Você está na página 1de 1

A Vizinha e o meu Marido

Este ttulo d uma bela fofoca... Os pensamentos comeam a vagar, procurando detectar um crime ou um enorme pecado...Nossa mente fantstica, s em ler este titulo j ficamos a imaginar uma grande novela. Tudo indica que vir a seguir uma interessante narrativa de um provvel adultrio. Nossa mente at j criou os dois personagens adlteros e com certeza a vtima da traio quem vai dar o testemunho deste fato que nos deixa cheios de curiosidade. Nossa mente se propaga rapidamente no infinito da imaginao e, se no tivermos controle, comeamos a vagar sempre para o lado crtico e negativo das circunstncias, observe a seguir: Existia uma senhora que todos os dias olhava pela janela de sua cozinha e via, em frente, o varal de sua vizinha. Sempre quando via roupas estendidas naquele varal ficava observando e dizia a se marido: - Nossa vizinha de frente no deve saber lavar roupas pois seus lenis e outras roupas esto sempre encardidos a secar no varal. Como pode algum ser to descuidado a este ponto? Se as roupas do varal so assim to encardidas, imaginem como deve ser sua casa por dentro? Aconteceu que um dia esta mesma senhora observava as roupas no varal de sua vizinha e percebeu que estavam muito limpas. Admirada comentou com seu marido: - At que enfim nossa vizinha aprendeu lavar as suas roupas ou, ento, no foi ela quem as lavou. Estou observando suas roupas no varal e noto que saiu todo aquele encardido. Seu marido, delicadamente, respondeu-lhe: - Deve ser porque hoje pela manh limpei os vidros de nossa janela e voc agora est vendo melhor. Ser que isto no est acontecendo em nossas vidas?... Ser que os vidros de nossas janelas esto limpos?... Ou esto to sujos que no conseguimos enxergar e vemos as outras pessoas com defeitos causados por nossas prprias deficincias? Ser que no estamos julgando os outros com o pior que temos e julgando a ns mesmos com o que temos de melhor? No devemos julgar ningum. Temos que amar a Deus acima de todas as coisas e amar ao prximo como a ns mesmos. Esta a frmula que Jesus Cristo nos ensinou para melhorarmos o mundo. Se aplicarmos este dois mandamentos, o mundo ser restaurado. No julgueis, para que no sejais julgados. Pois, com o critrio com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido, vos mediro tambm. Por que vs tu o argueiro no olho de teu irmo, porm no reparas na trave que est no teu prprio? Ou como dirs a teu irmo: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu? Hipcrita, tira primeiro a trave do teu olho e, ento, vers claramente para tirar o argueiro do olho do teu irmo. (Mateus 7: 1 ao 5). Irmos, no faleis mal uns dos outros. Aquele que fala mal do irmo ou julga a seu irmo, fala mal da lei e julga a lei; ora, se julga a lei, no observador da lei, mas juiz. Um s Legislador e Juiz, aquele que pode salvar e fazer perecer; tu, porm, quem s que julgas o prximo? - Tiago 4: 11 e 12.

Você também pode gostar