P. 1
Gestão Estratégica

Gestão Estratégica

|Views: 465|Likes:
administração descomplicada
administração descomplicada

More info:

Published by: Felipe Pugian Jardim on Jul 24, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/15/2015

pdf

text

original

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa

Gestão estratégica Diferença entre Planejamento estratégico e Gestão estratégica Não podemos confundir Gestão Estratégica com Planejamento Estratégico. O planejamento estratégico é uma ferramenta de definição de objetivos para limitar e orientar as ações organizacionais, enquanto a gestão estratégica é uma forma de gerenciar toda a organização com foco em ações estratégicas em todas as áreas. Planejar é elaborar um bom plano. Gerenciar é fazer o plano, acompanhar e liderar a sua execução, corrigindo as ações e o próprio plano quando necessário. IMPORTANTE: A gestão estratégica é um conceito bem mais amplo que o de planejamento estratégico. A gestão estratégica permite a visualização mais favorável para a sobrevivência da organização, de modo que desbloqueia o individualismo dos colaboradores e concentra todos os esforços da empresa para o alcance dos objetivos globais, atuando constantemente com ações de curto, médio e longo prazo. O processo de gestão estratégica envolve as seguintes atividades principais: • Diagnóstico organizacional – análise do ambiente externo e interno: consiste na definição dos objetivos estratégicos e na análise do ambiente interno e externo, através da matriz SWOT, onde são definidos os pontos fracos e pontos fortes do ambiente interno, e as ameaças e oportunidades do ambiente externo. Formulação da estratégia: uma boa análise estratégica é a base da formulação da estratégia. Trata-se dos caminhos para alcançar os objetivos. Implementação: momento no qual a estratégia entra em ação.

• •

Acompanhamento e controle da estratégia: modificar a estratégia ou sua implementação para assegurar que os resultados desejados sejam alcançados. DICA: Desse modo, gestão estratégica pode ser vista como uma série de passos em que a alta administração deve realizar as seguintes tarefas: 1. Analisar oportunidades e ameaças ou limitações que existem no ambiente externo; 2. Analisar os pontos fortes e fracos de seu ambiente interno; 3. Estabelecer a missão, visão organizacional e os objetivos gerais; 4. Formular estratégias (no nível empresarial, no nível de unidades de negócios e no nível funcional) que permitam à organização combinar os pontos fortes e fracos da organização com as oportunidades e ameaças do ambiente; 5. Implementar as estratégias; 6. Realizar atividades de controle estratégico para assegurar que os objetivos gerais da organização sejam atingidos. Negócio, missão, visão de futuro e valores. A primeira fase do planejamento estratégico consiste na definição da missão, que é a razão de ser da organização, na definição da visão, que descreve como a organização pretende ser (idealização), e na definição dos valores, que são as crenças e princípios básicos de uma organização.

MISSÃO Conforme o Planejamento Estratégico do TST, missão é declaração de propósito ampla e duradoura, que individualiza e distingue a razão de ser da organização, definindo elementos essenciais de sua identidade institucional.

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa
Nesta fase é que se determina a razão de ser de uma organização, o porquê dela existir. É nesta etapa também que o negócio da empresa é definido e a identidade da organização se torna mais clara. A missão deve ser clara e conter a razão da empresa, o que ela faz. Segundo Martinho Almeida, a missão é a razão de ser da entidade e serve para delimitar seu campo de atuação, como também para indicar as possibilidades de expansão de suas ações. A missão orienta e delimita as ações organizacionais de forma atemporal, pois deve ser “cumprida”. Ela serve para auxiliar na identificação das competências necessárias para o alcance dos objetivos da empresa. Definir a missão leva as seguintes ações: • • • Análise e revisão dos propósitos atuais da organização: identifica se os objetivos atuais da organização são fatores críticos de sucesso organizacional; Definição do propósito principal: não pode ser muito amplo para que a organização corra o risco de perder o foco, e também não pode ser muito restrito para não limitar excessivamente as ações organizacionais; Finalmente, a missão deve ser escrita e ser repassada para os demais integrantes e interessados da organização da forma mais clara possível, para que todos entendam as definições organizacionais.

IMPORTANTE: A Missão do Poder Judiciário como um todo é a seguinte: realizar justiça. Já a missão do TST é: “Pacificar as relações trabalhistas por meio da uniformização jurisprudencial e da prestação jurisdicional acessível, célere e efetiva.”

VISÃO

Segundo o Planejamento Estratégico do TST, visão de Futuro refere-se à imagem instigante do futuro desejado para a organização num dado horizonte de tempo, geralmente de longo prazo; conjunto compartilhado de intenções estratégicas, desafiantes, porém plausíveis, relativas a esse futuro. Nesta etapa, formula-se uma projeção de como a organização pretende estar no futuro conforme os interesses e anseios dos interessados (colaboradores, fornecedores, clientes, sociedade). A Visão nada mais é que lançar um olhar para o futuro com o fim de enxergar a realidade a ser construída, com convicção de que, mesmo havendo inúmeros obstáculos a serem transpostos, a tarefa é factível e a vontade e disposição para alcançar os resultados são de tal forma consistentes que não se pode ter dúvidas quanto à viabilidade de sucesso do empreendimento. DICA: A visão descreve com clareza um futuro almejado pelos interessados da organização, buscando ser flexível às mudanças ambientais. A visão não é uma adivinhação, é um misto de racionalidade e desejo, que busca deixar claro como a organização pretende estar no futuro. A visão deve: • • • Ser positiva; Expressar uma situação futura ambiciosa e possível; Trabalhar com cenários possíveis.

IMPORTANTE: A Visão do Poder Judiciário é a seguinte: ser reconhecido pela Sociedade como instrumento efetivo de justiça, equidade e paz social. A Visão do TST é: “Ser reconhecido perante a sociedade como instituição de referência na pacificação das relações trabalhistas.”

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa
VALORES Conforme o Planejamento Estratégico do TST, valores são crenças, costumes e idéias em que a maioria das pessoas da organização acredita. Os valores permeiam todas as atividades e relações existentes na organização e desta com os clientes. Constituem uma fonte de orientação e inspiração no local de trabalho. São elementos motivadores que direcionam as ações das pessoas na organização, contribuindo para a integração e a coerência do trabalho. Os valores são elaborados pela cúpula administrativa, revelando as preferências e ideologias pessoais dos componentes da alta administração. Os valores orientam as atitudes de toda a organização em qualquer atividade organizacional. Augustinho Paludo menciona que valores são princípios, crenças, normas e padrões, que orientam o comportamento e atuação da organização, e que devem ser internalizados e incorporados em sua cultura. DICA: Valores são virtudes que orientam a organização em uma visão única a ser praticada e compartilhada por todos os membros da organização. São características dos valores: • • • • • Os valores afastam o individualismo e aumentam a sinergia entre os membros da organização; Favorecimento da comunicação; Aumenta o espírito de lealdade, o otimismo e comprometimento dos funcionários; É fator crítico de sucesso para o fortalecimento da organização. São essenciais para o pensamento estratégico e não podem ser reduzidos a simples palavras de efeito.

As principais palavras-chaves dos valores são: • • • • • • • Ética; Honestidade; Excelência; Compromisso; Responsabilidade; Trabalho; Valorização dos funcionários.

IMPORTANTE: São atributos de valor do Judiciário os seguintes: a) credibilidade; b) acessibilidade; c) celeridade; d) ética; e) imparcialidade; f) modernidade; g) probidade: h) responsabilidade Social e Ambiental; i) transparência. Os valores do TST são os seguintes: Comprometimento - Atuar com dedicação para alcance dos objetivos. Efetividade - Realizar ações com qualidade e eficiência de modo a cumprir sua função institucional. Ética - Agir com honestidade, integridade e imparcialidade em todas as ações. Inovação - Apresentar e implementar novas idéias direcionadas à resolução de problemas e ao aperfeiçoamento contínuo dos serviços. Responsabilidade social e ambiental - Promover ações voltadas à sustentabilidade e à preservação do meio ambiente. Transparência - Praticar ações com visibilidade plena no cumprimento das atribuições.

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: O Conselho Nacional de justiça – CNJ – é o órgão responsável pela condução da gestão estratégica do judiciário brasileiro, portanto, faz-se necessário realizar uma análise das diretrizes estabelecidas pelo órgão. Sua atuação resultou na Resolução nº 70 de 2009, que dispõe sobre o Planejamento e a Gestão Estratégica no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. Exercícios 01. (FCC/2011/TRT24/Analista – área administrativa) 34. Analise: I. A missão é uma orientação atemporal, a razão de ser, o motivo da existência de uma organização. II. A missão é uma orientação temporal, a razão ser de uma organização. III. A missão é uma orientação temporal, determinando onde a organização deseja chegar. Considerando as etapas do Planejamento Estratégico, está correto o que consta APENAS em (A) II e III. (B) II. (C) III. (D) I e II. (E) I. 02. (FCC/2011/TRT24/Técnico – área administrativa) 31. Em relação à Gestão Estratégica, analise: I. Estratégia é o conjunto de decisões fixadas em consonância com a missão. II. Estratégia é a razão de ser de uma organização. III. Estratégia é processo contínuo e sistemático que direciona a organização para atingir sua missão. Está correto o que consta APENAS em (A) II. (B) I e III. (C) III. (D) I e II. (E) II e III. 03. (FCC/2011/TRT23/Analista – área administrativa)25. A definição da visão da organização no planejamento estratégico (A) só vale para o curto prazo da organização. (B) configura uma etapa desvinculada da definição da missão da organização. (C) implica necessariamente uma crítica da situação atual da organização. (D) representa aquilo que a organização quer ser num futuro previsível. (E) é um instrumento da reengenharia organizacional. 04. (FCC/2012/TRT11/Analista Judiciário – área administrativa) 37. Com relação à definição da visão de uma organização quanto à governança, considere: I. A visão deve contemplar o perfil daquilo que a empresa pretende se tornar quando intenções, esforços, recursos e projetos se tornarem realidade, por construção conjunta. II. Visão é o conjunto princípios, ou crenças, que servem de guia, ou critério, para os comportamentos, atitudes e decisões de todas e quaisquer pessoas, que no exercício das suas responsabilidades, e na busca dos seus objetivos, estejam executando a Missão da organização. III. A visão, não tem a ver com os projetos ou sistemas que se pretende ver implantados na organização. IV. A visão precisa ser prática, realista e visível, pois não passará de uma mera intenção, se ela propuser resultados inatingíveis. V. O enunciado da visão é uma declaração concisa do propósito e das responsabilidades da sua empresa perante os seus clientes. Está correto o que se afirma APENAS em (A) I e II. (B) I, II, IV e V. (C) I, III e IV. (D) II, III e IV. (E) III, IV e V.

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa

05. (FCC/2011/TRE-PE/Técnico – área administrativa) 51. O Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco tem como MISSÃO "garantir a legitimidade do processo eleitoral e o livre exercício do direito de votar e ser votado, a fim de fortalecer a democracia", que (A) aponta a distância entre a situação atual e a desejada. (B) indica o rumo, sinaliza o que a organização deseja ser e projeta expectativas para determinado horizonte de tempo. (C) consiste na declaração da razão de ser da instituição, explicitando o que faz e para que faz. (D) representa um referencial abstrato da natureza moral da conduta humana. (E) são conceitos fundamentados em valores que, expressos na forma de afirmações, norteiam as políticas e as ações da instituição. Gabarito 01-E; 02-E; 03-D; 04-C; 05-C#. Exercícios 01. (FCC/2010/TRT9/Analista – área administrativa) 58. A análise estratégica da organização envolve I. a análise do ambiente externo, que amplia a sensibilidade do conjunto de pessoas, tornando-as aptas a implementar estratégias antecipatórias alinhadas com as principais tendências e demandas. II. a análise do ambiente externo, que possibilita a alavancagem de oportunidades, pontos fortes e fracos e a prevenção contra as ameaças emergentes. III. a análise do ambiente interno, baseado na avaliação do desempenho da organização frente à sua missão e objetivos, forças e fraquezas, políticas governamentais e concorrência. IV. a análise das características internas da organização, identificando e hierarquizando os seus pontos fortes e fracos. V. a análise do ambiente interno segundo uma avaliação de caráter organizacional, baseando-se nos conceitos de desempenho da instituição em relação ao cumprimento da missão, efetividade, eficácia, eficiência e humanização. É correto o que consta APENAS em (A) II e V. (B) I, II e III. (C) III, IV e V. (D) III e IV. (E) I, IV e V. 02. (FCC/2010/TRT8/Analista – área administrativa) 72. A Matriz SWOT é composta por quatro itens de análise que auxiliam a identificar (A) missão; valores; resultados esperados e competências. (B) riscos; necessidades; ambiente de negócios e soluções. (C) deficiências; grade de sucessos; áreas de foco e metas. (D) resultados obtidos; dificuldades; boas práticas e desafios. (E) pontos fortes; pontos fracos; oportunidades e ameaças. 03. (FCC/2011/TCE-PR/Analista de Controle – área administrativa) 64. Segundo Carvalho (2002) e Oliveiras (2001), citando apenas dois autores, o modelo esquemático para elaboração de planejamento estratégico pressupõe cinco fases. A análise Matriz SWOT está na fase denominada (A) diagnóstico estratégico. (B) direcionamento estratégico. (C) formulação de estratégias. (D) implementação de estratégias. (E) avaliação e controle. 04. (FCC/2011/TRE-PE/Técnico – área administrativa) 54. O Mapa Estratégico da empresa INTERLIGA S/C está delineado, pela metodologia Balanced Scorecard nas perspectivas da sociedade, dos processos internos, das pessoas e da infraestrutura. As perspectivas dos processos internos e de pessoas tratam da eficiência operacional, atuação institucional e saúde e bem-estar dos seus empregados, os quais são variáveis (A) não controláveis e do ambiente externo.

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa
(B) não controláveis e do ambiente interno. (C) controláveis e do ambiente externo. (D) controláveis e do ambiente interno. (E) transversais e não controláveis do ambiente externo. Gabarito 1-E; 2-E; 3-A; 4-D Planejamento estratégico, tático e operacional O planejamento é a primeira etapa dentro de um processo organizacional (planejar, organizar, dirigir e controlar) e consiste em um método para estabelecer objetivos e definir as formas de alcançá-los. O planejamento lida com decisões e ações presentes e futuras, questionando e avaliando os resultados dessas ações e decisões. Segundo o dicionário, o planejamento é um processo articulado de definição de objetivos e de escolha de meios para atingi-los. Ele compreende os planejamentos estratégicos, caracterizados como de longo prazo, os táticos, caracterizados como de médio prazo, e os operacionais, caracterizados como de curto prazo. Na tabela seguinte constam algumas características básicas dos níveis de planejamento: NÍVEIS PALNEJAMENTO DE CARACTERÍSTICAS • Longo prazo; • Define a Missão a Visão e os Valores; • Elabora o diagnóstico institucional; • É elaborado segundo os anseios dos interessados da organização; • Envolve toda a organização. • Médio prazo; • Trabalha com a decomposição dos objetivos para otimizar os resultados, através das estratégias , políticas e objetivos definidos no planejamento estratégico. • Curto prazo; • Formalização dos planos de ação e planos operacionais.

Planejamento Estratégico

Planejamento Tático Planejamento Operacional

Planejamento Estratégico O Planejamento Estratégico de uma organização engloba a iniciativa de todos os seus colaboradores. Planejamento Estratégico é um processo gerencial, contínuo e dinâmico, que envolve toda a estrutura hierárquica da organização, considerando os aspectos orçamentários, sociais, culturais e de processos internos e ambientais, visando a planejar o futuro mediante ações definidas no presente. No Planejamento Estratégico é feita uma análise dos ambientes externo e interno da organização, esboçandose o cenário a fim de estabelecer as Diretrizes Estratégicas (missão, visão, valores, objetivos, indicadores e metas) que nortearão as ações a serem desenvolvidas no período estabelecido. O planejamento estratégico é uma ferramenta de planejamento gerencial de longo prazo, criada nos Estados unidos em meados de 1960. Sua principal função é definir a direção a ser seguida pela organização.

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa
Para Kotler, planejamento estratégico é uma metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela organização, visando maior grau de interação com o ambiente. Segundo Chiavenato, o planejamento estratégico é um processo organizacional de adaptação, através da aprovação, tomada de decisão e avaliação procurando responder a questões básicas como: • • • Por que a organização existe? O que a organização faz? Como a organização faz?

O planejamento estratégico é uma técnica que foi inicialmente utilizada por grandes corporações e passou rapidamente a ser utilizada por empresas de portes diferenciados e recentemente vem sendo aplicada na administração pública. É uma ferramenta projetada para o longo prazo, tendo seus efeitos estendidos por vários anos. Envolve a empresa em sua totalidade, abrange todos os recursos e áreas de atividade. Para que o planejamento estratégico obtenha êxito, ele precisa do comprometimento e participação efetiva da cúpula organizacional em todas as fases do processo visto que é um planejamento que engloba e direciona os outros níveis organizacionais (tático e operacional). A estratégia elaborada no planejamento estratégico é utilizada para direcionar e fortalecer o posicionamento competitivo da organização. Esse processo de formulação da estratégia é baseado na análise do ambiente interno e do ambiente externo no qual a organização está inserida. A estratégia é o caminho escolhido pela organização para o alcance de seus objetivos. Esse caminho deve estar sincronizado com as competências da organização e deve contar com o envolvimento de todos os recursos. O planejamento estratégico, através da estratégia, tem a função de orientar a gestão das organizações e influenciar o processo decisório de seus dirigentes. Características fundamentais do Planejamento Estratégico; • • Promove a adaptação da organização a um ambiente mutável; É orientado para o futuro e o seu horizonte de tempo é o longo prazo: é mais voltado para problemas futuros do que para os atuais. Os problemas atuais são abordados como obstáculos que possam causar alguma influência no futuro; O planejamento estratégico é compreensivo: envolve a organização na sua totalidade e engloba todos os seus recursos com o objetivo de obter sinergia das capacidades e potencialidades da organização; É um processo de construção de consenso: o planejamento estratégico busca atender aos interesses de todos os stakeholders (partes que possuem interesse ou exercem influência sobre a organização); É uma forma de aprendizagem organizacional: constitui uma tentativa constante de adaptabilidade a um ambiente complexo, competitivo e mutável; Contribui para a maior efetividade das ações da organização.

• • • •

Etapas do Planejamento Estratégico As etapas do planejamento estratégico, bem como a ordem em que ocorrem ainda não é consenso entre os autores do tema. Ainda assim, para fins de concursos públicos vamos traças as seguintes etapas seguindo orientação do TST. O processo de elaboração do Planejamento Estratégico do TST se deu da seguinte forma:

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa

As etapas foram as seguintes: • • • • • • • • • • • Definição da missão, da visão e dos valores; Diagnóstico institucional / estratégico; Informação e análise; Definição dos objetivos e estratégias; Definição dos indicadores estratégicos; Definição das metas estratégicas; Alinhamento e aprovação; Desmembramento em planos táticos e operacionais; Monitoramento e controle; Avaliação; Revisão.

Além das etapas referidas, apresentou uma análise detalhada de outras etapas relevantes para aprovação em concursos públicos. • Etapas do Planejamento Estratégico - Definição das questões estratégicas: As questões estratégicas são os fatores críticos de sucesso para a organização no alcance de seus objetivos e missão. Os fatores críticos de sucesso são aspectos que influenciam diretamente na busca de determinado objetivo, são os processos mais relevantes para uma organização. Essas questões estratégicas estão diretamente relacionadas com o ambiente interno e externo da organização e são importantes para o fortalecimento da organização em relação aos seus pontos fortes, eliminação dos pontos fracos e ameaças e aproveitamento das oportunidades. Etapas da elaboração das questões: 1. Elaboração da questão de Maneira objetiva e clara; 2. Justificativa da essencialidade da questão para a organização; 3. Abordagem das conseqüências de não se trabalhar a questão, caso seja necessário obter respostas em determinadas situações.

IMPORTANTE: As respostas elaboradas e preparadas para as questões fazem surgir novos objetivos para manter esse fator crítico de sucesso favorável para a organização.

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa
• Etapas do Planejamento Estratégico - Definição dos objetivos, Metas e Estratégias: Após a definição das etapas anteriores: Definição da missão, da visão e dos valores; Diagnóstico institucional / estratégico é necessário elaborar os objetivos as metas e as estratégias. É nessa fase também que o plano de ação é formulado. A ordem do processo é a seguinte: o Definição dos objetivos e metas; o Escolha da estratégia; o Elaboração do plano de ação. Os objetivos devem ser expostos de forma clara e determinante, de modo que mostrem os resultados que a organização pretende alcançar e os processos que ela pretende modificar. Os objetivos estão diretamente ligados a visão e as questões estratégicas. DICA: Os objetivos estratégicos devem estar alinhados com a missão com a visão e com a estratégia da organização. Sempre contribuindo para o alcance dos objetivos institucionais. Os objetivos estratégicos devem aproveitar o máximo de oportunidades e pontos fortes da organização. Não deixando de se defender das ameaças e contribuir para a melhoria dos pontos fracos. A elaboração dessa etapa segue a seguinte ordem: primeiro se elaboram os objetivos e metas, depois as estratégias. Os objetivos são definidos nos seguintes níveis: o Institucionais: onde são definidos objetivos com uma visão macro da organização e todas as áreas devem participar para o alcance desses objetivos; o o Funcionais: onde objetivos de áreas específicas são definidos. Esses objetivos devem estar alinhados aos objetivos institucionais. Metas: onde os objetivos são divididos em parcelas menores, que completadas corretamente contribuem para o alcance do objetivo principal. Ou seja, as metas são o nível de curto prazo dos objetivos e são porções dos objetivos principais, que são divididas para proporcionar maior efetividade ao processo. Segundo Martinho Almeida, objetivo é um ponto concreto que se quer atingir, devendo ter parâmetro numéricos e datas a serem alcançada, de modo geral. As metas são uma segmentação do objetivo, em que um aspecto quantitativo tem uma importância maior, ou seja, é mais preciso em valor e em data, pois é mais próximo que o objetivo principal. A estratégia é escolhida de acordo com os aspectos que irão atender melhor aos objetivos da organização. Cada área específica pode adotar uma estratégia diferente, desde que elas sejam alinhadas aos objetivos gerais. Após a realização das etapas anteriores: Definição da missão, da visão e dos valores; Diagnóstico institucional / estratégico; Definição de questões, objetivos, metas e estratégias, o plano estratégico está concluído. O plano estratégico é fruto do planejamento. IMPORTANTE: O plano é a ligação entre a construção do planejamento e a etapa de implementação. Dentro do plano são identificadas as ações para que os objetivos estratégicos sejam alcançados. O plano deve estar a disposição daqueles que fazem parte do processo decisório da organização. O plano estratégico é generalista, sintético e genérico, ou seja, não direciona os meios para a sua execução, por isso deve ser desmembrado em: o Planos táticos / setoriais: planos menos abrangentes e mais detalhados, elaborados para unidades ou departamentos (áreas organizacionais específicas, como por exemplo, a área de gestão de pessoas e contábil); o Planos operacionais: são planos mais específicos, detalhados e analíticos. Descrevem com o a organização deve agir para alcançar seus objetivos. Trata das tarefas e atividades necessárias ao alcance dos objetivos. IMPORTANTE: Os membros organizacionais com poder de decisão também devem ter acesso aos planos desmembrados, para auxiliar na execução do processo.

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa
• Etapas do Planejamento Estratégico - Implementação: A fase de implementação do plano estratégico está pronta para começar logo que a fase de desmembramento é concluída, ou seja, logo que os planos estratégicos foram desmembrados em táticos e operacionais. O planejamento estratégico do TST foi implementado da seguinte forma:

Uma das ferramentas utilizadas na implementação da estratégia é o 5W2H, que contem sete perguntas que auxiliam a correta execução do plano. São elas: § O que? § § § § § § Quem? Quando? Onde? Por que? Como fazer? Quanto custa?

A implementação deve ser acompanhada e avaliada por uma equipe da alta gerência que possua capacidade técnica para reconhecer as falhas e quais as providências a serem tomadas caso necessário.

Etapas do Planejamento Estratégico – Avaliação e controle: A avaliação visa o aperfeiçoamento da gestão, por meio da avaliação de resultados. A avaliação foca os processos de acordo com aspectos básicos, que são: o Eficiência: meios adequados; o Eficácia: objetivos atingidos; o Efetividade: eficiência+eficácia.

Segundo Chiavenato, a avaliação é a comparação dos resultados alcançados com o desempenho pretendido. A avaliação deve servir para que se analisem as causas e os efeitos dos desvios entre o programado e o realizado, de forma que os gestores possam recomendar mudanças e ações corretivas. IMPORTANTE:

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa
De acordo com Augustinho Vicente Paludo, a finalidade essencial da avaliação é servir de instrumento para a promoção da aprendizagem institucional. Atingir um resultado não basta, é preciso construir um ciclo de melhoria contínua e acumular conhecimentos para utilizá-los no futuro. Realizar o planejamento estratégico é um fator crítico de sucesso para que a organização alcance seus objetivos. Essa ferramenta, se utilizada corretamente, direciona e limita ações, mantendo o foco organizacional. Planejamento Tático O planejamento tático é elaborado no nível intermediário. É resultado do desdobramento do planejamento estratégico. Exemplificando: enquanto o planejamento estratégico é elaborado com foco no longo prazo e abrange toda a organização, o planejamento tático tem o foco no médio prazo e é direcionado para unidades específicas, como por exemplo, um departamento de gestão de pessoas ou um departamento financeiro. Os planos táticos são elaborados para delinear o que determinadas áreas especificas de uma organização devem fazer para alcançar os objetivos formulados no planejamento estratégico. Como características principais dos planos táticos, podemos elencar as seguintes: • • • • • Elaborado no nível intermediário pelos gestores do nível gerencial; Menos abrangente e mais detalhado que o planejamento estratégico; Trata de departamentos e unidades; Traduz o plano estratégico em planos táticos; Possui um caráter de médio prazo;

Planejamento Operacional O planejamento operacional tem o seu foco no curto prazo e é elaborado no nível operacional. É nessa etapa que cada tarefa é abordada separadamente para que se decida o que fazer e como fazer para alcançar o objetivo organizacional. IMPORTANTE: Segundo Chiavenato, o planejamento operacional está voltado para a otimização e maximização de resultados, enquanto o planejamento tático está voltado para a busca de resultados satisfatórios. Idalberto Chiavenato menciona que os planos operacionais podem ser classificados em quatro tipos: • • • • Procedimentos: são planos operacionais relacionados com métodos. Orçamentos: são planos operacionais relacionados com dinheiro; Programas: são planos operacionais relacionados com o tempo; Regulamentos / Regras: são os planos operacionais relacionados com o comportamento das pessoas.

Para um melhor entendimento dos planejamentos, o quadro a seguir demonstra os níveis e suas principais características:

 

Nível Estratégico / Institucional

Nível Tático / Intermediário

Nível Operacional

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa
Planejamento Estratégico (Genérico, sintético, abrangente, global e sistêmico) • • Características • • Voltado para o longo prazo; Envolve toda a organização; Mapeia o ambiente; Ênfase na eficácia.

Planejamento

Planejamento Tático (menos genérico e mais detalhado) • • Voltado para o médio prazo; Envolve cada departamento separadamente; Interpretação dos objetivos estratégicos para as áreas específicas; Ênfase na eficácia.

Planejamento Operacional (detalhado, específico e analítico)

• •

Voltado para o curto prazo; Envolve cada tarefa individualmente; Desdobra os planos táticos em planos operacionais; Ênfase na eficiência;

Exercícios 01. (FCC/2011/TRT23/Técnico – área administrativa) 25. A criação de diversos cenários no processo de planejamento estratégico é fundamental para que a organização possa (A) compensar a falta de cultura cooperativa dos funcionários. (B) combater os efeitos sinérgicos derivados de uma visão estratégica crítica. (C) eliminar a indefinição quanto a sua missão secundária. (D) lidar com a incerteza ambiental que a envolve. (E) reduzir o conhecimento tácito necessário ao planejamento estratégico. 02. (FCC/2011/TRF1/Analista – área administrativa) 22. Uma característica essencial do planejamento estratégico é (A) focar o enfrentamento da instabilidade ambiental de curto prazo. (B) potencializar o efeito sinérgico das competências organizacionais. (C) ser um desdobramento do planejamento operacional setorial da organização. (D) evitar as incertezas ambientais por meio de estratégias detalhadas de ações táticas. (E) centralizar o planejamento nos níveis gerenciais, evitando a descentralização de ações. 03. (FCC/2011/TRT24/Técnico – área administrativa) 34. Sobre o Planejamento Estratégico, analise: I. É o mesmo que planejamento, mas com ênfase no aspecto de longo prazo dos objetivos. II. É o mesmo que planejamento, porém com ênfase no aspecto de curto prazo dos objetivos. III. É o mesmo que planejamento, mas com ênfase na análise global do cenário. Está correto o que consta APENAS em (A) III. (B) II. (C) I e III. (D) I e II. (E) II e III. 04. (FCC/2012/TRT11/Tec. Judiciário) O principal desafio do gestor envolvido com o planejamento estratégico no nível tático é (A) definir claramente os objetivos gerais a serem alcançados. (B) articular os níveis estratégico e operacional do planejamento. (C) tomar decisões quanto às questões de longo prazo da empresa. (D) aplicar os planos específicos definidos no planejamento operacional. (E) adaptar as decisões do planejamento geral às tendências do mercado. 05. (FCC/2012/TRF2/Analista Judiciário – área administrativa) 26. Planejamento é o processo de determinar os objetivos organizacionais, como atingi-los e é hierarquizado a partir das perspectivas: (A) marketing, tecnologia, produção e mercado. (B) missão, valores e visão.

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa
(C) financeira, do cliente, interna e de aprendizado e crescimento das pessoas. (D) estratégicas, táticas e operacionais. (E) da eficiência, eficácia, efetividade e economicidade. 06. (FCC/2011/TRT24/Técnico – área administrativa) 37. O nível de planejamento que tem como objetivo otimizar determinada área, e não a organização como um todo, é o (A) setorial. (B) operacional. (C) estratégico. (D) departamental. (E) tático. 07. (FCC/2010/DNOCS/Administrador) 35. O planejamento estratégico deve definir os rumos do negócio e responder às perguntas: qual é o nosso negócio? Onde se quer chegar? Como a empresa está para chegar à situação desejada? PORQUE seu propósito geral é assegurar o desenvolvimento de curto e médio prazo da organização e intervir nos seus pontos fortes e fracos e nas variáveis externas. É correto afirmar que (A) as duas afirmativas são falsas. (B) a primeira afirmativa é falsa e a segunda verdadeira. (C) a primeira afirmativa é verdadeira e a segunda é falsa. (D) as duas afirmativas são verdadeiras e a segunda justifica a primeira. (E) as duas afirmativas são verdadeiras e a segunda não justifica a primeira. Gabarito 01-D; 02-B; 03-D; 04-B; 05-D; 06-E; 07-C

Gestão estratégica e Exercícios

Gabarito 01-C; 02-B; 03-E; 04-A; 05-E; 06-A

Indicadores de desempenho. Tipos de indicadores. Variáveis componentes dos indicadores Conceito Indicadores de desempenho são ferramentas básicas para o gerenciamento do Sistema Organizacional que fornecem informações essenciais para o processo de tomada de decisão. Eles podem ser obtidos durante ou após a realização de determinado processo. Os indicadores podem ser definidos valores quantitativos que facilitam a obtenção de informações sobre resultados organizacionais. Variáveis componentes dos indicadores Os principais componentes dos indicadores de desempenho são os seguintes: • • Índice: valor numérico correspondente ao indicador; Referencial comparativo: índice arbitrado ou convencionado utilizado como padrão de comparação;

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa
• Metas: índices a serem alcançados num determinado período de tempo. São objetivos a serem atingidos no futuro e devem expressar três componentes: objetivo, valor e prazo. Exemplo: aumentar o número de decisões judiciais em 50% até o final do ano. Fórmula de obtenção do indicador indicando como o valor numérico (índice) é obtido.

Os indicadores e sua construção estão intimamente ligados à metodologia Balanced Scorecard. Como exemplos de indicadores do TST, apresento os seguintes: Índice de satisfação dos clientes (Perspectiva clientes/sociedado do BSC)

Índice de consumo de papel (perspectiva dos processos internos do BSC)

Tipos de indicadores Considerando uma análise realizada das provas da FCC dos últimos três anos, cheguei à conclusão de que, além dos indicadores cobrados por meio do balanced scorecard, os indicadores mais cobrados em provas foram os seguintes: • Indicadores Estratégicos: Informam o “quanto” a organização se encontra na direção da consecução de sua visão. Refletem o desempenho em relação aos fatores críticos para o êxito.

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa
• Indicadores eficiência (produtividade): medem a proporção de recursos consumidos com relação às saídas dos processos. Permitem medir a eficiência na aplicação dos recursos para a geração de bens e serviços. Indicadores de eficácia (qualidade): focam as medidas de satisfação dos clientes e as características do produto/serviço. Visam aperfeiçoar processos e expressam a eficácia na obtenção da conformidade do produto e do processo. Indicadores de Efetividade (impacto): focam as conseqüências dos produtos/serviços. Fazer a coisa certa da maneira certa.

Eficiência, Eficácia e Efetividade Ao analisar algumas provas anteriores, uma da FGV me chamou bastante atenção, pois ela trazia os conceitos de eficiência, eficácia e efetividade de uma forma bem simples, razão pela qual os trechos abaixo são compostos de algumas transcrições da referida questão. Não raro, as pessoas confundem os termos eficiência, eficácia e efetividade. O conceito de eficiência relaciona-se com a maneira pela qual fazemos a coisa. É o como fazemos, o caminho, o método. No projeto de aprovação em um certame, se escolhermos corretamente o melhor material, a melhor equipe docente e estudarmos de forma proativa, provavelmente seremos aprovados em menos tempo. Aí está a eficiência: a economia de meios, o menor consumo de recursos dado um determinado grau de eficácia. Alguns autores associam o conceito de eficiência ao de economicidade, como sinônimos. Apesar de, em sentido lato, não haver diferenças, normalmente a economicidade está ligada ao menor consumo de recursos monetários (gastar-se menos). Em uma licitação, por exemplo, a evidência do cumprimento do princípio da economicidade previsto na Constituição da República se dá com a obtenção do menor preço na contratação de determinado produto ou serviço previamente determinado. A eficácia consiste em fazer a coisa certa (não necessariamente da maneira certa). Assim, está relacionada ao grau de atingimento do objetivo. Se desejamos fazer algo (ser aprovados em um concurso público, por exemplo) e logramos êxito nesse projeto, somos eficazes. Dessa forma, evidencia o cumprimento da missão, chegar ao resultado desejado. A efetividade ressalta o impacto, a medida em que o resultado almejado (e concretizado) mudou determinado panorama, cenário. Considerando a construção de escolas e o incremento no número de professores contratados, a efetividade evidenciará, por exemplo, de que maneira isso contribuiu para a redução do índice de analfabetismo (impacto). Nesse sentido, há autores que defendem que a efetividade decorre do alcance da eficácia e da eficiência, simultaneamente. Numa outra acepção, pode ser entendida, também, como satisfação do usuário. Na “ponta da linha”, a efetividade ocorre quando um produto ou serviço foi percebido pelo usuário como satisfatório. Exercício 01. (Esaf/EPPGG/MPOG/2009) 23- Ao avaliar um programa de governo, é necessário lançar mão de critérios cuja observação confirmará, ou não, a obtenção de resultados. Assim, quando se deseja verificar se um programa qualquer produziu efeitos (positivos ou negativos) no ambiente externo em que interveio, em termos econômicos, técnicos, socioculturais, institucionais ou ambientais, deve-se usar o seguinte critério: a) eficiência. b) eficácia. c) sustentabilidade. d) efetividade. 02. (FCC/2011/TRT23/Analista – área administrativa) 28. Com relação à classificação dos indicadores de gestão, considere as afirmativas abaixo. I. Indicadores de produtividade permitem medir a eficiência na aplicação dos recursos para a geração de bens e serviços. II. Indicadores de qualidade visam aperfeiçoar processos e expressam a eficácia na obtenção da conformidade do produto e do processo. III. Indicadores de desempenho são fundamentais para as organizações contemporâneas.

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa
IV. Indicadores de resultados são utilizados na monitoração do grau de sucesso dos objetivos perseguidos, que dependem exclusivamente das competências da empresa, visto não serem influenciados por fatores externos. V. Indicadores que não espelhem esforços e metas dos programas internos de melhorias dizem muito pouco à organização. Está correto o que se afirma APENAS em (A) I, II, III e V. (B) II, III e IV. (C) I e V. (D) II, IV e V. (E) I, III, IV e V. 03. (FCC/2012/TRT11/Analista Judiciário – área administrativa)38. Na avaliação de um projeto, quando medimos o quanto este alcançou com os objetivos específicos que traçou para si, estamos focalizando (A) sua legitimidade. (B) sua eficácia. (C) seu impacto. (D) sua eficiência. (E) sua produtividade. 04. (FCC/2010/BahiaGás/Administração) 47. Tratando-se de eficiência, eficácia e efetividade, analise: I. Eficácia é fazer as atividades ou desenvolver ações de forma correta para atingir os meios. Tem vínculo estreito com o planejamento estratégico da organização. II. Eficiência é fazer as atividades ou desenvolver ações da maneira correta. Está relacionada com o método de execução. III. Efetividade é satisfazer as necessidades dos clientes com os produtos e serviços da organização. IV. Efetividade é o valor social ou medida de utilidade, que deve ser atribuído ao produto ou serviço considerando-se a sociedade como um todo. V. Eficácia é a relação entre os produtos obtidos e os fatores de produção empregados na sua obtenção. É correto o que consta APENAS em (A) I e II. (B) III e V. (C) IV e V. (D) I, II e III. (E) II, III e IV. 05. (FCC/2010/TRT9/Analista – área administrativa) 59. O indicador de desempenho que afere os impactos gerados pelos produtos e serviços, processos ou projetos de um determinado sistema (organização, programa, política pública, rede) no beneficiário final, é denominado indicador de (A) efetividade. (B) eficiência. (C) eficácia. (D) economicidade. (E) excelência. 06. (FCC/2011/TRE-PE/Analista – área administrativa) 40. As metas estratégicas da empresa Directa constituem a matéria-prima da avaliação, cuja mensuração de desempenho se dá por meio de indicadores. O indicador de desempenho vinculado ao grau de satisfação, valor agregado e a transformação produzida no contexto geral é o de (A) economicidade. (B) eficácia. (C) excelência. (D) efetividade. (E) eficiência. 07. (FCC/2011/COPERGÁS/Administrador) 38. A afirmativa Difícil não é fazer o que é certo, é descobrir o que é certo fazer sintetiza o conceito de (A) eficácia. (B) eficiência.

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa
(C) flexibilidade. (D) efetividade. (E) produtividade. 08. (FCC/2012/TRF2/Analista Judiciário – área administrativa)28. Indicador de desempenho estratégico que mede o grau de satisfação, o valor agregado e os impactos gerados pelos produtos/serviços, processos ou projetos no contexto em geral: (A) economicidade. (B) execução. (C) eficiência. (D) efetividade. (E) excelência. Gabarito 01-D; 02-A; 03-B; 04-E; 05-A; 06-D; 07-D; 08-D Exercícios Gestão Estratégica 01. (FCC/2007/ARCE-CE/Administrador) Planos que se aplicam à organização como um todo, estabelecendo seus objetivos globais e posicionando-a em termos do ambiente são (A) táticos. (B) estratégicos. (C) operacionais. (D) entrantes. (E) concorrenciais. 02. (FCC/2007/ARCE-CE/Administrador) O diagnóstico estratégico apresenta as variáveis pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e ameaças. É correto afirmar que (A) oportunidades e ameaças são variáveis não controláveis por se encontrarem no ambiente externo. (B) oportunidades e ameaças são variáveis controláveis por se encontrarem no ambiente interno. (C) pontos fortes e pontos fracos são variáveis não controláveis por se encontrarem no ambiente interno. (D) pontos fortes e pontos fracos são variáveis controláveis por se encontrarem no ambiente externo. (E) oportunidades, ameaças, pontos fracos e pontos fortes não são variáveis controláveis por se encontrarem no ambiente externo. 03. (FCC/2008/MP-RS/Administrador) Com relação ao Planejamento Estratégico é correto afirmar que: (A) tendo em vista reduzir a incerteza que predomina em ambientes competitivos, enfatiza metas precisas que podem ser alcançadas em curto prazo. (B) seu foco central é a relação entre a análise ambiental externa e análise organizacional interna, tendo em vista a formulação de objetivos de longo prazo. (C) envolve a organização como um todo, visando obter um preciso conhecimento das suas capacidades e recursos atuais, eliminando a incerteza do ambiente. (D) pressupõe a separação entre fatores ambientais externos e internos, enfatizando os comportamentos estratégicos reativos das pessoas dentro da organização. (E) por enfatizar a relação entre conhecimento técnico e capacidade de previsão, ele envolve de forma exclusiva a alta gerência da organização. 04. (FCC/2008/METRO-SP/Trainee) O diagnóstico estratégico da organização apresenta componentes que consideram o ambiente e suas variáveis relevantes no qual está inserida. As oportunidades de negócios compõem esse ambiente estratégico e constitui a variável (A) externa e não controlável. (B) interna e não controlável. (C) interna e controlável. (D) externa e controlável. (E) interna híbrida.

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa

05.(FCC/2008/TRF-5º/Analista Administrativo) No planejamento estratégico, a análise externa tem por finalidade estudar a relação existente entre a empresa e seu ambiente em termos de (A) oportunidades e ameaças. (B) pontos fortes e pontos fracos. (C) oportunidades e pontos fortes. (D) ameaças e pontos fortes. (E) pontos fracos e oportunidades. 06. (FCC/2009/PGE-RJ/Administrador) Em uma organização, o planejamento (A) operacional é menos genérico e mais detalhado, tem um prazo longo de tempo e aborda cada unidade da empresa ou cada conjunto de recursos separadamente. (B) estratégico é realizado nas funções mais elevadas da empresa (diretoria), tem um maior alcance de tempo e as decisões envolvidas englobam a organização como um todo. (C) tático deve ser capaz de combinar as oportunidades ambientais com a capacidade empresarial a patamar de equilíbrio ótimo entre o que a empresa quer e o que ela realmente pode fazer. (D) tático é aquele que coloca em prática os planos gerais dentro de cada setor da empresa. Normalmente demanda curto alcance de tempo. (E) operacional é realizado pelos executivos (gerentes), traduz e interpreta as decisões da direção e as transforma em planos concretos dentro dos departamentos da empresa. Geralmente tem um médio alcance de tempo. 07. (FCC/TRT/2009/Analista Administrativo) Com relação ao planejamento estratégico, considere: I. Toda organização deve estar envolvida, inclusive recursos, potencialidades e habilidades, com o objetivo de se alcançar o efeito holístico e a sinergia resultantes da interação de todos esses fatores. II. Como instrumento de tipo genérico, o planejamento estratégico não pode ser desdobrado em planos táticos e operacionais. III. É orientado para a relação entre a empresa e seu ambiente de tarefa, ficando exposto às incertezas e à imprevisibilidade dos eventos ambientais. IV. O planejamento estratégico de uma organização não pode incluir o desejo de assegurar a continuidade, pois este é adequado apenas ao objetivo de expansão de atividades ou aumento de produtividade. V. Quando o objetivo estratégico é organizacional e global, os retornos positivos devem beneficiar todos os shareholders da organização, mas não os stakeholders. Está correto o que se afirma APENAS em (A) I, II, III e V. (B) I e III. (C) II, III, IV e V. (D) II, III e V. (E) II e IV. 08. (FCC/2010/TRT 8º/ Analista Administrativo) A Matriz SWOT é composta por quatro itens de análise que auxiliam a identificar (A) missão; valores; resultados esperados e competências. (B) riscos; necessidades; ambiente de negócios e soluções. (C) deficiências; grade de sucessos; áreas de foco e metas. (D) resultados obtidos; dificuldades; boas práticas e desafios. (E) pontos fortes; pontos fracos; oportunidades e ameaças. 09. (FCC/2010/TRE – AC/Técnico) A principal característica do Balanced Scorecard (BSC) é (A) possibilitar o acompanhamento da gestão estratégica por meio de indicadores de desempenho. (B) estabelecer a relação de causa e efeito entre as ações e resultados. (C) assegurar os recursos orçamentários necessários para a execução da estratégia. (D) assegurar que a gestão estratégica ocorra em um determinado período de tempo. (E) constatar os motivos e causas de problemas.

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa
10.(FCC/2010/SEFAZ – SP/Técnico da Fazenda) Considere: Meta abrange um conjunto de resultados a serem atingidos pela Unidade num período determinado, por meio da execução das atividades, tendo em vista os objetivos da Unidade, o aprimoramento da qualidade dos serviços prestados e o incremento de produtividade . Segundo o texto, em uma organização (A) a meta é um elemento intangível, não quantificável. (B) a essência da meta é a definição do tempo e o objetivo a ser atingido. (C) é suficiente para o seu sucesso apenas a definição dos padrões de qualidade e produtividade. (D) o entendimento das metas é sempre individual e cada servidor, após determinado tempo de esforço, poderá considerá-la realizada. 11. (FCC/2005/UFT/Administrador) Em relação ao tempo, um planejamento é estratégico quando suas ações são projetadas para prazo (A) longo. (B) médio. (C) curto. (D) emergencial. (E) urgente. 12. (FCC/2005/UFT/Administrador) Em relação aos níveis de decisão de uma organização, o planejamento tático relacionase com as ações de (A) direção. (B) supervisão ou gerência. (C) operação. (D) longo prazo. (E) curto prazo. 13. (FCC/2005/UFT/Administrador) Pontos fortes, pontos fracos, nichos de oportunidades, ameaças ou riscos são componentes do processo de (A) diagnóstico estratégico. (B) elaboração orçamentária. (C) desenvolvimento de produtos. (D) pesquisa de marketing. (E) elaboração do fluxo financeiro. 14. (FCC/2005/UFT/Administrador) No planejamento estratégico, a razão de ser da organização, a natureza dos negócios e os tipos de atividades em que a empresa deve concentrar seus esforços são algumas das questões a serem interpretadas e analisadas pelo administrador na definição da (A) meta. (B) estratégia. (C) política. (D) missão. (E) orçamentação. 15. (FCC/2005/UFT/Administrador) Na administração, “montar uma estrutura com pessoas e recursos materiais para realizar o empreendimento” tem vinculação com a função de (A) planejamento. (B) controle. (C) organização. (D) direção. (E) coordenação. 16. (FCC/2010/DNOCS/Administrador) O planejamento estratégico deve definir os rumos do negócio e responder às perguntas: qual é o nosso negócio? Onde se quer chegar? Como a empresa está para chegar à situação desejada? PORQUE seu propósito geral é assegurar o desenvolvimento de curto e médio prazo da organização e intervir nos seus pontos fortes e fracos e nas variáveis externas. É correto afirmar que

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa
(A) as duas afirmativas são falsas. (B) a primeira afirmativa é falsa e a segunda verdadeira. (C) a primeira afirmativa é verdadeira e a segunda é falsa. (D) as duas afirmativas são verdadeiras e a segunda justifica a primeira. (E) as duas afirmativas são verdadeiras e a segunda não justifica a primeira. (CESPE/MPS/ADMINISTRADOR/2010) Segundo Amyr Klink, para se chegar onde quer que seja não é preciso dominar a força; basta controlar a razão. Tendo como referência inicial essa assertiva, julgue os seguintes itens, acerca do planejamento. 17. Em função das constantes mudanças nos ambientes de negócios, o planejamento estratégico possui caráter de curto prazo. Um claro exemplo disso é a constante revisão que a alta gerência executa semestralmente em algumas empresas. 18. BSC (balanced scorecard) é uma ferramenta de apoio ao planejamento operacional, visto que seus fundamentos são balizados em um sistema de indicadores. 19. As variáveis externas e não controláveis pela empresa que podem criar condições desfavoráveis para ela são conhecidas como pontos fracos. 20. O processo de planejamento propicia o amadurecimento organizacional. Nesse sentido, as variáveis autoridade e responsabilidade são diretamente proporcionais ao nível de planejamento abordado. (CESPE/ANEEL/Analista Administrativo/2010) Considerando a metodologia conhecida como avaliação SWOT (strength: forças; weaknesses: fraquezas; opportunities: oportunidades e threatens: ameaças), que pode servir de base aos processos de planejamento estratégico, julgue o item abaixo. 21. A identificação das fraquezas refere‐se ao ambiente externo das empresas e das organizações. (CESPE/HEMOBRÁS/ADMINISTRADOR/2008) Planejamento pode ser definido como o processo consciente e sistemático de tomar decisões relacionadas a objetivos que uma organização pretende atingir. A esse respeito, julgue os itens que seguem. 22. Os objetivos de longo prazo, relacionados ao cumprimento da missão e alcance da visão organizacional e que envolvem toda a organização são definidos no planejamento estratégico. 23. Entre os tipos de planejamento, o planejamento operacional é o que apresenta menor alcance em termos de tempo e menor foco em termos de atividades organizacionais. (CESPE/FUB/ADMINISTRADOR/2009) Acerca do planejamento organizacional, julgue os itens que se seguem. 24. O planejamento tático é focalizado no curto prazo e abrange cada uma das tarefas ou operações individualmente; o planejamento operacional se estende pelo médio prazo e abrange determinada unidade organizacional. 25. O planejamento nas organizações é feito em nível institucional e em níveis gerenciais inferiores, com cada gerente construindo o planejamento para a sua unidade. (CESPE/MS/ADMINISTRADOR/2010) Entre as novas técnicas gerenciais passíveis de utilização na administração pública, está o BSC (balanced scorecard). Segundo Chiavenato, o BSC habilita a organização a focar suas equipes de executivos, unidades de negócios, recursos humanos, tecnologia da informação e recursos financeiros para sua estratégia organizacional. Com relação ao BSC, julgue os itens que se seguem. 26. O BSC busca estratégias e ações equilibradas em todas as áreas cujos efeitos afetem o negócio da organização como um todo. 27. O BSC cria um contexto para que as decisões estejam relacionadas com a estratégia e a visão organizacional.

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa

28. O BSC é voltado fundamentalmente para os aspectos financeiros, tais como balanço, fluxo de caixa, índices etc. (CESPE/ANATEL/ANALISTA ADMINISTRATIVO/2009) Uma organização pode ser definida como um processador, no qual os insumos — pessoas, informação, conhecimento, espaço, tempo, dinheiro e instalações — são geridos de modo a atingir, da melhor forma possível, os objetivos que lhe são próprios. E, mediante o alcance desses objetivos, os fornecedores daqueles insumos são remunerados, o que os faz fornecer, novamente, os insumos para a transformação social. Dentro desse contexto de organizações, julgue os itens seguintes. 29. Correlacionado à idéia de administração estratégica, consolidada no final dos anos 70 do século passado, tem ‐se, seqüencialmente, as fases de planejamento estratégico, acompanhamento e avaliação da estratégia e implementação da estratégia. 30. (CESPE/FINEP/ADM. GERAL RH/2009) É correto definir estratégia como um plano com vistas à interação com o ambiente competitivo a fim de chegar aos objetivos organizacionais. 31. (CESPE/AGU/ADM/2010) No âmbito governamental o planejamento estratégico pode ser identificado no plano plurianual, documento responsável por definir as prioridades do governo para a legislatura seguinte. (CESPE – MPE-TO/Analista –2006) Em relação ao planejamento estratégico e suas ferramentas, julgue os itens que se seguem. 32. No processo de planejamento estratégico, a avaliação estratégica realizada a partir da matriz SWOT é um instrumento de controle a ser utilizado após a implantação do plano. 33. A matriz SWOT apresenta quatro zonas indicadoras da situação organizacional. Essas zonas são resultantes da combinação das oportunidades e ameaças presentes no ambiente externo da organização com as forças e fraquezas mapeadas em seu ambiente interno. 34. O planejamento estratégico tem por objetivo estabelecer a melhor direção a ser seguida por uma organização, buscando o nível ótimo de interação com o ambiente, de forma a obter vantagem competitiva e possibilitar o alcance das metas organizacionais. 35. (CESPE/ACE/TCU 2008) O balanced scorecard é uma ferramenta de gestão por meio da qual uma organização identifica e equilibra metas associadas em diferentes perspectivas, harmonizando seus compromissos de curto prazo com os objetivos de longo prazo. 36. (Cespe-ANAC/2009) Formular a estratégia da empresa envolve identificar e compreender os objetivos da organização e a maneira como se podem alcançá-los. 37. A matriz SWOT, utilizada para o diagnóstico organizacional do ambiente interno e externo de uma empresa, contempla ameaças, oportunidades, pontos fortes e fracos dessa empresa. 38. Uma das dimensões a ser verificada para a escolha da estratégia da organização é a análise do ambiente interno, por intermédio do efetivo conhecimento de suas forças e fraquezas. 39. Em um cenário de crise, no qual se percebe a predominância de pontos fracos e a existência de ameaças, se configura o cenário ideal para a adoção da estratégia de crescimento. 40. Um cenário no qual predominam pontos fortes, mas há ameaças, se configura o cenário ideal para a adoção da estratégia de desenvolvimento. 41. Sabendo que a estratégia fornece o caminho que a organização deve trilhar visando a atingir um objetivo, pode se dar, como exemplo de objetivo, atingir, até o final de 2009, o nível de excelência na prestação de serviços ao público; e como exemplo de estratégia para atingir esse objetivo, a capacitação dos servidores permanentes em ferramentas de excelência

Administração Pública: Professor Rafael Barbosa
no serviço público. No processo de elaboração do planejamento estratégico de determinada organização pública, produziu-se, por meio da análise SWOT, diagnóstico em que constavam os seguintes aspectos: I falta de capacitação dos servidores; II possíveis restrições orçamentárias impostas pelo governo; III existência de potenciais empresas privadas interessadas em realizar parcerias; IV eficiência dos processos de apoio; V necessidade de melhorar o atendimento ao cidadão; VI necessidade de maior número de servidores alocados na atividade-fim do órgão para a melhoria da qualidade de atendimento ao cidadão; VII necessidade de fusão de três setores de apoio para a alocação de mais servidores na atividade-fim. Considerando as informações acima apresentadas, julgue os itens 41 a 47, acerca de planejamento estratégico. 42. (CESPE/MPU/Analista Administrativo/2010) A melhoria do atendimento ao cidadão, descrita no aspecto V, é exemplo de objetivo. 43. (CESPE/MPU/Analista Administrativo/2010) A satisfação da necessidade descrita no aspecto VI é exemplo de fator crítico de sucesso. 44. (CESPE/MPU/Analista Administrativo/2010) A satisfação da necessidade descrita no aspecto VII é exemplo de estratégia. 45. (CESPE/MPU/Analista Administrativo/2010) O aspecto I é exemplo de ameaça. 46. (CESPE/MPU/Analista Administrativo/2010) O aspecto II é exemplo de fraqueza. 47. (CESPE/MPU/Analista Administrativo/2010) O aspecto III é exemplo de força. 48. (CESPE/MPU/Analista Administrativo/2010) O aspecto IV é exemplo de oportunidade. GABARITO 1–B 2–A 3–B 4–A 5–A 6–B 7–B 8–E 9–A 10 – B 11 – A 12 – A 13 – A 14 – B 15 – C 16 – C 17 – Errado 18 – Errado 19 – Errado 20 – Certo 21 – Errado 31 – Errado 22 – Certo 23 – Certo 25 – Certo 26 – Certo 27 – Certo 32 – Errado 33 – Certo 35 – Certo 36 – Certo 37 – Certo 41 – Certo 42 – Certo 43 – Certo 44 – Certo 45 – Errado 46 – Errado 47 – Errado 48 - Errado

24 – Errado 34 – Certo

28 – Errado 38 – Certo 29 – Errado 39 – Errado 30 – Certo 40 – Errado

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->