Você está na página 1de 1

A energia chamada atômica ou nuclear, provém da energia acumulada no interior do núcleo dos

átomos, partes essenciais constituintes de todas as formas de matéria. Os átomos possuem


pequeninos anéis, partículas de carga negativa que circundam seu âmago. O núcleo do átomo é
composto de partículas de cargas positivas, denominadas pótons, e partículas neutras,
chamadas de neutrons, todas unidas por uma imensa quantidade de energia. Em toda reação
química (como a formação do sal - cloreto de sódio - proveniente da mistura entre sódio e cloro)
o agrupamento dos elétrons no exterior do átomo sofre mutação, mas os núcleos dos átomos do
sódio e do cloro se mantém imutáveis. No caso de uma reação nuclear, o agrupamento de
prótons e neutrons dentro dos núcleos muda. A maioria das reações ocorridas na natureza são
de categoria química. Reações nucleares são raras. Há duas espécies de reação nuclear: fissão
e fusão. Na fissão nuclear, o núcleo de um átomo se rompe, liberando alguns prótons ou
neutrons junto com outras pequenas partículas e uma grande quantidade de energia. Quando
um átomo de urânio-235 é rompido, por exemplo, dois átomos menores (fragmentos de fissão)
são formados, e três neutrons, liberados. Urânio-235 é o reator para a bomba atômica. No caso
da fusão nuclear, dois núcleos se unem, os prótons e os neutrons combinam entre si para a
formação de um núcleo maior. Alguns prótons e neutrons se soltam liberando energia.