Você está na página 1de 2

Nunca tarde, sempre tarde

Silvio Fiorani Narrador: Narrador observador. Espao: Casa da Su. Tempo: O tempo cronolgico, no qual ela sonha, acorda... Personagens: Su: uma secretria que possui uma vida corrida, devido aos diversos afazeres destinados a ela no trabalho. Me de Su: uma dona de casa. Enredo: Este conto mostra a vida moderna, o cotidiano que se repete dia aps dia, num movimento contnuo e circular, onde j no h mais comeo nem fim. A secretria, Su, presa em uma rotina e, mais uma vez, comea o seu dia apressada. Tenta se arrumar e, ao mesmo tempo em que se maquia, tenta se conscientizar de que no feia nem bonita, apenas uma secretria. Mas percebe que est ainda dormindo (na verdade aquela correria no passava de um sonho), ento a moa acorda e comea outra vez

a sua rotina matinal at perceber, mais uma vez, que ainda est sonhando. Ento, Su necessita de algum que a desperte. importante perceber que o auxlio de outra pessoa necessrio para acordar a personagem de um sonho que teima em acontecer e que a desgasta.