Você está na página 1de 3
A # os Colégio Internato dos Carvalhos & S O Revista de Psicologia, Kducacao e Cultura 3 Semestral e RECENSOES Lourenco, A. A. e Paiva, M. O. (2004). Disrupgéo escolar; Estudo de Casos. Porto Editora (Col. Panorama) Os dois autores sGo Mestres em Psicologia e fizeram convergir os resulta- dos principais, tedricos e praticos, das suas dissertagées nesta obra bem suce~ dida e com grande interesse pedagogico, dado os problemas em anélise — a indisciplina e os comportamentos disruptivos na escola — serem da ordem do dia. No Preféicio, o Prof. Jodo Amado, especialista nesta matéria, dé o tom a obra dizendo da complexidade do problema, que deve ser abordado pluridi- mensionalmente, passando a solucdo também (e principalmente) pelos profes- sores, pelo modo como se relacionam com os alunos e os estimulam. Amado cita muito a propésito 0 Diario de Sebastiéo da Gama. Na Introdugéo, os autores recordam que a razio de ser e o centro de to- do 0 sistema educativo devem ser os alunos e por isso os educadores nao po- dem limitar-se a constatar e a lamentar os comportamentos disruptivos dos alunos antes dar 0 seu contributo em ordem a uma maior integragtio e conse- quente mudanga comportamental dos educandos. Assim, “considera-se que a escola pode combater estes comportamentos disruptivos, e a frustragdio que dai decorre, se desenvolver competéncias comportamentais e sociocognitivas que auxiliem os adolescentes a tomar decisées conscientes, relativamente aos comportamentos disruptivos; proporcionar a aquisi¢éio de competéncias de re- t Psicologia, Educacdo ¢ Cultura, 2005, IX, 1 emmmemmamsueesssonen sssnmesaulcccamt _RECENSOES gulacdo emocional e de autocontrolo; apoiar a aquisi¢éio de competéncias so- ciais e de resolugéo de problemas; fomentar um melhor autoconhecimento...” (p. 16). A obra desenvolve-se em trés capitulos, expondo-se no primeiro a teoria, sem a pretensdo de serem exaustivos; no segundo apresentada a pesquisa ou trabalho de campo com alunos do 3° ciclo do basico (é pena a amostra ser bastante reduzida n&o permitinde amplas ilagées); finalmente descrevem-se as conclusées e algumas reflexes éteis para futuras investigacdes. A bibliografia citada permite aprofundar conhecimentos neste dominio. Os diversos Anexos Finais também podem consfituir instrumentos Gteis para outros investigadores. E desejo dos autores contribuir para uma melhor compreensdo deste gra- ve problema pedagégico e assim ajudar educadores e educandos a superé+lo. E ferminam com um voto de confianga nos jovens: “Quando somos capazes de ouvir os adolescentes, de tolerar certos comportamentos ou respostas dife- rentes e favorecer as trocas, o processo de mudanga esta iniciado e é irrever- sivel” (p. 106). Acto de confianca nos adolescentes (salvo casos excepcionais) mas também nos educadores capazes de compreensdo e empatia. Na reali- dade o livro constitu mais um adjutério para a solugdio do problema José Barros eemecennemaeseeneemenenmennmen Psicologia, Educagio e Cultura 2005, IX, 1 i