P. 1
Candidíase em Aves - São Camilo

Candidíase em Aves - São Camilo

|Views: 732|Likes:

More info:

Published by: São Camilo Biotecnologia on Jul 29, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/19/2014

pdf

text

original

Grupo São Camilo – Divisão Biotecnologia

Telefone (44) 3029-9660 atendimento@scbiotec.com.br www.scbiotec.com.br – Maringá - Paraná

Candidíase em Aves
Em nossas aves, a Candidíase é geralmente causada por um fungo oportunista conhecido como Candida albicans. Além da Candida albicans, outras espécies de fungos do gênero Candida também já foram encontradas causando doenças em aves, como Candida tropicalis, Candida glabrata, Candida parapsilosis, Candida krusei e Candida lusitaniae. A presença de Candida no ambiente é bastante comum e em pequenas quantidades pode ser encontrada no sistema digestivo de aves sadias. Por isso é bastante importante controlar seus níveis no criadouro, pois como veremos, em algumas situações, essa Candida presente em pequenas proporções pode causar doença. Quem está sujeito à Candidíase? Devido ao seu sistema imunológico ainda em formação os filhotes são os mais acometidos. Aves adultas sob tratamento com antibióticos por longo período, ou que sofrem desnutrição ou estresse também são suscetíveis. Um capítulo especial sobre prevenção com antibióticos. É comum em nossos criatórios a prática indiscriminada do uso de antibióticos como preventivo. Esta forma de uso é muito perigosa pelo fato principal de criar microorganismos resistentes aos antibióticos. Além disso, você pode causar um problema ainda maior, porque normalmente antibióticos tem ação específica para cada tipo de agente patológico (causador da doença), então ao usar antibiótico sem saber o que se está combatendo você pode estar agravando o problema ao usar o antibiótico errado para aquele patógeno que você nem sabe qual é. No caso da Candidíase funciona assim: antibióticos alteram a flora normal do sistema digestivo, ou seja, além de matar as bactérias causadoras de doença, também matam as bactérias boas que auxiliam no funcionamento do organismo e dessa forma abrem espaço para microorganismos patogênicos, sendo a Candida um dos primeiros a aproveitar a oportunidade. O que a Candidíase causa? Nos psitacídeos a Candida provoca a formação de placas esbranquiçadas na cavidade oral (Orofaringe) e crostas nos cantos (comissura) do bico. A candidíase afeta todo o aparelho digestivo das aves, mas tem por referência o papo, causando o acúmulo de alimento e fermentação, mas nem sempre é assim, pois pode ocorrer emagrecimento do animal como resultado de uma Síndrome de Má Absorção. Normalmente os sinais clínicos (sinais da doença) são muito discretos e passam despercebidos. Somente casos severos em filhotes ou aves muito debilitadas podem aparecer, como: penas arrepiadas, diminuição do crescimento, desidratação e, às vezes, diarreia. Como é uma doença oportunista, normalmente secundária, muitas vezes seus sintomas ficam mascarados pelos sinais da doença primária. Quais órgãos são afetados? A gravidade das lesões são variáveis e são mais comumente encontradas no papo, depois na boca, esôfago, proventrículo (moela) e com menos frequência no intestino. A Candidíase também já foi encontrada infectando a pele, o sistema respiratório, o sistema nervoso central e outros órgãos. Como acontece a transmissão? A Cândida é normalmente encontrada no ambiente, incluindo comida estragada. Por isso, frutas e vegetais frescos não podem ser deixados por longos períodos de tempo na gaiola.

Grupo São Camilo – Divisão Biotecnologia
Telefone (44) 3029-9660 atendimento@scbiotec.com.br www.scbiotec.com.br – Maringá - Paraná
Uma higiene mal feita também contribui para espalhar infecções fúngicas. Então, não esterilizar comedouros e bebedouros, limpeza de gaiola inadequada e até mesmo não lavar as mãos, podem contribuir para espalhar doenças. Como a Cândida pode estar presente nos ambientes e até mesmo no sistema digestivo das aves, a simples detecção dela no criadouro não significa que as aves estão doentes, porém, um sinal de alerta deve ser aceso e as condições de limpeza e higiene devem ser aprimoradas. Na presença de pequenas quantidades de Cândida, aves saudáveis não serão afetadas. Porém, aves mais velhas e filhotes, pássaros doentes ou em estresse são mais suscetíveis a desenvolver infecções por fungos ou doenças secundárias. As infecções secundárias por sua vez são agravantes de doenças primárias porque tem a capacidade de aumentar o estresse do sistema imunológico das aves doentes, que já estão com seu sistema imunológico sobrecarregado, e prejudicar o processo de cura dessas aves. Prevenindo a Candidíase A palavra de ordem é higiene! Limpe sempre a comida velha das gaiolas e criadouro, mantenha água limpa. Ave bem nutrida e com ambiente limpo constitui 90% da prevenção. Crie um protocolo de higiene para manusear filhotes recém-nascidos para evitar a disseminação de doenças dos adultos, assim, equipamentos exclusivos, alimentação exclusiva e lavagem de mãos ao manipular filhotes podem ajudar. Por fim, lembre-se: terapia preventiva desnecessária com antibióticos pode aumentar o risco de infecções por fungos. Fazendo o diagnóstico e tratamento Para todo diagnóstico e tratamento é muito importante ter auxílio de um profissional médico veterinário para avaliar o pássaro, interpretar os exames, decidir pelo tratamento e dosar o medicamento. Aves individuais: Deve-se utilizar suabe (haste com ponta de algodão própria para coleta de amostras biológicas) de cloaca e suabe de garganta. Na impossibilidade da coleta de suabe, fezes também podem ser utilizadas. Se o exame der positivo e a ave apresentar sinais clínicos da doença, o pássaro deve ser colocado em quarentena e o tratamento deve ser iniciado imediatamente. Testar o ambiente: Testar o ambiente é altamente recomendável para monitorar a presença de Cândida e outros microorganismos. Para isso só precisamos coletar suabes de poleiros, balcões, ventiladores, filtros de ar, ninhos etc. Lembre-se que a Cândida pode ser encontrada naturalmente em certos ambientes, sem causar qualquer doença em nossas aves. Então, é preciso saber o que fazer com os resultados que você pode obter ao testar o ambiente do seu criadouro: Resultado Negativo + sintomas negativos = refazer o teste em 6 meses. Resultado Positivo + sintomas negativos = melhorar a higiene do criadouro e refazer o teste para monitoramento. Resultado Positivo + sintomas positivos = procurar um médico veterinário imediatamente com os resultados em mãos e iniciar o tratamento. Para o tratamento são indicados flucitosina, cetoconazol, fluconazol e nistatina, e somente o médico veterinário é capaz de indicar o melhor remédico, sua dose, a forma de administração e o tempo de tratamento. Para mais informações contate o laboratório São Camilo – www.scbiotec.com.br – atendimento@scbiotec.com.br Rua Conselheiro Tobias, nº 57 - CEP 87014-270 - Maringá, PR Telefone/Fax: (44)3029-9660 | Celular: (44)8836-9678 | NEXTEL1: (44)7811-4535 (ID 14*1004633) NEXTEL2: (44)7811-8236 (ID 14*1008304)

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->