Você está na página 1de 1

Medusa

Lucky de Oliveira

Nas mnimas coisas, Objetos diretos do querer, V-se a coisa toda? Mirei cada detalhe De teu corpo; Penetrei na tua alma, Mas no consegui a chave do teu ser. Ficou a vaga idia de tua existncia Ante a distncia do real e o ideal, Como vagas que se quebram nos promontrios Deixando o limo como lembrana. Abandonei a lgica E me abri para te receber toda. Talvez na reciprocidade Possa, enfim, desnudar-te E, claro, devorar-te!