P. 1
Apostila Ligação Química

Apostila Ligação Química

|Views: 1|Likes:
Publicado porschg2351

More info:

Published by: schg2351 on Aug 06, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/14/2015

pdf

text

original

UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP

LIGAÇÃO QUÍMICA

Profa. Dra. Silvia Carla Haither Goós

LIGAÇÕES QUÍMICAS É impossível se pensar em átomos como os constituintes básicos da matéria sem se pensar em ligações químicas. ao estabelecerem ligações químicas. perda ou ganho de elétrons. quanto os átomos. o carbono. Entre 1894 e 1898. dependo o tipo dos átomos que se ligam.”Obs. Estudando a sua estrutura eletrônica. por exemplo. Vejamos os tipos de ligações. dependendo do processo ocorrido por ocasião da combinação entre os átomos. ou seja. para alcançar o número de 8 elétrons na última camada. Quando dois átomos entram em contato. passam para um estado de menor energia que significa maior estabilidade. através de ligações químicas. O Hidrogênio aparece na natureza ligado a outro hidrogênio. o átomo de hidrogênio nunca aparece na natureza isolado. formando a molécula de água. Este fato ocorre porque quando os átomos se agrupam. existem três tipos de ligações. Afinal. Esta teoria recebeu o nome de REGRA DO OCTETO: “os átomos.Cl2 LIGAÇÃO COVALENTE Ocorre entre dois ametais São n átomos de sódio ligados entre si Nan O sódio é um metal LIGAÇÃO METÁLICA Ocorre quando metais ligam-se entre si Resumindo. Kossel e Lewis desenvolveram a idéia de que outros elementos. O mesmo fato se verifica para o oxigênio. ao se combinarem. formulou-se a teoria de que a sua estabilidade estava ligada ao fato de possuírem 8 elétrons na última camada. possam formar os corpos com que nos deparamos no mundo macroscópico do dia-a-dia. Afinal. H2O. ela é chamada de camada ou nível de 2 . Ou seja. de suas últimas camadas. Todos apresentam 8 elétrons. o flúor. adquiriam a configuração eletrônica de um gás nobre. Tal configuração estável pode ser adquirida através do compartilhamento. o fazem a través das fronteiras das suas eletrosferas. Valência (muitas vezes chamada de poder de combinação) é o número de ligações que um átomo deve fazer para que alcance a estabilidade. os gases nobres foram descobertos isolados e receberam os seus nomes. O estudo das propriedades químicas desses elementos demonstrou que os seus átomos apresentam grande estabilidade e aparecem isolados. O átomo de sódio se liga ao do cloro Na+ ClO sódio é um metal O cloro é um ametal LIGAÇÃO IÔNICA Ocorre entre um metal e um ametal O átomo de cloro se liga a outro átomo de cloro Cl – Cl O cloro é um ametal Molécula de cloro . nada mais sensato do que pensar que estes átomos entrarão em contato entre si. se átomos vão se unir uns aos outros para originar corpos maiores. Isso faz pensar que a última camada de um átomo é a que determina as condições de formação das ligações químicas.: Faça a configuração eletrônica de todos os gases nobres e observem a sua camada de valência (última camada). sem estar combinado com outros átomos. como podemos explicar que porções tão limitadas de matéria. Ligação iônica ou eletrovalente Ligação covalente ou molecular Ligação Metálica Metal + ametal Metal + Hidrogênio Ametal + Ametal Ametal + Hidrogênio Metal + Metal Também é impossível se falar em ligações químicas sem falarmos em elétrons. na forma de molécula H 2. o cloro e a maioria dos elementos químicos. com exceção do Hélio (He). Também o hidrogênio aparece ligado a átomos de outros elementos como. ou seja. adquirem estabilidade quando ficam com a configuração eletrônica de um gás nobre. Justamente porque o poder de combinação está relacionado com a camada eletrônica mais externa.

tendem a formar ânions. A valência é um número puro e indica quantas ligações um átomo pode fazer. com a formação de íons.valência. não metais têm uma alta Energia de Afinidade Eletrônica (AE). possuindo baixa Energia de Ionização(EI). compartilhar 4eReceber 3eCompartilhar 3eReceber 2eCompartilhar 2eReceber 1eCompartilhar 1eReceber 1eCompartilhar 1e- Valência 1 2 3 4 4 4 3 3 2 2 1 1 1 1 Eletrovalência +1 +2 +3 +4 -4 --3 --2 --1 --1 -- +1 +2 Cargas dos íons +3 -4 -3 -2 -1 Pela tabela e figura acima. Quando. é a energia envolvida quando um átomo ganha elétrons para formar um ânion: A(g) + é →A-(g) Elementos representativos dos grupos que precedem o Grupo 18 têm elevados valores de afinidade eletrônica e. nessas ligações. Mg (g) + 738 kJ → Mg+(g) + é Mg+(g) + 1451 kJ → Mg2+(g) + é Por outro lado. Por exemplo: F(g) + é → F-(g) Cl(g) + é → Cl-(g) AE = + 328 kJ AE = + 349 kJ 3 . Esta. Energia de Ionização é aquela necessária para remover um elétron (é) de um átomo no estado gasoso. 2 e 13 perdem elétrons (formam cátions) mais facilmente que não metais. ocorre perda ou ganho de elétrons. vemos que os metais das famílias 1. receber 4e-. portanto. a valência é chamada de eletrovalência e vem acompanhada de um sinal que indica a carga do íon formado: Átomo ==> perde elétrons ==> íon com carga positiva = cátion Átomo ==> ganha elétrons ==> íon com carga negativa = ânion Família 1 2 13 14 15 16 17 H No de elétrons na camada de valência 1 2 3 4 5 6 7 1 Comportamento geral Perder 1ePerder 2ePerder 3ePerder 4e-.

ERSIDADE PAULISTA – UNIP LIGAÇÃO METÁLICA 4 .

Uma lâmina. em geral são representados por seus símbolos. daí o uso em fios elétricos.Metal da família 1 Ligações metálicas Sódio metálico . Por que seguramos uma panela quente ou um ferro de passar ligado. que é muito grande e indeterminada. que é o símbolo do elemento e assim sucessivamente. Lítio . as atrações são iguais em todas as direções. Como o conjunto é formado por átomos do mesmo elemento. Os metais também têm a propriedade de perder elétrons com grande facilidade.Metais Algumas das propriedades que caracterizam os metais são responsáveis pelo enorme uso que eles têm em nosso cotidiano: • • Bons condutores de eletricidade e calor. o que possibilita a Alguns metais possuem baixo ponto de fusão e baixa dureza. não têm representação eletrônica e sua representação estrutural depende de um conhecimento mais profundo dos retículos cristalinos. sendo o agregado representado apenas por Cu. Os metais. sem indicação da quantidade de átomos envolvidos. Os metais têm a capacidade de formar ligas metálicas. em seus cabos que geralmente são de plástico ou madeira? • • • dureza. isto é.família 1 As ligações metálicas diferentemente das iônicas e covalentes. que possuem elevado ponto de fusão e ligação iônica. barra ou fio de cobre é constituído por inúmero cátions* de cobre cercados por um "mar" de elétrons. apresentam elevado número de coordenação. 5 . entre outras alimentos. e em panelas de cozimento de Brilho e cor: têm brilho típico e cor cinzenta. características. exceção feita ao cobre e ouro. Nos retículos cristalinos dos metais. cada átomo está circundado por 8 ou 12 outros átomos.

chocam-se com os átomos mais velozes. Esses íons positivos se agrupam numa estrutura cristalina denominada célula unitária. mas sempre próximos uns aos outros.Além disso. ocorre liberação parcial dos elétrons mais externos (com liberação de energia e aumento de estabilidade) e a conseqüente formação de íons positivos. E. os metais apresentam certas propriedades tais como a capacidade de se transformar em fios. compondo um retículo cristalino. os átomos estão dispostos de maneira variada. Enquanto certos corpos apresentam os elétrons bem presos aos átomos. Na ligação entre átomos de um elemento metálico. isto é. por meio de uma fonte elétrica às paredes de um cristal metálico. Esses elétrons. Os átomos de um metal têm grande tendência a perder elétrons da última camada e transformar-se em cátions. melhor a condução se dá. maleabilidade. os corpos condutores dos isolantes. Os elétrons aumentam suas oscilações e a energia se propaga aos átomos mais internos. Neste tipo de cristal os elétrons livres servem de meio de propagação do calor . depende da presença de elétrons livres no cristal. Por isso. esse movimento não resulta em qualquer deslocamento de carga de um lado a outro do cristal. a capacidade de se transformar em lâminas. nota-se que. de forma desordenada. em outros. É o que diferencia. quando é aplicada uma diferença de potencial. que fica envolvida pelos elétrons parcialmente liberados. Nos corpos condutores muitos dos elétrons se movimentam livremente no cristal. aceleram-se e vão aumentar a oscilação dos mais lentos. em termos de condutibilidade elétrica. formando um fluxo eletrônico orientado no interior do metal. justamente por ser caótico. Aquecendo-se a ponta de uma barra de metal. diz-se que os átomos de um metal são eletricamente neutros. chamada de ductibilidade. 6 . em todas as direções. Num sólido. entretanto. colocam-se em agitação os átomos que a formam e os que lhe estão próximos. apesar de predominarem íons positivos e elétrons livres. que então o perdem novamente e assim por diante. algumas dessas partículas permanecem com certa liberdade de se movimentarem no cristal. A possibilidade de melhor condutividade térmica. Quanto mais elétrons livres no condutor. Estudando-se o fenômeno da condutibilidade elétrica. portanto. dotados de certo movimento. são simultaneamente atraídos por outros íons. os elétrons livres adquirem um movimento ordenado: passam a mover-se do pólo negativo para o pólo positivo.

UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP LIGAÇÃO IÔNICA 7 .

8 .

a quantidade de prótons não se altera e a de elétrons passa a ser 10. a de receber elétrons. utilizamos somente os elétrons da última camada de cada átomo. ou seja. a ligação ocorre entre íons. O cloro que inicialmente possuía 17 prótons e 17 elétrons tem sua quantidade de elétrons aumentada de uma unidade após a ligação. Na representação da ligação. a fórmula do composto será NaCl. e é caracterizada pela existência de forças de atração eletrostática entre os íons. 9 . A ligação entre o sódio (11Na) e o cloro (17Cl) é um exemplo característico de ligação iônica. ou seja.LIGAÇÕES IÔNICAS OU ELETROVALENTES Como o próprio nome já indica. Cada elétron cedido deve ser simbolizado por uma seta. é necessário de que um dos átomos participantes da ligação possua a tendência de perder elétrons enquanto o outro. A ligação iônica ocorre. Esta representação é conhecida por fórmula eletrônica ou de Lewis. A seta indica quem cede e quem recebe o elétron. então. uma ligação muito forte. Com isso o sódio se torna um íon de carga 1+ e o cloro -1. Após a ligação. O sódio possuía inicialmente 11 prótons e 11 elétrons. já possuindo a quantidade necessária de elétrons. completando a quantidade de oito elétrons nela. Ocorre entre um metal e um ametal e também entre metal e hidrogênio. A força que mantém os dois átomos unidos é de atração elétrica. entre elementos que apresentam tendências opostas. assim a anterior passará a ser a última. Observe a distribuição dos elétrons em camadas para os dois elementos: 1 s2 1(K)=2 11 Na 2s2 2p6 2 (L)=8 3s1 3 (M)=1 1s2 1(K)=2 17 Cl 2s2 2p6 2 (L)=8 3s2 3p5 3 (M)=7 Para o cloro interessa adicionar um elétron à sua última camada. positivos (cátions) e negativos (ânions). Como foram utilizados um átomo de cada tipo. Ao sódio interessa perder o elétron de sua camada M.

ou seja.Para a ligação entre o alumínio (Al) e o oxigênio (O) 13 Al 3s2 3p1 3 (M)=3 Al+3 1s 1(K)=2 Al 2 2s 2p6 2 (L)=8 2 8 O 2s2 2p4 2 (L)= O2- 1s 1(K)=2 O Fazendo a ligação dos dois. São necessários três átomos de flúor para acomodar os três elétrons cedidos pelo alumínio.1. Ocorre a formação de íons positivo e negativo devido a quebra do equilíbrio entre as quantidades de prótons e elétrons nos átomos. apresentam grande estabilidade. 7 elétrons na última camada PERDEM GANHAM os elétrons que possuem na última camada elétrons até ficarem com 8 na última camada 10 . Como o átomo de flúor possui 7 elétrons em sua última camada. 2. Concluindo: . . Note que há um equilíbrio de cargas: o número de elétrons que os 2 átomos de alumínio perdem é igual ao número de elétrons que os 3 átomos de oxigênio ganham. METAIS .A atração de natureza elétrica os mantém unidos. O alumínio perde os três elétrons de sua última camada. estabelecemos a fórmula: 2 FORMA PRÁTICA Al2O3 Ao lado temos a fórmula de Lewis. 6. precisa de apenas mais um elétron.5.Os íons possuem configuração eletrônica de um gás nobre. 3 elétrons na última camada AMETAIS . O alumínio passa a ser um íon de carga 3+ e o flúor -1. De maneira análoga podemos observar a ligação entre o flúor ( 9F) e o alumínio (13Al). pois a penúltima já possui os oito elétrons necessários. A fórmula do composto será AlF3.

10+9 V. NaCl. Mg2+ e O2. Esta força é governada pela Lei de Coulomb e é dada por: F = K . q2 onde: z+ = carga do cátion 2 ao z. estende-se de maneira igual em todas as direções e é necessária grande quantidade de energia para romper este retículo. o valor de a 0. com conseqüente aumento no ponto de fusão. Quanto maior a carga e menor o raio interiônico. q1 .6 . influencia na força de atração entre os íons na ligação. A força de atração eletrostática entre estes íons (F). 10-19 C K = constante = 9 . que se atraem e estão dispostos de maneira regular. Isto é. PF = 804oC MgO. maior será o valor de F. bem como as cargas envolvidas (z). fundindo o composto. z-. 11 . Como vimos pela fórmula de F. z+. um átomo com “vontade de perder” se encontra com outro átomo com “vontade de receber” elétrons. Na+1 e Cl-1. Assim formam-se íons positivos e negativos. formando um retículo. com conseqüente aumento no ponto de fusão do sólido iônico.CARACTERÍSTICAS DAS LIGAÇÕES IÔNICAS Os compostos iônicos são provenientes de uma ligação iônica entre um metal e um não-metal..= carga do ânion q1 = q2 = constante = 1.m/C a0 = distância interiônica = raio do cátion + raio do ânion A força de atração entre os íons é contrabalançada pela força de repulsão entre as nuvens eletrônicas. PF = 2800oC Note que íons de maior carga (maior z) e menor tamanho dão cristais com maior força de atração (F). ou raio interiônico.

se o elétron perdido por M é ganho por X. A. correspondentes à energia de rede.(g) → NaCl (s) Considerando-se apenas íons positivo e negativos e supondo-se que fórmula de energia de rede é muito similar à de força de atração eletrostática: Erede = . Por exemplo: Na(g) + Cl. q2 onde: ao2 Erede = -786. A perda de um elétron por um átomo leva à formação de um íon positivo (cátion). Por outro lado. Assim.N0. quanto menor o valor de a0 maior será a quantidade de energia liberada quando o retículo cristalino for formado e tanto mais estável será o cristal. a z+ = carga do cátion z. Veja: Li(s) + ½ F2(g) Erede LiF (s) ⇒ Reação Global ∆ HD ∆ HS F(g) + 1 elétron por F AE F -1(g) + Etapas seqüenciais Li(g) . 1023 partículas A = constante de Medelung a0 = distância interiônica A equação para as forças de atração entre íons resulta num valor negativo de energia. z-. isto é. A distância interiônica aparece no denominador da equação. então todo o processo pode ser representado por: M X + eM+X M + + eXM+ + X - A energia de ionização e a afinidade eletrônica são estabelecidas partindo de átomos isolados.02 . os processos que envolvem a formação de íons gasosos geralmente não são encontrados.um metal M e um ametal X: como M é um metal.0 kJ/mol se comportem como cargas pontuais. com forças atrativas grandes. vamos considerar a formação de cloreto de lítio a partir dos estados físicos em que as substâncias lítio e cloro são normalmente encontradas. Se estes processos são interligados. sua afinidade eletrônica é negativa. é necessária pouca energia para remover um elétron do átomo M. z+. isto é. possui uma grande tendência em ganhar elétrons e formar um íon negativo (ânion). Portanto. há liberação de energia quando o cristal é formado. A energia de rede está diretamente associada com o ponto de fusão (PF) do material: SUBSTÃNCIA NaCl CaF2 CaO Erede (kJ/mol) 787 2590 3520 PF (oC) 801 1423 2614 O CICLO DE BORN-HABER Podemos exemplificar a ligação iônica com um caso típico entre dois átomos hipotéticos .1 elétron por Li EI Li +1(g) 12 .ENERGIA DE REDE O que causa a formação de uma ligação iônica é o decréscimo de energia das partículas que se ligam para formar o composto iônico. Estes são sólidos com estrutura tridimensional. sem pares iônicos. isto é. sua energia de ionização é baixa. Energia de rede (Erede) é a energia de formação de um mol de composto iônico sólido cristalino quando os íons se combinam em fase gasosa. no estado gasoso.= carga do ânion N0 = Número de Avogadro = 6. como X é um ametal. No entanto. Os processos envolvidos podem ser sintetizados num esquema denominado ciclo de BornHaber. ou seja.

como hexano e benzeno. sendo que os termos energéticos envolvidos na formação de um retículo cristalino são considerados em etapas. o ciclo de Born-Haber relaciona a energia de rede de um cristal com outros dados termoquímicos. Unidades estruturais: íons positivos e negativos. Sólidos iônicos em água: KMnO4 H2O →K + (aq) + MnO4-(aq) • • Condução de corrente em água ou quando fundidos (íons livres). baixa condutividade elétrica no estado sólido (íons presos no retículo cristalino). os produtos mais estáveis. portanto. Assim. PROPRIEDADES DOS SÓLIDOS IÔNICOS • • • São substâncias duras. com ponto de fusão elevado.1349kJ ∆ H0 = -595 kJ/mol Vemos que a reação é exotérmica. em seguida a íons e finalmente dispostos segundo um retículo cristalino. a energia dos produtos é menor que a dos reagentes.• • • • • Etapa 1 – Sublimação de 1 mol de Li(s) Li(s) → Li(g) Etapa 2 – Decomposição de ½ mol de F2(g) ½ F2(g) → F(g) Etapa 3 – Ionização do Li(g) Li(g) → Li+1 + 1elétron Etapa 4 – Adição de um elétron ao F(g) F(g) + 1elétron → F-1(g) Etapa 5 – Formação do sólido iônico Li+1(g) + F-1(g) → LiF(s) ∆HS = 155 kJ/mol ∆HD = 79 kJ/mol + EI = 520 kJ/mol Efornecida AE = -333 kJ/mol Eliberada E rede = -1016 kJ/mol _______________________ ∆ H0 = Efornecida + Eliberada ∆ H0 = 754kJ . Os elementos em seus estados padrões são inicialmente convertidos a átomos gasosos. não há moléculas. A energia reticular liberada (Erede) constitui a força motriz responsável pela formação de LiCl sólido a partir de seus elementos no estado natural. sendo. ou seja. Vários são solúveis em água (solvente polar) e insolúveis em solventes orgânicos (apolares). Observa-se também que o alto valor da E rede é o principal responsável pela estabilidade desse composto. 13 .

Vejam alguns deles no quadro a seguir: 14 . O seu excesso ou a sua carência são prejudiciais à saúde. são muito importantes ao bom funcionamento do nosso organismo. portanto.Os íons. Nos fluidos corpóreos existem alguns íons essenciais à manutenção da vida.

IDADE PAULISTA – UNIP LIGAÇÃO COVALENTE 15 .

A altura desse mínimo é quantidade de energia que precisa ser fornecida para separar os átomos e é chamada de energia de ligação. a ligação é mais fraca. Uma ligação covalente resulta do compartilhamento de um par de elétrons entre os átomos. Note que a distância de separação mais estável (de menor energia) há um equilíbrio das forças de repulsão e atração. A superposição mais eficaz dos orbitais 1s ocorre quando a distância internuclear é 74 pm.436 kJ Comprimento e Intensidade da Ligação Figura 1: Variação de energia durante a formação da ligação H  H a partir de átomos de H isolados. a formação do cátion pode necessitar de mais energia do que a que é liberada quando o ânion e a rede cristalina são formados. forma-se uma ligação covalente. Se a superposição for menor (a distância é maior do que 74 pm). Repulsão Energia Potencial Atração Máxima Pequena superposição Pequena atração Não há superposição Não há atração 0 74 Distância ( pm ) Internuclear . Veja nas figuras abaixo o diagrama de energia e os esquema para a formação da molécula de gás hidrogênio (H2) . entre não metais.LIGAÇÃO COVALENTE Em muitas circunstâncias. A distância entre o núcleo quando a energia atinge um mínimo é chamada de comprimento da ligação. 16 . Por exemplo. em geral. ocorre repulsões intensa entre os dois núcleos e a ligação é mais fraca. Nestas ocasiões. Se a superposição for maior (a distância é menor do que 74 pm). A ligação covalente ocorre. sendo que a força de ligação resulta da atração entre esses elétrons compartilhados e dos núcleos positivos dos átomos que participam da ligação. a formação de uma substância iônica não é energeticamente favorável.

converta um ou mais pares dos outros átomos em nova ligação. Use os pares restantes para completar o octeto (com exceção do H) dos átomos ligados ao átomo central. um dos muitos clorofluorcarbonos (CFC). o átomo central. Se o átomo central continuar a não ter quatro pares de elétrons. nos permite prever a própria estrutura das moléculas. Solução: CHClF2 ⇒ 1C = 1 x 4 = 4 1H = 1 x 1 = 1 1Cl = 1 x 7 = 7 2F = 2 x 7 = 14 n elétrons de valência = 26 (13 pares de elétrons) Átomo de menor afinidade = carbono Disposição dos átomos na molécula: o H Cl C F F Fazendo as ligações simples entre os átomos: H Cl C F F 17 . Previsão da disposição dos átomos na molécula: a. Ligação Simples H C H O Pares Isolados Dois pares compartilhados Ligação Dupla O conhecimento da estrutura molecular é o ponto central da química e a biologia molecular. formando ligações duplas e triplas. sendo muitas vezes usado um traço no lugar do par de pontos. entre outras coisas. O Hidrogênio é sempre um átomo terminal (faz apenas uma ligação) b. 4. pois. I + Cl I Cl Par de elétrons isolados ou I Cl Par de elétrons compartilhado (elétrons ligantes) As moléculas podem ter mais de um par de elétrons compartilhados. o par de elétrons compartilhados é representado entre os átomos constituintes da ligação. 5. Abaixo temos as regras gerais para o traçado das estruturas de Lewis: 1. acrescente um elétron adicional para cada carga negativa ou subtraia um elétron para cada carga positiva. coloque-os no átomo central.Pela estrutura de Lewis. 2. que não mais se usa devido à poluição ambiental. Se sobrarem pares. Coloque um par de elétrons (ou faça uma ligação simples) entre cada dois átomos ligados. Se o átomo central for do terceiro ou período mais avançado pode acomodar mais do que quatro pares de elétrons. No caso de ser um íon. Exemplo: Dê a estrutura de Lewis do CHClF2. Conte todos os elétrons de valência dos átomos. O átomo com a mais baixa afinidade eletrônica é. em geral. 3.

Compostos com menos do que 8 elétrons de valência Exemplo: H H Be H H B H 2 pares ligantes no Be 3 pares ligantes no Boro 2. ou com outra molécula. mas que diferem no arranjo dos átomos. Exceções à Regra do Octeto 1. A estrutura real do O3 corresponde à um híbrido de ressonância das estruturas contribuintes 1 e 2 (note que a seta de duas cabeças serve para indicar que a ligação real é composta pelas duas estruturas. Há duas maneiras de escrever a estrutura de Lewis da molécula: O3 = 3 x 6 = 18 elétrons de valência (9 pares) As estruturas têm seus núcleos em posições idênticas.Distribuindo os demais pares de elétrons: ⇒ ⇒ 13 . Estruturas Ressonantes A ressonância acontece quando não podemos estabelecer uma única fórmula eletrônica satisfatória para a molécula ou íon.4 = 9 restam 9 pares para serem distribuídos H Cl C F F As moléculas com número ímpar de elétrons. como o NO ou o NO 2 são chamados de radicais livres pela presença de elétrons desemparelhados. que protege a Terra e seus habitantes da radiação ultravioleta intensa do Sol. gerando um novo radical livre. podem se combinar com outros radicais livres. O3. Um exemplo é o ozônio. gerando nova molécula. Compostos com átomos com mais de 8 elétrons de valência F F P F F F 18 . Sendo altamente reativos. Ambas as estruturas também têm modelos idênticos de ligação covalente e ambas têm a mesma energia.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->