P. 1
A Ordem Rosacruz

A Ordem Rosacruz

|Views: 118|Likes:
Publicado porJose Mairena

More info:

Published by: Jose Mairena on Jul 11, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/12/2014

pdf

text

original

Sections

  • Parte 1: Akhenaton e o Logos Solar
  • Parte 3: Akhenaton e o Logos Solar
  • Parte 4: Akhenaton e o Logos Solar

A Ordem Rosacruz e a Maçonaria (POR RICARDO LUCAS

)

Para saber-se as ligações entre a Maçonaria e a Ordem Rosacruz ou antiga e Mística ordem Rosae Crucis (AMORC) como preferem os seus adeptos, vamos fazer algumas considerações sobre essa Ordem. Rosacruz é denominação da fraternidade filosófica, que, de acordo com a tradição mais em voga, teria sido fundada por Christian Rosenkreuz e representa uma síntese do ocultismo imperante na Idade Média. Harvey Spencer Lewis pretende, todavia, que rosenkreuz tenha sido, simplesmente, um renovador, já que a instituição remontaria ao antigo Egito, à época do faraó Amenophis IV. O rosacucianos, tem aceitado essa hipótese falseando, lamentavelmente a verdade histórica, pois, na realidade, essa fraternidade nasceu no período medieval, embora apresentando, em sua ritualística, muito do misticismo das antigas civilizações, como acontece com a maçonaria (muitos maçons também querem fazer crer que a Ordem Maçônica é antiguíssima e já existia no Antigo Egito e na Pérsia, o que é, verdadeiramente, uma heresia histórica). O rosacrucianismo, assim como a Maçonaria, é um sincretismo de diversas correntes filosóficas-religiosas: hermetismo egípcio, cabalismo judaico, gnosticismo cristão, alquimia etc. A primeira menção histórica da ordem data de 1614, quando surgiu o famoso documento intitulado "Fama Fraternitatis", onde são contadas as viagens do alemão Rosenkreuz pela Arábia, Egito e Marrocos, locais onde teria adquirido sua sabedoria secreta, que só seria revelada aos iniciados. A ORDEM NAS AMERICAS: Harvey Spencer Lewis, foi à pessoa que reaativou a AMORC na América do Norte, no início do século XX, já que ela havia existido anteriormente, onde algumas pessoas que se destacaram como Benjamim Frnklin teriam pertencido à mesma. Na ocasião a Ordem era ativa em alguns países da Europa, como França e Alemanha, mas com rituais diferenciados. Harvey Spencer Lewis ao trazer a AMORC para a América, não o fez sem antes estudar por mais de 10 anos suas raízes, o que permitiu mais tarde unificar todas as ordens no mundo, cuja essência fosse a mesma. A introdução do estudo à distância permitiu a rápida proliferação da AMORC e em 1915 ele tornou-se o 1º IMPERADOR, para a América do Norte. A unificação com as demais ordens ocorreu no início dos anos 30, tornando-se Lewis o primeiro imperador mundial. No Brasil, os estudos foram introduzidos na década de 50, e o cargo supremo é ocupado por um grande mestre. O nome AMORC (Antiga e mística Ordem Rosa Cruz) foi dado para diferenciar-se de outras ordens filosóficas de mesmo nome, mas com diferente essência. O CASAMENTO QUÍMICO DE CHRISTIAN ROSENKREUZ: O teólogo Johann Valentin Andréa, neto do também teólogo luterano Jacob Andréa, foi o homem que divulgou o rosacurcianismo. Andréa, que nasceu em Herremberg, no Werttemberg, em 1581, depois de viajar pelo mundo, retornou à Alemanha, onde se tornou pregador da corte e, posteriormente, abade. A sua principal importância, todavia, originou-se do papel que ele teve naquela sociedade alemã, que no princípio do século XVII, lutava por uma renovação da vida, com uma nova insuflação espiritual. A popularidade alcançada por Andréa, entretanto, com a Societas Solis (Sociedade do

Sol), a que ele procurou dar vida e a Ordem das Palmeiras, em que ele foi admitido aos 60 anos de idade, não se comparou à que ele conseguiu ao publicar o seu romance satírico "O Casamento Químico de Christian Rosenkreuz", que criticava, jocosamente, os alquimistas e as ligas secretas, numa época que, de maneira geral, era de desorientação, onde o ar andava cheio de rumores e a velha ordem religiosa desagregava-se. A partir de 1597, já aconteciam reuniões de uma liga secreta de alquimistas, que haviam ficado sem irradiações e sem significado espiritual. Foi então que a palavra Rosa-Cruz adquiriu, rapidamente, uma grande força atrativa, a ponto de, num escrito anônimo de 1614, chamado "Transfiguração Geral do Mundo", ser incluído o conceito de "Fama Fraternitatis R.C.", sem necessidades de ser escrito por extenso, pois ele já era bem entendido. Uma outra pequena obra, surgida um ano depois e chamada "Confessio", publicava a constituição e a exposição dos fins que a Ordem era destinada. O HERÓI VIVEU 150 ANOS, EXTINGUINDO-SE VOLUNTARIAMENTE: De acordo com o "Confessio", a ordem Rosacruz representaria uma alquimia de alto quilate, na qual em vez das pesquisas sobre a Pedra Filosofal, era buscada uma finalidade superior, ou seja, a abertura dos olhos do espírito, através dos quais pudesse, o homem, ficar apto a ver o mundo e os seus segredos com mais profundidade. As correntes dos alquimistas medievais, então, diante da necessidade espiritual da época, incrementada pela disposição de renovação e organização secreta, tomaram enorme vulto com o aparecimento do romance satírico de Andréa. O herói do romance é o Christian Rosenkreuz já descoberto pela "Fama Fraternitatis" e que já tinha, no século XIV, viajado pelo Oriente e, ali, aprendido a "Sublime Ciência"; teria ele segundo a lenda que lhe cercou o nome, voltado para a Alemanha, onde sua idéia foi seguida por muitas pessoas, até chegar aos 150 anos de idade, quando, cansado na vida, extingui-se voluntariamente. Andréa, no romance, aproveitou-se do nome que havia sido encontrado para ser a figura fundadora, mas o seu Rosenkreuz era velho e impotente, motivo pelo qual o seu casamento só poderia ser químico. Todavia, ele tem cultura e conhece muitos segredos, além de estar sempre ávido por conhecer outros, por esse motivo é que, em certa ocasião, como hóspede da família real, ele entra num quarto em que dorme Vênus; depois quando, como outros convidados, ao ser proclamado cavaleiro da ordem da Pedra Dourada deve, de acordo com os estatutos da Ordem, repudiar toda a lascívia, torna-se público o seu erro. Assim, enquanto os outros vão embora, como cavaleiros da nova Ordem, ele tem que ali permanecer, na qualidade de porteiro, como castigo por ter descoberto Vênus. A MÍSTICA IDÉIA DA ROSA PROVOCOU GRANDE SEDUÇÃO: Com essa sátira, dirigida às sociedades secretas e à alquimia, Andréa havia desvendado tanto de positivo sobre a nova Ordem, que restou a impressão de que ela já existia, ainda que só como imagem literária. Pode-se notar, facilmente, que a Pedra Filosofal dos alquimistas (que transformaria os metais inferiores em ouro); além disso, o encontro dos convidados ao casamento, vindos de todas as partes do mundo, e a sua ligação dentro da nova ordem ilustram o desejo de dar corpo aos esforços no sentido de uma renovação espiritual da vida, valendo-se do sugestivo símbolo Rosacruz. Esse símbolo, além de sugestivo, corresponde à ansiedade daquela época. Alguns procuraram relaciona-lo com as armas de Lutero, coisa que não pode ser facilmente aceita, pois ele poderia ser, nesse caso, relacionado, também, com as armas de Paracelso, convindo esclarecer que Andréa representou o seu Rosenkreuz com quatro

rosas no chapéu, rosas essas que, desde a época de seu avô Jacob Andréa, adornavam as armas de sua família. Robert Fludd, considerado como o primeiro rosacruz da Inglaterra, diz que o nome da ordem está ligado a uma alusão ao sangue de Cristo, na cruz do Gol-gota; a mística idéia da rosa, associada à lembrança da cor do sangue e aos espinhos que provocam o seu derramamento, contribuiu, certamente, para dar à palavra, uma grande força de sedução. Além disso, muitos rosacruzes vêem, no emblema, um símbolo alquimista, concretizando uma ambiguidade muito comum aos símbolos. Os rosacruzes atuais tem uma interpretação bem mais mística a respeito da cruz e a rosa. A cruz representaria o ser humano, a parte material, enquanto a rosa representaria o ser imaterial, a alma, espírito ou corpo astral. A JUNÇÃO DOS SEXOS LEVA AO SEGREDO DA IMORTALIDADE: Como a preocupação máxima dos alquimistas que se ligaram à Ordem Rosacruz era o segredo da imortalidade e a regeneração universal, o símbolo rosacruciano está relacionado com essa preocupação. Em botânica oculta, a rosa era uma flor iniciática, para diversas ordens religiosas, sendo, que, atualmente, a arte sacra continua a considera-la como símbolo da paciência, do martírio, da Virgem (Rosa Mística); no quarto domingo da Quaresma, em todos os anos, o papa benze a Rosa de Ouro, que é considerada como um dos muitos sacramentais oferecidos pela Igreja, em sua liturgia. Em última análise, a rosa representa a mulher, enquanto que a cruz simboliza o sexo masculino, pois para os hermetistas, ela é o símbolo da junção da eclíptica com o equador terrestre (eclíptica é a órbita aparente do Sol, ou a trajetória aparente que o Sol descreve, anualmente, no céu); ambos cruzam-se no equinócio da primavera e no equinócio de outono. Assim, a Rosa simboliza a Terra, como ser feminino, e a Cruz simboliza a virilidade do Sol, com toda a sua força criadora que fecunda a Terra. A junção dos sexos leva à perpetuação da vida e ao segredo da imortalidade, resultando, também, dela, a regeneração universal, que é o ponto mais alto da doutrina rosacruciana. A ALQUIMIA EVIDENCIA UMA LIGAÇÃO ENTRE AS DUAS ORDENS: Existe ligação entre a Maçonaria e os rosacruzes e essa ligação começou já na Idade Média. No fim do período medieval e começo da Idade Moderna, com inicio da decadência das corporações operativas (englobadas sob rótulo de maçonaria de Ofício ou operativa), estas começaram, paulatinamente, a aceitar elementos estranhos à arte de construir, admitindo, inicialmente, filósofos, hermetistas e alquimistas, cuja linguagem simbólica assesemlhava-se à dos franco-maçons. Como a Ordem Rosacruz estava impregnada pelos alquimistas, como já vimos, daí a ligação do rosacrucianismo e da alquimia com a Maçonaria. Leve-se em consideração, também, que durante o governo de José II, imperador da Alemanha de 1765 a 1790, e co-regente dos domínios hereditários da Casa d'Áustria, houve um grande incremento da Ordem Rosacruz e sua comunidade, atingindo até a Corte e fazendo com que o imperador proibisse todas as sociedades secretas, abrindo, apenas, exceção aos maçons o que fez com que muitos rosacruzes procurassem as lojas. Ambas as Ordens são medievais, se for considerado o maior incremento da Maçonaria de Ofício durante a Idade Média e o início de sua transformação em Maçonaria dos Aceitos (também chamada, indevidamente, de "Especulativa"). Se, todavia, considerarmos o início das corporações operativas, em Roma, no século VI antes de Cristo, a maçonaria é mais antiga. Isso, é claro, levando em consideração apenas, as evidências históricas autênticos e não as "lendas", que fazem remontar a origem de

para divulgar. leva a marca dos ritualistas alquímicos. ou seja. a tipificação da transcendência da Grande Obra. Assim. a instituição maçônica. separar Maçonaria e roscrucianismo. são as iniciações nos seus respectivos graus. Cada ponto cardeal é ocupado por um membro. O misticismo dos símbolos rosacruzes. representando esta. foi mantido. e por último. o simbolismo dos rosacruzes. e poder discutir com os presentes os resultados. O estudo no templo. O SIMBOLISMO: Vários são os símbolos comuns às duas instituições. o seu significado e reduzindo-o a termos mais reais. DA REGENERAÇÃO E IMORTALIDADE A REFORMADOR SOCIAL: A partir da metade do século XVIII e. modificando. A sua origem hermetista e a sua integração na Maçonaria. O Cavaleiro Rosa Cruz. pois embora a Maçonaria não seja uma ordem mística. ao 7º grau do Rito Moderno. incorporado. de uma maneira geral. aos seus vários ritos. a sua mensagem de reformadora social. que nada mais é do que o esoterismo cristão. conhecido como grau do ARTESÃO. ocultistas e metafísicas. principalmente. o símbolo máximo dos rosacruzes: ao 18º grau do Rito Escocês Antigo e Aceito. sendo que para ambas.ambas as instituições ao antigo Egito. No caso da Maçonaria a iniciação é ao grau de Aprendiz. com a ressurreição de Jesus Cristo. impressionar o iniciante. ao 12º grau do Rito Adoniramita etc. o que também ocorre na maçonaria. a reunião templária fortalece a egrégora da organização. proporciona ao estudante além do contato social como os demais integrantes. a começar pela disposição dos mestres com cargos. a primeira é a mais marcante. e da AMORC. e assim como a maçonaria. um pouco. todavia. durante a Segunda metade do século XVIII. leva-lo à reflexão. herdeiros dos alquimistas. ou seja. utiliza-se do misticismo de diversas civilizações e de várias correntes filosóficas. tendo. um grau cavaleiresco e se constitui no 18º Grau do Rito Escocês Antigo e Aceito. e a passagem do Sol pela Terra. enquanto é aceito o princípio da regeneração só pode ocorrer através do aperfeiçoamento contínuo do homem e através da constante investigação da Verdade. assumir o compromisso de manter velado todos os símbolos. como o próprio nome diz. A Maçonaria também incorporou. é. em larga escala. A maçonaria é uma ordem totalmente templária. depois de José II. AS INICIAÇÕES: Uma singularidade entre a AMORC e a Maçonaria. a possibilidade de participar de experimentos místicos em grupo. é composto de vários graus. O hermetismo atribuído ao Grau 18 é perceptível no símbolo do grau. tornava-se difícil. que vão do neófito (iniciante) ao 12º grau. As iniciações tem o mesmo objetivo. lembrando os pontos cardeais. que redigiram naquela época os rituais dos Altos Graus. o segredo da imortalidade da alma e do espírito humano. a admissão ao 1º grau de templo. que tem uma Rosa sobreposta à Cruz. com a maciça entrada dos rosacruzes nas lojas maçônicas. mesmo não sendo obrigatório. e se o fizer. para que ele decida naquele momento se deve ou não seguir adiante. Já a Antiga e Mística Ordem Rosacruz dá ao estudante o livre arbítrio de estudar em casa ou em um templo Rosacruz. os ensinamentos só ocorrem dentro das lojas. ela. do Oriente ao Ocidente. o sacrifício e a Rosa o segredo da imortalidade. O estudo em casa é acompanhado à distância. usos e costumes da instituição de que fará parte. A figura do venerável mestre na .

sendo que neste último não se usa a bíblia ou outro livro. anexo ao templo principal. mas sim 3 velas dispostas de forma triangular. Os iniciantes na Ordem Rosa Cruz recebem seus estudos em um templo separado. O altar dos juramentos encontra semelhança no Shekinah na ordem Rosa Cruz.maçonaria. enquanto os aprendizes maçons recebem sua instruções juntamente com os demais irmãos e. também é similar. A linha imaginária que vai do altar dos juramentos ao Painel do Grau. usam paramentos especiais. (equivalente aos mestres com cargo). e a caminhada somente no sentido horário. na figura de um mestre instalado. finalmente. que ocupa seu lugar no leste. Outra semelhança é o uso de avental por todos os membros iniciados ao adentrarem o templo. a Vida e o Amor. Algumas das diferenças ficam por conta da condução do ritual. o formato físico da loja maçônica lembra as construções greco-romanos. ALQUIMIA ROSACRUZ E A ORDEM HERMÉTICA DA AURORA DOURADA . e a entrada dos membros ocorre pelo Ocidente. enquanto que os oficiais. encontra similar na Ordem Rosacruz. enquanto que a Ordem Rosa Cruz (AMORC) lembra as construções egípcias. Em ambos os casos o templo é pintado na cor azul celeste. onde na rosa cruz tem caráter místico-filosófico. simbolizando a luz. ocupando sua posição no Oriente. que são acesas no início do ritual e apagadas ao final deste. cada qual simbolizando o cargo que ocupa no ritual. O avental usado pelos membros não diferencia o grau de estudo.

D. VII". . .2 sobre Alquimia é bastante valioso e sumamente interessante.A. traduzida para o Inglês por W. O único documento referente a alquimia prática era um documento Z. um desdobramento daquele aspecto da tradição Rosacruz conhecido como "Teurgia". Esta Biblioteca Hermética continha vários livros muito pouco conhecidos sobre a Alquimia (em Latim.) . assim trataremos de analisá-lo na segunda parte deste escrito. esta coleção de livros constituía uma muito valiosa fonte de informação sobre os rituais da Ordem Externa. e A. a tradição Rosacruz mesma cresceu desde a tradição Alquímica. havia vários sobre Alquimia.com notas por S. Este documento Z. Aesch-Metzareph ou Fogo Purificador da Kabbalah de Rosenroth (traduzido por "Um Amante de Philaletes" . Francês e Inglês) dos quais forneço a lista completa: . Não devemos esquecer também que os membros da Golden Dawn podiam consultar a famosa "Biblioteca Hermética Westcott" fundada em 1891 para a conveniência de sua investigação esotérica.Vol III. . A Alquimia era parte do curriculum estudado pelos membros da Ordem Hermética da Golden Dawn.Vol IV.S. Alemão. Outros se surpreenderiam ao inteirar-se que a Golden Dawn não é.R. De resto.Abraham Eleazar: Uma antiga Obra alquímica. e da Sóror S.Vol I. exceto algumas definições muito concisas dadas nas "Knowledge Lectures" sobre vários termos usados na Alquimia.Muitas pessoas.25 tratados alquímicos em Latim. sem a Alquimia. Wynn Westcott) e registrado como "Rol de Vuelo Nro. Antes da fundação da Ordem Interna por detrás da Golden Dawn. havia somente um curto estudo chamado "Alquimia" escrito em 1890 pelo Frater Sapere Aude (Dr. nem tem sido jamais uma Ordem "mágica". As notas e comentários do Frater S. (Florence Farr). porém. O verdadeiro lugar da Teurgia dentro da tradição Rosacruz tem sido sempre como disciplina complementar a Alquimia. Bem agora.2 disponível para membros avançados da Ordem Interna.S. Na Segunda Ordem da R. Entre os tratados publicados na Coletânea Hermética.Alquimia . devemos também incluir todos os livros editados por Wynn Westcott em sua Coletânea Hermética porque era considerada como o verdadeiro curriculum de estudo para todos os membros dedicados da Ordem Externa. De resto. Hunter de um manuscrito alemão. Ademais.D.D.) desde o principio tem sido uma depositaria da tradição espiritual rosacruz. aquilo que hoje tem sido popularizado como "Magia" ou "Magia(k)" é.A. Euphrates ou as Águas do Este por Eugenius Philalethes (Thomas Vaughan) com um comentário de S. Arcanum Hermético por Jean d'Espagnet com notas de Sapere Aude.D.C. . É na troca com a Ordem Interna por detrás da Golden Dawn. Uma breve Investigação sobre a Arte Hermético por "Um Amante de Philaletes" com uma introdução à alquimia e notas por S.D. na realidade.Vol VII. a Teurgia nunca antes havia sido o foco principal da tradição espiritual Rosacruz. imediatamente pensam em "Magia" ou "Magia(k)" (Magick).S. muito pouco tem sido verdadeiramente ensinado sobre Alquimia na Ordem Externa. e A.C.R.S.1714 . eram os seguintes: . sobre estes tratados alquímicos refletem um profundo conhecimento do tema. (Florence Farr). que a Ordo Rosae Rubeae et Aureae Crucis (R. quando pensam na Ordem Hermética da Aurora Dourada (Golden Dawn).D. no curriculum estudado pelos membros da antiga Golden Dawn.

1893. 1914). 1865). por exemplo: .Seus tratados sobre Alquimia em Latim ilustrados (1682).Stuart de Chevalier .Compendio (1567). Waite. .Combachius .Salmon .Kern der Alchemie (Leipzig. .Philalethes Eugenius . .Geber . . 1729).Um relato de alguns experimentos sobre mercúrio. Os membros da Ordem podiam também ler proveitosamente todos os artigos escritos pelo erudito Arthur E. . 1714). . os escritos desconhecidos de um místico moderno" (Roots of the Golden Dawn Series. Vol. Gilbert em seu livro "Escritos Herméticos de A.Alquimia . o Dr. .Cantilene Intellectuales de Phoenice redivivo . ..1894) .Hermetis Aegyptiourum et chemicorum sapientia (Hafniae.Maier Michael . .Discours philosophiques sur les 3 Principes Alchimiques (Paris. Westcott estava profundamente interessado em Alquimia. . .Vidas de Filósofos Alquimistas (1888).Arcana Arcanissima .Um apêndice ao Alquimista ignorante. . E. Mais que nada. Waite escreveu vários estudos interessantes sobre alquimia.Elementos de mineralogia (Londres.Sal Lumen et Spiritus Mundi Philosophici ou o Amanhecer do Descobrimento (Londres.Chambon . Todos esses artigos foram editados novamente por R.Valentine Basile . . .A Tradição Secreta na Alquimia (1926).Museum Hermeticum (21 tratados alquímicos). 17. .Flamel. 1782). 1913).Alquimia .Scrutinum Chymicum (1687) .Philalethes Eirénée . 1784). 1674). . 1695). 1651). . .Kendall .Lettres philosophiques sur la formation des sels et des cristaux (Amsterdam. tais como: .Hitchcock .Chymische Hochzeit (Strasburg. ."Thomas Vaughan e sua Lúmen de Lumine" (uma introdução a edição de Lúmen de Lumine ou Uma Nova Luz Mágica por Thomas Vaughan .A Ciência do Espiritual e do Material. .Lumen de Lumine ou uma Nova Luz Mágica e o Segundo Lavado (Londres.Bourguet . .Salmon Gillaume . 1781).Raymond Lola (1922)."Um Apocalipse Hermético" (no Occult Review. .Poligráficos (contém artigos valiosos sobre Alquimia). A."Que é a Alquimia?" (no Unknown World Review . 1651).1689. Price (Oxford.Tripus Hermeticus Fatidicus (três tratados sobre Alquimia) . Aquarian Press 1987).Traité des métaux et des minéraux (Paris. .Becher .Londres.Kirwan . 1616).Paracelsus . Nicolas . . de resto. prata e ouro em 1782 por J.Dictionaire Hermetique (Paris. Wynn Westcott) . Waite (Frater Sacramentum Regis) sobre alquimia.O Carro Triunfante do Antimônio Como demonstra esta lista. Vol. por Sapere Aude (W.Borrichius . .Symbolica Aureae Mensae (1617).Comentários sobre a Alquimia e os Alquimistas (Nova York. 1685). um exame de seu Mapa dos Céus mostra vários graus simbólicos egípcios conectados com a alquimia e a medicina.As Figuras Hieroglíficas de 1624 (editado por Wynn Westcott)."Alquimia Cabalística" (no Journal of the Alchemical Society.Resenkreutz Christian . 2.1910). .

Bullock.Um Dourado e Bendito Cofre de Maravilhas da Natureza por Benedictus Figulus. Allan Bennett e Julian Baker. porque tive o privilégio de recebê-la como Imperator do Templo Ahathöor. . Bennett e Baker podiam praticar a alquimia porque possuíam o conhecimento necessário da química devido as suas profissões (eram químicos ou médicos). esta tese parece ser confirmada por vários acadêmicos modernos e membros atuais da Golden Dawn. Frederick Hockley parece haver sido a fonte principal de conhecimento alquímico transmitido aos primeiros membros da Golden Dawn. a parte principal da tradição alquímica da Golden Dawn vem do assim chamado "Templo Hermanubis No. Minha própria investigação histórica deste tema valida suas conclusões. A. como R. de onde possuímos uma forte tradição alquímica. mas antes. Explicarei logo como foi transmitida na França. Felkin. ele provavelmente recebeu os manuscritos da Sra. É sabido que Hockley possuía o diário alquímico e o certificado de admissão do Dr.Waite editou e traduziu também vários tratados alquímicos clássicos: .Os Escritos Alquímicos de Edward Kelly (1893) . Gilbert.As Obras de Thomas Vaughan (1919) Entre os membros da Golden Dawn. Ademais. MacKenzie estava entre os primeiros iniciados recebidos na Golden Dawn sob o significativo mote Cryptonyma). Dr.Um Léxico de Alquimia ou Dicionário Alquímico por Martinus Rulandus. Florence Farr. Entre eles. E. William Alexander Ayton. . . Waite. Dr.Os Escritos Mágicos de Thomas Vaughan (1888). Frederick Leigh Gardner. apesar dos reclamos de Westcott sobre a assim chamada transmissão de Woodford dos Manuscritos Cifrados. a resposta a esta pergunta está relacionada com os mistérios das origens da Ordem.Os Escritos Herméticos e Alquímicos de Paracelsus (1894) .Turba Philosophorum. A TRADIÇÃO ALQUÍMICA SECRETA DA GOLDEN DAWN Houve realmente uma tradição alquímica secreta dentro da Golden Dawn e esta tradição sobrevive secreta na atualidade? Posso testificar que essa tradição alquímica Golden Dawn existiu e ainda está viva. Ayton. 2" fundado por Kenneth MacKenzie e Frederick Hockley. sabemos que Westcott. ou Assembléia dos Sábios (1896) . Alexandrina MacKenzie logo após a morte de seu marido (a Sra. havia muitos tratados alquímicos antigos. Felkin.O Carro Triunfal do Antimônio por Basilio Valentinus (1893) . MacKenzie e Hockley foram os autores dos famosos Manuscritos Cifrados. Westcott e Waite não eram os únicos interessados na Alquimia: também estavam Mathers. . é útil explicar as origens da Alquimia Golden Dawn. porém seu conhecimento prático sobre alquimia certamente veio de Segismundo Bacstrom. AS RAÍZES DA TRADIÇÃO ALQUÍMICA DA GOLDEN DAWN Qual é a origem da tradição alquímica da Golden Dawn? Curiosamente.Collectanea Chemica (1893) . Entre os milhares de livros que possuía em sua biblioteca privada. De acordo com a investigação de A.O Museu Hermético Restaurado e Aumentado (1893) .

Waite. um certo Dr. O Rosacruz (Hockley pertencia a SRIA). O Dr. Bacstrom também teve vários alunos (por exemplo. era sua tarefa instruirlhe. Denley forneceu muita informação a Barrett para seu livro. Fulcanelli deu uma . Zanoni respondeu que ele sabia que um dos ancestrais de Glyndon pertenceu a Fraternidade e. Durante 1801. que Bacstrom perseguiu a Grande Obra até o fim de sua vida. porém Waite estava mais interessado. Ademais. Uma informação bastante valiosa sobre o processo de Bacstrom é dada pelo famoso alquimista francês Fulcanelli em seu livro Les Demeures Philosophales. somos informados em uma carta dirigida por Hockley a Irwin. pela Kessinger Publishing Company). foi um alquimista no século XVI e supostamente pertenceu Irmandade da Rosa Cruz. porém morreu muito pobre. o Conde de Chazal deu instruções completas sobre a Grande Obra a Segismundo Bacstrom porque era sua tarefa formar ao menos um aprendiz antes do fim de sua vida (teria 97 anos quando fez isso). este certificado prova que uma genuína transmissão Rosacruz ainda existia ao final do século XVIII em um domínio francês (na ilha de Mauritius). Bacstrom explica que Louis de Chazal foi iniciado em uma Loja Rosacruz em Paris em 1740. porque um de seus ancestrais. fundou uma Academia de Magia em Mary-le-Bone composta de não mais de 12 alunos. esta historia é a de Bulwer-Lytton mesmo. no certificado. É interessante também ressaltar que foi na localidade de Denley que Lord BulwerLytton reclamou haver conhecido o misterioso Irmão da Rosa+Cruz que lhe deu os manuscritos cifrados que usou para escrever sua famosa novela Zanoni. para retornar ao Dr. provavelmente. de acordo com as regras da irmandade. de acordo com Hockley. possivelmente pelo famoso Conde de SaintGermain em pessoa.Segismundo Bacstrom à Sociedade Rosae+Crucis pelo Conde Louis de Chazal na Ilha de Mauritius em 12 de Setembro de 1794. De acordo com as regras tradicionais da Rosa+Cruz. John Bulwer. John Denley que era um livreiro especializado em livros de ocultismo (Hockley trabalhou para Denley e estava implicado na cópia de vários manuscritos ocultistas para a venda). Hockley conhecia Barrett através de seu amigo. um tipo de processo particular obtido da exaltação do ouro. isto é. Hockley fez varias cópias deste documento sob o título Um Diário de um Filósofo Rosacruz. foi também em Mary-le-Bone que Francis Barrett estava vivendo nesse mesmo tempo. Agora. em 16 de Março de 1804. Bacstrom. Barrett escreveu um famoso livro sobre Magia intitulado O Mago ou A Inteligência Celeste e reclamou ser um Frater Rosae Crucis também.. não teve exito em fazer a Pedra dos Filósofos de acordo com as instruções que recebeu do Conde Louis de Chazal e que transcreveu em seu Ensaio sobre Alquimia (reimpresso sob o título de a Antologia Alquímica de Bacstrom. É altamente significativo que Bullock estava mais interessado no processo alquímico da Pedra dos Filosofos descrito no diário de Bacstrom. O Mago. como historiador. que publicou na editora da SRIA. Percy Bullock (que foi um dos primeiros membros da Golden Dawn) comprou uma cópia deste documento depois da morte de Hockley e o mostrou a A. que por seu Certificado Rosacruz. Temos que. quando Glyndon pergunta a Zanoni (seu Mestre Rosacruz) porque queria ensinar-lhe os mistérios da Alquimia. por fim. Ademais. por exemplo. Em uma carta escrita a Alexander Tilloch. Também deve notar-se que a via alquímica seguida por Chazal e Bacstrom foi uma Via de Antimônio. Curiosamente. Ford) quando estava vivendo no distrito londrino de Mary-le-Bone desde 1805. É interessante notar que o Dr. E.. Fulcanelli escreveu que este processo não era realmente Alquimia senão "Arquimia". A novela rosacruz de Lytton é bastante autobiográfica.

em 1716. É interessante notar que o processo de haver a Pedra Animal descrita no corpus operativo alquímico da inglesa Societas Rosae+Crucis do Dr. Hockley era um contador e bastante rico. durante a Revolução Francesa).. Na França. Ademais. em 1804".. se a informação de Fulcanelli é correta. Anton Kircheweger. Hockley ao Dr. Hockley a transmitiu também em um processo alquímico a Bacstrom. Eis que. A Tradição Hermética sobreviveu principalmente mediante as Lojas Iluministas Maçônicas Francesas durante o século XVIII e durante a "Franco-Maçonaria Egípcia" durante o século XIX. De acordo com os documentos que estão em minha posse.informação estranha sobre Bacstrom e Hockley: escreveu que "Entre os arquimistas que usaram ou exaltaram o ouro. com a ajuda de êxitosas fórmulas. deixou uma grande fortuna: mais de 3500 libras (era uma quantidade bastante substancial em 1885). este não foi o caso de Hockley. um livreiro parisiense que estava profundamente envolvido com o estudo da Alquimia e Hermetismo. Pela primeira adquiriu o que possuía e pela segunda. tais como Mathadanus. logo comunicado pelo Sr. mas não é impossível que obtivesse uma parte de sua fortuna mediante seus trabalhos alquímicos. Esta informação é muito valiosa e prova que o Conde de Chazal estava realmente iniciado na genuína irmandade da Rosa+Cruz porque havia somente poucas pessoas que sabiam o que é a Pedra Animal. havia preservado sua idade até a idade de 97". Mais que nada. De acordo com uma carta que Bacstrom escreveu a Alexander Tilloch. Parece que Bacstrom recebeu somente a comunicação de um processo alquímico particular do Conde de Chazal. etc.) Yardley. Dorothea Wallachin. Por suposição. Se não obteve a verdadeira Pedra dos Filósofos (morreu muito enfermo). Garden. o Dr. Ele pode ter tido êxito em fazer ouro por um processo Arquímico particular. Sigismundo Bacstrom (que estava afiliado à sociedade hermética fundada pelo Adepto de Chazal. Dujols estava associado com Alberic Thomas que era um astrólogo e chefe de uma Loja Maçônica Egípcia de Paris denominada O Arco Íris. Sand. De acordo com . Por exemplo. se Bacstrom morreu muito pobre. Quando morreu. a comunicação do segredo da Pedra Animal somente é dada aos membros pertencentes ao Colégio Interno (ou Ordem Interna) da genuína e antiga Fraternitas Aureae Rosae+Crucis e que constitui o principal segredo da "alquimia interior". mas não a verdadeira Pedra dos Filósofos. esta fraternidade foi fundada em 1580 na Alemanha e foi reorganizada em 1666 e 1777 sob o nome de Ordem Maçônica da Gold und Rosenkreutz Orden. De qualquer modo. um portador Londrino. uma loja Rosacruz da Aureae Crucis Fraternitatis foi fundada em 1624. Ademais. sabemos que Fulcanelli esteve relacionado com a família De Lesseps implicada na construção do Canal de Suez no Egito. Bacstrom estava em contato com irmãos alemães das lojas Douradas Rosacruzes e traduzidos em inglês vários documentos secretos escritos por irmãos e irmãs alemães. sabemos que o Conde de Chazal "havia obtido a Lapis Philosophorum e a Pierre Animale (Pedra Animal). citaremos (. Bacstrom é muito similar ao da alemã Fraternitas Aureae+Crucis. um inventor inglês de um processo transmitido ao Sr. F. que estava vivendo na ilha Mauritania no oceano Indico. L. Ademais. a Franco Maçonaria Egípcia (fundada por Cagliostro) foi proeminente nos avanços da Alquimia no século XIX. Ferdinand de Lesseps pertenceu aos altos graus da Franco Maçonaria Egípcia e também a uma mui secreta Sociedade Egípcia. sabemos que Fulcanelli era amigo próximo de Dujols. Então não é impossível que Hockley fosse também um alquimista praticante. Este processo foi o objeto de uma carta de Bacstrom ao Sr.

poderia explicar porque Hockley e MacKenzie estavam tão fascinados por Cagliostro. Alberic Thomas estava em contato com certos membros do Templo Ahathoör Nr. Justo antes de sua segunda visita a Inglaterra em 1861. um famoso astrólogo francês e também Hierofante do Templo Ahathoör. onde recebeu algumas instruções de ocultismo provavelmente do príncipe San Severo. De acordo com os reclamos de MacKenzie e Hockley. Minhas investigações históricas destes temas provaram que vários membros pertencentes à Irmandade Asiática ou aos Fratres Lucis foram membros de uma loja maçônica alemã chamada L'Aurore Naissante ("A Aurora Nascente") fundada em Frankfurt-on-Main em 1807. "alguns manuscritos muito curiosos sobre a arte hermética. eles foram iniciados pelos Fratres Lucis na Francia. Westcott também publicou o Aesch Mezareph de . eles podem ser a principal fonte dos rituais cifrados da Aurora Dourada. É verdade que Bulwer Lytton foi a Alemanha por uma longa visita durante os anos 18411843 (sua novela "Zanoni" foi inicialmente publicada em 1842). "Eu possuo". ou "Irmandade da Luz" foram fundados na Alemanha pelo barão Ecker Von Eckhoffen. O Dr.. Todas essas fraternidades alemãs estavam profundamente introduzidas na prática da alquimia. Porém esses rituais são mais antigos que os da Aurora Dourada! Assim. e tenho um conhecimento profundo dos mistérios dessa ciência. Fernand Rozier (1839-1922). De qualquer modo. Westcott escreveu que esta loja era uma "mui antiga Loja Rosacruz de Frankfurt-on-Main. que já existia nesse momento. Eliphas Lévi afirmava conhecer o segredo da transmutação. e porque o consideravam como seu chefe Espiritual na Irmandade de Fratres Lucis que fundaram juntos na Inglaterra. Alberic Thomas era efetivamente um amigo próximo do Frater Ely Star (Eugene Jacob). possivelmente por Eliphas Levi que se presume ter sido membro desta Irmandade.. assim que pôde ter sido iniciado na loja da Aurora Nascente. É também importante sublinhar que certos rituais dos altos graus do Rito Maçônico Egípcio de Memphis são muito similares aos da Aurora Dourada (por exemplo. um dos amigos próximos de Eliphas Lévi era Louis Lucas. Entre os curiosos manuscritos sobre a arte hermética a que Lévi se referia. em Nápoles. o mais importante parece haver sido o Aesch Mezareph publicado em 1861 como um apêndice a seu livro "A Chave dos Grandes Mistérios" ("The Key of Great Mysteries" que foi logo traduzido por A. porém creiam-me quando digo que nunca o farei". onde Lord Bulwer Lytton foi aceito no Adeptado". durante os anos 1833-1834. um ex-membro da Rosa+Cruz Dourada e também fundador da Irmandade Asiática. fundador da Maçonaria Egípcia. e o roxo que é um azeite viscoso semelhante ao sulfúrico derretido. 7 (fundado por MacGregor Mathers em Paris em 1894). Tanto Bulwer Lytton como Kenneth MacKenzie conheciam bastante bem o mago francês Eliphas Lévi que era um alquimista prático. o branco que se assemelha ao mercúrio. os nomes dos oficiantes são os mesmos). Eliphas Lévi realizou alguns experimentos alquímicos com um de seus discípulos. E.Volguine (um astrólogo francês que escreveu durante vários anos um artigo extremadamente interessante sobre "Astrologia e Sociedades Secretas"). Ademais. afirma em uma carta. Ademais. que logo se tornou amigo do famoso Papus. em Paris. e visto como os espermas metálicos são formados. Eu sei o que pode fazer-se com o ouro. Dr. um alquimista importante e autor de uma novela intitulada Roman Alchimique. Waite). que era membro da Rosa+Cruz Dourada. Lytton também esteve na Itália. os Fratres Lucis originais. Eu tenho visto a produção do fogo secreto. Porém antes deste evento.

R+C. a ciência mais oculta. a Irmandade Antiga da Rosacruz. disse a W. amigo de Lord Bulwer Lytton. De fato. de acordo com a tradição da F. ALQUIMIA DA STELLA MATUTINA Os contatos do Dr. Felkin com o ocultista alemão Rudolf Steiner. instruiu a Gaston de la Pierre Phoebus nesta Arte. Deve sublinhar-se também que Eliphas Lévi visitou Londres novamente em 1861. a relação entre todos esses homens se aclara sabendo que pertenciam ao Colégio Interno da Rosa+Cruz. que nesse momento estava residindo no sul da França. depois para a Escócia. Foi também o mesmo ano (1861) em que Kenneth MacKenzie visitou a Eliphas Lévi em Paris. Gerard Encausse) que também foi iniciado no Templo Ahathöor no sábado de 23 de Março de 1895. De fato. a fraternidade foi criada em 1316 a partir da perseguição dos Cavaleiros Templários por Felipe. sob a proteção secreta do Papa João XXII. De acordo com as afirmações de Mathers. em companhia de seu pupilo e protetor. um de seus mestres era um Adepto Escocês vivendo em Paris. Assim não é impossível que Eliphas Lévi conhecesse o Aesch Mezareph dos Adeptos Ingleses. se Westcott e Mathers foram realmente eleitos Imperatores de F. se deve ressaltar que o misterioso alquimista francês Fulcanelli estava vivendo ali durante esse tempo e teve vários conhecidos entre os ocultistas franceses próximos a Papus (Dr. Legenda of F. provavelmente o mesmo Eliphas Lévi quando visitou a Inglaterra em 1861. o Formoso. De qualquer maneira. Agora. e regressar a França com outros 25 cavaleiros Templários. Lord Bulwer Lytton foi eleito em 1849 como 51° Imperator de sua Ordem. até 1865. o 54° Imperator foi Samuel Liddell MacGregor Mathers (1892-1898). Mathers não pôde esquecer que era de linhagem escocesa e que o clã MacGregor se originou no Condado Argylle. e os dois homens foram a seu castelo.A. Vários cavaleiros Templários escaparam para a Inglaterra. Um documento interno sobre a historia da Ordem. Frater Ex Lux Septentriones. o 52° foi Alphonse Louis Constant (Eliphas Lévi) desde 1865 até 1874. que havia sido iniciado no Oriente Médio nos mistérios da Alquimia. uma muito secreta Ordem ainda existente na França. o Conde Alexander Braszynsky. O Conde Braszynsky era. poderia explicar a relação entre os Adeptos Ingleses e Franceses. A SOBREVIVÊNCIA DA TRADIÇÃO ALQUÍMICA DA GOLDEN DAWN Logo depois do cisma de 1903. em Hertfordshire. rei da França. um alquimista praticante que teria um castelo de Beauregard em Villeneuve-Saint-Georges. Yeats que tinha um elixir da vida que mostrou a "um alquimista francês". Assim. como Lévi. que sempre esteve dedicado ao estudo e prática da alquimia. a seguir Rudolf Steiner (1898-1900). parece que uma grande parte da tradição alquímica da Golden Dawn sobreviveu tanto na Stella Matutina como em Alpha Omega. o barão Guido de Montanor.R+C (Frères Ainés de la Rose+Croix. B.acordo com uma antiga tradução inglesa (1714) da versão latina de Rosenroth. justo próximo da ilha de Mull de onde os Cavaleiros Templários Franceses se refugiaram.A. o lugar de Mme de Balzac. em Avignon. Alexander Ayton. Knebworth.A. Um deles. que estava conectado . podemos compreender melhor porque MacGregor Mathers considerava que seus "Mestres Secretos" estavam vivendo em Paris. o alquimista da Golden Dawn. Ambos decidiram fundar uma nova Ordem. o 53° Imperator foi William Wynn Westcott (1874-1892). ou Antiga Irmandade da Rosacruz). justo depois de sua iniciação na Franco Maçonaria. porém escreveu que descobriu este texto oculto em uma igreja.R+C.

e A. onde Felkin foi viver. a Rosa+Cruz Alemão estava relacionada com este ciclo de 111 anos. especialmente o Mysterium Magnum de Jacob Boehme e a Aurea Catena Homeri (1722) de Kirchweger. Porém havia outro tratado alquímico deste tipo que Garstin conhecia muito bem: Le Livre des 22 Feuillets Hermétiques (O Livro das 22 Lâminas Herméticas) de Kerdanek de Pornic que descreve 22 arcanos herméticos. Garstin recebeu de Moina Mathers vários tratados alquímicos valiosos que seu marido valorizava muito. que está em minha posse. o desenvolvimento do Ritual do Pilar do Meio e a introdução ao Ritual da Rosa Cruz. o documento da Rosa+Cruz Dourada a que me referi antes contém também vários rituais que encontramos novamente na Golden Dawn (por exemplo varias versões em latim e em hebreu do Ritual da Cruz Cabalística e o Ritual do Pilar do Meio). um número recordando os 22 arcanos maiores do Tarot. MacGregor Mathers também valorizava muito o Splendor Solis de Salomon Trismosin porque este tratado incluía 22 placas coloridas que Mathers correlacionava com os 22 Caminhos da Árvore da Vida. o que estou bastante seguro que recebeu por transmissão regular. por exemplo. chefe do Templo Thoth-Hermes em Wellington.R. Cancellarius do Templo AO de Londres. parece estar bem preservada na Nova Zelândia. que eram práticas da Stella Matutina). Parece que Steiner ensinou a Felkin várias práticas alquímicas espirituais (por exemplo. Este pequeno livro. De resto. este documento constitui a prova de que os rituais mágicos da Golden Dawn são de fato os desdobramentos daqueles da Rosa Cruz Dourada Alemã. ressaltou em seu escrito que considerava necessária a prática da alquimia na R.A.C. foram muito frutíferos. É possível que tenha sido MacGregor Mathers quem descobriu este bastante estranho livreto francês na França que Garstin recebeu de Moina. Voltando agora à tradição alquímica da Stella Matutina.C. Agora.A. escreveu que a real prática da alquimia era revelada somente a avançados membros da Ordem Interna. Este fato (1666) é muito interessante. e especialmente aqueles provenientes da escola de Shabbathai Zévi.2 sobre Alquimia foi. por certo. e a Golden Dawn sendo fundada 111 anos depois (em 1888). especialmente através da ação do Frater Animo Et Fide (Edward Langford Garstin). uma cópia do qual está em meu poder e que o recebi do colégio Interno desta Ordem.R+C. deve remarcar-se que os Rituais da R. é muito valioso porque é uma muito clara . Também foi o caso na Ordem Rosacruz da Alpha Omega de onde a prática da alquimia era revelada somente aos Adepti Exempti. ALQUIMIA DA ALPHA OMEGA Na Inglaterra. Pat Zalewski. e A.com um antigo ramo da Rosa+Cruz Alemã (os Illuminatis) e Imperator de F. foi em 1777 que esta Ordem foi reformada com uma nova escala de graus. Não obstante. não foram criados inteiramente por MacGregor Mathers. me escreveu e me deu informações muito interessantes sobre seu trabalho alquímico. De fato. Assim. tenho a prova: os donos dos cetros da Golden Dawn foram inspirados pelo Cetro de Moisés descrito em um muito antigo e secreto documento alemão da Rosa Cruz Dourada (1514). mas que foi inspirado pela Rosa+Cruz Alemã. e não por Mathers.. É bastante interessante notar que este documento contém fortes influências cabalísticas judias polacas. a tradição alquímica da Golden Dawn estava bem preservada na Ordem Rosacruz de Alpha Omega. é também a prova de que a Golden Dawn recebeu uma transmissão Rosacruz alemã genuína.R. escrito por Felkin. O famoso documento Z.R. porém como esses rituais ainda são muito secretos. que proclamou a si mesmo de o Messias esperado por todos os judeus em 1666. porque está de acordo com o ciclo solar de 111 anos.I. De fato. que também foi adotada afinal pela S.

Philalethes. Estranhamente. De fato. Edward Garstin foi também secretário da Quest Society. Garstin não estava realmente relacionado com a alquimia operativa. que foi o maior alquimista britânico deste século. porém Gerard Heym foi um membro fundador da Sociedade para o Estudo da Alquimia e da Química Prematura e de sua famosa publicação. porque sua Irmandade Rosacruz francesa era a única na Europa relacionada com a sobrevivência da Alquimia Chinesa e da prática do Caminho do "Dragão Vermelho".T. Cockren foi um genuíno adepto que viveu em Londres nos anos 30 e parece ter sido um . Gerard Heym mostra seu conhecimento da teoria da Alquimia Taoísta. L. Tanto Gerard Heym como Langford Garstin eram amigos de Archibald Cockren. Era amigo próximo de S. Em sua introdução à tradução francesa da novela de Gustav Meyrinck.descrição dos 22 passos da Grande Obra incluindo vários desenhos de laboratório. mediante os templos americanos de Alpha Omega). Também foi membro da sociedade literária francesa denominada Les Amants de la Licorne (Os Amantes do Unicórnio) que estava profundamente trabalhando com o estudo do simbolismo alquímico.A. Esta sociedade literária francesa ainda sobrevive. nunca foi iniciado no Templo Ahathöor porque seu nome não aparece no antigo Livro de Minutas de nosso Templo. Le Dominicain Blanc. sob o nome de L'Orbe de la Licorne. a via alquímica descrita no Livro das 22 Lâminas Herméticas é uma Via Antimonial muito similar a de Bacstrom. à qual também pertenceu Gerard Heym.. Garstin estava naturalmente mais interessado nos trabalhos de alquimistas anteriores da Grã Bretanha. mas praticava "alquimia espiritual" (creio que grande parte desta alquimia espiritual foi dada ao B. Ripley.O.R+C. como Vaughan. Contudo. Langford Garstin escreveu dois ensaios não publicados sobre alquimia: Alquimia e Astrologia e Um Glossário de Termos Alquímicos. Também publicou outros dois livros: Teúrgia (1930) e Fogo Secreto (1932). da qual sou membro. Como inglês. Gerard Heym era um alquimista francês que as vezes residia em Londres. MacGregor Mathers e Moïna Bergson-Mathers. Ambix. um de seus melhores amigos. hoje em Paris. Norton. Esta sociedade foi fundada por Claude d'Ygé que publicou uma Anthologie de la Poésie Hermétique. John Dee e Kelley. É possível que pertencesse à F.A.

e de fato o era". Escreveu Alquimia Redescoberta e Restaurada (1940). Imperatrix de um Templo Alpha Omega) de uma desestabilização nervosa ministrando-lhe três gotas de azeite de prata. R. o que é a prova de que seguiu as instruções dadas nos Rituais Alquímicos Z. experimentava pouca fatiga ou depressão nervosa. de 95 anos de idade. este elixir me exaltou tanto que. de fato. em todos os estados de transmutação. Encima havia florescido um protetor de forma similar a uma flor. publicado em alemão em 1735 e traduzido para o inglês pelo Frater In Cornu Salutem Spero (William Sutherland Hunter) e em francês pela Soror Semper Ascendere (Mme Voronof). Colqhoun que um de seus amigos. contendo os elixires. Cammell. Esta descrição sobre os efeitos da tintura de ouro é bastante exata. Praemonstratrix do Templo Ahathöor em 1925. No período mais terrivel do ataque aéreo alemão em 1940. seu efeito foi prolongar sua vida e sua juventude. Cockren lhe mostrou "o Ovo dos Filósofos. todo de um laranja-escarlate. Cockren se mudou para Brighton "onde." É notável que a descrição de Garstin desta flor filosofal é bastante similar a da Flor Vermelha descrita no Livro das 22 Lâminas Herméticas. O processo alquímico descrito no Sepher Ha-Iorah é similar ao descrito no . cujo verdadeiro nome é Sepher Ha-Iorah (em hebraico). não foram danificadas . no umbral de um triunfo final (descobrir a Pedra Filosofal). Ithell Colqhoun escreveu que quando Garstin visitou seu assombroso laboratório. sendo a dose umas poucas gotas tomadas com vinho".membro da Alpha Omega. De acordo com Garstin. De acordo com a Sra. Cockren seguiu a via do "Chumbo dos Sábios". o mais poderoso para curar enfermidades. quando o tomava. e especialmente azeite de ouro. Cammell afirma que "Cockren lhe deu em vários momentos dois pequenos frascos de um elixir de ouro. cinza. Cockren sempre usou um "Pentagrama aberto" durante seus experimentos alquímicos. as retortas.o que parecia ser um milagre. Cammell disse: "O beneficio para mim foi incrível. Cockren sobreviveu ao 'impacto' da guerra em seu laboratório que estava protegido. teria ramos como uma árvore. como posso testificar por minha própria experiência após tomar umas gotas de ouro potável dadas a mim pelo irmão que me iniciou na F. branco e amarelo. Maiya Tranchell-Hayes (Soror Ex Fide Fortis. Mantendo sua matéria base durante um longo tempo sob um constante calor suave. Cockren também salvou a vida de Gerard Heym no começo da Segunda Guerra Mundial. especialmente o famoso Antigua Obra Alquimica de Abraham Eleazar. Cockren havia logrado que crescesse. Curou a Sra. e sentia e me via saudável e vigoroso".por volta de 1950". Gerard Heym disse a Sra. Seguiu instruções que também encontrou nos escritos de Sir George Ripley provavelmente no Bosom Book . aplicando-lhe um bálsamo quando este foi ferido no Serviço de Incêndios. porém de acordo com C. Colqhoun. Porém a parte principal da tradição alquímica de Alpha Omega está preservada nos arquivos de nosso Templo Ahathöor que contém papéis muito valiosos e únicos. Durante o ano 1965. Archibald Cockren preparou azeites extraídos de metais. um frasco de vidro que continha camada sobre camada nas cores tradicionais de negro. necessitava pouco sono ou comida. morreu fazem alguns anos . quando estava constantemente ocupado no trabalho de Precaução de Ataque Aéreo. um protetor disposto como pétalas ao redor de um centro. havia bebido ouro potável dado por Cockren obtendo grande beneficio. Cammell disse que "quando seu laboratório foi arruinado por uma explosão próxima de uma bomba.2 da Golden Dawn. De acordo com Cammell.A. Archibald Cockren foi morto durante a Segunda Guerra Mundial quando uma bomba destruiu seu laboratório.que oferece um método de preparação da pedra dos filósofos.R+C.

"A Idade Dourada Revivida de Mathadanus" (Conde Adrian Mynsicht . de qualquer modo a cópia de Eliphas Levi está plena de palavras hebraicas. De fato. O processo alquímico operativo explicado neste manuscrito Z. Atualmente esta maravilhosa cópia de Eliphas Levi pertence a um colecionador privado que também é membro de uma muito secreta Sociedade Hermética de Paris. tratarei de analisar este documento Z. tais como o mercúrio: é só uma questão concernente ao ponto de fusão dos metais. Mathers adicionou ao final de sua tradução a seguinte nota significativa: "Este trabalho tardio está reproduzido em parte do Livro manuscrito dado pelos Chefes Secretos do Círculo Interno dos Rosacruzes ao Magus Supremo da Ordem da Rosa e da Cruz Dourada Externa. na "Via Antimonial" (que é uma via seca) existe um monte de . De acordo com uma nota de Eliphas Levi. aquelas da via úmida usam frascos de vidro como na química. De acordo com uma nota escrita pela Rainha Cristina no final do manuscrito.Segundo Livro do Thesaurus Thesaurorum.2 é bastante teórico. . Teve a boa sorte de descobrir outra muito estranha: a bela cópia francesa do Sepher HaIorah copiada e ilustrada em cores pela mão mestra de Eliphas Levi mesmo. L. Eliphas Levi escreveu que o livro original pertenceu no passado ao famoso alquimista francês Duchanteau (um membro da Rosa+Cruz Dourada). um Testamento Fraternitate Rosae et Aureae Crucis. e que também está guardado em nossos arquivos. A via praticada é similar a de Synesius. mas também quando se usa uma matéria específica. Alquimia e Astrologia. Eliphas Levi ofereceu e dedicou esta cópia a seu protetor. o Judeu que descobriu Nicolas Flamel!).2 SOBRE ALQUIMIA AGORA.. não só de acordo com o tipo de Matéria Prima eleita. devo também citar: . Ademais. que também era um alquimista e amigo de Lord Bulwer Lytton. O original parece ter sido escrito em hebraico. na alquimia prática real a eleição da Matéria Prima frequentemente determina o tipo de via a ser seguida: seca ou úmida. MacGregor Mathers). Este manuscrito foi traduzido e transcrito pela Soror Semper Ascendere em 20 de julho de 1926. o Conde de Mniszech. as operações técnicas da via seca possuem alguma analogia com a metalurgia. Assim."Le Tresor des Tresors ou comment on peut ramener les corps a leur matiere premiere dans le but d'obtenir leur generation ou leur multiplication". Os Rosacruzes dos mais altos graus Externos sabem a que livro me refiro e é somente por seu beneficio que faço esta alusão". Este manuscrito havia sido acreditado a Francois Borri. Por exemplo. sua cópia do livro foi feito do original (suposto original de Abraham. ela teve êxito na Grande Obra.. Entre os outros papéis valiosos preservados nos arquivos do Templo Ahathöor.1621) um manuscrito traduzido e escrito pela mão de Frater DDCF.2 bastante notável porque é um dos poucos escritos de Alquimia que explicam a partir de um ponto de vista prático a relação entre a Magia. UMA ANÁLISE DO MANUSCRITO Z. há vários processos diferentes na via seca e na via úmida. os metais muito duros como o ferro não podem ser tratados do mesmo modo que os muito brandos. e também no Sigillum Secretorum ou Magnalia Dei Optimi Maximi traduzido do Latim para o inglês por Frater Deo Duce Comite Ferro (S. Por exemplo. um alquimista italiano que foi o mestre da Rainha Cristina da Suécia. e de novo em bom cuidado.

e sobretudo.azul .2 mostra certos erros. dourado. as sequências não são corretas. o mero fato de que este processo é dado prova que o autor do documento Z. e termina com a via seca. vermelho. especialmente referentes ao "Regime dos Planetas". porém com a qual é possível trabalhar também de acordo com o processo da via seca! É interessante saber que o processo alquímico descrito no famoso documento Z. A via úmida usa destilações e sublimações em uma cucúrbita de substâncias líquidas a baixas temperaturas. é um dos segredos principais que os Filósofos revelam somente a seus alunos depois da devida iniciação e sob juramento. A sucessão planetária tradicional descrita em todos os tratados alquímicos é: Mercúrio .Vênus . a via seca usa crisóis.laranja . Porém não devemos esquecer que a escala planetária de cores da Golden Dawn. há as vezes uma ponte entre as duas vias. porém mais fácil e mais segura de praticar: a via seca é muito curta. porém na Grande Obra. assim. Inclusive a mais complicada é a "Via Magnésia". geralmente uma via úmida. Marte. a ordem descrita no manuscrito é a seguinte: Saturno .amarelo .Júpiter . É notável que o processo de Bacstrom é precisamente o oposto: começa com a via seca (com o crisol) e termina com uma cocção fechando com a via úmida (em um frasco de vidro). o que não é correto. Finalmente.2 estava realmente bem instruído nos mistérios da alquimia.2.2 pertence essencialmente à via úmida. Assim. azeite e pó estão sempre unidos mediante um longo processo até que se obtenha um pó vermelho ou tintura ("o Leão Vermelho"). o alquimista finalmente obtém um pó e um azeite.Sol . Vênus. Esta não é em absoluto a sucessão usual de cores da grande cocção.Marte . a ação da luz sobre a matéria.Lua . O exame dos diferentes passos alquímicos descritos no Z. Fulcanelli deu uma muito boa definição da alquimia como "a arte da transmutação da matéria pelo poder da luz". Contudo.Sol.Mercúrio . obteremos a seguinte sucessão de cores: índigo . branco. cinza.2 não se refere a criação da Pedra dos . como e quando deve ser aplicada. De fato.2. porém bastante perigosa. substâncias secas e altas temperaturas.violeta .Saturno . concluímos que o processo descrito no Z.Vênus.2 com outras obras alquímicas operativas secretas se refere a exposição da matéria com a luz do sol e da lua. Assim. se tomamos a ordem planetária descrita no documento Z. Outra discrepância do documento Z. Júpiter. Portanto. esta é a ordem da sucessão de cores durante a cocção.Marte . o documento Z. Os Antigos descreviam as cores cambiantes da Matéria de acordo com as antigas atribuições astrológicas de cores dos planetas. Lua. Mercúrio é simbolizado por várias cores.vermelho .verde. negro. é diferente.Júpiter . que é sempre o ponto final da Grande Obra. porque esta indicação nunca foi revelada em textos publicados (ainda que estivesse frequentemente mostrada em vários gravuras).processos variados. Saturno. De fato. verde. e o Sol. Esta via é mais larga que a seca. que é uma das principais dificuldades para quem quer estudar alquimia. podemos observar que neste processo descrito no documento Z. a "Escala do Arco Íris".2 começa com a via úmida. de fato. De fato.Lua .

Filósofos, senão que é mais um "processo particular", por exemplo tal como a extração do sal e do azeite (ou "enxofre") de um metal ou planta. Uma das características mais interessantes do Z.2 sobre alquimia é que os rituais mágicos estão relacionados com o processo alquímico. De fato, este tipo de informação está sempre faltante nos textos alquímicos clássicos. Portanto, uma das únicas instruções mágicas concernentes a alquimia que pude encontrar (exceto o manuscrito Z.2) está em um texto muito secreto comunicado a mim pelo Colégio Interno da Fraternidade da Rosa+Cruz, intitulado: "Testamenti Fraternitatis Rosae et Aureae Crucis - Liber II: De Magia Divina et Naturali, cum Chymico- Magicae Secretorum". O processo descrito neste documento é uma prática alquímica interna usando "Ouro Potável" relacionado com a evocação das sete Inteligências Planetárias e do Anjo Guardião do Artista. Deve ressaltar-se que todas essas práticas mágicas, ou melhor dito teúrgicas, foram sempre possíveis logo na conquista da Pedra dos Filósofos, que era usada como um tipo de "imã astral" para atrair entidades espirituais. Os Adeptos que me deram essas instruções secretas enfatizaram o fato de que ninguém podia realmente praticar Magia segura sem haver obtido antes a Pedra dos Filósofos e haver sido regenerado por seus poderes. De fato, um Adepto Inglês me disse que de acordo com seus próprios experimentos, a Pedra dos Filósofos podia despertar em grande medida as faculdades de pré-cognição, as que podiam ser muito úteis para comunicar-se com seres espirituais durante uma evocação mágica. Deve saber-se que a ingestão da Pedra dos Filósofos ou do Ouro Potável pode ser perigosa para pessoas não preparadas, porque essas substâncias despertam o que os antigos Adeptos Rosacruzes chamaram de "os fogos sutis do corpo" (a kundalini), e causam um grande aumento do poder sexual que é muito difícil de controlar. Se o aluno não está corretamente preparado, o elixir poderia causar todo tipo de moléstias em sua vida privada: poderia ser escravizado por suas paixões e incapaz de controlar e manejar esta nova energia. Se não sabe como sublimar o poder do "fogo secreto" de sua kundalini, esta energia será gasta em atividades ou pensamentos puramente sexuais. Em outros casos, este "fogo" poderia subir até o cérebro e causar varias alucinações. Se a mente do aluno não está suficientemente purificada, poderia ver monstros como Glyndon em Zanoni, a famosa novela de Bulwer Lytton. Geralmente, o elixir causa uma grande eliminação "kármica", especialmente referente a a vida amorosa do aluno. Esta é a razão pela qual os Adeptos nunca dão o Elixir, ou Ouro Potável, a alunos não preparados e a pessoas jovens, mas somente a alunos experimentados, de ao menos 40 anos de idade e só depois de 7 anos de treinamento. Este treinamento se refere em certo modo a algumas práticas "tantricas" (distante da assim chamada "magia sexual" de Aleister Crowley!). De fato, o Colégio Interno da Rosa+Cruz Dourada conhecia este tipo de práticas, porém sempre foram mantidas em secreto e estrito porque os Adeptos temiam que pudessem ser mal usadas. Outra parte deste treinamento mágico é um tipo de "yoga" que implica meditação na luz do sol e da lua com espelhos mágicos. Por pressuposto, MacGregor Mathers sabia algo sobre estas práticas secretas (as que só são desveladas no grau de Exempti) porque recebeu o corpus

operativo da Rosa +Cruz Dourada e especialmente os comentários secretos sobre as Clavículas Mágicas Salomônicas e Mosaicas. A Luz Da Tradição Rosacruz

Um dos mais importantes papéis da Antiga e Mística Ordem Rosae Crucis (AMORC) dentro do moderno Rosacrucianismo - período que se estende do início da Era Industrial até os dias de hoje - tem sido o de preservar a autêntica Tradição Rosacruz, através da constituição de um acervo histórico que compreende documentos iniciáticos e livros raros. Esse trabalho, persistente e minucioso, vem sendo feito com extrema seriedade, por homens e mulheres abnegados. Sozinhos ou em equipes, eles vem coletando, desde a época do Dr. Spencer Lewis, cartas, manifestos, declarações, artigos, ensaios, discursos, exposições, livros, mapas, desenhos, diagramas, pinturas, esculturas e toda uma extensa gama de documentos, objetos e peças de artes plásticas que compõem a História Rosacruz. A importância da formação deste acervo místico-histórico não é apenas documental e cultural. Transcende em muito esses parâmetros e se constitui na Luz da Tradição Rosacruz, um conceito de iluminismo que só pode ser perfeitamente compreendido pelos iniciados nos Graus Superiores da Ordem. Em linhas gerais e para uma compreensão mais fácil por parte dos interessados que visitam as páginas disponíveis na Internet à procura de esclarecimentos, pode-se dizer que o conjunto desses tratados, documentos, símbolos e peças de arte Rosacruz constitui no plano físico a tessitura material de um todo imaterial, um Símbolo Maior, que de tempos em tempos se manifesta, ciclicamente, gerando os eventos que resultam nessas produções. Nos dias de hoje, quando o homem acaba de passar de um milênio para outro dentro da Era Cristã, vergado ao peso da imensa carga de culpa que a Igreja lhe impôs, lado-a-

lado com um tremendo desejo de libertação das amarras da ignorância, do medo da morte e da superstição, sobressai ainda mais a importância do acervo Rosacruz preservado pela AMORC. Cultura, arte, história e misticismo se misturam no cadinho de Chronos, formando a Pedra Filosofal tão buscada pelos Alquimistas. Muito embora o Movimento Rosacruz, em seu cerne, seja tipicamente cristão-ocidental, vê-se a todo momento provas de sua transcendência, tanto assim que organizações que nada têm a ver com a Cristandade avocam o nome Rosacruz para ser seu rótulo, ou por afinidade de posições ou por enquadramento dentro de certas Leis comuns a todas as instituições que pretendem levar algum tipo de Luz aos mais sombrios recônditos da criatura humana. Se a AMORC fosse apenas uma instituição educativa, assim mesmo estaria exercendo um grande papel dentro da obra de formação do ser humano superior, pela notável abrangência dos ensinamentos que disponibiliza em seus estudos. Aquele que tiver estudado com seriedade, ao longo dos anos, todo o material que a AMORC fornece aos seus membros de Sanctum, na forma de monografias, discursos, fori e uma infinidade de livretos, certamente há de chegar, ao final de pouco mais de duas décadas, a um ponto que dificilmente alguém atingiria com apenas um curso universitário e suas extensões de mestrado e doutorado. Esse trabalho cultural e educativo, ao par da iniciação mística autêntica, tem contribuído para que um grande número de pessoas se tornasse capaz de compreender melhor os mistérios do Universo, que são os mistérios de sua própria existência, colocando esse conhecimento a serviço da humanidade, para que possa haver melhor qualidade de vida para todos. A persistência nos estudos, que abre caminho para a Iluminação, só é possível quando o estudante acredita com sinceridade que está na trilha certa. Essa certeza vem não apenas da fé cega nos ensinamentos de uma organização, o que a caracterizaria como religião o que não é o caso das Ordens e Fraternidades do Rosacrucianismo -, mas também das provas documentais e demais evidências da autenticidade. É justamente aí que entra a suma importância do acervo preservado e continuamente enriquecido pela AMORC. Na sua carta anual aos membros da AMORC, datada de fevereiro de 2001, o Imperator Christian Bernard informa que mais documentos foram incorporados ao acervo da Ordem. Entre eles, documentos relativos ao início da AMORC na Suiça, sob a liderança de Edouard Bertholet (1883-1965), cujo mandato foi conferido pelo Dr. Spencer Lewis. E também uma importante coleção de correspondências de Stanislas de Guaita (18611897), que com Joséphin Péladan, foi criador da Ordem Cabalística da Rosacruz, em 1887. Esse vasto acervo vem permitindo que a AMORC funcione como uma espécie de farol no emaranhado de ordens e fraternidades que se multiplicam dia-a-dia, apontando aos estudantes sinceros a direção certa em meio à neblina. Esse trabalho vem sendo realizado em âmbito mundial, contribuindo para a elevação do nível de consciência a um plano tal que permita uma mais clara compreensão das respostas à antiga tríplice pergunta: "Quem sou? De onde vim? Para onde estou indo?". AS HIERARQUIAS CRIADORAS - FRATERNIDADE ROSACRUZ

em vez de qualquer destas duas formas. Como já assinalamos. O plural "eles" também é usado quando se menciona a criação do homem. mas a paz por qualquer preço. encontramos o plural masculino terminado em "im". Podiam ter traduzido de outra forma. em que a letra "h" indica o gênero.Além das cinco Hierarquias Criadoras que voluntariamente nos ajudaram em nossa evolução. seis Hierarquias Criadoras (além dos Senhores da Chama. "Deus". a espécie humana. e não à de Adão o indivíduo. Se houvesse intenção de indicar um ser feminino ter-se-ia empregado a palavra Eloh. indicando claramente que a referência diz respeito à criação de ADM. Esse nome significa uma hoste de Seres duplos ou bissexuais. acrescentado ao nome feminino "Eloh". cooperaram com Deus na formação do Universo. depois do que é inconsistentemente acrescentado: "Ele os fez macho e fêmea". um nome feminino. dos Serafins e das duas Hierarquias sem nome que passaram à libertação) . Todavia. se houvesse intenção de indicar certo número de Deuses do gênero feminino. O feminino do plural é formado com o sufixo "oth". mesmo que soubessem? Era-lhes proibido perturbar as idéias já existentes e o Rei Jaime não desejava a verdade a todo preço. A primeira parte do nome é Eloh. pertencentes à nossa evolução. o que indica uma hoste de Seres bissexuais. expressões da energia criadora dual. No primeiro capítulo do Gênese essas Hierarquias são chamadas "Elohim". masculino-femininos. quando se atribuem as seguintes palavras aos Elohim: "Façamos o homem à nossa imagem". dos Querubins. a palavra correta teria sido "Elooth". Os tradutores traduziram a embaraçante palavra "Elohim" (como vimos não só uma palavra plural mas também um nome masculino-feminino) fazendo-a equivaler à palavra no singular. positiva-negativa. Portanto. Seu único desejo era evitar toda controvérsia que lhe pudesse criar perturbações no reino. Na última parte do capítulo alude-se novamente à pluralidade de Criadores. neutra. há outras sete que.

que diz: "E os Elohim disseram: . Após descrever cada parte do trabalho da Criação. levaram o homem até onde pudesse adquirir uma forma física densa para. Quando a nebulosa alcançou o estado de fogo brilhante e luminoso. poder trabalhar o espírito interno. Examinando. quando foi criada a forma humana. Solar e Lunar. às três e meia revoluções do Período Terrestre e às épocas Polar. Esta passagem tem-se prestado a muitos gracejos. O PERÍODO DE SATURNO Como vimos. Depois. Elohim descansou". não são mencionados no capítulo que estamos considerando. os pontos principais estão ali em ordem sucessiva muito semelhante a uma fórmula algébrica da criação. No quarto versículo se lê: "Os Elohim separaram a luz das trevas". exatamente na condição descrita. inclusive a Terra. da qual se formaram os planetas do nosso sistema. Lemúrica e Atlante. porque o calor "obscuro" precede necessariamente o calor brilhante visível. Os Querubins e os Serafins nada têm a ver com a criação da Forma. como se pode ver na descrição feita sobre o Período. Não é possível dar uma descrição detalhada em poucas linhas. Ao princípio da manifestação. formam uma sétima Hierarquia. chama-lhes "Espíritos dos Elohim". por seu intermédio. por isso. Estes. São mencionadas somente as sete Hierarquias Criadoras que. Hiperbórea. doravante. os Deuses e as Hierarquias Criadoras retiraram-se da participação ativa no trabalho de salvação do homem para que ele a faça por si. O segundo versículo do Gênese diz: A Terra era agreste e desabitada. É certo que era obscura e ao mesmo tempo quente. e a obscuridade pairava sobre a face do abismo e os Espíritos dos Elohim flutuavam sobre o abismo". os mais ridículos e absurdos. mas da massa ígnea central. portanto. . todavia. disse-se: "e Elohim viu que era bom". O PERÍODO SOLAR O Período Solar está bem descrito também no terceiro versículo. Não era "vazia e informe". Era quente.Faça-se a luz. no Período Solar não havia a menor necessidade de iluminação externa: a Luz estava dentro. Também se diz que. em si mesmos. A Bíblia referindo-se a Elas. atualmente os mediadores entre o homem e os Deuses. a última vez no sexto dia.estavam em atividade ajudando os espíritos virginais. que trata especialmente do aspecto Forma da Criação. veremos sua concordância com os ensinamentos ocultos relativos aos Períodos de Saturno. anteriores à presente época Ária. os ensinamentos da Bíblia relativos aos diferentes "Dias da Criação". sob a necessária orientação dos "Irmãos Maiores". o princípio de nosso sistema e o trabalho das Hierarquias Criadoras descrito pela ciência oculta harmoniza-se com os ensinamentos da Bíblia. Isto concorda perfeitamente com os ensinamentos ocultos sobre a parte de cada Hierarquia no trabalho da evolução até o Período atual. e a luz foi feita". em efetivo trabalho. o que atualmente é Terra estava no Período de Saturno. como diz a versão do Rei Jaime. bem definida e separada do frio abismo do espaço. na época atual. "no sétimo dia. Isto se diz sete vezes. indica-se que. Sobre esse globo obscuro do Período de Saturno pairavam as Hierarquias Criadora. Tem-se feito a seguinte pergunta: Como pôde haver luz na Terra se o Sol não foi criado senão no quarto dia? O narrador da Bíblia não fala somente da Terra. Agiram sobre o globo de fora e moldaram-no.

na Época Polar. distinguindo-se da brilhantíssima nebulosa que existiu no Período Solar. também correspondem aos Períodos que recapitulam. revoluções e períodos. que descreve o Período Terrestre. quando o calor da massa ígnea brilhante e o frio do espaço exterior formaram uma coberta de água em torno do centro ígneo. Era diferente da água relativamente fria que constantemente gravitava para o centro ígneo. havia uma circulação constante da água em suspensão e também uma expansão. para substituir o vapor que surgia. havia duas classes de água e uma divisão entre elas. a água em expansão ou vapor. Solar e Lunar corresponderiam. O PERÍODO TERRESTRE O Período Terrestre é descrito a seguir. Por mais complicado e confuso que isso possa parecer.isto porque o espaço exterior era obscuro. volvendo novamente ao centro para tornar a esquentar-se e realizar outro ciclo. Desta sorte. No versículo nono. O que se diz do Período de Saturno descreve também as condições do Sistema quando emerge de qualquer dos Períodos de Repouso. como trabalho efetuado no quarto dia. como se descreve na Bíblia. Terra". estava fora. em estado mineral. O PERÍODO LUNAR O Período Lunar é descrito no sexto versículo. no Globo em todas as outras fases da evolução.. Em devido tempo seremos capazes de o perceber e de acompanhar a obra desse método. A água mais densa estava mais próxima do centro incandescente. Cada Época é também uma recapitulação do estado anterior. assim como as descrições feitas. Diz-se ali que Elohim criou o reino vegetal. Antes de fazer essa descrição tratemos das recapitulações. e finalmente solidificação. às três primeiras Revoluções de nosso presente Período Terrestre. Há sempre espirais dentro de espirais: no átomo. . não é difícil de compreender. a Lua e as estrelas. e o seguinte corresponderia às condições da Terra na presente Revolução. As descrições dos Períodos de Saturno. Há um método ordenado que tudo rege. Estas recapitulações são infindas. A Época Polar: o versículo nono. o Sol. Os versículos citados. como segue: "e os Elohim disseram: haja uma expansão (traduzido como "Firmamento" em outras versões) nas águas. também descreve a formação do reino mineral e a recapitulação do homem. ardente. a quarta Revolução (em que começou o verdadeiro trabalho do Período Terrestre). como um fio que conduz através do labirinto. Isto descreve exatamente as condições do Período Lunar. O calor e a umidade tinham formado o corpo sólido de nosso atual globo. Isto se refere à primeira solidificação. assim há também em cada globo recapitulações do anteriormente feito. depois nebulosa brilhantíssima. lemos: "E Elohim disse: que as águas se separem da terra seca. portanto. Assim. conforme descreve o versículo. Assim como há recapitulações de globos. para que a água se separe da água". que é água em expansão. por último umidade externa e calor interno. A Época Hiperbórea é descrita nos versículos 11 a 19. porque o vapor. Isto também concorda com a teoria científica dos tempos modernos: primeiramente calor obscuro.. arremessado do centro ígneo formava uma atmosfera de neblina ardente que se condensava ao pôr-se em contato com o espaço externo. A analogia é um dos melhores auxiliares para compreender a evolução. O contato do fogo com a água gerou o vapor. e Elohim chamou à terra seca.

quando a Terra se cristalizou. provavelmente. diferia muito pouco dos . Não havia substância material densa. estão presentes na água. e os Elohim formaram os grandes anfíbios e todas as coisas viventes de acordo com as suas espécies e todas as aves com asas".. O historiador bíblico omitiu o estado humano assexual e hermafrodita e chega aos sexos separados tal como os conhecemos atualmente. o tempo preciso para a cristalização foi comparativamente curto. o que depois se converteu em homem. porque a encontraremos mais tarde sob uma nova roupagem. e deve-se notar cuidadosamente isto. não foram destruídas pelo processo de fusão. mal se podia considerar como tal. Num corpo tão pequeno como a Terra. enterrados nos estratos geológicos do Globo Terrestre. assim também. Procedeu assim. em certo sentido é uma recapitulação do Período Lunar. as plantas. a primeira incrustação ou solidificação que teve lugar no globo era mineral. por serem etéreas. O narrador da Bíblia indica somente os incidentes principais.A Bíblia concorda com a ciência moderna ao dizer que as plantas vieram depois dos minerais..... Os versículos 20 e 21 descrevem que os "Elohim disseram: que as águas tenham coisas que respirem vida. No versículo 24 é mencionada a criação dos mamíferos e a palavra nephesh aparece outra vez explicando que os mamíferos "inalavam vida". A palavra hebraica para a substância que se inala é nephesh. mas "coisas" que respiravam e inalavam vida. as plantas etéreas estavam presentes. Como esta Época é a terceira. pensando que todo o capacitado para os ensinamentos ocultos deve estar familiarizado com os detalhes menores. Esse calor proporcionou-lhes a força vital para agrupar em sua volta uma substância mais densa. Não podia ser de outra maneira porque está descrevendo aqui a Época Atlante. assim como não relata o desmembramento que se produziu novamente quando a Lua foi expelida da Terra. todavia. Os Elohim disseram: "Que a Terra produza coisas que respirem vida. mamíferos." e no versículo 27 os Elohim formaram o Homem à sua semelhança. A diferenciação dos sexos ocorrera antes. Na narração bíblica estão descritas as condições existentes no Período Lunar: água. o historiador não o menciona. A Época Lemúrica é descrita no trabalho do quinto dia. reunindo-se depois os pedaços. Convidamos o estudante a notar particularmente que as coisas formadas não eram Vivas.. fizeram-nos macho e fêmea como Eles (os Elohim). na Época Lemúrica. como um anel que se quebrou. Por isso. essa afirmação é verdadeira. Se queremos designar por tais minerais ou vegetais os que atualmente conhecemos. e os do passado. Nos seus primeiros graus de desenvolvimento. e no tempo desta época que se alcançou esse estado de evolução já não havia homens assexuais nem hermafroditas. A formação destas formas vegetais etéreas foi auxiliada pelo calor externo. depois da Terra separar-se do Sol e da Lua. neblina ardente e as primeiras tentativas de vida com movimento e respiração... Assim como as linhas de força que orientam a cristalização do gelo.. A Época Atlante refere-se ao trabalho do sexto dia. A diferença entre os dois ensinamentos refere-se ao tempo em que a Terra foi expelida da massa central. Não se diz que a crosta sólida fundiu-se quando foi expelida da massa central. isto é. e aves. A ciência afirma que foi expelida antes da formação da crosta sólida que pudesse chamar-se de mineral ou vegetal. Não se diz que se criou a Vida. Na condensação da massa ígnea central. Eram os moldes que agruparam a matéria necessária para formar os corpos vegetais da atualidade. Isto também concorda com os ensinamento da ciência material que diz: que os anfíbios precederam as aves..

no primeiro e segundo capítulos da versão inglesa denomina-se. mas o autor não era monoteista. nas Revoluções anteriores. Remetemos o leitor ao diagrama 14: http://www. Sabia alguma coisa mais para pensar em Deus como um simples Homem "superior" que tivesse o céu como trono e a terra como escabelo. a humanidade do Período Lunar e é o regente da Lua atual. JEOVÁ E SUA MISSÃO Tem havido muitas discussões eruditas a respeito da autoria e principalmente da discrepância entre a história da criação dada no primeiro capítulo e o que se diz no quarto versículo do segundo capítulo. . Portanto. Elohim no primeiro capítulo e "Jeová" no segundo capítulo do texto hebraico. porque o Ser ou Seres aos quais os tradutores deram o nome de "Deus".fraternidaderosacruz. É o Líder dos Anjos. como Criadores e Guias. a Bíblia não contradiz os fatos. Jeová era e é um dos Elohim. o do Período Terrestre.org/dia14. Isto mostra claramente que o escritor conhecia perfeitamente os ensinamentos ocultos de que a onda de vida tinha evolucionado no Globo D. Afirma-se que as duas descrições foram escritas por diferentes pessoas.htm para compreender facilmente a posição e natureza de Jeová. que o mesmo narrador não teria nomeado Deus de duas maneiras diferentes. No versículo 28 (de todas as versões) encontramos um pequeno prefixo de uma muito grande significação: "Os Elohim disseram: frutificai e RE-povoai a Terra". Quando escreveu de Jeová reportava-se ao Líder a quem estava a cargo esse trabalho particular da Criação que se descreve. quando os Elohim. No capítulo seguinte conta-se a história sob ponto de vista relativo especialmente ao aspecto Vida da Criação. se quisesse referir-se ao mesmo Deus em ambos os casos. descansaram do seu trabalho e a humanidade foi deixada ao próprio cuidado. A Época Ária corresponde ao sétimo dia da Criação. quando afirma que o homem foi formado na Época Atlante. Assim termina a história no que respeita à manifestação das formas. Argumenta-se.animais. não o teria feito. Realmente. a esse respeito.

Por essa razão. Sabe-se que os Arcanjos. mas os fiéis sobreviveram. foram os progenitores dos Judeus dos tempos atuais. Com Ele estão também alguns Arcanjos. e o fruto de tais cruzamentos tornado inútil como semente de nova raça. e os Anjos são seus mensageiros nesta obra. através das inundações e desastres que acabaram com a submergida Atlântida. até chegarem ao Deserto (de Góbi. um Arcanjo falando com Daniel. esperaram os cabalísticos quarenta anos. Como parte da Terra estava submergida pelas inundações e outras partes deslocadas e modificadas pelas erupções vulcânicas. 10-20. que agora falam de "tribos perdidas". Porque frustaram os desígnios de Jeová. os que ficaram fiéis. Ele é o doador de crianças. Chamou-se "terra prometida" porque. Os semitas originais foram isolados e proibidos de casarem com outras tribos ou povos mas. Desse remanescente fiel descendem as atuais raças árias. é também o Autor de todas as religiões de Raça. e quando eu for. como povo teimoso e obstinado que se guiava quase exclusivamente pelo desejo e pela astúcia. Observam que dirige e governa os períodos de vida intra-uterina e outras funções fisiológicas. por meio das forças lunares cristalizantes e endurecentes. desobedeceu à ordem. Os fisiólogos sabem muito bem que a Lua está relacionada com a gestação. que conduzem ao Cristianismo. Essa história. Ele não os guiou fora do Egito.Dirige os Anjos e. na qual inculca as faculdades embrionárias da humanidade de uma nova época. A maioria delas pereceu. mas desconhecem que foram esses precisamente. vede que o príncipe da Grécia virá". O trabalho a cargo de Jeová é a construção de corpos ou formas concretas. voltarei a lutar com o príncipe da Pérsia. é um relato confuso da jornada para Leste. conforme as exigências da evolução dessa raça requererem. Há duplo e peculiar significado nessa palavra "prometida". como Espíritos e Guias de uma Raça. A ciência oculta concorda com a opinião que diz ser isso mera mutilação das escrituras originais da Bíblia. Jeová cuida especialmente de qualquer "semente de raça". seu "povo eleito". . os compatriotas de grau inferior da Atlântida. lutam a favor ou contra algum povo. É certo que tomou um interesse especial pelos progenitores dos atuais judeus degenerados. No livro de Daniel. Assevera-se que muitas partes dela são completas invenções mas não se faz a menor tentativa de provar como conjunto. os Semitas originais. como Regente da Lua. a autenticidade do livro sagrado. o povo eleito foi levado ao Deserto. Ele tem a seu cargo os seres degenerados e malignos que nela existem. A história das dez tribos perdidas é uma fábula. Sabem que alguns dos componentes do núcleo original os abandonaram e foram para outra parte. Portanto. diz: "Agora. Ali. Os nascidos desses cruzamentos. na Ásia Central). a "semente de raça" para as sete raças da Época Ária. tal como é atualmente. não existindo naquele tempo terra apropriada para ser ocupada pelos homens. não a simples e insignificante Palestina mas sim toda a Terra. a que devia herdar a "terra prometida". foram expulsos. Sua Bíblia fala que os filhos de Deus casaram com as filhas dos homens. antes de entrar na Terra Prometida. que posteriormente se originou entre os descendentes dos "semitas originais". Estes são chamados "Espíritos de Raça". o escolhido para ser a semente de uma nova raça. esteve muito relacionado com os Semitas originais. O Arcanjo Miguel é o Espírito da Raça Judia (Daniel 12-1) e Jeová não é o Deus dos Judeus somente. foi necessário esperar um período de tempo até que a nova Terra estivesse em condições de converter-se em possessão da raça Ária. que constituíram a humanidade do Período Solar.

partiu para a própria evolução. por não formarem novas características. as atividades do homem (ou força-vital que se converteu em homem) eram dirigidas principalmente para dentro. considerado do ponto de vista da Vida. INVOLUÇÃO. É esta a medula do ocultismo. flexíveis e adaptáveis podem modelar novas formas. Mas se o considerarmos do ponto de vista da Forma. segundo se narra no primeiro e segundo capítulos do Gênese. o primeiro capítulo trata unicamente da criação da forma. Durante essa construção. Além da Involução e da Evolução. tampouco. empregava-se internamente para construir um veículo através do qual pudesse manifestar-se. Olha-se a Evolução como simples desenvolvimento de perfectibilidades germinais. inerentes na forma que anima. Só a vida capaz de cultivar as possibilidades de aperfeiçoamento. A forma evolui. como acontece no primeiro capítulo. A chave para compreender isto. Este veículo é tríplice. construída pelo espírito. através dos períodos. não sucede possibilidade alguma . Logo. EVOLUÇÃO E EPIGÊNESE Desemaranhadas. pode evolucionar com os adiantados de qualquer onda de vida. Todos os outros ficam atrasados. ficam para trás e começam imediatamente a degenerar. Só os que permanecem plásticos. O progresso não é um simples desenvolvimento nem. nos parágrafos anteriores. Admite-se. que a involução do espírito na matéria tem o objetivo de construir a forma. Nosso esforço atual é uma simples tentativa para exumar alguns pedaços da verdade oculta. que completa a tríade. é muito certo que o homem. As primeiras duas palavras são familiares a todos os que estudaram a Vida e a Forma. procuremos agora harmonizar os dois relatos aparentemente contraditórios sobre a criação do homem. No primeiro diz-se que ele foi o último a ser criado. Conforme notamos. dentre a confusão geral. enquanto no segundo se afirma que foi criado antes de todas as demais coisas viventes. da Vida que constrói essa forma para sua expressão. a Epigênese. e extraí-los dessa massa de malentendidos e interpretações incorretas em que foram enterrados pelos diversos tradutores e revisores. Os melhoramentos ou aperfeiçoamentos da forma são resultado da Epigênese. apropriadas à expressão da consciência que se expande. o poder que o homem agora emprega para melhorar as condições externas foi empregado durante a Involução com propósitos de crescimento interno. analogamente ao espírito que o construiu. revoluções e raças. a identidade e a missão de Jeová. Há forte tendência em considerar tudo o que existe como resultado de algo que foi. Involução e Evolução. mas não se reconhece tão comumente que a Involução do Espírito corre paralela à Evolução da Forma. Tal concepção exclui a Epigênese do esquema das coisas. Em todo o transcurso da evolução. globos. enquanto o quinto trata da Consciência.na forma em que atualmente o possuímos. Essa mesma força que o homem agora emprega ou irradia para construir estradas de ferro e vapores. Ainda que o relato da sequência da criação dos outros reinos não esteja tão correto no segundo capítulo como no primeiro. está em saber distinguir a Forma Física. o espírito involuiu até que. há um terceiro fator. Desde o princípio do Período de Saturno até a Época Atlante. o segundo capítulo é dedicado ao exame da Vida. nela penetrando. foi criado em primeiro lugar. geralmente. aqueles que não melhoram. foi criado por último. quando "os olhos do homem foram abertos" pelos espíritos Lucíferos.

através de sucessivos graus. O ocultista crê que o propósito da evolução é o desenvolvimento do homem desde um Deus estático a um Deus dinâmico. Se o desenvolvimento que atualmente efetua constituísse a sua educação. tornou-se evidente que novos aperfeiçoamentos deveriam ser acrescentados às formas. de acordo com os modelos já existentes na mente do seu Criador. até às raças mais avançadas. A força que o construtor dirige agora para fora. deve poder desenhar casas novas e melhores. Em 1759 Gaspar Wolff publicou sua "Theoria Generationis". a Vida que é agora Homem construiu as Formas apropriadas às suas necessidades. Para tornar-se um criador original e independente é necessário. diz da "Theoriae Generationis": "Apesar do seu pequeno alcance e da difícil terminologia. Conservam-se certas características da forma antiga necessária ao progresso mas. Haekel. no seu exercitamento. um Criador. e que esteve muito próximo do conhecimento da verdade completa sobre a evolução. nos Períodos passados. e podemos demonstrá-lo. que não contivessem nenhum dos enganos anteriores. que sua evolução se traduz na adição de novas formações. aperfeiçoando o que a experiência mostre como inútil nos edifícios anteriormente construídos. Entre as mortes e nascimentos estamos constantemente construindo corpos para funcionar em nossas . onde aprenderia a criar? Se o desenvolvimento do homem consistisse unicamente em aprender a construir formas cada vez melhores. Para alcançar êxito. estamos plenamente convencidos de que é um fato. na construção de algo que não está latente no óvulo. Para estar na vanguarda do progresso. É isso que distingue a criação da imitação. como um fato real em qualquer domínio da Natureza. Deveria ser iniciada a construção de novas formas. à medida que as entidades progrediam. Um construtor seria um pobre expoente de sua habilidade se construísse casas limitando-se a seguir um determinado modelo aprendido do seu mestre. tais enganos impediram o desenvolvimento posterior. Dessa maneira. daí até à forma humana do selvagem e. e não pudesse alterá-lo para satisfazer novas exigências. a Vida Evolucionante acrescenta tantos aperfeiçoamentos originais quantos sejam necessários para sua expressão ulterior. Disse Haekel em seu livro "Antropogênese": "Em nossos dias é plenamente injustificado chamar-se à Epigênese uma hipótese. nenhuma margem para a originalidade. a vida evolucionante ficou apta a obter progressos posteriores em novas formas e por graus sucessivos vai aperfeiçoando seus veículos. Esse aprimoramento continua sem cessar. foi empregada na construção de veículos novos e melhores para evolução do Ego. que tenha suficiente margem de emprego de sua originalidade individual. grande e valoroso estudante da Natureza. para construir casas cada vez mais adaptadas às novas condições e exigências. enfim. as que estão usando atualmente os corpos altamente organizados na Terra. Em devido tempo. Conforme a experiência ensinou. sempre adiante. com auxílio do microscópio".de construir-se algo novo. onde já demonstrava que no óvulo humano não há o menor traço do organismo em perspectiva. e se o seu progresso representasse simplesmente a expansão de qualidades latentes. o homem construiu seus corpos a partir de algo semelhante à ameba. na melhor hipótese poderia converter-se num bom imitador mas nunca num criador. a qualquer momento. Estes melhoramentos tornaram-se incompatíveis com as linhas de construção anteriormente seguidas. daí. Partindo do mais simples organismo. em cada novo renascimento. é uma das mais valiosas obras da literatura biológica". A vanguarda da ciência encontra-se a cada momento frente à Epigênese.

e formam as raças inferiores ou. Assim como o construtor de casas fracassaria comercialmente se não melhorasse continuamente seus métodos para corresponder às exigências do seu negócio. as espécies inferiores do reino em que estejam evolucionando. até chegar ao homem adiantado de hoje. durante os nascimentos. Na Evolução não há lugares de espera. até chegar aos antropóides e depois ao homem. Estes são os que permaneceram na onda de vida particular a que pertenceram originalmente essas formas. Os pioneiros da nossa onda de vida (as raças árias) progrediram desde que ocuparam formas parecidas com as dos nossos monos antropóides até o presente estado de desenvolvimento. se encontram no reino animal. não têm possibilidade de melhorá-las. voltam ao reino mineral. vegetal e animal e através das raças humanas inferiores. utilizadas pelos atrasados. A vida passou através de estados semelhantes ao mineral. e amalgamam-se aos diferentes estratos da crosta terrestre. Semelhantemente. A afirmação da ciência materialista que diz ter o homem subido gradualmente. Portanto. aconteceu o contrário: os antropóides são uma degeneração do homem. nem às dos antropóides de hoje. Quando não há mais atrasados. mas animadas pelos atrasados. nada há que seja simplesmente "conservar o seu". estão degenerando. são atrasados que ocupam os exemplares mais degenerados daquilo que foi antes forma humana. Se cometemos erros de construção. Tomaram as formas abandonadas pelos adiantados e. O homem nunca habitou formas idênticas às dos animais atuais. como o processo evolutivo sempre trabalha pela perfeição. sendo semelhantes. através dos diferentes reinos vegetal e animal. como já se explicou. para evitá-los vida após vida. Portanto. mas as formas não estavam mais no mesmo grau. Seus diferentes graus correspondem aos passos dados pelo homem. eram superiores às dos nossos presentes antropóides. Os monos não são os progenitores das espécies superiores. deduz que o homem deve descender do mono. usando-as como graus intermediários. Porém. animadas pelos pioneiros da vida evolucionante. Alcançarão um grau de eficiência maior do que o que tem atualmente. enquanto as Formas (que eram "o elo perdido") degeneraram e estão agora animadas pelos últimos atrasados do Período de Saturno. equivocou-se e tirou conclusões errôneas sobre o assunto. a das formas em degeneração. também. são fossilizadas. relativamente. os esforços para encontrar "o elo perdido" entre ambos são baldados. As formas cristalizam porque os possuidores. É de suma importância perceber e compreender nossos erros. procuraram alcançar os primeiros. A ciência materialista. far-se-ão evidentes quando empreguemos o corpo na próxima vida terrestre. abandonadas pelos pioneiros. a espécie morre gradualmente. A forma que não é capaz de aperfeiçoar deve degenerar. tal como no comércio. Não foi o homem que ascendeu dos antropóides. Progredir ou retroceder é a Lei.vidas. e outra. não podem elevar-se com a onda de vida e ficam "atrasados". As mesmas condições. devendo notar-se que todas as formas. que trata só da forma. os pioneiros da onda de vida que entrou em evolução no Período Lunar encontram-se entre . Ocupam as formas abandonadas pelos pioneiros. Os que fracassaram ao longo do caminho foram-se atrasando e não puderam alcançar o tipo necessário para conservarem-se na vanguarda da evolução. há uma linha de formas que se aperfeiçoam. O homem de ciência observa que há semelhança anatômica entre o homem e o mono e. assim também os que aderem persistentemente às formas antigas fracassam. mas habitou em formas que. não é perfeitamente correta. cada vez de menor capacidade. Na vida que evoluciona. Os pioneiros da onda de vida que começou a evolução no Período Solar são os mamíferos atuais.

as árvores frutíferas. o que torna a criança diferente de seus pais. o dos vegetais mais elevados. Os pólipos são a última degeneração deixada pelos mamíferos. que pode ler a Memória da Natureza milhões de anos atrás. O reino mineral é a meta final das formas de todos os reinos quando alcançam o máximo de degeneração. de restos fossilizados de várias formas animais. nação ou raça. alcançado o estado animal segue adiante até chegar ao estado humano. é originalmente tão vegetal como o próprio carvão. da vida vegetal no Período Lunar e. cessa a evolução e começa a degeneração. agora. observa-se que somente passa através dos estados mineral e vegetal e nasce quando chega ao estado animal. ou se torna inativa no indivíduo. O mineralogista erudito explicará que está composto de blenda. coisa que nenhum homem de ciência admitirá. o de alguns mamíferos superiores e. O pai e a mãe dão. O mono é um homem degenerado. feldspato e mica. e os minerais alcançarão o estado humano no Período de Vulcano. nem mesmo ao microscópio. de seus corpos. . se fosse completamente invertida. Alcançarão um estado análogo. Notar-se-á que a moderna teoria da evolução. especialmente nas raças superiores. Não é possível distinguir a diferença entre o óvulo de um ser humano. a Epigênese permite agregar algo. O próprio granito. Cada onda de vida permanece definidamente confinada dentro de seus próprios limites. vê-se forçada a deter-se no grau animal do Período Terrestre. Os ensinamentos ocultos sobre a evolução. que mostra a vida pré-natal como uma recapitulação de todos os estados passados de desenvolvimento. vegetal no Período Solar e passou pelo estado animal no Período Lunar. sob condições ainda mais diferentes. até. na família. Quando a Epigênese não atua. seria quase perfeita e estaria de acordo com os conhecimentos da ciência oculta. Mesmo depois de se desenvolverem algumas fases iniciais do crescimento embrionário os especialistas não podem indicar a diferença entre um embrião animal e humano. Quanto à Vida que emprega o óvulo humano. Os vegetais atuais serão a humanidade do Período de Vênus. especialmente a de Haekel. estão corroborados pela ciência embriológica. A Vida que anima esse óvulo passou através da evolução mineral do Período Solar. e o que chamais de blenda e feldspato não são mais do que as folhas e pedúnculos de flores pré-históricas. a substância de que se constrói o corpo da criança mas. Os antropóides podem alcançar-nos e converterem-se em seres humanos. Não se pode dizer se o óvulo examinado é animal ou humano. porém o clarividente desenvolvido. O carvão de pedra exemplifica isto: resulta de madeira petrificada ou. e a mica é tudo quanto resta de suas pétalas". sob condições diferentes. enquanto os atrasados dessa onda de vida animam todas as outras formas vegetais. Dos outros animais nenhum poderá alcançar nosso estado de desenvolvimento particular. poderá completar esta afirmação dizendo: "Sim. Os musgos são as últimas degenerações do reino vegetal. Como tem alguma margem para exercer a Epigênese. teve existência mineral no Período de Saturno. no Período de Júpiter. Estudando o óvulo do animal durante todo o período de gestação.

pois não faltava quem os suspeitasse «de heresia. ou Irmão Rosacruz —. nos tornarmos como Cristo. três tratados ou manifestos que desencadearam o movimento Rosacruciano — ou o Iluminismo Rosacruz. e fundou a misteriosa Ordem Rosacruz juntamente com alguns outros Irmãos. o Senhor da Vida. como também tem sido chamado: Fama Fraternitatis («Ecos da Fraternidade. Confessio Fraternitatis («Confissão da Fraternidade») e Chymische Hochzeit Christiani Rosencreuz Anno 1459 («Núpcias Químicas de Christian Rosenkreuz no ano de 1459»)." Max Heindel. completa o anterior e de certa maneira vem justificá-lo. C. defendendo-o das vozes e acusações de que os misteriosos Irmãos da Rosacruz já começavam a ser alvo. pastor protestante originário da Suábia e influente figura da ortodoxia luterana dos princípios do século XVII. Freemasonry and Catholicism. de ardis e de culposas maquinações . por esta ordem. incluso no Oriente. R. O segundo. Publicados anonimamente na Alemanha. um «homem iluminado» que viajou por muitos países.POR ANTÓNIO DE MACEDO Quando. o nosso amor e as nossas orações a todos os que lerem a nossa Fama com inspiração cristã». a sua autoria tem sido atribuida a Johann Valentin Andreae (1586-1654). libertar-nos-emos do nosso pai Samael e da nossa mãe Eva e a morte não mais terá poder sobre nós. oferecemos a nossa saudação. Ao regressar à Alemanha decidiu empreender a reforma que haveria de corrigir as imperfeições do mundo. Confessio. Irmãos da Fraternidade da Rosacruz. ou da Confraria»). 1615 e 1616 foram publicados na Alemanha. e um dos homems mais sábios do seu tempo.RATO HOMEM A ALQUIMIA ESPIRITUAL DOS ROSACRUZES: TRANSMUTAÇÃO MENTAL. seremos imortais. TRANSMUTAÇÃO CORDIAL E A THEMIS AUREA . 1919 Em 1614. onde aprendeu a Magia e a Cabala com os Mestres. é um breviário em catorze capítulos contendo «a mais Secreta Filosofia». — Frater Rosencreuz[1]. No frontispício do primeiro lê-se a seguinte dedicatória: «Nós. Nele se conta a história do Fr. os dois primeiros em Kassel e o último em Estrasburgo. pela Alquimia Espiritual.

produziu. me irei deter um pouco mais. à qual faz referências e tece comentários numa das suas muitas notas manuscritas sobre a filosofia hermética. tanto por intermédio da revelação e da iluminação divinas quanto graças aos ofícios dos anjos e dos espíritos» (cap. Michael Maier. Núpcias Químicas. deu-se ao trabalho de fazer muitas cópias manuscritas de obras alquimistas. do Noivo e da Noiva. que hoje fazem parte do espólio existente na Biblioteca da Universidade de Yale. particularmente. e o seu desenvolvimento. que ele possuía na sua colecção. tanto do seu tempo como anteriores. pelas óbvias conotações herméticas que comporta. de que se destacam autores tão marcantes como Michael Maier na Alemanha ou Robert Fludd e Elias Ashmole na Inglaterra. sobretudo espiritual e simbólico. desde os primeiros dias do mundo. IV). ou palácio. entenda-se). o surto rosacruciano deu-se em plena florescência hermética do Renascimento e do Barroco. como claramente se diz num dos parágrafos iniciais da Fama. não foi insensível ao fascínio da Alquimia. propagou e perpetuou até à época atual. I). Thomas Vaughan. era precisamente a Themis Aurea de Michael Maier. já o papa. além de possuir exemplares dos mais notórios tratados alquímicos. Aqui se esclarece que Christian Rosenkreuz nasceu em 1378 e viveu 106 anos (cap. Finalmente o terceiro. e que as suas investigações e pesquisas «suplantam tudo o que. além de Theophilus Schweighardt. com efeito. XI). autor do Amphitheatrum Sapientiae Aeternae (1609). chamando entretanto a atenção para a importância de certos precursores. dividido em sete Dias. Sobre o primeiro destes autores atrás citados. VI). ou melhor. . repleto de prodígios para assistir ao Casamento Alquímico do rei e da rainha. de Hamburgo. Uma dessas obras. Estes três manifestos obtiveram um sucesso considerável e deram origem a inúmeras controvérsias e a imensas obras de inspiração rosacruciana. em contrapartida. Gabriel Naudé. desde então até aos nossos dias. foram uma constante dentro do Rosacrucianismo. portanto não é de surpreender o pendor alquímico das principais obras rosacrucianas. a Fama Fraternitatis.contra a autoridade civil» (cap. pelo luterano autor do texto. que por sua vez terá influenciado. O próprio Isaac Newton (1642-1727). como o misterioso filósofo e alquimista isabelino John Dee. já então degradada pelos «assopradores». conservadas na dita Biblioteca. melhorou. o primeiro manifesto rosacrucisno. que influenciou o conceituado filósofo hermético Heinrich Khunrath. é um fantástico romance alegórico. em referência à «época feliz em que vivemos» (início do século XVII): «Deus […] favoreceu o nascimento de espíritos altamente esclarecidos que tiveram por missão restabelecer nos seus direitos a Arte. ou melhor: uma das mais elevadas aspirações dos Irmãos da Rosacruz seria o renovo da Arte alquímica. um «sedutor romano que transborda de blasfêmias contra Deus e contra o Cristo» (cap. como é sabido. A filosofia alquímica está sempre presente em todos estes autores. Gotthardus Arthusius. ou sete Jornadas. etc. autor da não menos misteriosa Monas Hieroglyphica (1564). em parte maculada e imperfeita». e não pouco. a inteligência humana inventou. e conta o modo como Christian Rosenkreuz foi convidado a ir a um maravilhoso castelo. Este permanente renovo da «Arte» (alquímica. interessando-nos este terceiro livro. Henricus Madathanus. Julius Sperber. é considerado. tal como o Gênesis.

possuindo informações sobre os Irmãos da Rosacruz — claramente transmitidas nos seus livros — que deixam supor um conhecimento direto do «círculo interno» da Ordem. de si próprios. o conhecido enigma de Édipo — qual é o animal com quatro pernas de manhã. logo no frontispício. Viveu alguns anos em Praga. e um velho encurvado com um triângulo na testa e apoiando-se a uma bengala — o triângulo do corpo-almaespírito. mas sim a «pedra filosofal». 3. filósofo e alquimista. Holstein. mais do que para uma Espagíria operativa. dotada do poder de tingir e curar (rubedo). formada por duas linhas com duas pontas. Ascensão. Crucificação e Estigmas. cada um dos quais apresenta um modo de expressão poético. onde foi médico do imperador Rudolfo II que lhe concedeu o título nobiliárquico de Pfalzgraf — Conde palatino — e o nomeou Secretário Privado Real. hoc est Emblemata Nova de Secretis Naturae Chymica (1617). 7. Última Ceia e Lavapés. Embora nunca tivesse afirmado pertencer à misteriosa Fraternidade Rosacruciana. Tentação. não tem como resposta «o homem». Maier ensina sutilmente uma filosofia mística. observam que ele nunca afirmou objetivamente ter fabricado ouro. Heinrich Khunrath e outros Rosacrucianos. também na testa. quer os nove passos ou nove graus da Iniciação dos Mistérios menores da Escola de Mistérios Rosacruzes. o princípio da força quadrática fundamental da «pedra» (nigredo). por meio dos símbolos e dos emblemas do seu livro. figurando a pedra lunar branca (albedo). é submetida à tentação de abandonar a corrida em busca da verdade espiritual. equipolentes aos nove passos fulcrais do ministério de três anos de Cristo Jesus na Terra: 1. e foi doutor em medicina. 4. 5. com comentários filosóficos. foi um dos seus mais acérrimos apologetas. um adulto com uma meia-lua. após exame atento dos seus escritos. que é… um livro de emblemas e notáveis gravuras. teriam um fundo químico oculto: por exemplo.Michael Maier (1568-1622). Transfiguração. Batismo. ou seja. ou seja. 8. Yates. Londres 1972). Numa das gravuras da Atatlanta Fugiens vê-se em primeiro plano um grupo de três seres: um bebé gatinhando com um retângulo na testa. Morte e Ressurreição. Atalanta[2]. Neles detectamos. dando uma lição de perseverança e de pureza de intenções ao alquimista espiritual. um dos grandes eruditos da sua época. nasceu em Rindsberg. pictórico e musical (Frances A. . religiosa e alquímica. Flagelação e Coroa de Espinhos. sem dúvida. 9. 6. A principal obra alquímica de Maier é o famoso tratado Atalanta Fugiens. tão-pouco o afirmaram. moral e científica. Os estudiosos de Maier. segundo Maier e outros alquimistas rosacrucianos. 2. The Rosicrucian Enlightenment. Agonia no Horto. a pedra filosofal solar. e uma só voz —. duas ao meio-dia e três ao fim da tarde. Os tratados destes autores apontam para uma Alquimia altamente simbólica e espiritual. velada ou desveladamente. mitos esses que. da tríplice alma e do tríplice espírito. quer os nove estágios da transmutação involutiva-evolutiva do tríplice corpo do ser humano. Nesse livro se desvenda o significado de vários mitos da Antiguidade clássica.

serão o seu selo. a que se obrigavam as Irmãos da Rosacruz. em consequência. publicado em Frankfurt. II). ou comunicar o motivo da ausência. Com efeito. que a constituição do elixir (xêrion. o número seis associa-se de imediato ao hexahemeron bíblico. «o pó») é menos importante do que as incantações que acompanham a sua produção. em 1618[3] — apenas dois anos após a publicação das Núpcias Químicas de Christian Rosenkreuz — que Michael Maier investiga sobretudo as grandes leis[4] que regem a transmutação espiritual.Fundamentalmente. «Antes de mais nada — observa Maier na Themis — é mais do que razoável supor que qualquer sociedade. os hermetistas rosacrucianos defendiam a tese de que a Alquimia. Esta atividade difere em carácter consoante o plano em que se manifesta. Synesius. deverá ser governada por leis boas […] Por outro lado. em latim. que no limite se identifica com a essência da Vida. . o Fogo alquímico. formam o conhecido signo — ou selo — de Salomão. no interior do ser humano. a Fama Fraternitatis: 1. a Combustão. para ser boa. o ar (triângulo do fogo ∆ truncado pela base do triângulo da água). mas sim e apenas os trajes locais. insígnia e sigla. além de simbolizar. tal como vêm listadas no primeiro manifesto Rosacruz de 1614. é na verdade um princípio espiritual. 3. Curar os doentes ou cuidar deles gratuitamente. um alquimista bizantino do século IV. uma estrela de seis pontas que inclui. entrecruzados. 2. Maier reproduz textualmente aquelas seis leis. em quanto hexagrama. enunciadas sob a forma de seis sinais de adesão. a misteriosa síntese do fogo [∆] e da água [Ñ]. o número mediador entre o Princípio e a sua Manifestação. ou melhor. O todo é uma verdadeira suma do pensamento hermético. O teósofo e investigador Franz Hartmann (1838-1912) define o Fogo alquímico rosacruciano da seguinte maneira: O Fogo é uma atividade interna cujas manifestações externas são calor e luz. passando a buscar. O Fogo é o elemento purificador. afirmando. independente da ciência da matéria. É porém no livro Themis Aurea.. mais do que tentar a transmutação dos metais. os seis dias da criação. C. foi um verdadeiro precursor: já definia a Alquimia como uma operação mental. é importante que alguma coisa se diga acerca do seu número. no plano físico. e a terra (triângulo da água Ñ truncado pela base do triângulo do fogo). No plano espiritual representa o Amor ou o Ódio. C. os segredos e os fins últimos da filosofia alquímica. Designar um digno sucessor em previsão de morte. hoc est de legibus Fraternitatis R. Apresentar-se todos os anos no dia C. 4. e portanto um dos princípios herméticos fundamentais do Rosacrucianismo. que muito de perfeição contém em si» (Cap. ou «compromissos». Assim. seis. Esta teoria deu origem a uma nova escola que minimizou a pesquisa experimental. o Desejo e a Paixão. na morada do Sanctus Spiritus. deveria antes contribuir para a erradicação das doenças e a mitigação das dores físicas (panaceia universal). no plano astral. 5. cujo objetivo deveria ser a transmutação espiritual e a salvação do ser humano. A Fraternidade deve permanecer oculta durante um século. Estes dois triângulos. 6. o Fogo Solar. representando o conjunto dos elementos do Universo. Não usar hábito próprio à Fraternidade. além do fogo e da água. As letras R. tal como já enunciava Paracelso. sendo um princípio cósmico e um elemento básico da Criação.

Assim como os Dez Mandamentos da Antiga Aliança foram sumarizados em dois pelo Cristo do Novo Testamento («Amarás ao teu Deus com todo o teu coração. ao passo que as restantes merecem apenas um capítulo cada uma. até que esteja em condições de viver a Vida Religiosa em plenitude. talvez os seus pós contenham cinábrio ou alguma outra matéria ligeirísima. que a transmutação alquímica do ser humano. os cadinhos. ou seja. isto é. essa transmutação abrange os nove estágios do percurso involutivo-evolutivo do tríplice corpo do ser humano. isto é. ou cordial. deve estar perfeitamente consciente do seu verdadeiro estar no templo do Espírito Santo. que este lhe dedica nada menos de nove capítulos de comentários na Themis Aurea (capítulos IV a XII). ainda que envolto numa teia de simbolismos. cava-se uma distância abissal entre a mente e o coração: a mente prepondera. a teoria e o alimento mental. antes o escondem. 37-39). na morada do Sanctus Spiritus. se deve processar. na Themis Aurea. de graça dai» — Mateus 10. acrisolado. que deve apresentar-se todos os anos no dia C. que está em vós?» — 1 Coríntios 6. na eficácia alquímica das energias «curativas» trabalhadas discreta mas sabiamente «no oculto»[7]. e amarás ao teu próximo como a ti mesmo» — Mateus 22. é um Mistério sagrado que o Adepto deverá saber buscar no mais completo despojamento de si: Embora os Irmãos [da Rosacruz] possuam as medicinas mais eficazes do mundo. No mundo moderno.º 3. 8) adquire tanto relevo no espírito de Maier. as obras do coração e do serviço desinteressado. e a ênfase que Michael Maier coloca. Do lado do Oratório deve ter a biblioteca. tal como Cristo ordenou aos Seus apóstolos. para levar a cabo as operações de transmutação. ou a palavra de razão: — o noûs e o logos. no seu todo. e por fim purificado e transfigurado («Não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo. O alquimista rosacruciano dispõe do Oratório e do Laboratório. ou do seu íntimo Natal [5]. Por isso se diz. a cura dos enfermos gratuitamente («De graça recebestes. ensina-nos que a «panaceia»[8]. Possuem a Phalaia bem como a Asa de Basílio. alma e mente […]. do lado do Laboratório deve ter os instrumentos da prática. inegoísta e amoroso. altamente evoluída pela ciência.É interessante notar que a primeira. na lei n. ao passo que o coração nem sempre encontra meios para manifestar o seu poder: as suas intuições são muitas vezes inseguras e erram ao aventurar-se nos mistérios do ser. e só se satisfaz com explicações materialmente demonstráveis. Como referi há pouco. o alambique. no seu Templo do Espírito. que a mente esquadrinha de forma tão redutora quão aparentemente sólida e exata. não se vangloriam disso. a oração oculta. Tanto vale dizer que a «pedra filosofal» do Conhecimento e da Verdade será alcançada quando a mente e o coração se unirem harmoniosamente. as retortas. Esta operação é descrita pelo rosacruciano Max Heindel (1865-1919) no seu livro clássico The Rosicrucian Cosmo-Conception [6]. que é como quem diz. que é o seu próprio corpo mortificado. ou seja: no dia do seu Cristo interno. mais do que um bálsamo físico. mas produzem seguramente mais efeito do que se pode imaginar. da tríplice alma e do tríplice espírito. mental e cordial. também aquelas seis antigas leis foram sumarizadas em duas pela Nova Escola de Mistérios Rosacruzes: «Curar os enfermos e pregar o Reino de Deus». o Nepenthes que afasta as . E é nesta dupla vertente. 19). aperfeiçoando-se e cooperando mutuamente até que o ser humano atinja a mais elevada Gnosis e a mais elevada Sophia.

Hipómenes venceu-a porque ela se atrasava a apanhálos. o unguento de ouro. cap. 28ª edição Oceanside 1977: «Alchemy and Soul-Growth». [2] Segundo a lenda. por sua vez. Os primitivos cristãos saudavam-se: «Que o Cristo nasça em ti!». entra no teu quarto. neste ou naquele ritual. v. 421-425. [7] «Tu porém quando rezares. reza a teu Pai que está no oculto. é a deusa das Leis Eternas. e aceitou casar com Hipómenes. a virgem Atalanta era muito veloz a correr e. 901-906). Em suma. porque a letra só brilha para quem já preparou os olhos capazes de suportar o brilho da Luz «que já existe e que é tão bela». sendo. qualificando-nos como verdadeiros Mestres Maçons preparados para trabalhar em esferas mais elevadas (Max Heindel. nem desejam de nenhum modo evidenciar-se […]. VI). por fidelidade à deusa Ártemis. há de ser dentro de nós próprios que teremos de descobrir. o que foi o caso de muitos. Los Angeles 1976 que reproduz. da Boa-Lei (Eunomia). Panaceia. filha de Asclépios. Como dizia Florentinus de Valentia: «O livro que contém todos os outros está em ti. fria ao meio-dia. Parte 1: Akhenaton e o Logos Solar (A Obra do Primeiro Monoteísta) por Alexandre David de O. Cornhill 1656 (tradutor anônimo). submetem-se tranquilamente à proteção divina. que é quente de noite. Themis Aurea — Laws of the Fraternity of the Rosie Crosse. da Paz e das três Moiras. Oceanside 1938). [8] Este termo deriva do nome da deusa da cura universal por meio de plantas. É o equivalente. e tépida ao nascer e ao pôr do Sol. [6] Cf. e não apenas nesta ou naquela prática. The Rosicrucian Fellowship. ainda que se trate do livro dos livros. Témis. Com efeito. o deus da Medicina. é pela Alquimia Espiritual que construiremos o templo do Espírito e conquistaremos o pó donde viemos. Brooke. Max Heindel. [4] Segundo Hesíodo (Teogonia. Graças ao ardil de lhe ir lançando à frente uns frutos de ouro que trouxera do Jardim das Hespérides. N. de certo modo. e. e o teu Pai. The Rosicrucian Cosmo-Conception (1909). a fonte de Júpiter Hammon. decidira casar-se apenas com o homem que conseguisse vencê-la na corrida. a primeira tradução editada em língua inglesa: Michael Maier. Atalanta submeteu-se ao prometido. neste ou naquele livro por muito sublime e englobante que seja. com k e não com c. mãe das Horas. NOTAS: [1] A grafia atual é «Rosenkreuz». desbravar e percorrer o Caminho da Salvação.mágoas e pesares de Homero e do Trimegisto. Occult Principles of Health and Healing. Themis Aurea. Desdenham lucros e proveitos e não são seduzidos por altos cargos nem por honrarias. 135 e vv. pp. jurando que mataria os pretendentes a quem vencesse. [3] Existe uma edição moderna da Philosophical Research Society. de porta fechada. 6). em fac-simile integral. que vê no oculto. e em todos os homens». Passos (*) . filha de Urano e de Gaia. não se exibem nem se escondem. te corresponderá» (Mateus 6. da Justiça. [5] O «nascimento do Cristo interno» é a aspiração maior do cristão místico. ao samâdhi do Hinduísmo ou o satori do Budismo Zen. mas exercem a sua atividade em silêncio (Michael Maier.

" (Do "Livro Secreto de Ausar" . O Sol é a imagem viva da Divindade. pronunciando as três palavras que o Senhor Ptah.Probacionista da Fraternidade Rosacruz Max Heindel Editor da Seção Documentos do Nosso Tempo da OS+B "Pensa.. Assim fecunda nossa Terra. Segundo a Escola de Heliópolis. A história das religiões nos mostra que sempre quando uma nação atinge seu Zenith em prestígio e poder mundanos. de onde hoje nos orienta e ensina.. calor e vida. esquecidas pela grande maioria. Viveu a vida de um sábio enquanto ocupava o trono como um justo. Tais verdades sagradas. e imediatamente fundiu-se na Alma de Ra. O Templo de Heliópolis era o centro focal desta antiga Escola Iniciática. como atributo direto de Ra. foram preservadas por . virgem e mãe. Liberdade e Equilíbrio. Colhe" "Entrando no seu Sanctum o Faraó meditou profundamente no Logos Solar e inspirou-o. com toda a sua Escola. sem tocá-la nem manchá-la.. nem pelo poderio militar egípcio. Ele disse:. Os faraós primitivos eram portadores da luz espiritual. Posteriormente um elaborado cerimonialismo foi desenvolvido e transmitido em benefício das massas. é o transmutador prodigioso que recolhe as vibrações transcendentes da Divina Fonte. vibrações construtoras do Cosmos e energias vitais.. "Aton ou o Sol é o corpo físico do Logos diretor de nosso Sistema Solar emanado do Logos Universal. que verte sobre os astros opacos que a ele estão subordinados. Paz. o Vizir. Cria. que assim é descrito: viveu em Maat. É o Senhor da Natureza".A Ordem de Maat) O maior dos grandes Místicos da Antiguidade foi Akhenaton.. elevando os braços e sendo erguido ao Cósmico. fonte de luz. Sob o brilhante Faraó Amenophis III a dominação egípcia se estendia à Síria e Mesopotâmia. nem mesmo se contentava em predicar os cânones consagrados como verdade pela casta sacerdotal dominante. Tributos provenientes de cidades costeiras do Mediterrâneo enchiam rapidamente os cofres e a riqueza facilmente adquirida corrompia tudo que tocava. Não valorizava nada disto. e sempre um mensageiro é enviado pela Hierarquia Invisível para desobstruir o caminho. Akhenaton não é lembrado pela riqueza.. por Maat e para Maat -entendendo-se Maat como uma abstração da Ética Divina. Os primeiros Reis Egípcios foram Iniciados pelos Mestres Atlantes que oficiavam os vários graus de Iniciação no Templo de Mistérios da Grande Pirâmide. e as tranforma em forças mentais.. sendo chamados de "Filho do Sol". com seus atributos de Justiça. a religião dominante do referido período se cristaliza em formas convencionais quase totalmente desprovidas de iluminação espiritual. que designa Horus encarnado. sendo tais privilégios transmitidos hereditariamente. O disco (globo) solar.. A Oitava Dinastia culminou na História Egípcia como um mundo poderoso. cujas raízes procedem do período primordial do Egito. Resplandece com a ofuscante luz da Verdade Absoluta.. criadora de mundos. vindo Akhenaton promover uma nova era de pensamento espiritual. vinha confiando ao Deus Vivo. mas o verdadeiro trabalho iniciático estava reservado à linhagem sacerdotal e à Casa Real. Segundo Corinne Heline tal condição prevalecia naquele período.

no primeiro capítulo do seu Evangelho: "No princípio era o Verbo. Como todos os seres do universo estão evoluindo. a humanidade dos períodos anteriores também evoluiu. O sacerdócio de Amon gradualmente conferiu a si mesmo o título de Deus de Heliópolis e. e a palavra Logos significa tanto o verbo quanto o pensamento que precede o verbo. PERGUNTA Nº 3: Por que é necessária a nossa passagem por esta existência física? Não poderíamos aprender as mesmas lições sem estarmos aprisionados e limitados pelas densas condições do mundo material? O Novo Testamento foi escrito originalmente em grego. é verídico que Deus fez o homem um pouco inferior aos Anjos. de maneira que quando João nos diz. PERGUNTA Nº 2: Se "Deus fez o homem um pouco inferior aos Anjos". usurpara o prestígio e o poder que formalmente detinha o Templo de Heliópolis. que perpetuava a tradição oculta do período Atlante. As injustiças e crueldades impostas ao povo estão reportadas no Livro do Exodus. o grande Centro Esotérico. Na próxima etapa atingiremos algo semelhante ao atual estágio dos Anjos. Portanto. A evolução move-se numa espiral. e nunca se repete na mesma condição. pelo luxo e pelo abuso de poder tanto da Igreja quanto do Estado. no final. O culto ganhou ascendência com Amenhotep III.muito poucos na época da Oitava Dinastia. e . superior a eles no Mundo Espiritual? Esta pergunta revela um equívoco. Os Anjos representam uma corrente evolutiva mais antiga. que colocava a política acima da espiritualidade e praticava grotescas formas de magia e feitiçaria derivadas de antigos cultos remanescentes. o Período Terrestre. como Amon-Ra.eles são sobre-humanos. eram humanos num período anterior da Terra. chamado Período Lunar entre os Rosacruzes. O alto-sacerdote de Amon-Ra era geralmente o Grande Vizir (Primeiro-Ministro) do Egito e frequentemente ultrapassava o próprio rei em poder e prestígio. Sua corte comportava hierarquias de sacerdotes a ele subordinadas. Akhenaton. de forma que hoje encontram-se num estágio mais elevado daquele em que estavam quando eram humanos . que recebiam extraordinários privilégios. Isto nunca foi declarado nos Ensinamentos Rosacruzes. Mas. que ele se torne. Os Arcanjos eram a humanidade do Período Solar. ascendeu à supremacia como o Culto do Estado. Um sacerdócio rival. chamados por Paulo os "Poderes das Trevas". refém político do sacerdócio de Amon. mas seremos superiores ao que eles são agora. Foi no meio deste cenário decadente que. se tornaria a mais magnífica ruína do mundo. O Templo de Karnac. como tudo está num estado de progressão espiralar. O principal Templo consagrado ao Deus Amon localizava-se em Thebas. como é possível. Nós somos a humanidade do quarto período do presente esquema de manifestação. eram a humanidade do sombrio Período de Saturno. mas foi dito algo que pode ter gerado uma interpretação errada. também é verdade que a nossa atual humanidade é superior e mais evoluída do que os Anjos o foram. e os Senhores da Mente. e que os Anjos foram uma categoria mais elevada da humanidade do que os Arcanjos quando eram humanos. que restaurou o Templo de Luxor e construiu muitos outros templos consagrados a Amon. um dos Irmãos Maiores foi enviado para reacender a tocha espiritual que havia sido apagada pela idolatria.

o passo seguinte do homem em seu desenvolvimento foi realizado pelo uso de uma força ainda mais sutil que a água e mais universalmente aplicável do que aquele elemento. o qual pode ser produzido em qualquer e em todos os lugares. que é. Este treino é absolutamente necessário. O vento era inconstante e não se podia depender unicamente dele. assim. ele pode exprimir seus pensamentos e. quando não for capaz de executar sozinho suas idéias. e Deus era o verbo. Naquilo está a "vida". numa rude canoa feita de um tronco de árvore. mas a potência da água é uma força estacionária. Então. e embarcações à vela estabeleceram a comunicação pelo mundo afora. produziu os primeiros instrumentos grosseiros com os quais manipulou objetos. Em consequência. Com ossos e pedras colhidos no solo. Sabemos que a telegrafia é realizada até sem o uso de fios. No momento presente ele cometeria muitos erros. o avanço realizado. pode conseguir o auxílio de outros para realizá-las. Em seguida. aproxima-se o tempo em que criará diretamente através da palavra emitida pela sua própria boca. cada força conseguindo maior capacidade de transmissão que as outras antes disponíveis. conseguiu erigir moinhos de vento para trabalhar por ele em qualquer lugar. Ele tem a capacidade de pensar. ao mesmo tempo. e o homem. podemos perceber facilmente que um progresso futuro dependerá da descoberta de forças ainda mais refinadas e mais facilmente transmissíveis. invisível e intangível.o Verbo estava com Deus. Tudo existe em virtude daquele fato (o verbo). e o progresso do mundo tem sido considerável desde esse advento. Nos primórdios. um líquido. até certo ponto. no entanto. mais facilmente transmissível. da mesma forma. quando o homem esboçava os seus primeiros esforços. aventurou-se às águas. Vemos que o progresso do homem no passado dependeu da utilização de forças de sutileza crescente. Portanto. ele está aprendendo a criar por outros meios. até então. um som. arrancará os mastros e torcerá as mais sólidas barras de ferro como se fossem um fino arame. Tudo que existe no universo foi primeiro um pensamento. Mas. Mas. cria. mas quando estiver capacitado a usar sua palavra para criar diretamente. aquele pensamento manifestou-se através de uma palavra. Assim. . pela civilização humana tornou-se insignificante quando o homem descobriu como utilizar um gás ainda mais sutil chamado vapor. e a roda d'água foi o seu primeiro maquinário. e o verbo estava com Deus. Além disso.poderia dar forma à criações demoníacas. a força muscular era o único meio do qual dispunha para executar seu trabalho. Esse é o processo da criação. que foi feito à imagem de Deus. ele usou os sólidos. a eletricidade. o que representa uma desvantagem. portanto. ele saberá como fazê-lo. Quando o homem aprendeu a usar a força ainda mais sutil que chamamos ar. podemos também traduzir aquele versículo como: No princípio era o pensamento. e o Verbo era Deus". O seu emprego. Atualmente. sendo ele próprio a manifestação da vida dentro daquelas formas. O líquido é bem mais poderoso que o sólido. Uma onda destruirá completamente o convés de um navio. requer um maquinário de transmissão de força. ainda não é suficientemente bom . restrita a trabalhar em sua adjacência Imediata. Mas esta foi praticamente eliminada pelo uso de uma força ainda mais sutil. que construiu todas as formas.

vemos que as condições físicas mostrarão ao inventor em que ponto o seu pensamento não estava correto. pois depende da energia gerada numa usina central. O Mundo Físico ensina o inventor a pensar corretamente. portanto. Sentimos seu poder de longo alcance como temperamento quando desencadeado. Deste modo. gradualmente. elas são corrigidas quando aplicadas nas chamadas experiências empíricas. sociais ou filantrópicos. Deste modo. as condições físicas concretas permitirão detectar a falha do seu raciocínio. Tal força está latente em cada um de nós e. esta força enorme está. confirma-se o mesmo princípio. que é uma força ainda mais sutil.. Nenhum trabalho.mesmo esse sistema não é o ideal. Ao construir a máquina com material apropriado para a realização do trabalho. Se existisse apenas o Mundo do Pensamento. por vezes. Atualmente. estimulando. e diante da sua visão mental aparece aquela máquina com as rodas girando. que certos seres imaginários possuem e podem usar para locomover-se sobre a terra. Julio Verne fez-nos vibrar ao fazer aparecer magicamente o submarino. Um inventor tem uma idéia. A força ideal seria uma força gerada vinda do próprio homem no momento que desejasse e sem maquinário. que é estacionária. e dizemos: "aquele homem perdeu o auto-controle". começa a esboçar o projeto da máquina. ele não chegaria a saber que havia cometido um engano. conforme a necessidade requerida para a realização do trabalho. por mais cansativo que seja. geralmente mais modificações serão necessárias. A idéia não é ainda um pensamento. todas as idéias concebidas por ele concretizaram-se. Se as nossas idéias concernentes aos vários assuntos da vida são errôneas. adormecida. e mesmo no estágio de concretização surgirá certamente a necessidade de fazer modificações. mas as condições físicas concretas mostram-lhe onde o seu pensamento estava errado. Bulwer Lytton. Uma ilustração tornará claro como este mundo serve àquele propósito. a nossa imaginação. no seu "Raça do Futuro" (Coming Race). Algumas décadas atrás. elas o forçarão a fazer primeiramente as modificações necessárias em seu pensamento original para concluir a máquina requerida. Chegará o dia em que teremos à nossa disposição uma fonte de força igual àquela sobre a qual falamos acima.o poder do pensamento e o poder da emoção. a viagem ao redor da Terra em oitenta dias etc. Este mundo é uma escola que nos ensina a pensar e sentir corretamente. superando até a sua imaginação. Ele concebe em seu pensamento uma máquina. É quase como um lampejo que ainda não tomou forma. reformular inteiramente seu conceito e construir uma nova máquina. . Em seguida. através do ar e de outras várias maneiras. fora do alcance da maioria. Ele poderá ver-se obrigado a inutilizar a primeira máquina. referimo-nos a ela como emoção. e suas bem sucedidas máquinas são a corporificação do pensamento correto. Mas. e assim tornar-nos aptos à usar estas duas forças sutis . Nos empreendimentos comerciais. em geral. descreveu-nos uma força chamada "Vril". Envolve o emprego de um maquinário de custo elevado e está. pode esgotar o corpo físico e prejudicá-lo tão seriamente quanto a enorme energia do corpo de desejos quando está solta num acesso de raiva. Hoje. e é bom que continue assim até que tenhamos aprendido a usá-la por meio do pensamento. assim. ele a visualiza dentro da sua mente.

Instituiu reformas baseadas nos princípios fundamentais do Culto Solar de Heliópolis. Criaste a Terra segundo o teu coração. Ó Deus único. sinalizando a direção que irá escolher em seu caminho. sacrificando até as obras realizadas por seu pai. Esta bela e bondosa rainha foi uma alma madura e devota colaboradora no esplendido trabalho de Akhenaton pelo povo egípcio. Preservador e misericordioso Pai da humanidade e de todas as criaturas viventes. a quem nenhum outro se compara. e do qual. porém numa oitava acima ou numa nova espiral. a palavra será reencontrada e tornar-se-á o poder criativo do homem divino numa era futura. conforme a Verdade. Houve um tempo. em grande parte. é sempre um tempo marcante na vida de um Grande Mestre. perdeu-se. em todos os casos. Como o Mestre Jesus. ele foi ensinado diretamente pelos Deuses a usar a palavra como meio de criação.Consequentemente. a crueldade e o ódio desenfreado tornaram-no incapaz de exercer o domínio correto. que a palavra do poder. Quando a santidade tomar novamente o lugar da profanação. Então. que desejava a paz em vez de guerras. e seremos também capazes de expressar o nosso pensamento através de uma manifestação real. Este significante período em sua vida brindou o casamento de Akhenaton com Nefertiti e sua ascensão ao trono. que Ele é o Deus de todas as nações. a irmandade entre as nações em vez de uma nação conquistar a outra. eliminou o antropomorfismo. por toda a . No quinto ano de seu reinado. Parte 3: Akhenaton e o Logos Solar O intervalo compreendido entre os 13 e 14. como uma ação. este mundo é uma necessidade absoluta para ensinar-nos como manipular o poder do pensamento e do desejo. Esta designação não se limitava simplesmente a chamar um leão de leão. Nefertiti significa a personificação da beleza. Akhenaton não desperdiçou nenhum tempo no exercício de sua missão. sem ter que passar pela experiência. A Bíblia diz-nos que Deus trouxe os animais para o homem e este os nomeou. pelas nossas condições materiais. mediador do Logos Solar. com o passar do tempo. mas era um processo formativo que conferia ao homem um poder sobre aquilo que ele nomeava. e foi só quando o egoísmo." (Estrofe do Hino à Glória de Ra. Seus hinos declaram que Deus é um Ser invisível que não pode ser representado por imagens. O Sol foi saudado como o símbolo de um Deus que amava todas as nações. destruindo as estelas erigidas em homenagem a Amon. Mas. e à medida que aprendermos a pensar corretamente iremos adquirindo um tal poder mental que seremos capazes de emitir o pensamento correto imediatamente. que Ele ama todos os homens em igual proporção. e assim trabalhava formativamente sobre os animais e as plantas. sendo atualmente estas forças controladas. com apenas 16 anos. que Ele é o criador. em que o homem era ainda um ser espiritual e as condições da Terra mais moldáveis. Akhenaton) Sua implicação com a Verdade está registrada num de seus decretos: " Este é o juramento que desejo proclamar. Foi muito admirada tanto por seu nobre caráter quanto por sua rara beleza. num passado bem longínquo. sobre a qual falam os maçons. Ela compartilhou toda a gloriosa carreira espiritual de seu marido e sua existência foi marcada tanto pela inteligência como pela bondade e devoção. "Quão múltiplas são as tuas obras! Elas estão ocultas aos homens. se ocupou desde cedo nos "negócios do Pai".

como o Sol no céu será eterna. As duas serpentes. cujas cabeças se lançam fora do circulo do Infinito e que se encontram no caduceu do Hermes grego. o que provocou o antagonismo dos cultos rivais. rompendo com a tradição religiosa de Tebas. da fênix . absorve às almas que retornam ao Sol divino. usou seu poder como Faraó para forçar a devoção a Aton em todo o Egito. Era reverenciado e adorado por seu povo. Por cerca de quatro anos prosperou o novo regime. atualmente Tell-el-Amarna. impaciente com a lenta conversão de seu povo. devotou-se completamente à nova religião. exaltou o valor da Verdade e exigiu uma moral mais humanitária. Ele só desejava estabelecer a beleza. sua natureza era serena e gentil. na planície de Hermópolis a uns 300 quilômetros ao sul de Heliópolis. assessorado pelo arquiteto Bek. que fora hegemônico. o Verbo Solar. Akhenaton era sábio na sabedoria do espírito. e do qual ninguém pudesse reclamar a propriedade. Este é o signo de Horus. Mudou seu nome para Akhenaton (Aquele a quem Aton se satisfaz ou glória de Aton) e acrescentou um título usado até a sua morte: " Vivendo na Verdade". Seu curso ilustra as viagens da alma e a evolução do Universo. O Sol alado de Horus só tem um significado. Akhenaton foi um Iniciado nos Mistérios Solares. Parte 4: Akhenaton e o Logos Solar "As asas estendidas do astro mítico. Adorava contemplar as belezas da natureza. porem. Na beleza e na paz de sua santa cidade. a paz e a fraternidade sobre a terra. sendo chamado carinhosamente de "Senhor do Sopro da Doçura". construiu a nova capital em El Amarna. Ela foi dedicada à Luz e a reverente comunhão com a natureza era essencial ao trabalho espiritual" Ao inaugurar a nova cidade. o jovem Faraó declarou: "Aton meu Pai que concebeu esta cidade. Tal Iniciação era uma prerrogativa dos Faraós. símbolo capital e central desta religião que evoca o Deus que vive através do homem e da natureza. Uma insufla sua vida a todas as formas da matéria.se abrem horizontalmente. A Cidade do Horizonte. "que não pertencesse a algum deus ou deusa. Fez do Sol Alado o símbolo da manifestação do Verbo. Seu corpo era delgado e frágil. Rompeu com o sacerdócio de Amon-Ra e decidiu mudar a Corte para um lugar virgem a beira do deserto. Akhenaton concentrou sua energia na causa de Aton. Aton. mandou-me contruí-la. Em 1370 a. Akhenaton foi totalmente na direção oposta. outra. Aos 21 anos sua residência foi fixada em Akhetaton.eternidade. meu Pai. jamais direi que é falso. e sua face se transfigurava em êxtase espiritual. principalmente a conspiração do sacerdócio de Amon. o Apolo egípcio. o Deus manifestado.." Apesar de sua juventude. seu temperamento era pensativo e estudioso. Corinne Heline relata que "nenhuma utopia visualizada em nossa presente época poderia exceder em beleza a adorável cidade construída pelo jovem Rei e chamada Akhetaton Horizonte do Sol.diz Schuré .C. Duas serpentes entrelaçadas e enroladas ao disco se erguem ladeando-o com suas cabeças vigilantes. príncipe ou princesa. apesar de que nem todos eles atingissem a mesma expansão de consciência. Reportando-se aos registros akásicos. Alguns instrumentavam os poderes conquistados para manter sua autoridade sobre a nação e adquirir cada vez mais fortuna. De 17 aos 19 anos. personificam os dois movimentos do Espírito Eterno: sua aspiração e sua expiração. nenhum nobre me conduziu à ela. Sua voz viril ressoa com a língua universal dos símbolos e . nenhum homem em toda a face da terra me guiou .

abertos em todos os lados à luz solar e irradiando cor e fragrância. escreve Corinne Heline. reduzindo o império a uma pequena faixa. Seu amor à natureza é comparado ao de São Francisco e seu sacerdócio inspirou a original Ordem fundada por São Francisco de Assis. é imortal.F. faça Senhor o espírito de meu coração divino." "No impressionante Ritual da Litania Solar ". "Os antigos Templos Egípcios eram lugares fechados com muitas câmaras subterrâneas. Na vasta área externa do Templo de Aton. O Egito não estava preparado para realizar seu sonho. amigos íntimos desertaram a cidade de amor e paz. conduzindo uma estrela luminosa em cada mão. "Se algum homem deseja me seguir. Ao Círculo Interno Akhenaton se refere ao Sol Espiritual. A universalidade de sua religião e a proibição da idolatria acabaram provocando rebeliões internas. Haendel. é seguido pelos aspirantes em uma procissão. Delicados e graciosos em estrutura. não como "Aton". O Hino do Sol Poente era cantado em tonalidade menor. a cidade idealizada como a capital de um mundo governado e regulado pelo amor e sabedoria divina . o Espírito Invisível e interno do Sol. Akhenaton concebe o culto a Aton como uma religião de luz e seus Templos se tornam emblemáticos deste fato. e sua vida através dos mundos se denomina Ressurreição". oficiados pela Rainha Nefertiti". " que se refere ao trabalho dos nove graus dos Mistérios Menores. "Aton vivo ao lado do qual não há nenhum outro". Muito antes Akhenaton cantara: "Não há pobreza para quem descansa no coração do Senhor". o alto-sacerdote. que pegue a sua cruz e me siga". No Salmo XXIII. Da mais antiga dinastia procede ao eco de um cerimonial solar: " Ó Senhor. David canta: "O Senhor é meu pastor. Com Akhenaton floresceram as artes e as ciências. Simbolizou-o como um disco solar irradiando raios de luz. Mais tarde substitui a palavra Calor por Resplendor Akhenaton era tanto poeta quanto místico. relata Corinne Heline. da Verdade e da Justiça ". O Coral Aleluia. Akhenaton proibiu que Aton fosse idolatrado através de imagens. faça o espírito de minha alma glorioso. porém tais palavras pertencem a todos os Grandes Mestres que foram enviados como portadores de Luz. foi inspirado nestes majestosos e exultantes cantos que ecoam através dos séculos do Antigo Egito. a Alma. oficiando o próprio Faraó o ritual. que anima a carne. que representa o Cristo Cósmico. enquanto que o Hino do Sol Nascente era cantado em tonalidade maior. Seus hinos podem ser comparados com os Salmos de David. disse Cristo a seus Doze Discípulos. Os modernos ocultistas atentos aos ritmos da natureza sabem que a polaridade das forças liberadas na aurora do Sol é positiva ou masculina enquanto aquelas relativas ao por do sol são negativas ou femininas. decorada com os sete tons da escala cromática. que também pretendia restaurar a devoção ao Logos Solar. mas como o "Mestre de Aton".cercada por forças malignas. cantando eles nove vezes em uníssono: " Abra-me o Caminho da Paz.domina aos demais como acorde perfeito que sintetiza todas as harmonias. Dirigiu a atenção do povo ao "Calor que está no Sol". Que é coroado o Rei dos Deuses. Akhenaton também vivenciou a Agonia do Jardim do Gethsemane quando viu a bela e pacífica capital de Império. no Antigo Testamento. e diz: O Espírito é Um. nada me faltará". Na parte menor e mais interna do Templo eram oficiados os ritos mais esotéricos de consagração. muitos de seus soldados se . tais estruturas exemplificaram o espírito do Faraó ensinando que o homem está mais próximo de Deus quando mais próximo da natureza. que existe atrás do esplendor externo do Sol. eram observados os cerimoniais da aurora e do místico por do sol. de "O Messias" de G. comandadas pelos sacerdotes tebanos e invasões externas. eclipsada pela opulência da Igreja Católica.

também é refletor de luz. com o olhar educado. já usavam. espelhos práticos. prata e zinco. objetos mágicos por uma vocação que emerge de sua própria natureza física. A diferença. que Alice vai conhecer outro estranho país de maravilhas. as damas. o olhar orientado produz o fenômeno chamado FASCINAÇÃO. gregos e romanos confeccionaram espelhos de latão. então. tal como conhecemos hoje. quando o Iluminado Mestre vivenciava sozinho seu Gethsemane. em si mesmos. Mais de acordo com o entendimento dos antigos. também feitos de ouro ou prata. emitir sua própria luz (energia) através do olhar. depois o desejo de vingança contra a bela Branca. não somente reflete a luz condensada como também. O Iniciado utiliza o espelho mágico para fins diversos. portal entre dois mundos. que artífices venezianos começaram a produzir espelhos de vidro revestido com fina camada de uma liga de mercúrio e estanho. Foi no século XIV. A educação do olhar. A Magia dos Espelhos Os espelhos são. Egípcios. e sua missão terrestre como Mensageiro do Logos Solar. a saber: • • • • OLHAR PALAVRA GESTOS (movimento de braços e mãos) AÇÃO (postura. A perdição de Narciso foi um espelho d'água. pequenos e redondos.juntaram aos exércitos inimigos e seus mais íntimos discípulos também dormiam. Na Itália medieval. Com o colapso do Império seu ardente coração cessou de bater. o reconhecimento de um objeto como espelho depende apenas do poder de reflexão da luz que esse objeto possui. O ocultista Papus esclarece: . todos os fazeres que implicam em trabalho físico e que dependem de uma disposição firme da vontade) Os espelhos mágicos servem. em geral. É transpondo o espelho. para os ocultistas. emitida pelo olhar do próprio mago. O espelho que fala desperta na rainha de vaidade maldosa. nos anos 1300. primeiro a inveja. pode o mago. a dois propósitos: 1. Espelhos refletem luz! E a luz tem muitas dimensões e significados. presos aos cintos. submissão de alguém decorrente de impressão causada pela luz concentrada emitida pelo espelho ou ainda. a superfície do olho. Isso porque o controle da vontade se alcança justamente por meio do adestramento dos recursos de expressão do homem. espelho é qualquer superfície polida capaz de refletir luminosidade com maior ou menor intensidade. pois que a iris do mago. Em 1833 o revestimento passou a ser feito em prata. no caso da fascinação pelo olhar é que o olho. ou seja. todo movimento. 2. ESPELHO DE MAGO Para magos e feiticeiras. A curiosa fascinação causada pela reflexão da imagem no espelho seduziu os povos desde a mais remota antiguidade. o Cristo Cósmico chegava ao fim. O primeiro deles é o desenvolvimento da vontade por meio do adestramento do olhar como recurso de expressão. tal como um espelho.

por isso.. que os espelhos refletem todos os espectros de luz. a fechar momentaneamente as pálpebras e. O segredo do espelho é produzir uma luminosidade atrativa para o olhar e que favorece à concentração do observador num processo que almeja uma transição de estado de consciência – que alguns descreveram como entrar em alfa. Se considerarmos os ensinamentos da tradição esotérica. e não há motivo para pensar o contrário. admitindo que a luz astral possui uma espécie de memória universal.. O pestanejamento é devido ao ser impulsivo [o animal. no homem] e é puramente reflexo.. Papus conclui que ". o vidro e os metais poderão ser empregados em sua construção (. durante alguns instantes. a vigília. fazendo diariamente um exercício de vinte minutos no máximo. veículos] de condensação da luz astral.. o cristal. os visíveis e os invisíveis ao olho físico do humano em estado de consciência normal."Os espelhos mágicos são essencialmente órgãos [instrumentos.. O espelho reflete luz astral assim como reflete a luz solar. seja no tempo. é preciso por isso combatê-lo pela vontade. Papus descreve o exercício do Iniciado com o espelho mágico: "Quando se olha fixamente. o carvão. seja no espaço. Em ocultismo. o que se conseguirá sem muito esforço. ver-se-á logo o espelho tomar uma coloração diferente da que ele apresenta habitualmente: eflúvios vermelhos. obrigando." TECNOLOGIA DO ESPELHO Torna-se evidente que o princípio de funcionamento do espelho mágico é a sua propriedade de refletir a luz. a anular todos os esforços feitos até então. Compreendemos então o sentido do uso da famosa bola de cristal: a bola que reflete a luz é um espelho mágico. No momento em que se sentem as picadas características dos olhos.todos estes espelhos tem por único efeito concentrar em um ponto uma parcela da luz astral e de por a vida individualizada de cada um de nós em relação direta com a vida universal conservadora das formas. ou seja. fixando o olhar no reflexo do espelho ou partindo de concentração num ponto de luz comum. Infere-se daí. é preciso desenvolver uma tensão de vontade para impedir que as pálpebras se fechem. passadas e futuras." Note-se que Papus refere-se sempre à luz astral. recorre-se às virtudes do espelho para o desenvolvimento e exercício de uma faculdade chamada vidência. resulta que o mago. registro de todas as coisas presentes. para ver o que está distante. por conseguinte. Obtido este primeiro resultado. Os budhistas e teósofos denominam esse fluido cósmico e onipresente de Akasha.. o centro do espelho.) . muitas vezes. o mais simples dos espelhos mágicos é um copo de cristal cheio de água pura. e só então é que as formas aparecerão. Ele deve ser colocado sobre um guardanapo branco com uma luz colocada por detrás. sente-se umas picadas características nos olhos. o que é questão de pouco tempo. torna-se capaz de perceber a luz astral e nela distinguir ou acessar as informações que deseja obter. depois azulados e semelhantes aos eflúvios elétricos." .

nos campos de batalha de Oradour-sur-Glane? Diz-se que o sangue dos mártires de todas as ideologias clama ao céu sua dor e que a imagem dos acidentes impregna os cruzamentos onde se produziram. os magistas utilizam como espelho uma placa de aço brilhante. contém em seus procedimentos os requisitos necessários para o treinamento do controle e da projeção da vontade – como poder . Em seus laboratórios. Adonai. ligeiramente côncava. que transporta tantos espíritos heteróclitos e libera uma infinita tristeza. que deve produzir uma experiência de vidência.através do olhar. Em ritual. sentindo-se em união perfeita com todos? Quanto a mim. antes da explosão das aclamações. Elohim.Este exercício. particularmente à vontade. Esses estados de espírito podem vir de nossa percepção da egrégora do lugar. lembro-me de um concerto de danças caucasianas. Em quatro pontos opostos entre si. onde a sala inteira encontrava-se unida como um só ser. privados também da "bolha de ar" necessária ao bem-estar de nossa aura. sem razão aparente? Na floresta povoada de claros-escuros cintilantes. Que é uma egrégora? Ao se reunirem. sentiu como o Conde de Gabalis. quantos têm o coração apertado pela atmosfera que lá impera e pela morosidade dos viajantes que nos cercam. são gravados quatro nomes sagrados: Jehovah. Metatron. o roçar sutil dos gnomos. o espelho é consagrado ao anjo Anael. silêncio que permaneceu por alguns segundos após a última nota do virtuose. os seres formam. Lembro-me de um extraordinário solo de Heifetz no silêncio religioso de quinhentas respirações suspensas ao som cristalino do violino. um ser coletivo novo chamado . dos silfos e das salamandras. sufocamos. aconteceu com você de sentir-me oprimido ao pisar nos restos dos campos de concentração. no espelho. A Egrégora Por Michèle Séguret Já aconteceu com você de sentir-se particularmente feliz num lugar qualquer. polida. No metrô parisiense. pela união de suas vontades. hóspedes espirituais desses locais? Após uma reconfortante reunião. Por outro lado. você saiu satisfeito.

ligando-se "por mútuas execrações". elas seguem a curva traçada pelo desejo do remetente". ser astral. em seu Tratado elementar de Ciência Oculta introduz uma nova noção: as egrégoras são "imagens astrais geradas por uma coletividade" (pág. A meditação e a prece do iniciado regeneram-no. imprimindo à nossa aura cores diferentes. Sabemos que cada pensamento. Em A Chave da Magia Negra. acorrentando-nos. das grandes amizades. De fato. completamente separada do ser que a forma e a envia. que significa "velar". No astral. em evolução. os espíritos-guias.Egrégora. O iniciado aproxima-se assim dos seres superiores e elevados. canalizam as idéias-força para zonas determinadas. no mundo astral as coisas semelhantes aglutinam-se para criar um coletivo. . 324). das proteções. No astral nascem os germes das grandes associações. desmascarando as entidades homicidas coletivas e os atos sanguinolentos delas decorrentes (pág. A egrégora. graças às suas idênticas vibrações. Esta palavra poderia originar-se no grego "egregoren". flechas de cores das idéiasforça. movidas por uma idéia-força". As idéias-forças são os elementos mais elementares do plano astral. (pág. Serge Marcotoune constata que a energia nervosa se manifesta por raios no plano astral: "O astral está cheio de miríades de centelhas. Em constante modificação. No Livro de Enoch está escrito que os anjos que tinham jurado velar sobre o Monte Hermon teriam se apaixonado pelas filhas dos homens. Stanislas de Guaita analisa a história da Convenção. Papus. 195) É por isso que precisamos controlar nossos desejos a fim de que eles não pesem sobre nós. possui seu centro e seu eixo nesse plano e busca um ponto de apoio terrestre para assegurar-se das formas estáveis. se transmite em idéia-movimento dinâmica. os "spiritus directores". Em A Via iniciática. mas seguindo sempre a direção dada. permitindo-lhe emitir idéias sadias e tranqüilizantes. cada intenção a que se mistura um elemento passional de desejo. 561). La Voix Solaire (A Voz Solar) em seu número de março de 1961 dava-nos a seguinte definição: "Egrégora: reunião de entidades terrestres e supra-terrestres constituindo uma unidade hierarquizada.

. foi porque se viram confrontados com forças imensas. ..as formas das egrégoras são. (pág. efêmeras. a carne. As egrégoras não possuem ponto de apoio. as províncias. a sombra flutua em redor da tumba. o Culto dos Ancestrais estabelecia um equilíbrio ente a Terra e o Céu por meio da Egrégora familiar astral. Zeus luta contra os Titãs. perdem-se na fusão com os planos espiritual e divino". No Regulamento da Guerra dos Essênios. Os egípcios pensavam que não só o ser humano possui um duplo (Kha). o espírito e a sombra. as nações. São as egrégoras da cadeia iniciática ou das grandes religiões. vê-se o mundo angélico inteiro empenhado na batalha terrestre. Na China. Os antigos. Henri Duville o observa na sua Ciência Secreta: E nós. os manes estão no inferno e o espírito voa para o céu" (pág. Papus cita Ovídio no Tratado Elementar de Ciência Oculta: "Quatro coisas devem ser consideradas no homem: os manes. São dirigidas diretamente pelos seres reintegrados e pela Vontade Divina. dissimuladas nas profundezas ocultas da Natureza.. para convencê-los de ler os textos antigos. Elas podem obstruir nosso caminho ou ser utilizadas por um operador. Se os homens criaram mitos. Rama combate os demônios gigantescos do Ramayana. Krishna ajuda o guerreiro Arjuna em seus embates com a Vida. 206) Elas realizam o destino cósmico de todo o universo. Marcotoune escreve: "As egrégoras que podemos considerar como prontas formam uma classe à parte. mas também todos os animais e todas as coisas em que a vida se faz sentir: as cidades. os exércitos vindos do invisível são confrontados com os do manifesto. Elas servem à obra sacrifical de expiação do Filho de Deus para salvar a humanidade. Sabiam que cotidianamente eram travados combates na terra e no céu. incompreensíveis. Estas quatro coisas são colocadas cada uma em seu lugar: a terra cobre a carne. Basta que o mundo invisível seja um poderoso auxiliar para os seres humanos.. 404). na maior parte do tempo. Situadas no cume do plano astral.

A noção de Egrégora nos libera dos grilhões religiosos.Estamos convencidos. elas próprias reagrupadas em um grande corpo porque. Como Swedenborg. somente nossa ação e nosso Coração nos conduzirão à família espiritual que nos corresponde. como Beaudelaire que: "A Natureza é um templo onde viventes pilares Deixam às vezes escapar confusas palavras. Na verdade somente o Amor ao Bem e à Verdade. Tal é a comunhão dos Santos. viajaremos em grupos unidos. a descobrir o que está fora das coisas (esoterismo).. que são numerosos. segundo a densidade de nosso espírito. . o corpo é um. formam um único corpo". Paulo. diz ele." Somos convidados com insistência a decifrar o que está oculto (ocultismo). diz Aristóteles.. sendo ensinados pelos diversos grupos de anjos que formam sociedades à parte.. "o céu é um grande homem".. a aprofundar o que nos espanta porque. "Sim. escreve: "Formamos um único corpo com o Messias". na Epístola aos Romanos (12) e em 1 Coríntios 12. O homem nela passa através de florestas de símbolos Que o observam com olhares familiares. "do espanto vem a Sabedoria". mas há vários membros e todos os membros do corpo.

estarei entre eles". porque então as duas egrégoras selariam uma aliança estreita para nossa maior danação. No Apocalipse.Jesus dissera: "Onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome. que jamais se deve responder ao ódio como ódio. massacres diminuem nossa liberdade. porque participamos da egrégora da terra. da mesma forma que os genes de nossa hereditariedade marcam a história de nosso corpo. Segundo a Bíblia. quando escrevi o ensaio Simbolismo Numérico Rosacruz. escudo protetor e receptor de influências astrais e espirituais. é a via cardíaca martinista. Se realizamos uma Cadeia de União. João faz os Anjos responsáveis pelas Nações intervirem.. É a este chefe que o Espírito fala. nossos ímpetos. voltei a especular: Talvez a Humanidade tenha que aguardar o ano de 2034 (dois mil e trinta e quatro) para poder começar a vislumbrar algum tipo . para equilibrá-los e fazer deles uma base sólida num esforço de continuidade e de ascensão. nosso amor. como fez Pilatos: guerras. Metamorfoseemo-nos pela mutação de nosso coração. fomes. As egrégoras são dinamização das auras num objetivo preciso. Devemos estar convencidos que nenhuma de nossas aspirações para o Bem se perde e que nossa vida deve produzir Idéias-força poderosas. nessa ordem de idéias. nossa vida. Ela é ao mesmo tempo criadora e receptora. Todo o esforço da vida iniciática tem por meta utilizar. da melhor maneira possível. É o segredo da prece dos "fracos". é para ligar o visível ao invisível num campo magnético fechado onde as forças perpendiculares se projetarão. cidades inteiras foram punidas por causa de sua egrégora envenenada.. porque somos responsáveis pelos erros coletivos cometidos. Phaneg escreveu: "Todo coletivo constitui na verdade uma família no espiritual e tem seu chefe." Compreende-se. "Metamorfoseemo-nos pela mutação de nosso pensamento"— é o convite de Paulo na Epístola aos Romanos. Ninguém pode lavar as mãos. Se utilizamos ritos é porque eles constituem um apelo às forças elevadas. Parte 3: Monografia Pública: Universos Parallellos Depois.

efetivamente.1415). Inclusive o ducentésimo nonagésimo primeiro ciclo de 7 anos por adição é igual a 12 (doze). entre os estudiosos. Não a fraternidade romântica dos que não sabem o que falam. por sua vez. Até porque certas conquistas são pessoais e intransferíveis. além de estar dependente de um conhecimento real e hermético a respeito da periodicidade dos ciclos cósmicos? que são diversos? quanto aos acontecimentos. E há outros números. a luz que se transformará em LUZ da LLUZ. observa-se que todas essas operações numéricas indicam que. C. A partir de então terá início o ducentésimo nonagésimo primeiro ciclo de sete anos d. contudo. inclusive. pois essa é impossível de ser realizada por ser absolutamente desigual. ser dividido em 7 ciclos de aproximadamente 52(cinquenta e dois) dias. Sete é o fim. cabe a quem pode. A bem da mais cristalina verdade. Não há. contudo. A biologia contemporânea conhece profundamente o significado e o valor deste número. e que. Mas uma ampliação e um aprofundamento substantivo desse Sagrado Saber já estão acontecendo.de mudança efetiva. Pi (3. acredito que nunca será divulgado tudo. é igual à Trindade. mais do que simboliza. por exemplo. número profundamente significativo em KaBaLa [e em Misticismo]. Cada ano pode. tenuemente. que contemple. as condições necessárias e adequadas em virtude da decadente espiritualidade própria das transições cíclico-planetárias para uma ampla. Até lá. As datas. creio que o próprio Ciclo Aquariano já teve seu início. todavia.. os caminhos dessa nova sociedade que povoará a Terra. Isto considerando o calendário atual. representa a morte de um ciclo. que esta compreensão (pensa-se que consciente em Roncalli) esteja vinculada ao término da Era Pisciana e ao início da Era de Aquarius (A Era Mental). só por volta de 2030 (dois mil e trinta) este Planeta começará a vislumbrar. geral e irrestrita divulgação pública do conhecimento hermético. realmente. Não a igualdade ideológica. especulativamente. Se um alto dignitário da Igreja Católica. e as infinitas possibilidades daqueles que estão a chegar. Sete é o número que simboliza o fim de um ciclo e o começo de outro. e que iluminará. próximo a 2030 um momento cósmico agonizará e outro começará a se manifestar. não são coincidentes para indicar o ocaso de um período e começo do outro. Nesse sentido. por adição de seus algarismos. estiver correto. estes sofrem influência direta tanto do ser . pois essa liberdade é uma prisão anestesiante.. Sete é a foice. Sete. ALHIM. E o dia em 7 ciclos de 3 horas. por enquanto. ou seja. E tudo o que se especular a respeito de números. 290 ciclos de 7 anos. alertar e fazer enxergar os que já conseguem perceber os equívocos tenebrosos destes tempos. 43 segundos. [A Ordo Svmmvm Bonvm é um exemplo]. Assim. Mas não pode ser esquecido o Oito! E o Nove! E há o número 72. a trilogia propugnada depois da queda do Ancien Régime. Não a liberdade quimérica de executar o que determina o corpo astral. A Raça que nos sucederá. 25 minutos e. Angelo Roncalli (1881-1963). aproximadamente. Interessantíssimo o número 2030. De qualquer forma. Se o dividirmos por 7 (sete) o resultado será 290 (duzentos e noventa). Entende-se.

e é um símbolo Rosa Cruz muito antigo e místico. desde sempre idêntica a si mesma. Já Raymond Bernard afirmou que a passagem da Era de Pisces para a de Aquarius teria acontecido em 5 de fevereiro de 1962. atuante e interatuante.Marcelo Rossi (Lectorum Rosicrucianum) Correntemente se chama a Rosa Cruz Hermética e Alquímica. Todavia. possibilidade de que algo ocorra em determinada época. Entrementes. em função de certos fatos? que geram compensações obrigatórias? e da trajetória e dos procedimentos em curso. entretanto. [E vice-versa].individualmente. uma interface de duração variável. em realidade. podem ocorrer [e somos livres para promovê-las]. Há sim. Principalmente na esfera daquilo que comumente é denominado de plano mental do ser humano. A entropia (humana e universal) não se transforma em negentropia assim sem mais nem menos. Anular a reconstrução idem. Serge Raynaud de la Ferrière (18 de janeiro de 1916 17 de dezembro de 1962). Há. Predeterminismo absoluto não há. Isto é simplesmente impossível. nos quatro extremos da Cruz tem três símbolos alquímicos: . quando todos os Planetas dos antigos encontravam-se reunidos no Signo de Aquarius. Minimamente. Mudanças. como da Humanidade como um todo como massa pensante. Acredita-se que esta data é mais concernente com a Tradição. Vencer crendices é difícil. na pessoa de seu Presidente. Isto não posso aceitar. A Rosa Cruz Hermética . é preciso deixar registrado que a Ordem de Aquarius. entende que o novo Ciclo Cósmico teria tido início em 1948 (mil novecentos e quarenta e oito). não compreendo que seja pelo imediato fim de um ciclo astrológico que outro comece prontamente a se manifestar.

que é o receptáculo das forças Sephiróticas da Árvore. "A Natureza é renovada completamente pelo fogo". Esta grande e magnifica rosa cruz simboliza toda majestade. A segunda carreira de pétalas corresponde aos Sete Planetas e nelas estão escritas as Letras Hebraicas que correspondem a eles. porém com o vértice para cima também a esquerda. representam os signos do zodiaco. O pentagrama tem um significado místico muito profundo. saturno. A carreira exterior de pétalas corresponde aos Doze Signos Zodiacais e nelas estão escritas as Letras Hebraicas que correspondem a eles. poder. os planetas estão colocados na ordem de certos rituais Kabalisticos que eles representam. que é atribuída aos vinte e dois Caminhos da Árvore Qabalística da Vida. à direita vênus. da Kabalistica Árvore da vida. Estes raios tem as letras I N R I. é uma representação simbólica da própria rosa cruz. Ela representa a Grande Obra do Adepto. com o vértice para baixo. as 12 letras exteriores. que somam 22. são as iniciais de palavras latinas. (o hexagrama). oliva. Ela é chamada de "A Chave dos Sigilos e Rituais". marte e mercúrio. beleza e proteção que oferece a ordem rosa cruz. como é natural. está dividido em quatro seções. Os quatro raios longos que se estendem por detrás da cruz simbolizam os raios da luz divina ou cósmica. A Rosa-Cruz é um importante símbolo oculto. Cada seção leva uma das cores de Malkut. as 7 petalas. o triângulo a direita do pentagrama. A Rosa na Cruz tem 22 pétalas em três anéis. e a água. a parte inferior da rama descendente da cruz. representa a terra. representam o ar. As três pétalas centrais da Rosa de 22 pétalas correspondem aos elementos mágicos do fogo. enquanto que as três petalas interiores. jupiter. abaixo a lua. Esta também é muito rica no significado simbólico. Por cima dessas quatro seções da rama inferior se encontra uma estrela de seis pontas. que tem seis planetas nos seus vértices. o fogo. o circulo na parte superior do pentagrama representa o espírito. . água e ar. rosa e negro. ou três letras mães. As pétalas tem a cor da Escala do Rei. O hexagrama foi considerado numa época como o mais poderoso de todos os símbolos. representam as 22 letras do alfabeto Kabalistico Hebreu. ou letras mais adentro representam os 7 planetas e as 7 letras duplas do alfabeto kabalistico. As pétalas da grande rosa sobre a cruz. o primeiro triângulo a esquerda com o vertice para baixo e uma linha paralela na base. representa a água e o outro triângulo a direita com o vertice para cima representa o fogo. Enxofre e Sal.Mercúrio. Também nos braços da cruz e um pouco para dentro tem quatro pentagramas. a sexta Sephira na Árvore da Vida. que de acordo com o frater Wittemans. no outro triângulo com uma linha paralela na base. com uma Rosa Vermelha de cinco pétalas em seu centro. As quatro projeções por detrás da pequena rosa cruz são as pontas da cruz de Malta. com um outro símbolo de urna Rosa-Cruz em seu centro. representa o ar. e estão escritas nelas as Letras Hebraicas que correspondem a estes elementos. As letras dos raios menores representam as primeiras letras dos nomes resonantes usados pelos gregos e egipcios nas suas antigas escolas de místerios. e o sol no centro. A Rosa-Cruz central tem uma Cruz Dourada feita de seis quadrados. Essas cores são amarelo limão. Logo. A Rosa no centro da Cruz representa Tiphereth. a rosa cruz com suas cinco pétalas em todo o centro da grande cruz.

cartas. um Símbolo Maior. Transcende em muito esses parâmetros e se constitui na Luz da Tradição Rosacruz. mapas. Esse trabalho. A importância da formação deste acervo místico-histórico não é apenas documental e cultural. declarações. Spencer Lewis. pinturas. objetos e peças de artes plásticas que compõem a História Rosacruz. através da constituição de um acervo histórico que compreende documentos iniciáticos e livros raros. manifestos. livros. Em linhas gerais e para uma compreensão mais fácil por parte dos interessados que visitam as páginas disponíveis na Internet à procura de esclarecimentos. sobressai ainda mais a importância do acervo Rosacruz . Sozinhos ou em equipes. discursos. desenhos. símbolos e peças de arte Rosacruz constitui no plano físico a tessitura material de um todo imaterial. lado-alado com um tremendo desejo de libertação das amarras da ignorância. artigos. esculturas e toda uma extensa gama de documentos.tem sido o de preservar a autêntica Tradição Rosacruz.período que se estende do início da Era Industrial até os dias de hoje . pode-se dizer que o conjunto desses tratados. que de tempos em tempos se manifesta. vem sendo feito com extrema seriedade. quando o homem acaba de passar de um milênio para outro dentro da Era Cristã. ensaios. eles vem coletando. um conceito de iluminismo que só pode ser perfeitamente compreendido pelos iniciados nos Graus Superiores da Ordem. diagramas. por homens e mulheres abnegados. vergado ao peso da imensa carga de culpa que a Igreja lhe impôs. desde a época do Dr. ciclicamente. do medo da morte e da superstição. Nos dias de hoje. gerando os eventos que resultam nessas produções.A Luz Da Tradição Rosacruz Um dos mais importantes papéis da Antiga e Mística Ordem Rosae Crucis (AMORC) dentro do moderno Rosacrucianismo . persistente e minucioso. documentos. exposições.

certamente há de chegar. que abre caminho para a Iluminação. foi criador da Ordem Cabalística da Rosacruz. . em 1887. documentos relativos ao início da AMORC na Suiça. Entre eles. A persistência nos estudos. É justamente aí que entra a suma importância do acervo preservado e continuamente enriquecido pela AMORC. todo o material que a AMORC fornece aos seus membros de Sanctum. contribuindo para a elevação do nível de consciência a um plano tal que permita uma mais clara compreensão das respostas à antiga tríplice pergunta: "Quem sou? De onde vim? Para onde estou indo?". assim mesmo estaria exercendo um grande papel dentro da obra de formação do ser humano superior. vê-se a todo momento provas de sua transcendência. para que possa haver melhor qualidade de vida para todos. ao final de pouco mais de duas décadas. tem contribuído para que um grande número de pessoas se tornasse capaz de compreender melhor os mistérios do Universo. só é possível quando o estudante acredita com sinceridade que está na trilha certa. discursos. que são os mistérios de sua própria existência. o que a caracterizaria como religião o que não é o caso das Ordens e Fraternidades do Rosacrucianismo -. fori e uma infinidade de livretos. tanto assim que organizações que nada têm a ver com a Cristandade avocam o nome Rosacruz para ser seu rótulo. em seu cerne. mas também das provas documentais e demais evidências da autenticidade. pela notável abrangência dos ensinamentos que disponibiliza em seus estudos. a um ponto que dificilmente alguém atingiria com apenas um curso universitário e suas extensões de mestrado e doutorado. Esse vasto acervo vem permitindo que a AMORC funcione como uma espécie de farol no emaranhado de ordens e fraternidades que se multiplicam dia-a-dia. colocando esse conhecimento a serviço da humanidade. E também uma importante coleção de correspondências de Stanislas de Guaita (18611897). história e misticismo se misturam no cadinho de Chronos. Esse trabalho vem sendo realizado em âmbito mundial. datada de fevereiro de 2001. Se a AMORC fosse apenas uma instituição educativa. que com Joséphin Péladan. o Imperator Christian Bernard informa que mais documentos foram incorporados ao acervo da Ordem. Cultura. Na sua carta anual aos membros da AMORC. Muito embora o Movimento Rosacruz. ao par da iniciação mística autêntica. formando a Pedra Filosofal tão buscada pelos Alquimistas. arte. sob a liderança de Edouard Bertholet (1883-1965). cujo mandato foi conferido pelo Dr. ao longo dos anos. ou por afinidade de posições ou por enquadramento dentro de certas Leis comuns a todas as instituições que pretendem levar algum tipo de Luz aos mais sombrios recônditos da criatura humana.preservado pela AMORC. Esse trabalho cultural e educativo. Aquele que tiver estudado com seriedade. Spencer Lewis. seja tipicamente cristão-ocidental. Essa certeza vem não apenas da fé cega nos ensinamentos de uma organização. na forma de monografias. apontando aos estudantes sinceros a direção certa em meio à neblina.

o quanto a matéria é perecível. que quer dizer: “Visita o interior da terra. as seguintes inscrições: Se o que aqui te conduz é a curiosidade. eterno. todos os homens. que além de nos saciar a sede. para renascer um novo homem. Se queres empregar bem a tua vida. ou até caixões. que ao marcar pequenos espaços de tempo. chamado de câmara de reflexões.I.É costume de algumas lojas também.L. Se teme que descubram teus defeitos. e o espírito. é cercada de símbolos de morte. A câmara de reflexões. variando os elementos. (Visita interiore terrae. mais precisamente. retira-te. na mesa. A câmara. embora fazem distinções entre si. pois aqui.T. geralmente encontramos um pão. Se tens apego pelas paixões e distrações mundanas. Como esta iniciação é uma prova da terra. livre de pré-conceitos e paixões mundanas. possa vir a fazer parte do templo de Salomão. simboliza a fertilidade da terra que nos nutre enquanto matéria. de uma nova vida. o V. expor a imagem de um galo em posição de canto. cujas paredes negras revelam fórmulas e dizeres alquímicos. Se fores dissimulado. seguido das palavras Vigilância e Perseverança. na maioria há um cranio ou esqueleto completo. retira-te. retificandoque invenies ocultum lapiden). toda a matéria se reduzirá ao pó. assim como sugere a frase gravada na entrada do oráculo de Delphos: Nosce Te Ipsum (Conhece-te a ti mesmo).I. limpa e purifica. no Rito Escocês Antigo e Aceito. se reduzirão a um empilhado de ossos. de acordo com o rito em questão. onde o candidato deverá passar por uma morte simbólica de sua vida profana. bem como uma ânfora d’água. disposto à lapidação de sua pedra bruta. uma ampulheta.R. é geralmente um quarto ou porão. bem como os elementos que compõe a mesa.A Câmara de Reflexões Na Maçonaria. o qual desperta o candidato para a aurora de um novo tempo. . que além de nos apontar para os mistérios de Eleusis. não estarás bem entre nós. Interior de uma câmara de reflexões Há também. a iniciação de um neófito é feita num compartimento da loja.Há sobre a mesa. uma vez que se visa a concretização da Grande Obra. Normalmente vemos estampada nas paredes. e que devemos percorrer tal caminho com sabedoria e retidão. para que um dia. e retificando-te. ou sementes de trigo in natura. encontrarás a pedra oculta”. aqui serás descoberto. não as conhecemos. pensa na morte.O.Tudo para lembrar o candidato. que é justamente o que esta iniciação propõe: Introspecção e reflexão. nos mostra como a vida é curta e transitória. não vá adiante. Se tens medo.

O Sêlo de Salomão A estrela de seis pontas é um símbolo muito conhecido. e não é uma exclusividade da cultura judaica. Salomão. e após este período. uma bebida amarga. o então iniciado é levado a “ver” a luz. filho do Rei Davi. amuleto atrativo de energias positivas recomendado contra qualquer tipo de adversidade. mediante ao cumprimento e entendimento destas questões. Há também na superfície desta mesa. um contendo uma bebida doce. ao contrário. natural ou "sobrenatural". pingentes e anéis. sobre os altos e baixos que a vida nos guarda. Nos livros de todos os bons mestres ocultistas do Ocidente existem comentários a este símbolo. um conhecedor de forças metafísicas. publicações e objetos como medalhas. ou seja. sal. que o candidato deverá entender dentro do contexto simbólico. De fato. pertence ao acervo de signos mágicos de diferentes povos em diferentes épocas. a estrela atravessou séculos até chegar ao Rei Salomão. A Cabala trata do controle da energia mental (ou pensamento) através de um sistema de . Desde Abraão. A estrela é um legado que os patriarcas de Israel receberam no contexto do sincretismo religioso resultante do encontro das culturas hindu-arianas (Índia) e semitas da Mesopotâmia (atual Iraque). roupas. Ciência esta que consiste na Cabala Judaica. época veramente nebulosas. realmente. usado como talismã.Temos também dois cálices. foi. O candidato deverá então meditar e redigir seu testamento filosófico. denominações que indicam sua antiguidade. a estrela com seis pontas remonta às eras pré-cristãs. A "lenda histórica" conta que Salomão obteve a revelação das Ciências Ocultas de fonte divina. ícone representativo de sabedoria. enxofre e mercúrio. simbolizada pelo Sol no Oriente. e o outro. elementos necessários à transmutação alquímica. "magia" das relações de poder entre números e palavras. nos fazendo refletir sobre a dualidade presente em tudo. É confecionada como figura ou objeto e atualmente pode ser encontrada ornamentando ambientes. um Mago. Os segredos da estrela foram revelados a Salomão como parte de sua iniciação nos Mistérios de Deus. também conhecido como Estrela de Davi e Sêlo de Salomão.

O Esoterismo O esoterismo se caracteriza igualmente por três manifestações: o Sigilo. que o ser humano. usado como objeto de meditação sempre que se deseja uma conexão com Deus. em suma. para dar um sentido à sua vida.rituais (ações repetidas) onde se destaca a utilização de símbolos acompanhados de invocações (falas. então. O Sigilo pode ser abordado de muitas maneiras diferentes. Ele visa preservar a integridade e a eficácia dos ensinamentos. Martinès de Pasqually e Louis. Pode-se falar. caracterizado pela experiência de esquecimento ou abstração do Ego pessoal (a personalidade condicionada pelo mundo) e consequente sentimento de identificação com o Eu Real. à Luz original. transmitida de Mestre a discípulo. A estrela de seis pontas é considerada o mais poderoso dos símbolos mágicos cabalísticos. todo esoterismo verdadeiro remete a um mito original que o Iniciado deve decodificar. a transmissão de uma Tradição Primordial e a Iniciação.Claude de Saint-Martin. única e transcendente. Esta unidade do homem com Deus é a razão pela qual todas as religões do mundo afirmam que "Deus está dentro de cada um de nós". o candidato se vê ligado à Tradição. deve buscar e descobrir por si mesmo. Assim. orações). Desde sua primeira Iniciação. cujo sentido hierático ele deve penetrar à luz do Evangelho de João. Tal meditação pretende alcançar um estado de consciência. A essa Tradição imemorial. O sigilo é. cumprimento dos japoneses. que ele tem ao seu lado no altar. versos. chamados. que não é sono nem vigília. significa "O Deus que habita em mim saúda o Deus que habita em Você". O "Namastê". O Sigilo se refere também aos textos e rituais que exigem interpretações simbólicas e meditações no oratório. Para o Iniciado Martinista. fonte de todas as outras luzes. mais exatamente. a fim de reservar seu acesso não só aos que o procuram. de confidencialidade. da Cabala e dos escritos de nossos Mestres Jacob Boehme. esse mito denomina-se Gênese. através das eras. mas também aos que o merecem. Em primeiro lugar. o Sigilo mostra-se necessário para garantir a proteção dos ensinamentos e rituais. o interior oculto das coisas. fórmulas verbais. o Eu superior que é Uno ou indissociável do Criador de Todas as Coisas. em sua busca de unidade. o . Segunda manifestação do esoterismo: a transmissão da Tradição Primordial.

se nós nos tornamos receptivos a elas. é a Iniciação que assegura a transmissão da Tradição. O verdadeiro buscador saberá então reconhecer onde encontrar a fonte. certas energias que nós como indivíduos podemos sentir e “ver”. A nossa busca pelos conhecimentos superiores está pautada em três atitudes básicas: a ética. Essas ordens autênticas estão em seu centro invisível.Martinismo chama de "Luz Eterna da Sabedoria Divina". e o coração aberto. presente em todo ser humano. E uma herança cósmica que as ordens Iniciáticas autênticas receberam e têm a missão de transmitir. a científica e a místico-filosófica. tão bem quanto “coisas”). Magickos acreditam que vivemos em um mundo completamente diferente do que nossos cinco sentidos nos mostram . porque são vivas. intuitivo. O seu primeiro compromisso é consigo mesmo. Essa receptividade é uma das metas da magicka ou iniciação oculta – e pode ser dito que envolve o individuo em tornar-se ciente da essência das coisas que estão escondidas pela aparência exterior delas (e isto se aplica a outros indivíduos. Na verdade. vida e perenidade. Ultima manifestação de todo esoterismo: a INICIAÇÃO. devo então aceitar a Paz". Teoria da Magicka Fundamental para magicka é a crença que o mundo fenomenal dos cinco sentidos é incompleto. "Se eu desejo falar a DEUS. fora do tempo e unidas ao princípio original que lhes dá força.Trata-se de um conhecimento não-racional. mas que deve ser despertado pela filiação espiritual e pela iniciação. . estará de mãos vazias.eles acreditam que todas as coisas vivas possuem.

para trazer mudanças no causal. não pode descrever) podem ser ditas derivar de um universo acausal paralelo o qual entrecorta nosso universo causal em certos lugares.ver Apêndice I) e então através do “Jogo Estelar”. a soma e tipo dessa energia sendo dependente do tipo de entidade. Estas energias acausais (a qual a ciência no presente por tratar somente de entidades e energias causais.De acordo com a tradição Septenaria. e seu uso é magicka. Magicka Externa é dividida em duas formas ou tipos: hermética e cerimonial. Nós possuímos (a mais latente) habilidade para “abrir o portal” para o acausal que existe dentro de nossa própria psique para atrair do acausal certas energias. Na realidade. Vários sistemas de simbolismo existem – a maior parte indicando tipos de energias por deuses. ‘deus-formas’ e outros) são o primeiro ou estágio de Iniciado de compreensão do Jogo Estelar. porque nós possuímos a faculdade da consciência. incensos. toda entidade viva é um ponto ou região onde as energias acausais manifestam em nosso universo causal. os atuais símbolos são somente de importância secundaria. espíritos ou demônios. Para atrair tais energias é usualmente necessário para o individuo usar algumas formas de estrutura de trabalho ou simbolismo. Nós como indivíduos. A Arvore de Wyrd pode ser vista como um mapa da consciência: individual (da psique) e daquelas regiões diferentes das individuais onde o acausal e causal se encontram. estas “energias magickas” possuídas pelas coisas e “vida” derivam do que é conveniente descrever como acausal – isto é. direcionadas pelo desejo individual. e estas energias podem e fazem alterar de algum jeito tanto nossa própria consciência ou outras entidades/energias que existem no causal. somos portais para este universo acausal. O simbolismo das esferas e os caminhos (as cartas do Tarot. Esta “atração de energias”. Magicka hermética é basicamente aquela envolvendo somente um ou dois indivíduos. e um Magicko que está seguindo o caminho para Adeptidade logo descartará tais símbolos/nomes/descrições (e assim a própria magicka externa) em favor da compreensão de tais energias como essas energias são. planetas. enquanto que magicka cerimonial envolve mais e pode dito ser magicka “formal” envolvendo rituais . deusas. Na tradição Septenaria isto é feito primeiro pela “Arvore de Wyrd” (as sete esferas e os caminhos que as conectam . fenomenal. Magicka Externa é o uso de tais energias. e técnicas de magicka externa usam tal simbolismo para trazer compreensão das energias e o seu controle. Magicka Interna é o uso dessas energias para trazer mudança interna. psíquica.

ou ritos específicos (usualmente escrito e seguido exatamente) e um Templo/coven/grupo organizado (a Parte Dois do presente trabalho trata somente com magicka hermética da tradição Septenaria . etc. Hoje. Hereward Carington. Sylvan Muldoon. Desprendimento Espiritual ou Emancipação da Alma (Espiritismo). Experiência Fora do Corpo (Parapsicologia). Monroe. Desse desconhecimento advieram reservas e idéias errôneas. Waldo Vieira. contando com pesquisadores de vulto como Wagner Borges. dependendo da doutrina ou corrente de pensamento que a mencione: Viagem Astral (Esoterismo). aliás inexistentes. em vasta bibliografia. devido ao desconhecimento sobre o assunto. É sabido. ficando o assunto restrito à uma minoria com pseudo controle e domínio de suas técnicas e conseqüências. a "Projeciologia" insere-se na Parapsicologia como ciência adstrita. digna do maior crédito. Porém. grupos desinformados geraram fantasias sobre os "perigos" que envolveriam o processo. Viagem da Alma (Eckancar). Desdobramento. envolvendo técnicas nítidas de cunho científico. Essa experiência tem recebido diversas nomenclaturas. entre tantos outros nacionais e internacionais. Robert A. desde a mais remota antigüidade. Magicka Interna é sempre individual. Projeção do Corpo Psíquico ou Emocional (Rosacruz). Projeção da Consciência (Projeciologia). PROJEÇÃO ASTRAL Projeção da Consciência é a capacidade que todo ser humano tem de projetar a sua consciência para fora do corpo físico.o lado cerimonial é coberto em trabalhos semelhantes como “O Livro Negro”). que a "Experiência Fora do Corpo" é um fato. Projeção Astral (Teosofia). .

ao qual se assemelha e com o qual coincide minuciosamente. cordão fluídico. perispírito. À medida que o psicossoma se afasta das imediações do corpo físico. mantém a forma daquele corpo. Enquanto os dois corpos estão próximos. cordão vital. É uma réplica exata do corpo físico em toda a sua estrutura. criando um circuito energético de ida-e-volta. quando projetado além do físico. teia de prata. O psicossoma coincide com o corpo físico durante as horas em que a consciência está totalmente desperta. corpo fluídico. Em contrapartida. o cordão é como um cabo grosso. O psicossoma é constituído de matéria astral.PSICOSSOMA O Psicossoma pode ser definido como contraparte extrafísica do corpo físico. independentemente da distância em que o psicossoma estiver projetado. fio de prata. Mas. cordão energético. Normalmente. parte por parte. duplo astral. cordão luminoso. abandonado durante a projeção. através do qual é transmitida a energia vital para o corpo físico. o cordão torna-se cada vez mais fino e sutil. os laços que mantêm os veículos de manifestação unidos se afrouxam e o psicossoma se destaca do corpo físico. O psicossoma é ligado ao corpo físico por um apêndice energético conhecido como cordão de prata. . O cordão de prata também tem recebido diversas denominações: cordão astral. o psicossoma. É normalmente invisível e intangível ao olhar e toque físicos. que vibra numa freqüência mais sutil e é infinitamente mais refinada do que a matéria física que constitui o corpo físico. Esse interfluxo energético mantém os dois veículos de manifestação em relação direta. o cordão de prata também conduz energia do corpo físico para o psicossoma. de modo que o projetor é facilmente reconhecido por aqueles que o conhecem fisicamente. etc. CORDÃO DE PRATA O psicossoma é ligado ao corpo físico por um apêndice energético conhecido como cordão de prata. no sono. etc. Ele também é denominado de corpo astral. Essa separação é que constitui o fenômeno da projeção astral.

formando o cordão de prata. o cordão de prata sempre o trará de volta para dentro do corpo físico.Um dos medos básicos do iniciante é o de que o cordão energético venha a se partir durante a projeção. em locais conhecidos ou desconhecidos. Tal medo é infundado. pois isso não acontece. Por mais longe que o projetor estiver. assim. Quando ocorre a projeção. Geralmente. Em alguns casos. acarretando. a pessoa sai do corpo sem querer e não entende como isso aconteceu. projetam-se simultaneamente de todas as partes dele e se reúnem. O cordão de prata é um feixe de energias. COMO ACONTECE: A PROJEÇÃO PODE SER VOLUNTÁRIA OU INVOLUNTÁRIA Na projeção involuntária. Na maioria das projeções involuntárias. a morte do corpo físico. a pessoa se deita e adormece normalmente. Os principais filamentos energéticos são aqueles que partem da área da cabeça. basta pensar firmemente no seu corpo físico e o retorno se dará automaticamente. que estavam embutidos em toda a extensão do corpo físico. Para voltar. um emaranhado de filamentos energéticos interligados. Também é impossível o projetor se perder fora do corpo ou não querer voltar ao físico. esses filamentos energéticos. É nesse instante que muitos projetores têm a sensação de queda e acordam assustados no corpo físico. Quando desperta. a projeção ocorre antes mesmo da pessoa adormecer. descobre que está flutuando fora do corpo físico na proximidade deste ou à distância. a pessoa projetada observa seu corpo físico .

Nesse caso. que é uma doença rara. ela tenta . principalmente dentro da faixa de atividade do cordão de prata. o projetor pode sentir uma paralisia dos seus veículos de manifestação. Pode voar e atravessar objetos físicos. Entretanto. Não deve ser confundida com a catalepsia patológica. Alguns projetores ficam tão desesperados que mergulham no corpo físico violentamente na ânsia de escapar daquela situação estranha. tem medo da experiência. Na projeção voluntária. Desesperada. SINTOMAS Ocasionalmente. imaginando que está desencarnada. Muitos sonhos de vôo e de queda estão relacionados diretamente com a movimentação do psicossoma durante a projeção.deitado na cama e fica assustada. A sensação de liberdade e flutuação é tão boa que nada mais importa para elas. ela acontece da seguinte maneira: a pessoa desperta durante a noite e descobre que não pode se mover. o projetor comanda o desenvolvimento da experiência e está totalmente consciente fora do corpo. Existem as projeções voluntárias. Geralmente. Esse medo está na razão direta da falta de conhecimento das pessoas sobre o fato em questão. outras pessoas que se projetam involuntariamente se sentem tão bem nessa situação que nem se questionam sobre que fato é aquele. Essa paralisia é chamada de catalepsia projetiva ou astral. Catalepsia projetiva pode ocorrer tanto antes quanto após a projeção. algumas imaginam que aquela vivência era um sonho bom. encontrar com outros projetores ou com entidades desencarnadas. a pessoa tem pleno conhecimento do que ocorre e procura desenvolver o processo à sua vontade. como ocorreu e por quê. por isso. pode observar seu corpo físico com tranqüilidade. nas quais a pessoa tenta sair do corpo pela vontade e consegue. Na projeção involuntária. viajar à vontade para lugares diferentes no plano físico ou extrafísico. entrando no corpo físico à hora que desejar. Parece que uma força invisível lhe tolhe os movimentos. Outros pensam que estão vivendo um pesadelo e procuram desesperadamente acordar seu corpo físico. a pessoa não tem conhecimento do que ocorre e. Ao despertar no corpo físico.

não tente se mover. Além da catalepsia projetiva. Na verdade. quando estão começando a adormecer. basta tentar com muita calma mover um dedo da mão ou uma pálpebra. é totalmente inofensiva. pelo contrário. Essa catalepsia é benigna e pode produzir a projeção se a pessoa ficar calma e pensar em flutuar acima do corpo físico. principalmente nos membros. TIPOS DE PROJEÇÃO PROJEÇÃO CONSCIENTE . totalmente iludido pelas idéias oníricas. Não tenha medo nem ansiedade e a projeção se realizará. Isso acontece devido a uma pequena movimentação do psicossoma no interior do corpo físico.É aquela na qual a lucidez da consciência é irregular e o projetor fica sonhando fora do corpo. se você se encontrar nessa situação em uma noite qualquer. mas não consegue. o estado vibracional pode produzir uma espécie de zumbido ou ruído estridente que incomoda o projetor. Portanto. Algumas vezes. criando assim um circuito fechado de energias. podem ocorrer pequenas repercussões físicas no início da projeção. Muitas pessoas. mas também não obtém resultado. Fique calmo e pense firmemente em sair do corpo e flutuar acima dele. Ocasionalmente.São vibrações intensas que percorrem o psicossoma e o corpo físico antes da projeção. Caso não pretenda se arriscar e deseje recuperar o controle de seu corpo físico. Essas energias são totalmente inofensivas e têm como finalidade a separação dos dois corpos. Alguns criam fantasias subconscientes imaginando que um espírito lhe dominou e tolheu seus movimentos. ESTADO VIBRACIONAL . que imediatamente. readquirirá o movimento. essas vibrações são causadas pela aceleração das partículas energéticas do psicossoma.gritar. PROJEÇÃO SEMICONSCIENTE . . Ela não apresenta nenhum risco.É aquela na qual o projetor sai do corpo e mantém a sua consciência lúcida durante todo o transcurso da experiência extracorpórea. essas vibrações se intensificam e formam anéis energéticos que envolvem os dois corpos. Tenta abrir os olhos. têm a sensação de estar "escorregando" ou caindo por um buraco e despertam sobressaltadas.

"in loco". eles ficam invisíveis e intangíveis ao projetor. lembrando de suas vidas anteriores e comprovando. Na maioria das vezes. · Nas horas em que o seu corpo físico está adormecido. A projeção em que o amparador ajuda o projetor a sair do corpo é denominada de Projeção Assistida. Em toda a projeção. isto é. a existência da reencarnação. com amparadores fora do corpo. não há coerência. · Pode prestar assistência extrafísica através de exteriorização de energias fora do corpo. a capacidade mental é reduzida. trabalha. · Pode substituir a crença pelo conhecimento direto. observa eventos físicos e extrafísicos. a sobrevivência da consciência além da morte. comprovando assim. É totalmente dominada pelo onirismo. É um sonâmbulo extrafísico. a capacidade mental é ampliada. diretamente. através da experiência pessoal. PROJEÇÃO E SONHO Muitas pessoas confundem projeção com sonho. a maioria dos encarnados está nessa situação. · O projetor constata. · Pode encontrar com espíritos desencarnados. os amparadores estão presentes assistindo e orientando o projetor. a consciência não tem domínio sobre aquilo que está vivenciando. Infelizmente. a consciência tem pleno domínio sobre si mesma. independentemente do concurso dos seus sentidos físicos. mesmo que ele não os perceba. · Na projeção. participa e aprende fora do corpo.PROJEÇÃO INCONSCIENTE . Outras confundem sonho com projeção. As diferenças entre sonho e projeção são bem óbvias: · No sonho. · Pode adquirir conhecimentos. para si mesmo. · No sonho. . · Na projeção. fora do corpo. a consciência mantém o seu padrão normal de coerência. · Na projeção. a realidade do mundo espiritual.É aquela na qual o projetor sai do corpo totalmente inconsciente. através da experiência pessoal. ou até mais ampliado. · Pode fazer a desobsessão extrafísica. · No sonho. por si mesmo. · Pode ter a retrocognição extrafísica. BENEFÍCIOS DA PROJEÇÃO · O projetor. realmente. para doentes desencarnados e encarnados. · Pode encontrar com pessoas amadas fora do corpo. o projetor observa.

Prática de intercessão nas Forças da Lei Sagrada. com o poder do sagrado Senhor. Nesta operação. Senhor da Lei. feita Homem. e do templo de Maat. Assim se realiza a prática: O operador deve preparar uma sala da seguinte maneira (se . combina-se o poder do Deus arquetípico Anubis. a Emanação de Deus.Práticas de Urgência I.Liber Β . Antes de prosseguir com esta prática é necessária uma compreensão profunda sobre o mecanismo das leis superiores conhecido pelo sânscrito de Karma. Redentor da Humanidade. Pedido de Dharma. Jesus Cristo. o sagrado Deus Chacal do antigo Egipto. Esta prática reveste-se da maior importância para aquelas pessoas que necessitam de apoio por parte das forças que controlam as leis sagradas. Este poderoso exercício é da maior responsabilidade e só deve ser usado quando o praticante se certifica que os fatos nefastos que influenciam a sua vida não podem ser resolvidos senão por uma intervenção das forças sagradas que condicionam a lei nas variadas encarnações humanas.

Vinde até mim. Este sinal deve ser feito com o máximo respeito. em seguida é dirigida uma oração ao Centro de toda a Criação de forma a que Ele permita e apoie esta operação. no lado direito. Senhor Anubis Poderoso Chacal e Arconte da Lei. Nos quatro pontos cardeais dever-se-ão encontrar escritos sobre papel branco e novo à tinta consagrada os seguintes nomes divinos: . O vértice deste triângulo equilátero deve estar apontado para o operador e ter lá uma balança ou uma representação do desenho da mesma.Oeste – ADONAI . Em nome de Amon-Rá eu invoco o Teu Poder. Senta-se na almofada em frente ao altar e medita sobre Anubis pedindo ao seu Pai que está em segredo. O praticante aproxima-se do recinto e traça um círculo mágico com todo o respeito. Deve estar desenhado um círculo no chão. que entre em contato com este Deus e que realize a prática lá em cima assim como o filho a realiza cá em baixo. uma em cada ponto cardeal sendo todas brancas. O praticante medita sobre a importância da prática e suas consequências. o operador levanta os olhos em direção aos céus e dirige uma invocação a Anubis.Norte – AGLA Deverão arder 4 velas. eu Vos Invoco humildemente pelo Poder Omnipotente do Deus . pelos Nomes Sagrados entoados nos Templos Universais. cujo centro seja o altar. Em frente ao altar deverá estar uma almofada onde o praticante se possa sentar e meditar. e a de Cristo. estando a de Anubis no lado esquerdo. Ísis e Hórus.Este – IOD HE VAU HE . Após o seu término. onde figurarão três figuras em triângulo. O altar deve estar voltado para Este. Na base do triângulo devem figurar as figuras de Cristo e Anubis. Em seguida far-se-á o Ritual de Invocação do Pentagrama. Digna-te a conceder um pedido a este mortal. Em seguida o praticante realiza de novo o sinal da cruz cabalístico e pede proteção aos 4 Anjos Guardiães dos Cardeais com a invocação dos Seus Nomes segundo o ritual habitual. um lugar na natureza servirá): Deve ter um altar coberto com linho branco.não possuír uma sala. Deverá existir um fogareiro em frente ao altar onde se queimarão perfumes solares tais como o incenso. Levanta-se e faz o sinal da cruz cabalístico.Sul – EHEIEH . Deus Chacal da Lei: “Pelo Poder de Osíris. eu Vos Invoco. Esta oração deve ser fervorosa e suplicativa.

e suplicando humildemente a Anubis que se manifeste. À medida que o faz. o operador deverá pegar num papel virgem que tenha previamente incensado e endossar uma carta ao próprio Cristo. Vos peço com muita humildade e comprometendo-me a pagálo. o operador deverá dizer: “Ó Sagrado Anubis. . Em seguida será incensada em cruz e queimada em chama de uma vela nova. abre os braços em forma de balança. A pena usada para a assinatura do nome deverá ser de uma pomba branca. espalhará as cinzas ao vento. o Krestos do Egito. Poderoso Senhor da Lei. de forma a que Ele permita esta operação e que incentive a sua realização. As gotas de sangue simbolizam o Pacto de Sangue que Cristo celebrou com a Humanidade. fazendo essa posição. ou de uma experiência astral se me foi concedido o pedido. o operador agradecerá a todas as Forças Invocadas e irá realizar uma operação de banimento com a qual esteja familiarizado. Humildemente aguarda pelo sinal. Bendito Sejais para sempre.que tudo criou. Não deixará quaisquer vestígios da prática que realizou e não a comentará com ninguém. em Nome de Osíris. Que Assim Seja em Nome de Osíris!” Em seguida.” O operador visualiza a figura imponente de Anubis à sua frente. Após ter obtido o sinal. eu (nome do operador). ou tendo esperado uns minutos. Vinde e daí-nos um sinal da Vossa Presença. Vos peço. Esta carta deverá ser precedida de meditação e oração ao Redentor do Mundo. Tem que haver fé. que me informeis através de um sonho. força e poder pela parte do operador e muita convicção naquilo que está a fazer. A carta deverá ser escrita em termos corretos e o operador deverá assiná-la no seu canto inferior direito com o próprio sangue que será extraído na altura através de um corte efetuado na mão esquerda com uma lâmina afiada e consagrada para o efeito. de forma a que possa realizar (o que se quer). A carta deverá ser incensada em cruz e magnetizada com a energia e vontade do operador. Para terminar o ritual. ou deitá-las-á ao rio ou ao mar. um crédito cósmico proveniente do Templo da Lei.

A oração precedente dirigida a Anubis deverá ser dita até ao adormecimento do praticante. conforme legado por Agrippa. Essa mesma noite deverá dormir cedo e muito bem. colocará uma imagem do Deus Anubis sob a almofada e juntamente colocará uma oração escrita para obter um sonho profético. essa vela deverá queimar sempre juntamente com orações dirigidas a Cristo. queira informação sobre a forma de pagar o pedido. Se o praticante estiver familiarizado com o Deus HARPOCRATES poderá rogarlhe que o leve até a sala de Maat para consultar o seu livro de Karma e saber o resultado da sua operação. Uma vela deverá ser acesa sob uma cruz de Cristo durante 40 dias. . limpo e incensado.Nessa mesma noite terá o seu quarto previamente arrumado. O praticante deverá caso. realizar um sonho profético ou uma experiência astral nesse sentido. as noites anteriores deverão ter sido repousantes.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->