Você está na página 1de 1

A Grande Obra

No murmrio do regato, Na terna melodia dos ventos Arpejando os ramos das rvores, No canto mavioso dos passarinhos, No zumbido dos insetos esvoaantes, No trec-trec das formigas E no tum-tum do meu corao Eu vejo e sinto o Criador... No riacho, rios e oceanos, Na expectorao dos vulces E exploses eltricas dos temporais Eu vejo e sinto o Tao como tal. No sol escaldante, no frio luar E no brilho das estrelas longnquas Eu vejo e sinto o Criador. Sua obra to magnfica Que nenhum artista capaz De reproduzi-la com fidelidade. Nem em sonhos.