P. 1
Celebração Penitencial

Celebração Penitencial

|Views: 2.107|Likes:
Publicado porCVJ-Maia
Material de apoio a uma celebração penhitencial
Material de apoio a uma celebração penhitencial

More info:

Published by: CVJ-Maia on May 22, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/15/2013

pdf

text

original

Celebração Penitencial

Deus pode suscitar, destas pedras, filhos de Abraão Símbolo: Pedras Cântico inicial: Vem Senhor Jesus Introdução:  Alegrai-vos, preparai-vos, criai espaço nas vossas vidas para acolher o Salvador  Estamos aqui reunidos, uma semana antes do Natal, para intensificar esta preparação  Um convite a estar aqui, unidos como comunidade, como irmãos – diante do Senhor  Deixar tudo o que eventualmente nos preocupa neste momento e sentir esta presença pacificadora de Deus…  Num momento de silencio… pedir a Jesus o dom da Paz – para podermos fazer uma revisão da nossa vida nas nossas relações, com Deus com o próximo e com connosco mesmos  Em Silêncio digamos: Vem Senhor Jesus, dá-me a tua Paz. Cântico: “Hoje se escutardes a voz do Senhor não fecheis os vossos corações”  Estar aqui, é ir ao deserto ter com João Baptista para escutar as suas Palavras:

Evangelho: Mt 3, 1-9
Naqueles dias, apareceu João, o Baptista, a pregar no deserto da Judeia. Dizia: «Convertei-vos, porque está próximo o Reino do Céu.» Foi deste que falou o profeta Isaías, quando disse:Uma voz clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor,endireitai as suas veredas. João trazia um traje de pêlos de camelo e um cinto de couro à volta da cintura; alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre. Iam ter com ele os de Jerusalém, os de toda a Judeia e os da região do Jordão, e eram por ele baptizados no Jordão, confessando os seus pecados. Vendo, porém, que muitos fariseus e saduceus vinham ao seu baptismo, disse-lhes: «Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da cólera que está para vir? Produzi, pois, frutos dignos de conversão e não vos iludais a vós mesmos, dizendo: ‘Temos por pai a Abraão!’ Pois, digo-vos: Deus pode suscitar, destas pedras, filhos de Abraão. Uma voz clama no deserto  É necessário ir ao deserto para escutar essa voz. É necessário e urgente retirar-nos para ouvir a voz de Deus.  E é o próprio Deus que nos leva lá! È Ele que está no “sim” que nós damos ao estar presente nesta celebração  Sozinhos teriamos medo de ir ao deserto 1

Preparai o caminho do Senhor,endireitai as suas veredas.  Preparai-vos…  Quando damos uma festa ou convidamos alguém a vir a nossa casa, muitas vezes damos mais tempo e energias à preparação desse momento que ao momento mesmo da presença dessa pessoa.  É a pedagogia da vida! O tempo da preparação reflecte o amor, o carinho que temos por quem vem! E tudo transparece na ocasião do encontro, mesmo que nos possa parecer que não.  Estamo-nos a preparar para celebrar a vinda de Jesus Cristo o Senhor da Vida. Como nos estamos a preparar! Haverá lugar para Ele nas nossas casas? Nas nossas vidas? Produzi, pois, frutos dignos de conversão e não vos iludais a vós mesmos     Arrependei-vos, dai o primeiro passo, mas não fiqueis por aí Comprometei-vos, acreditai que é possível percorrer caminhos novos e de mais vida A nossa experiência de pecado não é uma fatalidade Pode ser uma ocasião única para crescermos como pessoas e cristãos

Deus pode suscitar, destas pedras, filhos de Abraão.  Deus pode fazer destas pedras…  Não somos nós com os nossos pios propósitos, é Ele connosco, é Juntos que é possível trilhar esse caminho novo de vida e de Paz “Destas Pedras” – Símbolo deste momento de exame de consciência “Eu na minha relação com Deus” – Pedra seca por dentro e molhada por fora  Qual é o lugar que eu Lhe dou no meu dia-a-dia?  Reservo-lhe tempo para falar com Ele? Ou é só quando estou em apuros?  O que é que determina a minha oração? • Para obter algo que necessito? Então ela é interesseira! • O hábito, a rotina? Então ela será muito superficial! • Quando me apetece? Então ela será poucas vezes! • O medo? Então ela é uma obrigação! • Amor? Então ela é um desejo de crescer!  A quem pertence o meu coração? A uma pessoa? A uma paixão? Ao meu trabalho? E se Deus me tirasse tudo isso, o que seria da minha vida?  Como é o meu domingo? É o prolongamento dos outros dias da semana (de trabalho e mais trabalho?) ou um dia de descanso e de agradecimento a Deus?

2

Eu na minha relação com os irmãos – Pedra fria e perigosa Como é a minha relação com os outros?  Que importância dou à minha família? Vejo o lar como uma lugar de partilha de vida, de diálogo, de comunhão e harmonia e procuro dar o meu contributo? Ou é como um hotel onde vou apenas comer e dormir e buscar o que preciso para viver a minha vida? Amo a minha família? Contribuo para o seu crescimento e harmonia? Ou ponho acima de tudo os meus interesses pessoais?  Como pai ou mãe assumo as minhas responsabilidades na educação dos filhos, interesso-me por aquilo que estão a viver, acompanho a catequese e a escola, dialogo com eles, tento compreendê-los? Dou tempo aos meus filhos?  Como filho ou filha, dialogo com os meus pais, acato o que me dizem, trato-os com respeito, colaboro nos trabalhos domésticos? Ou faço deles os meus taxistas ou escravos?  Procuro ver Cristo nos outros e tratá-los como verdadeiros irmãos?  Alegro-me com o bem dos outros ou fico triste a com inveja?  Respeito os bens alheios, sem roubar, desviar, estragar ou cobiçar? Administro com responsabilidade os bens materiais e o dinheiro ou gasto desmedidamente em coisas fúteis? Gasto mais do que aquilo que posso causando situações desagradáveis? Eu comigo mesmo – Sou redonda, bicuda, lisa  Procuro aceitar-me como sou – com os meus limites e capacidades?  O que é que me torna insatisfeito?  Como é que vivo a minha sexualidade?  Como é que cuido do meu corpo? Com excesso de... bebida? Tabaco? Comida? Trabalho?

Conclusão: Deus pode fazer destas Pedras filhos de Abraão dos nossos pecados, momentos de crescimento… Estas pedras podem servir para ilustrar muito do “mal” que possa existir nas nossas vidas, mas elas podem ser importantes nos alicerces de um novo edifício, e é isso que Deus quer

3

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->