Erro do dia e respectiva correcção – Nº 10

30.06.2013

Transcrições do livro de Lauro Portugal «Gente famosa continua a dar PONTAPÉS NA GRAMÁTICA», 2006, Roma Editora.
Com prévia autorização do autor. Página 153

Sexo e a cidade – Oficina do Livro, 2001:
pág. 135: "já fui comida por parva vezes demais" (A ideia de
quantidade não pode ser dada pelo vocábulo assinalado, que tem outro sentido, mas pela locução adverbial constituída pelos seus dois elementos em separado. Correcto: "já fui comida por parva vezes de mais"). Idêntica 'fruta" na página seguinte: "Adora quando compro roupas demais ... "; e na pág. 158: disse que eu era demais". "Demais, como?" - perguntou a Cici."; e ainda na pág. 208: "Esses homens já deram falsas esperanças vezes demais.". Realmente é o mesmo "pontapé" vezes de mais!)

pág. 144: "Sou auto-analítico, auto-crítico, auto-consciente." (Auto-analítico
pode ser. Quanto ao resto, não. É que o elemento formativo de palavras auto- liga-se por hífen ao que se lhe segue apenas quando este começa por vogal, h, r ou s. Correctamente se escreverá, então : "Sou auto-analítico,

autocrítico, autoconsciente.") pág. 171: "Tu és daquelas pessoas que se põe ao telefone do carro ... " (Correcto: "Tu és daquelas pessoas que se põem ao telefone do carro ... " - o verbo antecedido

de uma expressão como "(um) daqueles" seguido de pronome relativo assume a terceira pessoa do plural.)

pág. 194: "Quando é que cresces, bebézinho?" (Tanta gente que pegou no
bebézinho e ninguém se apercebeu de que ele já cresceu e hoje não precisa do acento grave e muito menos do agudo?! Foi pelo Decreto-Lei n" 32/73 que as palavras derivadas com os sufixos -zinho e-mente) foram "operadas" ao sinal grave. O agudo já tinha "ido à vida" pela Portaria n" 2553 de 29 de Novembro de 1920! Por onde têm andado estes falsos "guardadores das palavras"? Exemplos: cafezinho, sozinho, pozinho, pezinho do bebezinho …)

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful