P. 1
Atps De Teoria Da Administração

Atps De Teoria Da Administração

|Views: 234|Likes:
Publicado porwlccardoso

More info:

Published by: wlccardoso on Aug 06, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/11/2013

pdf

text

original

Atps De Teoria Da Administração

Título: Teorias da Administração

SUMÁRIO Introdução 4 Etapa I, Passo I 5 Etapa II, Passo I 7 Etapa III, Passo I 11 Etapa III, Passo II 13 Etapa III, Passo III 14 Etapa IV, Passo II 17 Conclusão 21 Bibliografia 22 Introdução As Atividades Práticas de Teoria Geral da Administração desafiou os discentes a desenvolverem um quadro comparativo das Teorias da Administração. Foram realizadas pesquisas em livros e sites confiáveis da Internet, com o objetivo de levar à compreensão da Administração como evento social, já que surgiu para solucionar problemas de empresas inseridas na sociedade humana, e que suas mudanças acompanham as novas necessidades ocasionadas pela evolução social. Este desafio pretendeu levar os alunos a identificarem, e associarem, os acontecimentos históricos que antecederam o surgimento das Teorias da Administração, e como se deu a influência dos acontecimentos sociais até os dias atuais. Etapa I, Passo I O surgimento das Teorias da Administração Dentre os principais fatos que caracterizam os primórdios da Administração estão os fatos históricos, sociais, políticos e econômicos, caracterizando o cenário no qual estão contidas as organizações do passado. As características mais marcantes nas organizações, em meados do século XVIII, estavam voltadas ao artesanato, com seus artesãos atuando em pequenas oficinas/escolas e aos profissionais autônomos. Nessa época a sociedade era diferente dos dias atuais. A Administração recebeu influências que moldaram seu futuro caráter científico. Grandes filósofos da Idade Antiga deixaram em seus escritos, contribuições para a Administração moderna. Sócrates, em seu trabalho, cita administração como habilidade pessoal; Platão, em seu livro “A República”, expõe a forma de governo e a administração de negócios públicos; Aristóteles, quando escreveu “A Política”, fala sobre a organização do Estado e suas formas governamentais. (CHIAVENATO, 2003). Segundo Maximiano, (2007), algumas contribuições, deixadas pelos povos da

conceitos de qualidade.74). etc. bem como procedimentos universais a serem aplicados a qualquer tipo de organização ou empresa. No século XVIII. e grande aceleração dos transportes e das comunicações. Babilônios – registros de transações comerciais e controle das mesmas. Essa revolução caracterizou-se pelos seguintes fatos: mecanização da indústria e agricultura. pregação da ética e igualdade na administração. Gregos – implantaram a democracia participativa. exigiu a industrialização de setores de primeira necessidade: alimentação. As estradas apressaram a urbanização. Analisando o texto as organizações contemporâneas têm percebido a capacidade intelectual e reconhecido a iniciativa de seus funcionários como fundamentais para . as mudanças nos países mais desenvolvidos. além da visão ilusória de que as tarefas enfrentadas pelas organizações podem baseadas naquelas desempenhadas pelas máquinas. p. enquanto as organizações perdem contribuições criativas e inteligentes que a maioria dos empregados é capaz de fazer. A Administração recebeu influência também da organização da Igreja Católica. assim como das organizações militares. descentralização de atividades e a centralização de comando. ficaram mais concentradas nas estradas de ferro e nos empreendimentos privados (empresas particulares).]. as tendências que o Mercantilismo havia iniciado. isto é. planos de estratégia. que foi produto de dois acontecimentos: o surgimento das fábricas e a invenção da máquina a vapor e sua utilização na produção. Com isso.. foram impulsionadas pela Revolução Industrial. despendendo muitas horas por dia em trabalho que não valorizam nem apreciam. Inglaterra (Europa) e Estados Unidos (América do Norte). desenvolvimento do sistema fabril (indústria têxtil). (CHIAVENATO. o conceito de Administração [. período histórico de grande destaque para as Artes e outras ciências. O surgimento das teorias administrativas começou neste período a suprir a ausência de bases científicas da Administração. na adoção da hierarquia. o uso de máquinas reduziu os trabalhadores a autômatos. A partir do século XIX. unidade de comando. que repassaram seus conceitos de disciplina. vestuário. As conseqüências nos dias atuais foram positivas e negativas: porque definiram as funções básicas da empresa. comando. Fez surgir uma nova forma de trabalho que modificou os padrões econômicos e sociais da época. disciplina. se permitido. na época. e conhecimentos em documentações para melhorar o controle nas empresas que existiam. O Renascimento. inibindo a inovação. outro segundo Morgan (1997). que como conseqüência.. iluminação. como: Egípcios – burocracia administrativa. primeiros organizadores de empresas em outro país e de associações artesanais – guildas. porque era necessário o aperfeiçoamento da produção nas empresas. Chineses – ensinamento de planejamento. Após esses acontecimentos surgiram condições favoráveis à criação de estudos científicos. estratégia e obediência à hierarquia. trouxe contribuições em forma de métodos de produção diferenciados. os empregados perdem oportunidades de crescimento pessoal. doutrina e estratégia militar. habitação. não sendo permitido ao operário ser humano.Antigüidade. bem como dar visibilidade e credibilidade à nova ciência. Romanos – criadores dos tributos. foram importantes. 2004. Assírios – tinham depósitos de suprimentos e colunas de transportes (precursores da Logística atual). exercer sua capacidade de pensar e se adaptar as diversas situações.

custos. Para Fayol. Henry Fayol (1841-1925). Assim. francês. organização. francês. Fayol sugeriu que a função administrativa é a mais importante dentre as outras. Segurança (proteção da propriedade e das pessoas). ao mercado atendido. política. Administração (planejamento. Origem: De um lado Taylor se preocupava com a realização das tarefas. justiça que sempre exigem algum grau de planejamento. conseqüentemente. Etapa II. Funções da Empresa: A teoria de Fayol começa por dividir a empresa em 6 funções distintas: Técnica (produção e manufatura). a sanção (recompensa ou punição que acompanha o exercício do poder). desenvolvidas até os dias atuais. negócios. Esta dar ênfase à gerência complementa o trabalho de Taylor. para que a Administração pudesse ser ensinada. Daí o nome de Teoria clássica da administração. razão pela qual todos devem estudá-la. Igualdade e equilíbrio. família. desenvolveu uma teoria para o corpo administrativo. Autoridade e Responsabilidade: A primeira é o direito de mandar e o poder de se fazer obedecer. Comercial (compra. foi o fundador da Teoria Clássica. compreendendo: Planejamento: consiste em examinar o futuro e traçar um plano de ação a médio e longo prazos. Essa forma de gestão pode ser entendida como um meio termo entre as Teorias Clássicas e as Indústrias Criativas ou um agregado dessas adotando o que melhor atende às necessidades da organização e. Unidade de Direção: Um só chefe e um só programa para um conjunto de operações . A segunda. Levou a departamentalização. pois prescreve quais os elementos da administração (funções do administrador) e quais os princípios gerais que o administrador deve adotar em sua atividade. concluíram que as teorias não são antagônicas. o que exigiu a criação de uma Teoria Geral da Administração. engenheiro de minas. desenvolveu uma teoria para o corpo administrativo da empresa. coordenação e controle. de outro. Controle: cuidar para que tudo se realize de acordo com os planos e as ordens. Henry Fayol. comando. mas com muitos pontos comuns. coordenação e controle. estatísticas). Uma vez que ambas abrangem a empresa como um todo no que diz respeito a controle. Características da Teoria clássica da administração: Em suma. Passo I A abordagem clássica da Administração Organizacional teve início no principio do séc. balanços. Comando: manter o pessoal em atividade em toda a empresa. Henry Fayol (1841-1925). De um lado Taylor se preocupava com a realização das tarefas. Organização: montar uma estrutura humana e material para realizar o empreendimento. Financeira (procura e utilização de capital). Princípios básicos: Divisão do trabalho: Designação de tarefas específicas para cada indivíduo resultando na especialização das funções e separação dos poderes. cada instabilidade encontrada nessas tem sido aprimoradas por novas teorias.melhorias no processo produtivo. caracteriza-se por seu enfoque prescritivo e normativo. organização. engenheiro de minas. Henry Fayol. caminhando em direção à gestão participativa. a Administração é uma atividade comum a todos os empreendimentos humanos (governo. Outro detalhe é que os teóricos clássicos. Coordenação: reunir. foi o fundador da Teoria Clássica. sendo este o filão da Teoria Clássica. mas se completam. unificar e harmonizar toda atividade da empresa. venda e troca). comando. b) vertical: indica tipos ou variedade de atividades. Contabilidade (registro de estoques. XX e refere-se a duas concepções diferentes. adaptadas ao cenário vigente de sua formulação. Sendo: a) horizontal: indica níveis de autoridade. de outro.

Ordem: Um lugar para cada pessoa e cada pessoa em seu lugar. segundo Fayol. estabelecer metas. Remuneração Pessoal: De forma eqüitativa. não excluindo a energia e o rigor quando necessários. os problemas que a burocracia causa. Cadeia Escalar (Linha de Autoridade): Hierarquia. consiste em tomar decisões. Eqüidade: Tratamento das pessoas com benevolência e justiça. verifica-se que Fayol separou a função administrativa das demais funções da empresa e identificou qual era o trabalho dos administradores. e não distorcida a defeitos em um sistema (disfunções). faz com que o homem seja totalmente dependente da mesma. Segundo Max Weber. localidade que veio a dar o nome ao estudo: Experiências de Hawthorne. incluída na Escola Comportamental. Deste modo. papelório. Centralização: Equilíbrio entre a concentração de poderes de decisão. numa fábrica da Western Electric Company em Hawthorne (próximo de Chicago). O papel do gerente. como. a burocracia tem como intuito maximizar a eficiência em uma empresa. e de como as coisas deverão ser feitas. No Estruturalismo acredita-se que devido ao grande acumulo de organizações em uma sociedade moderna e industrializada. etc. fundada por Elton Mayo na seqüência das conclusões obtidas em diversos estudos realizados em várias empresas norte-americanas. realizado entre 1924 e 1932. Espírito de Equipe: Desenvolvimento e manutenção da harmonia dentro da força de trabalho. Iniciativa: Faz aumentar o zelo e a atividade dos agentes. O Estruturalismo entende que as organizações são sistemas abertos. coordenar e controlar estejam numa seqüência lógica. dando-se para estabelecer relações diretas. descobriu-se os imprevistos ou disfunções da burocracia. Ao começarem a ser estudas as conseqüências previstas da burocracia com o objetivo de máxima eficiência. Destes estudos destaca-se um. a série dos chefes do primeiro ao último escalão. organizar. A Teoria da Burocracia e do Estruturalismo Temos hoje uma visão completamente distorcida do conceito real de burocracia. Estabilidade do pessoal: Manutenção das equipes como forma de promover seu desenvolvimento. necessita de uma detalhização de seus procedimentos antecipadamente. considerando o seu valor de posição. que possuem uma constante relação de intercâmbio com seu ambiente e que a burocracia limita o universo de ação. demora na prestação de serviços. sua capacidade de enfrentar suas responsabilidades e a iniciativa dos subordinados. o que o leigo chama de burocracia é na verdade as disfunções da burocracia.que visam o mesmo objetivo. Unidade de Comando: de forma que cada indivíduo se reporta apenas a um superior. Ou seja. Este é o homem organizacional. no chefe. O objetivo inicial destas experiências era . sendo estas os motivos para o drama do cidadão insatisfeito. Disciplina: Respeito aos acordos estabelecidos entre a empresa e seus agentes. e desta forma. comandar. para nascer. Conceito de Teoria das Relações Humanas A Teoria das Relações Humanas é uma teoria de gestão. definir diretrizes e atribuir responsabilidades aos integrantes da organização. Interesse Geral: A subordinação do interesse individual ao interesse geral. para que tudo ocorra organizadamente no mesmo. de modo que as atividades de planejar. tendo como base fatores externos e internos. a grande espera em filas. viver e morrer. Podemos afirmar que o Estruturalismo considera os fenômenos ou elementos com referência a uma totalidade. A burocracia deveria ser vista como um recurso de organização em um sistema.

Tem uma variedade de técnicas para o relacionamento interpessoal.) influenciam as pessoas e a sua produtividade do trabalho. Ampliou a sua área de atuação tomando a organização como um todo e assumindo uma abordagem sistêmica. Nesse ponto. constitui a sua principal contribuição para a gestão. Para isso é efetuada a subdivisão de uma oficina de rebobinagem em duas partes: numa são efetuadas alterações nos horários. é também a partir da Teoria das Relações Humanas que nasce o conceito de organização informal. rotação do pessoal. Teve origem na teoria comportamental e nos consultores de dinâmica de grupo e comportamento organizacional. tais como o "grid gerencial" de Blake e Mouton ou a Teoria de 3D na Eficácia Gerencial de Lawrence e Lorsch. enquanto a outra é mantida como grupo de controlo. e de Reddin. Etapa III. espontaneamente e através dos relacionamentos interpessoais. acidentes de trabalho. períodos de descanso. passou a assemelhar-se a uma teoria administrativa. É a partir daqui que nasce um novo tipo de gestão mais preocupada em conhecer as necessidades individuais e de grupo dos operários e a procurar a eficiência e a produtividade através da liderança. valores sociais e formas de recompensa e sanção social. no nível de luminosidade. onde são definidas. reuniões de confrontação. diagnóstico organizacional e ação de intervenção. Dava-se assim o fim do pressuposto do “homem econômico” em que se baseava a Escola Clássica.. A teoria do desenvolvimento organizacional nasceu na década de 1960 em função das mudanças no mundo das organizações e em função da inadequação das estruturas convencionais a essas novas circunstâncias. regras de comportamento. O princípio base da Teoria das Relações Humanas de que o homem tem necessidades sociais. O processo de desenvolvimento organizacional é constituído basicamente por três etapas: colheita de dados. Muito embora pareça uma moda passageira na teoria administrativa. as suposições de que a produtividade aumentava com a melhoria das condições de trabalho confirmaram-se nestas experiências. Tal como o esperado. deseja relacionamentos recompensantes no local de trabalho e responde mais às pressões de grupo do que à autoridade dos superiores e ao controle administrativo. desenvolvimento de equipes. análise transacional. tratamento de conflito inter-grupal e suprimento de informação. de cultura e de mudança organizacional dentro de pressupostos da teoria comportamental. etc. dando lugar ao pressuposto do “homem social”. Por outro lado. nos tempos de descanso. Passo I . O desenvolvimento organizacional apresenta novos conceitos de organização. fadiga. Há também uma variedade de modelos de desenvolvimento organizacional. tal como definida em capítulo anterior. intergrupal e organizacional tais como: treinamento da sensitividade. o desenvolvimento organizacional é uma alternativa democrática. grupal. temperatura.o de determinar como as mudanças nas condições de remuneração e de trabalho (iluminação. consultoria de processos. A grande surpresa ocorreu quando os investigadores observaram que a produtividade também aumentava quando as condições de trabalho eram deterioradas. Chegou-se assim à conclusão de que as relações humanas e o ambiente de trabalho que daí resulta e a criação de laços entre os operários que se sentiam observados por uma administração preocupada com o seu bem-estar são muito mais importantes para o aumento da produtividade do que as simples condições físicas e materiais de trabalho. etc. motivação e comunicação.

Follet propunha a unidade integrativa e Bernard defendia o equilíbrio entre as comunicações formal e informal na empresa e fora dela . os aspectos específicos também poderiam ser usados de forma sinérgica pelas outras. é .Teoria Geral de Sistemas Surgiu da percepção dos cientistas. mas uma corrente que localizamos em vários autores que enfatizam o processo decisório e o tratam de modo lógico e racional. Os temas mais tratados pela Administração por Operações são: Operações. determinística e lógica. integradas para a realização de uma meta em comum. Segundo Rezende e Abreu. Mayo defendia a empresa como um sistema social. Teoria da Tecnologia e Informação Ë a fase em que administrar significa lidar com a tecnologia. passou-se a compreender – embora tardiamente – o importante papel da tecnologia sobre as empresas que utilizavam sob variadas formas e naturezas. Essa teoria foi amplamente reconhecida na administração da década de 60. Qualidade. Fayol via a administração como a integração de varias tarefas. Na verdade. Estratégias de Operação e Tecnologia. Não se trata exatamente de uma escola (como na Teoria Clássica ou a Teoria das Relações Humanas). as aplicações de TI são tantas que existem várias definições e nenhum consegue determiná-la por completo. suas incursões nesse campo ficaram limitadas estritamente no nível da tarefa individual de cada operário e de maneira concreta e imediatista. Sendo a informação um bem que agrega valor a uma empresa ou a um individuo. de que certos princípios e conclusões eram válidos e aplicáveis a diferentes ramos da ciência. para realizarem suas operações e atingirem seus objetivos. através de uma abordagem quantitativa. a Teoria Geral de Sistemas pode ser aplicada na administração Bertanlanffy defendida que não apenas os aspectos gerais de várias ciências são iguais. com os estudos e pesquisa da socióloga inglesa Joan Woorword sobre uma amostra de industriais da Inglaterra. composto por seres humanos. A teoria Matemática é a que proporcionou modelos para atender a tais necessidades. Qualidade. A tecnologia da informação (TI) pode ser definida com um conjunto de todas as atividades e soluções providas por recursos de computação. A partir disso. Simultaneamente com o desenvolvimento de outras áreas cientificas. Serviços. Ludwig Von Bertalanffy lançou em 1937 a Teoria Geral de Sistemas. “Tecnologia da Informação são recursos tecnológicos e computacionais para geração e uso da informação”. Taylor preconizava a sistematização da seleção dos trabalhadores e das condições de trabalho. Muito embora a administração científica de Taylor e seus seguidores tenha se preocupado na época com a tecnologia. Somente em 1960. Teoria Matemática da Administração Muitas decisões administrativas são tomadas com base em solução contidas em equação matemática que simulam situações reais que obedecem a certas regularidades. Serviços. para extrair dela a máxima eficiência possível. A teoria Matemática tem sua maior aplicação na chamada Administração das Operações.

A TI é algo cada vez mais comum no dia a dia das pessoas e das empresas. sistemas ou outros meios que façam das informações um diferencial competitivo. A Teoria da Contingência apresenta os seguintes aspectos básicos: . Tudo gira em torno da informação. Teoria da Contingência A Teoria da Contingência enfatiza que não há nada de absoluto nas organizações ou na teoria administrativa. isto é. Mas a verdade. Para a abordagem contingencial existe uma relação funcional entre as condições do ambiente e as técnicas administrativas apropriadas para o alcance dos objetivos da organização. Ela define as variáveis ambientais como independentes e as técnicas administrativas como variáveis depende dentro de uma relação funcional. . Etapa III. A Teoria da Contingência explica que não há nada de absoluto nos princípios gerais de administração. A estrutura da organização e o seu funcionamento são dependentes da interface com o ambiente externo.necessário fazer uso de recursos de TI de maneira apropriada. Concluíram que não há um único e melhor jeito de organizar. certamente se tornará um profissional qualificado para as necessidades do mercado. Além disso. existe uma relação funcional entre elas. Tudo é relativo. ela é um sistema aberto. quem souber reconhecer a importância disso. enquanto as características organizacionais são variáveis dependentes daquelas. Os aspectos universais e normativos devem ser substituídos pelo critério de ajuste constante entre cada organização e o seu ambiente e tecnologia. no sentido em que procuram compreender e explicar o modo como as empresas funcionavam em diferentes condições que variam de acordo com o ambiente ou contexto que a empresa escolheu como seu domínio de operação.As características organizacionais apresentam uma interação entre si com o ambiente.As características ambientais funcionam com variáveis independentes. Passo II Implicações para as empresas A concepção da organização como sistema aberto deve ser encarado como fato aos seus gestores. não existe uma causalidade direta entre essas variáveis independentes e dependentes. Da mesma forma. ou seja.A organização é de natureza sistêmica. as organizações precisam ser sistematicamente ajustadas às condições ambientais. Tudo depende. pois o ambiente não causa a ocorrência de técnicas administrativas. Portanto. é preciso utilizar ferramentas. certamente terá vantagens competitivas em relação aos concorrentes. Essa relação funcional é do tipo “se – então” e pode levar a um alcance eficaz dos objetivos da organização. Em vez de uma relação de causa e efeito entre as variáveis independentes do ambiente e as variáveis administrativas dependentes. Isso explica a íntima relação entre as variáveis externa e as características da organização. mas que tenham o menor custo possível. Não existe uma única maneira melhor de organizar. ao contrário. Podemos dizer que essas pesquisas foram contingentes. . . a empresa que melhor consegui lidar com a informação. é necessário buscar soluções que tragam bons resultados.

– adquire para avaliar os acontecimentos ao redor e suas possíveis implicações a fim de criar uma solução única que possa contemplar as expectativas de todas as partes envolvidas. Na realidade. Para empreender tais processos. vontade de crescer e desenvolver-se continuamente com ações criativas. serão sempre aquelas que seguem “as pegadas” das empresas pioneiras e não estão atentas aos interesses de seus agentes. o que prevalece é a cultura dos “resultados imediatos. os gestores devem. p. empreendedoras e flexíveis. uma mudança de valores. governante. profissionais e econômicos do ser humano. Com o surgimento do Pensamento Sistêmico que nada mais é do que criar uma forma de analisar e uma linguagem para descrever e compreender as forças e inter-relações que modelam o comportamento dos sistemas.80). que visem a integração das pessoas e processos em busca de uma visão comum. p. Esta disciplina permite mudar os sistemas com maior eficácia e agir mais de acordo com os processos do mundo natural e econômico.A postura que eles adotarão frente aos desafios que essa condição exige é que diferenciarão as empresas: aquelas que forem proativas terão grande possibilidade de obter sucesso e longevidade. 81). Quando desejam serem consideradas cidadãs corporativas. no entanto. já as reativas. ela poderá estar dando um grande passo à rejeição da sociedade e conseqüentemente ao seu fracasso. O Pensamento sistêmico é a capacidade que uma pessoa – líder. um despertar para o social e ambiental e novos sistemas de gestão. portanto. Isso diz respeito aos aspectos pessoais. empreendedor. os seres humanos aprendem realmente quando há mudanças fundamentais na sua maneira de ver o mundo e alterações significativas de suas capacidades. professor etc. poderão sofrer árduas críticas da sociedade. De acordo com Peter Senge apud McIntosh (2001. As primeiras são aquelas que se antecipam e incluem em suas estratégias. segundo McIntosh (2001. Empresas reativas. Etapa III. fundamentalmente. Uma organização proativa busca alcançar transparência e responsabilidade perante seus interessados. se as empresas forem organizações que aprendem. segundo Peter Senge. Não vejo como conseguir isso sem a criação de . Necessita de perspicácia. a organização que realmente terá excelência no futuro será a que descobrir como inserir o compromisso e a capacidade de aprender das pessoas em todos os níveis da organização. a qualquer custo. pai e mãe de família. é imprescindível que as empresas sejam conscientes de sua responsabilidade social e isso somente é possível. trabalhar sobre uma base responsável social e ambiental para definir sua direção estratégica. Caso contrário. e isso exige delas um bom uso das informações e uma comunicação eficaz. como afirma o próprio Senge. enquanto alguém estiver no comando”. Passo III Teoria Sistêmica e Liderança nas Organizações As mudanças de hábito ou de cultura levam tempo e as lideranças de hoje não dispõem de tempo nem de paciência para esperar as coisas acontecerem.

Por outro lado. Assim. informar e levar as organizações a novos rumos. Portanto. comunicação. Portanto. E mais do que isso. Para liderar deve-se ter uma boa comunicação. dotado de capacidades e dificuldades. a rotatividade torna-se elevada quando a empresa não faz à mínima ideia ou não compreende a importância do pensamento sistêmico. impressionante e sem expectativa de mudança. Mas. As organizações bem-sucedidas para sobreviverem terão de passar por uma mudança cultural profunda e para isso os líderes terão que conceber visão. capacidade de treinar e formar equipes afinadas. terão compreendido a essência do pensamento sistêmico. habilidade nos contatos interpessoais. treinar. Daí surge o papel do líder que é ajudar pessoas a realizar o que são capazes de fazer. encorajar e manter relacionamentos bem-sucedidos. como não existe mais fidelidade nas empresas e as pessoas mudam de emprego como quem muda de roupa. Um dos grandes problemas para implantar ou manter um pensamento sistêmico nas empresas é devido ao alto índice de rotatividade nas empresas. formular uma visão para o futuro. liderança significa ajudar as pessoas a realizar o que são capazes de fazer. incentivar. linhas sucessivas de chefes e gerentes. . encorajar. forma-se aqui um círculo vicioso. as empresas procuram por indivíduos raros. que são capazes de liderar. As idéias. motivação e manter suas capacidades de ação em constante mutação. Cada linha tinha mais autoridade do que a que lhe ficava abaixo. As pessoas que trabalham juntas podem realizar façanhas incríveis. O importante é deixar que as pessoas saibam que a organização as respeita que lhes tem consideração e que elas são importantes e jamais a liderança pode ser forçada. Atualmente. a continuidade necessária para a formação do pensamento sistêmico fica comprometida. Conhecer as necessidades e expectativas pessoais e profissionais de cada membro para a eficiência e a eficácia do processo de liderar. tratar as pessoas como pessoas e saber investir no máximo lucro dos recursos humanos. de baixo para cima. senso de valores. ensinar. quando as empresas e os líderes em geral compreenderem isso. Dessa forma. para conseguir resultados positivos têm que desenvolver interesse pelos funcionários e deixar que eles saibam disso. terão o combustível necessário para transformar idéias em oportunidades de aprendizagem e crescimento para todos. esse crescimento terá que ser contínuo e positivo e para isso o primeiro passo é exercer uma visão sobre cada membro da equipe como ser único. Já com relação ao tema liderança. o líder do futuro terá de crescer na função que desempenha. antigamente as empresas eram estruturadas como pirâmides: trabalhadores na base. formular uma visão para o futuro.uma cultura forte de estímulo ao aprendizado contínuo dentro das organizações. a criatividade e o trabalho em grupo terão que ser comandados por um líder forte que focalize a sinergia de seus liderados. estabelecer e manter relacionamentos bem sucedidos. Quase ninguém se incomodava com essa organização e a velha pirâmide era sólida. portanto.

Frank e Lillian Gilbreth. |Organização eficiente por excelência. Gouldner. vontades. direção e | | |definida.Setznick. onde os mínimos detalhes |O comportamento humano afeta na eficiência .| | | | | |interesses. Fayol.Gilbreth. Mooney e Emerson. |racionalização do trabalho no nível operacional |Máquina |Linha de montagem de veículos. | | | |Teoria das Relações |Elton Mayo.Etapa IV. Passo II |QUADRO COMPARATIVO: QUAIS AS PRINCIPAIS PROPOSTAS DAS TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO E COMO SÃO UTILIZADAS NOS DIAS ATUAIS | |Teoria |Principais estudiosos |Principais idéias |Como o homem (trabalhador) era considerado |Exemplo de utilização nos dias atuais | |Administração Cientifica |Taylor. pessoas. organização. liderança ou motivação| |Teoria Neoclássica |Peter Drucker e outros autores que|Ênfase na prática da administração. além da reafirmação| |administrador: planejamento. | | | |estruturais. Gantt. | | | | |Teoria Clássica |Taylor. o |Homo Social | Atualmente é impossível pensar em empresa. | | |Henry Gantt e Hugo Munsterberg. elas formam o processo | | | | | |administrativo | |Modelo Burocrático |Weber. Merton. |organização. nos princípios gerais de |Homem Organizacional e administrativo | A Teoria Neoclássica enfatiza as funções do | | |não chegam a formar uma escola |administração e nos objetivos e resultados. |dos postulados clássicos e do ecletismo nos conceitos. |dos órgãos componentes da organização e das suas inter-relações|apenas produz e consome). No conjunto. organização ou| |Humanas |Lewin |desenvolvimento das Ciências Humanas. | |controle. necessidades. John Dewey e Kurt |Necessidade de se humanizar e democratizar a administração. |Aumentar a eficiência da empresa por meio da forma e disposição|Homo Economicus (a parte do ser humano que |Qualquer empresa que possuem hierarquia em sua | | |Gulick. | |instituição sem fazer qualquer relação com grupo.

| | |autoridade. para extrai dela | | | | | |a máxima eficiência possível. sua ênfase ainda se |Homem | Ela é mais teoria de análise mais descritiva e | | |Likert. demonstrando uma | | |Beckhard. Cyert.March. Lorsch. precisa de| | | | | |uma visão ampla tanto da empresa. | | | | | |no passado. nem parece ter sido.da| Para os humanistas. |explicativa do que prescritiva. uma estratégia bem intencionada de gestão. | | | | | |concebida por Weber. | |QUADRO COMPARATIVO: QUAIS AS PRINCIPAIS PROPOSTAS DAS TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO E COMO SÃO UTILIZADAS NOS DIAS ATUAIS | |Teoria |Principais estudiosos |Principais idéias |Como o homem (trabalhador) era considerado |Exemplo de utilização nos dias atuais | |Teoria Estruturalista |Etzioni. Bennis. A | | | | | |teoria da burocracia. Schein. |burocracia constitui um empecilho para o exercício da | | | |assim conseguir a eficiência. como das pessoas que as | | | | | |compõem | |Teoria Comportamental |Simon. | |explicar do que formar normas. Argyris. preocupando-se mais em | | |Lawrence. | |iniciativa e criatividade no ambiente de trabalho. a em contrapartida o empregado espera que a | | |mas de um movimento congregando | | |organização possua atitudes corretas e justas com ele. |encontra no comportamento humano.Barnard. |. Decorrente da Teoria das Rel. | | |vários autores no sentido de | | | | | |aplicar as ciências do | | | | | |comportamento na Administração. mas leva em consideração o |Administrativo. Humanas. Thompson. | | |dificuldade em sua aplicação | |Teoria do Desenvolvimento |Não se trata de uma teoria |mudança organizacional planejada abordagem de sistema aberto | | A organização espera que o empregado obedeça a sua | |Organizacional |administrativa propriamente dita. McGregor. | | | |. |coto organizacional mais amplo. Scott |múltipla abordagem: organização formal e informal |Homem | Analisando a evolução das teorias administrativas. | | | |Teoria Matemática |Von Neumann e Morgenstern (1947) e|busca construir modelos matemáticos capazes de simular | | Tm um notável potencial de revelação de . nos dias de hoje.Blau.análise intraorganizacional e interorganizacional |Organizacional |verificamos que para as organizações terem uma ênfase | | | | | |considerável perante o mercado dos dias atuais. |são explicados de como as coisas devem ser realizadas para |empresa. essa racionalidade taylorista da | | |Michels. padece de um | | | | | |esquecimento e desprestígio tal que. Sayles. | | | | |Tecnologia da Informação |Vários |Administrar significa lidar com a tecnologia.

| |própria dinâmica interna das organizações. | |Nova proposta: Teoria do |Edward Lorenz e Vários. | | | |adoção de cursos de ação e a alocação dos recursos necessários | |dimensões para avaliação: formalização da estratégia. | | | | |Funcional |de difícil aplicação a situações gerenciais práticas | |Teoria da Contingência |Thompson. Lawrence. e não apenas | | | | | |por causa dos mercados e da tecnologia que estão em | | | | | |constante mudança. Lorsch e |administração da tecnologia (imperativo tecnológico) |Homem | concluiu-se que o ambiente e a tecnologia são de | | |Perrow | |Complexo |fundamental importância para a | | | | | |tomada de decisão nessas organizações e são de extrema | | | | | |relevância para a constituição de uma empresa competitiva | | | | | |e eficaz | |Estratégia Organizacional |Kaz. em compreender os fenômenos turbulentos | |complexidade da vida organizacional existem em virtude da | | | |dos sistemas. |Homem | Considerado demasiado abstrata e conceitual e. Na verdade. |Criar teorias e conceitos baseados na experiência. | APO é: Uma Técnica participativa de planejamento e avaliação através da quais superiores e subordinados. dimensionado.estruturas e | | |de Wald (1954) |situações reais em empresa. | | | |para alcançar aqueles objetivos. de todas as condições e níveis sociais dedicam hoje à atividade nas empresas. Face ao tempo que todas as pessoas. Kast. o ambiente que encontram nessa atividade influirá fortemente sobre sua maneira de ver o mundo. a ética. e a | | Pode ser analisada sob três diferentes perspectivas ou. define aspectos prioritários e estabelecem objetivos (resultados) a serem alcançados. o comportamento ético da empresa – representado pelo comportamento ético de seus administradores – terá uma influência decisiva sobre o comportamento de todos os que a ela estão ligados.Johnson. conjuntamente. Assim. | |Teoria de Sistemas |Ludwig Von Bertalanffy. que entendemos como a maneira de pôr em prática nossa . as respectivas contribuições (metas) e acompanham sistematicamente o desempenho (controle) procedendo às correções necessárias. | |padrões que nos permitem compreender o mundo que nos | | | | | |rodeia. | |enfoque estratégico e implementação da estratégia. portanto. num determinado período de tempo e em termos quantitativos. |determinação de objetivos de longo prazo de uma empresa. Implicações Éticas Uma reflexão a respeito dos impactos que o conteúdo da aprendizagem desta etapa pode exercer sobre o indivíduo. Kahn. |Explicar como as diversas categorias e seus componentes mudam | Homem complexo |Afirma que a imprevisibilidade e a | |Caos | |ao longo do tempo e. a sociedade e o meio ambiente.

a aprendizagem e a pró-atividade e desenvolvam a competência emocional. na organização informal. Em poucas palavras. o que prevalece é a cultura dos "resultados imediatos. enquanto alguém estiver no comando". também devem questionar as práticas pré-estabelecidas que limitem a visão e a evolução da empresa. eles não devem abrir mão da ética que envolve o processo de decisão em detrimento de objetivos de curto prazo ou resultados financeiros. Atualmente. Que também em nível de liderança qualquer mudança de hábito ou de cultura leva tempo e as lideranças de hoje não dispõem de tempo nem de paciência para esperar as coisas acontecerem. os líderes influenciam os grupos paralelos à organização formal. através de pesquisas em livros. para perceber as implicações éticas que o rodeia e compreender a responsabilidade de ter uma postura moral. Por outro lado. etc. Também aprendemos que. o pensamento sistêmico nada mais é do que criar uma forma de analisar e uma linguagem para descrever e compreender as forças e interrelações que modelam o comportamento dos sistemas. a qualquer custo. e o exercício da responsabilidade social da empresa andam de mãos dadas. Conclusão Ao concluir as etapas propostas neste desafio. segundo Peter Senge. E esta é uma visão bastante complexa diante das pressões do mercado e de outro de todo tipo às quais os administradores são submetidos diariamente nas suas tarefas. é fundamental que um líder entenda o ambiente de negócios em que vive. Daí surge uma das maiores dificuldades para a criação e a manutenção do pensamento sistêmico é o alto índice de rotatividade nas empresas. os discentes desenvolveram as competências e habilidades que constam nas Diretrizes Curriculares Nacionais. sites para melhor entendimento do assunto ora proposto. Entendemos que. Buscamos definições para a Teoria da Administração. É a disciplina que permite mudar os sistemas com maior eficácia e agir mais de acordo com os processos do mundo natural e econômico.hierarquia de valores morais. na prática. não há espaço para aprendizagem. portanto. Os líderes devem ser responsáveis pela visão motivadora e pela criação de valores organizacionais que incentivem o trabalho e o espírito de equipe. e que este evento é muito importante para que os Administradores garantam uma boa condução de suas equipes de trabalho na direção dos objetivos organizacionais. Além disso. apóiem a criatividade. Alguns itens que influenciam as decisões do dia a dia do Administrador em relação à ética: – Ganância – Relatórios distorcidos – Inadimplência/fraude – Deslealdade – Má qualidade – Favoritismo – Conflito de interesses – Falsidade ideológica. a rotatividade torna-se elevada quando a empresa não faz à mínima ideia ou não . de acordo com os padrões da organização.

Uniderp Interativa. PLT 302.fides.jeronimomendes.br/pensamento/o-que-e/403-o-que-e-pensamentosistemico .com/administracao/a-forca-lideranca-nas-organizacoesbem-sucedidas. Processo e Prática. 1993. Idalberto. Administração: Teoria.htm http://www. Educação Sem Fronteiras. 1ª Edição. I. São Paulo: Makron Books. Bibliografia: CHIAVENATO. Campo Grande.pdf https://doc-00-14docsviewer. Rio de Janeiro: Elsevier. Formação do Administrador. . Fonte: http://pt.shvoong. 4. 2007.com/viewer/securedownload/dsn1aovipa7l846lsfcf94ne dj8q2p4u/9a1o1p6m4ffsl6fkl576bkr762th0vgb/1347501600000/ZXhwbG9yZXI=/AGZ5h q8BgbJY1gwaOYx83cPOdNw6/MEJ5Rm1ybDRNUHZRR1l6VmxaakF3TWpVdE16Rm taQzAwWXpFeExXSXpZV1V0TXpBM01qRmpPV0ZrWWpBeQ==?docid=120db40ad4 4166e2279720059f7efa16%7C6eb45bb55894bb7897d58c0093efb8fa&chan=EAAAAJ MDuU7UI%2B/4S1eEbGXORysiRBAXReo/1/aClWvsTHtX&sec=AHSqidaeppDdizobrf SGvUE4kzNm2ji5RSxkt5p7vVXd15CdbP8xXCo7JWi81icLMU8ViqQPeEZ3&a=gp&file name=organizacoes-mecanicistas-Xflexiveis. MS – 2006. ed. inclusive nos processos de negociação e nas comunicações interpessoais ou intergrupais.brasilescola. Por fim. procuramos desenvolver expressão e comunicação compatíveis com o exercício profissional. e diferentes modelos organizacionais. 1º Semestre. http://www.googleusercontent.pdf&nonce=jjdso0vs433v6&user=AGZ5hq8BgbJY1gwaOYx83cPOdNw6&has h=fnjj0jinc171l7nplr15eajgpekaj1d1 . CHIAVENATO.com. Desenvolvemos a capacidade de transferir conhecimentos da vida e da experiência cotidianas para o ambiente de trabalho e do seu campo de atuação profissional.org.br/artigo03.compreende a importância do pensamento sistêmico. Introdução à Teoria Geral da Administração.com/social-sciences/economics/1827340-teoria-geraladministra%C3%A7%C3%A3o/#ixzz24b1BByPl http://meuartigo.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->