Você está na página 1de 15

Depois de algum tempo aprendes a diferença, a subtil

diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma.


E aprendes que amar não significa apoiar-se, e
que companhia nem sempre significa segurança.
E começas a aprender que beijos não
são contratos, e presentes não são
promessas...)
E não importa o quão boa
seja uma pessoa, ela vai
magoar-te de vez em
quando e precisas perdoá-
la por isso.
Aprendes que falar pode aliviar dores emocionais.
Descobres que se leva anos para se construir
confiança e apenas segundos para destrui-la, e
que podes fazer coisas num instante, das quais te
arrependerás pelo resto da vida.
Aprendes que verdadeiras
amizades continuam a crescer
mesmo a longas
distâncias.
E o que importa não é o que tu
tens na vida, mas quem tens na
vida (...)
Aprendes que quando estás com
raiva tens o direito de estar com
raiva, mas isso não dá o direito de
seres cruel.
Aprendes que não importa em quantos pedaços teu coração
foi partido, o mundo não para para que o consertes.
Aprendes que nem sempre é suficiente
ser perdoado por alguém. Algumas
vezes, tens que aprender a perdoar-te a
ti mesmo. Aprendes que com a mesma
severidade com que julgas, tu serás em
algum momento, condenado.
E, finalmente,
Aprendes que o tempo, não é algo que
possa voltar para trás.
Portanto,
planta teu jardim e decora a tua alma,
ao invés de esperar que alguém te
traga flores.
E percebe que realmente podes
suportar... que realmente és
forte, e que podes ir muito mais
longe depois de pensar que não
se pode mais.
E que realmente a vida tem valor, e
que tu tens valor diante da
vida!(...)
E só nos faz perder o bem que
poderíamos conquistar, o medo de
tentar!
(Shakespeare)