Você está na página 1de 2

AGR

Comentário
Obesidade infantil
Portugal é o segundo pais europeu com maior prevalência de
excesso de peso e obesidade em crianças. A situação na
Região não é excepção à regra.

Portugal é o vice-campeão europeu da obesidade infantil. Um tema


que está à preocupar, em grande escala, as autoridades de Saúde ao
nível mundial, mas sobretudo em Portugal.
Entre 1970 e 2002, o peso das crianças portuguesas aumentou mais
do que a altura. Actualmente, cerca de 32 por cento das crianças
portuguesas entre os sete e os nove anos têm excesso de peso, ou
sofrem mesmo de obesidade. O problema se coloca com maior
gravidade entre as crianças do sexo feminino.
A obesidade é uma doença que afecta seis em cada dez portugueses.
A obesidade e uma doença em que existe excesso de gordura
corporal acumulada, capaz de provocar problemas de saúde.
Isto provêm de uma má alimentação e muitas das vezes é das
responsabilidade dos pais porque não têm tempo, ou não estão
presentes em casa e deixam as crianças abusar de comidas que
fazem mal porque são as mais rápidas como o MacDonalds.
Outra coisa é também muitas das crianças dormem horas excessivas.
Não fazem exercício físico, os pais já são obesos, os filhos nascem
com peso excessivo, a situação económica muitas vezes não ajuda,
ás vezes o numero de irmãos também não é favorável e a
preocupação dos pais passa muito por aí, porque se depois têm
irmãos mais novos não têm a mesma atenção ou pelo menos a
necessária para os pais poderem cuidar melhor dos filhos. E o
sedentarismo também ajuda muito na obesidade. Pois aqui esta a
falta de actividade física e as crianças se não são incentivadas a isso
acomodam-se a esse estilo de vida.
Isto tudo leva depois a gerar doenças, tais como, as diabetes,
hipertensão, problemas respiratórios e pelo que se comenta muitas
vezes os “maus tratos” assim dizendo por parte de colegas porque
muitas vezes crianças assim não são bem aceites perante outras e
assim também mexe com o sistema psicológico de cada criança.
Elas ficam inibidas e muitas vezes deixam de gostar de si próprias só
porque são “ estupidamente gozadas” por outras.

O NUTRICIONISTA PODE
AJUDAR A EVITAR SITUAÇÕES
FUTURAS GRAVES

Bons conselhos

Tânia faria 28/04/09