Você está na página 1de 4

Terapias Holísticas

A Importância da Auto-observação
Antes que a doença se instale, o corpo costuma indicar o que
não vai bem. Tocá-lo e notar alterações de cor, odor e textura
fornecem informações que ajudam o médico a encontrar o
tratamento certo.

Por Sérgio Mortari,


Contatos com o dr. Sérgio Mortari, homeopata e acupunturista,
podem ser feitos pelo fone (11) 5542-4022;
e-mail: sergiomortari@uol.com.br

Antes de iniciar qualquer tratamento,


médico, psicológico, fisioterapêutico, etc., é
imprescindível que haja um diagnóstico
correto do que deve ser tratado. Mesmo
quando se pretende tomar algum remédio
influenciado pela propaganda, praticando-
se a automedicação, é preciso saber se ele
é indicado para os problemas que você
está sentindo.

Toda propaganda envolvendo a recomendação do uso de remédios


alopáticos ou homeopáticos informa que, se os sintomas
persistirem, deve-se procurar orientação médica. Discordo. A
recomendação deveria ser invertida: na presença de qualquer
anormalidade, procure antes um médico.

É preciso lembrar que tudo o que é assimilado pelos órgãos dos


sentidos, principalmente pela boca, vai fazer parte de seu
organismo e repercutir nele como um todo, tanto física como
espiritualmente.

Considerando a seriedade com que se deve tratar a manutenção da


saúde de qualquer pessoa, criança, adolescente ou adulto, vamos
analisar de que forma podemos colaborar com o médico para um
diagnóstico correto através de informações sobre as alterações que
tenhamos percebido em nosso corpo ou das pessoas com quem se
convive.
A primeira coisa que se deve fazer é obter informações com os
familiares sobre as doenças de parentes próximos: moléstias
cardíacas, diabetes, câncer, problemas ósseos, alcoolismo,
anomalias cromossômicas, como a que produz a síndrome de
Down, etc. Em seguida, procurar saber todos os detalhes de sua
gestação, nascimento, primeira infância, pois, por incrível que possa
parecer, muitas pessoas com moléstias graves desconhecem esses
dados tão relevantes.

Língua: Pela manhã, ao fazer a higiene pessoal, preste atenção na


sua língua. A presença de alterações no seu lado direito pode
significar problemas na vesícula biliar e no lado esquerdo do
fígado. Se é na ponta da língua, indica algum distúrbio no coração;
se for um pouco antes da pontinha da língua, de pulmão. A
presença de coloração diferente da rosada na parte central da
língua sugere males do estômago ou baço. Alterações na base da
língua podem estar refletindo distúrbios nos rins, bexiga ou
intestinos.

Pele: A pele do corpo, especialmente a do rosto, também mostra


alterações no estado de saúde: descamações estão associadas a
problemas pulmonares e secura, à desidratação; as espinhas
costumam estar relacionadas a males do intestino. Por outro lado,
feridas que não cicatrizam e verrugas que doem, sangram ou
aumentam de tamanho podem significar algum tipo de câncer. A
presença de nódulos, cistos, pêlos encravados, crescimentos
anormais, e não só na mama, devem ser pesquisados.

Rugas verticais no meio da testa sugerem excessos alimentares;


se elas estiverem entre as sobrancelhas podem indicar problemas
hepáticos ou estomacais e, na ponta do nariz, revelar problemas
nas coronárias. Bolsas embaixo dos olhos estão ligadas a
distúrbios nos rins, enquanto inchaço na pálpebra superior pode
indicar disfunções na vesícula biliar.

A coloração marrom-escuro sob os olhos, na mulher, é


associada a problemas no rim direito. A cor avermelhada no
branco dos olhos sugere um fígado que não está funcionando
bem; na testa pode indicar males da bexiga.

A influência da alimentação
A alimentação é outro capítulo que deve merecer uma atenção
especial, já que muitas doenças têm origem na carência de alguns
elementos fundamentais para o bom funcionamento do organismo.
Uma dieta alimentar saudável deve incluir, de forma equilibrada e
em refeições bem distribuídas, feijão ou outros grãos, carne de
vaca, peixe, frango, ovos, leite, queijos, verduras, legumes, frutas in
natura ou em sucos e grande quantidade de água. Muitas pessoas
apresentam, no período da manhã, palidez no rosto, sensação de
tontura, chegando até a desmaiar, simplesmente porque não
comem nada e acabam tendo uma baixa da pressão arterial.

As proteínas, por exemplo, estruturam nosso físico, uma vez que


participam na formação e crescimento dos músculos, do cérebro e
de quase todas as estruturas celulares e na fabricação de
anticorpos, que nos protegem contra as infecções.

Os glicídios, também denominados carboidratos, são os açúcares,


principal fonte de energia. Sua falta aumenta a sensibilidade à dor.
Lipídios ou gorduras estabelecem a reserva, a armazenagem de
energia. Sustentando a pele e funcionando como isolantes térmicos,
eles protegem o organismo tanto do frio como do calor.

As vitaminas são alimentos reguladores e protetores, pois atuam


aumentando a velocidade das reações químicas do organismo. No
caso de uma quantidade insuficiente de vitamina K, por exemplo,
podemos enfrentar problemas com hemorragias. A queda de
cabelos, por sua vez, pode estar sendo provocada por falta de
vitamina B.

Água: Quase dois terços de nosso corpo é sustentado pela água,


que não sendo consumida na devida quantidade vai provocar
desidratação. Os sais minerais – cálcio, fósforo, magnésio, zinco,
ferro, flúor, potássio e cloro – são fundamentais para a formação do
sangue, ossos, cicatrização dos tecidos, funcionamento do sistema
imunológico, entre outras funções orgânicas. A osteoporose e o
raquitismo são doenças provocadas pela falta de cálcio; já a anemia
é conseqüência da ingestão insuficiente de ferro.

Fonte:
http://www.terra.com.br/planetanaweb/352/materias/352_importanci
a_auto_observacao.htm
-----------------