P. 1
Equipamentos Passivos de Redes-

Equipamentos Passivos de Redes-

4.0

|Views: 2.416|Likes:
Publicado porvaniaisa1468

More info:

Published by: vaniaisa1468 on May 12, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPTX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/27/2013

pdf

text

original

yREPETIDORES yHUB yBRIDGES ySWITCHES

REPETIDORES
y Em informática,

repetidor é um equipamento

utilizado para interligação de redes idênticas, pois eles amplificam e regeneram electricamente os sinais transmitidos no meio físico.

Repetidores

y Os repetidores actuam na camada física (Modelo OSI),

recebem todos os pacotes de cada uma das redes que ele interliga e os repete nas redes sem realizar qualquer tipo de tratamento sobre as mesmas. Não se pode usar muitos deste dispositivo numa rede local, pois degeneram o sinal no domínio digital e causam problemas de sincronismo entre as interfaces de rede.

Repetidores
y Os repetidores são utilizados para estender a transmissão de ondas de rádio, por exemplo, redes wireless, wimax e telefonia celular.

HUB
y HUB ou Concentrador, é a parte central da conexão de

uma rede. Muito usado no começo das redes de computadores ele é o dispositivo activo que concentra a ligação entre diversos computadores que estão numa Rede de área local ou LAN. Trabalha na camada física do modelo OSI, ou seja, só consegue encaminhar bits.

y Apesar de sua topologia física ser em estrela, a lógica é

comparada a uma topologia em barramento por não conseguir identificar os computadores em rede pelos endereços IP, não conseguindo assim rotear a mensagem da origem para o destino.

HUB
y Neste caso o HUB é indicado para redes com poucos

terminais, pois o mesmo não comporta um grande volume de informações passando por ele ao mesmo tempo devido á sua metodologia de trabalho por broadcast, que envia a mesma informação dentro de uma rede para todas as máquinas interligadas. Devido a isto, a sua aplicação para uma rede maior é desaconselhada, pois geraria lentidão na troca de informações pelo aumento do domínio de colisão.

HUB y Actualmente os fabricantes costumam anunciar a venda de HUBS gerenciáveis que na verdade trabalham com função semelhante a um Switch.

SWITCH
y Um Switch é um dispositivo utilizado em redes de computadores para reencaminhar frames entre os diversos nós. Possuem diversas portas, assim como os concentradores (hubs) e a principal diferença entre o comutador e o concentrador é que o comutador segmenta a rede internamente, sendo que a cada porta corresponde um segmento diferente, o que significa que não haverá colisões entre pacotes de segmentos diferentes, ao contrário dos concentradores, cujas portas partilham o mesmo domínio de colisão.

Funcionamento do SWITCH
y Os comutadores operam semelhantemente a um

sistema telefónico com linhas privadas. Nesse sistema, quando uma pessoa liga para outra a central telefónica conectará numa linha dedicada, possibilitando um maior número de conversações simultâneas.

Funcionamento do SWITCH
y Um comutador

opera na camada 2 (camada de

enlace), encaminhando os pacotes de acordo com o endereço MAC de destino, e é destinado a redes locais para segmentação. Porém, existem actualmente

comutadores que operam juntamente na camada 3 (camada de rede), herdando algumas propriedades dos roteadores (routers).

SWITCH
y Os comutadores não propagam domínios Cut Through. y O comutador envia o quadro logo após ler o MAC de destino.

Este método não averigua o valor da soma de verificação.

y Fragment Free - Este método tenta utilizar os benefícios dos

métodos "Store and Forward" e "Cut Through". O "Fragment Free" verifica os primeiros 64 bytes do quadro, onde as informações de endereçamento estão armazenadas.

y Adaptative Switching - Este método faz o uso dos outros três

métodos.

Switch de 24 portas 3 com cabos de rede conectados:

BRIDGES
y Bridge ou ponte é o termo utilizado em informática para designar um dispositivo que liga duas ou mais redes informáticas que usam protocolos distintos ou iguais ou dois segmentos da mesma rede que usam o mesmo protocolo, por exemplo, Ethernet ou token ring. y Bridges servem para interligar duas redes, como por exemplo ligação de uma rede a um edifício com outro.

BRIDGES
y Uma bridge ignora os protocolos utilizados nos dois segmentos que liga, já que opera a um nível muito baixo do modelo OSI (nível 2); somente envia dados de acordo com o endereço do pacote. Este endereço não é o endereço IP (internet protocol), mas o MAC (media access control) que é único para cada placa de rede.

BRIDGES
y Os únicos dados que são permitidos atravessar uma

bridge são dados destinados a endereços válidos no outro lado da ponte. Desta forma é possível utilizar uma bridge para manter um segmento da rede livre dos dados que pertencem a outro segmento.

BRIDGES
y É frequente serem confundidos os conceitos de bridge

e concentrador (ou hub); uma das diferenças, é que o pacote é enviado unicamente para o destinatário, enquanto que o hub envia o pacote em broadcast.

BRIDGES
y As

pontes têm, internamente, uma memória que armazena os endereços MAC de todos os computadores da rede. Com base nessas informações é criada uma tabela na qual identifica cada computador e o seu local nos segmentos de rede. Quando a ponte recebe o pacote do endereço de origem é comparado com a tabela existente, se reconhecer o endereço ela encaminhará o pacote a esse endereço, caso contrário para todos os endereços da rede.

Curso Técnico de Informática Instalação e Gestão de Rede
Trabalho Elaborado por :Vânia Filipe

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->