Você está na página 1de 1

O Ser Social O homem no vive isolado, ele um ser social.

l. Por isso, o convite para abrir, no s sua percepo, mas tambm seu corao para que o outro possa entrar. Entregar-se ao amigo, confiando-lhe o que tem de melhor. Compartilhando suas alegrias e foras, apoiando-lhe nos momentos difceis, pois certamente, ele lhe estender a mo quando voc necessitar. Percorrer junto com o outro os novos caminhos numa aventura no mais solitria. A fora imensa proporcionada pelos elos de uma corrente que, ao mesmo tempo em que destaca o valor individual, revela o coletivo de maneira incontestvel. Tambm a roda nos revela um grande simbolismo, pois a mais democrtica das formaes humanas. Nela, no h superior nem inferior. Ningum est frente ou atrs. Todos contribuem para que a energia flua livremente. A roda imita o mundo, a forma da Terra, do Sol, da Lua.Os primitivos comemoravam em crculos a caa sustento do grupo e danavam em roda para a chuva, para afastar os espritos, para a guerra. Nas noites de frio tambm faziam o crculo em volta do fogo. Uma roda de mos dadas tem um significado ainda maior, porque a unio feita pelas mos. As mesmas mos que ganham o sustento atravs do trabalho, mas que tambm afagam nos momentos de aconchego. Mos que quando esto em roda, ao mesmo tempo em que se do, se recebem formando uma corrente de fora mgica, diz ele. Num breve momento, quando imaginamos estar ligado a apenas duas pessoas, nos vemos em outra realidade, uma vez que estamos juntos a todo o grupo, partilhando sua energia e vigor. quando se inicia o contato com o outro, como a prpria palavra nos diz: COM TATO, significa TATO junto do OUTRO. Estamos quase integralmente, em termos de tempo, ao lado do outro, nem sempre COM o outro, mas quase nunca SEM o outro.
William Neves Revista Tendncias do Trabalho, junho 1994