Você está na página 1de 7
RESPOSTA TÉCNICA

RESPOSTA TÉCNICA

RESPOSTA TÉCNICA

Título

Construção de uma churrasqueira e lareira

Resumo

Informa como construir uma churrasqueira e uma lareira.

Palavras-chave

Churrasqueira; lareira

Assunto

Serviços especializados para construção não especificados anteriormente

Demanda

Deseja informação de como construir uma churrasqueira e uma lareira.

Solução apresentada

Introdução

A churrasqueira é o principal utensílio culinário utilizado nos churrascos. É um tipo de fogão em

que toda a superfície superior é uma grelha colocada sobre uma fonte de fogo aberto, que pode ser carvão que é o mais comum, gás ou até mesmo na eletricidade.

Pode-se improvisar uma churrasqueira num pique-nique, mas normalmente usam-se churrasqueiras que duram mais tempo, desde as que se constroem com tijolos ou com um tambor de aço e que ficam fixas.

Fabricação churrasqueira

Atualmente existe um tipo de tijolo cerâmico que deixa a churrasqueira com um melhor acabamento e que não esquenta. Deve ser utilizada plaquetas refratárias, os apoios de espetos devem ser removíveis (Inox ou alumínio) facilitando a limpeza. Evitar utilizar ferro ou cano cromado. Sempre se deve deixar uma caixinha embutida na churrasqueira para uma tomada elétrica e ou um interruptor caso for usar grill elétrico ou lâmpada.

A chaminé da churrasqueira deve sempre ter o formato afunilado, evitando que a fumaça volte

para o churrasqueiro. Deve também ser instalada uma pequena lâmpada no interior da

chaminé para iluminar a carne.

1

Copyright © Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas - SBRT - http://www.sbrt.ibict.br

Figura 1: Churrasqueira residencial Fonte: Inter Pool Piscinas e Lazer Materiais necessários para construção Materiais

Figura 1: Churrasqueira residencial Fonte: Inter Pool Piscinas e Lazer

Materiais necessários para construção

Materiais necessários para construir uma churrasqueira com 3,5m de altura, 90cm de largura (externo) e 70cm de profundidade (externo) - 500 tijolos, 36 plaquetas refratárias, 01 tampa chapéu para chaminé, 01 gaveta cinzeiro, 01 suporte para apoio frontal de espeto, 01 suporte para o fundo, 01 pedra granito para boca (língua), 1/2 de areia lavada fina, 02 sacos de cimento, 02 sacos de cal, 01 saco de argamassa, (não cole plaqueta com terra refratária, pois a mesma soltará), 01 barra de ferro 5/16, 01 colarinho (calha) caso possuir cobertura no local, 01 litro de cloro (para lavar churrasqueira elimina fungos) e 01 impermeabilizante.

Lareira

Uma lareira é uma estrutura doméstica existente em algumas casas, local onde se pode acender um fogo. Consiste num espaço revestido de materiais não-inflamáveis como pedra e tijolo, para se queimar a madeira, e numa chaminé que deixa a fumaça sair. Nos tempos antigos era utilizada para aquecer, cozinhar e iluminar, mas hoje em dia é usada principalmente como decoração, ou para aquecer as casas no inverno.

Construção Lareira

O bom funcionamento de uma lareira depende de técnica e certos cuidados, garantindo que a

fumaça não invada a sala e nem haja perda de calor, o que requer um projeto e um dimensionamento adequado.

O aquecimento deve ser compatível com o tamanho do ambiente e número médio de pessoas

que a freqüentam. Porém, a temperatura final é determinada pela quantidade de lenha queimada, além da correta condução e lançamento, pela chaminé, para o exterior dos gases liberados na combustão.

2

Copyright © Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas - SBRT - http://www.sbrt.ibict.br

Figura 2: Lareira Fonte: Prof. Luis Fernando de Ávila Santos A estrutura de uma lareira

Figura 2: Lareira Fonte: Prof. Luis Fernando de Ávila Santos

A estrutura de uma lareira é composta por três partes fundamentais: caixa ou câmara de fogo,

coifa ou caixa de fumaça, e duto ou chaminé. Na caixa de fogo, o elemento principal é a chamada boca que é a abertura da lareira para o ambiente cujas dimensões altura e largura devem estar de acordo com as medidas do local onde será instalada. Dentro da caixa de fogo, onde se deposita a lenha, a parede de fundo é inclinada. Sua função é empurrar as ondas de calor para o piso do ambiente.

A coifa, com formato semelhante a um funil de cabeça para baixo. Ela capta a fumaça, ao

mesmo tempo que detém o ar frio que desce pela chaminé. Nessa etapa, é fundamental a garganta, uma abertura, regulável, a medida deve ser exatamente igual à área seccional do duto.

A alvenaria substituiu os graúdos blocos de pedra, às dimensões estabelecidas pelo mercado

como referência, como a relação entre a boca da lareira e o ambiente. O mais usual é encontrá-las para ambientes a partir de 100m³, para as quais se recomendam bocas de largura de 70cm por altura de 60cm, até ambientes com mais de 400m³, com bocas de 130 por 85cm.

A Lareira não deve, em hipótese alguma, expulsar fumaça para dentro do ambiente. A lareira

de alvenaria, de tijolos, massa e concreto legítimo refratário, realizam dois tipos de

aquecimento o periférico e o abrangente.

No interior desse tipo de lareira existe uma estrutura metálica que trabalha com calor independente da alvenaria refratária, sendo essa alvenaria refratária um condutor e armazenador de calor. Uma vez que as massas refratárias no principio de secagem com a ação do calor se transformarão em cerâmicas.

Cinco opções de dimensões de lareiras de centro

Tabela 1 – Tabela dimensões de lareira de centro.

3

Copyright © Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas - SBRT - http://www.sbrt.ibict.br

         

de 330 a

 

VOLUME (M3)

100

de 100 a 170

de 170 a 240

de 240 a 330

450

A

- LARGURA TOTAL (M) (MÍNIMA)

1,10

1,19

1,34

1,49

1,66

 

B

- LARGURA DA

         

CÂMARA DE FOGO

0,70

0,79

0,94

1,09

1,26

 

(M)

ALTURA DA CÂMARA DE FOGO (M)

0,57

0,62

0,67

0,75

0,85

C

-

PROFUNDIDADE

         

DA CÂMARA DE FOGO (M)

0,55

0,55

0,55

0,60

0,60

D

-

PROFUNDIDADE

         

TOTAL (M) (MÍNIMA)

0,68

0,68

0,68

0,73

0,73

 

DIÂMETRO -

         

CHAMINÉ (M)

0,20

0,20

0,25

0,25

0,30

Fonte: Prof. Luis Fernando de Ávila Santos

Cinco opções de dimensões de lareiras de canto

Tabela 2 – Tabela dimensões de lareira de canto.

 

VOLUME (M3)

100

de 100 a 170

de 170 a 240

de 240 a 330

de 330 a 450

A

-

MEDIDA LATERAL (M) (MÍNIMA)

0,76

0,84

0,90

0,97

1,12

4

Copyright © Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas - SBRT - http://www.sbrt.ibict.br

B - LARGURA DA CÂMARA DE FOGO (M)

0,75

0,85

0,95

1,10

1,30

ALTURA DA CÂMARA DE FOGO (M)

0,57

0,62

0,67

0,75

0,85

C - PROFUNDIDADE DA CÂMARA DE FOGO (M)

0,55

0,55

0,60

0,70

0,80

DIÂMETRO - CHAMINÉ

         

(M)

0,20

0,20

0,25

0,25

0,30

Fonte: Prof. Luis Fernando de Ávila Santos

Lareiras e seus componentes

Qualquer lareira fogo aberto ou fogo fechado deve ter sempre que possível controle de tiragem de fumos "REGISTO" sendo o qual tem três funções:

Reduzir o consumo de lenha - Quanto maior for a tiragem maior é o consumo de lenha e menor o aquecimento.

Aumentar o rendimento - Sempre que se poder deve-se reduzir a abertura da fuga da chaminé fechando o registro o mais possível.

Evitar o arrefecimento da divisão com a lareira apagada - Em alturas com temperaturas frias se tiver a lareira apagada deve ter o registro fechado para evitar perdas de ar da sala.

Ventilador

Qualquer lareira de calor circulante deve ter ventilação forçada com um ventilador no sistema de circulação que se chama recuperação. As partes metálicas da caixa de ar do recuperador depois de quentes irradiam o calor pela caixa de ar que as mesmas formam o qual sobe naturalmente por convenção.

Existem dois tipos de ventiladores que são exaustores e insulfladores. Os exaustores extraem o ar da câmara de aquecimento do recuperador. Os insulfladores insuflam ar dentro da conduta transportadora para o recuperador. A potência das turbinas deve variar com a potência dos recuperadores, ou seja, quanto maior for a área de ferro exposto ao fogo maior será a recuperação e mais potente pode ser a turbina.

Termostato de ligação

Coloca-se o termóstato na temperatura a partir da qual se quer que o ventilador arranque, devendo a mesma ser superior á temperatura ambiente caso contrário o ventilador nunca pára

5

Copyright © Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas - SBRT - http://www.sbrt.ibict.br

e joga na casa o ar frio, ao contrário querendo que o ventilador trabalhe menos sobe-se a temperatura do interruptor. O que não é aconselhável, pois reduz a produção de calor.

Condutores de fumos

O diâmetro de uma conduta varia com a altura. Uma conduta com o diâmetro de 200 mm

geralmente é o suficiente para recuperadores ou lareiras abertas. Em recuperadores com pequena dimensão pode ser reduzida até 180mm, com menor diâmetro não á a garantia de um funcionamento sempre correto mesmo em recuperadores fechados. Em lareiras abertas ou fechadas de grande dimensão o diâmetro 230 mm, 250mm ou superior é aconselhado.

Material a usar nas condutas de fumos

Tubo em aço inoxidável (Tipo-316) - é o único tipo de material autorizado para condutas. Tem a vantagem de poder ser aplicado com recuperação de calor. Sendo o próprio tubo o recuperador nos pisos adjacentes.

Betão, tijolo, barro pré-fabricado ou tubos em fibrocimento - neste caso a forra das condutas deve ser executada com uma outra parede em tijolo tendo o cuidado de deixar sempre uma caixa de ar entre as condutas e paredes de acabamento, evitando as rachaduras nas paredes. Para obter uma garantia máxima, deverá o espaço de caixa de ar ser preenchido com lã de vidro, lã de rocha ou deixar uma entrada e saída para o exterior da mesma caixa de ar.

Tubo em chapa galvanizada "spyro" - este tipo de condutas não é aconselhado para condutas de fumos de lareiras, pois a sua duração é muito pequena de 3 a 10 anos esse fato pode ser menosprezado se a conduta for exterior, ou se a lareira for para ser usada raramente.

Passagem das condutas de fumos nas placas e vigas

Ao passar vigas ou placas não deve ser deixada qualquer obstrução que impeça a posterior limpeza das mesmas. A limpeza das condutas deve ser feita periodicamente todos os anos em caso de uso intensivo, ou num prazo mais dilatado, em casos normais. Existem produtos para reduzir o agarramento da fuligem ás paredes das condutas.

Inclinação admitida nas condutas de fumos

A inclinação máxima admitida é 45º. Maiores inclinações só estudadas caso a caso.

Passagem de cabos eléctricos e esgotos junto a condutas de fumos

Os cabos elétricos ou esgotos de PVC que eventualmente tenham de passar junto a qualquer conduta de fumos devem ser embutidos no cimento e isolados com lã de vidro ou outro material isolante.

Chaminés

Tipos de chaminés permitidos

Não deve ter paredes, a atrofiar a passagem do vento. Uma chaminé mal concebida é muitas vezes a causa do mau funcionamento de muitas lareiras, principalmente quando há vento. Existem no mercado chaminés que nunca poderão servir para uma lareira. Quando uma lareira não funciona a primeira coisa a verificar é a chaminé.

6

Copyright © Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas - SBRT - http://www.sbrt.ibict.br

Conclusões e recomendações

Recomenda-se que o cliente busque informações complementares através de todos os sites citados nessa resposta técnica. É importante, se possível, contar com o apoio de um profissional especialista na área, para elaboração de um projeto adequado às condições desejadas.

Indica-se os sites abaixo para leitura:

Informação sobre tipo de argamassa para construção de churrasqueira e fornos para pizza e caipira.

Site:

<http://sbrt.ibict.br/upload/sbrt3008.pdf?PHPSESSID=1d1c31c9cb03a05fd49dfb9e593eb345>.

Faz fácil lareiras variedades e estilos. Site: < http://www.fazfacil.com.br/Aquecedor_Lareira.htm>

Fontes consultadas

CARLINHOS GRILL. Construtor de Churrasqueira. Churrasqueira. Disponível em:

<http://www.carlinhosgrill.com.br>. Acesso em: 31 jul. 2007.

INTER POOL. Piscinas & Lazer. Churrasqueira. Disponível em: < http://www.interpool.com.br/produtos_churrasqueiras.html>. Acesso em: 31 jul. 2007.

SANTOS, Luis Fernando de Ávila Santos. Lareiras e Churrasqueiras. Disponível em: < http://www.fernandoavilasantos.kit.net/lareiras.htm>. Acesso em: 01 ago. 2007.

SERVIÇO

<http://sbrt.ibict.br/upload/sbrt3008.pdf?PHPSESSID=1d1c31c9cb03a05fd49dfb9e593eb345>.

Acesso em: 31 jul. 2007.

BRASILEIRO

DE

RESPOSTAS

TECNICAS.

Churrasqueira.

Disponível

em:

SERVIÇO BRASILEIRO DE RESPOSTAS TECNICAS. Churrasqueira. Disponível em: < http://www.sbrt.ibict.br/upload/sbrt3902.pdf>. Acesso em: 31 jul. 2007.

WIKIPEDIA. A Enciclopédia Livre. Churrasqueira. Disponível em: < http://pt.wikipedia.org/wiki/Churrasqueira>. Acesso em: 31 jul. 2007.

WIKIPEDIA. A Enciclopédia Livre. Lareira. Disponível em: < http://pt.wikipedia.org/wiki/Lareira>. Acesso em: 31 jul. 2007.

Elaborado por

Patrícia Ramos

Nome da Instituição respondente

Rede de Tecnologia da Bahia - RETEC/BA

Data de finalização

01 ago. 2007

7

Copyright © Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas - SBRT - http://www.sbrt.ibict.br