P. 1
CINEANTROPOMETRIA

CINEANTROPOMETRIA

5.0

|Views: 18.527|Likes:
Publicado porArthur Sacramento
Aula de Cineantropometria do Prof. Arthur Sacramento
Aula de Cineantropometria do Prof. Arthur Sacramento

More info:

Published by: Arthur Sacramento on May 15, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/08/2013

pdf

text

original

CINEANTROPOMETRIA

Disciplina de Medidas e Avaliação em Educação Física e nos Esportes Prof. Arthur Sacramento

NENHUM TESTE OU MEDIDA É PERFEITO

DEVE SEMPRE HAVER O RETESTE PARA QUE POSSAMOS AVALIAR O DESEMPENHO

CINEANTROPOMETRIA
Palavra de origem grega que significa:

“MEDIR O HOMEM EM MOVIMENTO”

HISTÓRICO
Sem sombra de dúvida, o fenômeno que mais tem captado a atenção do ser humano através da sua história, tem sido o próprio homem, e tão complexo é analisar sua totalidade que se faz necessário dividi-lo, e uma destas divisões, é a cineantropometria.

HISTÓRICO
 400 a.C. Hipócrates faz as primeiras
referências ao conceito de estrutura humana, foi um dos primeiros a classificar os indivíduos segundo sua morfologia em tísicos ou delgados e apopléticos ou musculosos.

 Século XVII Elsholtz emprega pela 1ª
vez o termo “antropometria” em uma série de estudos morfológicos realizados na Universidade de Pádua.

Hipócrates (460-377 a.C.)

J. S. Elsholtz (1623-1688)

HISTÓRICO
 1930 desenvolve-se um “compasso”,
similar a uma pinça que permite medir a gordura em determinadas partes do corpo.

 1972 pela primeira vez usa-se o termo
“cineantropometria” num artigo de Willian Ross na revista científica belga Kinanthropologie.

HISTÓRICO
 1976 no Congresso Científico Olímpico
(Montreal 1976). A cineantropometria foi apresentada pela primeira vez como uma especialidade emergente e de grande aplicabilidade na área da atividade física, nutrição e alto rendimento.

 1978 acontece o 1o Congresso Mundial de
Cineantropometria. Até 1990 haveriam outros três. A cineantropometria é reconhecida como ciência.

HISTÓRICO
 No final dos anos 70 início dos 80
desenvolvem-se os principais métodos de mensuração e avaliação da composição corporal: Ultra-som, Tomografia computadorizada, Bio-Impedância, etc. Mais a frente em 1987 surge o DEXA.

 1939 BRASIL. É introduzido o ensino da
Biometria nas Escolas de Educação Física. Em 1984 é lançado o primeiro livro que iniciou o estudo da Cineantropometria

CINEANTROPOMETRIA
KINEIN: O sufixo significa “movimento” e reflete o estudo do movimento, das trocas que ocorrem no homem. É o símbolo da vida, da evolução e do desenvolvimento do ser humano. ANTHROPOS: O tema central cujo significado é “homem” o qual vamos medir, o objeto principal do nosso estudo. METREIN: O sufixo que tem um significado de fácil compreensão, “medida”.

MÉTODOS DE VALORAÇÃO
DIRETOS:
DISSECAÇÃO DE CADÁVERES

INDIRETOS:
PESAGEM HIDROSTÁTICA DEXA (Dual Energy X-Ray Absorptiometry)

DUPLAMENTE INDIRETOS:
BIO-IMPEDÂNCIA ANTROPOMETRIA

Pesagem Hidrostática

Pesagem Hidrostática

Através da pesagem hidrostática se determina a densidade corporal, o percentual de gordura, a massa gorda e a massa magra de um indivíduo. A densitometria refere-se ao processo geral para estimar a composição corporal através da densidade corporal. A densitometria se tornou um sinônimo de pesagem hidrostática. Esse método indireto é considerado como padrão e frequentemente tem sido usado como critério de validação de novos métodos da determinação da DC, %G, MG e MM.

Arquimedes disse o seguinte...
 O método baseia-se no princípio de

Arquimedes: “Um corpo imerso em um líquido sofre a ação de uma força hidrostática de flutuabilidade, que é evidenciada por uma perda de peso equivalente ao peso do líquido deslocado.”

Fórmula de cálculo da densitometria

DC =

M (M – MSub) – (VR + 0,1) D

DC – Densidade corporal em g/ml M – massa do corpo no ar em Kg MSub – massa do corpo submersa em Kg D – densidade da água em g/ml

MÉTODO DEXA
Dual-Energy X-Ray Absorptiometry

Método DEXA

Dexa (dual energy x-ray absorptiometry, ou radioabsorciometria de feixes duplos) é um método de avaliação que serve para analisar a composição corporal. A quantidade de massa magra ou gorda do organismo é medida pelo densitômetro, que traduz para porcentagens as imagens obtidas por um tipo especial de raio x dos diferentes compartimentos do corpo: tecido ósseo, muscular, de gordura e fluidos.

MÉTODO DEXA
 Posição supinada;  Área de escaneamento 60 x 200 cm;  Escaneamentos transversais com intervalos de 1cm da cabeça aos pés;  Cada escaneamento gera 120 pixels;  Tempo de escaneamento 20-25min;  Exposição a radiação 0,02-1,0 mrem

MÉTODO DEXA

BIOIMPEDÂNCIA

Bioimpedância (BIA)
 A palavra "Impedância" significa

resistência à passagem da corrente elétrica, e está inversamente relacionado à condutividade elétrica. Toda matéria oferece uma determinada resistência ao fluxo de corrente elétrica que é inversamente proporcional ao nível de hidratação e eletrólitos nela contidos.

Bioimpedância (BIA)

A avaliação da composição corporal por Bioimpedância, se fundamenta na passagem de uma corrente de baixa voltagem e frequência pelo corpo do paciente, determinando-se a resistência oferecidas pelos diversos tecidos do organismo.Lembrando o fato de que o tecido gorduroso tem um conteúdo aquoso baixo, pode-se deduzir que a condução da corrente elétrica será mais difícil se comparada com a condução do tecido muscular que é predominantemente aquoso. Com esses dados e através de um programa especial pode-se estimar o percentual de massa gorda, massa magra e metabolismo basal do paciente.

Não comer ou beber a menos de quatro horas do teste;

Protocolo para realização de BIA

Não fazer exercícios a menos de 24 horas do teste; Urinar a menos de 30 minutos do teste; Não consumir álcool a menos de 48 horas do teste; Não tomar medicamentos diuréticos a menos de sete dias do teste Mulheres em período pré-mestrual não devem fazer o teste.

Bio-impedância de balança

Bio-impedância de mão

ANTROPOMETRIA
O ser humano pode ser descrito com grande precisão através de medidas de sua morfologia externa, tais como segmentos ou alturas, diâmetros, perímetros e dobras cutâneas. O uso da dobra cutânea é um dos mais práticos e hábeis métodos na avaliação corporal em populações adultas entre 20 e 50 anos de idade, isto porque aproximadamente 70% da gordura corporal total está localizada subcutâneamente.

Utilização do IMC
IMC (Kg/m2) = MCT/Estatura2(m) IMC = 95/1,752 31,0 Kg/m2

Índice de Massa Corporal (IMC)

A forma mais amplamente recomendada para avaliação do peso corporal em adultos é o IMC (índice de massa corporal), recomendado inclusive pela Organização Mundial da Saúde. Esse índice é calculado dividindo-se o peso do paciente em kilogramas (Kg) pela sua altura em metros elevada ao quadrado (quadrado de sua altura). O valor assim obtido estabelece o diagnóstico da obesidade e caracteriza também os riscos associados conforme apresentado a seguir:

Tabela do IMC
IMC ( kg/m2) 18 a 24,9 25 a 29,9 30 a 34,9 35 a 39,9 40 ou mais Grau de Risco Peso saudável Moderado Alto Muito Alto Extremo Tipo de obesidade Ausente Sobrepeso (PréObesidade ) Obesidade Grau I Obesidade Grau II Obesidade Grau III (Mórbida)

O QUE MEDIR?
DOBRAS PERÍMETROS

DIÂMETROS

SEGMENTOS

COMPASSO DE DOBRAS (plicômetro)

Procedimento O compasso deve ser manuseado com a mão direita, com a mão esquerda pinçamos o tecido subcutâneo entre o polegar e o indicador, cuidando para o músculo não seja pinçado junto, na dúvida solicita-se uma leve contração e posterior relaxamento do músculo. As extremidades do compasso são ajustadas perpendicularmente à prega a uma distância de aproximadamente 1 cm do ponto onde a prega foi pinçada, aguarda-se dois segundos antes de efetuar a leitura.

O QUE MEDIR?
DOBRAS PERÍMETRO S

DIÂMETROS

SEGMENTOS

FITA MÉTRICA

Procedimento Tomar a fita métrica na mão direita e a extremidade livre na mão esquerda. Devese ter o cuidado de manter a fita formando um ângulo reto como o eixo do osso ou com o segmento que se está medindo. A fita passa ao redor do local onde se vai realizar a medida, cuidando para não comprimir a pele.

O QUE MEDIR?
DOBRAS PERÍMETRO S

DIÂMETROS

SEGMENTOS

PAQUíMETRO E ANTROPÔMETRO

Procedimento As ramas do paquímetro ou do antropômetro devem estar colocadas entre os dedos polegar e indicador, utiliza-se o dedo médio para localizar o ponto anatômico. Deve-se aplicar uma pressão firme sobre as ramas para minimizar a espessura dos tecidos como músculos e gordura.

O QUE MEDIR?
DOBRAS PERÍMETRO S

DIÂMETROS

SEGMENTOS

SEGMÔMETRO

Procedimento As ponteiras do segmômetro devem estar colocadas sobre os pontos anatômicos demarcados. Devemos ter o cuidado para que a fita não fique em contato com o segmento a ser medido pois isso acarretaria, em muitos casos, a deformação da fita de acordo com a conformação do mesmo.

POR QUE MEDIR?
DOBRAS: Através do conhecimento dos valores das dobras cutâneas poderemos determinar o percentual de gordura total do indivíduo ou a quantidade de gordura no local avaliado. PERÍMETROS: Através do conhecimento dos valores dos perímetros, subtraído-se daí o valor da dobra cutânea, poderemos determinar o desenvolvimento muscular no local medido.

POR QUE MEDIR?
DIÂMETROS: Através do conhecimento dos valores dos diâmetros, poderemos determinar o desenvolvimento esquelético do indivíduo. SEGMENTOS: Através do conhecimento dos tamanhos dos segmentos poderemos determinar a posição correta de móveis, equipamentos e utensílios utilizados no dia a dia, proporcionando desta forma um melhor posicionamento ergonômico do indivíduo.

Padrões % de Gordura Corporal em Homens e Mulheres
Homens Mulheres

Risco Abaixo da média Média Acima da média Risco
Lohman,1991

≤5% 6-14% 15% 16-24% ≥25%

≤8% 9-22% 23% 24-31% ≥ 32%

Padrões % de Massa Muscular em Homens e Mulheres

Aproximadamente 40 a 45% do peso corporal

Faixas de valores de % de gordura corporal
Esporte Basquete Fisiculturismo Futebol Natação Tênis Triatlo Voleibol Ciclismo Remo % de GORDURA Homens Mulheres 6-12 10-16 5-8 6-12 6-14 10-18 6-12 10-18 6-14 10-20 5-12 8-15 7-15 10-18 5-11 8-15 6-14 8-16

UTILIZAÇÃO PRÁTICA NA EDUCAÇÃO FÍSICA
AVALIAÇÃO GERAL DO INDIVÍDUO; AVALIAÇÃO DA RECUPERAÇÃO MUSCULAR; ANÁLISE DA SIMETRIA MUSCULAR; ESTUDO E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPAMENTOS PARA SEGURANÇA NO TRABALHO;

UTILIZAÇÃO PRÁTICA NA EDUCAÇÃO FÍSICA
AVALIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO OU RECONFIGURAÇÃO DE LOCAIS DE TRABALHO; FORMULAÇÃO DE PROGRAMAS ADEQUADOS DE ATIVIDADE FÍSICA;

CUIDADOS GERAIS  Local amplo e com regulação de temperatura;  Vestimenta descalço); (menor roupa e

 Medidas realizadas do lado direito;  Marcar pontos anatômicos antes de iniciar as medidas.

RECOMENDAÇÕES  Explicação sobre os procedimentos;  Trocas de posição do avaliado de forma não brusca;  Estudos ao longo do tempo, respeitar horário que os testes foram feitos pela primeira vez;  É conveniente contar colaboração de um ajudante. com a

Quando você foi avaliado pela primeira vez na sua vida?

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->