Você está na página 1de 67

Ergonomia do Produto

EPR 707 – Engenharia de Produto

05/04/2010

1

2

Ergonomia
Ergon = trabalho Nomos = regras
3

métodos e ambiente de trabalho IEA (1969) 4 .Estudo científico da relação entre o homem e seus meios.

IEA (2000) “É a disciplina científica interessada na compreensão das interações entre os humanos e outros elementos de um sistema. dados e métodos para projetar objetivando otimizar o bem-estar humano e o desempenho geral do sistema.” 5 . É o campo profissional que aplica teoria. princípios.

trabalhos. ambientes e sistemas para fazê-los compatíveis com as necessidades.IEA (2000) Os ergonomistas contribuem para o projeto e avaliação de tarefas.” 6 . habilidades e limitações das pessoas. produtos.

SELF
É a utilização de conhecimentos científicos relativos ao homem e necessários para conceber instrumentos, máquinas e dispositivos que possam ser utilizados pelo maior número de pessoas, com o máximo de conforto, de segurança e de eficiência.
7

“Arte na qual são utilizados o saber tecnocientífico e o saber dos trabalhadores sobre a própria situação de trabalho.” A.WISNER

8

Ciência do trabalho.
Montmollin, 1984

9

Histórico 10 .

000 – 18.PALEOLÍTICO 500. Pedra lascada Descobre meios de dominar a natureza Grupos nômades.C. pesca Usa fogo 11 . pintura Caça.000 a. Cavernas.

NEOLÍTICO 18.C.000 a. Pedra polida Utensílios agrícolas Passa nômade – sedentário Cavernas – casas Domestica animais 12 .000 – 5.

Este produto primitivo levou 500 mil anos para se transformar numa machadinha 13 .

000 a.000 – 4. estanho.C.IDADE DOS METAIS 5.000 a.C. Uso dos metais cobre. escrita 14 . ferro Aldeias – cidades –estados – reinos Armas Guerras Aparece o comércio Navegação 4.

15 .

XVIII .Séc.Revolução Industrial Mecanização dos processos de produção 16 .

17 . baseado nas leis objetivas da natureza.1857: Wojciech Jastrzbowski Artigo: Ensaios de ergonomia ou ciência do trabalho.

Taylorismo introduz divisão de tarefas nas fábricas aumento da produtividade função repetitiva 18 .

19 .

Segunda Guerra Mundial 20 .

Década 50 60 70 80 90 00 Representação Ergonomia militar Ergonomia industrial Ergonomia do consumo Ergonomia de software e da interação homem-computador Ergonomia organizacional e cognitiva Era da comunicação global e da eco-ergonomia 21 .

Biomecânica Psicologia ERGO NOMIA Fisiologia Antropometria 22 .

F I S I O L O G I A 23 .

A N T R O P O M E T R I A 24 .

25 .

BIOMECÂNICA 26 .

P S I C O L O G I A 27 .

e r caráter g o transdisciplinar n o m i a 28 fisiologia biomecânica psicologia antropometria sociologia antropologia engenharia filosofia economia .

Linhas Anglo-saxônica Franco-belga Ergonomia da atividade Human factors Aspectos físicos Adaptação máquina ao homem Dimensiomento das estações de trabalho Observação do trabalhador em condições reais Estudo do trabalho visando adaptá-lo ao homem 29 .

Human factors Ergonomia da atividade 30 .

Ergonomia da atividade Human factors Preocupada com a tarefa Preocupada com a atividade tarefa X atividade 31 .

Tarefa X Atividade Condições Condições deteminadas deteminadas Condições reais TAREFA TAREFA Resultados Resultados antecipados antecipados ATIVIDADE ATIVIDADE Resultados efetivos Trabalho prescrito Trabalho real 32 .

Como você prescreveria a tarefa de fazer bolhas de sabão? Condições deteminadas TAREFA Resultados antecipados 33 .

34 .

A tarefa é igual à atividade? É importante conhecer a atividade para fazer qualquer tipo de interveñção? Mas como? 35 .

Análise Ergonômica do Trabalho Foco: estudo da atividade 36 .

ERGONOMIA DO PRODUTO 37 .

ERGONOMIA DO PRODUTO Artesão Concepção Matéria .prima Design e manufatura inseparáveis 38 .

39 .ERGONOMIA DO PRODUTO Princípios da Administração Científica de Taylor Design e manufatura se separam Concepção Projeto Execução Produção Surge o desenho técnico como linguagem A produção pode ser feita por qualquer um em qualquer instalação fabril.

40 .

41 .

42 .

43 .

44 .

ESTÉTICA: É A QUE PROPORCIONA PRAZER AO CONSUMIDOR. ELETRÔNICO OU QUÍMICO. DO PONTO DE VISTA MECÂNICO.CARACTERÍSTICAS DESEJÁVEIS DO PRODUTO TÉCNICA: É A PARTE QUE FAZ FUNCIONAR O PRODUTO. ERGONÔMICA: É A QUE GARANTE UMA BOA INTERAÇÃO DO PRODUTO COM O USUÁRIO. ELÉTRICO. 45 .

EQUILÍBRIO TÉCNICA ERGONÔMICA ESTÉTICA 46 .

móveis Pessoas não são treinadas .CLASSIFICAÇÃO DO PRODUTO QUANTO AO USUÁRIO BENS DE CAPITAL Usados por empresas Máquinas Pessoas habilitadas e treinadas Manutenção não é regular Manutenção sistemática Custo difícil de quantificar Custo alto Renovação é frequente .moda Renovação é periódica 47 BENS DE CONSUMO Âmbito doméstico Eletrodomésticos.

PROJETOS Antes Hoje Mercado mundial Variabilidade humana Projetos para determinados segmentos da população 48 .

PROJETO UNIVERSAL E USABILIDADE Ênfases Projeto universal Produto que atenda a maioria da população Usabilidade Facilidade e comodidade no uso dos produtos 49 .

PRINCÍPIOS 50 .

USO EQUITATIVO: dimensões.PRINCÍPIOS DO PROJETO UNIVERSAL 1. Antropometria 51 . ajustes para maior número usuários.

FLEXIBILIDADE NO USO: destros/canhotos escolha do modo de usar 52 .PRINCÍPIOS DO PROJETO UNIVERSAL 2.

USO SIMPLES E INTUITIVO: fácil entendimento 53 .PRINCÍPIOS DO PROJETO UNIVERSAL 3.

PRINCÍPIOS DO PROJETO UNIVERSAL 4. INFORMAÇÃO PERCEPTÍVEL: informações essenciais redundantes – mais de um sentido 54 .

TOLERÂNCIA AO ERRO: arranjar controles forma lógica. 55 .PRINCÍPIOS DO PROJETO UNIVERSAL 5. advertir erros. isolar os perigosos.

PRINCÍPIOS DO PROJETO UNIVERSAL 6. REDUÇÃO DO GASTO ENERGÉTICO: evitar super dimensionamentos 56 .

acesso. 57 . alcance e manipulação.PRINCÍPIOS DO PROJETO UNIVERSAL 7. ESPAÇO APROPRIADO: dimensionamento das máquinas.

58 . EVIDÊNCIA: função e modo de operação evidentes.PRINCÍPIOS DA USABILIDADE 1. Ex.: porta.

Ex. 59 .: dirigir. CONSISTÊNCIA: operações semelhantes devem ser feitas de forma semelhante. 3.PRINCÍPIOS DA USABILIDADE 2. CAPACIDADE: respeitar capacidade individual. Ex.: porta de casa/carro menu computador.

60 .: torneira.PRINCÍPIOS DA USABILIDADE 4. Ex. COMPATIBILIDADE: o atendimento às expectativas melhora a compatibilidade. Movimento rotacional de um controle para direita.

: ignição motor vinculada à colocação do cinto.PRINCÍPIOS DA USABILIDADE 5. Ex. 61 . PREVENÇÃO E CORREÇÃO DOS ERROS: Impedir procedimentos errados e permitir correção rápida.

62 .PRINCÍPIOS DA USABILIDADE 6. REALIMENTAÇÃO: retorno ao usuário sobre o resultado de sua ação. Ex.: sinal de ocupado do telefone.

63 .

64 .• PROPOSTA DE TRABALHO • Analisar a alavanca direita de três modelos de carro.

65 .

66 .

67 .