Você está na página 1de 3

O território brasileiro.

O Brasil tem um território muito extenso que faz fronteira com quase todos os países
da América do Sul. Essa característica acarreta vantagens e desvantagens políticas,
sociais e econômicas para o país.

A posição do Brasil no mundo.


Três dos cinco maiores países do mundo se localizam no continente americano:
Estados Unidos e Canadá, na América do Norte, o Brasil na América do Sul. O Brasil é
o quinto maior país do mundo em extensão territorial, menor apenas que a Rússia,
Canadá, china e Estados Unidos.

Grande parte do território brasileiro se encontra no hemisfério Sul, com exceção de


parte dos estados do Amazonas, Pará, Roraima e Amapá. Além disso, a maior parte do
país está localizado na zona Intertropical, com exceção de parte dos estados de São
Paulo. Mato Grosso do Sul, Paraná e dos estados de Santa Catarina e do Rio Grande do
Sul. As características climáticas e a diversidade natural existente no Brasil estão
diretamente relacionadas à extensão territorial e à posição geográfica de suas terras,
localizadas em grande parte na zona climática mais quente e úmida do planeta, o que
sustenta a vida de 20% de todas as espécies de plantas e animais de todo o planeta.

Potencialidades ecônimicas
O Brasil é um país de dimensões continentais, e em seu subsolo encontramos uma
grande quantidade de recursos minerais. A presença de solos férteis em grande parte
do território brasileiro e a grande extensão de terras próprias para a agricultura
elevam a potencialidade de exploração econômica do país.

Uma extensa rede hidrográfica, dotada de grande potencial energético, sustenta a


capacidade de desenvolvimento de inúmeras atividades econômicas que dinamizam a
economia nacional. Tais potencialidades ampliam os interesses de outros países e das
grandes empresas nacionais e estrangeiras pela exploração dos recursos existentes,
tais como: a extração de minérios, madeira, frutos, sementes e plantas.

Os aproveitamentos econômicos dos recursos naturais.


A exploração econômicas dos recursos naturais e a dificuldade de fiscalização e
proteção do meio ambiente causam grandes prejuízos ambientais, tais como o
desmatamento descontrolado, as queimadas, a caça ilegal, a poluição do ar, do solo e
da rede hidrográfica, alterando a dinâmica da natureza e prejudicando o
desenvolvimento socioeconômico das comunidades próximas às áreas exploradas.

A legislação ambiental brasileira é hoje bastante severa e prevê sérias punições para
os que cometem crimes ambientais. Apesar disso, a falta de fiscalização favorece
ações prejudiciais ao meio ambiente, como a extração ilegal de madeira e as
queimadas na Amazônia.

As fronteiras do Brasil
O termo fronteira é utilizado para caracterizar demarcação dos limites territoriais de
um país, de unidades de federação ( estados e municípios ). As faixas de fronteira
realizam o contato entre diferentes porções de territórios. As áreas fronteiriças
mesclam características naturais, sociais, econômicas e culturais de duas ou mais
áreas.

As fronteiras podem ser delimitadas por elementos naturais como rios, lagos e
montanhas, ou definidas por determinação oficial do Estado, por meio da instituição
de linhas imaginárias que demarcam certa porção de território. As fronteiras também
podem ser alteradas, ao longo do tempo, por acordos diplomáticos ou conflitos
armados.

Com exceção do Chile e Equador, o Brasil faz fronteira com todos os países da
América do Sul. A leste o país é banhado pelo oceano Atlântico.

Nas áreas menos povoadas e cobertas por densa vegetação, como na floresta
Amazônica, há certa dificuldade de reconhecer os limites entre os países e de
fiscalizar e proteger as áreas limítrofes. A grande extensão das fronteiras brasileiras
dificulta a fiscalização da entrada e saída de mercadorias e pessoas, o que cria áreas
de tensão permanente nessas regiões.

A importância do litoral
O litoral brasileiro é um dos mais extensos do mundo, com 7,3 mil quilômetros de
extensão.

Além de abrigar a maior parte da população brasileira, o litoral também propicia o


desenvolvimento de atividades econômicas, como a pesca e o transporte marítimo,
além da intensa atividade turística, doméstica e internacional.

Os portos marítimos são responsáveis pelo escoamento de mais de 80% das


exportações do país. São elementos que marcam a paisagem e refletem o dinamismo
econômico de muitas cidades litorâneas brasileiras.

Nas cidades portuárias, a atividade dos portos dinamiza o comércio local, gera
empregos e eleva o orçamento das administrações municipais.