Você está na página 1de 1

Trabalho de Introdução a Filosofia Livros II, III e IV - A Republica de Platão

Sócrates, transfere a sua análise de inividuo para a cidade, onde descreve suas transformações que de cidade primitiva se torna luxuosa, motivo para que começa a precisar de uma especialização de tarefaz cada vez maior. Essa cidade carece de soldados que a defendam e preservem, de guardiões com um treino próprio. A educação surge e deve dar-se-lhes, pela música (kitharistes) e pela ginástica (paidotribes), à maneira tradicional grega. Más para os Helenos a música e a arte das musas, em que a poesia não se dissocia dos sons; e diz que ás fabúlas dos poetas que ensinam ás crianças estão repletas de falsidade sobre os deuses, a quem atribuem todos os defeitos, em vez de revelarem a divindade na perfeição de seus atributos. O livro III prossegue o libelo acusatório e depois de mandar embora os que imitam o mal, retoma o tema da educação pela música e pela ginástica. No livro IV depois de declarada fundada a cidade, Socrátes procura onde poderia estar a justiça e onde a injustiça. E diz que se a cidade e perfeita terá de possuir quatro virtudes: sabedoria (sophia), coragem (andreia), temperança (sophosyne) e justiça (dikirosyne), as três primeiras definidas vão atingir a quarta por exclusão de partes. “Lembras-te daquele princípio original em que sempre insistíamos durante a fundação da cidade: o de que um homem deve atender a uma coisa só, isto é, aquilo para que a sua natureza está melhor dotada? Pois a justiça é este princípio... Podemos presumir que, de certo modo, a justiça consiste nisso: em fazer cada qual o que lhe compete... Esta é a causa primeira e condição de existência de todas as outras três virtudes, e que as conserva enquanto nelas subsiste”. (433 a-b-c).