Coleção Fábulas Bíblicas Volume 54

JESUS CRISTO

FALSO
MESSIAS
Mitologia e Superstição Judaico-cristã

CRISTIANISMO: INVENTANDO DEUSES POR VOTAÇÃO HÁ 1700 ANOS.

A divindade de Cristo foi decidida por votação no Concílio de Niceia de 325,
convocado pelo Imperador Constantino: 300 votos contra 2. Os dois bispos
que votaram contra foram exilados pelo Imperador. Por outra votação, no
Concílio de Constantinopla de 381, convocado pelo imperador Teodósio, foi
afirmada a plena divindade pessoal do Espírito Santo dando origem oficial
à trindade.

JL
jairoluis@inbox.lv
Sumário
INTRODUÇÃO .............................................................................. 6
1 - Destruindo Jesus com 4 versículos e uma contradição .................10
1 - Jeremias 22:28-30 - Jesus não pode ser messias .................11
2 - Destruindo Jesus com apenas um versículo .........................13
3 - Contradição fatal: Jesus e a noite perdida ...........................14
2 - Miqueis 5:2 - A farsa do messias de Belém ................................22
1 - O messias de Belém nunca existiu nem poderá existir...........25
2 - Quando deveria vir o Messias? ...........................................28
3 - Jesus não podia ser o messias ...........................................32
3 - Mentiras e profecias falsas .......................................................36
1 - A maior mentira do mundo ................................................36
2 - A "virgem" ......................................................................37
3 - O ungido de Belém ...........................................................38
4 - Do Egito chamei meu filho .................................................40
5 - Matança dos meninos .......................................................42
6 - A grande luz ....................................................................43
7 - Ele tomou sobre si as nossas enfermidades .........................44
8 - O servo do senhor ............................................................44
9 - Falando em parábolas .......................................................45
10 - O rei humilde montado em jumento ..................................45
11 - As trinta moedas de prata ...............................................47
12 - Nenhum de seus ossos será quebrado ...............................49
4 - Isaías 53 não fala de Jesus >>> ..............................................52
1 - De que fala Isaías 53? ......................................................53
2 - De que fala Isaías 52? ......................................................54
3 - Mas quem é o servo que sofre no capítulo 53? .....................58
4 - Agora vejam esta. ............................................................58
5 - Mais profecias falsas >>> .......................................................64
1 - 2 Samuel 7:14 não fala de Jesus ........................................66
2 - Salmo 2 não fala de Jesus .................................................71
3 - Salmo 16 não fala de Jesus ...............................................78
4 - Salmo 22 não fala de Jesus ...............................................79
5 - Salmo 35 não fala de Jesus ...............................................88

3
6 - Salmos 41:9 não fala de Jesus ...........................................91
7 - Salmo 78 não fala de Jesus ...............................................93
8 - Salmo 110 não fala de Jesus .............................................95
9 - Salmo 118 não fala de Jesus .............................................98
10 - Provérbios 30 não fala de Jesus...................................... 100
11 - Isaías 7:14 não fala de Jesus ......................................... 105
12 - Isaías 9:6-7 não fala de Jesus ........................................ 114
13 - Ezequias cumpriu Isaías 9:6-7, não Jesus. ....................... 117
14 - Isaías 41 não fala de Jesus ............................................ 133
15 - Isaías 42 não fala de Jesus ............................................ 139
16 - Jeremias 33 não fala de Jesus ........................................ 147
17 - Daniel 9:24-27 não fala de Jesus .................................... 151
18 - Deuteronômio 18:9-22 não fala de Jesus ......................... 168
19 - Oseias 6:2 não fala de Jesus .......................................... 180
6 - Referências e fontes ............................................................. 187
7 - Mais bobagens do Cristianismo >>> ....................................... 188
Mais conteúdo recomendado ................................................. 189
Livros recomendados ........................................................... 190

4
A verdade absoluta sobre Jesus
Cristo: é um filho falso inventado pelo
cristianismo para o deus judaico. JL

5
INTRODUÇÃO

Jesus Cristo é um filho falso inventado para o deus judaico pelo
cristianismo. O deus do Antigo Testamento jamais falou sobre
matar um filho para corrigir seus erros na criação, afinal ele é
onipotente e não precisa de filho para nada.

O Novo Testamento é uma fraude ridícula, já que foi escrito vários
séculos depois do Antigo Testamento, copiando e modificando
mais de 400 versículos para inventar profecias falsas e o próprio
Jesus com textos fora do contexto.

6
1 - Dois messias falsos para enganar todo mundo

O messias judaico

1. Deveria surgir quando a Assíria entrasse nas terras de
Judá; mas a Assíria se acabou sem que o messias surgisse;
2. Deveria livrar o povo de Judá e reunir a ele o restante,
Israel, estabelecendo um reino mundial, destruindo as
nações que não adorassem a Yavé; porém, Josias tentou
fazê-lo, mas foi morto; e os hebreus continuaram sendo
massacrados pelos gentios.

O messias cristão

1. Surgiu de mais de seis séculos depois da época prevista;
2. Não libertou seu povo, foi morto pelos romanos e o povo
caiu em uma situação pior do que todas as anteriores: foi
disperso pelo mundo.

7
Os profetas judeus nunca disseram que o messias seria
morto pelo inimigo, mas os cristãos usaram textos
descontextualizados das escrituras hebraicas para passar esta
ideia ao mundo. Nunca houve previsão profética ou
promessa na lei de Moisés de que o sacrifício de animais
fosse um dia ser abolido e substituído por outro tipo de
sacrifico. Mas os cristãos conseguiram persuadir o mundo a crer
que a morte do líder dos cristãos era um sacrifício divino para
substituir os sacrifícios de cordeiros.

2 - O verdadeiro salvador, segundo a Bíblia

Por que o deus judaico do Antigo testamento precisaria de um
segundo salvador chamado Jesus Cristo? Segundo ele mesmo,
não precisaria. A Bíblia é clara, Deus é o único salvador de seu
povo hebreu, não dos cristãos. Os cristãos não têm nem religião,
nem deus nem salvador. Apenas copiaram e adulteraram a
religião e o deus dos judeus e de Israel para inventar a nova
religião estatal do império romano do século 4: o catolicismo
romano.

Jeremias 50:34 - Mas O SEU REDENTOR É FORTE, O SENHOR DOS
EXÉRCITOS É O SEU NOME; certamente pleiteará a causa deles, para
dar descanso à terra, e inquietar os moradores de babilônia.
Salmos 78:35 - E se lembravam de que Deus era a sua rocha, e o
DEUS ALTÍSSIMO O SEU REDENTOR.
Salmos 106:21 - Esqueceram-se de DEUS, SEU SALVADOR, que fizera
grandezas no Egito,
Isaías 41:14 - Não temas, tu verme de Jacó, povozinho de Israel; eu
te ajudo, diz O SENHOR, E O TEU REDENTOR É O SANTO DE ISRAEL.
Isaías 43:3 - Porque eu SOU O SENHOR TEU DEUS, O SANTO DE
ISRAEL, O TEU SALVADOR; dei o Egito por teu resgate, a Etiópia e a
Seba em teu lugar.
8
Isaías 43:11 - Eu, EU SOU O SENHOR, E FORA DE MIM NÃO HÁ
SALVADOR.
Isaías 44:6 - Assim diz O SENHOR, REI DE ISRAEL, E SEU REDENTOR,
O SENHOR DOS EXÉRCITOS: Eu sou o primeiro, e eu sou o último, e
fora de mim não há Deus.
Isaías 47:4 - NOSSO REDENTOR CUJO NOME É O SENHOR DOS
EXÉRCITOS, É O SANTO DE ISRAEL.
Isaías 48:17 - Assim diz O SENHOR, O TEU REDENTOR, O SANTO DE
ISRAEL: Eu sou o Senhor teu Deus, que te ensina o que é útil, e te
guia pelo caminho em que deves andar.
Isaías 54:5 - Porque o teu Criador é o teu marido; o SENHOR DOS
EXÉRCITOS É O SEU NOME; E O SANTO DE ISRAEL É O TEU
REDENTOR; QUE É CHAMADO O DEUS de toda a terra.
Isaías 60:16 - E mamarás o leite dos gentios, e alimentar-te-ás ao
peito dos reis; e saberás que eu sou o Senhor, o teu Salvador, e o teu
Redentor, o Poderoso de Jacó.
Isaías 63:16 - Pois tu és nosso pai, ainda que Abraão não nos conhece,
e Israel não nos reconhece; TU, JEOVÁ, és nosso pai; NOSSO
REDENTOR DESDE A ANTIGÜIDADE É O TEU NOME.

3 - Estes versículos mostram toda a verdade:

1. Jesus Cristo é um filho falso inventado para o deus judaico
sem ele saber de nada.
2. Os cristãos tentaram sufocar o judaísmo inventando um
filho falso para o deus judaico e se declarando o novo povo
do deus judaico.
3.

9
1 - Destruindo Jesus com 4 versículos e uma contradição

Só para começar, Jeremias nos apresenta dois versículos
devastadores para as pretensões de Jesus a messias.

10
1 - Jeremias 22:28-30 - Jesus não pode ser messias

Jeremias 22:28-30
28 - É, pois, este homem Conias um ídolo desprezado e quebrado, ou
um vaso de que ninguém se agrada? Por que razão foram
arremessados fora, ele e a sua geração, e arrojados para uma terra
que não conhecem? 29 - Ó terra, terra, terra! Ouve a palavra do
SENHOR. 30 - Assim diz o SENHOR: Escrevei que este homem está
privado de filhos, homem que não prosperará nos seus dias; porque
nenhum da sua geração prosperará, para se assentar no trono
de Davi, e reinar ainda em Judá.

Mateus 1:12 cita Jeconias como um antepassado de Jesus:

Mateus 1:12
E, depois do cativeiro de Babilônia, Jeconias gerou Salatiel. Salatiel
gerou Zorobabel.

(Jeconias=Conias=Joaquim).

De acordo com esta profecia, se desqualifica Jesus como
Messias. Os “honestos” biblistas religiosos mudaram sutilmente
o nome Jeconias por Conias para que isto não afetasse tal evento
messiânico INVENTADO. Só não contavam que depois de séculos
de alterações, de censura e ocultação da bíblia por parte da igreja,
o povo poderia ver por fim todas as versões bíblicas (incluídas as
mais antigas) e ver tal erro.

Jeremias 22:28-30 Mateus 1:12
Jeremias 22:28-30 (Bíblia católica) Mateus 1:12
Acaso será Conias algum traste desprezível, que E, depois do
ninguém mais tem em conta? Por que são repelidos, ele cativeiro de
e sua raça, e atirados a uma terra que não conhecem? Babilônia, Jeconias
Terra, terra, terra, escuta a palavra do Senhor. Eis o gerou Salatiel.

11
que diz o Senhor: Inscrevei este homem entre os que Salatiel gerou
não deixaram descendência, entre aqueles que coisa Zorobabel.
alguma lograram em vida! Pois que ninguém de sua
raça conseguirá ocupar o trono de Davi e reinar sobre
Judá.
Jeremias 22:28-30 (Bíblia SBB/TB) Mateus 1:12
Acaso este homem Coniá é algum vaso desprezado e Depois do exílio em
quebrado? acaso é ele vaso de que ninguém se agrada? Babilônia, Jeconias
porque foram lançados, ele e a sua linhagem, e gerou a Salatiel;
arrojados para a terra que não conhecem? Ó terra, Salatiel gerou a
terra, terra, ouve a palavra de Jeová. Assim diz Jeová: Zorobabel;
Escreve que este homem não terá filhos, homem que
não prosperará nos seus dias; pois nenhum da sua
linhagem prosperará, sentado sobre o trono de Davi e
reinando daqui em diante em Judá.
Jeremias 22:28-30 (Bíblia NVI) Mateus 1:12
É Joaquim um vaso desprezível e quebrado, um Depois do exílio na
utensílio que ninguém quer? Por que ele e os seus Babilônia: Jeconias
descendentes serão expulsos e lançados num país que gerou Salatiel;
não conhecem? Ó terra, terra, terra, ouça a palavra do Salatiel gerou
Senhor! Assim diz o Senhor: "Registrem esse homem Zorobabel;
como homem sem filhos. Ele não prosperará em toda a
sua vida; nenhum dos seus descendentes prosperará
nem se assentará no trono de Davi nem governará em
Judá".

Conias, Coniá, Joaquim e Jeconias são a mesma pessoa. A quem
foi proibido gerar um descendente para o trono de Davi, mas
segundo Mateus, Jesus é descendente de Conias e, portanto, está
sob esta proibição de Deus.

Com alterações propositais como esta, os biblistas vão tentando
esconder erros e contradições. É preciso esquentar o messias falso
a qualquer preço.

12
2 - Destruindo Jesus com apenas um versículo

13
3 - Contradição fatal: Jesus e a noite perdida

Hoje em dia todo cristão aceita que tudo na Bíblia pode ser
medianamente questionável, criticável e condenável devido a
certos erros de “interpretação” e coisas que se pode considerar
como contradições, mas a respeito de Jesus e os evangelhos
nunca! Jesus, os evangelhos e as cartas do Novo Testamento são
para maioria dos crentes intocáveis e cheios de absoluta verdade
e completamente isentos de erros. E mais ainda os “fatos”
acontecidos durante a crucificação de Jesus e sua posterior
ressurreição! A base do cristianismo é a ressurreição, portanto
algum erro ou contradição nela é inconcebível e inaceitável.

1 Coríntios 15:13,14
E, se não há ressurreição de mortos, também Cristo não ressuscitou.
E, se Cristo não ressuscitou, logo é vã a nossa pregação, e também é
vã a vossa fé.

Estes versículos utilizados para blindar a ressurreição de Jesus nos
tempos antigos, quando praticamente todo mundo acreditava em
ressurreição dos mortos, hoje os crentes gostariam de eliminá-los
da Bíblia, pois de provas de uma “verdade” se transformaram em
provas de uma mentira: a ressurreição dos defuntos. E a
ressurreição do defunto Jesus ao “terceiro dia” é algo jamais
colocado em dúvida por qualquer cristão.

1 - Fazendo as contas

São muitos versículos claros com o assunto: Jesus ressuscitaria
ao terceiro dia:

14
Marcos 9,31
Porque ensinava os seus discípulos, e lhes dizia: O Filho do homem
será entregue nas mãos dos homens, e matá-lo-ão; e, morto ele,
ressuscitará ao terceiro dia.
Marcos 10:33,34
Dizendo: Eis que nós subimos a Jerusalém, e o Filho do homem será
entregue aos príncipes dos sacerdotes, e aos escribas, e o condenarão
à morte, e o entregarão aos gentios. 34 - E o escarnecerão, e
açoitarão, e cuspirão nele, e o matarão; e, ao terceiro dia,
ressuscitará.
Mateo 16,21
Desde então começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que
convinha ir a Jerusalém, e padecer muitas coisas dos anciãos, e dos
principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar
ao terceiro dia.
Mateus 17:21-23
Mas esta casta de demônios não se expulsa senão pela oração e pelo
jejum. 22 - Ora, achando-se eles na Galiléia, disse-lhes Jesus: O Filho
do homem será entregue nas mãos dos homens; 23 - E matá-lo-ão, e
ao terceiro dia ressuscitará. E eles se entristeceram muito.
Mateus 20:18,19
Eis que vamos para Jerusalém, e o Filho do homem será entregue aos
príncipes dos sacerdotes, e aos escribas, e condená-lo-ão à morte.
19 - E o entregarão aos gentios para que dele escarneçam, e o açoitem
e crucifiquem, e ao terceiro dia ressuscitará.
Lucas 9,22
Dizendo: É necessário que o Filho do homem padeça muitas coisas, e
seja rejeitado dos anciãos edos escribas, e seja morto, e ressuscite ao
terceiro dia.
Lucas 24,7
Dizendo: Convém que o Filho do homem seja entregue nas mãos de
homens pecadores, e seja crucificado, e ao terceiro dia ressuscite.
Atos 10:39,40
E nós somos testemunhas de todas as coisas que fez, tanto na terra
da Judéia como em Jerusalém; ao qual mataram, pendurando-o num

15
madeiro. 40 - A este ressuscitou Deus ao terceiro dia, e fez que se
manifestasse,

2 - Primeiro problema fatal

Todos os evangelhos e cartas do Novo testamento foram escritos
vários anos, décadas e até centenas de anos depois dos supostos
fatos narrados. Portanto, no Novo Testamente nada é profecia
sobre esses supostos fatos, mas relatos posteriores.

3 - Segundo problema fatal

No Antigo Testamento não há nenhuma profecia sobre a
ressurreição, na realidade não há absolutamente nada que se
refira a Jesus.

16
4 - Terceiro problema fatal

Não há dúvida, os evangelhos são muito claros e Atos confirma:
“Jesus ressuscitou ao terceiro dia”. Mas tem um problema oculto
nisso: "Se a Bíblia diz que ele ressuscitou ao terceiro dia; e Jesus
morreu na sexta-feira à tarde e domingo é visto no início da
manhã. NÃO SÃO TRÊS DIAS, nem mesmo dois dias.

Três dias são 72 horas e se Jesus morre às 3 da tarde (hora nona
segundo os judeus) e ressuscita às 6 da manhã de domingo
(recordemos que é visto muito cedo nessa manhã) são apenas 39
ou 40 horas que Jesus permaneceu morto; muito longe das 72
horas que são os três dias de que fala a Bíblia.

Uma desculpa muito comum aplicada nos pobres crentes é: - Não,
não, quando diz “Ao terceiro dia” não se refere a três dias
completos com todas as suas horas. É preciso levar em conta o
contexto e interpretar corretamente. Para eles o “Dia” era quando
havia luz do sol. Durante a obscuridade era a “Noite”. Por isso
quando dizem que ressuscitaria ao terceiro dia, era: 1º dia, o que
restava de sexta; 2º dia, o sábado; 3º dia, o domingo quando
ressuscita. Como podes ver, a Bíblia é precisa e nos prova mais
uma vez que não se equivoca nem tem erros ou contradições.
Entendido? Tudo bem, faz de conta que é isso mesmo! Mas, e
estes versículos:

Mateus 12:38-40
Então alguns dos escribas e dos fariseus tomaram a palavra, dizendo:
Mestre, quiséramos ver da tua parte algum sinal. 39 - Mas ele lhes
respondeu, e disse: Uma geração má e adúltera pede um sinal, porém,
não se lhe dará outro sinal senão o sinal do profeta Jonas; 40 - Pois,
como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim
estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra.

17
O que nos interessa é o versículo 40: Pois, como Jonas esteve três
dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do
homem três dias e três noites no seio da terra. Três dias e três
noites!

1 - Quantas noites Jesus esteve morto?

Vamos considerar que para justificar os “três dias” a explicação
dada acima era suficiente. Mas e as três noites? Jesus morre na
sexta. Passa a noite de sexta morto (primeira noite). Passa todo
o sábado morto, incluindo a noite (segunda noite). Ressuscita no
domingo pela manhã. São apenas duas noites: a de sexta e a de
sábado. Falta uma noite para que sejam as três que nos diz
Mateus 12:40. Um erro garrafal!

2 - Desculpas Cristãs

É muito, mas muito difícil sequer tentar justificar isto. A
contradição e o erro é algo devastador e vergonhoso. Tudo que se
consegue ao mostrar isso aos crentes é um suspeito silêncios ou
as nossas velhas e conhecidas desculpas do “contexto” ou da
“interpretação” da passagem. Outros atribuem a algum “erro de
tradução” ou até que esses versículos do sinal de Jonas são uma
interpolação posterior. Todos detonam a reputação da Santa
Biblia. Algunos, em um desesperado ataque de pânico,
argumentam algo como: “O que acontece é que na realidade os
evangelhos não dicem explicitamente que Jesus morreu numa
sexta. Pode ter morrido um dia antes e dessa maneira teríamos
as três noites que Jesus esteve morto”. Se bem que é certo que
não diz que Jesus morreu numa sexta, por simples lógica essa
conclusão é inevitável e irrefutável. Em muitos versículos se deixa
claro que Jesus morreu no “dia da preparação”, que é o dia
18
anterior ao Sábado sagrado dos judeus e que era quando
preparavam tudo para não precisar trabalhar nem fazer nada no
dia seguinte. E por simples sentido comum, o dia anterior ao
sábado é sexta.

Marcos 15,42
E, chegada a tarde, porquanto era o dia da preparação, isto é, a
véspera do sábado,

Quando chegou a noite, porque era a preparação, ou seja, a
véspera do dia de repouso.

Lucas 23,54
E era o dia da preparação, e amanhecia o sábado.
João 19:14,15
E era a preparação da páscoa, e quase à hora sexta; e disse aos
judeus: Eis aqui o vosso Rei. 15 - Mas eles bradaram: Tira, tira,
crucifica-o. Disse-lhes Pilatos: Hei de crucificar o vosso Rei?
Responderam os principais dos sacerdotes: Não temos rei, senão
César.

E a melhor evidência de que Jesus morre no dia da preparação
(sexta) é oferecida pelo mesmíssimo Mateus.

Mateus 27:62-64
E no dia seguinte, que é o dia depois da Preparação, reuniram-se os
príncipes dos sacerdotes e os fariseus em casa de Pilatos, 63 -
Dizendo: Senhor, lembramo-nos de que aquele enganador, vivendo
ainda, disse: Depois de três dias ressuscitarei. 64 - Manda, pois, que
o sepulcro seja guardado com segurança até ao terceiro dia, não se
dê o caso que os seus discípulos vão de noite, e o furtem, e digam ao
povo: Ressuscitou dentre os mortos; e assim o último erro será pior
do que o primeiro.

19
Tudo isto é muito divertido e até produz certa “pena alheia” as
tentativas de desculpas que se lê por aí. A grande maioria
baseando-se em interpretações estranhas, sempre querendo
“justificar o injustificável” e pretendendo dizer “a Bíblia na
realidade não diz o que parece dizer claramente”. Seguramente o
pobre crente cristão lerá muitas destas explicações inventadas
pelos pilantras com a intenção de manipular e confundir o crente
sincero que vê nesta contradição uma enorme e inacesível lacuna.
Mas não tem jeito, mais evidente impossível: Jesus morre na
sexta (dia da preparação) e ressuscita no domingo; apenas duas
noites depois e não três.

3 - Mateus sempre fazendo cagadas

O Evangelho de Mateus já é famoso pela quantidade de
contradições e absurdos. O risível é que o próprio escritor de
Mateus não se dá conta do erro quando o está transcrevendo.
Provavelmente quando o Evangelho de Mateus foi escrito Jesus já
tinha morrido (evidentemente todos os evangelhos foram escritos
depois do ano 70, posterior ao incêndio e destruição do templo de
Jerusalém pelos Romanos), então como pôde escrever que Jesus
esteve morto por três noites? Por acaso não lembra o tempo que
seu mestre esteve morto? Se supõe que a morte de Jesus deve
ter sido um evento muito importante em sua vida. Como esquecer
quantas noites esteve morto? Simples lógica e sentido comum.
Ninguém sensato colocaria uma contradição tão evidente. Sua
memória, o desejo de querer cumprir profecias ou a suposta
“inspiração divina” parece que lhe deram um chute no traseiro.

Quando confrontados com esta contradição escabdalosa, a grande
maioria dos “especialistas” questionados fica sem uma resposta
razoável; alguns arriscam um “Certamente tem una explicación
20
que ainda não conhecemos. Confia com muita fé que,
futuramente, será uma grande lição para nós”. Ou uma das piores
respostas e muito usada nestes casos: “Precisamente erros como
esse são prova da veracidade Bíblica. De que a Bíblia não foi
manipulada nem mudada depois e que chegou intocável até nós”.
Ou seja, quanto mais erros e contradições tenha a Bíblia, melhor.

21
2 - Miqueis 5:2 - A farsa do messias de Belém

O messias judeu deveria ser um rei poderoso, capaz de destruir
os grandes impérios que oprimiam aquele povo. Os judeus, na
antiguidade, sempre viveram oprimidos por impérios poderosos,
mas sempre acreditaram que seu deus lhes daria o domínio do
mundo. Quando a Assíria era o império dominante da região onde
os judeus viviam e Israel vivia no exílio sob esse império, eles
acreditaram ter uma promessa divina que fatalmente se cumpriria
dando-lhes o domínio de todos os povos da Terra. A Assíria seria
derrotada e o povo escolhido do deus Yavé dominariam para
sempre. Um mentiroso chamado Miqueias apresentou a promessa
que acreditavam vir do verdadeiro deus, mas era só mais uma
mentira motivacional.

22
Miqueias 5:2 não fala de Jesus

1 - Mateus 2:4-6

Esta profecia é tão falsa e tosca que ofende a inteligência até
mesmo do crente mais ignorante, pois com uma simples leitura
de Miqueias, torna-se evidente imediatamente. Para sustentar a
mentira, o novo testamento tentou conectar um verso de Miqueias
ao falso messias Jesus.

Mateus 2:4-6
4 - E, congregados todos os príncipes dos sacerdotes, e os escribas do
povo, perguntou-lhes onde havia de nascer o Cristo. 5 - E eles lhe
disseram: Em Belém de Judeia; porque assim está escrito pelo
profeta: 6 - E tu, Belém, terra de Judá, De modo nenhum és a
menor entre as capitais de Judá; porque de ti sairá o Guia que há de
apascentar o meu povo Israel.

Agora, vamos rever o que diz o texto de Miqueias, que eles
tentaram conectar:

Miquéias 5:2
E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá,
de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os
tempos antigos, desde os dias da eternidade.

Primeiramente, o verso não fala de uma cidade chamada Belém
de Judá e sim de Belém Efrata. Vamos ver o que significa isso:

1 Crônicas 2:50-52

23
50 - Estes foram os filhos de Calebe, filho de Hur, o primogênito de
Efrata: Sobal, pai de Quiriate-Jearim, 51 - E Salma, pai dos belemitas,
Harefe, pai de Bete-Gader. 52 - E foram os filhos de Sobal, pai de
Quiriate-Jearim: Haroé e metade dos menuítas.

Então, Efrata era a segunda mulher de Calebe e Belém era filho
dela. Belém era o clã dos descendentes de Efrata.

1 Crônicas 4:4
E mais Penuel, pai de Gedor, e Ezer, pai de Husá; estes foram os filhos
de Hur, o primogênito de Efrata, pai de Belém.

Mateus 2:5-6 substituiu o clã familiar “Belém Efrata” por “Belém
de Judá” para fazer parecer que Miquéias 5:2 se refere à cidade
onde supostamente nasceu Jesus. Lendo este verso isoladamente,
os líderes religiosos até conseguem enganar os mais ignorantes e
que não leem a Bíblia, mas basta dar uma olhada no verso
seguinte que percebemos facilmente o embuste.

Miqueias 5:3
Portanto os entregará até ao tempo em que a que está de parto tiver
dado à luz; então o restante de seus irmãos voltará aos filhos de
Israel.

Deus espalha os israelitas entre as nações e os abandona à
escravidão até o tempo em que a que estiver com dores de parto
der à luz, então, o tempo da criança nascer é quando Israel está
sendo restaurado. Isto não pode, de maneira alguma, se referir a
Jesus, porque no tempo em que ele, supostamente, esteve na
terra, Israel foi dominado e destruído por Roma. O povo pagava
altos impostos a César (mateus 22:19-22). Além disso, as tribos
do Norte já estavam espalhadas desde 718 AEC. Após os 3 anos
24
de cativeiro na assíria, as tribos do Sul (Judá, Levi e Benjamim)
se espalharam pela África, fugindo do domínio opressor dos
romanos e em 70 EC. Jesus não reuniu as tribos e não restaurou
Israel.

Para ser o messias que Israel aguarda, Jesus teria que
preencher os seguintes requisitos:

1. Ser descendente carnal do rei Davi. Ele pode cumprir várias
profecias, mas se não for descendente do rei Davi, jamais
poderá herdar seu trono (2 samuel 7:12);
2. Ser chamado “Deus justiça nossa” (Jeremias 23:5-6);
3. Reunir todas as tribos de Israel - o reino do norte e o reino
do sul;
4. Construir o templo de Deus, em Jerusalem (2 samuel
7:13);
5. Purificar os levitas para que possam oferecer os sacrifícios
aceitáveis diante de Deus;
6. Estabelecer a justiça (lei de Deus) e a paz na terra (Isaías
9:7);
7. Cumprir todas as profecias relativas a ele.
Jesus não preenche nenhum dos requisitos necessários para que
seja o messias esperado pelos judeus.

1 - O messias de Belém nunca existiu nem poderá existir

Como é fácil perceber, o Cristianismo se baseou em adaptações
de textos descontextualizados do antigo testamento ao Jesus de
Nazaré, transformando-o no messias “predito” no Tanak. Mas a
realidade que a própria Bíblia mostra é que o messias prometido
pelo profeta Miqueias nunca existiu, nem poderá existir. E é fácil
25
entender a razão. Nos dias em que a Assíria tinha subjugado o
reino de Israel e Judá ainda estava parcialmente livre, o profeta
Miqueias predisse um libertador do povo, a quem chamou
“ungido”, messias em hebraico, cristo em grego.

Quando ele deveria vir e o que deveria fazer?

Miqueias 5:2-15
“2.Mas tu, Belém Efrata, posto que pequena para estar entre os
milhares de Judá, de ti é que me sairá aquele que há de reinar em
Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da
eternidade. 3.Portanto os entregará até o tempo em que a que está
de parto tiver dado à luz; então o resto de seus irmãos voltará aos
filhos de Israel. 4.E ele permanecerá, e apascentará o povo na força
do Senhor, na excelência do nome do Senhor seu Deus; e eles
permanecerão, porque agora ele será grande até os fins da terra. 5.E
este será a nossa paz. Quando a Assíria entrar em nossa terra, e
quando pisar em nossos palácios, então suscitaremos contra ela
sete pastores e oito príncipes dentre os homens. 6.Esses consumirão
a terra da Assíria à espada, e a terra de Ninrode nas suas entradas.
Assim ele nos livrará da Assíria, quando entrar em nossa terra,
e quando calcar os nossos termos. 7.E o resto de Jacó estará no
meio de muitos povos, como orvalho da parte do Senhor, como
chuvisco sobre a erva, que não espera pelo homem, nem aguarda
filhos de homens. 8.Também o resto de Jacó estará entre as nações,
no meio de muitos povos, como um leão entre os animais do bosque,
como um leão novo entre os rebanhos de ovelhas, o qual, quando
passar, as pisará e despedaçará, sem que haja quem as livre. 9.A tua
mão será exaltada sobre os teus adversários e serão exterminados
todos os seus inimigos. 10.Naquele dia, diz o Senhor, exterminarei do
meio de ti os teus cavalos, e destruirei os teus carros; 11.destruirei as
cidades da tua terra, e derribarei todas as tuas fortalezas. 12.Tirarei
as feitiçarias da tua mão, e não terás adivinhadores; 13.arrancarei do
meio de ti as tuas imagens esculpidas e as tuas colunas; e não
26
adorarás mais a obra das tuas mãos. 14.Do meio de ti arrancarei os
teus aserins, e destruirei as tuas cidades. 15.E com ira e com furor
exercerei vingança sobre as nações que não obedeceram. ”
Miquéias 1:1
Isso foi escrito, pelo menos está dito que foi, “nos dias de Jotão, Acaz
e Ezequias reis de Judá”.

Vamos ver um pouco da história, para entender as palavras
de Miqueias:

2 Reis 17:1-6
“1.No ano duodécimo de Acaz, rei de Judá, começou a reinar Oséias,
filho de Elá, e reinou sobre Israel, em Samária nove anos. 2.E fez o
que era mau aos olhos do Senhor, contudo não como os reis de Israel
que foram antes dele. 3.Contra ele subiu Salmanasar, rei da Assiria;
e Oséias ficou sendo servo dele e lhe pagava tributos. 4.O rei da
Assíria, porém, achou em Oséias conspiração; porque ele enviara
mensageiros a Sô, rei do Egito, e não pagava, como dantes, os tributos
anuais ao rei da Assíria; então este o encerrou e o pôs em grilhões
numa prisão. 5.E o rei da Assíria subiu por toda a terra, e chegando a
Samária sitiou-a por três anos. 6.No ano nono de Oséias, o rei da
Assíria tomou Samária, e levou Israel cativo para a Assíria; e fê-los
habitar em Hala, e junto a Habor, o rio de Gozã, e nas cidades dos
medos.”

O segundo Livro de Reis informa que:

2 Reis 18:13-14
“13.No ano décimo quarto do rei Ezequias, subiu Senaqueribe, rei da
Assíria, contra todas as cidades fortificadas de Judá, e as tomou.
14.Pelo que Ezequias, rei de Judá, enviou ao rei da Assíria, a Laquis,
dizendo: Pequei; retira-te de mim; tudo o que me impuseres
27
suportarei. Então o rei da Assíria impôs a Ezequias, rei de Judá,
trezentos talentos de prata e trinta talentos de ouro.”

2 - Quando deveria vir o Messias?

Disse o profeta:

“Quando a Assíria entrar em nossa terra, e quando pisar
em nossos palácios”.

Segundo o profeta, quando a Assíria tentasse dominar Judá,
surgiria o Messias e a esmagaria e libertaria Israel, estabelecendo
o reino unificado de Israel sobre todas as nações, "até os fins da
Terra”. O reino de Judá permaneceu parcialmente livre por bom
tempo (parcialmente, porque o povo continuava em sua terra,
tendo seus reis, porém pagando tributo para a Assíria). A Acaz
sucedeu: Ezequias (16:20), Manassés (20:21), Amom (21:18) e
Josias (21:24) o que determinou uma reforma do templo, onde
dizem ter sido achado o livro da lei de Moisés (2 Reis, 22:1-8).
“Então disse o sumo sacerdote Hilquias ao escrivão Safã:

Achei o livro da lei na casa do Senhor. E Hilquias entregou
o livro a Safã, e ele o leu” (v.8).

Dadas às incongruências existentes na história pregressa, alguns
analistas concluíram que esse livro da lei não fora encontrado,
mas elaborado pelos escribas do reino e posto ali a mando de
Josias. Havia até a seguinte predição:

1 Reis 13:2
E o homem clamou contra o altar, por ordem do Senhor, dizendo:
Altar, altar! assim diz o Senhor: Eis que um filho nascerá à casa de

28
Davi, cujo nome será Josias; o qual sacrificará sobre ti os sacerdotes
dos altos que sobre ti queimam incenso, e ossos de homens se
queimarão sobre ti.”

Tudo parece ter sido elaborado, com todos os assombrosos
prodígios divinos e a predição sobre Josias, para levantar o ânimo
do povo na luta para reunificar o reino.

Após matar os sacerdotes adoradores de outros deuses e destruir
tudo que estivesse ligado à idolatria (adoração que não seja a
Yavé) segundo a lei do livro, “Josias tirou também todas as
casas dos altos que havia nas cidades de Samária, e que os
reis de Israel tinham feito para provocarem o Senhor à ira,
e lhes fez conforme tudo o que havia feito em Betel. E a
todos os sacerdotes dos altos que encontrou ali, ele os
matou sobre os respectivos altares, onde também queimou
ossos de homens; depois voltou a Jerusalém. Então o rei deu
ordem a todo o povo dizendo: Celebrai a páscoa ao Senhor vosso
Deus, como está escrito neste livro do pacto” (2 Reis, 23:19-21).
Ali está registrado que “não se celebrara tal páscoa desde os dias
dos juízes que julgaram a Israel, nem em todos os dias dos reis
de Israel, nem tampouco nos dias dos reis de Judá” (v.22).

Conferindo todas as descobertas sobre a história anterior, que
acreditam ter sido encontrada na reforma do templo, não é difícil
perceber que essa “páscoa” nunca existiu antes.

Josias estava disposto a fazer o que estava predito: buscar o
restante de Israel que estava exilado na Assíria e estabelecer
aquele reino eterno dos hebreus. Mas, apesar de todo o preparo
ideológico contido no livro, Josias não conseguiu estabelecer o
reino unido. Foi morto em uma batalha e Judá foi dominada pelo
Egito. Depois veio Babilônia.

29
2 Reis, 23:29
“Nos seus dias subiu Faraó-Neco, rei do Egito, contra o rei da Assíria,
ao rio Eufrates. E o rei Josias lhe foi ao encontro; e Faraó-Neco o
matou em Megido, logo que o viu.”

2 Reis, 23:30
“De Megido os seus servos o levaram morto num carro, e o trouxeram
a Jerusalém, onde o sepultaram no seu sepulcro. E o povo da terra
tomou a Jeoacaz, filho de Josias, ungiram-no, e o fizeram rei em lugar
de seu pai.”

2 Reis, 23:33-36
“33.Ora, Faraó-Neco mandou prendê-lo em Ribla, na terra de Hamate,
para que não reinasse em Jerusalém; e à terra impôs o tributo de cem
talentos de prata e um talento de ouro. 34.Também Faraó-Neco
constituiu rei a Eliaquim, filho de Josias, em lugar de Josias, seu pai,
e lhe mudou o nome em Jeoiaquim; porém levou consigo a Jeoacaz,
que conduzido ao Egito, ali morreu. 35.E Jeoiaquim deu a Faraó a
prata e o ouro; porém impôs à terra uma taxa, para fornecer esse
dinheiro conforme o mandado de Faraó. Exigiu do povo da terra, de
cada um segundo a sua avaliação, prata e ouro, para o dar a Faraó-
Neco. 36.Jeoiaquim tinha vinte e cinco ano quando começou a reinar,
e reinou onze anos em Jerusalém. O nome de sua mãe era Zebida,
filha de Pedaías, de Ruma.”

2 Reis, 24:6-8
“6.Jeoiaquim dormiu com seus pais. E Joaquim, seu filho, reinou em
seu lugar. 7.O rei do Egito nunca mais saiu da sua terra, porque o rei
de Babilônia tinha tomado tudo quanto era do rei do Egito desde o rio
do Egito até o rio Eufrates. 8.Tinha Joaquim dezoito anos quando
começou a reinar e reinou três meses em Jerusalém. O nome de sua
mãe era Neústa, filha de Elnatã, de Jerusalém”.

2 Reis, 24:10-14

30
“10.Naquele tempo os servos de Nabucodonosor, rei de Babilônia,
subiram contra Jerusalém, e a cidade foi sitiada. 11.E Nabucodonosor,
rei de Babilônia, chegou diante da cidade quando já os seus servos a
estavam sitiando. 12.Então saiu Joaquim, rei de Judá, ao rei da
Babilônia, ele, e sua mãe, e seus servos, e seus príncipes, e seus
oficiais; e, no ano oitavo do seu reinado, o rei de Babilônia o levou
preso. 13.E tirou dali todos os tesouros da casa do Senhor, e os
tesouros da casa do rei; e despedaçou todos os vasos de ouro que
Salomão, rei de Israel, fizera no templo do Senhor, como o Senhor
havia dito. 14.E transportou toda a Jerusalém, como também todos os
príncipes e todos os homens valentes, deu mil cativos, e todos os
artífices e ferreiros; ninguém ficou senão o povo pobre da terra.”

Como a própria Bíblia relata, no tempo em que deveria surgir o
messias e estabelecer o reino universal e eterno, Judá passou da
opressão assíria para o jugo egípcio e depois veio Babilônia, que
se tornou a grande potência da época, o domínio da Assíria se
acabou e o povo de Israel não foi libertado por ninguém de Judá,
mas se tornou cativo de Babilônia juntamente com Judá; coisa
bem diferente do que dizia a profecia.

Depois da Babilônia, vieram os impérios Medo-Pérsia, Grécia e
finalmente Roma, e, como a Assíria já nem existia mais,
deveriam perceber que não haveria o tal messias.

Mas, diante de tantas maravilhas contidas no livro que os escribas
disseram ter “achado” no templo, o povo continuou a esperar que
um dia esse messias viesse. Deus não iria mentir... mas mentiu!

Nos dias romanos, sete séculos após a época em que deveria vir
o tal libertador, muitos surgiram dizendo-se o "messias", todos
foram mortos executados pelos romanos, entre eles Jesus de
Nazaré (segundo a Bíblia), que a maior parte do mundo atual
acredita ser o messias.

31
3 - Jesus não podia ser o messias

O messias deveria surgir quando a Assíria entrasse nas terras de
Judá; mas a Assíria se acabou sem que o messias surgisse. O
messias deveria livrar o povo de Judá e reunir a ele o restante,
Israel, estabelecendo um reino mundial, destruindo as nações
que não adorassem a Yavé; mas Jesus, além de vir muito fora
da época determinada, se realmente tiver existido, foi morto pelos
romanos e o povo caiu em uma situação pior do que todas as
anteriores: foi disperso pelo mundo. Como já foi dito, Jesus não
foi o único que apareceu dizendo ser o messias. O livro Atos
dos apóstolos afirma que, quando as autoridades pretendiam
matar alguns apóstolos cristãos:

Atos 5:34-39
“34.Mas, levantando-se no sinédrio certo fariseu chamado Gamaliel,
doutor da lei, acatado por todo o povo, mandou que por um pouco
saíssem aqueles homens; 35.e prosseguiu: Varões israelitas,
acautelai-vos a respeito do que estais para fazer a estes homens.
36.Porque, há algum tempo, levantou-se Teudas, dizendo ser alguém;
ao qual se ajuntaram uns quatrocentos homens; mas ele foi morto, e
todos quantos lhe obedeciam foram dispersos e reduzidos a nada.
37.Depois dele levantou-se Judas, o galileu, nos dias do
recenseamento, e levou muitos após si; mas também este pereceu, e
todos quantos lhe obedeciam foram dispersos. 38.Agora vos digo: Dai
de mão a estes homens, e deixai-os, porque este conselho ou esta
obra, caso seja dos homens, se desfará; 39.mas, se é de Deus, não
podereis derrotá-los; para que não sejais, porventura, achados até
combatendo contra Deus.”

Após a suposta morte de Jesus, os evangelistas fizeram várias
adaptações de textos do velho testamento como previsões
sobre Jesus. A isso se deve o grande sucesso do Cristianismo.

32
Mateus disse que o Nascimento de Cristo de Maria era o
cumprimento do que fora predito:

Mateus 1:23
“Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, o qual será chamado
EMANUEL, que traduzido é: Deus conosco.”

Mas o tema era bem outro: o profeta falava da ingratidão do povo
de Israel e do filho que nasceria da profetiza sua esposa:

Isaías 7:14-17
“14.Portanto o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que uma virgem
conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel.
15.Manteiga e mel comerá, quando ele souber rejeitar o mal e escolher
o bem. 16.Pois antes que o menino saiba rejeitar o mal e
escolher o bem, será desolada a terra dos dois reis perante os
quais tu tremes de medo. 17.Mas o Senhor fará vir sobre ti, e sobre
o teu povo e sobre a casa de teu pai, dias tais, quais nunca vieram,
desde o dia em que Efraim se separou de Judá, isto é, fará vir o rei da
Assíria”.

Prossegue um pouco adiante:

Isaías, 8:3-4
“E fui ter com a profetisa; e ela concebeu, e deu à luz um filho; e o
Senhor me disse: Põe-lhe o nome de Maer-Salal-Has-Baz. Pois antes
que o menino saiba dizer meu pai ou minha mãe, se levarão as
riquezas de Damasco, e os despojos de Samária, diante do rei da
Assíria.”

Aí ficou mais claro de quem o profeta falava. Nada tinha a ver com
Jesus. O mesmo Mateus escreveu ainda outra, referindo-se a
Jesus:
33
Mateus 2:15
“... e lá ficou até a morte de Herodes, para que se cumprisse o que
fora dito da parte do Senhor pelo profeta: Do Egito chamei o meu
Filho.”

Outra adaptação mais furada:

Oséias 11:1-2
“Quando Israel era menino, eu o amei, e do Egito chamei a meu filho.
Quanto mais eu os chamava, tanto mais se afastavam de mim;
sacrificavam aos baalins, e queimavam incenso às imagens
esculpidas.”

Oseias estava falando da nação israelita, referindo-se à sua estada
no Egito, nada de predição sobre ninguém. Esse é a mais
grosseira das adaptações feitas pelos cristãos.

Pedro também argumentou que Davi tivesse predito a
ressurreição de Cristo:

Atos 2:25-27
“25.Porque dele fala Davi: Sempre via diante de mim o Senhor, porque
está à minha direita, para que eu não seja abalado; 26.por isso se
alegrou o meu coração, e a minha língua exultou; e além disso a minha
carne há de repousar em esperança; 27.pois não deixarás a minha
alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja a corrupção;”

O que está escrito no Salmo 16 é um hino em que Davi expressava
a sua confiança no seu deus, que não o desampararia, dizendo no
versículo 10: “Pois não deixarás a minha alma no Seol, nem

34
permitirás que o teu Santo veja corrupção.” Nada indica ser uma
predição referente a uma pessoa do futuro.

Além das adaptações de textos para transformar Jesus no
messias, a nova doutrina, “ressurreição dos mortos”, pareceu
muito atraente aos religiosos. E, assim, os cristãos conseguiram
convencer muita gente e, com o passar dos séculos, até o
imperador romano acreditou na história e se tornou cristão,
preparando o caminho para o cristianismo sanguinário que
vigorou na Roma papal. E como a história já estava bem
preparada havia muito tempo, o cristianismo se ramificou em
milhares de religiões e tornou-se a maior religião do mundo, tudo
tendo como forte base o livro engendrado nos dias de Josias.
Como o messias deveria libertar o povo e estabelecer o reino nos
dias da Assíria, e a Assíria nem existe mais, e isso não aconteceu,
o Messias nunca existiu nem poderá existir. Como se vê, não são
os ateus nem os judeus, mas a própria Bíblia que informa que o
messias não existiu, que foram os cristãos que adaptaram
grosseiramente textos do Velho testamento ao seu Jesus, com o
que convenceram primeiramente os povos incultos, que não
tinham como conferir todos os textos, vindo posteriormente, com
a crença mais fortalecida, convencer até o imperador romano, o
que propiciou a expansão do cristianismo pelo mundo.

E que a história dos patriarcas e profetas se constitui em boa parte
de lendas, se conclui pelas avançadas análises arqueológicas
atuais, que comprovam a inexistência de muitos pormenores ali
registrados e da maioria dos personagens citados.

35
3 - Mentiras e profecias falsas

Aqui vamos continuar, aprofundar e reforçar o capítulo anterior
para melhor compreensão da fraude chamada Jesus Cristo.
Veremos aqui alguns dos textos que foram utilizados pelos
parasitas religiosos para convencer o mundo de que Jesus era o
prometido libertador.

1 - A maior mentira do mundo

Através de aplicação descontextualizada de vários textos das
escrituras sagradas dos hebreus, os cristãos conseguiram passar
ao mundo a ideia de que Jesus de Nazaré foi o filho de Yavé
enviado à Terra para a salvação da humanidade. A história não
deixou uma linha sobre Jesus em seus dias. Mas uma simples
análise da própria Bíblia nos deixa claro que o Cristianismo é um
36
dos maiores enganos a que o mundo já se submeteu. Mesmo até
alguns anos após a data conhecida como da morte de Jesus na
cruz, o Cristianismo não era algo expressivo. O grupo de judeus
que o tivera como "o Messias" era pequenino. Mas, à medida que
outros povos ouviam dizer que um homem fora morto e
ressuscitara no terceiro dia e tudo estava previsto havia séculos,
o movimento cresceu até encher a Terra. O que o povo não sabia,
e muitos não sabem até hoje, é que os apóstolos usaram
textos que nada tinham a ver com predição ou eram
predições de coisas que deveriam ocorrer em tempos
determinados no passado e não ocorreram, adaptando tudo
a Jesus. A isto se deve o sucesso do cristianismo.

2 - A "virgem"

Mateus, 1:22-23
“Ora, tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que fora dito da
parte do Senhor pelo profeta: Eis que a virgem conceberá e dará à luz
um filho, o qual será chamado EMANUEL, que traduzido é: Deus
conosco”

Vejam o verdadeiro contexto, que os crentes desconhecem:

Isaías, 7:14-17
“14.Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem
conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel.
15.Manteiga e mel comerá, quando ele souber rejeitar o mal e escolher
o bem. 16.Na verdade, antes que este menino saiba rejeitar o mal e
escolher o bem, a terra, de que te enfadas, será desamparada dos
seus dois reis. 17.Porém o SENHOR fará vir sobre ti, e sobre o teu
povo, e sobre a casa de teu pai, pelo rei da Assíria, dias tais, quais
nunca vieram, desde o dia em que Efraim se separou de Judá.”

37
Prossegue um pouco adiante:

Isaías, 8:3-4
“E fui ter com a profetisa; e ela concebeu, e deu à luz um filho; e o
Senhor me disse: Põe-lhe o nome de Maer-Salal-Has-Baz. Pois antes
que o menino saiba dizer meu pai ou minha mãe, se levarão as
riquezas de Damasco, e os despojos de Samária, diante do rei da
Assíria.”

1. Ficou bem claro de quem o profeta falava. A VIRGEM
referida era a profetisa, com quem o profeta teria
coabitado. E isso teria ocorrido nos dias em que a Assíria
se apoderou de Israel.
2. Nada tinha a ver com uma virgem nos dias do Império
Romano.
3. E para escrever sua profecia “cumprida”, Mateus se baseia
em Isaías 7:14 da versão Grega dos LXX, a qual traduz mal
o termo hebreu “Almah” (mulher jovem) por “Parzenos”,
que significa virgem. Isto nos demonstra de forma
inequívoca que não há nada de “inspiração divina” nos
escritos do evangelho de Mateus.

3 - O ungido de Belém

Mateus, 2:4-6
4.E, congregados todos os príncipes dos sacerdotes, e os escribas do
povo, perguntou-lhes onde havia de nascer o Cristo. 5.E eles lhe
disseram: Em Belém de Judeia; porque assim está escrito pelo
profeta: 6.E tu, Belém, terra de Judá, De modo nenhum és a
menor entre as capitais de Judá; Porque de ti sairá o Guia Que
há de apascentar o meu povo de Israel.

38
Vejamos o que dissera o profeta judeu:

Miquéias 5:2-15
“2. Mas tu, Belém Efrata, posto que pequena para estar entre os
milhares de Judá, de ti é que me sairá aquele que há de reinar
em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias
da eternidade. 3. Portanto os entregará até o tempo em que a que
está de parto tiver dado à luz; então o resto de seus irmãos voltará
aos filhos de Israel. 4. E ele permanecerá, e apascentará o povo na
força do Senhor, na excelência do nome do Senhor seu Deus; e eles
permanecerão, porque agora ele será grande até os fins da terra. 5. E
este será a nossa paz. Quando a Assíria entrar em nossa terra, e
quando pisar em nossos palácios, então suscitaremos contra
ela sete pastores e oito príncipes dentre os homens. 6. Esses
consumirão a terra da Assíria à espada, e a terra de Ninrode
nas suas entradas. Assim ele nos livrará da Assíria, quando
entrar em nossa terra, e quando calcar os nossos termos. 7. E
o resto de Jacó estará no meio de muitos povos, como orvalho
da parte do Senhor, como chuvisco sobre a erva, que não
espera pelo homem, nem aguarda filhos de homens. 8.
Também o resto de Jacó estará entre as nações, no meio de
muitos povos, como um leão entre os animais do bosque, como
um leão novo entre os rebanhos de ovelhas, o qual, quando
passar, as pisará e despedaçará, sem que haja quem as livre.
9. A tua mão será exaltada sobre os teus adversários e serão
exterminados todos os seus inimigos. 10. Naquele dia, diz o
Senhor, exterminarei do meio de ti os teus cavalos, e destruirei os
teus carros; 11. Destruirei as cidades da tua terra, e derribarei todas
as tuas fortalezas. 12. Tirarei as feitiçarias da tua mão, e não terás
adivinhadores; 13. Arrancarei do meio de ti as tuas imagens
esculpidas e as tuas colunas; e não adorarás mais a obra das tuas
mãos. 14. Do meio de ti arrancarei os teus aserins, e destruirei as tuas
cidades. 15. E com ira e com furor exercerei vingança sobre as
nações que não obedeceram.”

39
Nos dias em que esse texto foi escrito, o reino de Israel estava
subjugado pela Assíria, que era uma ameaça também para Judá.
O profeta então afirmou que “no dia em que a Assíria entrasse na
terra de Judá, tudo isso se cumpriria, e o "Messias" (ungido), além
de destruir a Assíria, estabeleceria um reino poderoso, exercendo
"vingança sobre as nações que não obedeceram".

1. Nada disso aconteceu, mas o povo continuou esperando
que um dia surgisse esse Messias.
2. Para os judeus, que liam as profecias, Jesus não devia ter
nada que os fizesse pensar que ele fosse o referido messias,
provavelmente nem o conheciam.
3. Contudo através dessas montagens de textos, convenceu-
se o mundo de que ele fora o cumprimento das predições
de Miquéias e de vários outros textos, alguns dos quais nem
eram predições, como o texto analisado a seguir.

4 - Do Egito chamei meu filho

Mateus, 2:15:
“E lá ficou até a morte de Herodes, para que se cumprisse o que fora
dito da parte do Senhor pelo profeta: Do Egito chamei o meu Filho”.

Agora, vejam o texto completo, que nada tem de predição sobre
um filho chamado, mas o relato de um fato em que acreditavam
os judeus:

Oseias, 11:1-12
“1.Quando Israel era menino, eu o amei; e do Egito chamei a meu
filho. 2.Mas, como os chamavam, assim se iam da sua face;
sacrificavam a baalins, e queimavam incenso às imagens de escultura.

40
3.Todavia, eu ensinei a andar a Efraim; tomando-os pelos seus braços,
mas não entenderam que eu os curava. 4.Atraí-os com cordas
humanas, com laços de amor, e fui para eles como os que tiram o jugo
de sobre as suas queixadas, e lhes dei mantimento. 5.Não voltará para
a terra do Egito, mas a Assíria será seu rei; porque recusam converter-
se. 6.E cairá a espada sobre as suas cidades, e consumirá os seus
ramos, e os devorará, por causa dos seus próprios conselhos.
7.Porque o meu povo é inclinado a desviar-se de mim; ainda que
chamam ao Altíssimo, nenhum deles o exalta. 8.Como te deixaria, ó
Efraim? Como te entregaria, ó Israel? Como te faria como Admá? Te
poria como Zeboim? Está comovido em mim o meu coração, as minhas
compaixões à uma se acendem. 9.Não executarei o furor da minha
ira; não voltarei para destruir a Efraim, porque eu sou Deus e não
homem, o Santo no meio de ti; eu não entrarei na cidade. 10.Andarão
após o SENHOR; ele rugirá como leão; rugindo, pois, ele, os filhos do
ocidente tremerão. 11.Tremendo virão como um passarinho, os do
Egito, e como uma pomba, os da terra da Assíria, e os farei habitar
em suas casas, diz o SENHOR. 12.Efraim me cercou com mentira, e a
casa de Israel com engano; mas Judá ainda domina com Deus, e com
os santos está fiel”.

1. Quem era o "filho" citado?
2. Israel, não Jesus.
3. Quando Yavé teria chamado o filho?
4. Nos dias em que Moisés os teria tirado do Egito.
5. E, qual foi a promessa contida no texto aí citado?
6. Buscar os israelitas que estavam em servidão na
Assíria e no Egito e os fazer "habitar em suas casas",
reunidos com o povo de Judá, que estava ao lado do deus
Yavé.

Observem que nem isso se cumpriu.

1. Judá, que estava ao lado de Yavé, foi dominada pelo Egito.
41
2. Sendo o seu fiel rei Josias morto pelo faraó Neco.
3. E após a submissão ao Egito, todos caíram sob Babilônia (2
Reis 22, 23 e 24).
4. Constata-se que o texto nada tinha a ver com um
messias nos dias dos romanos;
5. Mas os cristãos distorceram o sentido do texto para fazer
crer que Jesus fosse esse messias.

5 - Matança dos meninos

Mateus 2:16-18:
16.Quando Herodes percebeu que havia sido enganado pelos magos,
ficou furioso e ordenou que matassem todos os meninos de dois anos
para baixo, em Belém e nas proximidades, de acordo com a
informação que havia obtido dos magos. 17.Então se cumpriu o que
fora dito pelo profeta Jeremias: 18."Ouviu-se uma voz em Ramá,
choro e grande lamentação; é Raquel que chora por seus filhos e
recusa ser consolada, porque já não existem".

Se um rei mandasse matar todos os meninos de uma cidade e
seus arredores, isso passaria despercebido como fato corriqueiro?
Claro que não. Se não houve nenhuma menção dessa barbaridade
por ninguém da época, só sendo dito mais de quarenta anos
depois, o mais racional é concluir que nada disso ocorreu. Foi uma
simples invenção ou plágio de outras histórias.

Além disso, o evangelho de Lucas nega terminantemente
essa história.

Lucas, 2:21-24
“21.Quando se completaram os oito dias para ser circuncidado o
menino, foi-lhe dado o nome de Jesus, que pelo anjo lhe fora posto
antes de ser concebido. 22.Terminados os dias da purificação,
42
segundo a lei de Moisés, levaram-no a Jerusalém, para apresentá-lo
ao Senhor, 23.(conforme está escrito na lei do Senhor: Todo
primogênito será consagrado ao Senhor), 24.e para oferecerem um
sacrifício segundo o disposto na lei do Senhor: um par de rolas, ou
dois pombinhos"

Lucas 2:39-42
"39.Assim que cumpriram tudo segundo a lei do Senhor, voltaram à
Galileia, para sua cidade de Nazaré. 40.E o menino ia crescendo e
fortalecendo-se, ficando cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava
sobre ele. 41.Ora, seus pais iam todos os anos a Jerusalém, à festa
da páscoa. 42.Quando Jesus completou doze anos, subiram eles
segundo o costume da festa".

Não viveu nenhum tempo no Egito.

Eu resumo, conforme Lucas, Jesus nasceu em Belém, e foi
circuncidado no oitavo dia de vida e dias depois levado ao
templo e seus pais retornaram com ele para Nazaré. Após
isso eles iam a Jerusalém todos os anos, até ele completar
doze anos. Não viveu nenhum tempo no Egito.

6 - A grande luz

Mateus 4:14-17
“14.para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías: 15.A
terra de Zabulom e a terra de Naftali, o caminho do mar, além do
Jordão, a Galileia dos gentios, 16.o povo que estava sentado em
trevas viu uma grande luz; sim, aos que estavam sentados na região
da sombra da morte, a estes a luz raiou. 17.Desde então começou
Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o reino
dos céus”.

43
O texto citado pelo evangelista está no capítulo 9 de Isaías. Nos
dias desse profeta, o povo de Israel estava subjugado pela Assíria.

 O profeta prometia um livramento do povo. Entretanto, o
povo nunca viu a grande luz prevista. Saiu do jugo da
Assíria e caiu sob o do Egito e depois da Babilônia. Escapou
posteriormente da Babilônia, teve um pouco de folga sob o
domínio medo-persa, mas caiu em seguida sob os gregos e
posteriormente sob os romanos, que, nos dias cristãos, os
dispersou pelo mundo. Nada do texto poderia aplicar-
se a Jesus.

7 - Ele tomou sobre si as nossas enfermidades

Mateus, 8:17
“17.para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías: Ele
tomou sobre si as nossas enfermidades, e levou as nossas doenças”.

Este é um dos mais citados textos do Velho Testamento como se
referindo a Jesus. Entretanto, se o leitor continuar nos capítulos
seguintes, verá que tudo que o profeta dizia deveria ocorrer nos
dias de Babilônia. E seria construída uma nova Jerusalém, que não
seria mais subjugada. Todavia, o que sabemos é que ela foi
reconstruída tempos depois, mas permaneceu por muito pouco
tempo, sendo destruída novamente, contrariando as previsões.

8 - O servo do senhor

Mateus 12:17-18

44
“17. para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías: 18.Eis
aqui o meu servo que escolhi, o meu amado em quem a minha alma
se compraz; porei sobre ele o meu espírito, e ele anunciará aos gentios
o juízo.”

O texto citado está no capítulo 42 de Isaías. Se lermos até o
capítulo 43, vemos que a referência era a alguém que livraria o
povo do cativeiro de Babilônia.

9 - Falando em parábolas

Mateus 13:35
“35. para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta: Abrirei em
parábolas a minha boca; publicarei coisas ocultas desde a fundação
do mundo”.

As palavras recitadas fazem parte de um hino contido no Livro de
Salmos, cap. 78. Não tem qualquer natureza de predição sobre
ninguém que deveria vir, é um relato de uma história em que
acreditavam os judeus.

Salmos 78:1-4
1 - Povo meu, escute o meu ensino; incline os ouvidos para o que eu
tenho a dizer. 2 - Em parábolas abrirei a minha boca, proferirei
enigmas do passado; 3 - o que ouvimos e aprendemos, o que nossos
pais nos contaram. 4 - Não os esconderemos dos nossos filhos;
contaremos à próxima geração os louváveis feitos do Senhor, o seu
poder e as maravilhas que fez.

10 - O rei humilde montado em jumento

45
Mateus 21:4-5
“4.Ora, isso aconteceu para que se cumprisse o que foi dito pelo
profeta: 5.Dizei à filha de Sião: Eis que aí te vem o teu Rei, manso e
montado em um jumento, em um jumentinho, cria de animal de carga.

Nos dias do Império Medo-Persa, um dos profetas hebreus
predissera:

Zacarias 9:9-10, 15
“9.Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém; eis
que vem a ti o teu rei; ele é justo e traz a salvação; ele é humilde e
vem montado sobre um jumento, sobre um jumentinho, filho de
jumenta. 10.De Efraim exterminarei os carros, e de Jerusalém os
cavalos, e o arco de guerra será destruído, e ele anunciará paz às
nações; e o seu domínio se estenderá de mar a mar, e desde o
Rio até as extremidades da terra... 15. O Senhor dos exércitos os
protegerá; e eles devorarão, e pisarão os fundibulários; também
beberão o sangue deles como ao vinho; e encher-se-ão como bacias
de sacrifício, como os cantos do altar.”

1. Segundo o profeta o salvador "viria montado sobre um
jumento".
2. Mas esse salvador iria dominar o mundo "de mar a mar, e
desde o Rio até as extremidades da terra" e estabeleceria
a paz mundial.
3. Sabemos que nada disso ocorreu.

Nos dias Império Romano, que também diziam estar levando a
"pax romana" a todas as nações, surgiram alguns salvadores, que
reuniram após si muitas pessoas, mas caíram diante dos
guerreiros de Roma. Entre esses, parece que houve um chamado
Yeshua, em alguns lugares chamado de “nazareno”, em outros,
dito ter nascido em Belém. Conhecedor da profecia, Yeshua (e
muitos outros, Iesus em latim, Jesus em português) procurou
46
mostrar ao povo que seria ele o ungido predito, conforme
escreveu um dos seus seguidores:

Mateus 21:1-13
“1.Quando se aproximaram de Jerusalém, e chegaram a Betfagé, ao
Monte das Oliveiras, enviou Jesus dois discípulos, dizendo-lhes: 2.Ide
à aldeia que está defronte de vós, e logo encontrareis uma jumenta
presa, e um jumentinho com ela; desprendei-a, e trazei-mos. 3.E, se
alguém vos disser alguma coisa, respondei: O Senhor precisa deles; e
logo os enviará. 4.Ora, isso aconteceu para que se cumprisse o que
foi dito pelo profeta: 5. ”Dizei à filha de Sião: Eis que aí te vem o teu
Rei, manso e montado em um jumento, em um jumentinho, cria de
animal de carga”. 6.Indo, pois, os discípulos e fazendo como Jesus
lhes ordenara, 7.trouxeram a jumenta e o jumentinho, e sobre eles
puseram os seus mantos, e Jesus montou. (montou sobre os dois?)
8.E a maior parte da multidão estendeu os seus mantos pelo caminho;
e outros cortavam ramos de árvores, e os espalhavam pelo caminho.
9.E as multidões, tanto as que o precediam como as que o seguiam,
clamavam, dizendo: Hosana ao Filho de Davi! Bendito o que vem em
nome do Senhor! Hosana nas alturas! 10.Ao entrar ele em Jerusalém,
agitou-se a cidade toda e perguntava: Quem é este? 11.E as multidões
respondiam: Este é o profeta Jesus, de Nazaré da Galileia. 12.Então
Jesus entrou no templo, expulsou todos os que ali vendiam e
compravam, e derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que
vendiam pombas; 13.e disse-lhes: Está escrito: A minha casa será
chamada casa de oração; vós, porém, a fazeis covil de salteadores”.

1. Isso nos dá uma ideia mais exata do que era o plano de
Jesus: ser mesmo um rei como o povo esperava.
2. Não reinou; mas os cristãos esperam que um dia reine.

11 - As trinta moedas de prata

47
Mateus 27:9-10
“Cumpriu-se, então, o que foi dito pelo profeta Jeremias: Tomaram as
trinta moedas de prata, preço do que foi avaliado, a quem certos filhos
de Israel avaliaram, e deram-nas pelo campo do oleiro, assim como
me ordenou o Senhor”.

1. Nessa, o evangelista se enganou até quanto ao autor do
texto citado. Não foi Jeremias, mas Zacarias que falou das
trinta moedas de prata.
2. Só que o texto nada se parece com o mencionado episódio
de Judas Iscariotes. Veja abaixo:

Zacarias, 11: 1-17
"1.Abre, ó Líbano, as tuas portas para que o fogo consuma os teus
cedros. 2.Geme, ó cipreste, porque o cedro caiu, porque os mais
poderosos são destruídos; gemei, ó carvalhos de Basã, porque o
bosque forte é derrubado. 3.Voz de uivo dos pastores! porque a sua
glória é destruída; voz de bramido dos filhos de leões, porque foi
destruída a soberba do Jordão. 4.Assim diz o SENHOR meu Deus:
Apascenta as ovelhas da matança, 5.Cujos possuidores as matam, e
não se têm por culpados; e cujos vendedores dizem: Louvado seja o
SENHOR, porque tenho enriquecido; e os seus pastores não têm
piedade delas. 6.Certamente não terei mais piedade dos moradores
desta terra, diz o SENHOR; mas, eis que entregarei os homens cada
um na mão do seu próximo e na mão do seu rei; eles ferirão a terra,
e eu não os livrarei da sua mão. 7.Eu, pois, apascentei as ovelhas da
matança, as pobres ovelhas do rebanho. Tomei para mim duas varas:
a uma chamei Graça, e à outra chamei União; e apascentei as ovelhas.
8.E destruí os três pastores num mês; porque a minha alma se
impacientou deles, e também a alma deles se enfastiou de mim. 9.E
eu disse: Não vos apascentarei mais; o que morrer, morra; e o que
for destruído, seja destruído; e as que restarem comam cada uma a
carne da outra. 10.E tomei a minha vara Graça, e a quebrei, para
desfazer a minha aliança, que tinha estabelecido com todos estes
povos. 11.E foi desfeito naquele dia; e assim conheceram os pobres

48
do rebanho, que me respeitavam, que isto era palavra do SENHOR.
12.Porque eu lhes disse: Se parece bem aos vossos olhos, dai-me o
meu salário e, se não, deixai-o. E pesaram o meu salário, trinta
moedas de prata. 13.O SENHOR, pois, disse-me: Arroja isso ao
oleiro, esse belo preço em que fui avaliado por eles. E tomei as
trinta moedas de prata, e as arrojei ao oleiro, na casa do
SENHOR. 14.Então quebrei a minha segunda vara União, para romper
a irmandade entre Judá e Israel. 15.E o SENHOR disse-me: Toma
ainda para ti o instrumento de um pastor insensato. 16.Porque, eis
que suscitarei um pastor na terra, que não cuidará das que estão
perecendo, não buscará a pequena, e não curará a ferida, nem
apascentará a sã; mas comerá a carne da gorda, e lhe despedaçará
as unhas. 17.Ai do pastor inútil, que abandona o rebanho! A espada
cairá sobre o seu braço e sobre o seu olho direito; e o seu braço
completamente se secará, e o seu olho direito completamente se
escurecerá."

Não encontramos sequer uma frase a que possamos dar o
significado que o evangelista quis dar.

12 - Nenhum de seus ossos será quebrado

João 19:36
"Porque isto aconteceu para que se cumprisse a escritura: Nenhum
dos seus ossos será quebrado".

Essa foi outra vez que um evangelista chamou de profecia o que
era apenas um hino do salmista em Salmos 34:7-22. Também é
relacionada com Zacarias.

Vejamos um pouquinho mais dele:

49
Salmos, 34:7-22
“7.O anjo do SENHOR acampa-se ao redor dos que o temem, e os
livra. 8.Provai, e vede que o SENHOR é bom; bem-aventurado o
homem que nele confia. 9.Temei ao SENHOR, vós, os seus santos,
pois nada falta aos que o temem. 10.Os filhos dos leões necessitam e
sofrem fome, mas àqueles que buscam ao SENHOR bem nenhum
faltará. 11.Vinde, meninos, ouvi-me; eu vos ensinarei o temor do
SENHOR. 12.Quem é o homem que deseja a vida, que quer largos dias
para ver o bem? 13.Guarda a tua língua do mal, e os teus lábios de
falarem o engano. 14.Aparta-te do mal, e faze o bem; procura a paz,
e segue-a. 15.Os olhos do SENHOR estão sobre os justos, e os seus
ouvidos atentos ao seu clamor. 16.A face do SENHOR está contra os
que fazem o mal, para desarraigar da terra a memória deles. 17.Os
justos clamam, e o SENHOR os ouve, e os livra de todas as suas
angústias. 18.Perto está o SENHOR dos que têm o coração
quebrantado, e salva os contritos de espírito. 19.Muitas são as
aflições do justo, mas o SENHOR o livra de todas. 20.Ele lhe guarda
todos os seus ossos; nem sequer um deles se quebra. 21.A
malícia matará o ímpio, e os que odeiam o justo serão punidos. 22.O
SENHOR resgata a alma dos seus servos, e nenhum dos que nele
confiam será punido”.

O que vemos acima é um hino que apresenta um deus justo, que
protege os seus seguidores de todos os males e pune os ímpios.

Mas a realidade que vemos e vivemos é bem outra, que coincide
com o que disse outro dos escritores bíblicos:

Eclesiastes 9:2-3
“2.Tudo sucede igualmente a todos: o mesmo sucede ao justo e ao
ímpio, ao bom e ao mau, ao puro e ao impuro; assim ao que sacrifica
como ao que não sacrifica; assim ao bom como ao pecador; ao que
jura como ao que teme o juramento. Este é o mal que há em tudo
quanto se faz debaixo do sol: que a todos sucede o mesmo."

50
As análises históricas mostram que nada ficou escrito sobre Jesus
em seus dias, o que nos dá uma ideia da insignificância de seu
grupo. Entretanto, usando textos descontextualizados, algumas
décadas depois, os evangelistas convenceram o mundo de que
Jesus fosse o messias salvador de que falaram os profetas de
Judá. O incrível é que os que hoje continuam citando essas coisas,
fecham os olhos e os ouvidos quando mostramos esses enganos.

 Baseado e ampliado do texto original de João de Freitas:
 http://www.joaodefreitas.com.br/fotos/messias-nao-existiu.htm

51
4 - Isaías 53 não fala de Jesus >>>

Muitos cristãos costumam citar alguns versículos do capítulo 53
de Isaías dizendo que é uma profecia sobre Jesus. Nada mais
falso. Um estudo básico sobre Mitologia nos mostra que muitos
deuses mais antigos da Pérsia, Egito, Roma, Grécia e outros mais,
morreram para “salvar a humanidade” em sacrifícios vicários e
ressuscitaram no terceiro dia. E isso tudo milênios antes do
aparecimento de Jesus. Todas essas mitologias contribuíram para

52
a criação da mitologia judaico-cristã nascida entre os gregos. O
argumento mais forte para provar que a mitologia contida nos
evangelhos, referentes a morte e ressurreição de Jesus, nasceram
do contato entre as seitas nazarenas com os pagãos gregos é que:

1. Não existe profecia no Antigo Testamento afirmando
que o messias morreria e ressuscitaria no 3º dia.
2. É muito estranho que um acontecimento espetacular como
a morte e a ressurreição do ultimo profeta israelita e
messias dos judeus não tenha sido predita pelos antigos
profetas.

Os cristãos, nesse caso, têm alguns versículos de gaveta para
afirmar que a morte do messias havia sido predita. Citam
versículos isolados (e totalmente fora do contexto) do livro de
Isaías capítulo 53.

Isaías 53:3-4

"Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores
e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens
escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso.
Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas
dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e
oprimido."

Porém é fácil demonstrar que esses versículos nada têm a ver com
Jesus, simplesmente lendo os capítulos anterior e o posterior ao
capítulo 53, a fim de entender o contexto sobre quem realmente
trata o capítulo.

1 - De que fala Isaías 53?

53
Antes de qualquer coisa é bom lembrar que Isaias da forma que
os judeus liam no tempo de Jesus não era separado com os
capítulos como hoje. Foi com a divisão em capítulos, feita na
tradução em grego (septuaginta), onde criou-se a ilusão (talvez
proposital) de que Isaias 53 é um capitulo independente de Isaias
52, quando o capitulo 53 é a continuação óbvia do 52.

Desde o capitulo 40 Isaias relata o exílio dos judeus na Babilônia
e isso vai até o capítulo 55. Será que Isaias fez uma pausa no
relato da aflição do povo monoteísta na babilônia, no capítulo 53,
falou um pouquinho do messias e depois voltou a falar de Israel?
Não, o capítulo 53 do livro de Isaías ainda está falando de Israel
e do sofrimento do exílio na Babilônia e Isaías 52 fala da aflição
de Israel no exílio e da esperança do retorno.

2 - De que fala Isaías 52?

Vejamos através de alguns versículos sobre o que fala o capítulo
52 fala:

Isaías 52:1 - Desperta, desperta, veste-te da tua fortaleza, ó Sião;
veste-te das tuas roupas formosas, ó Jerusalém, cidade santa, porque
nunca mais entrará em ti nem incircunciso nem imundo.

Isaías 52:6 - Por isso MEU POVO vai saber meu nome: naquele dia
compreenderá que sou eu quem diz: Eis-me aqui!

Isaías 52:9 - Prorrompei todas em brados de alegria, ruínas de
Jerusalém, porque o Senhor se compadece de SEU POVO, e resgata
Jerusalém!

 Versículo 11 - Retirai-vos, deixai as terras de OUTROS POVOS,
saí de lá, não toqueis coisa impura; saí do meio dela; purificai-
vos; vós que transportais os objetos sagrados do Eterno.

54
 Isaías 52:11 - Retirai-vos, retirai-vos, saí daí, não toqueis coisa
imunda; saí do meio dela, purificai-vos, os que levais os vasos
do Senhor.
 Isaías 52:11 - ¡Apártense!, ¡apártense! salgan de aquí, y
déjense de tocar cosas impuras. SALGAN DE BABILONIA y
purifíquense ustedes que llevan los vasos sagrados de Yavé.

Isaías 52:12 - Pois não saireis apressadamente, nem ireis em fuga;
porque o Senhor irá diante de vós, e o Deus de Israel será a vossa
retaguarda.

Aí, como nos originais em hebraico, não há divisão entre o capítulo
52 e 53, logicamente Isaias continua falando do retorno dos filhos
de Israel das margens do Eufrates - da escravidão na Babilônia
- de volta à Terra Santa.

Ainda no capítulo 52 ele chama Israel de “meu servo” e fala de
Israel voltando do exílio como se fosse um homem.

Isaías 52:13-15
13 - Eis que meu Servo (Israel) prosperará, crescerá, elevar-se-á, será
exaltado. 14 - Assim como, à sua vista, muitos ficaram embaraçados
- tão desfigurado estava que havia perdido a aparência humana -, 15
- assim o admirarão muitos povos: os reis permanecerão mudos
diante dele, porque verão o que nunca lhes tinha sido contado, e
observarão um prodígio inaudito.

13-14-15 - Eis que há de prosperar meu servo; será exaltado e há de
se elevar bem alto. 14 - Assim como antes, multidões ficavam
estarrecidas ao vê-lo, ‘Sua aparência está desfigurada e não parece
humana sua forma’ 15 - Assim, muitas nações admirar-se-ão depois,
e reis se calarão perante ele, porque verão o que jamais lhes fora
previsto e perceberão o que nunca havia escutado:

55
É importante saber que na versão em hebraico da bíblia Modern
Hebrew o capítulo 52, respeitando o sentido do texto, termina com
dois pontos. O que indica que o raciocínio ainda não foi concluído.

Isaías 53:1-4
Quem poderia acreditar nisso que ouvimos? A quem foi revelado o
braço do Senhor? 2 - Cresceu diante dele como um pobre rebento
enraizado numa terra árida; não tinha graça nem beleza para atrair
nossos olhares, e seu aspecto não podia seduzir-nos.
3 - Era desprezado, era a escória da humanidade, homem das dores,
experimentado nos sofrimentos; como aqueles, diante dos quais se
cobre o rosto, era amaldiçoado e não fazíamos caso dele. 4 - Em
verdade, ele tomou sobre si nossas enfermidades, e carregou os
nossos sofrimentos: e nós o reputávamos como um castigado, ferido
por Deus e humilhado.

 Isaias 53:1 - Quem teria acreditado no que nós (as nações)
ouvimos, e para quem foi revelada a ação do Senhor?
 2 - Porque ele (o povo de Israel) brotou como planta tenra e
como raiz em terra seca. Não tinha nem forma nem beleza; era
visível que não tinha boa aparência; quem agradar-se-ia?
 3 - Foi depreciado e abandonado por todos, como uma pessoa
atormentada e constantemente enferma, como alguém de
quem escondemos nossa face, sendo desprezado e
desconsiderado.
 4 - Na verdade, eram os nossos sofrimentos (das nações) que
(Israel) suportava, e as dores que o oprimiam, mas nós o
considerávamos um ser aflito, golpeado e ferido por Deus.

E continua falando de Israel como uma pessoa, um servo, e do
sofrimento e da volta do exílio na Babilônia.

Observe que:

 Quando a mensagem está falando de aflições é no passado

56
 E quando é de esperança é no futuro.

Porque trata-se do povo de Israel e não do messias.

Isaías 52:13-15
13 - Eis que meu Servo (Israel) prosperará, crescerá, elevar-se-á, será
exaltado. 14 - Assim como, à sua vista, muitos ficaram embaraçados
- tão desfigurado estava que havia perdido a aparência humana -, 15
- assim o admirarão muitos povos: os reis permanecerão mudos
diante dele, porque verão o que nunca lhes tinha sido contado, e
observarão um prodígio inaudito.

13-14-15 - Eis que há de prosperar meu servo; será exaltado e há de
se elevar bem alto. (Futuro, promessa de melhores dias) 14 - Assim
como antes, multidões ficavam estarrecidas ao vê-lo, (passado,
suplicio no exílio) ‘Sua aparência está desfigurada e não parece
humana sua forma’ (Presente, o momento do retorno) 15 - Assim,
muitas nações admirar-se-ão depois, e reis se calarão perante ele,
porque verão o que jamais lhes fora previsto e perceberão o que nunca
havia escutado: (Futuro, promessa de melhores dias)

1. Seriam as supostas profecias referentes a Jesus todas
proferidas no passado?
2. Sim. Porque na verdade eram relatos do exílio na Babilônia.

As partes que falam do Servo no futuro ainda no capítulo 53 são
referentes a volta do exílio.

Isaías 53:11 –
Ele verá o fruto do trabalho de sua alma, e ficará satisfeito; pelo seu
conhecimento o meu servo justo justificará a muitos, e as iniqüidades
deles ele as tomará sobre si. (Futuro, promessa de melhores dias)

Nesse versículo se apoia todo o cristianismo, de que aí estaria a
profecia de que o messias morreria para salvar a humanidade. Na
57
falta de uma profecia verdadeira "seu conhecimento justificará a
muitos" se transforma em "sua morte justificará a muitos" em um
texto que nem sequer é uma profecia.

3 - Mas quem é o servo que sofre no capítulo 53?

Isaías 44:1
Agora, pois, ouve, ó Jacó, servo meu, ó Israel, a quem escolhi.
Isaías 44:21
Lembra-te destas coisas, ó Jacó, sim, tu ó Israel; porque tu és meu
servo! Eu te formei, meu servo és tu; ó Israel não te esquecerei de ti.
Isaías 49:3
e me disse: Tu és meu servo; és Israel, por quem hei de ser
glorificado.

O servo é Israel (Jacó) sofrendo no exílio da Babilônia:

Isaías 48:20
Saí de Babilônia, fugi de entre os caldeus. E anunciai com voz de
júbilo, fazei ouvir isto, e levai-o até o fim da terra; dizei: O Senhor
remiu a seu servo Jacó;

4 - Agora vejam esta.

Isaías 44:2-4
2 - Assim diz o Senhor que te criou e te formou desde o ventre, e que
te ajudará: Não temas, ó Jacó, servo meu, e tu, Jesurum, a quem
escolhi. 3 - Porque derramarei água sobre o sedento, e rios sobre a
terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade, e a
minha bênção sobre os teus descendentes. 4 - E brotarão como a erva,
como salgueiros junto aos ribeiros das águas.

58
 Quem é o Servo?
 Israel (Jacó),
 E de quem é a posteridade que brotará como erva?
 A descendência de Israel.

Porque então no mesmo livro, mais adiante, o servo passa a ser
o messias e a posteridade que crescerá como erva são os cristãos?

Isaías 53:2
Ele cresceu diante dele como um broto tenro, e como uma raiz saída
de uma terra seca. Ele não tinha qualquer beleza ou majestade que
nos atraísse, nada em sua aparência para que o desejássemos.
Isaías 53:10
Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a
sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade,
prolongará os seus dias; e o bom prazer do Senhor prosperará na sua
mão.
Isaías 53:11
Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu
conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos; porque as
iniqüidades deles levará sobre si.

Continua falando de Israel, o servo e sua posteridade. Em Isaías
54 continuamos na mesma história, os judeus (filhos da estéril)
se reinstalam em Jerusalém:

Isaías 54:2-3
2 - Amplia o lugar da tua tenda, e estendam-se as cortinas das tuas
habitações; não o impeças; alonga as tuas cordas, e fixa bem as tuas
estacas. 3 - Porque transbordarás para a direita e para a esquerda; e
a tua descendência possuirá os gentios (nações) e fará que sejam
habitadas as cidades assoladas.

59
1. Por que “o Servo” nos capítulos anteriores e posteriores ao
53 é Israel no suplício do exílio na Babilônia e o 53 é o
Messias?
2. Porque não é o Messias.

Isso fica mais claro ainda, quando vemos que versículos dentro
da suposta profecia não batem com o que está escrito nos
evangelhos.

Em Isaías 53:7 diz que “não abriu a boca” e permaneceu “mudo”
diante dos acusadores, porém os evangelhos registram Jesus
falando muitas vezes durante os interrogatórios, algumas dessas
vezes em sua própria defesa.

Isaías 53:7
Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um
cordeiro foi levado ao matadouro (ao exílio da babilônia), e como a
ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua
boca.
Isaías 53:9
E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte;
ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca.
Isaías 53:9
Foi-lhe dada sepultura ao lado de fascínoras e ao morrer achava-se
entre malfeitores, se bem que não haja cometido injustiça alguma, e
em sua boca nunca tenha havido mentira.

No versículo 9 diz que “Designaram-lhe a sepultura com os
perversos” (ímpios ou fascínoras, ricos ou malfeitores dependendo
da versão bíblica), mas Jesus foi sepultado com os perversos?

Consta que Jesus foi colocado numa câmera funerária particular
da família de José de Arimateia. Esse discípulo de Jesus é descrito
no evangelho de Marcos (15:43) como “ilustre membro do
Sinédrio que também esperava o reino de Deus” e em Lucas 23:50
é dito que é um “homem bom e justo”. Portanto a acusação
60
“Designaram-lhe a sepultura com os perversos” não concorda com
a natureza do dono da câmera funerária para onde Jesus teria sido
levado e nem é mencionado que Jesus teve companhia na câmara.

Marcos 15:43
Veio José de Arimatéia, ilustre membro do conselho, que também
esperava o Reino de Deus; ele foi resoluto à presença de Pilatos e
pediu o corpo de Jesus.
Lucas 23:50
Havia um homem, por nome José, membro do conselho, homem reto
e justo.

Há indícios que os dois ladrões na narrativa do evangelho foram
inseridos posteriormente (interpolação) para forçar uma
semelhança com Isaías 53 (algo incrivelmente comum por todo o
novo testamento).

O grande problema é que essa interpolação gerou pelo menos
duas contradições escandalosas:

1. Quando na cruz Jesus teria tido um dialogo com um dos
ladrões onde ele (Jesus) teria dito: “Jesus respondeu-lhe:
Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso.”
(Lucas 23:43), porém é registrado mais adiante quando
encontra com Madalena na manhã de domingo após a
crucificação: “Disse-lhe Jesus: Não me toques; porque
ainda não subi ao Pai, mas vai a meus irmãos e dize-lhes
que subo para meu Pai e vosso Pai, para meu Deus e vosso
Deus.” (João 20:17).
2. O mesmo versículo em que Jesus diz que naquele mesmo
dia um dos ladrões estaria com ele no paraíso ainda entra
em contradição com o relato de Marcos 15:32 onde ambos
os ladrões zombam de Jesus (desça agora da cruz o Cristo,
o Rei de Israel, para que vejamos e creiamos. Também os
61
que foram crucificados com ele, dirigiam-lhe impropérios.
Marcos 15:32) e dizem que só acreditariam nele ao vê-lo
descer da cruz. Portanto nenhum dos dois iria para o
paraíso, segundo o relato de Marcos, entrando em
contradição com Lucas.

O versículo de Isaías conclui “com o rico esteve na sua morte”. O
evangelho diz que Jesus “entregou o espírito” ainda na cruz,
portanto morreu na cruz, então quem era o rico que esteve com
Jesus “na sua morte”? Confuso? Ainda não acabou.

Isaías 53:10

“Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando
der ele a sua alma como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade e
prolongará os seus dias; e a vontade do SENHOR prosperará nas suas
mãos.”

Isaías 53:10, fala: “verá sua posteridade e prolongará seus dias”.

1. Jesus teve posteridade e dias prolongados?
2. Não

Pois como já vimos anteriormente, o capítulo 53 de Isaías trata
da volta de Israel do exílio e essa posteridade citada é a
posteridade dos filhos de Abraão. E para confirmar isso basta
procurarmos, não em outro livro, mas apenas 3 versículos adiante
(convenientemente colocado em outro capítulo) consta:

Isaías 54:1-3
1 - Canta alegremente, ó estéril, que não deste à luz; rompe em
cântico, e exclama com alegria, tu que não tiveste dores de parto;
porque mais são os filhos da mulher solitária, do que os filhos da
casada, diz o SENHOR. 2 - Amplia o lugar da tua tenda, e estendam-
se as cortinas das tuas habitações; não o impeças; alonga as tuas
62
cordas, e fixa bem as tuas estacas. 3 - Porque transbordarás para a
direita e para a esquerda; e a tua descendência possuirá os gentios
(as nações) e fará que sejam habitadas as cidades assoladas. (Futuro,
promessa de melhores dias)

Agora compare “verá a sua posteridade e prolongará os seus dias”
com “a tua posteridade possuirá as nações e fará que se povoem
as cidades assoladas”. Duas citações semelhantes que aparecem
num intervalo de 6 versículos ambas se referindo a posteridade
dos filhos da estéril (Sara, mãe de Isaque) e da solitária (Hagar,
mãe de Ismael) ou seja a posteridade dos filhos de Abraão os
israelitas e os ismaelitas e não do messias.

Fim da farsa do messias falso Jesus em Isaías 53.

Baseado, corrigido e ampliado do texto original de:
http://por-que-deixei-o-cristianismo.blogspot.com/2008/05/isaas-53-no-fala-
de-jesusas.html

63
5 - Mais profecias falsas >>>

Aqui vamos analisar outras profecias falsas, aprofundar e reforçar
outras que já vimos superficialmente, para confirmar de maneira
irrefutável o que já sabemos de memória: que o cristianismo usa
muitos versos do antigo testamento para esquentar a farsa do

64
mito de Jesus, o falso messias do novo testamento, mas eles usam
versos isolados e totalmente fora de contexto, sem ao menos ter
o cuidado de observar o contexto da passagem em questão. Basta
ler o capítulo inteiro para que este embuste seja facilmente
desmascarado em todos os casos. Para provar isto, analisaremos
minuciosamente os versículos mais utilizados no embuste de
Jesus Cristo.

65
1 - 2 Samuel 7:14 não fala de Jesus

1 - Hebreus 1:5

Hebreus 1:5
Porque, a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, Hoje te gerei?
E outra vez: Eu lhe serei por Pai, E ele me será por Filho?
2 Samuel 7:14
Eu lhe serei por pai, e ele me será por filho; e, se vier a transgredir,
castigá-lo-ei com vara de homens, e com açoites de filhos de homens.
Êxodo 4:22
Então dirás ao Faraó: Assim diz o Senhor: Israel é meu filho, meu
primogênito.

Quando Paulo, o falso apóstolo, diz “e outra vez: eu lhe serei pai”,
o novo testamento tenta conectar este verso a 2 Samuel 7:14
para reforçar a ideia de que o profeta está dizendo que Jesus é o
filho do criador, mas lendo o capítulo desde o início, vemos
claramente que ele está falando do messias que ainda está por vir
e que Deus chama de filho simplesmente porque ele é um
israelita, assim como chamou todo o povo de Israel de seu
primogênito.

Vamos ver o que diz o capítulo inteiro:

2 Samuel 7:1-12
1 - E sucedeu que, estando o rei Davi em sua casa, e tendo o SENHOR
lhe dado descanso de todos os seus inimigos em redor, 2 - Disse o rei
ao profeta Natã: Eis que eu moro em casa de cedro, e a arca de Deus
mora dentro de cortinas. 3 - E disse Natã ao rei: Vai, e faze tudo
quanto está no teu coração; porque o Senhor é contigo. 4 - Porém
sucedeu naquela mesma noite, que a palavra do Senhor veio a Natã,
dizendo: 5 - Vai, e dize a meu servo Davi: Assim diz o Senhor: Edificar-
66
me-ás tu uma casa para minha habitação? 6 - Porque em casa
nenhuma habitei desde o dia em que fiz subir os filhos de Israel do
Egito até ao dia de hoje; mas andei em tenda e em tabernáculo. 7 - E
em todo o lugar em que andei com todos os filhos de Israel, falei
porventura alguma palavra a alguma das tribos de Israel, a quem
mandei apascentar o meu povo de Israel, dizendo: Por que não me
edificais uma casa de cedro? 8 - Agora, pois, assim dirás ao meu servo
Davi: Assim diz o Senhor dos Exércitos: Eu te tomei da malhada, de
detrás das ovelhas, para que fosses o soberano sobre o meu povo,
sobre Israel. 9 - E fui contigo, por onde quer que foste, e destruí a
teus inimigos diante de ti; e fiz grande o teu nome, como o nome dos
grandes que há na terra. 10 - E prepararei lugar para o meu povo,
para Israel, e o plantarei, para que habite no seu lugar, e não mais
seja removido, e nunca mais os filhos da perversidade o aflijam, como
dantes, 11 - E desde o dia em que mandei que houvesse juízes sobre
o meu povo Israel; a ti, porém, te dei descanso de todos os teus
inimigos; também o Senhor te faz saber que te fará casa. 12 - Quando
teus dias forem completos, e vieres a dormir com teus pais, então
farei levantar depois de ti um dentre a tua descendência, o qual sairá
das tuas entranhas, e estabelecerei o seu reino.

Isto não se refere Jesus porque ele foi concebido pelo espírito
santo, portanto, não era filho de José, então, não era descendente
carnal de David, pois não procedia dele.

2 Samuel 7:13
Este edificará uma casa ao meu nome, e confirmarei o trono do seu
reino para sempre.

Isto não se refere Jesus porque ele não edificou nenhum templo
a Deus. Muitos dizem que este verso está falando de Salomão,
mas o trono de Salomão não foi estabelecido para sempre e o
templo que ele edificou foi destruído.

2 Samuel 7:14

67
Eu lhe serei por pai, e ele me será por filho; e, se vier a transgredir,
castigá-lo-ei com vara de homens, e com açoites de filhos de homens.

Deus é pai para todas as nações da terra (segundo a mitologia
judaica, obviamente), mas ele escolheu somente os israelitas, e
ele pune os seus escolhidos.

Amós 3:2
“De todas as famílias da terra só a vós vos tenho conhecido; portanto
eu vos punirei por todas as vossas iniquidades.” (Desobediência à lei).

Então, este verso não pode estar se referindo a Jesus porque,
segundo o novo testamento, ele nunca cometeu iniquidade,
jamais violou a lei e nunca cometeu pecado. Ele mesmo disse que
não veio para revogar a lei e sim para cumprir.

Mateus 5:17-19
17 - Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar,
mas cumprir. 18 - Porque em verdade vos digo que, até que o céu e
a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que
tudo seja cumprido. 19 - Qualquer, pois, que violar um destes
mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será
chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir
e ensinar será chamado grande no reino dos céus.

De acordo com o novo testamento, após ser crucificado, Jesus
disse: “está consumado”, o que seria um sinal de que ele cumpriu
a lei, pagando pelos pecados da humanidade, mas a lei de Deus
diz que ninguém pode pagar pelos pecados de outra pessoa, pois
isto seria uma injustiça e Deus é justo.

Nota:

68
Cabe ressaltar que a “justiça” de Deus é altamente questionável, pois
“é pai de todos os povos, mas escolhe um povo favorito, os israelitas”.
Não existe exemplo maior de injustiça, incompetência, acepção de
pessoas, discriminação e maldade que isto, pois significa que criou
povos inferiores, os quais não lhe agradam muito. Por que os criou
então?

A realidade é bem outra, o “deus de Israel” é invenção do povo
israelita, logo, o deus israelita fala o que os israelitas dizem que fala.
O mesmo vale para os outros povos e seus deuses. Deuses “falam”
pela boca dos povos que os inventam.

Deuteronômio 24:16
Os pais não morrerão pelos filhos, nem os filhos pelos pais; cada um
morrerá pelo seu pecado.
Ezequiel 18:1-4
1 - E veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: 2 - Que pensais, vós,
os que usais esta parábola sobre a terra de Israel, dizendo: Os pais
comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos se embotaram? 3 - Vivo
eu, diz o Senhor DEUS, que nunca mais direis esta parábola em Israel.
4 - Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma do pai, assim
também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá.

Ezequiel 18 explica claramente (nem tanto) qual é a justiça de
Deus. O novo testamento contradiz o que Deus ensina em sua
torá, por isso que as pessoas que aceitam o novo testamento
tentam ensinar que o ídolo Jesus está na torá, mas não
conseguem porque é impossível.

Esta profecia também não pode se referir Salomão porque Deus
não castigou Salomão “com vara de homens, nem com açoites
dos filhos dos homens”. Deus castigou Salomão separando as
tribos do norte e encurtando seus dias de vida.

69
2 Samuel 7:15
Mas não lhe tirarei a minha graça, como a retirei de Saul, a quem
afastei (antes) de ti.
2 Samuel 7:16
Tua casa e teu reino estão estabelecidos para sempre diante de mim,
e o teu trono está firme para sempre.

Isto é verdade porque o trono de Davi permanece e vai
permanecer (dizem os judeus-israelitas, mas não existe mais),
mas seus filhos que não foram corretos foram castigados pela sua
iniquidade (desobediência à lei). Eles não pagaram pelos pecados
de ninguém, mas sim pelos seus próprios pecados.

2 - Conclusão:

Esta profecia se refere ao descendente de Davi, que sairá de suas
entranhas para construir o último templo, que permanecerá para
sempre, como está profetizado em Ezequiel capítulo 40 a 48.

Aqui Deus trollou tando cristãos como judeus e israelitas, pois uns
esperam o messias há 2000 anos e outros há 3000 anos ... e não
há mãis como se cumprir.

70
2 - Salmo 2 não fala de Jesus

1 - Israel é seu filho primogênito, não Jesus.

Os líderes cristãos ensinam que Salmos 2:7-12 diz que Jesus é
filho de Deus. Antes de desmascarar mais esta mentira, vamos
observar alguns detalhes:

1. O livro dos Salmos é chamado de Salmos de Davi
justamente porque foi escrito por Davi, é óbvio!
2. De acordo com o novo testamento, Jesus é um ser divino,
um homem-deus e estes versos falam de um ser humano
comum, que está em harmonia com o que Deus ensina na
sua lei. Quando as pessoas estão de acordo com ele, não é
nele que estão confiando e sim em Deus.
3. O nome de Jesus não é mencionado em verso algum deste
livro.
4. Deus é espírito, portanto, nunca teve relações sexuais.
5. Deus nunca chamou Jesus de filho. Aliás, ele nunca falou
de Jesus.

Deus não é homem, portanto, quando ele chama alguém de filho,
é porque ele tem como filhos aqueles com quem ele tem uma
relação especial e mais estreita (faz acepção entre suas próprias
criaturas). Veja como ele chama (dizem os israelitas, óbvio) todos
os israelitas de filho:

Isaías 45:11
Assim diz o Senhor, o Santo de Israel, aquele que o formou:
Perguntai-me as coisas futuras; demandai-me acerca de meus filhos,
e acerca da obra das minhas mãos.

Deus disse que Israel é seu filho primogênito, não Jesus.
71
Êxodo 4:22
Então dirás ao Faraó: Assim diz o Senhor: Israel é meu filho, meu
primogênito;

Ele chama os israelitas de primogênito porque é o criador, todos
são seus filhos, toda a humanidade, mas Israel (dizem os
israelitas e mais ninguém) é a nação eleita, a única nação que ele
chama de “meu povo”, o povo que ele escolheu (fez acepção).

Agora, depois destes esclarecimentos, vamos analisar o capítulo
2 desde o início para entendermos o contexto:

Salmos 2:1-2
1 - Por que se amotinam os gentios, e os povos imaginam coisas vàs?
2 - Os reis da terra se levantam e os governos consultam juntamente
contra o Senhor e contra o seu ungido, dizendo:

Repare que, quando fazem algo contra o ungido de Deus, também
estão fazendo contra Deus. Isto aconteceu com Moisés, quando
seus próprios irmãos (Miriam e Arão) se voltaram contra ele
porque não aceitavam seu casamento com uma estrangeira, visto
que Ziporá era etíope. Deus os puniu colocando lepra em miryam
porque Moisés o representava, então, voltando-se contra Moisés,
eles estavam se levantando contra o próprio Deus.

Do mesmo modo, aqui no Salmo 2, Davi é um representante de
Deus porque ele é seu ungido (messias). Todos os profetas,
sacerdotes e príncipes de Israel eram messias (ungidos). Moisés
era profeta e Davi era príncipe, então, os dois eram messias de
Deus.

Salmos 2:3
Rompamos as suas ataduras, e sacudamos de nós as suas cordas.

72
Todas as nações estavam sob o domínio de Davi porque ele fazia
o que era justo perante Deus, ou seja, obedecia à lei e os
mandamentos (Assassinando a todos com religiões contrárias).

Salmos 2:4-7
4 - Aquele que habita nos céus se rirá; o Senhor zombará deles. 5 -
Então lhes falará na sua ira, e no seu furor os turbará. 6 - Eu, porém,
ungi o meu Rei sobre o meu santo monte de Sião. 7 - Proclamarei o
decreto: o Senhor me disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei.

Isto é uma forma poética. Não significa que Deus concebeu a Davi
hoje, mas sim que Deus iniciou Davi pelas qualidades de seu
coração, tanto que, de todos os filhos de Jessé, Deus escolheu o
último, porque o coração de Davi era conforme Deus. Seu coração
era ideal para servir a Deus. (Obs: como os religiosos eram
também políticos, “servir a Deus” significa sempre “servir os
religiosos”, obviamente)

O coração de Saul, o primeiro príncipe de Israel, não era ideal
para servir a Deus (E Deus não sabia, só descobru depois) , por
isso ele foi cortado e substituído por Davi, além de ser
atormentado por “espíritos maus da parte do Senhor”.

Sabemos que Davi era da tribo de Judá, que é uma das doze tribos
de Israel, portanto, quando Deus disse “tu és meu filho, eu hoje
te gerei”, ele quer dizer que Davi é seu filho no sentido de que o
povo de Israel é seu primogênito e recebeu a porção em dobro.
Dentro de Israel, a casa de Davi (Judá e Levi) também recebeu o
dobro da porção.

Salmos 2:8-12
8 - Pede-me, e eu te darei os gentios por herança, e os fins da terra
por tua possessão. 9 - Tu os esmigalharás com uma vara de ferro; tu
os despedaçarás como a um vaso de oleiro. 10 - Agora, pois, ó reis,
73
sede prudentes; deixai-vos instruir, juízes da terra. 11 - Servi ao
Senhor com temor, e alegrai-vos com tremor. 12 - Beijai o Filho, para
que se não ire, e pereçais no caminho, quando em breve se acender
a sua ira; bem-aventurados todos aqueles que nele confiam.

Isto não se refere Jesus porque ele, supostamente, é um ser
divino, um homem-deus e este verso fala de um ser humano
comum, que está em harmonia com Deus e ensina a sua lei.
Quando as pessoas estão de acordo com ele, não é nele que estão
confiando e sim em Deus.

2 - O que Deus disse de Davi em 2 Samuel:

2 Samuel 7:8-9
8 - Agora, pois, assim dirás ao meu servo Davi: Assim diz o Senhor
dos Exércitos: Eu te tomei da malhada, de detrás das ovelhas, para
que fosses o soberano sobre o meu povo, sobre Israel. 9 - E fui
contigo, por onde quer que foste, e destruí a teus inimigos diante de
ti; e fiz grande o teu nome, como o nome dos grandes que há na terra.

Isto é o mesmo que diz o Salmo 2.

2 Samuel 7:10
E prepararei lugar para o meu povo, para Israel, e o plantarei, para
que habite no seu lugar, e não mais seja removido, e nunca mais os
filhos da perversidade o aflijam, como dantes,

Depois do reino de Davi e de Salomão, o povo foi removido da
terra de Israel pelos seus pecados várias vezes, e seus inimigos
os afligiram, então, este verso está falando do futuro.

2 Samuel 7:11-12
11 - E desde o dia em que mandei que houvesse juízes sobre o meu
povo Israel; a ti, porém, te dei descanso de todos os teus inimigos;
74
também o Senhor te faz saber que te fará casa. 12 - Quando teus dias
forem completos, e vieres a dormir com teus pais, então farei levantar
depois de ti um dentre a tua descendência, o qual sairá das tuas
entranhas, e estabelecerei o seu reino.

Isto não se refere a Jesus porque ele foi concebido pelo espírito
santo, portanto, não era filho de José), então, não era
descendente carnal de Davi, pois não procedia dele.

O verso está dizendo que ele vai morrer, assim como os pais dele
e como todo ser hmano morre. O messias não é um ser divino,
como dizem de Jesus.

2 Samuel 7:13
Este edificará uma casa ao meu nome, e confirmarei o trono do seu
reino para sempre.

Isto não se refere a Jesus porque ele não edificou nenhum templo
a Deus.

2 Samuel 7:14
Eu lhe serei por pai, e ele me será por filho; e, se vier a transgredir,
castigá-lo-ei com vara de homens, e com açoites de filhos de homens.

Deus é pai para todas as nações da terra (segundo a mitologia
judaica), mas ele escolheu somente os israelitas e ele pune os
seus escolhidos.

Amós 3:2
"Escolhi apenas vocês de todas as famílias da terra; por isso eu os
castigarei por causa de todas as suas maldades (desobediência à lei)".

Então, este verso não pode estar se referindo a Jesus porque,
segundo o Novo Testamento, ele nunca cometeu iniquidade, ele

75
jamais violou a lei e nunca cometeu pecado. Ele mesmo disse que
não veio para revogar a lei e sim para cumprir.

Voltemos a Samuel:

2 Samuel 7:15-16
15 - Mas a minha benignidade não se apartará dele; como a tirei de
Saul, a quem afastei antes de ti. 16 - Porém a tua casa e o teu reino
serão firmados para sempre diante de ti; teu trono será firme para
sempre.

Aqui, apenas nestes dois versículos, os dois messias: o cristão e
o judaico são exterminados, pois o trono de Davi não existe mais
porque Israel não é mais uma teocracia ou tribo comandada pelos
herdeiros de Davi ou reis há 2700 anos. Obviamente que as
desculpas inventadas são tão numerosas quanto engraçadas tipo:
que Deus vai recriar teocracias (tanto com o messias judaico
quanto com Jesus) ou que elas existem no céu ou na eternidade,
porém a verdade é que aqui na terra o trono de Davi é só uma
fábula bíblica e nada mais que isso.

2 Samuel 7:8-16 está falando de Davi. Não há um verso sequer
que cite o nome de Jesus. Ele é um mito do novo testamento que
foi escrito por homens que não eram israelitas e não eram
profetas do deus israelita, e o deus de Israel fala somente através
de seus profetas israelitas.

1 Reis 5:1-3
1 - E enviou Hirão, rei de Tiro, os seus servos a Salomão (porque
ouvira que ungiram a Salomão rei em lugar de seu pai), porquanto
Hirão sempre tinha amado a Davi. 2 - Então Salomão mandou dizer a
Hirão: 3 - Bem sabes tu que Davi, meu pai, não pôde edificar uma
casa ao nome do Senhor seu Deus, por causa da guerra com que o

76
cercaram, até que o Senhor pôs seus inimigos debaixo das plantas dos
seus pés.

Este verso, por si só, já prova que é de Davi que o Salmo 2 está
falando. Salmo 2:3 diz que todas as nações estavam atadas pelos
nós de Davi, ou seja, estavam debaixo das plantas de seus pés,
estavam sob o seu domínio.

1 Reis 5:4-7
4 - Porém agora o Senhor meu Deus me tem dado descanso de todos
os lados; adversário não há, nem algum mau encontro. 5 - E eis que
eu intento edificar uma casa ao nome do Senhor meu Deus, como
falou o Senhor a Davi, meu pai, dizendo: Teu filho, que porei em teu
lugar no teu trono, ele edificará uma casa ao meu nome. 6 - Dá ordem,
pois, agora, que do Líbano me cortem cedros, e os meus servos
estarão com os teus servos, e eu te darei o salário dos teus servos,
conforme a tudo o que disseres; porque bem sabes tu que entre nós
ninguém há que saiba cortar a madeira como os sidônios. 7 - E
aconteceu que, ouvindo Hirão as palavras de Salomão, muito se
alegrou, e disse: Bendito seja hoje o Senhor, que deu a Davi um filho
sábio sobre este tão grande povo.

Bem, para qualquer um que tenha capacidade de entendimento,
o que vimos até aqui é mais que suficiente para ter certeza de que
Salmos 2 não está falando de Jesus.

77
3 - Salmo 16 não fala de Jesus

Pedro também argumentou que Davi tivesse predito a
ressurreição de Cristo:

Atos 2:25-27
“25.Porque dele fala Davi: Sempre via diante de mim o Senhor, porque
está à minha direita, para que eu não seja abalado; 26.por isso se
alegrou o meu coração, e a minha língua exultou; e além disso a minha
carne há de repousar em esperança; 27.pois não deixarás a minha
alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja a corrupção;”

Salmos 16:10
Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu
Santo veja corrupção.

O que está escrito no Salmo 16 é um hino em que Davi expressava
a sua confiança no seu deus, que não o desampararia, dizendo no
versículo 10: “Pois não deixarás a minha alma no Seol, nem
permitirás que o teu Santo veja corrupção.” Nada indica ser uma
predição referente a uma pessoa do futuro.

Além das adaptações de textos para transformar Jesus no
messias, a nova doutrina, “ressurreição dos mortos”, pareceu
muito atraente aos religiosos. E, assim, os cristãos conseguiram
convencer muita gente e, com o passar dos séculos, até o
imperador romano acreditou na história e se tornou cristão,
preparando o caminho para o cristianismo sanguinário que
vigorou na Roma papal.

78
4 - Salmo 22 não fala de Jesus

1 - Marcos 15:34 e Mateus 27:46

Neste salmo, Davi está deprimido e recorre a Deus, lembrando-
lhe as promessas relativas aos justos. Primeiro ele fala do seu
sofrimento, depois da esperança, onde a salvação é certa e já está
próxima (porém depois de 3000 anos nada ainda), por isso ele
convida o povo a se juntar a ele em louvor a Deus.

Salmos 22:1
Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas
do meu auxílio e das palavras do meu bramido?

Observe também que este Salmo foi plagiado descaradamente
pelo Novo Testamento:

Marcos 15:34
E, à hora nona, Jesus exclamou com grande voz, dizendo: Eloí, Eloí,
lamá sabactâni? que, traduzido, é: Deus meu, Deus meu, por que me
desamparaste?
Mateus 27:46
E perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli,
lamá sabactâni; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me
desamparaste?

2 - Leia este Salmo escrito por Davi:

Salmos 37:25
Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem
a sua semente a mendigar o pão.

79
Então, se Jesus se queixou a Deus por tê-lo desamparado, isto
significa que ele não era justo, ou seja, ele era um pecador. Esta
é mais uma das centenas de contradições do novo testamento.

Este verso não pode se referir a Jesus porque, de acordo com o
próprio novo testamento, ele já sabia que seria crucificado e que
isso seria necessário para “salvação da humanidade”. Ele já
estava devidamente preparado para ser sacrificado e aceitou
numa boa porque ele era o “servo sofredor” que caminhou em
silêncio para o matadouro, o justo.

Nem mesmo os próprios evangelhos concordam sobre quais foram
as últimas palavras de Jesus, na cruz:

Mateus 27:46
E perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli,
lamá sabactâni; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me
desamparaste?
Lucas 23:46
E, clamando Jesus com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego
o meu espírito. E, havendo dito isto, expirou.
Marcos 15:34
E, à hora nona, Jesus exclamou com grande voz, dizendo: Eloí, Eloí,
lamá sabactâni? que, traduzido, é: Deus meu, Deus meu, por que me
desamparaste?
João 19:30
E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E,
inclinando a cabeça, entregou o espírito.

É óbvio que não há relação alguma do Salmo 22:1 com o falso
messias do novo testamento, pois o Salmo não está de acordo
com o seu perfil. Este verso é um grito desesperado do rei Davi
que, num momento de angústia, pensa que Deus não tem ouvido

80
suas orações e se sente abandonado ... plagiado por Jesus na
cruz.

Salmos 22:2
Deus meu, eu clamo de dia, e tu não me ouves; de noite, e não tenho
sossego.

Repare que ele diz que clama de dia e de noite, mas Deus não
responde. Qual a passagem do novo testamento que relata que o
altíssimo deixou de falar com o “seu próprio filho”? De acordo com
o novo testamento, Jesus tinha uma ligação direta e imediata com
o criador.

Salmos 22:3-4
3 - Porém tu és santo, tu que habitas entre os louvores de Israel. 4 -
Em ti confiaram nossos pais; confiaram, e tu os livraste.

Neste verso, Davi está dizendo que os antigos israelitas confiaram
em Deus e ele os livrou. Isto não pode se referir a Jesus porque
diz “nossos pais confiaram em ti” e o novo testamento diz que o
pai dele era o próprio altíssimo.

Salmos 22:5-6
5 - A ti clamaram e escaparam; em ti confiaram, e não foram
confundidos. 6 - Mas eu sou verme, e não homem, opróbrio dos
homens e desprezado do povo.

Jesus nunca foi chamado de verme.

Quando o rei Davi disse verme, ele estava fazendo uma referência
metafórica a pessoas. Esta não é a única vez que as escrituras se
referem aos homens como vermes. Isaías compara o povo de
Israel a um verme:

81
Isaías 41:14
Não temas, tu verme de Jacó, povozinho de Israel; eu te ajudo, diz o
Senhor, e o teu redentor é o Santo de Israel.

Bildade, um dos amigos de Jó, refere-se ao homem como um
verme:

Jó 25:6
E quanto menos o homem, que é um verme, e o filho do homem, que
é uma larva!

No Salmo 22:6, o rei Davi usa esta metáfora descrevendo a
situação de seu próprio povo.

 A metáfora sobre o verme se encaixa a Jesus?
 Não!

Ele também não era “desprezado do povo” porque multidões o
seguiam e ele era muito estimado.

Salmos 22:7
Todos os que me vêem zombam de mim, estendem os lábios e
meneiam a cabeça, dizendo:

Isto não se refere a Jesus porque as pessoas não zombavam dele,
pelo contrário, se admiravam do seu conhecimento e poder de
fazer milagres.

Salmos 22:8
Confiou no Senhor, que o livre; livre-o, pois nele tem prazer.

82
Isto só aconteceu com Jesus uma vez, momentos antes de sua
morte. Mas se Jesus é Deus:

 Confiou no Senhor que é ele mesmo e que livre a si
mesmo?

Salmos 22:9-10
Contudo, tu mesmo me tiraste do ventre; deste-me segurança junto
ao seio de minha mãe.10 - Desde que nasci fui entregue a ti; desde o
ventre materno és o meu Deus.

Se Jesus fosse realmente filho do criador, não faria sentido algum
dizer isso ao próprio pai, uma vez que os cristiãos alegam que ele
vivia com o pai e o ajudou a criar o mundo antes de nascer de
Maria e que tinha conciência de tudo o que se passara. E se Jesus
é Deus, estaria falando consigo mesmo?

Salmos 22:12
Muitos touros me cercam, sim, rodeiam-me os poderosos de Basã.
Salmos 22:16
Pois me rodearam cães; o ajuntamento de malfeitores me cercou,
traspassaram-me as mãos e os pés.

As traduções cristãs usam a palavra “traspassaram”, mas a
escritura hebraica diz “ka’ari”, portanto, a expressão correta seria
“como um leão”.

O verso ficaria assim:

 “Pois me rodearam cães; o ajuntamento de malfeitores me
cercou; ... atacam meus pés e minhas mãos como um
leão”.

83
Há uma grande discrepância entre a escritura hebraica e a
tradução cristã. Para descrever o ato de traspassar, as escrituras
hebraicas utilizam vários verbos:

 Daqar (Zacarias 12:10),
 Hadar (Ezequiel 21:19),
 Naqav (Habacuque 3:14),
 Palah (Jó 16:13),
 Ratsa (Êxodo 21:6).

Mas nunca o termo “ka’ari”. Este termo aparece em Números
23:24, Números 24:9, Isaías 38:13 e Ezequiel 22:25, e é
traduzido corretamente em todos estes casos.

1. Os tradutores cristãos substituíram o termo “ka’ari” por
“traspassaram” somente no Salmo 22:16.
2. É lógico que este foi um erro mal-intencionado para
esquentar o mito de Jesus.

Salmos 22:17-18
17 - Posso contar todos os meus ossos, mas eles me encaram com
desprezo. 18 - Dividiram as minhas roupas entre si, e tiraram sortes
pelas minhas vestes.

Para dar credibilidade bíblica ao falso messias Jesus, o novo
testamento tenta encaixar este verso, dizendo que é o
cumprimento de uma profecia a respeito dele.

João 19:23-24
23 - Tendo, pois, os soldados crucificado a Jesus, tomaram as suas
vestes, e fizeram quatro partes, para cada soldado uma parte; e
também a túnica. A túnica, porém, tecida toda de alto a baixo, não
tinha costura.24 - Disseram, pois, uns aos outros: Não a rasguemos,
mas lancemos sortes sobre ela, para ver de quem será. Para que se

84
cumprisse a Escritura que diz: Repartiram entre si as minhas vestes,
E sobre a minha vestidura lançaram sortes. Os soldados, pois, fizeram
estas coisas.

Nota engraçada: Aqui o próprio texto explica que foi produzido para
combinar com a escritura mais antiga, neste caso Salmos 22:17-18.

Mas o verso 18 apenas está descrevendo o verso 17. Davi está
contando seus ossos enquanto aqueles que estão tomando suas
vestes o encaram, tripudiando. Davi usa o ato de tomar sua túnica
como uma referência metafórica aos desejos dos seus inimigos de
tomar-lhe o manto da realeza.

 Neste verso, o rei Davi está falando de sua própria vida.
 O capítulo inteiro fala do rei Davi.

Salmos 22:21
Salva-me da boca dos leões, e dos chifres dos bois selvagens. E tu me
respondeste.

Sim, Deus respondeu a Davi porque ele não foi morto. Isto não
pode se referir a Jesus porque ele foi morto pelas mãos de seus
inimigos.

 Isto não é uma profecia referente a Jesus. Este salmo é um
relato histórico e se refere ao próprio rei Davi.

Salmos 22:22
Então declararei o teu nome aos meus irmãos; louvar-te-ei no meio
da congregação.

O novo testamento falsifica este verso (como faz com centenas de
outros) na epístola aos hebreus para tentar justificar a morte do

85
seu falso messias e nos convencer de que ele morreu para salvar
a humanidade.

Hebreus 2:12
Dizendo:Anunciarei o teu nome a meus irmãos, Cantar-te-ei louvores
no meio da congregação.

Mas é o rei Davi quem está falando no verso 22 e no Salmo inteiro.
O rei Davi está falando em louvar a Deus pelo seu socorro, auxílio
e misericórdia (o que não aconteceu com Jesus, pois foi
abandonado na cruz). Este é um assunto abordado diversas
vezes, pelo rei Davi (Salmo 9:1-3 / Salmo 54:6-7 / Salmo 61:8 /
Salmo 69:31).

Salmos 9:1-3
Eu te louvarei, Senhor, com todo o meu coração; contarei todas as
tuas maravilhas. Em ti me alegrarei e saltarei de prazer; cantarei
louvores ao teu nome, ó Altíssimo. Porquanto os meus inimigos
retornaram, caíram e pereceram diante da tua face.
Salmos 54:6-7
Eu te oferecerei voluntariamente sacrifícios; louvarei o teu nome, ó
Senhor, porque é bom, Pois me tem livrado de toda a angústia; e os
meus olhos viram o meu desejo sobre os meus inimigos.
Salmos 61:8
Assim cantarei louvores ao teu nome perpetuamente, para pagar os
meus votos de dia em dia.
Salmos 69:30-31
Louvarei o nome de Deus com um cântico, e engrandecê-lo-ei com
ação de graças. Isto será mais agradável ao Senhor do que boi, ou
bezerro que tem chifres e unhas.

Apenas mais uma falsificação do Novo Testamente desmascarada.

Salmos 22:24

86
Porque não desprezou nem abominou a aflição do aflito, nem
escondeu dele o seu rosto; antes, quando ele clamou, o ouviu.

David está dizendo que Deus nunca abandonou seus filhos. Ele
sempre deu assistência, atendeu suas súplicas e os socorreu nos
momentos difíceis. Então isto não pode estar se referindo a Jesus,
porque ele era filho de um deus que o abandonou e o entregou à
morte, como um sacrifício humano, para pagar pelos pecados dos
outros.

87
5 - Salmo 35 não fala de Jesus

1 - João 15:25

Este é outro Salmo utilizado para dar crédito ao falso messias do
novo testamento, mas que não se trata de uma profecia e sim de
um relato histórico referente ao rei Davi.

João 15:25
Mas é para que se cumpra a palavra que está escrita na sua lei:
Odiaram-me sem causa.

Nota: Aqui, de novo, o próprio texto confessa que foi fabricado para
combinar com outro, ou seja: é uma tentativa de forçar o
cumprimento do outro texto totalmente fora do seu contexto.

O Salmo 35:19 foi encaixado neste verso para esquentar o falso
messias do novo testamento.

Salmos 35:19
Não se alegrem os meus inimigos de mim sem razão, nem acenem
com os olhos aqueles que me odeiam sem causa.

Isto não se refere a Jesus. Davi está pedindo a Deus para ajudá-
lo contra seus falsos amigos, que traíram sua amizade.

Salmos 35:7-9
7 - Pois sem causa me armaram ocultamente um laço; sem razão
cavaram uma cova para a minha vida. 8 - Sobrevenha-lhes
inesperadamente a destruição, e prenda-os o laço que ocultaram;
caiam eles nessa mesma destruição. 9 - Então minha alma se
regozijará no Senhor; exultará na sua salvação.

88
A lenda de Jesus diz que ele era filho do criador e o chamava de
pai, mas o autor do verso, Davi, o chama de Deus. Ele diz que sua
alma se deleitará na salvação de Deus, mas Jesus não foi salvo,
ele foi morto pelos seus inimigos.

Salmos 35:10-11
Todos os meus ossos dirão: Ó Senhor, quem é como tu, que livras o
fraco daquele que é mais forte do que ele? sim, o pobre e o
necessitado, daquele que o rouba. 11 - Levantam-se testemunhas
maliciosas; interrogam-me sobre coisas que eu ignoro.

Isto não pode estar se referindo a Jesus porque ele sempre soube
responder todas as perguntas e, sendo Deus, não há nada que
ignore ... ou há?

Salmos 35:12-13
Tornam-me o mal pelo bem, causando-me luto na alma.
13 - Mas, quanto a mim, estando eles enfermos, vestia-me de cilício,
humilhava-me com o jejum, e orava de cabeça sobre o peito.

Davi está dizendo que fazia jejum e orava pelos seus amigos
enfermos. Isto não pode estar se referindo a Jesus porque ele
curaria os enfermos imediatamente em vez de orar a si mesmo
para curá-los, sendo Deus.

Salmos 35:14-19
14 - Portava-me como o faria por meu amigo ou meu irmão; eu
andava encurvado e lamentando-me, como quem chora por sua mãe.
15 - Mas, quando eu tropeçava, eles se alegravam e se congregavam;
congregavam-se contra mim, homens miseráveis que eu não
conhecia; difamavam-me sem cessar. 16 - Como hipócritas
zombadores nas festas, rangiam os dentes contra mim. 17 - Ó Senhor,
até quando contemplarás isto? Livra-me das suas violências; salva a

89
minha vida dos leões! 18 - Então te darei graças na grande
assembléia; entre muitíssimo povo te louvarei. 19 - Não se alegrem
sobre mim os que são meus inimigos sem razão, nem pisquem os
olhos aqueles que me odeiam sem causa.
Salmos 35:22-23
Tu, Senhor, o viste, não te cales; Senhor, não te alongues de mim.
23 - Acorda e desperta para o meu julgamento, para a minha causa,
Deus meu, e Senhor meu.
Salmos 35:26-27
26 - Envergonhem-se e confundam-se à uma os que se alegram com
o meu mal; vistam-se de vergonha e de confusão os que se
engrandecem contra mim. 27 - Cantem de júbilo e se alegrem os que
desejam a minha justificação, e digam a minha justificação, e digam
continuamente: Seja engrandecido o Senhor, que se deleita na
prosperidade do seu servo.

Ele se diz servo de Deus, mas Jesus nunca se disse servo de Deus
e sim filho. É óbvio que o Salmo inteiro se refere a um fato
histórico referente a Davi. Não é uma profecia referente ao falso
messias do novo testamento.

90
6 - Salmos 41:9 não fala de Jesus

1 - Mateus 26:24

Mateus 26:24
O Filho do homem vai-se, segundo está escrito a seu respeito, mas ai
daquele por quem o Filho do homem é traído! melhor fora para esse
homem se não houvesse nascido.

Apenas uma tentativa desonesta de ligar o versículo ao Salmo
41:9, para dar crédito ao falso messias do novo testamento,
porém basta ler 2 Samuel do capítulo 15 ao 20 para entender que
este salmo se refere ao próprio rei Davi reclamando da traição de
seu conselheiro, Aitofel.

2 Samuel 15:4-7
4 - Dizia mais Absalão: Ah, quem me dera ser constituído juiz na terra!
para que viesse ter comigo todo homem que tivesse demanda ou
questão, e eu lhe faria justiça. 5 - Sucedia também que, quando
alguém se chegava a ele para lhe fazer reverência, ele estendia a mão
e, pegando nele o beijava. 6 - Assim fazia Absalão a todo o Israel que
vinha ao rei para juízo; desse modo Absalão furtava o coração dos
homens de Israel. 7 - Aconteceu, ao cabo de quatro anos, que Absalão
disse ao rei: Deixa-me ir pagar em Hebrom o voto que fiz ao Senhor.
2 Samuel 15:11-12
E de Jerusalém foram com Absalão duzentos homens que tinham sido
convidados; mas iam na sua simplicidade, pois nada sabiam daquele
desígnio. 12 - Também Absalão, enquanto oferecia os seus sacrifícios,
mandou vir da cidade de Siló, Aitofel, o gilonita, conselheiro de Davi.
E a conspiração tornava-se poderosa, crescendo cada vez mais o
número do povo que estava com Absalão.
2 Samuel 17:1-2
Disse mais Aitofel a Absalão: Deixa-me escolher doze mil homens, e
me levantarei, e perseguirei a Davi esta noite. 2 - Irei sobre ele,
91
enquanto está cansado, e fraco de mãos, e o espantarei: então fugirá
todo o povo que está com ele. Ferirei tão-somente o rei;

É desta traição de Aitofel, que Davi se queixa no salmo 41.

Salmos 41:9
Até o meu próprio amigo íntimo em quem eu tanto confiava, e que
comia do meu pão, levantou contra mim o seu calcanhar.

Este salmo não pode se referir a Jesus porque ele sabia que seria
traído e nunca confiou em Judas.

92
7 - Salmo 78 não fala de Jesus

1 - Mateus 13:34-35

Mateus 13:34-35
Todas estas coisas falou Jesus às multidões por parábolas, e sem
parábolas nada lhes falava; 35 - para que se cumprisse o que foi dito
pelo profeta: Abrirei em parábolas a minha boca; publicarei coisas
ocultas desde a fundação do mundo.

Mais uma vez, o novo testamento usa um verso isolado do tanak,
para tentar esquentar seu falso messias. Vamos ver de que
realmente se trata o salmo 78.

Salmos 78:1
Escutai a minha lei (Torá), povo meu; inclinai os vossos ouvidos às
palavras da minha boca.

Observe que yah está mandando escutar a sua torá e não a brit
chadashah / novo testamento ou qualquer outra coisa estranha
ao revelado no sinai. Ele manda dar ouvidos à sua palavra e não
à palavra de jesus. Deus exorta seu povo a ouvir e praticar a sua
lei. É disso que fala o salmo inteiro. Veja:

Salmos 78:2
Abrirei a minha boca numa parábola; falarei enigmas da antiguidade.

Deus não está dizendo que vai enviar alguém que falará coisas
que ninguém entende (como jesus, quando fala em paráboles e
nem seus apóstolos entendem). Pelo contrário, ele está dizendo

93
que vai publicar sinais, maravilhas e tudo o que ele fez por seu
povo; coisas que os nossos ancestrais sabiam e até presenciaram,
mas que foram esquecidas e as gerações posteriores tomariam
conhecimento, entenderiam e divulgariam. Basta ler o restante do
capítulo para entender que é isso que Deus está dizendo.

Salmos 78:3-5
3 - Os quais temos ouvido e sabido, e nossos pais no-los têm contado.
4 - Não os encobriremos aos seus filhos, mostrando à geração futura
os louvores do Senhor, assim como a sua força e as maravilhas que
fez. 5 - Porque ele estabeleceu um testemunho em Jacó, e pôs uma
lei em Israel, a qual deu aos nossos pais para que a fizessem conhecer
a seus filhos;

Deus disse isso porque ele deu a lei aos israelitas ancestrais e, no
princípio, eles a guardaram, mas com o tempo, foram
desobedecendo, se rebelando e se distanciando até que
abandonaram. Por isso foram castigados pela desobediência e
idolatria. Mas Deus, como é misericordioso, os perdoou e quer que
seu povo regresse, então, lhes deu esta ordem.

Salmos 78:6-8
6 - Para que a soubesse a geração vindoura, a saber, os filhos que
houvessem de nascer, Os quais se levantassem e as contassem a seus
filhos; 7 - A fim de que pusessem a sua confiança em Deus, E não se
esquecessem das obras de Deus, Mas guardassem os seus
mandamentos: 8 - E que não fossem como seus pais, Geração
contumaz e rebelde; Geração que não regeu bem o coração, E cujo
espírito não foi fiel a Deus.

O capítulo inteiro fala para o povo dar ouvidos à palavra de Deus,
retornar a ele, ler a sua torá e obedecer sua lei. Basta ler o
capítulo todo para entender isso.

94
8 - Salmo 110 não fala de Jesus

Em Salmos 110:1 está escrito o seguinte:

Salmos 110:1
Disse o SENHOR ao meu Senhor: Assenta-te à minha mão direita, até
que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés.

Para interpretarmos corretamente o versículo Salmos 110:1,
precisamos ler todo o capítulo 110 do livro de Salmos, onde está
escrito o seguinte:

Salmos 110:1-7
1 - Disse o SENHOR ao meu Senhor: Assenta-te à minha mão direita,
até que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés. 2 - O
Senhor enviará o cetro da tua fortaleza desde Sião, dizendo: Domina
no meio dos teus inimigos. 3 - O teu povo será mui voluntário no dia
do teu poder; nos ornamentos de santidade, desde a madre da alva,
tu tens o orvalho da tua mocidade. 4 - Jurou o Senhor, e não se
arrependerá: tu és um sacerdote eterno, segundo a ordem de
Melquisedeque.
5 - O Senhor, à tua direita, ferirá os reis no dia da sua ira.
6 - Julgará entre os gentios; tudo encherá de corpos mortos;
ferirá os cabeças de muitos países. 7 - Beberá do ribeiro no
caminho, por isso exaltará a cabeça.

No Salmo 110 Deus fala a respeito do messias, o rei de Israel
descendente de Davi.

Em Salmos 110:1, Davi chama o messias de meu Senhor porque,
a partir do momento em que Davi abdicou do reino em favor do

95
seu filho Salomão, como vemos em 1 Reis 1:32-40, ele passou a
ser súdito do rei Salomão, e por isso passou a chamá-lo de
Senhor, e futuramente, quando o messias, descendente de Davi,
se tornar o rei de Israel, Davi também será seu súdito, e por isso
ele o chama de Senhor.

Em Salmos 110:1 está escrito que Deus disse ao messias, o rei
de Israel, descendente de Davi: Assenta-te à minha direita, até
que eu ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés. Isto
significa que Deus estará ao lado do messias, o rei de Israel, para
lhe dar vitória nas guerras contra todos os seus inimigos. Vemos
isto também nos versículos 5 e 6 do Salmo 110, onde está escrito
que Deus estará à direita do messias, o rei de Israel, e ferirá reis
no dia da Sua ira, e julgará entre as nações e encherá de
cadáveres, e ferirá cabeça sobre terra grande.

Os cristãos dizem que o versículo Salmos 110:1 significa que o
messias deveria subir para o céu e ali se assentar à direita de
Deus, mas esta interpretação deles não está correta, porque em
Salmos 110:2 Deus disse para o messias se assentar à Sua direita
até que Deus ponha os seus inimigos por escabelo dos seus pés,
o que mostra que o messias vai se assentar à direita de Deus ao
mesmo tempo em que guerreia contra os seus inimigos, e para
guerrear contra os seus inimigos ele tem que estar na terra.
Vemos em Salmos 110:5-6 que Deus estará à direita do messias,
o rei de Israel, enquanto ele guerreia contra os reis das nações, o
que também mostra que o messias estará na terra quando se
assentar à direita de Deus, e Deus estiver à sua direita. Alem
disso, em Salmos 110:2 está escrito que Deus enviará de Sião, ou
seja, de Jerusalém, o cetro do poder do messias, e mandará que
ele domine no meio dos seus inimigos, o que também mostra que
o messias estará na terra, e não no céu quando ele se assentar à
direita de Deus.

96
Deus disse que o Messias vai se assentar à Sua direita porque
Deus estará ao lado do messias, para lhe dar vitória nas guerras
contra todos os seus inimigos, e também porque o palácio do
rei de Israel, em Jerusalém, fica perto do Templo de Deus,
em Jerusalém, de modo que o rei de Israel, ao se assentar
no seu trono, fica assentado à direita de Deus.

Além disso, em Salmos 110:7 está escrito que o Messias, durante
estas guerras, no caminho beberá do ribeiro, o que também
comprova que o messias estará na terra, e não no céu, quando
ele se assentar à direita de Deus e guerrear contra os seus
inimigos.

João Paulo Fernandes Pontes

97
9 - Salmo 118 não fala de Jesus

1 - Atos 4:11

Atos 4:11
Este Jesus é ‘a pedra que vocês, construtores, rejeitaram, e que se
tornou a pedra angular’.

O novo testamento tentou conectar este verso ao salmo 118 para
dar crédito ao falso messias.

Salmos 118:22-23
A pedra que os edificadores rejeitaram tornou-se a cabeça da esquina.
23 - Da parte do Senhor se fez isto; maravilhoso é aos nossos olhos.

Se você entende este salmo como uma profecia a respeito de
alguém rejeitado, ele só pode se referir aos israelitas e nunca a
jesus por que:

1. Somente os israelitas foram rejeitados por todos os
impérios da história
2. Os romanos rejeitaram os israelitas, mas idolatravam jesus
3. As nações do mundo rejeitam os israelitas (negros e índios)
até hoje, mas idolatram jesus.

Este salmo expressa gratidão e confiança em Deus, que é o único
salvador (Contra ele mesmo?).

Salmos 118:1
Dai graças ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua benignidade
dura para sempre.
Salmos 118:5

98
Do meio da angústia invoquei o Senhor; o Senhor me ouviu, e me pôs
em um lugar largo.
Salmos 118:8
É melhor refugiar-se no Senhor do que confiar no homem.
Salmos 118:10-12
10 - Todas as nações me cercaram, mas em nome do Senhor eu as
exterminei. 11 - Cercaram-me, sim, cercaram-me; mas em nome do
Senhor eu as exterminei. 12 - Cercaram-me como abelhas, mas
apagaram-se como fogo de espinhos; pois em nome do Senhor as
exterminei.

Isto é um relato histórico referente ao rei Davi. Jesus não destruiu
nação alguma. Ele foi morto pelos seus inimigos enquanto as
nações estão oprimindo o povo até hoje.

Salmos 118:14-18
14 - O Senhor é a minha força e o meu cântico; tornou-se a minha
salvação. 15 - Nas tendas dos justos há jubiloso cântico de vitória; a
destra do Senhor faz proezas. 16 - A destra do Senhor se exalta, a
destra do Senhor faz proezas. 17 - Não morrerei, mas viverei, e
contarei as obras do Senhor. 18 - O Senhor castigou-me muito, mas
não me entregou à morte.

Davi não morreu antes de derrotar seus inimigos. Deus o castigou
severamente pelo seu pecado, mas preservou sua vida. Isso não
pode se referir a Jesus porque, de acordo com o novo testamento:

 Ele jamais foi castigado, pois não cometia pecado
 Deus não preservou sua vida. Ele foi morto pelos seus
inimigos aos 33 anos.

Leia o capítulo inteiro e verá que este Salmo não tem relação
alguma com Jesus.

99
10 - Provérbios 30 não fala de Jesus

Provérbios 30:4
Quem subiu ao céu e desceu? Quem encerrou os ventos nos seus
punhos? Quem amarrou as águas numa roupa? Quem estabeleceu
todas as extremidades da terra? Qual é o seu nome? E qual é o nome
de seu filho, se é que o sabes?

Deus não “gerou” nenhum filho, nem antes, nem após a criação.

Uma maneira de entender essa passagem é enxergá-la como uma
série de perguntas retóricas que descrevem a natureza infinita de
Deus. O propósito delas é salientar que é impossível para qualquer
mortal entender a maneira que a “mente eterna” funciona. Para
ter esse conhecimento significaria que alguém também deveria
ser capaz de realizar os seguintes feitos:

 Ascender aos céus e descer, algo que só Deus poderia fazer
(Gênesis 11:7; êxodo 19:18);
 Ajuntar o vento, um ato que só poderia vir de Deus (Amós
4:13, Salmos 135:7);
 Envolver as águas como em uma vestimenta, assim como
Deus armazena a água das nuvens para as chuvas, sem a
qual não há existência (jó 26:8);
 Estabelecer os limites da terra como lugar de habitação
humana, separado dos oceanos, assim como Deus fez na
criação (Gênesis 1:9-10).

Algum mortal poderia fazer isto? Se os messiânicos dizem que
Jesus poderia, alguns judeus consideram estes feitos como
representações metafóricas das realizações de Moisés:

100
 Quem ascendeu aos céus e depois desceu? Moisés
ascendeu aos céus, recebeu a torá e desceu com ela a terra
para entregar a Israel (Êxodo 19:3,20-25, 24:12-18,
31:18, 32:15-16, 34:1-4);
 Quem ajuntou o vento em seus punhos? Moisés controlou
o vento (Êxodo 10:13,18-19; 14:21);
 Quem ajuntou a água em um manto? Moisés limitou as
águas do mar (Êxodo 14:15-22,26-29);
 Quem estabeleceu os limites da terra? Moisés ergueu o
tabernáculo (Êxodo 40:17-18).

Quem mais, além de Moisés, faria tudo isso?

A alegação messiânica atribui a subida e descida aos céus a Jesus
e mais ninguém, mesmo que o texto de Provérbios 30:4 não seja
diretamente referenciado nem citado no novo testamento. Isto
pressupõe a divindade de Jesus e sua encarnação humana como
homem, mas que já foi refutada em vários lugares.

Embora o cristianismo considere o aparecimento de Jesus como
homem, representando a primeira questão como sendo “descido
[do céu]”, para fazer parte do advento messiânico, as ações
abrangidas pelas perguntas restantes no primeiro segmento do
verso foram preenchidas no tempo da criação, milhares de anos
antes do início da era cristã. A impossibilidade desta passagem
falar de Jesus torna-se muito mais evidente quando analisamos o
segundo segmento do verso.

 “Qual é o seu nome?”

Esta é uma pergunta sarcástica pela qual alguém indaga: “se você
afirma que qualquer homem possui esses poderes, então quem é
ele?”

101
 “Qual é o nome de seu filho?”

Isto é ainda mais sarcástico, onde alguém pergunta: “Se você
alega que tal pessoa existiu, deixe-me testar seu conhecimento
sobre ele, além de seu nome, o que mais sabe sobre ele? Como
se chama o filho dele?”

Se o autor deste provérbio estivesse se referindo a Deus, no verso
4, a pergunta “qual é o seu nome?” seria retórica uma vez que a
maioria das pessoas sabe o nome do criador em sua própria língua
(e religião). Assim, a mensagem transmitida por este sarcasmo é
que não há mortal que consiga realizar tais coisas. Além disso,
não se diz que “o filho” fez qualquer uma das realizações
mencionadas, mas sim, obras que o próprio criador faz.

As perguntas testam o conhecimento de alguém que afirme
conhecer alguém que realize estas obras:

 “Qual é o seu nome e qual é o nome de seu filho, se
souberes?”

Esta é a tradução, em língua portuguesa, de uma expressão
hebraica “mah-shmo” - qual o nome dele –, que pode ser
parafraseada desta forma:

“Se você nos disser que já houve alguém como ele [o indivíduo de
cujas perguntas falam], então, diga-nos qual é o nome de seu
filho. Identifique a família que nasceu a partir dele e saberemos
quem ele é”.

 Portanto, a questão aqui não é quem é o filho dele ou de
quem é esse filho. A questão é sobre quem é esse alguém,
e sobre a identificação desse indivíduo.

102
A alegação messiânica tenta atribuir a Jesus a realização das
expressões utilizadas em Provérbios 30:4 imediatamente após
seu batismo. No entanto, mesmo se uma relação “pai-filho”
estivesse implícita neste verso, não há base nas escrituras
hebraicas para suportar a doutrina messiânica de que Jesus era o
filho “gerado” por Deus ou que ele era realmente filho de Deus
literalmente, como diz o novo testamento. Na verdade, as
escrituras hebraicas contêm vários relatos de filhos de Deus:

 Israel (Êxodo 4:22, Deuteronômio 14:1, Oseias 2:1,
Oseias 11:1);
 Davi (Salmos 2:7);
 Salomão (2 Samuel 7:14, 2 Crônicas 22: 9-10).

No entanto, nenhum desses representa um filho físico (biológico)
de Deus, COMO AFIRMAM DE JESUS, pois o que o texto realmente
diz é que eles desfrutaram de uma relação especial com o criador.

 No antigo testamento cristão, não há verso algum
que diga que Jesus é filho de Deus.

Provérbios 30:4 é mais uma prova de que a “profecia messiânica”
foi o resultado de uma tentativa frustrada de encaixar relatos do
novo testamento a fim de aparecer como realizações de alegados
relatos proféticos no antigo testamento.

Também foi provado que essas falsas interpretações causadas
pela falta de compreensão correta do texto original hebraico
terminaram por desrespeitar o contexto.

Nenhuma das passagens do antigo testamento está diretamente
referenciada ou citada no novo testamento. Isso indica que elas
não foram consideradas textos messiânicos proféticos nem

103
mesmo pelos próprios autores do novo testamento. Em vez disso,
é provável que tenham se tornado “profecias messiânicas” em um
momento bem posterior a história do cristianismo.

1 - Conclusão

Provérbios 30:4 não se refere a Jesus, portanto, não é uma
profecia messiânica válida.

104
11 - Isaías 7:14 não fala de Jesus

1 - Mateus 1:18

Quando os judeus criaram o novo testamento, eles se esforçaram
para conectar Jesus, o ídolo que eles criaram a partir da mitologia,
à semente de Davi, então, o primeiro livro do novo testamento já
faz uma tentativa frustrada de nos convencer de que esse Jesus
é o messias de Israel, que os hebreus aguardavam.

Mateus 1:18
Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Que estando Maria, sua
mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter
concebido do Espírito Santo.

1. Ora, quem conhece a Torá sabe que isto é um disparate
monstruoso, pois Deus jamais daria ordem ao “espírito
santo” para pôr a semente em uma moça que está
comprometida com outro homem.
2. Outra observação é que o descendente de Davi era José e,
se Jesus era filho de Maria, que o concebeu através do
espírito santo, esta semente não é de José, portanto, não
descende de Davi.
3. E se não descende de Davi, não pode ser o messias.

Mateus 1:19-20
1 - Então José, seu marido, como era justo, e a não queria infamar,
intentou deixá-la secretamente. 20 - E, projetando ele isto, eis que
em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de
Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está
gerado é do Espírito Santo;

105
Primeiramente, o verso não diz, especificamente, que foi Deus que
deu a ordem. A palavra usada é “senhor”. Isso pode se referir a
qualquer deus.

É muito importante analisar os detalhes para que não sejamos
enganados, pois este verso condiciona a mente do leitor a pensar
que está falando do criador, mas “senhor” ou “deus” pode ser
qualquer um. Quando o criador fala, no tanak (o chamado antigo
testamento), o livro especifica desta forma:

 “Assim diz YHWH (Deus, Senhor, etc.)”.

O evangelho de Mateus foi, supostamente, escrito por um
apóstolo de Jesus. O criador não fala através de apóstolos e sim
de profetas.

Amós 3:7
Certamente o Senhor DEUS não fará coisa alguma, sem ter revelado
o seu segredo aos seus servos, os profetas.
Deuteronômio 18:15-22
15 - O Senhor teu Deus te levantará um profeta do meio de ti, de teus
irmãos, como eu; a ele ouvireis; 16 - Conforme a tudo o que pediste
ao Senhor teu Deus em Horebe, no dia da assembléia, dizendo: Não
ouvirei mais a voz do Senhor teu Deus, nem mais verei este grande
fogo, para que não morra. 17 - Então o Senhor me disse: Falaram
bem naquilo que disseram. 18 - Eis lhes suscitarei um profeta do meio
de seus irmãos, como tu, e porei as minhas palavras na sua boca, e
ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar. 19 - E será que qualquer
que não ouvir as minhas palavras, que ele falar em meu nome, eu o
requererei dele. 20 - Porém o profeta que tiver a presunção de falar
alguma palavra em meu nome, que eu não lhe tenha mandado falar,
ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá. 21 -
E, se disseres no teu coração: Como conhecerei a palavra que o
Senhor não falou? 22 - Quando o profeta falar em nome do Senhor, e
essa palavra não se cumprir, nem suceder assim; esta é palavra que
106
o Senhor não falou; com soberba a falou aquele profeta; não tenhas
temor dele.

Deuteronômio 18:15-22 e Amós 3:7 mostram que Deus fala
somente através de profetas, portanto, se um apóstolo diz coisa
semelhante, nós não temos que prestar atenção porque Deus já
nos disse (O profeta disse que ele disse.) como ele iria se
comunicar conosco.

Outro ponto a ser analisado é que, de acordo com a Torá, quando
uma mulher é tocada por um homem, o outro não pode aceitá-la
como esposa, pois desde que a mulher foi tocada por outro, ela é
mulher do outro e aquele que se contamina com a mulher do outro
está cometendo adultério, portanto, Mateus 1:19-20 contradiz
a Torá.

2 - Agora, o ponto principal:

Jesus é, supostamente, filho do espírito santo e não de José,
portanto, ele não é descendente de Davi.

 Antes de começar a analisar as profecias do chamado
antigo testamento, em primeiro lugar, o messias tem
de ser descendente de Davi segundo a carne,
geneticamente. Se ele não preenche este requisito
fundamental, nem precisamos seguir adiante, pois já
sabemos que não é, mas vamos prosseguir assim
mesmo.

Mateus 1:21-23
21 - E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele
salvará o seu povo dos seus pecados. 22 - Tudo isto aconteceu para
que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que

107
diz; 23 - Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-
lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco.

Veja como o novo testamento contradiz ridiculamente a si próprio:

 O verso 21 diz que o nome do menino será Jesus,
 Mas o verso 23 diz que o menino se chamará Emanuel.

Para nos convencer de que este Jesus, que eles criaram a partir
da mitologia, era o messias de Israel, os judeus utilizaram a
profecia de Isaías 7:14, tomada totalmente fora de contexto, sem
levar em conta o tempo. Isaías profetizou no século 8 AEC ou mais
tarde. Vamos ler o capítulo 7 desde o início para saber a que esta
profecia se refere.

Isaías 7:1-9
1 - Sucedeu, pois, nos dias de Acaz, filho de Jotão, filho de Uzias, rei
de Judá, que Rezim, rei da Síria, e Peca, filho de Remalias, rei de
Israel, subiram a Jerusalém, para pelejarem contra ela, mas nada
puderam contra ela. 2 - E deram aviso à casa de Davi, dizendo: A Síria
fez aliança com Efraim. Então se moveu o seu coração, e o coração do
seu povo, como se movem as árvores do bosque com o vento. 3 -
Então disse o Senhor a Isaías: Agora, tu e teu filho Sear-Jasube, saí
ao encontro de Acaz, ao fim do canal do tanque superior, no caminho
do campo do lavandeiro. 4 - E dize-lhe: Acautela-te, e aquieta-te; não
temas, nem se desanime o teu coração por causa destes dois pedaços
de tições fumegantes; por causa do ardor da ira de Rezim, e da Síria,
e do filho de Remalias. 5 - Porquanto a Síria teve contra ti maligno
conselho, com Efraim, e com o filho de Remalias, dizendo: 6 - Vamos
subir contra Judá, e molestemo-lo e repartamo-lo entre nós, e
façamos reinar no meio dele o filho de Tabeal. 7 - Assim diz o Senhor
DEUS: Isto não subsistirá, nem tampouco acontecerá. 8 - Porém a
cabeça da Síria será Damasco, e a cabeça de Damasco Rezim; e dentro
de sessenta e cinco anos Efraim será destruído, e deixará de ser povo.
108
9 - Entretanto a cabeça de Efraim será Samaria, e a cabeça de Samaria
o filho de Remalias; se não o crerdes, certamente não haveis de
permanecer.

Então, através do profeta Isaías, Deus enviou (disse Isaías, claro)
esta mensagem a Acaz que, de acordo com o livro de Reis, era
um idólatra e teimoso porque não queria obedecer aos
mandamentos do criador e por isso não durou muito tempo.

Lendo o capítulo desde o início, vemos claramente que esta
profecia foi para Acaz, para a casa de Davi. Agora, vamos ver
quem é este Emanuel citado por Mateus (que não era profeta),
para dizer que Jesus é o messias profetizado por Isaías:

Isaías 7:10-14
10 - E continuou o Senhor a falar com Acaz, dizendo: 11 - Pede para
ti ao Senhor teu Deus um sinal; pede-o, ou em baixo nas profundezas,
ou em cima nas alturas. 12 - Acaz, porém, disse: Não pedirei, nem
tentarei ao Senhor. 13 - Então ele disse: Ouvi agora, ó casa de Davi:
Pouco vos é afadigardes os homens, senão que também afadigareis
ao meu Deus? 14 - Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis
que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome
Emanuel.

Não há dúvidas sobre quem deu o sinal, pois o verso diz que foi
Deus.

 A palavra que, no verso 14, foi traduzida como virgem é
almah. Em hebraico, a palavra almah significa jovem, uma
mulher separada, reservada. Isso não quer dizer que ela
seja virgem, embora possa ser. Em hebraico, a palavra
normalmente utilizada para expressar virgindade é betulah.

109
Na bíblia, esta palavra foi traduzida como virgem somente para
sustentar a farsa de Jesus (para combinar com outros milhares de
mitos nascidos de virgens), o ídolo inventado pelos judeus
edomitas, baseado na mitologia pagã.

Continuando a leitura do capítulo, enxergamos claramente quem
é Emanuel e constatamos que ele não é e não tem ligação alguma
com Jesus.

Isaías 7:15-17
15 - Ele será nutrido com manteiga e mel até que saiba rejeitar o mal
e escolher o bem. 16 - Porque antes que o menino saiba rejeitar o mal
e escolher o bem, a terra, cujos dois reis tu temes, será devastada.
17 - O Senhor fará vir sobre ti, sobre teu povo e sobre a casa de teu
pai, dias tais como não houve desde que Efraim se separou de Judá
{o rei dos assírios}.

Deus desamparou a terra diante do rei da Assíria e o rei das tribos
do norte, de Israel, antes do menino aprender a desprezar o mal
e escolher o bem.

Esta profecia (um relato histórico posterior aos fatos e usado
como se fosse profecia) foi dita ao rei Acaz. Ele teria que ver o
menino comer manteiga e mel porque este era o sinal que Deus
deu a Acaz para que ele pudesse crer que seus adversários não
iriam prevalecer contra a casa de Davi.

 Tudo isso deveria acontecer antes da morte de Acaz, mas
ele morreu no ano 728 AEC. Séculos antes de surgir Jesus.

Não se pode tomar um verso isolado, fora de contexto, para dizer
que a profecia se refere a Jesus. É algo totalmente absurdo e sem
sentido.

110
 Qualquer pessoa que possa ler, com entendimento, o
contexto do que está escrito, percebe que esta profecia não
se refere ao suposto messias do novo testamento e sim de
um menino que nasceu em 743 AEC.

3 - O menino não é Jesus porque:

1. Isso aconteceu no século 8 antes da era comum, portanto,
foi muito antes do suposto messias do novo testamento
nascer.
2. O menino tinha que comer manteiga e mel antes de
aprender a rejeitar o mal e escolher o bem, mas de acordo
com a lenda de Jesus, ele era o filho de Deus e já nasceu
sabendo rejeitar o mal e escolher o bem.
3. O menino era filho do profeta Isaías.

Agora, vamos ver quem era o terceiro filho do profeta Isaías e
qual a profecia relacionada ao seu nome:

Isaías 8:1-4
1 - E o Senhor disse-me: Toma uma grande placa e escreve nela em
caracteres legíveis: Maer-chalal-hach-baz. {Toma depressa os
despojos, faze velozmente a presa}. 2 - Tomai por testemunhas
fidedignas o sacerdote Urias e Zacarias, filho de Jeberequias. 3 - Eu
me aproximei da profetisa, que concebeu e deu à luz um filho. {Então}
o Senhor me disse Chama-o Maer-Chalal-hach-baz, 4 - porque antes
que o menino saiba dizer: papai, mamãe, as riquezas de Damasco e
os despojos de Samaria serão carregados diante do rei da Assíria.

A Assíria é o atual Iraque.

Isaías 8:18

111
Eis-me aqui, com os filhos que me deu o Senhor, por sinais e por
maravilhas em Israel, da parte do Senhor dos Exércitos, que habita
no monte de Sião.

Então, quem são esses filhos? Quais são os sinais?

4 - O primeiro sinal.

O primeiro filho é Sear-Jasube, que significa “um remanescente
voltará” (Isaías 7:3). Estes foram os 42.360 remanescentes que
voltaram do cativeiro da Babilônia, descrito em Esdras 2.

Este é o cumprimento da profecia do nome do primeiro filho de
Isaías com sua esposa que não era virgem, mas sim almah, ou
seja, jovem; uma jovem profetiza de Deus. Este foi o primeiro
sinal.

5 - O segundo sinal.

O segundo sinal, que foi para Acaz, para a casa de Davi, foi
Emanuel (Isaías 7:14), o segundo filho de Isaías com a sua jovem
esposa, a profetiza.

Quando Emanuel nasceu, sua mãe, a profetiza, esposa de Isaías
já tinha um filho chamado Sear-Jasube. Uma mulher que tem um
filho não é betulah (virgem), portanto, Emanuel não era filho de
uma virgem. Por isso que as escrituras hebraicas usam em Isaías
7:14, a palavra almah (jovem), porque era sabido que a profetiza
já não era virgem, mas sim uma mulher jovem.

6 - O terceiro sinal.

112
O terceiro filho foi Maer-Salal-Has-Baz (Isaías 8:3), um sinal de
que as riquezas de Damasco e os despojos da Samaria seriam
levados, diante do rei da Assíria, de acordo com Isaías 8:3-4. Por
isso que Isaías disse que seus filhos são por sinais e por
maravilhas, em Israel.

Com isto, eliminamos a mentira que o cristianismo tem nos
ensinado, relacionando Mateus 1:18-23 com Isaías 7:14. Até
porque Mateus 1:21 diz que o nome do filho seria Jesus, mas
Isaías 7:14 diz que o nome do filho seria Emanuel, dois nomes
completamente diferentes e com significados diferentes.

Como podemos observar, o novo testamento mente
descaradamente desde o primeiro livro.

113
12 - Isaías 9:6-7 não fala de Jesus

Muitos dizem que Isaías 9:6-7 está falando de Jesus e que ele é
chamado de maravilhoso conselheiro, deus poderoso, pai da
eternidade e príncipe da paz. Na verdade, esta profecia se refere
à semente de Davi porque Deus levantou-lhe casa firme e eterna;
é uma aliança perpétua de Deus com Davi e, em momento algum
encontramos, nesta profecia, o nome de Jesus.

 Por acaso Jesus é a semente de Davi?
 De acordo com Mateus 1, ele foi concebido do espírito santo
e não de José, portanto, Jesus não pode ser a semente de
Davi ... NEM A PAU.

É um requerimento estabelecido pelo deus bíblico, que o messias
seja semente de Davi e, obviamente, é um problema para os
judeus messiânicos, hebreus messiânicos e cristãos conectar
Jesus à semente de Davi. Veja o que Deus disse a Davi:

2 Samuel 7:12-13
Quando teus dias forem completos, e vieres a dormir com teus pais,
então farei levantar depois de ti um dentre a tua descendência, o qual
sairá das tuas entranhas, e estabelecerei o seu reino.

Note que aqui Deus disse que este descendente teria que sair das
entranhas de Davi, mas o novo testamento diz que Jesus foi
concebido pelo Espírito Santo. Esta é uma contradição ridícula.
Para criar o novo testamento, os judeus pegaram muita mitologia
e acrescentaram alguns versos do tanak, utilizados totalmente
fora de contexto.

Na ocasião da suposta vinda de Jesus:

114
1. Ele foi soberano sobre o trono de Davi?
2. Houve paz sem fim?
3. Houve juízo e justiça, em Israel e nas outras nações do
mundo, desde aquela época e para sempre?
4. A resposta é não!

Nenhuma das coisas que aquele que sairia das entranhas de Davi
tinha de cumprir, foram cumpridas por Jesus em sua suposta
vinda, mas utilizando-se da estátua do rei Nabucodonosor, os
cristãos e seus irmãos messiânicos dizem que ele viria, no quarto
reino dos homens, como o messias sofredor que morreria na cruz
ou madeiro, pelos pecados do povo, ressuscitaria após três dias e
três noites e, assim como Jonas, esteve três dias e três noites
dentro do grande peixe, e ascenderia aos céus para sentar-se à
direita de Deus para depois, ao fim do quarto reino dos homens,
regressar para sentar-se ao trono de Davi.

1 - Onde está esta profecia?

Como sabemos, o deus do antigo testamento fala somente através
de seus profetas. (Amós 3:7 e Deuteronômio 18:15-22).

Leia exaustivamente o antigo testamento e verá que é mais que
impossível encontrar qualquer profecia que se refira a Jesus.

 Por favor, alguém explica a profecia que diz que Jesus viria
no quarto reino dos homens, como o messias sofredor que
morreria na cruz ou madeiro pelos pecados de toda a
humanidade, que ressuscitaria após três dias e três noites
na tumba, assim como Jonas esteve três dias e três noites
dentro do grande peixe, e ascenderia aos céus para sentar
à direita de Deus para depois, ao final do quarto reino dos
homens, regressar para sentar-se no trono de Davi.

115
Mostrem-nos onde está essa profecia, no tanak (antigo
testamento).

2 - Conclusão:

Mas o reino de Davi não existe mais e Israel não é uma teocracia,
portanto, a profecia não tem mais como se cumprir ... nem a dos
judeus, nem a dos cristãos.

116
13 - Ezequias cumpriu Isaías 9:6-7, não Jesus.

Diz esta passagem:

“Porque um menino nos NASCEU, um filho se nos deu…”

Observe o tempo verbal em destaque na passagem: tempo
passado! Isaías proferiu estas palavras no ano 740 AEC, e ao usar
os verbos no PASSADO, certamente não estava se referindo a
Jesus, que nasceria 740 anos no FUTURO! Fica claro que Isaías
estava mencionando outra pessoa, uma pessoa que vivia em seus
dias! AQUI JÁ É ELIMINADA QUALQUER REFERÊNCIA A JESUS,
POIS ELE PRECISARIA QUE TER NASCIDO EM 740 AEC.

Continua o texto:

“o principado está sobre seus ombros…”

Jesus NUNCA foi chamado NEM FOI “príncipe” no sentido
temporal. A acusação que o levou à morte não foi a de se fazer
“príncipe”, mas sim, “rei” dos judeus.

João 19:3
E diziam: Salve, Rei dos Judeus. E davam-lhe bofetadas.
Marcos 15:26
E por cima dele estava escrita a sua acusação: O REI DOS JUDEUS.

Quando Isaías escreveu esse texto, Ezequias ainda era um
menino, e sendo filho do rei Acaz (II Reis 18:1), era
consequentemente um “príncipe”. O que Isaías diz: “o principado
está sobre seus ombros” é coerente com a história de Ezequias,
pois naquela época, sendo ainda menino, era um “príncipe” e não
“rei”.

117
2 Reis 18:1
E sucedeu que, no terceiro ano de Oséias, filho de Elá, rei de Israel,
começou a reinar Ezequias, filho de Acaz, rei de Judá.

Quais outros títulos Ezequias receberia? “Maravilhoso,
Conselheiro, Deus Forte, Príncipe da Paz”. Convém notar que os
dois primeiros títulos são na verdade apenas um no texto
hebraico, a saber, ‫( יועץ פלא‬pêle yoetz) ou, “maravilhoso
conselheiro”. Por que Ezequias seria “maravilhoso conselheiro”?
Porque ele confiou no seu Deus.

2 Reis 18:4,5
No Senhor Deus de Israel confiou, de maneira que depois dele não
houve quem lhe fosse semelhante entre todos os reis de Judá, nem
entre os que foram antes dele.

Segundo as Escrituras, nenhum outro rei dos judeus foi maior do
que Ezequias, antes ou mesmo depois dele! Logo, por mais que
Jesus fosse “rei dos judeus” ou que tivesse direito ao trono (o que
já vimos não ser o caso!), ele teria sido nada mais do que outro
rei qualquer, nada mais do que um simples rei, menor do que
Ezequias! E Jesus? Será que poderia receber o título de
“maravilhoso”? Comparemos as vidas de Ezequias e Jesus, para
ver quem merece este título.

EZEQUIAS JESUS

Estimulou entre seus discípulos à
idolatria de sua própria pessoa,
Extirpou a idolatria dos termos pois disse: “Ninguém vem ao Pai
de Judá (II Reis 18:4). se não por mim” (João 14:6) e,
“quem vê a mim, vê ao Pai” (João
14:9).

118
Não confiou em Deus, pois por que
diria, “Pai, afasta de mim esse
Confiou plenamente em seu Deus cálice” (Mateus 26:39) se veio
(II Reis 18:5). para morrer? Ao morrer, por que
teria dito, “Deus meu, Deus meu,
por que me abandonaste? ”
(Mateus 27:46). Isto demonstra
fraqueza e falta de confiança em
Deus, já que ele acreditava que
esse seria seu destino inevitável.
Não guardou os mandamentos da
Lei de Moisés, pois disse: “A Lei e
Guardou os mandamentos da Lei os Profetas duraram até João”
de Moisés, com total fidelidade (Lucas 16:16). Lembre-se que o
(II Reis 18:6). texto se refere a João Batista,
precursor de Jesus. Logo, ele não
poderia ter cumprido algo que
durou até ANTES dele!
Jesus serviu os reis estrangeiros,
pois disse: “Daí a César o que é de
Não serviu aos reis estrangeiros César” (Mateus 22:21) — desta
(II Reis 18:7) maneira, ele legitimou a ocupação
romana da Judeia. Não é esta a
obra do verdadeiro Messias, pois
este deveria libertar os judeus da
opressão dos gentios e congregar
os desterrados de Israel (Zacarias
12:2-6).
Não feriu os inimigos de Deus,
antes, acovardou-se diante deles,
Feriu (matou) os inimigos de dizendo: “O meu reino não é daqui
Deus (II Reis 18:8). (terreno) ” (João 18:36). Na
parábola do trigo e do joio, ele diz
que o “campo” onde a semente é
lançada, é o mundo (Mateus
13:38) e em Mateus 13:41 ele diz
119
que os anjos virão e colherão do
seu reino tudo o que causa
escândalo. O que entendemos
disso? Que diante de seus ilustres
iludidos, o arqui-embusteiro dizia
que seu “reino” era o mundo, onde
semeia-se e colhe-se. Entretanto,
diante das autoridades e
dominadores romanos ele,
querendo livrar-se da acusação de
insurreição política, disse: “Meu
reino não é deste mundo”.
Não reparou o templo de Deus - e
isso, por dois motivos: O templo
Reparou o templo de Deus (II estava em perfeita ordem,
Crôn. 29:3). funcionando em seu tempo e não
havia abominações de idolatria a
serem retiradas. Ele, entretanto,
disse que seus seguidores não
mais adorariam em Jerusalém, e
consequentemente no templo
sagrado (João 4:21).
Não ordenou que os sacerdotes se
consagrassem ao serviço divino;
Ordenou a reconsagração dos antes, iludiu e enganou alguns
sacerdotes (II Crônicas 29:5). deles, fazendo-os crer em suas
mentiras, desviando-os de Deus
(João 12:42).
Ao contrário do que fez Ezequias,
a suposta “aliança” que Jesus teria
Fez uma aliança de fidelidade estabelecido não foi baseada na
com Deus (II Crônicas 29:10). fidelidade ao que Deus havia feito
com Israel no Sinai. A chamada
“nova aliança” de Jesus buscou
eliminar a Aliança Eterna com
Deus (Daniel 7:25).
120
1 - Revisando

1. Como pode Jesus ser o “Maravilhoso” de Isaías 9:6-7 se os
cristãos aplicam a profecia do “Servo Sofredor” (Isaias 53) a ele,
e esta profecia diz que o Servo1 “não tem beleza ou formosura”
(Isaías 53:2)?

2. Como pode ele ser chamado de “Maravilhoso” se todos os
supostos “milagres” e “maravilhas” que Jesus teria operado
sempre dependiam do nível de fé das pessoas?

3. Como pode ser ele o “Maravilhoso” sendo que rejeitava a Lei
Divina (Torah), pois violava abertamente os mandamentos nela
contidos? Como poderia ser chamado “maravilhoso” sendo que
não via as maravilhas que procedem da Lei? (Salmos 119:18 e
129)

4. Como pode ser Jesus chamado de “Maravilhoso” sendo que o
único que opera maravilhas é Deus (Salmos 72:18; 136:4)? Jesus
violou a Lei Divina e sempre a contestava, dizendo: “Ouvistes o
que foi dito aos antigos… eu, porém, vos digo…”. As Escrituras
dizem que até mesmo a oração daqueles que se recusam a ouvir
a Lei é abominável (Provérbios 28:9) - quanto mais as pretensas
“maravilhas” operadas pelos tais.

5. Como pode ser ele chamado de “Maravilhoso” quando todos os
“sinais” que fazia tinham o único e confesso objetivo de desviar a
atenção do povo simples de Deus para ele mesmo? Veja:

João 14:11

1
O povo israelita no cativeiro da Babilônia.
121
Crede-me que estou no Pai, e o Pai em mim; crede-me, ao menos,
por causa das mesmas obras.
João 20:29-31
Jesus, pois, operou também em presença de seus discípulos muitos
outros sinais, que não estão escritos neste livro. Estes, porém, foram
escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para
que, crendo, tenhais vida em seu nome.
João 10:31-33
Respondeu-lhes Jesus: Tenho-vos mostrado muitas obras boas
procedentes de meu Pai; por qual destas obras me apedrejais? Os
judeus responderam, dizendo-lhe: Não te apedrejamos por alguma
obra boa, mas pela blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus
a ti mesmo.

O texto de Deuteronômio 13:1-3 adverte contra os falsos profetas
que viriam operando “sinais” e “milagres”, buscando com isso
desviar a atenção do povo para si mesmos ou para outros deuses.
FOI EXATAMENTE ISSO QUE JESUS FEZ!

2 - Jesus conselheiro? Não mesmo!

“Conselheiro” Será que poderíamos dar o título de “Conselheiro”
a Jesus? Que espécie de conselhos ele deu?

1. “Não andeis ansiosos pelo dia de amanhã, pois o amanhã se
preocupará consigo mesmo” (Mateus 6:34) - Eis aqui um
“conselho” de Jesus sobre a preocupação com o sustento pessoal.
Mas, o que diz a Torah? “Do suor do seu rosto comerás o teu pão”
(Gênesis. 3:19).

2. “Há eunucos que se fizeram eunucos pelo reino dos dos céus;
quem puder aceitar isso, aceite-o” (Mateus 19:12) - O que diz a
Torah quanto a este “conselho” de Jesus? “Ninguém que tenha se
122
tornado eunuco por acidente ou mutilação entrará na assembleia
do Senhor” (Deuteronômio 23:1)

3. Outro “brilhante conselho” de Jesus: “Granjeai amigos com as
riquezas da injustiça…” (Lucas 16:9) O que dizem as Escrituras?
“As riquezas granjeiam muitos amigos…” (Provérbios 19:4) “A
riqueza nada vale no dia da ira…” (Provérbios 11:4) “Ai daquele
que ajunta para si bens mal adquiridos para por o seu ninho no
alto, a fim de se livrar das garras do mal” (Habacuque 2:9).

4. Que outro conselho deu Jesus aos seus ilustres iludidos? “Crede
em Deus, crede também em mim” (João 14:1) O que dizem as
Escrituras? “Tirai dentre vós os deuses estranhos. Preparai o
vosso coração ao Senhor e servi a Ele só” (I Samuel 7:3) No
chamado “novo testamento” temos vários exemplos de pessoas
iludidas pelos ‘conselhos’ de Jesus que passaram a adorá-lo como
a um deus, esquecendo-se do mais fundamental mandamento da
Lei: aquele que diz respeito à idolatria!

Mateus 2:2
Dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? Porque
vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo.
Mateus 15:24,25
E ele, respondendo, disse: Eu não fui enviado senão às ovelhas
perdidas da casa de Israel. Então chegou ela, e adorou-o, dizendo:
Senhor, socorre-me!
João 9:38
Ele disse: Creio, Senhor. E o adorou.

E quanto a Ezequias, que conselhos deu ele ao povo?

“Consagrai-vos agora, e consagrai a casa do Senhor! ” (II
Crônicas 29:5)
“Tirai do santuário a imundícia” (II Crônicas 29:5)
123
“Não sejais negligentes…” (II Crônicas 29:11)
“Filhos de Israel! Voltai-vos ao Senhor! ” (II Crônicas 30:6)
“Não sejais como vossos pais…infieis ao Senhor” (II Crônicas
30:7)
“Não endureceis vossa cerviz” (II Crônicas 30:8)
“Se vos converterdes ao Senhor, então acharão misericórdia” (II
Crônicas 30: 9)
“Ezequias dirigiu palavras de encorajamento...” (II Crônicas
30:22) ”
“Esforçai-vos e tende bom ânimo” (II Crônicas 32:7)
“E o povo recobrou ânimo com as palavras de Ezequias, rei de
Judá” (II Crônicas 32:8)

Fica evidente comparando essas passagens com aquelas que
dizem respeito a Jesus que somente o rei Ezequias pode ser o
“Conselheiro” de Isaías 9:6-7.

3 - Deus Forte

Os cristãos dizem que Jesus é o deus eterno, todo-poderoso
(Apocalipse 1:8 e 17-18). Se é assim, como podem dizer que ele
é o deus forte de Isaías 9:6-7? Será que a expressão “deus forte”
pode ter o mesmo sentido de “deus todo-poderoso”? É claro que
não! Quem é simplesmente “forte”, não pode todas as coisas, por
isso, não é “todo-poderoso”! Eles então devem decidir se Jesus é
o “deus forte” de Isaías 9:6-7 ou o “deus todo-poderoso” de
Apocalipse 1:8 e 17-18! Para o judaísmo, ele não é nem nunca foi
nem um e muito menos o outro!

Como pode Jesus ser o “deus forte” sendo que houve coisas que
ele não pôde fazer e outras que ele desconhecia? Por exemplo:

Ele não pôde curar certas pessoas em Nazaré (Mateus 13:58).

124
Mateus 13:58
E não fez ali muitas maravilhas, por causa da incredulidade deles.

Não pôde fazer aparecer figos na figueira infrutífera (Mateus
21:18-19). Pelo contrário, tratou de amaldiçoá-la, fazendo-a
secar, violando o mandamento que proíbe a destruição de árvores
frutíferas (Deuteronômio 20:19-20).

Mateus 21:18-20
E, de manhã, voltando para a cidade, teve fome; E, avistando uma
figueira perto do caminho, dirigiu-se a ela, e não achou nela senão
folhas. E disse-lhe: Nunca mais nasça fruto de ti! E a figueira
secou imediatamente. E os discípulos, vendo isto, maravilharam-
se, dizendo: Como secou imediatamente a figueira?

Deuteronômio 20:19,20
Quando sitiares uma cidade por muitos dias, pelejando contra ela para
a tomar, não destruirás o seu arvoredo, colocando nele o
machado, porque dele comerás; pois que não o cortarás (pois o
arvoredo do campo é mantimento para o homem), para empregar no
cerco. Mas as árvores que souberes que não são árvores de alimento,
destruí-las-ás e cortá-las-ás; e contra a cidade que guerrear contra ti
edificarás baluartes, até que esta seja vencida.

Jesus disse que a enfermidade de Lázaro não acabaria em morte
(João 11:4), o que sabemos não ser verdade, pois Lázaro tinha
morrido, como o próprio Jesus admite mais tarde (João 11:14).

João 11:4
Ao ouvir isso, Jesus disse: "Essa doença não acabará em morte; é
para a glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por
meio dela".
João 11:14
Então lhes disse claramente: "Lázaro morreu,

125
Jesus teve fome (Mateus 4:2), sede (João 19:28) e sentiu cansaço
(João 4:6) - algo impróprio para alguém que era “deus forte”!

Jesus desconhecia as Escrituras, citando-as erroneamente
diversas vezes (compare abaixo Mateus 12:3-4 com I Sam. 21:1-
4 etc.) - também algo muito impróprio para alguém que é “deus”
e autor das Escrituras!!

Mateus 12:3,4
Ele, porém, lhes disse: Não tendes lido o que fez Davi, quando teve
fome, ele e os que com ele estavam? Como entrou na casa de Deus,
e comeu os pães da proposição, que não lhe era lícito comer, nem aos
que com ele estavam, mas só aos sacerdotes?
1 Samuel 21:1-4
Então veio Davi a Nobe, ao sacerdote Aimeleque; e Aimeleque,
tremendo, saiu ao encontro de Davi, e disse-lhe: Por que vens só, e
ninguém contigo? E disse Davi ao sacerdote Aimeleque: O rei me
encomendou um negócio, e me disse: Ninguém saiba deste negócio,
pelo qual eu te enviei, e o qual te ordenei; quanto aos moços, apontei-
lhes tal e tal lugar. Agora, pois, que tens à mão? Dá-me cinco pães na
minha mão, ou o que se achar. E, respondendo o sacerdote a Davi,
disse: Não tenho pão comum à mão; há, porém, pão sagrado, se ao
menos os moços se abstiveram das mulheres.

4 - O verdadeiro sentido da expressão “deus forte”

Enganam-se aqueles que pensam que a expressão “deus forte” de
Isaías 9:6-7 refere-se a Deus. Por quê?

Simplesmente pelo fato que a palavra “deus” ‫( לא‬èl) ou ‫םיהלא‬
(`elohim) em hebraico, pode ser aplicada de diversas formas,
diferentemente do português. Etmo logicamente, a palavra
hebraica èl ou `elohim significa um ser poderoso, ou com
autoridade, baseada na raiz semita ‫`( לוא‬ul) significando: ser
126
forte, majestoso ou poderoso. Portanto, estas palavras podem ser
aplicadas não apenas ao Deus Todo-Poderoso, como também a
homens e anjos. Vejamos alguns exemplos:

 ‫רמאיו הוהי השמ־לא האר ךיתתנ םיהלא הערפל‬
 Va-yiomer Há-Shem el Moshê: Reê netatíkha `elohim le-
far”o E disse Deus a Moisés: Vê tenho te posto como Deus
sobre faraó. Êxodo 7:1

Podemos ver por esse texto, que Moisés foi chamado de “Deus”
pelo próprio Deus! Entretanto, convém deixar bem claro: Moisés
não era, nunca foi nem nunca será Deus! Ele foi tão somente
dotado de autoridade e poder. O que quer que ele dissesse ou
fizesse, era como se o próprio Deus estivesse atuando! Vejamos
mais uma passagem:

 …ve-atah tihieh lo le-Elohim
…e tu lhe serás por Deus. Êxodo 4:16

Em mais essa passagem, Moisés é chamado de “Deus”, desta vez
perante Aarão. Examinemos agora uma passagem dos Salmos:

 …vê-techasrehu meat me-Elohim
…um pouco menor do que Deus (“deuses”) o fizeste.
Salmo 8:5-6

Nesta passagem, vemos os anjos sendo chamados de “deuses”,
ou “seres poderosos” — compare este texto com Hebreus 2:7 para
se certificar disso. Na sequência, mais um texto dos Salmos:

 …ani amarti Elohim atem
…eu disse: vós sois deuses. Salmo 82:6

127
Como vemos pelo contexto (v. 7) desse salmo, os juízes de Israel
também são chamados de “deuses”, elohim em hebraico. O
primeiro verso desse salmo mostra Deus presidindo a assembleia
dos “deuses”, juízes instituídos pela autoridade divina, que,
embora recebendo esse título de honra, não julgavam com
justiça; por isso, morreriam como homens comuns (Veja também
Êxodo 22:8-9 e 27 – de preferência no hebraico).

Concluímos então, que o termo “Deus” como entendido pelas
Escrituras, é também empregado com relação a seres dotados de
grande autoridade, como Moisés, os anjos e os juízes de Israel.
Por esta razão, o profeta usou o termo “Deus” em relação a
Ezequias na passagem de Isaías 9:6-7.

Que outro rei de Judá teve mérito maior de ser assim designado?
Lembre-se do que ele fez como “Maravilhoso” e “Conselheiro” se
comparado a Jesus ou a qualquer outro homem.

 E mais: Devemos notar também que o título “Deus Forte”
não pode se referir a Deus - isto porque Ele é sempre
chamado de Deus Todo-Poderoso, e não de Deus Forte!
Um “Deus” simplesmente “Forte”, não pode ser
classificado como o Deus Todo-Poderoso!
 (Gen.17:1/Ex.6:3/Jó11:7/13:3/21:15/22:3/22:17/29:5/3
1:35/34:10/34:12/35:13/37:23).

Ezequias, rei de Judá, pode ser chamado de “Deus Forte” porque
era uma pessoa de autoridade e poder, e que, ao contrário de
Jesus, fez realmente a vontade de Deus. Além do mais, o próprio
nome de Ezequias no hebraico, testifica que ele era o “Deus Forte”
de Isaías 9:6-7. Veja:

128
 Ezequias = (Chiz’kiah)
(chiz’k) – forte, fortalece
(yah) – o Senhor

Dessa forma, aprendemos que até mesmo o nome do grande rei
Ezequias testifica que ele era o “Deus Forte” de Isaías 9:6-7, pois
que Ezequias significa literalmente, “O Snhor (Deus) fortalece/é
forte”.

Cumprindo ainda o papel de uma pessoa com grande autoridade
(“Deus Forte”), o bom rei Ezequias também intercedeu várias
vezes por seu povo, por exemplo: quando muitos ainda não
estavam preparados para celebrar a Páscoa e quando os assírios
ameaçaram o reino de Judá (II Crônicas 30:18-20 e II Reis.
19:15-19).

5 - Pai da eternidade

Note que Jesus no “novo testamento” NUNCA é chamado de “PAI”,
mas sim de “FILHO”! (Mateus 4:3/14:33/27:43, Marcos 3:11,
Lucas 4:3 e 41, João 1:49 e Atos 9:20). Inclusive, na bem
conhecida “fórmula batismal” de Mateus 28:19-20, cita-se o “Pai,
o Filho e o Espírito Santo”. Nenhum cristão jamais pensou em
afirmar que ali, Jesus referia-se a si mesmo quando mencionou o
“Pai”. Por que? Pelo simples fato que no mesmo texto aparece o
“Filho”, termo que ele mesmo usou inúmeras vezes com relação
a si mesmo. Outrossim, convém notar que a palavra “pai” (av) em
hebraico, também significa “ancestral, fonte ou originador”.

Entendemos que Ezequias é o “pai (originador, fonte) da
eternidade” de Isaías 9:6-7. Mas, eternidade do que? Vejamos o
contexto restante da passagem:

129
 “Do incremento deste principado e da paz, não haverá
fim...” Isaías 9:7

O que isto quer dizer? A passagem mostra que, a partir do reinado
de Ezequias, a linhagem davídica que finalmente traria o Messias
seria preservada para sempre - por esta razão ele é denominado
“pai da eternidade”, o preservador da linhagem da casa de Davi,
uma fortaleza de fidelidade ao Senhor em meio a aberta apostasia
de seus contemporâneos. Na sequência do texto, vemos o
“incremento” do principado de Ezequias, isto é, o Messias,
reinando sobre o trono de Davi para sempre! E já que foi
mencionado em Isaías 9:6-7 o “trono de Davi”, cabe lembrar que
Jesus não tem direito a ele, uma vez que descende de
Jeconias (Jeremias 22:28-30, Mateus 1:11) – Jesus está
EXCLUÍDO da linhagem messiânica para sempre!

Jeremias 22:28-30
É, pois, este homem Conias um ídolo desprezado e quebrado, ou um
vaso de que ninguém se agrada? Por que razão foram arremessados
fora, ele e a sua geração, e arrojados para uma terra que não
conhecem? Ó terra, terra, terra! Ouve a palavra do Senhor.
Assim diz o Senhor: Escrevei que este homem está privado de filhos,
homem que não prosperará nos seus dias; porque nenhum da sua
geração prosperará, para se assentar no trono de Davi, e reinar ainda
em Judá.
Mateus 1:11
E Josias gerou a Jeconias e a seus irmãos na deportação para
babilônia.
Mateus 1:16
E Jacó gerou a José, marido de Maria, da qual nasceu JESUS, que se
chama o Cristo.

130
6 - Príncipe da paz ou prícipe da intriga?

Os cristãos de forma geral, gostam de se referir a Jesus como o
“Príncipe da Paz”; entretanto, para nós, é fundamental que
observemos se o caráter e as atitudes de Jesus promoveram ou
poderiam promover a paz. Vejamos o que ele disse e fez.

 “Não penseis que vim trazer paz à terra, NÃO VIM
TRAZER PAZ, mas a espada! ” (Mateus 10:34)
 “Vim lançar FOGO na terra!” (Lucas 12:49)
 “Quanto àqueles meus inimigos que não quiseram que eu
reinasse sobre eles, trazei-os aqui e MATAI-OS na minha
presença!” (Lucas 19:27)
 “E orando, não useis de vãs repetições COMO OS
GENTIOS” (Mateus 6:7)
 “Insensatos e cegos…cheios de rapina…sepulcros caiados”
(Mateus 23:19,25,27)

Temos aqui, notáveis exemplos de Jesus como “Príncipe da Paz”!
Ele disse que não veio para trazer a paz, mas sim, a espada; disse
ter vindo para “lançar fogo à terra” e matar os “incrédulos”. De
forma idêntica, ele preconceituosamente rotula os gentios como
ignorantes e destituídos de quaisquer qualidades (o interessante
é que Paulo diz que Jesus veio para “derrubar a parede de
separação” que supostamente existia entre judeus e gentios!
(Efésios 2:11-15); por fim, critica asperamente os líderes do
judaísmo, fazendo o cristão mediano pensar que todos eles não
passavam de uma corja de aproveitadores e falsários da Palavra
de Deus. Quanto a esta última acusação de Jesus, veremos logo
a seguir quem era verdadeiramente o aproveitador e falsário!
Seriam essas atitudes compatíveis com alguém que receberia o
título de “Príncipe da Paz”? Usemos do bom senso!

131
Por que Ezequias é o “Príncipe da Paz’’?

Porque ele promoveu a paz entre as tribos de Israel, buscando
uni-las no cumprimento dos mandamentos do Senhor (II Crônicas
30:1-27); nos seus dias, muitas nações foram invadidas e
completamente devastadas pelos assírios; o reino de Judá,
entretanto, teve paz todos os dias de Ezequias (II Crônicas 32:22-
23). Fica evidente então, que o reinado de Ezequias é um bom
símbolo do futuro reino messiânico, onde haverá paz abundante e
onde finalmente as tribos de Israel estarão unidas para sempre
num concerto de paz (Isaías 11:1-12 e Ezequiel 37:21-28).

7 - Conclusão

Abrimos este “parêntesis” sobre Isaías 9:6-7 porque acreditamos
que esta passagem pode esclarecer muito a respeito do Emanuel
de Isaías 7:14. Pois bem: de posse de todas as informações sobre
esta passagem, agora basta que examinemos Isaías 7:15 —
sendo esta parte o chamado “golpe de misericórdia” sobre
quaisquer tentativas de colocar Jesus como o “Emanuel”!

“Manteiga e mel comerá até que saiba rejeitar o mal e escolher o
bem. Na verdade, antes que este menino (o “Emanuel”) saiba
rejeitar o mal e escolher o bem, a terra ante cujos reis tremes de
medo será desamparada”

Muito bem: sabemos que tanto o verso 14 quanto o 15 de Isaías
7 foram dirigidos a Acaz, o ímpio rei de Judá na época (Isaías
7:10). A terra diante de cujos reis Acaz tremia de medo era a
Síria, agora em aliança com o reino rival de Israel (Isaías 7:2).
Entretanto, a promessa divina é que, antes mesmo que o menino

132
que serviria de sinal para Acaz e toda a casa de Davi (o Emanuel)
soubesse distinguir o mal do bem, os inimigos seriam destruídos
e desamparados. De fato, Rezim rei da Síria seria mais tarde
morto por Senaqueribe (II Reis 16:9), e o reino de Israel acabaria
sendo levado para o exílio entre 730-722 AEC (II Reis 17:22-23).

Se Jesus então é o “Emanuel” de Isaías 7:14, também o é no
verso 15! Como então poderia se cumprir o verso 15 em sua vida?
Convém notar que o “Emanuel” era um sinal apenas para
Acaz e para a casa de Davi e não para todo o povo! O que
significaria Jesus para Acaz e para a casa de Davi naquela época?
Nada! Que nações foram desamparadas antes de Jesus conhecer
o bem e o mal? Nenhuma! Entretanto, todos esses detalhes se
encaixam perfeitamente na vida de Ezequias, o grande “Emanuel”
de Isaías 7:14-15

Fonte:
http://www.judaismoemacao.net.br/por-que-ezequias-e-nao-jesus-cumpriu-is-
96-7/

14 - Isaías 41 não fala de Jesus

Isaías 41:2

133
“Quem suscitou do oriente aquele cujos passos segue a vitória? Quem
faz que as nações se submetam, e que ele calque aos pés os reis, e
com a sua espada os transforme em pó, e com o seu arco, em palha
que o vento arrebata?”

Com ajuda das bíblias corrompidas que inseriram uma epígrafe
dizendo “deus suscita o redentor”, os líderes religiosos tentam nos
enganar ensinando que este verso se refere a Jesus, mas lendo o
capítulo inteiro, vemos que não se trata de uma pessoa específica
e sim do povo de israel.

Isaías 41:8
Mas tu, Israel, servo meu, tu, Jacó, a quem escolhi, tu, semente de
Abraão, meu amigo;

 Quem é o descendente de Abraão a quem Deus elegeu?
 O povo de Israel! Israel é a nação eleita, o povo escolhido.
O próprio verso diz: “tu, Israel”.

Deus diz “Israel, servo meu” porque os israelitas (descendentes
de Jacó) são servos de Deus desde o início de sua história.

Isaías 41:9
Tu a quem tomei das extremidades da terra, e te chamei dos seus
cantos, e te disse: Tu és meu servo, eu te escolhi, e não te rejeitei;

1 - Este verso não se refere a jesus por que:

1. Deus não o tomou das extremidades da terra
2. Ele nunca foi servo de Deus;
3. Nunca disseram que ele foi rejeitado pelo pai

134
Como já dissemos, o povo de Israel é servo de Deus desde o início
de sua história e, desde que Deus os castigou tirando-os da terra
de Israel e entregando-os nas mãos de seus inimigos, todos dizem
que o povo de Israel foi rejeitado. O verso diz “tu, a quem tomei
das extremidades da terra”, porque Deus espalhou o povo de
Israel pelas extremidades da terra.

Deuteronômio 28:64
Jeová te espalhará por entre todos os povos, desde uma extremidade
da terra à outra; e ali servirás a outros deuses, que não conheceste,
nem tu nem teus pais, a saber, ao pau e a pedra.
Joel 3:6
Também vendestes os filhos de Judá e os filhos de Jerusalém aos filhos
dos gregos, para os removerdes para longe dos seus confins:
Zacarias 1:21
Então perguntei: Que vêm estes a fazer? Ele respondeu: Esses são os
chifres que espalharam a Judá, de tal sorte que ninguém levantou a
sua cabeça; mas estes são vindos para lhes meterem medo, para
abaterem os chifres das nações que levantaram o seu chifre contra a
terra de Judá a fim de a espalhar.

Então, como é óbvio, Isaías 41:9 se refere ao povo de Israel. Deus
está dizendo que vai tomar seu povo das extremidades da terra,
para onde foram espalhados. Esta profecia também aparece em
Isaías 11:12, Deuteronômio 30 e nos livros de Zacarias, Ezequiel
e Joel. Vamos ler:

Isaías 11:12
Levantará um estandarte para as nações, congregará os expulsos de
Israel e ajuntará os dispersos de Judá desde os quatro confins da
terra.
Deuteronômio 30:1-5
E será que, sobrevindo-te todas estas coisas, a bênção ou a maldição,
que tenho posto diante de ti, e te recordares delas entre todas as
nações, para onde te lançar o SENHOR teu Deus, E te converteres ao
135
Senhor teu Deus, e deres ouvidos à sua voz, conforme a tudo o que
eu te ordeno hoje, tu e teus filhos, com todo o teu coração, e com
toda a tua alma, Então o Senhor teu Deus te fará voltar do teu
cativeiro, e se compadecerá de ti, e tornará a ajuntar-te dentre todas
as nações entre as quais te espalhou o Senhor teu Deus. Ainda que os
teus desterrados estejam na extremidade do céu, desde ali te ajuntará
o Senhor teu Deus, e te tomará dali; E o Senhor teu Deus te trará à
terra que teus pais possuíram, e a possuirás; e te fará bem, e te
multiplicará mais do que a teus pais.
Zacarias 8:3
Assim diz o Senhor: Voltarei para Sião, e habitarei no meio de
Jerusalém; e Jerusalém chamar-se-á a cidade da verdade, e o monte
do Senhor dos Exércitos, o monte santo.
Zacarias 8:7-8
Assim diz o Senhor dos Exércitos: Eis que salvarei o meu povo da terra
do oriente e da terra do ocidente; 8 - E trá-los-ei, e habitarão no meio
de Jerusalém; e eles serão o meu povo, e eu lhes serei o seu Deus em
verdade e em justiça.
Ezequiel 20:34
E vos tirarei dentre os povos, e vos congregarei das terras nas quais
andais espalhados, com mão forte, e com braço estendido, e com
indignação derramada.
Ezequiel 20:38
E separarei dentre vós os rebeldes, e os que transgrediram contra
mim; da terra das suas peregrinações os tirarei, mas à terra de Israel
não voltarão; e sabereis que eu sou o Senhor.

No verso 38, Deus diz que vai buscar todo o seu povo nas terras
pelas quais foram espalhados, mas que nem todos os israelitas
voltarão para a terra de Israel porque alguns são rebeldes; eles
não querem obedecer a lei de Deus e insistem em adorar outros
ídolos.

Joel 3:1-2

136
Porque, eis que naqueles dias, e naquele tempo, em que removerei o
cativeiro de Judá e de Jerusalém, 2 - Congregarei todas as nações, e
as farei descer ao vale de Jeosafá; e ali com elas entrarei em juízo,
por causa do meu povo, e da minha herança, Israel, a quem elas
espalharam entre as nações e repartiram a minha terra.

Voltemos a Isaías 41. Nos versos 10 a 13, Deus segue dizendo ao
seu povo para não temer porque ele vai protegê-los e ajudá-los a
derrotar seus inimigos até que sejam destruídos.

Isaías 41:14
Não temas, tu verme de Jacó, povozinho de Israel; eu te ajudo, diz o
Senhor, e o teu redentor é o Santo de Israel.

O cristianismo diz que este verso se refere a Jesus, mas o redentor
e santo de Israel é o próprio criador, segundo todos os versículos
citados, pois sempre que as escrituras usam estes termos, elas se
referem a deus. Veja:

Isaías 43:14
Assim diz o SENHOR, vosso Redentor, o Santo de Israel: Por amor de
vós enviei a babilônia, e a todos fiz descer como fugitivos, os caldeus,
nos navios com que se vangloriavam.
Isaías 47:4
O nosso redentor cujo nome é o Senhor dos Exércitos, é o Santo de
Israel.
Isaías 48:17
Assim diz o Senhor, o teu Redentor, o Santo de Israel: Eu sou o Senhor
teu Deus, que te ensina o que é útil, e te guia pelo caminho em que
deves andar.

Os versos acima não deixam a menor dúvida, próprio Criador diz
que ele é o salvador e o santo de Israel.

137
Isaías 10:20
E acontecerá naquele dia que os restantes de Israel, e os que tiverem
escapado da casa de Jacó, nunca mais se estribarão sobre aquele que
os feriu; antes estribar-se-ão verdadeiramente sobre o Senhor, o
Santo de Israel.
Isaías 17:7
Naquele dia atentará o homem para o seu Criador, e os seus olhos
olharão para o Santo de Israel.
Isaías 30:15
Porque assim diz o Senhor DEUS, o Santo de Israel: Voltando e
descansando sereis salvos; no sossego e na confiança estaria a vossa
força, mas não quisestes.
Isaías 43:3
Porque eu sou o Senhor teu Deus, o Santo de Israel, o teu Salvador;
dei o Egito por teu resgate, a Etiópia e a Seba em teu lugar.
Isaías 43:15
Eu sou o Senhor, vosso Santo, o Criador de Israel, vosso Rei.
Isaías 45:11
Assim diz o Senhor, o Santo de Israel, aquele que o formou:
Perguntai-me as coisas futuras; demandai-me acerca de meus filhos,
e acerca da obra das minhas mãos.
Ezequiel 39:7
E farei conhecido o meu santo nome no meio do meu povo Israel, e
nunca mais deixarei profanar o meu santo nome; e os gentios saberão
que eu sou o Senhor, o Santo em Israel.
Salmos 71:22
Também eu te louvarei com o saltério, bem como à tua verdade, ó
meu Deus; cantarei com harpa a ti, ó Santo de Israel.

Então, o redentor e santo de Israel é o próprio Criador.

2 - Conclusão

O capítulo 41 inteiro está falando do povo de Israel e não de uma
pessoa específica ... muito menos de Jesus.

138
15 - Isaías 42 não fala de Jesus

1 - Mateus 3:17 e Mateus 17:5

Mateus 3:17
E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem
me comprazo.
Mateus 17:5
E, estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu.
E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu amado Filho, em
quem me comprazo; escutai-o.

Estes versos são conectados a Isaías 42:1 para tentar convencer
de que Jesus é o messias, mas lendo o capítulo inteiro,
entendemos, claramente, que Isaías está falando da semente de
Davi, o descendente de Davi segundo a carne e, como Jesus é
filho do espírito santo, não pode ser dele que Isaías está falando.

Isaías 42:1
Eis aqui o meu servo, a quem sustenho, o meu eleito, em quem se
apraz a minha alma; pus o meu espírito sobre ele; ele trará justiça
aos gentios.

O espírito de Deus é posto sobre este messias e ele trará justiça
para as nações. Essa justiça é a lei de Deus. Isto não se refere a
Jesus porque ele, supostamente, esteve na terra há dois mil anos
e até hoje as pessoas não obedecem à lei de Deus, nem mesmo
os israelitas, na realidade, estão todos desobedecendo à lei.

Isaías 42:2-4
Não clamará, não se exaltará, nem fará ouvir a sua voz na praça.
3 - A cana trilhada não quebrará, nem apagará o pavio que fumega;

139
com verdade trará justiça.4 - Não faltará, nem será quebrantado, até
que ponha na terra a justiça; e as ilhas aguardarão a sua lei.

O messias ensinará a lei de Deus, não só para Israel, mas para
todas as nações, para que todos sejam justificados porque a
justiça provém de Deus, que é o único justo. No capítulo 41, Deus
disse que sempre sustentará Israel com a sua destra fiel.

Isaías 42:5-6
Assim diz Deus, o Senhor, que criou os céus, e os estendeu, e espraiou
a terra, e a tudo quanto produz; que dá a respiração ao povo que nela
está, e o espírito aos que andam nela. 6 - Eu, o Senhor, te chamei em
justiça, e te tomarei pela mão, e te guardarei, e te darei por aliança
do povo, e para luz dos gentios.

O novo testamento encaixou este verso em Lucas 2:32 e Atos
26:23 dizendo que se refere a Jesus e em Atos 13:47 para tentar
nos convencer de que a palavra de Deus foi retirada dos israelitas
para ser dada aos gentios. Uma mentira estapafúrdia e desonesta!

Lucas 2:32
Luz para iluminar as nações, E para glória de teu povo Israel.
Atos 26:23
Isto é, que o Cristo devia padecer, e sendo o primeiro da ressurreição
dentre os mortos, devia anunciar a luz a este povo e aos gentios.
Atos 13:47
Porque o Senhor assim no-lo mandou:eu te pus para luz dos gentios,
a fim de que sejas para salvação até os confins da terra.

Analisando o verso no contexto do capítulo, podemos entender
exatamente o que deus está dizendo:

140
 O povo de Israel foi escolhido para ser luz para as nações
ensinando a palavra de Deus (TOTALMENTE IGNORADA
HOJE) aos povos de toda parte do mundo.

Êxodo 19:6
E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo. Estas são as
palavras que falarás aos filhos de Israel.
Zacarias 8:23
Assim diz o Senhor dos Exércitos: Naquele dia sucederá que pegarão
dez homens, de todas as línguas das nações, pegarão, sim, na orla
das vestes de um judeu, dizendo: Iremos convosco, porque temos
ouvido que Deus está convosco.

Mas Israel começou a falhar a partir da semente de Davi, o rei
Salomão. Ele falhou porque construiu templos para os ídolos de
suas muitas mulheres estrangeiras. Foi por isso que Israel se
dividiu em dois reinos e se perdeu no caminho da idolatria, mas
agora Israel está sendo reerguido, como visto do livro do profeta
Jeremias, onde a semente de Davi, o renovo, é chamado de
“Deus, justiça nossa”.

Jeremias 23:5-6
Eis que vêm dias, diz Jeová, em que levantarei a Davi um Renovo
justo, que como rei reinará, procederá sabiamente e executará o juízo
e a justiça na terra. 6 - Nos seus dias será salvo Judá, e Israel habitará
seguro; este é o nome de que será chamado: Jeová é a nossa justiça.

Isto não se refere a Jesus por que:

1. Ele nunca foi chamado de “Deus, justiça nossa”
2. Ele não executou a justiça na terra.
3. Nos dias de Jesus, Judá não foi salvo e Israel não habitou
seguro, pelo contrário, Judá (reino do sul – Judá,
sacerdotes levitas e Benjamin) foi dominado por roma, teve
141
que pagar altos impostos e foi obrigado a fugir de sua
própria terra e se espalhar pela África, para preservar suas
vidas. Israel (reino do norte – dez tribos) nem estava na
terra santa, nessa época, porque eles já haviam sido
dispersos há 718 anos, logo após os 3 anos de cativeiro na
assíria.
4. E Jesus não cumpriu a profecia de reunir os dois reinos.

Então, é óbvio, Isaías 42:6 e Jeremias 23:5-6 estão falando da
semente de Davi, o descendente do rei Davi que sairá das suas
entranhas.

2 Samuel 7:12
Quando teus dias forem completos, e vieres a dormir com teus pais,
então farei levantar depois de ti um dentre a tua descendência, o qual
sairá das tuas entranhas, e estabelecerei o seu reino.

Isto não se refere a Jesus porque ele não é filho de José e sim do
espírito santo, portanto, ele não é descendente carnal do rei Davi
e jamais poderia herdar o seu trono.

Deus mandou Isaías confundir o povo de israel.

Isaías 6:8-13
Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem
irá por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim. 9 - Disse,
pois, ele: Vai, e dize a este povo: Ouvis, de fato, e não entendeis, e
vedes, em verdade, mas não percebeis. 10 - Engorda o coração deste
povo, e endurece-lhe os ouvidos, e fecha-lhe os olhos; para que ele
não veja com os olhos, e ouça com os ouvidos, e entenda com o
coração, e se converta, e seja sarado. 11 - Então disse eu: Até quando,
Senhor? E respondeu: Até que sejam assoladas as cidades, e fiquem
sem habitantes, e as casas sem moradores, e a terra seja de todo
assolada, 12 - e o Senhor tenha removido para longe dela os homens,
142
e sejam muitos os lugares abandonados no meio da terra. 13 - Mas se
ainda ficar nela a décima parte, tornará a ser consumida, como o
terebinto, e como o carvalho, dos quais, depois de derrubados, ainda
fica o toco. A santa semente é o seu toco.

Deus mandou fechar os ouvidos, os olhos e o coração do povo
para que não pudessem entender, porque era tempo de castigá-
los, de discipliná-los. O criador fez isso porque já havia enviado
profetas para exortar o povo a parar de adorar ídolos como Baal,
que diziam ser filho de El, assim como dizem hoje, que Jesus é
filho de Deus, mas o povo não quis ouvir e continuou na idolatria.
Foi por isso que Deus os castigou retirando-os da terra santa.

Nota:

O “deus” (na realidade os religiosos) onipotente, onisciente e
onipresente precisa castigar e disciplinar suas criaturas porque se elas
comportam exatamente como projetadas e construídas por ele. Por
que não corrigiu os erros na fase de projeto? QUEM VAI CRER NUMA
LOROTAS DESTAS? BILHÕES DE PARVOS, POR INCRÍVEL QUE
PAREÇA!

Aqui em Isaías 6:8-13, é onde se percebe nitidamente o truque mais
comum usado pelos escritores bíblicos, relatar eventos reais após os
fatos e atribuí-los ao seu deus imaginário. Este mesmo truque também
é utilizado pelos parasitas religiosos como ameaça para conseguirem
obediência e servidão do povo ignorante diante da acirrada
concorrência com outras crenças. Mesmo hoje, em pleno século 21,
continuam usando o mesmo truque ... porque não possuem nenhum
outro meio.

Deus – NÃO JESUS - é o único salvador segundo o antigo
testamento. Não há e nem é necessário nenhum outro, segundo
o livro primitivo.

143
Isaías 43:3
Porque eu sou o Senhor teu Deus, o Santo de Israel, o teu Salvador;
....
Isaías 43:14
Assim diz o SENHOR, vosso Redentor, o Santo de Israel: Por amor de
vós enviei a babilônia, e a todos fiz descer como fugitivos, os caldeus,
nos navios com que se vangloriavam.
Isaías 45:22
Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os termos da terra; porque
eu sou Deus, e não há outro.
Isaías 47:4
O nosso redentor cujo nome é o Senhor dos Exércitos, é o Santo de
Israel.
Isaías 48:17
Assim diz o Senhor, o teu Redentor, o Santo de Israel: Eu sou o Senhor
teu Deus, que te ensina o que é útil, e te guia pelo caminho em que
deves andar.

Isaías 42:6 diz que o messias será “mediador da aliança com o
povo” porque ele vai ensinar a Israel que deve regressar à lei de
Deus.

Malaquias 4:4
Lembrai-vos da lei de Moisés, meu servo, que lhe mandei em Horebe
para todo o Israel, a saber, estatutos e juízos.

Então o messias será mediador da aliança que Deus fez com
Israel, ensinando que deve regressar à lei de Deus, assim como
Moisés ensinou. A partir deste momento, o povo de Israel se
recorda da aliança, regressa a Deus com todo o coração, passa a
obedecer à lei e a receber a sabedoria de Deus, então, volta a ser
luz para as nações novamente, porque voltarão a ensinar a lei de
Deus a todas as nações. É por isso que, além do messias,
Jerusalém também será chamada de “Deus, justiça nossa”.
144
Jeremias 33:16
Naqueles dias Judá será salvo e Jerusalém habitará seguramente; e
este é o nome com o qual Deus a chamará: O Senhor é a nossa justiça.

Desde que os reinos foram divididos em reino do norte e reino do
sul, Jerusalém passou a representar os descendentes de Davi
(judaitas) e os sacerdotes levitas.

 O messias vai trazer luz às nações ensinando-lhes a se
aproximar de Deus obedecendo a sua lei. As escrituras não
dizem que o messias será um homem-deus que transforma
água em vinho, pães em peixes, anda sobre as águas, cura
os enfermos ou ressuscita dos mortos e sim que ele será
um homem comum, descendente do rei Davi, que vai
ensinar ao povo de Israel que eles precisam regressar à lei
de Deus.

Isaías 42:7
Para abrir os olhos dos cegos, para tirar da prisão os presos, e do
cárcere os que jazem em trevas.

Você lembra de Isaías 26? A ordem era para fechar os ouvidos, os
olhos e o coração do povo, para que não entendam e sejam
escravos do pecado. Aqui, o tempo do castigo já terminou, então,
a ordem dada ao messias é diferente. Deus diz para abrir os olhos
do povo e libertá-los da prisão do pecado (desobediência à lei). A
única maneira de libertar o povo do pecado é ensinando a lei.

Isaías 42:8
Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem
não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura.

145
Deus disse que não dará sua glória a ninguém, então o que dizem
a respeito de Jesus, que ele é filho do criador, que recebeu de seu
pai poderes para curar, que ele é o salvador e etc. É tudo
mentira!!!

Não adianta vir com o argumento de que o nome do filho é
composto pelo nome do pai e que o nome dele significa salvação
de deus porque o sucessor de Moisés e vários outros israelitas
tinham esse nome. As escrituras NÃO dizem que o messias se
chamará yeshua/yahushua/jesus (salvação de Deus) e sim “Deus
justiça nossa”.

Jeremias 23:6
Nos seus dias Judá será salvo, e Israel habitará seguro; e este será o
seu nome, com o qual Deus o chamará: O SENHOR JUSTIÇA NOSSA.

Isaías 42:9
Eis que as primeiras coisas já se cumpriram, e as novas eu vos
anuncio, e, antes que venham à luz, vo-las faço ouvir.

Nesta época, as primeiras coisas já terão se cumprido. Israel e
Judá já foram castigados, já se arrependeram, pediram perdão a
Deus e ele os perdoou.

Isaías 40:1-2
Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus. 2 - Falai
benignamente a Jerusalém, e bradai-lhe que já a sua milícia é
acabada, que a sua iniqüidade está expiada e que já recebeu em dobro
da mão do Senhor, por todos os seus pecados.

O povo de Israel passa a obedecer a lei e recebe sabedoria de
Deus, então, volta a cumprir sua missão, que é ensinar a lei de
Deus às nações, por isso são luz para as nações.
146
16 - Jeremias 33 não fala de Jesus

Jeremias 33:14-16
Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que cumprirei a boa palavra que
falei à casa de Israel e à casa de Judá; 15 - Naqueles dias e naquele
tempo farei brotar a Davi um Renovo de justiça, e ele fará juízo e
justiça na terra. 16 - Naqueles dias Judá será salvo e Jerusalém
habitará seguramente; e este é o nome com o qual Deus a chamará:
O Senhor é a nossa justiça.

Isto não pode se referir a Jesus porque desde o tempo em que ele
supostamente esteve na terra até hoje, não há justiça, segurança,
nem paz. (E o mesmo vale para Deus: dois fracassados).

Jeremias 33:17
Porque assim diz o Senhor: Nunca faltará a Davi homem que se
assente sobre o trono da casa de Israel;

Nota: O último rei foi Oseias, deposto em 732AC. Então já são quase
3000 anos faltando homem sobre o trono de Israel.

Depois do rei Davi, quem assumiu o trono foi seu filho, Salomão,
depois seu neto, depois seu bisneto e por aí vai. Todos os reis são
descendentes de Davi por parte de seu filho Salomão, conforme a
profecia que Deus deu através de Natan, em 2 samuel 7:12-16.

2 Samuel 7:12-16
12 - Quando teus dias forem completos, e vieres a dormir com teus
pais, então farei levantar depois de ti um dentre a tua descendência,
o qual sairá das tuas entranhas, e estabelecerei o seu reino. 13 - Este
edificará uma casa ao meu nome, e confirmarei o trono do seu reino
para sempre. 14 - Eu lhe serei por pai, e ele me será por filho; e, se
vier a transgredir, castigá-lo-ei com vara de homens, e com açoites
de filhos de homens. 15 - Mas a minha benignidade não se apartará

147
dele; como a tirei de Saul, a quem tirei antes de ti. 16 - Porém a tua
casa e o teu reino serão firmados para sempre diante de ti; teu trono
será firme para sempre.

Jeremias 33:18
Nem aos sacerdotes levíticos faltará homem diante de mim, que
ofereça holocausto, queime oferta de alimentos e faça sacrifício todos
os dias.

Como não existe mais o trono de Israel e ninguém mais faz
sacrifícios, isto (dizem) será no futuro, quando for construído o
terceiro templo.

 Se Jesus morreu, na cruz ou no madeiro, pelos
pecados da humanidade, por que Deus diz que haverá
mais sacrifícios ... para sempre?

Jeremias 33:19-21
19 - E veio a palavra do Senhor a Jeremias, dizendo: 20 - Assim diz o
Senhor: Se puderdes invalidar a minha aliança com o dia, e a minha
aliança com a noite, de tal modo que não haja dia e noite a seu tempo,
21 - Também se poderá invalidar a minha aliança com Davi, meu
servo, para que não tenha filho que reine no seu trono; como também
com os levitas, sacerdotes, meus ministros.

Deus disse que enquanto houver dia e noite, sempre haverá um
descendente de Davi para assumir o trono de Israel e sempre
haverá sacerdotes levitas para ministrar no templo. Como o dia e
a noite continuam existindo, a aliança de Deus continua valendo
e Jesus é uma farsa total.

Jeremias 33:22

148
Como não se pode contar o exército dos céus (estrelas), nem medir-
se a areia do mar, assim multiplicarei a descendência de Davi, meu
servo, e os levitas que ministram diante de mim.

Os descendentes de Davi (judaítas) e os descendentes de Levi
(levitas) serão tão numerosos que não se pode contar. Mesmo
passando pela escravidão, segregação racial, linchamento, açoite,
enfermidades e todo mal que passaram, sendo muitos deles
assassinados, jamais serão completamente eliminados e se
multiplicarão a ponto de não poderem ser contados.

Jeremias 33:23-24
E veio ainda a palavra do Senhor a Jeremias, dizendo:
24 - Porventura não tens visto o que este povo está dizendo: As duas
gerações, que o Senhor escolheu, agora as rejeitou? Assim desprezam
o meu povo, como se não fora mais uma nação diante deles.

Os líderes religiosos ensinam que o povo de Israel foi rejeitado e
que o altíssimo colocou os cristãos/messiânicos em seu lugar.
Nestes versos, vemos que isto é uma mentira que desagrada
muito ao criador.

Os messiânicos dizem que Jesus é judaita, segundo a semente de
Davi (como poderia ser, se ele foi concebido pelo espírito santo?),
e ao mesmo tempo, é levita, segundo a ordem de Melquisedeque.
Dizendo isso, eles estão indo contra o que o criador diz em sua
profecia, pois falando que Jesus é o messias, eles estão afirmando
que Israel foi rejeitado, mas ele nem sequer é descendente de
Davi e foi inventado por um povo que não é israelita.

Uma vez que eles elegeram um homem-deus, que não descende
de Davi, dizendo que ele é o próprio filho do criador, dizendo que
ele é o salvador, colocando este homem-deus no mesmo patamar
149
que o próprio criador, atribuindo-lhe poderes que só o criador tem,
e dizendo que o povo de Deus são os seguidores deste ídolo, eles
estão desprezando o verdadeiro povo de Deus e isto o aborrece
(segundo os judeus/israelitas).

Pessoas do mundo inteiro seguem este homem-deus que chamam
de Jesus; milhões de gentios o seguem. Como podem dizer que
os seguidores deste ídolo são o povo de Deus? De onde tiraram
isso?

Jeremias 33:25-26
Assim diz o Senhor: Se a minha aliança com o dia e com a noite não
permanecer, e eu não puser as ordenanças dos céus e da terra,
26 - Também rejeitarei a descendência de Jacó, e de Davi, meu servo,
para que não tome da sua descendência os que dominem sobre a
descendência de Abraão, Isaque, e Jacó; porque removerei o seu
cativeiro, e apiedar-me-ei deles.

1 - Conclusão

Ainda existe dia e noite, então, o povo de Israel não foi rejeitado
e sempre haverá um descendente de Davi para assumir o trono
de Israel.

Jesus não é descendente de Davi porque ele é filho do espírito
santo. As escrituras dizem que o messias tem de ser descendente
de Davi segundo a carne. 2 Samuel 7:12-17 e Jeremias 33:14-26
dizem que o messias tem que proceder do rei Davi. Para ser
messias (ungido), ele tem de sair das entranhas do rei Davi.
Somente os descendentes do rei Davi, segundo a carne, podem
assumir o seu trono. Se ele não preenche este requisito, não pode
ser o messias, então, nem precisamos perder mais tempo.

150
17 - Daniel 9:24-27 não fala de Jesus

Daniel 9:24-27
24 - Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, e sobre
a tua santa cidade, para cessar a transgressão, e para dar fim aos
pecados, e para expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar
a visão e a profecia, e para ungir o Santíssimo. 25 - Sabe e entende:
desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém,
até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas
semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos
angustiosos. 26 - E depois das sessenta e duas semanas será cortado
o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe, que há de
vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma
inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as
assolações. 27 - E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e
na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a
asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o
que está determinado será derramado sobre o assolador.

Daniel 9 é um dos capítulos mais mal interpretados pelos cristãos,
especialmente pelos pastores evangélicos que ensinam esta
profecia de maneira errada porque não têm conhecimento ou são
desonestos e a utilizam para enganar os seus crentes.

Isaías 28:13
Assim, pois, a palavra do Senhor lhes será mandamento sobre
mandamento, mandamento e mais mandamento, regra sobre regra,
regra e mais regra, um pouco aqui, um pouco ali; para que vão, e
caiam para trás, e se quebrantem e se enlacem, e sejam presos.

Vamos analisar este capítulo versículo por versículo, pois esta
profecia envolve outras:

Daniel 9:1

151
No ano primeiro de Dario, filho de Assuero, da linhagem dos medos,
o qual foi constituído rei sobre o reino dos caldeus,

Ciro, o rei persa, constituiu Dario (filho de Assuero) rei da
Babilônia, então, estamos vendo que o tempo histórico em que
Daniel está falando é o primeiro ano do reinado de Dario na
Babilônia.

Daniel 9:2-19

2 - No primeiro ano do seu reinado, eu, Daniel, entendi pelos livros
que o número dos anos, de que falara o Senhor ao profeta Jeremias,
em que haviam de cumprir-se as desolações de Jerusalém, era de
setenta anos. 3 - E eu dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para o
buscar com oração e súplicas, com jejum, e saco e cinza. 4 - E orei ao
Senhor meu Deus, e confessei, e disse: Ah! Senhor! Deus grande e
tremendo, que guardas a aliança e a misericórdia para com os que te
amam e guardam os teus mandamentos; 5 - Pecamos, e cometemos
iniqüidades, e procedemos impiamente, e fomos rebeldes, apartando-
nos dos teus mandamentos e dos teus juízos; 3 - E não demos ouvidos
aos teus servos, os profetas, que em teu nome falaram aos nossos
reis, aos nossos príncipes, e a nossos pais, como também a todo o
povo da terra. 7 - A ti, ó Senhor, pertence a justiça, mas a nós a
confusão de rosto, como hoje se vê; aos homens de Judá, e aos
moradores de Jerusalém, e a todo o Israel, aos de perto e aos de
longe, em todas as terras por onde os tens lançado, por causa das
suas rebeliões que cometeram contra ti. 8 - Ó Senhor, a nós pertence
a confusão de rosto, aos nossos reis, aos nossos príncipes, e a nossos
pais, porque pecamos contra ti. 9 - Ao Senhor, nosso Deus, pertencem
a misericórdia, e o perdão; pois nos rebelamos contra ele, 10 - E não
obedecemos à voz do Senhor, nosso Deus, para andarmos nas suas
leis, que nos deu por intermédio de seus servos, os profetas. 11 - Sim,
todo o Israel transgrediu a tua lei, desviando-se para não obedecer à
tua voz; por isso a maldição e o juramento, que estão escritos na lei
de Moisés, servo de Deus, se derramaram sobre nós; porque pecamos
152
contra ele. 12 - E ele confirmou a sua palavra, que falou contra nós, e
contra os nossos juízes que nos julgavam, trazendo sobre nós um
grande mal; porquanto debaixo de todo o céu nunca se fez como se
tem feito em Jerusalém. 13 - Como está escrito na lei de Moisés, todo
este mal nos sobreveio; apesar disso, não suplicamos à face do Senhor
nosso Deus, para nos convertermos das nossas iniqüidades, e para
nos aplicarmos à tua verdade. 14 - Por isso o Senhor vigiou sobre o
mal, e o trouxe sobre nós; porque justo é o Senhor, nosso Deus, em
todas as suas obras, que fez, pois não obedecemos à sua voz. 15 -
Agora, pois, ó Senhor, nosso Deus, que tiraste o teu povo da terra do
Egito com mão poderosa, e ganhaste para ti nome, como hoje se vê;
temos pecado, temos procedido impiamente. 16 - Ó Senhor, segundo
todas as tuas justiças, aparte-se a tua ira e o teu furor da tua cidade
de Jerusalém, do teu santo monte; porque por causa dos nossos
pecados, e por causa das iniqüidades de nossos pais, tornou-se
Jerusalém e o teu povo um opróbrio para todos os que estão em redor
de nós. 17 - Agora, pois, ó Deus nosso, ouve a oração do teu servo, e
as suas súplicas, e sobre o teu santuário assolado faze resplandecer o
teu rosto, por amor do Senhor. 18 - Inclina, ó Deus meu, os teus
ouvidos, e ouve; abre os teus olhos, e olha para a nossa desolação, e
para a cidade que é chamada pelo teu nome, porque não lançamos as
nossas súplicas perante a tua face fiados em nossas justiças, mas em
tuas muitas misericórdias. 19 - Ó Senhor, ouve; ó Senhor, perdoa; ó
Senhor, atende-nos e age sem tardar; por amor de ti mesmo, ó Deus
meu; porque a tua cidade e o teu povo são chamados pelo teu nome.

 Observe o contexto do verso 1 ao verso 19, Daniel suplica
por Israel, especialmente pelo reino do sul (Juda, Levi e
Benjamim), que foi levado em cativeiro à Babilônia, em 606
AEC.

Em 606 AEC. Nabucodonosor levou cativo o reino do sul, desde
então, começou a contagem dos 70 anos profetizados por Deus,
através de Jeremias.

153
Jeremias 25:1-14

1 - A palavra que veio a Jeremias acerca de todo o povo de Judá no
quarto ano de Jeoiaquim, filho de Josias, rei de Judá (que é o primeiro
ano de Nabucodonosor, rei de babilônia), 2 - A qual anunciou o profeta
Jeremias a todo o povo de Judá, e a todos os habitantes de Jerusalém,
dizendo: 3 - Desde o ano treze de Josias, filho de Amom, rei de Judá,
até o dia de hoje, período de vinte e três anos, tem vindo a mim a
palavra do Senhor, e vo-la tenho anunciado, madrugando e falando;
mas vós não escutastes. 4 - Também vos enviou o Senhor todos os
seus servos, os profetas, madrugando e enviando-os, mas vós não
escutastes, nem inclinastes os vossos ouvidos para ouvir, 5 - Quando
diziam: Convertei-vos agora cada um do seu mau caminho, e da
maldade das suas ações, e habitai na terra que o Senhor vos deu, e a
vossos pais, para sempre. 6 - E não andeis após outros deuses para
os servirdes, e para vos inclinardes diante deles, nem me provoqueis
à ira com a obra de vossas mãos, para que não vos faça mal. 7 -
Porém não me destes ouvidos, diz o Senhor, mas me provocastes à
ira com a obra de vossas mãos, para vosso mal. 8 - Portanto assim
diz o Senhor dos Exércitos: Visto que não escutastes as minhas
palavras, 9 - Eis que eu enviarei, e tomarei a todas as famílias do
norte, diz o SENHOR, como também a Nabucodonosor, rei de
babilônia, meu servo, e os trarei sobre esta terra, e sobre os seus
moradores, e sobre todas estas nações em redor, e os destruirei
totalmente, e farei que sejam objeto de espanto, e de assobio, e de
perpétuas desolações. 10 - E farei desaparecer dentre eles a voz de
gozo, e a voz de alegria, a voz do esposo, e a voz da esposa, como
também o som das mós, e a luz do candeeiro. 11 - E toda esta terra
virá a ser um deserto e um espanto; e estas nações servirão ao rei de
babilônia setenta anos. 12 - Acontecerá, porém, que, quando se
cumprirem os setenta anos, visitarei o rei de babilônia, e esta nação,
diz o SENHOR, castigando a sua iniqüidade, e a da terra dos caldeus;
farei deles ruínas perpétuas. 13 - E trarei sobre aquela terra todas as
minhas palavras, que disse contra ela, a saber, tudo quanto está
escrito neste livro, que profetizou Jeremias contra todas estas nações.
14 - Porque também deles se servirão muitas nações e grandes reis

154
(como escravos); assim lhes retribuirei segundo os seus feitos, e
segundo as obras das suas mãos.

Durante três anos, o profeta Jeremias admoestou o reino do sul
(Judá, Levi e Benjamim) dizendo para não seguirem outros
deuses, mas eles não escutaram, por isso que foram levados
cativos.

O profeta Daniel se pôs a orar porque pensou que os 70 anos não
tinham se cumprido, quando o reino da Babilônia foi tomado pelo
império medo-persa, em 538 AEC. Daniel temeu que a ira de Deus
não tivesse se afastado de Israel, então, ele começou a confessar
toda a maldade e a suplicar perdão pelos pecados do povo,
especificamente de Jerusalém.

Daniel 9:20-24
20 - Estando eu ainda falando e orando, e confessando o meu pecado,
e o pecado do meu povo Israel, e lançando a minha súplica perante a
face do Senhor, meu Deus, pelo monte santo do meu Deus, 21 -
Estando eu, digo, ainda falando na oração, o homem Gabriel, que eu
tinha visto na minha visão ao princípio, veio, voando rapidamente, e
tocou-me, à hora do sacrifício da tarde. 22 - Ele me instruiu, e falou
comigo, dizendo: Daniel, agora saí para fazer-te entender o sentido.
23 - No princípio das tuas súplicas, saiu a ordem, e eu vim, para to
declarar, porque és mui amado; considera, pois, a palavra, e entende
a visão. 24 - Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo,
e sobre a tua santa cidade, para cessar a transgressão, e para dar fim
aos pecados, e para expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e
selar a visão e a profecia, e para ungir o Santíssimo.

Por causa da súplica de Daniel, Deus enviou o mensageiro Gabriel
para lhe dar entendimento do que iria acontecer no futuro do
povo.

155
 24 - Setenta semanas estão determinadas sobre o teu
povo, e sobre a tua santa cidade, para cessar a
transgressão, e para dar fim aos pecados, e para expiar a
iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a
profecia, e para ungir o Santíssimo.

Gabriel disse a Daniel que setenta semanas estão determinadas
para terminar o cativeiro de setenta anos na Babilônia. Setenta
semanas equivalem a um ano e quatro meses. Os setenta anos
de cativeiro começaram em 606 aec. Então, o império medo-persa
conquistou a Babilônia em 538 aec. Faltando apenas um ano e
quatro meses para terminar os 70 anos do cativeiro dos israelitas
na Babilônia. Basta fazer um simples cálculo matemático e
subtrair 70 anos de cativeiro de 606, que foi o ano em que
começou o cativeiro para chegarmos ao resultado de 536, que foi
o ano em que terminou o cativeiro.

 606 (ano em que começou o cativeiro)
 - 70 (duração do cativeiro)
 536 (ano em que terminou o cativeiro).

A profecia de Daniel está de acordo com a profecia de Jeremias
25:1-14 e também com a profecia de Isaías, se verdadeira.

Isaías 44:28 (Segundo Isaías)
Que digo de Ciro: É meu pastor, e cumprirá tudo o que me apraz,
dizendo também a Jerusalém: Tu serás edificada; e ao templo: Tu
serás fundado.

1 - A Profecia falsa de Ciro.

Segundo praticamente todos os estudiosos bíblicos, esta profecia
é absolutamente falsa, pois o livro de Isaias é formado por, no
mínimo, dois livros com autorias diferentes, o primeiro formado
156
pelos versículos 1 ao 39, a parte mais antiga; e o resto, do 40 ao
66, que provavelmente foi acrescentado no tempo de Ciro e
convertido em profecia. Alguns atribuem ainda os versículos 56
ao 66 a um terceiro autor. Algo muito comum na Bíblia é a
conversão de fatos já ocorridos (como neste caso) em profecias
mais tarde, pois é fato inquestionável que todos os livros são
reeditados e suas autorias são absolutamente anônimas.

Então, o segundo (40-55) e o terceiro Isaías (56-66) seriam
apenas relatos históricos escritos no tempos dos fatos e
convertidos em profecias ... nada incomum na Bíblia.

Quando Daniel 9:24 diz para ungir o santo dos santos, isto
significa ungir Deus, que é o único santo dos santos. O verso está
dizendo para restringir, diminuir, conter, abster-se do pecado.
Cada indivíduo decide fazer o bem ou o mal. Esta é a justiça de
Deus, (pois Deus criou o mal para ser praticado e punir por sua
prática, segundo a Bíblia). O que existe em uma tentação? O bem
e o mal. Você vê um lingote de ouro caído na entrada da casa de
alguém e vem a tentação: “devo roubar? Não, porque roubar é
algo injusto e mau”. Isto é abster-se do pecado.

 Quando o verso diz para fazer cessar a transgressão, dar
fim aos pecados e expiar a iniquidade, não significa eliminar
completamente. Isso seria impossível, pois o pecado nunca
vai acabar.

A verdade é que em parte alguma das escrituras é dito que não
vamos pecar. Sempre vamos pecar. É por isso que, quando Israel,
o povo de Deus, regressar à terra, será construído o terceiro
templo, como profetizado nos capítulos 30, 31 e 33 de Jeremias,
e os sacerdotes levitas farão sacrifícios todos os dias.

Jeremias 33:17-18

157
Porque assim diz o Senhor: Nunca faltará a Davi homem que se
assente sobre o trono da casa de Israel; 18 - Nem aos sacerdotes
levíticos faltará homem diante de mim, que ofereça holocausto,
queime oferta de alimentos e faça sacrifício todos os dias.

Isto também é confirmado nos capítulos 49, 56, 60 e 66 de Isaías
e nos capítulos 40 a 48 de Ezequiel. Todos estes capítulos falam
acerca do terceiro templo.

 Se Jesus é o messias e cumpriu a profecia de Daniel 9,
então, por que vai haver outro templo no qual vai haver
mais sacrifícios?

Nota: Mas pelo andar da carruagem do mundo real, parece que o
terceiro templo e a segunda vinda de Cristo pertencem ao reino
da fábula, pois uns esperam há quase 3.000 anos e outros há mais
de 2000 anos.

Daniel 9:25
Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para
edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas,
e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em
tempos angustiosos.

O mensageiro Gabriel está dizendo a Daniel que desde a ordem
para restaurar e edificar a cidade até o messias serão 69 semanas.

Messias significa “ungido”. Esta ordem seria dada ao príncipe
messias (ungido), mas quem deu a ordem de restaurar e edificar
Jerusalém? Quem é este príncipe messias?

Isaías 44:28 (Segundo Isaías)

158
Que digo de Ciro: É meu pastor, e cumprirá tudo o que me apraz,
dizendo também a Jerusalém: Tu serás edificada; e ao templo: Tu
serás fundado.

Então, quem deu a ordem foi Ciro. Ele é o ungido de Deus, neste
caso. Deus chama Ciro de “meu pastor” porque ele fazia a sua
vontade.

Isaías 45:1-2 (Segundo Isaías)
Assim diz o SENHOR ao seu ungido, a Ciro, a quem tomo pela mão
direita, para abater as nações diante de sua face, e descingir os
lombos dos reis, para abrir diante dele as portas, e as portas não se
fecharão.
2 Crônicas 36:22-23
Porém, no primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia (para que se cumprisse
a palavra do Senhor pela boca de Jeremias), despertou o Senhor o
espírito de Ciro, rei da Pérsia, o qual fez passar pregão por todo o seu
reino, como também por escrito, dizendo: 23 - Assim diz Ciro, rei da
Pérsia: O Senhor Deus dos céus me deu todos os reinos da terra, e
me encarregou de lhe edificar uma casa em Jerusalém, que está em
Judá. Quem há entre vós, de todo o seu povo, o Senhor seu Deus seja
com ele, e suba.

O livro de Esdras diz exatamente a mesma coisa.

Esdras 1:1-3
1 - No primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia (para que se cumprisse a
palavra do SENHOR, pela boca de Jeremias), despertou o SENHOR o
espírito de Ciro, rei da Pérsia, o qual fez passar pregão por todo o seu
reino, como também por escrito, dizendo: 2 - Assim diz Ciro, rei da
Pérsia: O Senhor Deus dos céus me deu todos os reinos da terra, e
me encarregou de lhe edificar uma casa em Jerusalém, que está em
Judá. 3 - Quem há entre vós, de todo o seu povo, seja seu Deus com
ele, e suba a Jerusalém, que está em Judá, e edifique a casa do Senhor
Deus de Israel (ele é o Deus) que está em Jerusalém.
159
Este é o “cumprimento da profecia” de Isaías 44:28.

Esdras 1:5
Então se levantaram os chefes dos pais de Judá e Benjamim, e os
sacerdotes e os levitas, com todos aqueles cujo espírito Deus
despertou, para subirem a edificar a casa do Senhor, que está em
Jerusalém.

Como podemos ver, quem construiu o templo foram as tribos
africanas: Judá, Benjamim e os sacerdotes de Levi, que moravam
em Jerusalém. Vimos que quem deu a ordem para construir o
templo foi Ciro e quem construiu foram as tribos do sul, ou seja,
as tribos africanas, mas:

 Quem é o príncipe messias?
 Quem é o príncipe ungido?
 É Sesbazar.

Sesbazar é o nome que foi dado a Zorobabel no cativeiro, assim
como também o nome de Daniel foi mudado para Belsazar.

Sesbazar/Zorobavel era príncipe de Judá e foi encarregado, pelo
rei Ciro, pelos primeiros exilados a retornarem da Babilônia. Ao
conduzir os israelitas de volta, Sesbazar levou consigo os
utensílios de ouro e de prata que Nabucodonosor saqueara do
templo. Ao chegar a Jerusalém, lançou os alicerces do segundo
templo.

Esdras 1:7-8
Também o rei Ciro tirou os utensílios da casa do Senhor, que
Nabucodonosor tinha trazido de Jerusalém, e que tinha posto na casa
de seus deuses. 8 - Estes tirou Ciro, rei da Pérsia, pela mão de
160
Mitredate, o tesoureiro, que os entregou contados a Sesbazar, príncipe
de Judá.

O verso 8 diz claramente que o príncipe messias de judá Sesbazar
(Zorobabel). A ordem de reconstruir o templo foi dada por Ciro a
Zorobavel, que era o príncipe ungido, o príncipe messias.

1. Todos os príncipes, reis e sacerdotes de Judá são
ungidos/messias.
2. Todos os profetas de Israel foram ungidos/messias.
3. Em números 22, você pode ver que até mesmo uma
jumenta foi ungida para falar a Balaão.
4. A palavra messias significa, simplesmente “ungido” e nada
mais.

Qualquer um que possa ler com algum entendimento, pode
perceber que os pastores que ensinam no púlpito que esta
profecia de Daniel 9:25 fala de Jesus cristo estão mentindo. Todos
que dizem no youtube, sites e redes sociais, que esta profecia se
refere a Jesus estão mentindo.

 Basta ler Esdras 1:1-3, 2 Crônicas 36:22-23 e Esdras 1:7-
8 para perceber na hora que esta profecia não está falando
de Jesus e sim de Zorobavel, cujo nome no cativeiro
Sesbazar.

Esdras 2:64
Toda esta congregação junta foi de quarenta e dois mil trezentos e
sessenta (42.360),

Então, de todo o povo de Israel que foi levado cativo, somente
42.360 regressaram a Jerusalém. Agora, lembre-se do que diz o
livro de Isaías.
161
Isaías 7:3
Então disse o Senhor a Isaías: Agora, tu e teu filho Sear-Jasube, saí
ao encontro de Acaz, ao fim do canal do tanque superior, no caminho
do campo do lavandeiro.
Isaías 8:18
Eis-me aqui, com os filhos que me deu o Senhor, por sinais e por
maravilhas em Israel, da parte do Senhor dos Exércitos, que habita
no monte de Sião.

O primeiro filho de Isaías é Sear-Jasube, que significa “um
remanescente voltará”. Seu nome era um sinal dos 42.360
remanescentes que retornariam a Jerusalém.

Daniel 9:26 - NVI
Depois das sessenta e duas semanas, o Ungido será *morto, e já não
haverá lugar para ele. A cidade e o lugar santo serão destruídos pelo
povo do governante que virá. O fim virá como uma inundação:
Guerras continuarão até o fim, e desolações foram decretadas.

*: Algumas Bíblias trazem “morto” e outras “cortado”.

Os tradutores cometeram um erro mal-intencionado ao traduzir a
palavra “karath” como “morto” para sustentar a idolatria a Jesus.
A palavra karath (03772), em hebraico, significa cortar, destruir,
remover, extirpar, ser cortado. Uma prova de que a palavra karath
foi mal traduzida é encontrada nas profecias de ageu e zacarias,
que veremos mais adiante. Daniel 9:26 não está dizendo que o
príncipe ungido seria sacrificado ou morto e sim que os planos de
Zorobavel seriam destruidos.

 A missão de Zorobabel e dos que vieram com ele do
cativeiro da Babilônia, era a reconstrução do segundo
templo em Jerusalém.

162
Os chamados samaritanos, descendentes de Esaú, que são os
judeus de hoje, ou seja, os edomitas, escreveram uma carta
mentirosa a ciro. Quando os judeus traduziram este livro,
ocultaram o nome de Ciro do capítulo 4 de Esdras e colocaram o
nome de Artaxerxes, mas isto é uma fraude porque ele ainda não
havia nascido. Ele assumiu o poder em 465 AEC e Zorobavel viveu
em 500 AEC.

O príncipe messias Zorobabel e todos que regressaram com ele
foram impedidos de reconstruir o templo depois de 62 semanas
do regresso. A construção foi embargada em 535 AEC. Isto pode
ser visto claramente em Esdras 4. Quando Daniel soube que a
construção havia parado, ele começou a afligir seu espírito, como
se vê em Daniel 10:2-3, mas a razão principal foi ocultada pelos
judeus. Artaxerxes permitiu que Neemias regressasse, em 444
AEC. Foi nessa época que a praça e os muros foram edificados,
mas o templo já havia sido construído. O príncipe, descrito em
Daniel 9:26, que destruiu a cidade e o santuário, foi Demétrio I,
sobrinho de Antíoco Epifânio. Isto aconteceu em 161 AEC.

Depois do obstáculo que impediu a continuação da construção do
templo foi que Deus levantou dois profetas para alertar os hebreus
israelitas que habitavam em Jerusalém de que tinham de
continuar a construção.

No capítulo 4 de Esdras, os judeus, que aqui são chamados de
samaritanos, quiseram participar da construção do templo, mas
Zorobabel e os outros patriarcas não permitiram. Foi por isso que
os judeus escreveram esta carta mentirosa para embargar a obra
da construção do segundo templo, então, Deus mandou os
profetas Ageu e Zacarias.

Esdras 5:1-2

163
E os profetas Ageu e Zacarias, filho de Ido, profetizaram aos judeus
que estavam em Judá, e em Jerusalém; em nome do Deus de Israel
lhes profetizaram. 2 - Então se levantaram Zorobabel, filho de Sealtiel,
e Jesuá, filho de Jozadaque, e começaram a edificar a casa de Deus,
que está em Jerusalém; e com eles os profetas de Deus, que os
ajudavam.

No capítulo 1 do livro de Ageu, Deus exorta os hebreus israelitas
que construiram suas próprias casas, mas pararam de construir a
casa do altíssimo, desistindo assim, de cumprir a missão que era
o motivo pelo qual haviam sido libertos do cativeiro da Babilônia.
Deus os libertou para que se cumprisse a profecia e se eles não
construissem o templo, a profecia não se cumpria.

Ageu 1:1-8

No segundo ano do rei Dario, no sexto mês, no primeiro dia do mês,
veio a palavra do SENHOR, por intermédio do profeta Ageu, a
Zorobabel, filho de Sealtiel, governador de Judá, e a Josué, filho de
Jozadaque, o sumo sacerdote, dizendo: 2 - Assim fala o Senhor dos
Exércitos, dizendo: Este povo diz: Não veio ainda o tempo, o tempo
em que a casa do Senhor deve ser edificada. 3 - Veio, pois, a palavra
do Senhor, por intermédio do profeta Ageu, dizendo: 4 - Porventura é
para vós tempo de habitardes nas vossas casas forradas, enquanto
esta casa fica deserta? 5 - Ora, pois, assim diz o Senhor dos Exércitos:
Considerai os vossos caminhos. 6 - Semeais muito, e recolheis pouco;
comeis, porém não vos fartais; bebeis, porém não vos saciais; vestis-
vos, porém ninguém se aquece; e o que recebe salário, recebe-o num
saco furado. 7 - Assim diz o Senhor dos Exércitos: Considerai os
vossos caminhos. 8 - Subi ao monte, e trazei madeira, e edificai a
casa; e dela me agradarei, e serei glorificado, diz o Senhor.

164
Provavelmente, o povo tinha dúvidas se a construção do templo
seria concluída sob o comando de Zorobabel, por isso Deus teve
que falar através do profeta Zacarias.

Zacarias 4:6-7
E respondeu-me, dizendo: Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel,
dizendo: Não por força nem por violência, mas sim pelo meu Espírito,
diz o Senhor dos Exércitos. 7 - Quem és tu, ó grande monte? Diante
de Zorobabel tornar-te-ás uma campina; porque ele trará a pedra
angular com aclamações: Graça, graça a ela.

O grande monte diante de Zorobabel foi o obstáculo que os
samaritanos (judeus edomitas) puseram ao mandar dizer a Ciro
que Zorobabel e os que haviam voltado do cativeiro com ele
estavam desobedecendo a ordem do rei.

Zacarias 4:8-10
8 - E a palavra do Senhor veio novamente a mim, dizendo: 9 - As
mãos de Zorobabel têm lançado os alicerces desta casa; também as
suas mãos a acabarão, para que saibais que o Senhor dos Exércitos
me enviou a vós. 10 - Porque, quem despreza o dia das coisas
pequenas? Pois esses se alegrarão, vendo o prumo na mão de
Zorobabel; esses são os sete olhos do Senhor, que percorrem por toda
a terra.

Daniel 9:27 - (Bíblia judaica)
“Ele fará firme aliança com muitos, por cessar o sacrifício e a oferta
de manjares; sobre a asa das abominações virá o assolador, até que
a destruição, que está determinada, se derrame sobre ele”.

Daniel 9:27
E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da
semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das

165
abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está
determinado será derramado sobre o assolador.

Demétrio I confirmou o pacto com os hebreus israelitas, que
habitavam em Jerusalém, com uma carta dizendo que não os
trataria da mesma forma que seu tio Antíoco Epifânio e seu primo
Antíoco V, os trataram, mas quando ele observou o quanto a
cidade era próspera e pacífica, quebrou o pacto, invadiu Jerusalém
e destruiu o santuário que Zorobabel havia construído para Deus.
Isto ocorreu em 161 AEC. E foi o cumprimento da profecia (relato
histórico convertido em profecia) descrita em Daniel 9:26-27.
Você pode ler, com clareza, no livro de Macabeus.

1. Zorobabel é o Principe messias e o verso 9 mostra
claramente que ele não morreu antes de terminar a
construção do templo. Ele terminou de construir o templo
em idade bem avançada, portanto, ele teve vida longa.
2. O príncipe messias não foi sacrificado.

Sua vida não foi tirada, cortada ou encurtada como os cristãos
dizem, para sustentar a doutrina de Jesus Cristo.

2 - Conclusão

Todos os príncipes, reis e sacerdotes de Judá são
ungidos/messias. Todos os profetas de Israel foram
ungidos/messias.

Jesus nunca foi ungido e nem rei

166
Messias significa ungido, ou seja, alguém que foi ungido com o
óleo da santa unção. Em Êxodo 30:30 está escrito que Deus
ordenou que os sacerdotes sejam ungidos com o óleo da santa
unção.

Posteriormente, quando Deus determinou que houvesse rei em
Israel, Ele ordenou que o homem escolhido por Ele para ser rei
fosse ungido com o óleo da santa unção, como vemos em 1
Samuel 9:16, 10:1, 16:1 e 16:13 e em 1 Reis 1:39.

Em 1 Reis 1:39 consta que a unção do rei Salomão foi feita com
óleo do Tabernáculo, o que comprova que o óleo usado para ungir
o rei de Israel era o óleo da santa unção, mencionado em Êxodo
30:22-33.

JESUS O NAZARENO NÃO FOI UNGIDO COM O ÓLEO DA SANTA
UNÇÃO, PORQUE ELE NÃO ERA SACERDOTE E NUNCA FOI
UNGIDO REI.

Por isso e MUITAS outras coisas, o messias mencionado em Daniel
9:25-26 não pode ser Jesus, o Nazareno.

167
18 - Deuteronômio 18:9-22 não fala de Jesus

É um texto genérico sobre o ofício de profeta, sobre profecia e se
aplica a todos os profetas depois de Moisés.

A enorme lista das falsas profecias sobre Jesus inclui dois
versículos do capítulo 18 do livro de Deuteronômio, os versículos
15 e 18, citados como evidência para apoiar a alegação de que o
advento de Jesus é anunciado na Bíblia Hebraica. No entanto,
uma leitura cuidadosa de toda a passagem, Deuteronômio 18:9-
22, estabelece o contexto adequado destes dois versos e
demonstra o absurdo de tal afirmação cristã. Muçulmanos
também utilizam estes dois versos como prova de que a chegada
de Maomé, o profeta do Islã, foi prevista pela Bíblia Hebraica, o
que pode ser refutado da mesma maneira.

Deuteronômio 18:15, 18

A visão geral da perspectiva cristã é que de acordo com o
Novo Testamento, Jesus cumpriu uma promessa feita por Moisés
em Deuteronômio 18:15,18, duas passagens consideradas pelos

168
cristãos como profecias messiânicas que predizem o advento de
um grande profeta que surgiria no meio do povo.

Enquanto comentaristas cristãos admitem a plausibilidade da
aplicação destas passagens se referirem a uma série de
“verdadeiros profetas” que Deus ordenou para instruir, orientar e
avisar seu povo, a visão predominante é que o profeta falado e
prometido nesta passagem é Jesus. Esta visão se apoia nas
alegações falaciosas de que só Jesus foi como Moisés em seu
caráter como mediador, ministério, em número, variedade e
magnitude de seus milagres; e em sua íntima comunhão e
familiaridade com Deus ("o Pai"); e em ser o autor de um novo
paradigma religioso.

A bem da verdade, a única coisa em comum entre Moisés e Jesus
é que ambos são fantasmas históricos, dois personagens de ficção
das lendas bíblicas, ambos jamais vistos por ninguém de carne e
osso no mundo real em tempo algum.

1 - A visão cristã

A visão cristã é que esta profecia se cumpriu cerca de 1.500 anos
após as palavras serem ditas por Moisés e foi expressamente
aplicada a Jesus por Pedro (Atos 3:22-23) e Estevão (Atos 7:37).
Além disso, de acordo com os Evangelhos, Jesus via a si mesmo
como profeta (por exemplo, Mateus 13:57, Marcos 6:4, Lucas
4:24 e João 4:44), visão que foi compartilhada por seus
seguidores (por exemplo, Mateus 21:11 e 46; Lucas 7:16, 13:32-
33, 24:19; João 6:14, 7:40).

Várias interpretações cristãs estão disponíveis em diversas fontes
cristãs impressas e online; e por “interpretações cristãs”,
devemos sempre entender como tentativas desesperadas de
169
forçar referências a Jesus na Bíblia Hebraica, algo hoje mais que
impossível sem muita “fé” (olhos bem fechados).

2 - A Visão Judaica

De acordo com a perspectiva tradicional judaica, Deuteronômio
18:9-22 é uma passagem na qual a Torá fortalece a autoridade
do profeta ao afirmar que ele será o sucessor de Moisés sendo o
único meio para comunicação com Deus. Isto está bem
estabelecido em contraste com o que o Torá decrara sobre o rei,
cujo poder é limitado. Neste sentido, um “verdadeiro profeta” de
Israel era mais poderoso do que um rei, cujo poder é limitado pela
Torá (Deuteronômio 17:14-20). Consequentemente, os profetas
estavam entre os líderes da sociedade judaica juntamente com os
sacerdotes, os anciãos e, em tempos monárquicos, com reis e
funcionários reais. Alguns profetas também eram membros
influentes da corte real.

Deus promete mostrar uma preocupação duradoura com Israel,
enviando-lhe profetas. De acordo com a Bíblia Hebraica um
profeta não é alguém cuja principal função é revelar o futuro,
roubando o conhecimento de Deus e compartilhando-o com as
pessoas (veja a definição de um profeta gentio em Deuteronômio
18:10-11). Um profeta é alguém que fala a verdade, não diz o
que queremos saber, mas o que Deus quer que saibamos
(segundo o próprio profeta, claro), lembrando-nos diligentemente
de nossas obrigações.

Deuteronômio 18:9-22 ensina aos israelitas sobre os
profetas e o seu papel, já que eles poderiam, naturalmente,
desejar conhecer o futuro ou tentar entender o funcionamento da
“Mente Divina”, uma vez que estariam vivendo entre as nações
que sustentam que a vontade dos deuses era aprendida através
170
de augúrio e magia. Dentro desta passagem, a descrição do papel
do profeta é precedida por uma severa advertência contra
acreditar em videntes e adivinhos. É uma reformulação das
determinações graves ordenadas no início da Torá:

Levítico 19:26
Não comereis coisa alguma com o sangue; não agourareis nem
adivinhareis.
Levítico 19:31
Não vos virareis para os adivinhadores e encantadores; não os
busqueis, contaminando-vos com eles. Eu sou o Senhor vosso Deus.

3 - 50 profetas falsos?

Enquanto superficialmente, Deuteronômio 18:9-22 pode dar a
impressão de estar falando sobre "um profeta", na realidade diz
respeito ao estabelecimento do Ofício de Profeta através da
expressão “...tudo o que Eu lhe ordenar." (Deuteronômio 18:18),
uma posição preenchida por 50 profetas judeus depois de Moisés.

Se alguém assumisse que o profeta aqui descrito seria um profeta
específico do futuro, então isto significa que todos profetas que
vieram depois de Moisés, com exceção de Moisés e esse tal profeta
particular, seriam falsos profetas. Além disso, não se deve ignorar
o aviso encontrado em Deuteronômio 18:20 sobre o destino de
um falso profeta. Isto é evidentemente, um absurdo, uma falsa
conclusão derivada de uma falsa suposição.

4 - O contexto correto

O contexto correto de Deuteronômio 18:15-18 é que Deus
enviaria profetas em cada geração a Israel; “um profeta” (não “O

171
Profeta”, já que enviou uns 50 profetas) não da mesma autoridade
e calibre de Moisés (Deuteronômio 34:10), mas do nível de
profecia do qual Moisés foi “o maior". O Ofício de Profeta é então
assim concebido e a missão de cada um dos seus ocupantes
dotados com o “dom da profecia”, não será o de prever o futuro
da sucessão espiritual a Moisés, mas o instrutor e guia religioso
da sua geração.

5 - Inventando profecias

Quando versos selecionados de um trecho inteiro são "citados"
por pessoas que não conhecem a língua hebraica e seus próprios
idiomas, o contexto global correto provavelmente ficará perdido
em favor de alguma interpretação tendenciosa e de pura má fé.
Isto é precisamente o caso de Deuteronômio 18:15-18, onde os
cristãos omitem do contexto de Deuteronômio 18:9-22, uma
passagem que fala de adivinhação e profecia.

Alguns tradutores cristãos fizeram uma sutil tentativa (como é de
praxe) de atribuir um significado cristológico aos dois versos,
tornando a tradução do substantivo hebraico, “‫”ב י‬: “um profeta”,
para “um Profeta”, em ambos os casos. Vale a pena ressaltar
que, ao contrário da maioria outras línguas que utilizam esse
sistema, no idioma hebraico não existe distinção entre letras
maiúsculas e minúsculas.

Portanto, é mais simples concluir que alguns tradutores decidiram
capitalizar o termo nestas passagens. É fácil perceber que o uso
de "Profeta" (em maiúscula) em João 7:40, onde faz uma
referência direta a Jesus, foi projetado descaradamente para
estabelecer uma ligação, ainda que sutil entre Jesus e uso de "um
profeta" (termo genérico aplicável a pelo menos 50 profetas) em
Deuteronômio 18:15-18.
172
Abaixo estão duas únicas exceções para o uso genérico de “um
profeta” encontrados na Bíblia Hebraica, onde uma pessoa
específica ou é explicitamente identificada ou identificada
implicitamente (em todos os outros casos, são referências
genéricas como em Deuteronômio 18:15-18):

Gênesis 20:7
Agora, pois, restitui a mulher a seu marido, porque ele é [um] profeta,
e intercederá por ti, e viverás; se, porém, não lha restituíres, sabe que
certamente morrerás, tu e tudo o que é teu.
1 Reis 13:18
Respondeu-lhe o outro: Eu também sou [um] profeta como tu, e um
anjo me falou por ordem do Senhor, dizendo: Faze-o voltar contigo a
tua casa, para que coma pão e beba água. Mas mentia-lhe.

Então, como está claro, a forma que a referência singular ou
indivídual é entendida pelo contexto, no (idioma) hebreu é
entendida como um termo geral, como seria aplicável para
descrever o Ofício de Profeta, em vez de identificar uma pessoa
específica que ocupa ou ocuparia a função. Este também é o caso
com falsos profetas em Deuteronômio 13:2, onde o termo “‫ ”ב י‬é
utilizado, porém não aponta para nenhum indivíduo específico.
Deuteronômio 18:18 contém a seguinte descrição:

 "...e Eu porei Minhas palavras em sua boca, e ele lhes falará
tudo o que eu lhe ordenar."

Um profeta, ou seja, qualquer um dos verdadeiros profetas de
Israel tem a capacidade de falar apenas aquilo que o Criador
ordenar; ele mesmo, ou ela mesma, não poderá falar qualquer
coisa sob sua própria autoridade. A Bíblia Hebraica contém
exemplos reais deste cenário:

Isaías 59:21

173
Quanto a mim, esta é a minha aliança com eles, diz o Senhor: o meu
espírito, que está sobre ti, e as minhas palavras, que pus na tua boca,
não se desviarão da tua boca nem da boca da tua descendência, nem
da boca da descendência da tua descendência, diz o Senhor, desde
agora e para todo o sempre.
Jeremias 1:9
E estendeu o Senhor a sua mão, e tocou-me na boca; e disse-me o
Senhor: Eis que ponho as minhas palavras na tua boca;

De acordo com a Bíblia Hebraica, o principal papel de um profeta
era ser o mensageiro de Deus e Seu porta-voz comunicando a
vontade de Deus [ao povo] em todos os assuntos. Ele (ou ela)
era, em essência, os enviados através de quem Deus, o Rei
Divino, governava Israel, como Deuteronômio 18:19 declara:

 “...qualquer que não ouvir as Minhas palavras, que ele [o
profeta] falar em Meu nome, pedir-lhe-ei contas disso.

É importante entender que estas passagens descrevem um
profeta e não um deus, COMO DIZEM OS CRISTÃOS SOBRE
JESUS, um fato evidente a partir do uso dos termos como “eu” e
“você” em Deuteronômio 18:15 e 18, respectivamente. Estes dois
termos são respectivamente a primeira pessoa, no singular,
gênero masculino (ou feminino) e segunda pessoa do singular,
gênero masculino, utilizados para fazer comparações. Assim,
deve-se entender que Deus está dizendo a Moisés:

 “...assim como você [Moisés] é um profeta, e não um deus,
então será ele [o profeta em geral] será um profeta e não
um deus; assim como você nasceu de pais terrenos, assim
ele irá nascer de pais terrenos.

Embora profetas sejam porta-vozes inspirados da vontade divina,
suas habilidades não são ilimitadas, algo contrário ao que é
atribuído a Jesus.
174
1 - Contexto geral de Deuteronômio 18:9-22

O contexto geral de Deuteronômio 18:9-22 agora deve ser claro.
Na preparação para os israelitas entrarem na Terra Prometida,
Moisés, ao falar de profetas e profecia, verdadeiros e falsos; e
sobre como distinguir entre eles, está ensinando ao povo o que
eles poderiam encontrar ali, que poderiam desviá-los de seu
caminho espiritual. A mensagem subjacente a esta passagem é
que Israel não precisa temer os esforços de feiticeiros e similares,
pois o destino de Israel é muito além da capacidade de alguém
causar-lhes dano.

2 - A falácia da alegação cristã

O Novo Testamento cristão afirma que Jesus é a manifestação
deste profeta do qual Deuteronômio 18:15-18 fala. As falhas
desta alegação cristã são várias:

Problema 1 - Jesus e os profetas de Israel

Assim como os profetas de Israel, Jesus repreendeu o povo por
não fazer a vontade de Deus, desviando-se das leis divinas, porém
é aqui que terminam as semelhanças. Os profetas de Israel
justificaram seus pronunciamentos sobre a Torá. Eles nunca
agiram sob sua própria autoridade, eles sempre reconheceram a
supremacia de Deus e a imutabilidade das Leis da Torá.
Portanto, ao proclamar a justificação em sua própria autoridade,
Jesus não seguiu o caminho dos verdadeiros profetas de Israel.

Problema 2 - Jesus e Moisés

175
Deus prometeu a Israel um profeta, alguém que seria
semelhante, não maior do que Moisés. Mas de acordo com a
teologia cristã do Novo Testamento cristã, apesar disto, afirma
que Jesus é muito maior que Moisés, porque Moisés era um
profeta nascido de pais terrenos, enquanto Jesus é para - os
cristãos - o divino "Filho de Deus" -; e para trinitarios ele é parte
da Santíssima Trindade.

Problema 3 - Jesus e Deus

Combinando os dois problemas acima e levando em conta o fato
de que cristãos (trinitários) vêem os três componentes da
Santíssima Trindade como co-iguais, alguém deveria se perguntar
que tipo de deus Jesus é, se ele só pode dizer o que Deus diz para
ele dizer (v. 18: Eis lhes suscitarei um profeta do meio de seus
irmãos, como tu, e porei as minhas palavras na sua boca, e
ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar.).

Problema 4 - Jesus e as pessoas

Deuteronômio 18:16 termina com a frase em que Moisés fala aos
israelitas no Monte Sinai [Horebe]:

 “... Não continuarei a ouvir a voz do Senhor meu Deus, e
não verei este grande fogo mais, para que eu não morra”.

As pessoas estavam temerosas de que iriam ver Deus e morrer,
pois, como a Bíblia Hebraica ensina, ninguém pode ver Deus e
viver (Êxodo 33:20). De acordo com o Novo Testamento, Jesus,
como Deus manifestado em carne, viveu entre as pessoas,
interagiu com elas o tempo todo, ele os viu e eles o viram, falou
com eles e eles falaram com ele. Como então, Jesus poderia

176
também ser este profeta? Afinal, as pessoas entre as quais ele
viveu não morreram quando o viram.

Problema 5 - Jesus e os povos do Mundo

O Novo Testamento afirma que Jesus é a manifestação do profeta
predito em Deuteronômio 18:15-18, inclui ainda a seguinte
declaração: “...toda a alma que não escutar esse profeta será
exterminada dentre o povo.” (Atos 3:23). Isto realmente
aconteceu? A maior parte da população mundial é formada por
não-cristãos e não ouvem Jesus, muito menos sabem dele,
entretanto não são destruídos por causa desta ameaça. Quando
cristãos afirmam que Atos 3:23 aplica-se apenas ao povo judeu,
a pergunta que deve ser feita é: "Isso realmente aconteceu com
o Povo judeu?" Além disso, o povo judeu está vivo e bem vivo
hoje em dia; e são bem sucedidos mais do que nunca.

Problema 6 - Jesus e o "teste final" para os verdadeiros e
falsos Profetas

Como foi observado anteriormente, um profeta que tiver a
presunção de falar palavras em nome de Deus que não foi
ordenado e/ou falar em nome de outros deuses é um falso profeta
passível de ser condenado à morte.

1. De acordo com o Novo Testamento, Jesus "profetizou" o
seguinte:
2. Mateus 16:28 - Em verdade vos digo que alguns dos que
aqui estão, não provarão a morte até que vejam vir o Filho
do homem no seu reino.
3. MAS ESTA “PROFECIA” NÃO FOI CUMPRIDA! A geração à
qual Jesus dirigiu a “profecia”, morreu há cerca de 19
séculos!
177
Jesus também faz uma profecia sobre o tempo que passaria morto
(o "Sinal de Jonas"):

1. Mateus 12:38-40 - (38) Então alguns dos escribas e dos
fariseus respondeu, dizendo: Mestre, queremos ver umsinal
de ti. Mas ele respondeu e disse-lhes: Uma geração má e
adúltera pede um sinal, mas nenhum sinal será dado, senão
o do profeta Jonas: (40) Porque, assim como Jonas esteve
três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o
Filho do homem três dias e três noites no seio da terra.
2. MAS A "PROFECIA" DO "SINAL DE JONAS" [3 DIAS E 3
NOITES] NÃO FOI CUMPRIDA! Jesus esteve "no seio da
terra" por 36 horas ou menos. Segundo o Evangelho de
Lucas Jesus morreu sexta-feira à tarde e "ressurgiu"
no domingo antes do amanhecer. Quando as mulheres
chegaram a seu túmulo ele já tinha sumido (Lucas 23:54-
24:3). Segundo o Evangelho de Mateus Jesus ficou no
túmulo da tarde de sexta-feira até sábado à noite, ao cair
da noite - um total de cerca de 26 horas. (Mateus 28:1)!

6 - Jesus foi executado como um falso profeta?

Se Jesus foi um profeta de fato, ele era um Falso Profeta!

É ironicamente interessante notar que quando os cristãos citam
Deuteronômio 18:15-18, eles evitam o restante da passagem,
Deuteronômio 18:20 (Porém o profeta que tiver a presunção de
falar alguma palavra em meu nome, que eu não lhe tenha
mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse
profeta morrerá.), especialmente a parte que especifica a morte
por execução de um falso profeta. Quando uma pessoa, que é um

178
falso profeta é condenada à morte por execução, a Torá requer o
seguinte procedimento com seu corpo:

Deuteronômio 21:22-23
Quando também em alguém houver pecado, digno do juízo de morte,
e for morto, e o pendurares num madeiro, 23 - O seu cadáver não
permanecerá no madeiro, mas certamente o enterrarás no mesmo
dia; porquanto o pendurado é maldito de Deus; assim não
contaminarás a tua terra, que o Senhor teu Deus te dá em herança.

Esta passagem descreve um cenário que pode ser facilmente
aplicado à crucificação de Jesus e que também pode ser
combinado com Deuteronômio 18:20, dando a ideia de que Jesus
foi um falso profeta e pecador para o qual a pena de morte era
prescrita na Torá (lembre-se que a Bíblia Hebraica era a Escritura
em vigor na época!). As questões que minam a perspectiva cristã
messiânica em Deuteronômio 18:9-22, como acima descrito,
fornecem uma resposta eficaz para aqueles que desafiam e
promovem falsas alegações sobre esta passagem.

7 - Conclusão

Deuteronômio 18:9-22 não fala de nenhum profeta em particular
que iria surgir dentre o povo judeu. Como já demonstramos,
quaisquer alegações de que a passagem aponta para Jesus, são
contraditórias e criam sérios problemas para aqueles que
promovem tais alegações. Em vez disso a passagem contém uma
referência genérica à linha de profetas da qual Moisés é o "maior"
e estabelece formalmente o Ofício de Profeta para Israel, os
requisitos necessários para distinguir entre verdadeiros e falsos
profetas, e a pena prescrita para a falsa profecia.

179
19 - Oseias 6:2 não fala de Jesus

1 - A grande farsa da ressurreição

A ressurreição é uma farsa completa. Não existe no Antigo
Testamento nenhuma profecia sobre a ressurreição de Jesus,
então os cristãos tentaram forçar uma profecia em Oseias 6:2,
coisa comum em todas as profecias sobre Jesus, já que ele é
completamente inexistente para o Antigo Testamento.

180
O Deus judaico do Antigo Testamento jamais ouviu falar de seu
próprio filho e jamais falou nada sobre assassiná-lo por qualquer
razão.

2 - Profecia falsa da ressurreição - Oseias 6:2 >>>

Este problema teológico se concentra basicamente no uso que os
primeiros seguidores de Jesus faziam das escrituras judaicas para
validar suas próprias crenças. Veremos com facilidade que a
ressurreição no terceiro dia é uma má interpretação literal cristã
de uma passagem simbólica contida no Antigo Testamento. O
texto bíblico no qual os cristãos dizem fazer referência à
ressurreição de Jesus no terceiro dia, é Oseias 6:2. O texto nos
diz:

Oséias 6:2
Depois de dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará,
e viveremos diante dele.

O problema que veremos aqui, no que diz respeito ao cristianismo,
é o mau uso teológico desta passagem para dar base a um Cristo
ressuscitado no terceiro dia, forçando esta passagem de Oseias a
se enquadrar na figura do messias (1) cristão. Na teologia judaica
do primeiro século não havia nenhuma ideia sequer, de um
redentor morto e trazido de volta à vida no terceiro dia.

O renomado estudioso Bart. D. Ehrman, comenta:

[Antes do cristianismo, não sabemos de nenhum judeu que
profetizasse um messias que viria sofrer e morrer pelos pecados
dos outros e depois ressuscitar dos mortos. Como então seria o
messias? Sabemos por documentos judaicos escritos

181
aproximadamente da época de Jesus que havia várias
expectativas sobre como ele seria. Em nenhuma delas ele era algo
semelhante a Jesus.] (EHRMAN, Bart D. Quem Jesus Foi? Quem
Jesus Não Foi? 2010, pg. 247)
Ou seja, esta ideia de um salvador que morre, não fazia parte da
crença judaica do tempo de Jesus. Podemos ver isso no próprio
Evangelho de João:

João 12:32-34
E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim.
E dizia isto, significando de que morte havia de morrer. Respondeu-
lhe a multidão: Nós temos ouvido da lei, que o Cristo permanece para
sempre; e como dizes tu que convém que o Filho do homem seja
levantado? Quem é esse Filho do homem?

O próprio texto joanino mostra que nem passava pela cabeça dos
judeus do primeiro século um messias que seria derrotado na
morte e que sairia vencedor no terceiro dia. Isso por si só já
mostra que um messias assassinado era um ensino totalmente
novo para os judeus daquele tempo. Mas, será que Oseias
realmente profetizou a ressurreição de Jesus? Vamos considerar
a profecia de Oseias em seu contexto histórico.

O livro de Oseias diz respeito primariamente ao reino setentrional
de Israel, de dez tribos (também chamado de Efraim, segundo o
nome de sua tribo dominante, nomes estes que são usados de
forma intercambiável no livro). Quando Oseias começou a
profetizar, durante o reinado do Rei Jeroboão, Israel gozava de
prosperidade material. Mas o povo rejeitara o conhecimento sobre
Deus. (Oseias 4:6) Suas práticas iníquas incluíam derramamento
de sangue, roubo, fornicação, adultério e a veneração a Baal e
ídolos-bezerros. (2:8, 13; e 4:2, 13, 14; e 10:5) Depois da morte
182
do Rei Jeroboão a prosperidade cessou, e passaram a prevalecer
condições assustadoras, marcadas por inquietação e assassinatos
políticos. (2Reis 14:29-15:30) O fiel Oseias também profetizou
em meio a tais circunstâncias. Por fim, em 740 AEC, Samaria caiu
diante dos assírios, trazendo o fim ao reino de dez tribos. — 2Reis
17:6.

Tendo em mente esse fundo histórico, leia Oseias 6:1-2. Se você
não tivesse conhecimento nenhum sobre a ressurreição de Cristo
no terceiro dia, conforme narrado nos Evangelhos, em que parte
desses versículos você veria o escritor falando de maneira
profética de um Redentor que iria ser morto e levantado no
terceiro dia? Provavelmente em nenhuma parte, pois é notório
que o contexto de Oseias nada tem a ver com o Messias
ressuscitado.

Vejamos Oseias 6:2 detalhadamente:

Depois de dois dias NOS dará a vida;

Aqui o escritor diz [NOS], incluindo-se como judeu e se referindo
ao seu povo. Em que parte você vê aqui o escritor fazendo
referência a um messias salvador de Israel e levantado no terceiro
dia? Continuando, Oseias diz:

Ao terceiro dia NOS ressuscitará, e viveremos diante dele.

Mais uma vez uma aplicação nacional e não singularizada em um
Messias morto e ressuscitado no dia terceiro.

Olhando de maneira neutra para esse versículo, a primeira coisa
que podemos comentar no que diz respeito à cronologia (1) é que
183
a fraseologia usando a palavra [DIA] ocorre em linguagem poética
hebraica, quando ele diz [DEPOIS DE DOIS DIAS] e [AO
TERCEIRO DIA]. Esta mudança numérica faz parte do estilo
literário da língua hebraica. Vejamos um exemplo:

[Há seis coisas que Yahweh deveras odeia; sim, há sete coisas
detestáveis para a sua alma:] (Provérbios 6:16)

Notamos dentro da literatura hebraica que quando se diz [seis] e
depois menciona [sete], assim como no outro texto em que o
escritor diz [dois dias] e depois diz [terceiro dia], é algo a ser
entendido de forma simbólica. Estamos falando aqui de
interpretação exegética (3) literária hebraica e não de fé.

Observe: No caso do texto de Provérbios notamos que o escritor
judeu usa a mesma forma literária poética. No caso das coisas que
Yahweh odeia, embora sejam mencionadas sete coisas, qualquer
cristão há de reconhecer que existe bem mais de sete coisas que
Deus odeia no que tange ao comportamento humano.

Sendo o [sete] algo simbólico em termos de literatura judaica e
uma vez que Oseias usa a mesma fraseologia ou estilo literário de
citação e correção numérica, parece que [dois dias] e depois
[terceiro dia] de Oseias, em que Yahweh iria levantar os judeus
dentre os mortos, parece ser algo metafórico, ou seja, tão
simbólico quanto a expressão em provérbios [há seis coisas] e
[sim, há sete coisas]. Os [três] de Oseias não é um período de 72
horas.

Outro ponto forte que favorece a interpretação metafórica do
[terceiro dia] mencionado é que a própria ressurreição
mencionada em Oséias do povo judeu, quando o escritor diz [nos
184
dará vida], só pode ser entendida simbolicamente, uma vez que
o povo judeu não havia sido dizimado para que assim pudesse
pedir uma ressurreição literal; até mesmo o escritor estando vivo
e dizendo [NOS DARÁ VIDA] só pode estar se referindo a algo
metafórico, uma vez que ele já está vivo.

 A NetBible, em uma nota ao pé da página, comenta sobre
esta expressão em hebraico, [em três dias]:
 [Heb] [depois de dois dias] (assim na KJV, NIV, NRSV). A
expressão [depois de dois dias] é um idiomatismo que
significa [depois de um curto tempo] (Veja, e.g., Jz 11:4;
BDB 399 s.v. ‫ םֹוי‬5.a).”

Qualquer teólogo logo reconheceria que a ressurreição
mencionada aqui é figurativa da condição espiritual em que se
encontrava Israel. – cf. Ezequiel 37:1-28.

Se a ressurreição mencionada em Oseias é simbólica, porque o
número de dias há de ser entendido de maneira literal? E mais
ainda, porque deveria ser entendido como se referindo a um
acontecimento histórico da vida de Cristo? Isso não parece mais
a tentativa desesperada dos cristãos de achar no Antigo
Testamento uma referência à uma ressurreição no terceiro dia?

 Isso não é profecia messiânica, isso é uma má
interpretação de um texto isolado!

O próprio Albert Barnes, erudito evangélico ortodoxo do século
XVII, comentou sobre esse texto de Oseias:

 It was not the prophet’s object here… A profecia messiânica
não era o objetivo do profeta aqui, ...
185
Então porque os cristãos viram nessa passagem uma profecia
messiânica? ORA, NO AT NÃO EXISTE QUASE NADA SOBRE UM
MESSIAS QUE MORRE E SE LEVANTA NO TERCEIRO DIA, ASSIM,
ESSE VERSÍCULO CAIU COMO UMA LUVA PARA A TEOLOGIA
CRISTÃ. Além disso, muito se discute, principalmente entre
teólogos cristãos e eruditos judeus, sobre o que o profeta Oseias
queria dizer primariamente com essas palavras.

Os cristãos precisavam enquadrar Jesus em alguma passagem do
Antigo Testamento para que pudessem, não apenas alimentar a
própria fé, mas responder as calúnias levantadas pelos judeus
contra um salvador que não salvou a si mesmo.

Portanto, com bastante criatividade é fácil achar em um livro tão
longo como a Bíblia, passagens que se encaixem com o que você
acredita, pois é o que fazem milhares de facções cristãs com
interpretações contraditórias sobre partes da Bíblia que
interessam aos seus dogmas inventados. Assim, mesmo que
acreditássemos na inspiração bíblica, teríamos esbarrado na
falácia cristã que tenta sempre ter uma nova interpretação sobre
suas próprias crenças para que possa manter viva sua fé e não
perder todos os crentes de uma vez.

186
6 - Referências e fontes

1 - Bíblia Sagrada, diversas edições populares
1 - https://www.bibliaonline.com.br
1 - http://ateismoparacristianos.blogspot.com.br/2015/08/contradicciones-biblicas-jesus-
y-la.html
2 - http://www.joaodefreitas.com.br/fotos/messias-nao-existiu.htm
4 - http://por-que-deixei-o-cristianismo.blogspot.com/2008/05/isaas-53-no-fala-de-
jesusas.html
5 - http://porquenaocreio.blogspot.it/2011/04/distorcao-ressurreicao-oseias-62.html
5 - http://www.judaismoemacao.net.br/por-que-ezequias-e-nao-jesus-cumpriu-is-96-7/
6 - http://hebreuisraelita.wordpress.com/2013/02/22/JESUSYESHUAYAHUSHUA-E-UMA-
FARSA-PARTE-2/
6 - http://porquenaocreio.blogspot.it/2011/04/distorcao-ressurreicao-oseias-62.html

187
7 - Mais bobagens do Cristianismo >>>

COLEÇÃO FÁBULAS BÍBLICAS

MAIS DE 70 VOLUMES. É GRÁTIS E SEMPRE SERÁ.

Desmascarando de maneira simples, com a Bíblia e com o raciocínio
lógico mais básico possível, todas as mentiras do cristianismo, usadas
para enganar e explorar pessoas bobas e ingênuas com histórias falsas,
plágios descarados, fábulas infantis, contos engraçados e costumes
primitivos de povos primitivos e ignorantes da idade do bronze.

 LER ONLINE OU BAIXAR
 http://es.scribd.com/jairo_luis_1
 DOWNLOAD 4SHARED VOLUMES INDIVIDUAIS OU TODOS
 http://www.4shared.com/folder/3zU2dz2o/COLEO_FBULAS_BBL
ICAS.html
 DOWNLOAD DIRETO TODOS OS VOLUMES DISPONÍVEIS EM
ARQUIVO ÚNICO DE MAIS DE 300 MB
 https://www.sugarsync.com/pf/D0297736_98010216_94119

COLEÇÃO FÁBULAS MÓRMONS - MAIS DE 2500 PÁGINAS

 LER ONLINE OU BAIXAR
 http://es.scribd.com/jairo_luis_1
 DOWNLOAD 4SHARED VOLUMES INDIVIDUAIS OU A PASTA
TODA
 http://www.4shared.com/folder/NeRGFeff/COLEO_FBULAS_MR
MONS.html
 DOWNLOAD DIRETO TODOS OS VOLUMES DISPONÍVEIS >
112MB
 https://www.sugarsync.com/pf/D0297736_83480671_12202

188
Mais conteúdo recomendado

189
Livros recomendados

570 páginas 317 páginas 198 páginas
Originally published as a
Mentiras Fundamentais da Com grande rigor histórico pamphlet in 1853, and
Igreja Católica é uma e acadêmico Fernando expanded to book length in
análise profunda da Bíblia, Vallejo desmascara uma fé 1858, The Two Babylons
que permite conhecer o dogmática que durante seeks to demonstrate a
que se deixou escrito, em 1700 anos tem derramado connection between the
que circunstâncias, quem o o sangue de homens e ancient Babylonian
escreveu, quando e, acima animais invocando a mystery religions and
de tudo, como tem sido enteléquia de Deus ou a practices of the Roman
pervertido ao longo dos estranha mistura de mitos Catholic Church. Often
séculos. Este livro de Pepe orientais que chamamos de controversial, yet always
Rodriguez serve para que Cristo, cuja existência real engaging, The Two
crentes e não crentes ninguém conseguiu Babylons comes from an
encontrem as respostas demonstrar. Uma obra que era when disciplines such
que sempre buscaram e desmistifica e quebra os as archeology and
posaam ter a última pilares de uma instituição anthropology were in their
palavra. É uma das tão arraigada em nosso infancy, and represents an
melhores coleções de mundo atual. early attempt to synthesize
dados sobre a formação many of the findings of
mitológica do cristianismo Entrevista com o autor these areas and Biblical
no Ocidente. Um a um, AQUI. truth.
magistralmente, o autor
revela aspectos mais
questionáveis da fé
judaico-cristã.

190
600 páginas 600 páginas 312 páginas

“Dois informadíssimos volumes de Karlheinz Deschner
sobre a política dos Papas no século XX, uma obra
"Su visión de la historia de
surpreendentemente silenciada peols mesmos meios de
la Iglesia no sólo no es
comunicação que tanta atenção dedicaram ao livro de
reverencial, sino que, por
João Paulo II sobre como cruzar o umbral da esperança a
usar una expresión
força de fé e obediência. Eu sei que não está na moda
familiar, ‘no deja títere con
julgar a religião por seus efeitos históricos recentes,
cabeza’. Su sarcasmo y su
exceto no caso do fundamentalismo islâmico, mas alguns
mordaz ironía serían
exercícios de memória a este respeito são essenciais para
gratuitos si no fuese porque
a compreensão do surgimento de algumas
van de la mano del dato
monstruosidades políticas ocorridas no século XX e outras
elocuente y del argumento
tão atuais como as que ocorrem na ex-Jugoslávia ou no
racional. La chispa de su
País Basco”.
estilo se nutre, por lo
demás, de la mejor
Fernando Savater. El País, 17 de junho de 1995. tradición volteriana."

“Este segundo volume, como o primeiro, nos oferece uma Fernando Savater. El País,
ampla e sólida informação sobre esse período da história 20 de mayo de 1990
da Igreja na sua transição de uma marcada atitude de
condescendência com regimes totalitários conservadores
até uma postura de necessária acomodação aos sistemas
democráticos dos vencedores ocidentais na Segunda
Guerra Mundial”.

Gonzalo Puente Ojea. El Mundo, 22 de outubro de 1995.

Ler online volume 1 e volume 2 (espanhol). Para comprar
(Amazon) clique nas imagens.

191
136 páginas 480 páginas 304 páginas
De una manera didáctica, “Se bem que o cristianismo "En temas candentes como
el profesor Karl Deschner esteja hoje à beira da los del control demográfico,
nos ofrece una visión crítica bancarrota espiritual, el uso de anticonceptivos,
de la doctrina de la Iglesia segue impregnando ainda la ordenación sacerdotal de
católica y de sus trasfondos decisivamente nossa moral las mujeres y el celibato de
históricos. Desde la misma sexual, e as limitações los sacerdotes, la iglesia
existencia de Jesús, hasta formais de nossa vida sigue anclada en el pasado
la polémica transmisión de erótica continuam sendo y bloqueada en su rigidez
los Evangelios, la basicamente as mesmas dogmática. ¿Por qué esa
instauración y significación que nos séculos XV ou V, na obstinación que atenta
de los sacramentos o la época de Lutero ou de contra la dignidad y la
supuesta infalibilidad del Santo Agostinho. E isso nos libertad de millones de
Papa. afeta a todos no mundo personas? El Anticatecismo
ocidental, inclusive aos não ayuda eficazmente a hallar
Todos estos asuntos son cristãos ou aos anticristãos. respuesta a esa pregunta.
estudiados, puestos en Pois o que alguns pastores Confluyen en esta obra dos
duda y expuestas las nômadas de cabras personalidades de vocación
conclusiones en una obra pensaram há dois mil e ilustradora y del máximo
de rigor que, traducida a quinhentos anos, continua relieve en lo que, desde
numerosos idiomas, ha determinando os códigos Voltaire, casi constituye un
venido a cuestionar los oficiais desde a Europa até Género literario propio: la
orígenes, métodos y a América; subsiste uma crítica de la iglesia y de
razones de una de las conexão tangível entre as todo dogmatismo
instituciones más ideas sobre a sexualidade obsesivamente
poderosas del mundo: la dos profetas <salvífico>.
Iglesia católica. veterotestamentarios ou de
Paulo e os processos penais
por conduta desonesta em
Roma, Paris ou Nova York.”

192
Karlheinz Deschner.

1 – (365 pg) Los 2 - (294 pg) La época 3 - (297 pg) De la
orígenes, desde el patrística y la querella de Oriente hasta
paleocristianismo hasta consolidación del el final del periodo
el final de la era primado de Roma justiniano
constantiniana

4 - (263 pg) La Iglesia 5 - (250 pg) La Iglesia 6 - (263 pg) Alta Edad
antigua: Falsificaciones y antigua: Lucha contra los Media: El siglo de los
engaños paganos y ocupaciones merovingios
del poder

193
7 - (201 pg) Alta Edad 8 - (282 pg) Siglo IX: 9 - (282 pg) Siglo X:
Media: El auge de la Desde Luis el Piadoso Desde las invasiones
dinastía carolingia hasta las primeras luchas normandas hasta la
contra los sarracenos muerte de Otón III
Sua obra mais ambiciosa, a “Historia
Criminal do Cristianismo”, projetada em
princípio a dez volumes, dos quais se
publicaram nove até o presente e não se
descarta que se amplie o projeto. Trata-
se da mais rigorosa e implacável
exposição jamais escrita contra as formas
empregadas pelos cristãos, ao largo dos
séculos, para a conquista e conservação
do poder.
Em 1971 Deschner foi convocado por uma corte em Nuremberg acusado
de difamar a Igreja. Ganhou o processo com uma sólida argumentação,
mas aquela instituição reagiu rodeando suas obras com um muro de
silêncio que não se rompeu definitivamente até os anos oitenta, quando
as obras de Deschner começaram a ser publicadas fora da Alemanha
(Polônia, Suíça, Itália e Espanha, principalmente).

194
414 páginas 639 páginas
LA BIBLIA DESENTERRADA EL PAPA DE HITLER: LA VERDADERA
HISTORIA DE PIO XII
Israel Finkelstein es un arqueólogo y
académico israelita, director del ¿Fue Pío XII indiferente al sufrimiento
instituto de arqueología de la del pueblo judío? ¿Tuvo alguna
Universidad de Tel Aviv y co- responsabilidad en el ascenso del
responsable de las excavaciones en nazismo? ¿Cómo explicar que firmara
Mejido (25 estratos arqueológicos, 7000 un Concordato con Hitler?
años de historia) al norte de Israel. Se Preguntas como éstas comenzaron a
le debe igualmente importantes formularse al finalizar la Segunda
contribuciones a los recientes datos Guerra Mundial, tiñendo con la
arqueológicos sobre los primeros sospecha al Sumo Pontífice. A fin de
israelitas en tierra de Palestina responder a estos interrogantes, y con
(excavaciones de 1990) utilizando un el deseo de limpiar la imagen de
método que utiliza la estadística ( Eugenio Pacelli, el historiador católico
exploración de toda la superficie a gran John Cornwell decidió investigar a
escala de la cual se extraen todas las fondo su figura.
signos de vida, luego se data y se
cartografía por fecha) que permitió el
descubrimiento de la sedentarización de El profesor Cornwell plantea unas
los primeros israelitas sobre las altas acusaciones acerca del papel de la
tierras de Cisjordania. Iglesia en los acontecimientos más
terribles del siglo, incluso de la historia
humana, extremadamente difíciles de
Es un libro que es necesario conocer. refutar.

195
513 páginas 326 páginas 480 páginas

En esta obra se describe Jesús de Nazaret, su
a algunos de los hombres Santos e pecadores: posible descendencia y el
que ocuparon el cargo de história dos papas é um papel de sus discípulos
papa. Entre los papas livro que em nenhum están de plena
hubo un gran número de momento soa actualidad. Llega así la
hombres casados, pretensioso. O subtítulo é publicación de El puzzle
algunos de los cuales explicado pelo autor no de Jesús, que aporta un
renunciaron a sus prefácio, que afirma não punto de vista diferente y
esposas e hijos a cambio ter tido a intenção de polémico sobre su figura.
del cargo papal. Muchos soar absoluto. Não é a Earl Doherty, el autor, es
eran hijos de sacerdotes, história dos papas, mas un estudioso que se ha
obispos y papas. Algunos sim, uma de suas dedicado durante
eran bastardos, uno era histórias. Vale dizer que o décadas a investigar los
viudo, otro un ex esclavo, livro originou-se de uma testimonios acerca de la
varios eran asesinos, série para a televisão, vida de Jesús,
otros incrédulos, algunos mas em nenhum profundizando hasta las
eran ermitaños, algunos momento soa incompleto últimas consecuencias...
herejes, sadistas y ou deixa lacunas. que a mucha gente le
sodomitas; muchos se gustaría no tener que
convirtieron en papas leer. Kevin Quinter es un
comprando el papado escritor de ficción
(simonía), y continuaron histórica al que proponen
durante sus días escribir un bestseller
vendiendo objetos sobre la vida de Jesús de
sagrados para forrarse Nazaret.
con el dinero, al menos
uno era adorador de
Satanás, algunos fueron
padres de hijos

196
ilegítimos, algunos eran
fornicarios y adúlteros en
gran escala...

576 páginas 380 páginas 38 páginas

First published in 1976, La Biblia con fuentes An Atheist Classic! This
Paul Johnson's reveladas (2003) es un masterpiece, by the
exceptional study of libro del erudito bíblico brilliant atheist Marshall
Christianity has been Richard Elliott Friedman Gauvin is full of direct
loved and widely hailed que se ocupa del proceso 'counter-dictions',
for its intensive research, por el cual los cinco libros historical evidence and
writing, and magnitude. de la Torá (Pentateuco) testimony that, not only
In a highly readable llegaron a ser escritos. casts doubt, but shatters
companion to books on Friedman sigue las cuatro the myth that there was,
faith and history, the fuentes del modelo de la indeed, a 'Jesus Christ',
scholar and author hipótesis documentaria as Christians assert.
Johnson has illuminated pero se diferencia
the Christian world and significativamente del
its fascinating history in a modelo S de Julius
way that no other has. Wellhausen en varios
aspectos.

197
391 páginas

PEDERASTIA EM LA IGLESIA CATÓLICA Robert Ambelain, aunque defensor de
la historicidad de un Jesús de carne y
En este libro, los abusos sexuales a hueso, amplia en estas líneas la
menores, cometidos por el clero o por descripción que hace en anteriores
cualquier otro, son tratados como entregas de esta trilogía ( Jesús o El
"delitos", no como "pecados", ya que en Secreto Mortal de los Templarios y Los
todos los ordenamientos jurídicos Secretos del Gólgota) de un Jesús para
democráticos del mundo se tipifican nada acorde con la descripción oficial
como un delito penal las conductas de la iglesia sino a uno rebelde: un
sexuales con menores a las que nos zelote con aspiraciones a monarca que
vamos a referir. Y comete también un fue mitificado e inventado, tal y como
delito todo aquel que, de forma se conoce actualmente, por Paulo,
consciente y activa, encubre u ordena quién, según Ambelain, desconocía las
encubrir esos comportamientos leyes judaicas y dicha religión, y quien
deplorables. además usó todos los arquetipos de las
Usar como objeto sexual a un menor, ya religiones que sí conocía y en las que
sea mediante la violencia, el engaño, la alguna vez creyó (las griegas, romanas
astucia o la seducción, supone, ante y persas) arropándose en los
todo y por encima de cualquier otra conocimientos sobre judaísmo de
opinión, un delito. Y si bien es cierto personas como Filón para crear a ese
que, además, el hecho puede verse personaje. Este extrajo de cada religión
como un "pecado" -según el término aquello que atraería a las masas para
católico-, jamás puede ser lícito, ni así poder centralizar su nueva religión
honesto, ni admisible abordarlo sólo en sí mismo como cabeza visible de una
como un "pecado" al tiempo que se jerarquía eclesiástica totalmente nueva

198
ignora conscientemente su naturaleza que no hacía frente directo al imperio
básica de delito, tal como hace la Iglesia pero si a quienes oprimían al pueblo
católica, tanto desde el ordenamiento valiéndose de la posición que les había
jurídico interno que le es propio, como concedido dicho imperio (el consejo
desde la praxis cotidiana de sus judío).
prelados.

199

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful