Você está na página 1de 2

Roteiro da Prtica de Axovacs

Tcnica de Patch Clamp


Inicio: 1976. Atividade de canais inicos isolados. Introduo de soluo salina em micropipeta de vidro. Uma suco suave leva vedao entre vidro e membrana. Meio que banha a clula mais a parte da membrana isolada: resistncia em Gigaohms. Corrente que flui pela membrana: idntica a que flui pela clula. Fluxo de ons monitorado com preciso de milissegundos.

Tcnica de Voltage Clamp

Inicio: dcada de 40. Uma corrente adicionada continuamente clula (esta aumenta com o estimulo, de ms), e as variaes de voltagem so medidas. Quando a membrana muda seu potencial, o sistema detecta erro, e adiciona corrente para fazer com que a o circuito volte voltagem original (V=RI). A corrente adicionada computada pelo monitor de corrente. Passo 1) Canais. Observe o comportamento das 4 partculas n no canal de potssio (n4), e das 3 particulas m e uma h do canal de sdio. Qual a relao entre o deslocamento dessas partculas e a abertura/fechamento dos canais? O que ocorre se aumentarmos o numero de medies, e a voltagem? Passo2) Condutncia dos canais. Observe a condutncia dos canais para sdio e potssio, e suas diferenas de cintica temporal. Porque as condutncias sempre esto para cima, com nmeros positivos? O que ocorre se variarmos os estmulos (corrente aplicada?) Passo 3) Potencial de Ao.O que ocorre se variarmos tempo de aplicao de corrente e intensidade de corrente aplicada na clula? Qual o conceito de somao, perodos refratrios, e estmulos sublimiares? Passo 4. Farmacologia. O que ocorre se aplicamos a SAX (e TTX) e o TEA (tetraetilamonio), com o potencial de ao? Que tipo de canais essas toxinas influenciam? O que ocorre se usamos doses baixas? De onde vm essas toxinas na natureza?