Você está na página 1de 1

As novas interpretaes que viam do ocidente em relao corrente Marxista ligada a Escola de Frankfurt com tericos da marca de George

e Lukcs, Herbert Marcuse e Michel Foucault, concebem no mais por assim dizer a luta de classe e a to propalada ditadura do proletariado que possa advir da revoluo armada (Revoluo), a insurgncia dos trabalhadores contra os seus patres e sim uma luta que advenha dos livros e das Universidades no que ficou conhecido por Marxismo Cultural, a isso se proporo os filsofos e tericos ligados a Escola de Frankfurt. Marcuse com seu clebre livro Eros e Civilizao uma anlise conjunta da psicanlise Freudiana com o contexto social repressivo da sociedade (superego) sobre o indivduo (Id) no qual Marcuse identifica um Ser por assim descrito como castrado por um complexo de barreiras ligadas a instituies repressivas como a famlia a religio e a prpria estrutura da sociedade em si. Em vertente oposta aparece anlise racional por trs do capitalismo, o capital que produz inovaes tecnolgicas e grandes feitos em detrimento de uma grande massa que sofre e padece em consequncia de tal racionalizao, os grandes males que possam advir de tal civilizao ligada tragdia ou que possamos definir como a prpria tragdia em si. George Lukcs e a sua viso messinica que advinha da Rssia Sovitica ligada tradio religiosa da Igreja Ortodoxa e que era atravs da tradio crist que ideais marxistas estavam propensos a serem disseminados. Por fim a concepo da microfsica do poder por parte do filsofo francs Michel Foucault ao analisar as partes de um todo a (o poder ramificado) Exemplo: relao carcereiro-preso. A sua anlise em escritos como da arqueologia do saber e a genealogia do poder e o modo transversal de como se restabelecia tal poder em escritos como a histria da loucura e Vigiar e Punir. Ernest Bloch enfatiza uma dominao que nunca ser absoluta e sim completa, em sua concepo Utpica da sociedade no qual os homens so obrigados a ter. Uma dominao que provem do prprio Direito que esta a servio do Capitalismo-Burgus e da propriedade privada, para Bloch a evoluo de tal sociedade se d a partir do Fim do Direito o alheamento de uns em benefcio de uma minoria a qual esta atrelada. Para tanto Bloch o teoriza que tal sociedade socialista ser possvel o impossvel a continuao de uma sociedade capitalista e para tanto egosta, para tanto a evoluo da sociedade o prprio socialismo e glorificao da dignidade humana.