P. 1
Exemplo de Módulo Didático - Desenho Geométrico com Régua e Compasso

Exemplo de Módulo Didático - Desenho Geométrico com Régua e Compasso

5.0

|Views: 6.615|Likes:
Publicado portoledoufsj

More info:

Published by: toledoufsj on Jun 03, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/15/2013

pdf

text

original

Prof.

José do Carmo Toledo

O DESENHO GEOMÉTRICO COM RÉGUA E COMPASSO
Nas construções geométricas, aqui propostas, utilizaremos somente régua e compasso. Esse era o método usado pelos geômetras gregos na Antigüidade. A régua é usada apenas para traçar retas e não para medir segmentos. O compasso é utilizado para traçar arcos e circunferências e para transportar segmentos. De antemão, é preciso deixar claro que toda construção através de instrumentos nos leva a resultados aproximados. Isso ocorre por vários motivos. Entre eles, podemos citar: 1. A representação de pontos é feita por pequenas bolinhas, apesar de o ponto geométrico não ter dimensão. 2. A representação de retas é feita por linhas grossas, apesar de a reta geométrica não ter espessura. 3. Os instrumentos, em geral, são imperfeitos. As imperfeições de uma construção podem ser minimizadas mantendo-se o lápis – ou lapiseira – sempre bem apontados e utilizando-se grafite de dureza média – F ou H.

CONSTRUÇÕES BÁSICAS
Seis construções são consideradas básicas para a resolução dos problemas de Desenho Geométrico. São elas: I. II. III. IV. V. VI. Traçar uma reta perpendicular a uma reta dada. Traçar a mediatriz de um segmento. Traçar uma reta paralela a uma reta dada. Traçar o ângulo congruente a um ângulo dado. Construir a bissetriz de um ângulo. Dividir um segmento em partes congruentes proporcionais.

Já que existem vários procedimentos para cada uma dessas construções, vamos adotar o de fixação mais rápida. Reiteramos que todas essas construções serão realizadas apenas com régua e compasso.

2

Neste Módulo, vamos estabelecer a primeira dessas construções.

1 - Construção de reta perpendicular a uma reta dada, por um de seus pontos:
DADOS:

CONSTRUA: r Solução. Siga os seguintes passos: s, tal que P r

1. Com centro em P e raio qualquer, trace um arco de circunferência e obtenha A e B na reta s.

2. Com raio maior que d(A,P), trace arcos de circunferência com centros em A e B, respectivamente, e obtenha o ponto M na sua interseção.

3. Trace a reta MP e chame-a de r.

CONCLUSÃO: a reta r é a reta procurada.

3

Justificativa: P é o ponto médio de AB . O quadrilátero ADBM é um losango. Os segmentos AB e MD são as diagonais do losango ADBM . Como sabemos: MD é perpendicular a AB . MD e AB se cruzam em P. Assim, r é perpendicular a s e passa pelo ponto P.

2 - Construção de reta perpendicular a uma reta dada, por um ponto que não pertence à reta:
DADOS:

CONSTRUA: r Solução. Siga os seguintes passos: s, tal que P r

1. Com centro em P e raio m maior que d(P, s), trace um arco de circunferência que intercepte a reta s em A e B.

4

2. Com raio de medida m, trace dois arcos de circunferência com centros em A e B, respectivamente, e determine o ponto M, simétrico de P em relação a s.

3. Trace a reta MP e chame-a de r.

CONCLUSÃO: a reta r é a reta procurada. Justificativa: O quadrilátero AMBP é um losango. Os segmentos AB e MP são as diagonais do losango AMBP. Como sabemos: AB é perpendicular a MP . Assim, r é perpendicular a s e passa pelo ponto P.

5

Exercícios
1. Construa pelo ponto P uma reta perpendicular à reta s da figura abaixo.

2. Construa pelo ponto P uma reta perpendicular à reta s da figura abaixo.

3. Construa pelo ponto A uma reta perpendicular à semi-reta AB da figura abaixo.

6

4. Desenhe a reta tangente à circunferência no ponto P.

5. Construa um triângulo isósceles ABC que tenha, como base, o segmento BC contido na reta r dada na figura abaixo.

6. Construa uma circunferência de 3 cm de raio e que tenha P como ponto de tangência.

7

7. Construa a altura AH do triângulo ABC abaixo. Em seguida, meça a base BC e a altura AH e calcule um valor aproximado, em cm2, da área desse triângulo.

8. Construa um triângulo retângulo ABC, sabendo que o cateto BC mede 3 cm e a hipotenusa AC mede 6 cm.

8

3 - Construção de mediatriz de um segmento de reta:

DADOS:

CONSTRUA: m, mediatriz de AB . Solução. Antes de qualquer procedimento, é necessário ter em mente que a mediatriz de um segmento é uma reta perpendicular ao segmento, passando pelo seu ponto médio. Lembrando que o losango é um quadrilátero cujas diagonais são perpendiculares entre si e se encontram nos seus respectivos pontos médios, devemos construir um losango tal que o segmento AB seja uma de suas diagonais. Nesse caso, a reta-suporte da outra diagonal do losango construído é a mediatriz desejada. Siga, então, os passos que estão indicados na próxima ilustração:

CONCLUSÃO: a reta-suporte que contém MN é a mediatriz de AB .

9

OBSERVAÇÃO: É possível construir a mediatriz de um segmento de reta por outros dois processos, bastante úteis nos seguintes casos:

Exercícios
1. Obtenha o ponto médio do segmento AB abaixo, sem usar uma régua graduada.

2. Dados os segmentos de medidas a e b, obtenha graficamente um a b : segmento de medida 2

10

3. Obtenha o ponto médio do segmento AB abaixo, sem usar uma régua graduada.

4. Sem usar uma régua graduada, divida o segmento AB , abaixo, em quatro partes iguais:

11

5. O baricentro de um triângulo é o ponto de encontro das medianas desse triângulo. Obtenha o baricentro do seguinte triângulo:

6. O circuncentro de um triângulo é o ponto de encontro das mediatrizes desse triângulo. Obtenha o circuncentro do seguinte triângulo:

12

7. Sabendo-se que AC = 6 cm e BD = 8 cm são as medidas das diagonais de um losango ABCD, construa-o.

Exercícios COMPLEMENTARES
1. Construa um quadrado cuja diagonal mede 6 cm. 2. Inscreva um quadrado numa circunferência de 4 cm de raio. 3. Construa uma circunferência e divida-a em 4 partes iguais. 4. Considere os segmentos abaixo, de medidas a e b.

Faça o que se pede: sem usar uma régua graduada, construa um a b . segmento de medida igual a 4 5. Inscreva o triângulo ABC abaixo numa circunferência.

13

4 - Construção de reta paralela a uma reta dada, por um ponto dado:
DADOS:

CONSTRUA: s //r , tal que P Solução. Siga os passos que estão indicados na ilustração a seguir. s.

s

Justificativa: Vamos analisar a penúltima figura da construção anterior.

Podemos afirmar que:
180 c ; 2 9 o triângulo POA é congruente ao triângulo QOB. Logo, a = d;

9 o triângulo POQ é isósceles. Logo, b =

14

9 como a + c + d = 180°, então a =
Conclusão: a = b.

180 c . 2

Portanto, a reta-suporte do segmento PQ é paralela à reta r.

5 - Construção de reta paralela a uma reta dada, com uma distância dada:

15

Exercícios
1. Construa uma reta m, paralela à reta c dada, passando pelo ponto E dado:

2. Construa uma reta r, paralela à reta s dada, distante 3 cm de s:

3. Construa duas retas, p e q, paralelas à reta w dada, tais que a distância de cada uma delas a w seja igual a d dado:

16

4. Construa duas retas, t e u, tais que: t seja paralela à reta a, dada, passando por H; u seja paralela à reta d, dada, passando por S.

5. Construa um triângulo eqüilátero ABC, de 3 cm de lado, sabendo que o lado AB é paralelo à reta s dada:

17

6 - Construção de um ângulo congruente a um ângulo dado:
Dado: o ângulo A . Construa: o ângulo D congruente a A .

As etapas dessa construção são as seguintes:

Justificativa: Os triângulos COB e FDE são congruentes (caso LLL).

18

7 - Construção de um ângulo cuja medida é igual à soma das medidas de dois ângulos dados:

Os seguintes passos permitem obter essa construção.

19

8 - Construção de um ângulo cuja medida é igual à diferença entre as medidas de dois ângulos dados:

Os seguintes passos permitem obter essa construção.

20

Exercícios
1. Na figura abaixo, são dados o ângulo AOB e a reta r. Transporte o ângulo AOB , de modo que o vértice O esteja em r.

2. Na figura abaixo, é dado um ângulo cuja medida, em graus, é . Construa um triângulo retângulo ABC, sabendo que o cateto AC mede 6 cm e o ângulo BCA mede .

21

3. Na figura abaixo, é dado um ângulo cuja medida, em graus, é . Construa um triângulo ABC, sabendo que o lado AB mede 4 cm, o lado

BC mede 5 cm e o ângulo CBA mede .

4. Na figura abaixo, são dados dois ângulos cujas medidas, em graus, são e , respectivamente. Construa um triângulo ABC, sabendo que o lado AB mede 5 cm, o ângulo
CAB mede

e o ângulo CBA mede .

22

5. Na figura abaixo, é dado um ângulo cuja medida, em graus, é . Construa um triângulo isósceles ABC cuja base BC mede 6 cm e cujo ângulo da base mede .

6. Dois triângulos são semelhantes se os ângulos de um são respectivamente congruentes aos ângulos do outro. Construa um triângulo DEF, semelhante ao triângulo ABC dado abaixo, 3 sabendo que DE = . AB. 2

23

7. Na figura abaixo, são dados dois ângulos cujas medidas, em graus, são iguais a e a , respectivamente.

Faça o que se pede: (a) Construa um ângulo cuja medida, em graus, é igual a + .

(b) Construa um ângulo cuja medida, em graus, é igual a

– .

(c) Construa um ângulo cuja medida, em graus, é igual a 2 .

24

8. Obtenha, graficamente, o complemento do ângulo dado abaixo.

9. Na figura abaixo, é dado um ângulo cuja medida, em graus, igual a . Construa um triângulo ABC cuja base, BC , mede 5 cm, cuja altura, AH , mede 4 cm e cujo ângulo ABC tem medida igual a .

25

9 - Construção de bissetriz de um ângulo ou divisão de um ângulo pelo número 2:
Dado:
MON

Construa:
m( MON) ; 2 ou seja, construa a bissetriz do

MOQ tal que m( MOQ ) =

ângulo MON .

Para efetuar essa construção, acompanhe as seguintes etapas:

Justificativa: Observando os triângulos AOQ e BOQ, é possível afirmar que: m( AO ) = m( BO ); o lado OQ é comum aos dois triângulos; m( AQ ) = m( BQ ). Conclusão: pelo caso LLL, os triângulos AOQ e BOQ são congruentes. Portanto, ângulos que se correspondem nos dois triângulos são respectivamente congruentes. Isso garante, portanto, como se deseja, que m( AOQ) = m( BOQ ).

26

Responda: Se, na construção que acabamos de fazer, tomarmos s = R, pode-se afirmar, ainda, que a semi-reta OQ é a bissetriz do ângulo MON ?

Exercícios
1. Construa a bissetriz do ângulo P OQ abaixo:

27

2. O incentro de um triângulo é o ponto de encontro das bissetrizes internas dos ângulos do triângulo. Determine o incentro I do triângulo LUA abaixo:

3. Ainda no exercício anterior, faça o seguinte: – trace a reta t, perpendicular ao lado LU do triângulo dado, que passa pelo incentro I; – chame de B o ponto de interseção da reta t com o lado LU ; – trace a circunferência de centro em I e raio IB . Responda: qual é a posição da circunferência traçada em relação ao triângulo LUA ?

28

4. Construa duas retas perpendiculares entre si. A seguir, construa um ângulo de 45°.

5. Faça o que se pede: (a) Construa um triângulo ABC, sabendo que o ângulo CAB mede 45°, que m( AB ) = 4 cm e que m( AC ) = 5 cm. (b) Responda: que designação recebe esse triângulo ABC ?

6. Construa um triângulo retângulo isósceles de 5 cm de hipotenusa.

29

7. Construa um ângulo de 22°30’.

8. Faça o que se pede: (a) Construa um triângulo retângulo com um ângulo agudo medindo 22°30’ e 10 cm de hipotenusa. (b) Calcule um valor aproximado de sen 22°30’ e cos 22°30’.

9. Depois de construir um triângulo eqüilátero qualquer, construa um ângulo de 30°.

30

10. Construa um ângulo de 120°.

11. Divida a circunferência de centro O abaixo em oito partes iguais.

12. Divida a circunferência de centro O abaixo em seis partes iguais.

31

13. Divida a circunferência de centro O abaixo em três partes iguais.

14. Construa um triângulo retângulo com um ângulo de 15° e um cateto medindo 10 cm. A seguir, calcule um valor aproximado de tg 15°.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->