale a explicar uma piada. o que importa é que você tenha entendido a questão. mas no texto o autor diz que morrem como todo mundo. GABARITO: B. Isso que eu fiz foi explicar o jogo de palavras usado pelo autor.

segundo o sistema que prevalece nas indústrias do espetáculo. um mercado do nome e do renome. na imprensa.com.estrategiaconcursos. Além disso. FCC – TRE-AP – ANALISTA – 2011 28. sintetiza bem o assunto tratado no texto.br 49 de 59 . Prof. na arte. na/pela França. Este trecho do texto resolve a questão: "o que caracteriza o star-system em uma era hipermoderna é. o título. na literatura. na política.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof.). na religião. GABARITO: E. suaexpansão para todos os domínios. a juriti. É valorativa porque. aos estrangeiros (mais especificamente às mulheres muçulmanas que cobrem o rosto).." FCC – TRE-AP – TÉCNICO – 2011 Texto I 30." 29. indo de fotos a pôsteres.. Portanto. revelando uma incoerência na atitude/postura proibitiva. os três últimos parágrafos colocam em xeque a postura do governo francês. A afirmação da letra E encontra respaldo no seguinte trecho do texto. do ponto de vista do autor. até na cozinha. no mundo inteiro. essas características enfatizam/valorizam/realçam o povo brasileiro e sua terra. na filosofia. Fernando Pestana www. GABARITO: B. O tema central é a questão da intolerância. de fato. anunciavam a planetarização de um sistema que o capitalismo de hiperconsumo hoje vê triunfar (antes da era hipermoderna já havia sinais de que o starsystem invadiria todos os domínios). A própria literatura consagra escritores no mercado internacional. na ciência. os quais negociam seus direitos por intermédio de agentes. Fernando Pestana – Aula 00 azuis. GABARITO: E. tem-se uma economia do estrelato. "desde que se revistam de caráter tradicional". que resolve a questão: "imagens como as de Gandhi ou Che Guevara (particularização). Em todo o domínio da cultura. Veja este trecho ratificador: "A intenção de discriminar muçulmanas transparece quando se considera a exceção feita na lei: máscaras usadas no contexto de festas. com trocadilho. manifestações artísticas ou procissões religiosas.

As expressões "sob o pretexto de que essa dissimulação" e "com a alegação de que essa ocultação" são sinônimas. opinativo.estrategiaconcursos. como se fosse realmente uma ‘norma’ a ser seguida? Daí a ideia de ‘normatividade’ a que o enunciado faz referência. ele o faz através de.. que são palavras de sentido opinativo (passo temerário (=imprudente. Faça uma ligação entre as palavras do fragmento e a afirmação sobre ele Prof. o que não ocorre com as outras alternativas. O adjetivo bom tem valor subjetivo. ou seja. O terceiro e o quarto parágrafo dizem que "A lei interdita o uso de vestimentas (valor genérico) que impeçam a identificação das pessoas. Fernando Pestana – Aula 00 31. normalmente. arriscado. a generalidade diz respeito à não especificação de vestimentas. FCC – TRE-RN – ANALISTA – 2011 Texto I 35. um verbo que exprime ponto de vista do autor do texto. adjetivos modalizadores. enquanto azul é meramente descritivo. Exemplo: Você deve estudar. apresentam o mesmo sentido.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof.. 32. O ponto de vista normativo do editorialista está na letra E porque só nela existe o uso de um verbo modalizador. ou seja. GABARITO: E.com. 33.br 50 de 59 . a lei se aplicaria a qualquer acessório − como máscaras ou capacetes − que oculte o rosto. O verbo DEVER é normalmente um verbo modalizador. Outra é dizer: Este carro é bom. No texto. GABARITO: B. precipitado)). Percebe a noção de imposição. GABARITO: D. pois apresenta noção de obrigatoriedade por parte de quem o usa. obrigatoriedade. GABARITO: E. quando um autor quer expressar sua opinião/julgamento (apreciação). Fernando Pestana www. percebe que tal adjetivo exprime um ponto de vista? Uma coisa é dizer: Este carro é azul." e "Nesse grau de generalidade. 34. GABARITO: C." Portanto.

Basta ler o segundo parágrafo: “A lavadeira e a pedra formam um ente especial. variegado = diferente.br 51 de 59 .com. ou seja. certeza. empanturrar = encher-se.. que se divide e se unifica ao sabor do trabalho.estrategiaconcursos.. uniforme. A expressão ao que tudo indica dá ideia de hipótese. Fernando Pestana www. vinculadas à ação direta ou indireta dos homens de que se tem notícia (esta parte se encontra no primeiro período do texto). fenomenal. GABARITO: E. GABARITO: E. Sobre II. a ideia de comparação entre passagem de costumes/hábitos com as pessoas e o fluxo das águas do rio é clara. Se a mulher entoa uma canção. GABARITO: E. portanto são expressões sinônimas. logo a resposta só pode ser a letra E. Sobre a C: singular = única. e não ilusória. Você está percebendo que as questões de interpretação da FCC são resolvidas em cima do texto. Fernando Pestana – Aula 00 na letra B. “na procura” e “à busca” também apresentam o mesmo sentido. Mera questão de sinonímia. Sobre a D: indigitar = mostrar. não deixe de sublinhar e resumir as ideias principais de cada parágrafo. parece que o canto murmurante Prof. “Empenhar-se” e “dedicar-se com afinco” têm o mesmo sentido. designar. Sobre a B: regalar = sentir grande prazer. Por isso. Sobre I. ok? 36. Outras vezes. variado.. real. percebe-se que a pedra a acompanha em surdina. em que seres não humanos passam a apresentar características humanas?). que se opõe à ideia de comprovação. Veja: Mas aquela que é o protótipo e a tataravó de todas as extinções (uma das primeiras extinções de animais). as pedras são personificadas (lembra-se desta figura de linguagem..Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. Texto II 38. Agora as incorretas. Sobre a letra A: prodigiosa = extraordinária. uso de palavras/expressões/frases diferentes com sentidos semelhantes. suposição. 37. o que nos ajuda a corroborar isso é o conectivo ‘como’ na expressão: como vão passando as águas no tempo.

” Foi? Sobre III. Portanto. Fernando Pestana – Aula 00 vem da pedra. Veja os elementos da narração: “Os portugueses tentaram iniciar a colonização em 1535. das idiossincrasias (individualidades) linguísticas. dos modismos vocabulares. se destacam de fato nos esportes de um modo geral.com.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. GABARITO: A. A ocupação portuguesa só se efetivou no final do século. O início do texto tem estrutura narrativa porque o autor o começa contando uma história. a afirmação é autoexplicativa: “Na frase Servem de espelho a suas donas é possível entender o sentido literal.estrategiaconcursos.br 52 de 59 . mas os índios potiguares resistiram e os franceses invadiram. FCC – ESCRITURÁRIO (BB) – 2011 40. personagens. e a lavadeira lhe dá volume e desenvolvimento. O autor faz justamente isto. morfológicas ou sintáticas regionais. O Estado tornou-se centro de criação de gado para abastecer os Estados vizinhos e começou a ganhar importância a extração Prof. e o sentido contextual. pois apresenta tom de certeza no que se diz. Características importantes da narração: voz de um narrador. normalmente. FCC – TRE-RN – TÉCNICO – 2011 41. O clima pouco favorável ao cultivo da cana levou a atividade econômica para a pecuária. GABARITO: B. por essa razão. como referência ao reflexo da água sobre as pedras (servem de espelho). enredo e verbo no passado. Vemos também que o texto defende a tese de que os brasileiros fazem muito sucesso. que se atinja a pretendida compreensão por todos os cidadãos. Veja que a marca principal da dissertação é o verbo no presente do indicativo. tempo/espaço. usa-se o registro formal da língua.” 39GABARITO: D. Fernando Pestana www. principalmente no futebol. O padrão culto de linguagem está acima das diferenças lexicais. O texto é dissertativo argumentativo. como identidade e cumplicidade entre a mulher e a pedra (suas donas). em que se expõe um assunto apresentando um ponto de vista defendido com argumentos. permitindo. com a fundação do Forte dos Reis Magos e da Vila de Natal. a afirmação de que termos regionais devem ser usados é absurda! Resumindo: em um contexto formal.

o Pico do Cabugi. No Discurso Direto (DD) há a presença de alguns elementos básicos (normalmente todos aparecem): verbo elocutivo (antecipando a fala da personagem). O Polo Costa Branca. do outro. veja o segundo parágrafo: “O litoral oriental compõe o Polo Costa das Dunas − com belas praias. Isso ocorre em todos os parágrafos subsequentes ao primeiro.estrategiaconcursos.Enunciado em primeira pessoa: Disse o detento: "Eu não confio mais na Justiça" Prof.: O professor pediu aos alunos: "Fiquem quietos". parafraseia a citação de alguém. Mossoró é a segunda cidade mais importante. (DI) Existem regras para a passagem do discurso direto para o indireto (os vocábulos do discurso direto têm de ficar depois do 'que'): DIRETO . aspas outravessão marcando a própria fala. Fernando Pestana – Aula 00 do sal – hoje.com. GABARITO: A. imagens detalhistas sobre um objeto.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. normalmente. E aí. um lugar. uma pessoa. veja os detalhes que respondem a esta questão agora: Na narração. Ex. dois-pontos. a caatinga. com dunas. do qual faz parte a capital. o Rio Grande do Norte responde por 95% de todo o sal extraído no país.” Já a descrição é caracterizada por apresentar verbos no presente do indicativo. o mar. Sobre tipos de discurso. É só ler.br 53 de 59 . em Angicos. pelo artesanato reunido no mercado São João e pelas salinas”. petróleo e frutas. A região é grande produtora de sal. Fernando Pestana www. abriga sítios arqueológicos e até um vulcão extinto. dunas e o maior cajueiro do mundo –. falésias. é caracterizado pelo contraste: de um lado. iniciada pela conjunção 'que'. o narrador expõe a fala da personagem de duas maneiras: dando voz à própria personagem ou reproduzindo com sua voz a fala da personagem. Para os preguiçosos (rs).DEFENDOR PÚBLICO . ficou claro agora? FCC – TRE-RS . no oeste do Estado. (DD) O professor pediu-lhes que ficassem quietos. falésias e quilômetros de praias praticamente desertas. etc.2011 42. Na dissertação também encontramos estes discursos quando o locutor do texto. Natal. Além da rica história. é conhecida por suas águas termais. No Discurso Indireto (DI) o narrador usa uma estrutura de oração subordinada substantiva.

br 54 de 59 .Verbo no futuro do presente: "Faremos justiça de qualquer maneira" INDIRETO .Verbo no presente do indicativo: "Eu não confio mais na Justiça" INDIRETO . isso: "A esta hora não responderei nada". Portanto tem caráter negativo. a expressão ‘tábula rasa’ não indica respeito. disse ele INDIRETO . Fernando Pestana – Aula 00 INDIRETO .Verbo no pretérito mais-que-perfeito composto do indicativo ou no pretérito mais-que-perfeito: Ele disse [que não tinha/havia roubado (ou roubara) nada] DIRETO . por exemplo.Verbo no futuro do pretérito: Declararam [que fariam justiça de qualquer maneira] DIRETO .Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. aquele. isto.Verbo no pretérito imperfeito do subjuntivo: O delegado ordenou ao promotor [que saísse da delegacia] DIRETO . por exemplo. mas sim o oposto. essa.Advérbio ali e lá: Ele disse [que dali não sairia tão cedo] FCC – TRF – ANALISTA – 2010 43. disse ele. GABARITO: D. este. Segundo o dicionário Aulete tal expressão é explicada assim: no empirismo mais radical. esta. aquela. INDIRETO .Verbo no imperativo.Pronomes de 3ª pessoa.Verbo no pretérito perfeito: "Eu não roubei nada" INDIRETO . Dentro deste contexto. é o estado de absoluto vazio mental anterior a toda experiência. Fernando Pestana www.Enunciado em terceira pessoa: O detento disse [que ele não confiava mais na Justiça] DIRETO . ordenou o delegado ao promotor INDIRETO .com.Advérbio aqui e cá: "Daqui eu não saio tão cedo".Pronomes pessoais.Verbo no pretérito imperfeito do indicativo: Ele disse [que não confiava mais na Justiça] DIRETO . possessivos e demonstrativos de 1ª pessoa. presente ou futuro do subjuntivo: "Saia da delegacia". esse. aquilo: Ele disse [que àquela hora não responderia nada à imprensa] DIRETO . quiçá Prof.estrategiaconcursos.

]” A carta também expõe reflexões (em forma de indagações) acerca do impacto de atitudes individuais sobre cenários mais amplos.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. FCC – AL-SP – AGENTE TÉCNICO LEGISLATIVO – 2010 44.br 55 de 59 . Como já recapitulamos a questão de transposição de tipos de discurso (direto para o indireto e vice-versa). fica fácil. com grande otimismo. acabou na verdade por nos vencer. especialmente depois de ter completado cinquenta anos de literatura. Fernando Pestana www. Já ‘ipso facto’ é uma frase latina. esta frase é frequentemente empregada para transmitir a ideia de que algo que tem sido feito ao contrário do direito é automaticamente anulado. Questão interessante. pois percebemos marcas de pessoalidade (verbos e pronomes na 1ª pessoa do discurso) no texto. De fato o texto preserva um tom subjetivo.com. e sinto que todas as coisas pelas quais trabalhei e lutei estão em decadência.estrategiaconcursos. Enfim. por mais que achássemos que sim? Ou estará na abstração que chamamos de “natureza humana”? Teremos ajustado as nossas crenças a um conceito de homens e mulheres que não se adequava aos fatos rasteiros?” Prof.. Bem. Na lei. em vez de ser provocada por uma ação subsequente. esta expressão e ‘por essa razão’ são sinônimas. como o inimigo que haveria de ser derrotado. Reflito sobre a minha vida. pois mistura transposição de discursos com voz verbal. O que antes eu via como o inimigo e. GABARITO: D. [. GABARITO: B. como no primeiro parágrafo: “Entre as coisas que temos em comum está a depressão cultural. veja: “A questão diante de nós dois é: onde está a culpa? Estava em nós? Por nunca termos feito o suficiente. como o veredicto de um tribunal.. “nos locupletemos” = “locupletássemos”. Fernando Pestana – Aula 00 pejorativo. o verbo no imperativo (discurso direto) fica no pretérito imperfeito do subjuntivo (discurso indireto): “Restaure-se” (voz passiva sintética) = “fosse restaurada” (voz passiva analítica). que significa que um certo efeito é uma consequência direta da ação em causa. FCC – OFICIAL DE CHANCELARIA – 2009 45.

a de que os sem-banho tenham acesso a sabonete barato. em alguns picos críticos. não seria o que está acontecendo. 47.estrategiaconcursos. estaremos caindo numa sociedade do homem e da mulher medíocres onipresentes.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. devido à maneira como a democracia é exercida.” Perceba que há duas orações condicionais. desodorante e roupas de plástico.com. governados por altas mediocridades. relacionada a 1) um sentimento de culpa e ao 2) futuro da sociedade. Veja como é importante perceber a relação entre os conectivos com as ideias de partes que compõem o texto. pode caber a uma geração um destino parecido com o das larvas e borboletas. Portanto. como um dos degraus da escalada a um nível mais alto. Fernando Pestana www. diluindo-o a fim de servir de base para a argumentação da autora. Veja: “Humes observou certa vez que a civilização humana como um todo subsiste porque “uma geração não abandona de vez o palco e outra triunfa. e o segundo o desconstrói. podemos dizer que o autor não está mais certo se 1) o que ele esperava da democracia já não seria uma expectativa utópica ou 2) se a maneira como ela é exercida não seria o esperado. está inseguro quanto à sua opinião a respeito da maneira como a democracia vem sendo exercida. este parágrafo também revela uma dupla apreensão. Fernando Pestana – Aula 00 Por fim. Isso fica claro no último período do texto: “Ou se. pois ela diz que podem coexistir duas gerações (as das larvas e Prof. estaremos caindo numa sociedade do homem e da mulher medíocres onipresentes. pois ele não tem certeza. Todo o último parágrafo é cerceado por uma hesitação do autor.” A argumentação dela tem outras bases que vão além do pensamento do filósofo. como temo. pois o primeiro ‘refere comentário do filósofo Humes’. Em algumas guinadas da história. como acontece com as larvas e as borboletas”. [2º momento]: Ou se. GABARITO: D.br 56 de 59 . porém. hesitação. Ambas (sublinhadas) indicam hipótese. dúvida quanto à manifestação da democracia. Há dois momentos que espelham bem essa hesitação: “[1º momento]: Às vezes me pergunto se isso não será puro elitismo de minha parte.” 46. como temo. GABARITO: E. governados por altas mediocridades. e se a verdadeira premissa da democracia. Os dois primeiros períodos do texto nos dão o gabarito.

em flagrante admiração..” Em outras palavras. Em todas as demais duplas. foi ganhando uma aura nos mais de vinte anos que desde então transcorreram.” 48. 51. apesar do caráter esotérico dos seus primeiros trabalhos e fragmentário dos últimos.. GABARITO: E.. a abordagem trata do mesmo assunto....” 49. na segunda se fala de comércio. abordagens/assuntos totalmente avessos. Em consonância com a afirmação da letra C. e “Nenhuma das intuições desse pensador inesgotável apresentava-se como mera intuição”. A fascinação de sua pessoa e oeuvre só deixou a alternativa da magnética atração ou da rejeição horrorizada. diz: “A fascinação de sua pessoa e oeuvre só deixou a alternativa da magnética atração ou da rejeição horrorizada. FCC – TRE/SP – ANALISTA JUDICIÁRIO – 2012 50.. como se tivesse se tornado radioativo. Isso fica claro no seguinte trecho: “Pois o declínio do velho e o nascimento do novo não são necessariamente ininterruptos. entre os que. mesmo depois de sua morte. encontramos a resposta no primeiro período do texto.. tudo se metamorfoseava. Fernando Pestana – Aula 00 das borboletas ao mesmo tempo). GABARITO: B.com. Veja: “O nome do filósofo..estrategiaconcursos. A ideia de força transformadora das palavras e pensamento de Walter Benjamin é explicitamente encontrada no texto.. e “a citava pelo pensamento como um refinado instrumento de conhecimento.”. entre as duas expressões. mesmo que os trabalhos iniciais e finais de Benjamin não tenham tido grande projeção. no qual imprimia a sua marca.” Por isso o autor. Na primeira se fala da baleia. por uma razão ou outra. Há.br 57 de 59 . entre as gerações. Prof.. ainda pertencem ao velho e os que pressentem a catástrofe nos próprios ossos ou já cresceram com ela [. Fernando Pestana www.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof.. segundo o autor do texto.] está rompida a continuidade e surge um “espaço vazio”. GABARITO: C. GABARITO: C. O autor (Adorno) deixa escapar diversas expressões elogiosas à pessoa-tema do texto: “Sob o olhar de suas palavras – onde quer que ele caísse −. seu nome e obra são impactantes.

“sem progresso”. de Prof. irmãos entre si (em ambos os casos. mesmo entre adotivos). A afirmação da letra B encontra respaldo neste momento do texto (1º e 2º parágrafos): “. Fernando Pestana www. pois tanto a baleia como a União Soviética. Incesto é a relação sexual entre pais e filhos. há inúmeros momentos em que nos sentimos “reféns” de valores prescritivos que cerceiam nossa liberdade. pois somos dependentes dela. Os cinco primeiros parágrafos do texto desenvolvem a ideia de que.. FCC – ISS/SP .. das democracias liberais’. ocidentais. Fernando Pestana – Aula 00 A afirmação em I procede.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. eram seres gigantes. pela Igreja e leis sociais. é vista como um símbolo do não progresso. mesmo quando criticamos nossas sociedades ocidentais.com. A afirmação em III também procede. se há algo que determina o que há de mais importante na tradição ocidental é exatamente a ideia de que não temos clareza a respeito do que nossos valores significam” 53. não seríamos capazes de sair do horizonte normativo que define o conjunto de seus valores”. Isso significa que ‘o homem ocidental não encontra outro ponto de referência para avaliar sua forma de vida que não seja o delineado pelos valores. tal qual a baleia que ficou presa. temos com nossa cultura. FCC – TCE/SP – AGENTE DE FISCALIZAÇÃO FINANCEIRA – 2012 52.. imóvel. aquilo que pretensamente faria a diferença e a superioridade moral de nossa forma de vida − esta que encontraria sua melhor realização no interior das sociedades democráticas liberais . a saber: “Por isso. GABARITO: B.br 58 de 59 . ainda que considerados no plano da idealidade. que é proibida pelos costumes. GABARITO: A.estrategiaconcursos. não a descartamos. O texto fala de uma relação de amor e ódio que nós.. GABARITO: D. Tal ideia é resumida e corroborada no sexto parágrafo. pois a União Soviética. O título do artigo é “Elogio do Incesto”. encalharam (tanto literalmente (a baleia ficou retida) quanto metaforicamente (a União Soviética não progrediu como Estado).AUDITOR-FISCAL TRIBUTÁRIO MUNICIPAL I (GESTÃO TRIBUTÁRIA) – 2012 54. guardadas as devidas proporções. apesar de vivermos em uma “suposta” liberdade democrática. Isso gera uma confusão mental quanto aos nossos valores. Ao mesmo tempo em que a criticamos. assim como o Brasil (no último parágrafo).

a saber: “O que há de extraordinário nessa citação?” = “Não há nada de extraordinário nessa citação”. As perguntas retóricas são importantes estratégias de argumentação. de modo que se deve observar e desenvolver sua própria cultura. GABARITO: A. A definição de pergunta retórica está perfeita na letra A. Mentalize sempre que a vaga é sua e só depende de você! Sei que é clichê.br 59 de 59 . mas é uma máxima.com. E. A partir desta afirmação velada. 55. Fernando Pestana – Aula 00 uma maneira mais abrangente é aquilo que não tem pureza. o autor opta por fazer uma pergunta cuja resposta já está embutida. Espero que vocês tenham gostado de acompanhar a aula superimportante e intensa de hoje.br fernandopestana@estrategiaconcursos. De acordo com a leitura do texto.estrategiaconcursos. percebemos que o discurso do nacionalismo cultural apregoa justamente o descarte da influência estrangeira. em vez de afirmar algo. E. ---------------------------------------------------------------------------------Meus nobres. de fato. chegamos ao fim de apenas uma parte de nossa saga. ele desenvolve seu texto. que é torpe. só para piorar (rs). pois. cito duas frases motivadoras (uma bem a minha cara — preciso trabalhar divertindo-me — e a outra para pessoas sérias como você): “E lembrem-se: “O Poder é de vocês!”’ (Capitão Planeta) “Somos donos do nosso destino.br Prof. Grande abraço e até a próxima! Fernando Pestana fernandopest@yahoo.Língua Portuguesa para o ICMS/SP Questões comentadas da FCC Prof. Fernando Pestana www. Somos capitães da nossa alma!” (Winston Churchill). impuro.com.com. tratase de uma pergunta retórica. pura e imaculada.