Você está na página 1de 27

REDE 10

SUBSÍDIOS PARA
UMA METODOLOGIA DE
TRABALHO

João Vitor
DIAGNÓSTICO DOS TEMAS
PROCEDIMENTOS/Orientações para o trabalho

OS PONTOS DE PARTIDA
Questões bem delimitadas, oferecendo a
possibilidade de uma abordagem estratégica
(transformações/estruturas/futuro)

ELEMENTOS DE APOIO
Informações e reflexões que sustentem a
análise do “ponto de partida”, com o
desdobramento das questões.

OPORTUNIDADES E AMEAÇAS
Indicações de algumas conclusões de diagnósticos
anteriores que sugerem um caminho
(possíveis linhas estratégicas)
DIAGNÓSTICO DOS TEMAS
PRODUÇÃO DE UM PROCESSO DE
REFLEXÃO, DISCUSSÃO E DECISÕES
CAPAZ DE DEFINIR

OBJETIVO CENTRAL E LINHAS ESTRATÉGICAS

• Produzir informações estratégicas para identificar:

PONTOS FORTES E FRACOS, TENDÊNCIAS,


OPORTUNIDADES E AMEAÇAS

• Conhecer consensos e dissensos de modo a compreender:


:
CONFLITOS DE INTERESSES E ATORES-CHAVE

• Aprofundar o processo de mobilização, participação e


consenso visando elaborar e, principalmente,
IMPLEMENTAR OS PROJETOS
DIAGNÓSTICO DOS TEMAS

O PROCESSO DE ELABORAÇÃO:
UMA NOVA ABORDAGEM
NÃO É: E, SIM, É:

• LEVANTAMENTO • CONHECER O RELEVANTE


EXAUSTIVO - Delimitar a análise
- Informação estratégica
• ACADÊMICO
• USAR O PROFISSIONAL/CIDADÃO
- Experiência Interdisciplinar
• INFORMATIVO - Compromisso

• PRODUZIR DECISÕES
• DEDUTIVO - Pró-ativo/Objetivo
- Cumprir prazos/Consensos

• FECHADO • SER INDUTIVO


- Vivência/Expectativa
- Riscos

• SER PARTICIPATIVO
- Saber ouvir
- Espaço para dissensos e conflitos
DIAGNÓSTICO DOS TEMAS

OS GRUPOS DE DIAGNÓSTICO

TEMAS-CHAVE

. Interdisciplinares
. Campo delimitado para as
reflexões, discussões e
decisões

GRUPOS DE DIAGNÓSTICO
. Coordenador
. Relator
. Participantes

PERFIS PROCEDIMENTOS
DIAGNÓSTICO DOS TEMAS

PERFIS:
COORDENADORES (Presidentes):
• Ter ascendência sobre o grupo
• Ser um moderador nato e ser objetivo
• Saber bem os resultados esperados

RELATORES (Secretários):
• Apoiar o Coordenador / prover materiais e reprodução de
documentos
• Controlar prazos / horários
• Ser capaz de registrar o essencial
• Senso de trabalho em equipe
• Saber muito bem os resultados esperados
DIAGNÓSTICO DOS TEMAS

CONTEÚDO

ANÁLISE DO AMBIENTE INTERNO


(O “Sistema” Metropolitano)

• Informações Objetivas Estudos Complementares

- Fontes Secundárias
- Estudos de Especialistas
- Pesquisas Específicas

• Informações Subjetivas Questionário Delphi


(Específico para cada GD)
- Pesquisas / Entrevistas
- Questionário Qualitativo
- Análise de Conflitos de Interesse Pontos Fortes e Fracos
e Tendências
DIAGNÓSTICO DOS TEMAS

CONTEÚDO

ANÁLISE DO AMBIENTE EXTERNO


(O “Entorno” e o Contexto)

• A cidade/a Região/a Metrópole


(Oportunidades e Ameaças)
• As Instituições: Papel do Estado

- O Papel do Estado
- Relações Governo-Sociedade
- Organizações Internacionais
- Os blocos econômicos (e políticos ...)

• O Processo de Globalização e
sua relatividade
Linhas Estratégicas
• A Inserção da Rede 10
SITUAÇÃO DOS PROJETOS EM
ANDAMENTO NA ÁREA DE MOBILIDADE
CUSTO OBJETO DO
PRINCIPAL IMPACTO
PROJETO DE PRIORIDADE PROTOCOLO
PROBLEMA REGIONAL
ADIAR (S/N)
--- ALTO ALTO 1

--- ALTO ALTO 1

INSTITUCIONAL ALTO ALTO 1

INSTITUCIONAL MÉDIO ALTO 2

ESCASSEZ DE ÁREA ALTO ALTO 1

INSTITUCIONAL MÉDIO ALTO 2

INSTITUCIONAL ALTO ALTO 1

ESCASSEZ DE ÁREAS ALTO ALTO 1

AMBIENTAL ALTO ALTO 1

AMBIENTAL MÉDIO MÉDIO 3

ESCASSEZ DE ÁREAS MÉDIO ALTO 2

INSTITUCIONAL MÉDIO ALTO 2

INSTITUCIONAL ALTO ALTO 1

INSTITUCIONAL ALTO ALTO 1

INSTITUCIONAL ALTO ALTO 1

AMBIENTAL BAIXO ALTO 3


SITUAÇÃO DOS PROJETOS EM
ANDAMENTO NA ÁREA DE
DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO
OBJETO DO
PRINCIPAL CUSTO DE IMPACTO
PROJETO PRIORIDADE PROTOCOLO
PROBLEMA ADIAR REGIONAL
(S/N)
INSTITUCIONAL ALTO ALTO 1

INSTITUCIONAL ALTO ALTO 1

INSTITUCIONAL ALTO ALTO 1


INSTITUCIONAL MÉDIO ALTO 2

--- ALTO ALTO 1


--- ALTO ALTO 1

INSTITUCIONAL MÉDIO ALTO 2


--- MÉDIO MÉDIO 2
--- MÉDIO MÉDIO 2
--- MÉDIO MÉDIO 2
--- MÉDIO MÉDIO 2
--- MÉDIO MÉDIO 2
SITUAÇÃO DOS PROJETOS EM
ANDAMENTO NA ÁREA DE SAÚDE
CUSTO OBJETO DO
PRINCIPAL IMPACTO
PROJETO DE PRIORIDADE PROTOCOLO
PROBLEMA REGIONAL
ADIAR (S/N)
INSTITUCIONAL ALTO ALTO 1

INSTITUCIONAL ALTO ALTO 1

INSTITUCIONAL MÉDIO ALTO 2

INSTITUCIONAL MÉDIO ALTO 2

--- ALTO ALTO 1

INSTITUCIONAL ALTO ALTO 1

ESCASSEZ DE ÁREAS ALTO ALTO 1

ESCASSEZ DE ÁREAS ALTO ALTO 1

ESCASSEZ DE ÁREAS ALTO ALTO 1

ESCASSEZ DE ÁREAS ALTO ALTO 1

ESCASSEZ DE ÁREAS ALTO ALTO 1

ESCASSEZ DE ÁREAS ALTO ALTO 1

ESCASSEZ DE ÁREAS ALTO ALTO 1

ESCASSEZ DE ÁREAS ALTO ALTO 1

INSTITUCIONAL ALTO ALTO 1


SITUAÇÃO DOS PROJETOS EM
ANDAMENTO NA ÁREA DE SEGURANÇA

OBJETO DO
PRINCIPAL CUSTO DE IMPACTO
PROJETO PRIORIDADE PROTOCOLO
PROBLEMA ADIAR REGIONAL
(S/N)
INSTITUCIONAL MÉDIO ALTO 2

INSTITUCIONAL MÉDIO ALTO 2

--- ALTO ALTO 1

--- ALTO ALTO 1


SITUAÇÃO DOS PROJETOS EM
ANDAMENTO NA ÁREA DE MEIO
AMBIENTE

OBJETO DO
PRINCIPAL CUSTO IMPACTO
PROJETO PRIORIDADE PROTOCOLO
PROBLEMA DE ADIAR REGIONAL
(S/N)
INSTITUCIONAL MÉDIO ALTO 2

--- ALTO ALTO 1

--- ALTO ALTO 1

INSTITUCIONAL ALTO ALTO 1

INSTITUCIONAL ALTO ALTO 1


DIAGNÓSTICO DOS TEMAS
PROCEDIMENTOS/Orientações para o trabalho

➩ Reuniões: Local / Duração / Dia “fixo”

➩ Agendas e materiais: distribuição prévia

➩ Contribuições (textos, artigos) dos participantes

➩ Aferição das conclusões, ao final de cada reunião

➩ Atas apenas com as decisões (modelo)

➩ Relatórios de Progresso (I e II)

➩ Sub-grupos para análises específicas

➩ Reuniões entre os Relatores


1a REUNIÃO

Terá por objetivos:


- INSTALAÇÃO DO GRUPO
- AQUECIMENTO
- DELIMITAÇÃO DO TEMA

Será uma reunião introdutória, subsidiada por documentos para leitura prévia e de
curta duração.

Contará com: Documentos gerais sobre o TEMA e sobre os objetivos do Diagnóstico.

Seus produtos serão:


- UMA REFLEXÃO SOBRE A REGIÃO E SEU ENTORNO.
- DELIMITAÇÃO DO TEMA (DETALHAMENTO /AJUSTES)
- DEFINIÇÃO DO CRONOGRAMA GERAL DOS TRABALHOS.

Esta Reunião é “chave”para os aspectos operacionais.

Material para a próxima reunião: Pontos Fortes e Pontos Fracos sobre o tema.
2a REUNIÃO

Terá por objetivos:


- ANÁLISE DAS INFORMAÇÕES DISPONÍVEIS: PONTOS
FORTES E FRACOS. (AMBIENTE INTERNO)
- DETALHAMENTO DAS TAREFAS

Será uma reunião de trabalho, contando com documentos de apoio para leitura
prévia, para que todos os participantes utilizem uma mesma linguagem e
aprofundem o entendimento do tema a ser estudado.
- PROGRAMAÇÃO MAIS DETALHADA DOS TRABALHOS DO
Seus produtos
GRUPO.
serão:
- COTEJO ENTRE AS INFORMAÇÕES OBJETIVAS E
SUBJETIVAS.
- PONTOS FORTES E FRACOS
- RELATÓRIO DE PROGRESSO I

Esta Reunião é decisiva para criar uma nova “cultura” de diagnóstico.

Material para a próxima reunião: textos/ documentos específicos levantados


pelo GRUPO.
3a REUNIÃO

Terá por objetivos:


- DETERMINAÇÃO DOS CONSENSOS E DISSENSOS;
IDENTIFICAÇÀO DE CONFLITOS E ATORES-CHAVE
- OPORTUNIDADES E AMEAÇAS (AMBIENTE EXTERNO)

Será uma reunião de trabalho, contando com documentos de apoio, na qual se realizará a
análise do tema e se definirão os principais elementos do Diagnóstico. A duração será maior,
podendo ser necessário o seu desdobramento.

Seus produtos serão: - ANÁLISE DOS PONTOS FORTES E FRACOS


- IDENTIFICAÇÃO DOS ATORES-CHAVE / CONSENSOS E
DISSENSOS / CONFLITOS
- ANÁLISE DAS OPORTUNIDADES/ AMEAÇAS E
TENDÊNCIAS.
- RELATÓRIO DE PROGRESSO II

Esta Reunião é “chave” para o conteúdo do diagnóstico


4a REUNIÃO

Terá por objetivos:


- DEFINIÇÃO DAS LINHAS ESTRATÉGICAS
- DIAGNÓSTICO FINAL

Será uma reunião orientada para as conclusões deste Grupo.

Seu produto será:

- RELATÓRIO CONCLUSIVO DO GRUPO SOBRE O


TEMA.
REUNIÃO DE
FECHAMENTO

Terá por objetivos: - CONSOLIDAÇÃO DOS DIAGNÓSTICOS DOS TEMAS

- IDENTIFICAÇÃO DE LINHAS ESTRATÉGICAS COMUNS

Será uma reunião com todos os Participantes dos Grupos, marcando o final dos trabalhos,
na qual serão distribuídos os Relatórios Finais. Estes Relatórios serão compatibilizados em
uma Versão Preliminar do Diagnóstico, que será analisada pelo Fórum de Secretários de
Planejamento e pelos Prefeitos da Rede 10.
PROPOSTAS DE PROJETOS E AÇÕES

Cerca de 20 participantes, sendo


um Coordenador e um Relator.

Participantes:
Composição
dos Grupos Composição Básica: participantes com poder
Temáticos decisório sobre investimentos em relação às
ações estratégicas.

Composição Ampliada: participantes sem


poder decisório sobre investimentos, mas
que poderão ser formadores destas
decisões.
1. NOME (da proposta de ação/projeto) e CLASSIFICAÇÃO idéia a desenvolver
proposta em estudo
projeto
2. PROPOSITOR (identificação da instituição ou pessoa proponente e documento de referência)

3. RESPONSÁVEIS (identificação das instituições responsáveis pela elaboração e implementação)

4. DESCRIÇÃO (descrição sumária da ação/projeto, incluindo aspectos quantitativos e as


diferentes alternativas, quando existirem)

5. PROJETOS CORRELATOS (nomes de outras ações/projetos que sejam complementares ou


Ficha de interdependentes com esta)

Proposta 6. LINHA ESTRATÉGICA (consultar listagem anexa; incluir objetivos específicos atendidos e
impactos negativos pela não implementação da ação/projeto)

para 7. POPULAÇÃO BENEFICIÁRIA (população e bairros direta e indiretamente beneficiários)

Novos 8. OBJETIVOS (descrição dos objetivos e metas a serem alcançados, assim como resultados
esperados e mudanças a serem promovidas pela implementação da ação/projeto)
Projetos
9. ASPECTOS QUALITATIVOS (tecnologia, métodos, viabilidade técnica, outros aspectos)

10. FINANCIAMENTO (indicação da viabilidade financeira: estimativa de custo, orçamento,


fontes de financiamento negociadas, em negociação ou previstas)

11. ASPECTOS TEMPORAIS (estágio atual da ação/projeto e prazos previstos para as diversas
etapas de implementação)

12. ACOMPANHAMENTO (definição dos indicadores a serem considerados para avaliar a


implementação da ação/projeto. Situação atual - se conhecida - e situação projetada)
1. Exequibilidade: Capacidade do
projeto ser realizado.
2. Relevância e Sinergia: Capacidade
do projeto contribuir para o alcance
Critérios de dos objetivos estratégicos.
Prioridade 3. Impacto Temporal: Efeitos
e Pontuação temporais resultantes da
implementação do projeto
4. Imprescindibilidade: Impactos
decorrentes da não realização do
projeto
0. Baixa: falta de responsáveis
compromissados, custo incompatível com
Critérios de benefícios e/ou fontes de recursos.
Prioridade
1. Média: responsáveis de mais fácil
e Pontuação
reconhecimento, mas não compromissados,
custos aceitáveis e fontes de recursos
possíveis, mas de acesso difícil.
1. EXEQUIBILIDADE
2. Alta: responsáveis conhecidos,
Capacidade do projeto dependendo apenas dos financiamentos.
ser realizado
3. Muito alta: atende a todos os itens
relacionados.
0. Baixa: não é relevante para a área de
Critérios de análise.
Prioridade
1. Média: relevante apenas para a
e Pontuação
estratégia analisada.

2. Alta: relevante, interagindo com outra


2. RELEVÂNCIA
linha estratégica.
E SINERGIA
3. Muito alta: relevante, interagindo com
Capacidade do projeto mais de uma linha estratégica e
contribuir para o contribuindo diretamente para o
alcance Objetivo Central.
dos objetivos
estratégicos.
0. Baixa visibilidade a curto prazo e pouco
amadurecimento.
Critérios de
Prioridade 1. Visibilidade a mais longo prazo, mais
e Pontuação ainda não está claro qual será o
benefício final.

2. Boa visibilidade, a curto e médio/longo


3. IMPACTO prazos, mas ainda insuficientemente
TEMPORAL amadurecido.

3. Alta visibilidade, atendimento às três


Efeitos temporais condições relacionadas na definição do
resultantes critério (defasagem, amadurecimento e
da implementação do desdobramento).
projeto
0. Baixa: fracos impactos negativos (ou
nenhum), e existência de outras
alternativas.
Critérios de
1. Média: algum impacto, mas existem
Prioridade alternativas de mais impactos negativos
e Pontuação caso não seja realizado.

2. Alta: impactos negativos importantes


caso não venha a ser realizado.
4.
IMPRESCINDIBILIDADE 3. Muito alta: determinante para o alcance
dos objetivos da estratégia e capazes de
Impactos decorrentes promover desdobramentos e cumprir
da não realização do papel articulador / integrador com outras
projeto. propostas.
IMPLEMENTAÇÃO DOS PROJETOS

1 Existe uma instituição ou entidade


responsável pela execução do projeto e
já se encontra envolvida em sua
execução
Acompanhamento

2 As instituições/entidades que deveriam assumir o


projeto são claramente conhecidas, contudo o projeto
não se encontra em desenvolvimento sendo
necessário uma ação qualitativa ou quantitativa para
sua impulsão

3 Impulsão
Existem diversas
entidades/instituições envolvidas
com a execução do projeto
Coordenação

4 Não existe nenhuma instituição ou


entidade que possa se
responsabilizar pelo projeto. A
ação deve ocorrer a partir do Plano
Sensibilização