Você está na página 1de 3

Formação Profissional

Co-financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português

Curso EFA.NS – Técnico de Controlo Qualidade Alimentar (TCQA)


Módulo de Formação Base: REDES DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO
Formadoras: Cláudia Matias e Tânia Braga

ACTIVIDADE N.º 9
OS TELEMÓVEIS E A SOCIEDADE ACTUAL

Actividade desenvolvida individualmente.

Objectivos da actividade:
• Relacionar a evolução das redes tecnológicas com a transformação
das redes sociais.
• Explorar evoluções futuras no uso dos telemóveis e discutir as suas
consequências, positivas e negativas, nas relações e práticas sociais.

Actividade:
Leia atentamente os seguintes artigos.

Telemóveis podem desacelerar funcionamento cerebral


O estudo, publicado no Jornal Internacional de Neurociência, envolveu investigadores da Austrália,
Inglaterra e Holanda.

Os investigadores estudaram um grupo de 300 pessoas durante 2,4 anos, mas esperam aumentar o
período de tempo e alargar o grupo a 17,000 indivíduos, de acordo com a PCWorld.

Segundo o estudo, os utilizadores frequentes de telemóvel mostraram maior lentidão no


funcionamento do cérebro, embora dentro de limites considerados normais. No entanto, um estudo
mais alargado no tempo revelaria efeitos mais severos, previu Martijn Arns, investigador da
Brainclinics Diagnostics, um dos grupos envolvidos na investigação.

Das 300 pessoas estudadas, 100 eram utilizadores habituais de telemóvel, 100 não usavam telemóvel
e 100 eram utilizadores intermédios. Foram medidas as diferenças da actividade cerebral, através de
estudos electroencefalográficos, e funções neuropsicológicas como a atenção, memória, funções
executivas e personalidade.

Os utilizadores frequentes mostraram-se os mais extrovertidos e revelaram uma menor abertura de


espírito. Este grupo também exibiu uma maior capacidade de atenção, explicável pelo facto de
efectuarem chamadas em locais bastante movimentados, o que os obriga a filtrar o ruído de fundo e
outras distracções.

Curso: Técnico/a de Controlo de Qualidade Alimentar

Página 1 de 3
Formação Profissional
Co-financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português

No entanto, estes utilizadores regulares de telemóvel também evidenciaram uma maior prevalência
de lentidão na actividade cerebral.

Foram citados estudos anteriores, que revelam que os utilizadores frequentes melhoram as suas
pontuações em testes cognitivos, mas estes investigadores consideram-nos inconclusivos.
Para além da Brainclinics, também participaram neste estudo investigadores da Universidade
Radbound de Nijmegen, do Instituto de Psiquiatria de Londres e do The Brain Resource Co. Ltd. de
Sydney.

In PCWorld, 2007

Quase seis milhões de telemóveis vendidos em 2008


02-04-2009
Rádio Renascença

A cada cinco segundos foi vendido um telemóvel em Portugal no ano passado.


Segundo dados da consultora IDC, em 2008 os portugueses compraram 5.9 milhões de telemóveis.
No total, as vendas aumentaram 4.4% em relação a 2007 mas, nos últimos três meses do ano,
registou-se uma quebra de 5.7%.

Telemóveis descartáveis de 13 euros a caminho da Europa


Um distribuidor europeu encomendou à fabricante norte-americana Hop-on 10 mil
telemóveis descartáveis, que podem ser deitados ao lixo ou reciclados após um período
de utilização limitado.

Os equipamentos, que se revelaram um sucesso no evento CTIA que decorreu no início


do mês em Las Vegas, devem chegar ao Velho Continente dentro de dois meses, por um
preço a rondar os 13 euros.

As primeiras 10 mil unidades, encomendadas por um distribuidor europeu ainda não


divulgado, destinam-se a testar a aceitação do dispositivo na Europa.

De acordo com a Hop-on, os telemóveis descartáveis são ideais para crianças, adolescentes, idosos e
turistas, podendo também ser úteis em situações de emergência.

Ao nível das características técnicas, o terminal não possui ecrã e inclui um teclado para executar
tarefas básicas como fazer e receber chamadas. Vem equipado com um circuito integrado da Texas
Instruments e opera na frequência 900/1800 MHz.

In www.ciberia.aeiou.pt

Reflicta sobre o uso massivo do telemóvel na sociedade actual,


ponderando as suas consequências, positivas e negativas, nas relações e
práticas sociais e perspectivado evoluções futuras no uso dos telemóveis.

Curso: Técnico/a de Controlo de Qualidade Alimentar

Página 2 de 3
Formação Profissional
Co-financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português

O telemóvel é, na sociedade actual, equiparado por muitos a um


bem essencial, tal como a comida, o vestuário, etc. Em quase todas as
famílias, todos os membros do agregado familiar possuem um ou mais
telemóveis, inclusive crianças com menos de dez anos. O telemóvel
tornou-se um dos principais, se não o principal meio de comunicação,
permitindo que as pessoas comuniquem em tempo real, de várias formas.
Para os mais jovens e, por consequência com menos recursos existem as
sms que estão a massificar-se na sociedade actual e, tornaram-se uma
das principais formas de comunicação. Não obstante, para aqueles que
estão longe das suas famílias ou entes queridos, inventaram também a
vídeo chamada que permite ver a pessoa com quem se está a estabelecer
a ligação em tempo real. Por outras palavras, os telemóveis traduziram-se
num grande avanço tecnológico, que facilitou bastante a comunicação,
tornou-a acessível às massas e, os constantes e avultados investimentos
nesta área, assim como, a proliferação das empresas de telecomunicações
em todo o mundo, têm contribuído para a criação de muitos postos de
trabalho e, para o desenvolvimento tecnológico.
No entanto, o uso massivo deste aparelho, acarreta grandes
desvantagens, nomeadamente, o facto de destruir as relações
interpessoais e o diálogo entre as famílias e prejudicar a saúde, em
especial o desenvolvimento cerebral, devido às radiações que estes
emitem. Ou seja, quanto mais tempo se passar ao telemóvel maior é a
probabilidade de se contrair uma doença inerente à utilização deste
aparelho. Em suma, neste momento, seria incongruente abolir os
telemóveis em função das suas desvantagens, porém incentivar através
de campanhas de prevenção, entre outros métodos, é um procedimento a
intensificar.

Curso: Técnico/a de Controlo de Qualidade Alimentar

Página 3 de 3