P. 1
a importância da pesquisa científica

a importância da pesquisa científica

|Views: 24|Likes:
Publicado porAdeildo Filho

More info:

Published by: Adeildo Filho on Sep 09, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/25/2015

pdf

text

original

DESPERTANDO PARA A PRODUÇÃO INTELECTUAL: A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA CIENTÍFICA

ELVINA MARIA DE SOUSA BARBOSA* JOELSON RAMOS*
*

MARIA DO SOCORRO S. CIRÍACO*

Resumo

O presente trabalho pretende apresentar a importância da produção científica para a vida acadêmica e profissional, buscando despertar no aluno o interesse pela pesquisa científica. Trata-se de pesquisa bibliográfica, abordando desde os motivos para iniciar a produção científica, como deve ser a produção científica na vida universitária, passando por uma breve descrição dos tipos de trabalhos acadêmicos, os agentes fomentadores da pesquisa e noções dos benefícios que o estudante-pesquisador terá com esta atividade.

Palavras-chave: Produção científica. Pesquisa. Metodologia.

*

Alunos do quarto bloco do curso de graduação em Biblioteconomia da Universidade Estadual do Piauí – UESPI. elvinabarbosa@hotmail.com; joelsom-ramos@hotmail.com; sciriaco3@hotmail.com.

• Metodologia é conjunto de métodos e técnicas utilizados para a realização de uma pesquisa. é o uso de diferentes ferramentas e meios pelos quais os pesquisadores desenvolvem raciocínios. evoluindo para os estágios de trabalhador intelectual até converter-se em pesquisador e. Começar uma vida de produção científica e intelectual exige a tomada de atitudes como perseverança. teorias. Stern e Volpato. hipóteses. lógica científica e produção científica. Para Salomon (2004.301). Lakatos. Utilizando-se de regras e princípios pré-estabelecidos. a evolução dessa vida científica tem início com o estágio leigo. metodologia. Implica. Bagno. finalmente. científica e acadêmica do pesquisador. procura fazer a distinção entre argumentos válidos ou não. Cada estágio tem suas características.2 1 SOBRE A PESQUISA CIENTÍFICA A importância da produção científica para a vida acadêmica e profissional será abordada a partir de pesquisa bibliográfica. • Produção científica compreende a produção intelectual. Em seguida teremos os seguintes estágios: . Para chegarmos ao entendimento desses conceitos realizamos pesquisa nos textos de teóricos como Severino. demonstrando sua evolução e especialização na área de estudo. iniciando-se com os conceitos básicos para os termos: lógica. das pesquisas e métodos elaborados nos diversos campos do conhecimento. • A lógica científica une esses dois conceitos. e concluímos que: • A lógica é uma ciência que tem como objeto de estudo as relações de coerência entre o pensamento e o discurso. buscando o uso formal da verdade e do pensamento coerente. sendo o LEIGO o que identifica aquele que pretende tornar-se pesquisador/produtor científico iniciando seus estudos e pesquisas. pois. autor. a discussão dos estudos científicos. p. disciplina e muita curiosidade sobre o objeto de estudo. traduzindo o estudo das relações de coerência entre o pensamento e o discurso através da utilização de ferramentas (métodos) que levarão ao desenvolvimento de novas descobertas e teorias.

também conhecido como princípio da parcimônia: “a explicação mais simples é a melhor” ou “não multiplique hipóteses desnecessariamente”. Ou seja. mas sim os fatos e as relações que a compõem”. o conceito mais simples. . p. serem validados pelos demais pesquisadores. registros. a conclusão mais provável.3 • TRABALHADOR INTELECTUAL: Neste estágio o estudante deve adquirir hábitos de estudos. reformulando a própria conclusão. Partindo do simples para o complexo. Não se deve dizer nada além do necessário. Esta afirmação traduz uma preocupação que todo pesquisador deve ter consigo em cada atividade de sua vida profissional: na elaboração de um trabalho científico deve-se relatar fielmente o processo realizado. segundo o qual “pluralidade não deve ser colocada sem necessidade”. AUTOR: Etapa em que os resultados do estudo e da pesquisa deverão ser divulgados para chegar ao conhecimento da comunidade científica e assim..11) “p que torna uma história verdadeira não é a forma como é contada. Nos estudos.74) ao falar da importância da veracidade dos fatos nos relatos científicos. Em todos os estudos e pesquisas o que deve prevalecer é a coerência. é a melhor escolha. mesmo que seja preciso reconsiderar o propósito inicial da pesquisa. Um modelo de lógica científica muito utilizado é o que atua de acordo com o princípio conhecido como Navalha de Occam (STERN. Volpato (2006. pesquisas e divulgações científicas é importante que o estudioso se certifique da correta aplicação dos métodos e teorias abordados. de leitura e de registros (documentação pessoal). o pesquisador deverá ser capaz de fazer conclusões de fácil interpretação e entendimento. Volpato também afirma que (Ibid. pois afirmações não comprovadas levam ao descrédito de quem as formulou. • • PESQUISADOR: Nesta fase é importante munir-se de material teórico. a fim de manter a integridade e fidelidade dos dados a serem apresentados. 2009). p. mas a ciência dá um grande prêmio à honestidade”. através de fontes de pesquisas amplas e fidedignas (referencial teórico). cita o físico Max Planck que dizia “o cientista não é o mais honesto dos homens.

comprovando que pesquisas na área foram realizadas e validadas. A principal maneira de conferir se um estudo ou trabalho foi motivo de pesquisa é verificar se ela provocou avanços. p. separando os ingredientes. Ele cita como exemplo uma consulta aos livros de Ciências de ontem e de hoje.18) “se não houve avanços é porque não houve pesquisa . Executar uma receita de bolo. pois conforme Bagno (2007. Rapidamente poderemos confirmar que muitas descobertas foram reveladas ao longo do tempo.e se não houve pesquisa é porque não é ciência”. Ela tem um propósito e segue uma estrutura pré-definida para que tenha seus resultados validados. A pesquisa científica é o fundamento de toda e qualquer ciência. sem nos darmos conta de que o fazemos.. O grau de desenvolvimento de um país também é revelado pela sua representação junto à comunidade científica mundial..] são um pré-requisitos à formação de indivíduos capazes de aprender por si mesmos. No entanto. criticar o que aprendem e criar conhecimento novo”. Diariamente todos nós realizamos pesquisas das mais variadas formas. O pesquisador deve ter como foco de análise um objeto ou assunto bem delimitado.9) “as habilidades de raciocínio. apud BAGNO.4 2 INICIANDO A PRODUÇAO CIENTÍFICA Para Perini (1996. A pesquisa científica é uma investigação feita com o objetivo expresso de obter conhecimento específico e estruturado sobre um determinado tema. 2007. pois acompanha a preocupação e comprometimento dos governos com o crescimento científico e tecnológico da nação. Buscar o significado de uma palavra desconhecida em um dicionário. por exemplo: • • • • • Ler o manual de instruções de um DVD. observação. formulação e testagem de hipóteses [. uma vez que os índices de publicação científica são fatores determinantes tanto para o crescimento do país . a pesquisa científica vai além dessa rotina despercebida. p. Ler a bula de um remédio buscando seus efeitos colaterais. concentrando todo seu esforço na solução do problema proposto. Por esta razão toda pesquisa deve ter por objetivo principal a divulgação de seus resultados junto à comunidade científica. Andar de loja em loja procurando o melhor presente para um amigo.

a testar teorias e a criar suas próprias conclusões. Isto significa que pesquisas estão sendo publicadas e. sobre o crescimento da produção científica brasileira. o ato de iniciar uma pesquisa parece. ele será levado a querer divulgar o que está sendo feito. a realizar trabalhos escolares superficiais. quando muito. pois. Em matéria divulgada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) em sua edição número 160 (junho/2009). a formular idéias. Isto se deve ao fato de que boa parte do corpo docente. fazer pesquisa científica é de primordial importância para o crescimento e desenvolvimento de um país e da ciência. seja na universidade. Este é um dos fatores motivacionais para o início de uma pesquisa científica. também desconhece estas possibilidades. a questionar. distante de sua realidade. às vezes. universitário ou não. estão sendo vistas em todo o mundo. o estudante-pesquisador terá o reconhecimento pelo seu . principalmente. limitando-se a cumprir sua carga horária nas escolas. Limitam-se. precipitado e. Para o aluno.5 como para o próprio pesquisador. levará o estudante ao amadurecimento de suas idéias e conceitos. A partir daí ele estará sendo observado pela comunidade acadêmica e científica e seu desempenho será avaliado. calouro ou veterano. POR QUE E PARA QUÊ FAZER PESQUISA CIENTÍFICA Conforme visto anteriormente. em especial dos ensinos fundamental e médio. seja no ensino médio. achando que somente quando estiverem formados deverão tomar atitudes mais amadurecidas em relação ao aprofundamento dos seus estudos. o Brasil aparece em 13. Iniciar uma pesquisa científica. 3 COMO.º lugar no ranking da Web of Science 2008 (um conjunto de base de dados mundial). um dos grandes estímulos para o pesquisador é o reconhecimento por parte de outros estudiosos. estimulará sua criticidade e promoverá uma maior responsabilidade do mesmo com relação ao seu ambiente e com o mundo. Grande parte dos estudantes desconhece as possibilidades e o caminho para fazer pesquisa. Ao iniciar um trabalho científico o estudante inicia uma nova etapa em sua vida profissional. Por fim. O estudante será conduzido a levantar hipóteses. à frente da Holanda e da Rússia. À medida que está sendo observado e avaliado. num primeiro momento.

CNPq. pois dificilmente se consegue ir adiante estudando algo que não se gosta. 3. Para iniciar-se na vida de pesquisador. estaduais e municipais e também empresas privadas. fundações públicas e privadas e os diversos programas de incentivo à pesquisa. Não encontramos essas informações em livros de metodologia científica. Para esse primeiro contato é importante conhecer antecipadamente as linhas de pesquisas do pesquisador (verificar no Currículo Lattes do mesmo) para então apresentar-se e tentar uma indicação em projeto por ele coordenado. Fapeam). Não é tarefa fácil. Fapese. podendo não ser aplicadas à realidade de outros Estados. o estudante deve seguir alguns passos básicos: 1. poderão indicá-los para as bolsas de pesquisa e iniciação científica. etc. Fundações Estaduais de Pesquisa (Fapepi.6 trabalho e. A elaboração dos passos acima citados é fruto de nossa observação pessoal e de questionamentos feitos a alguns pesquisadores na Universidade Federal do Piauí (UFPI) e Universidade Estadual do Piauí (UESPI). . Identificar e buscar informações sobre a área com a qual tenha maior afinidade. Fapesp. mantidos por órgãos federais. Fazer contato com os professores-pesquisadores das instituições de ensino e nas áreas em que esteja interessado em aprofundar seus estudos. com isto. Uma opção é iniciar como voluntário desses pesquisadores. Banco Santander. Conhecer os órgãos de fomento à pesquisa ligados às universidades. pois a maioria dos pesquisadores já possui uma espécie de “banco de talentos” com alunos já familiarizados com os assuntos a serem estudados. Por exemplo: FINEP. que passarão a avaliar o interesse e produtividade do estudante e. elas refletem o nosso entendimento sobre o tema. Fundação Ford. 2. Esses órgãos destinam recursos para pesquisas através de editais divulgados nos seus respectivos sites. crescerão suas chances de obter sucesso no mercado de trabalho. Banco Itaú. posteriormente.

O projeto é o registro deste planejamento. diretamente no site do CNPq. conteúdo. elementos teóricos e etapas que pretende percorrer.7 Um dos meios para iniciar a produção científica são as bolsas oferecidas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). etc. independentemente da área de conhecimento em que a mesma será realizada. período. b) LEVANTAMENTO DAS FONTES E DOCUMENTOS A referência como técnica tem por objetivo a descrição e a classificação dos livros e documentos similares. Para elaborar o projeto o pesquisador precisa ter bem claro o seu objeto de pesquisa. que “é uma agência do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) destinada ao fomento da pesquisa científica e tecnológica e à formação de recursos humanos para a pesquisa no país. tais como autor. 4 A PESQUISA NA DINÂMICA DA VIDA UNIVERSITARIA Abordaremos a seguir os processos para se realizar uma pesquisa e as modalidades básicas de trabalhos científicos. hipóteses. pois elas são indispensáveis para a avaliação do projeto. seguindo critérios. gênero. . Todo material consultado pelo pesquisador deverá ser corretamente referenciado para servir de validação do trabalho realizado e de pesquisas para novos estudos. um trabalho de pesquisa precisa ser planejado. Cada item deve obedecer a normas técnicas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). independentemente de exigência dos professores. O processo de investigação é constituído de uma seqüência que segue as seguintes etapas: a) ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA Antes de ser realizado. Esse tipo de trabalho pode ser feito a qualquer momento. os problemas. Os interessados devem consultar as normas vigentes nos editais de chamamento para concessão de bolsas.” (site do CNPq). Essas bolsas são disponibilizadas em diversas modalidades e possuem critérios específicos para solicitação.

o pesquisador deverá anotar em lugar apropriado a origem da informação (fichamento). mas para os avaliadores desses trabalhos e pesquisas. devendo o pesquisador priorizar aqueles disponibilizados ou indicados pelas próprias bibliotecas das grandes universidades e dos organismos de pesquisa e fomento. conforme anunciado no projeto. A Internet enquanto fonte de pesquisa e validação de informação tornou-se indispensável para os diversos campos de conhecimento. é operar uma triagem em todo o material recolhido durante a elaboração das referências. Ao realizar pesquisas e buscar informações. Para os iniciantes em trabalhos científicos isto pode parecer supérfluo. uma revista científica e até mesmo uma conversa informal que tenha contribuído de maneira essencial ao seu trabalho. centros de documentação. nacionais e internacionais. Isto porque representa hoje um grande acervo de dados colocado à disposição de todos os interessados. Um livro. Serão essas idéias que nortearão a leitura e a pesquisa que se inicia. c) A ATIVIDADE DE PESQUISA E A PRÁTICA DA DOCUMENTAÇÃO Terminado o levantamento das fontes. entidades públicas e privadas. devem ser referenciados conforme as normas técnicas adequadas. e muitos outros. certamente. um periódico. contribuirá na avaliação final do trabalho. é chegado o momento de se iniciar o trabalho da pesquisa propriamente dito. É preciso saber garimpar. é uma atividade que vai demonstrar o quanto o pesquisador aprofundou e valorizou o tema e que.8 Conforme o assunto a ser aprofundado. Nem tudo será necessariamente lido. o pesquisador poderá fazer uso de diversas fontes de pesquisa. A primeira medida. Materiais podem ser consultados em bibliotecas. Deve-se iniciar . arquivos públicos. Os sites de pesquisa devem ser de interesse particular da área acadêmica. jornais. fundações de pesquisa. Antes de explorar as fontes bibliográficas o pesquisador deve ter em mãos a estrutura geral do seu trabalho. O bibliotecário é o profissional capacitado a executar esta tarefa corretamente. no entanto. e que pode ser acessado com extrema facilidade graças à sofisticação dos atuais recursos informacionais no mundo inteiro. o momento de leitura e da coleta de dados. pois nem tudo interessa devidamente ao tema a ser estudado. partindo dos principais teóricos da área e sempre procurando as informações mais atualizadas sobre o tema.

e) A REDAÇÃO DO TEXTO Consiste na expressão literária do raciocínio desenvolvido no trabalho.9 pelos textos mais recentes e mais gerais. pois cada tipo de apresentação possui características e exigências próprias. É imprescindível que o pesquisador conheça as normas da ABNT ou solicite o apoio de um bibliotecário. Recomenda-se que a montagem do trabalho seja feita através de uma primeira redação de rascunho até chegar-se ao produto final. NBR 15287:2005). d) ANÁLISE DOS DADOS E A CONSTRUÇÃO DO RACIOCÍNIO DEMONSTRATIVO Construção lógica ou síntese é a coordenação inteligente das idéias conforme as exigências racionais da sistematização própria do trabalho. folha de rosto. sumário. pois a ordem lógica do pensamento de quem escreve pode não coincidir com a ordem de descoberta e de intuição do autor pesquisado. Pode acontecer que devido aos desdobramentos ocorridos durante a pesquisa. resumo na língua do autor. (NBR 6022:2003. . palavras-chave em língua estrangeira. 15287:2005). (NBR 6022:2003. NBR • Elementos pós-textuais: são elementos que complementam o trabalho: título. listas (se houver). alguma mudança se faça necessária para o estabelecimento do plano definitivo. de acordo com seu objetivo. que irão variar conforme o tipo de trabalho: • Elementos pré-textuais: são elementos que antecedem o texto com informações que ajudam na sua identificação e utilização. e sub-título (se houver) em língua estrangeira. Nesta etapa o pesquisador deverá exercitar intensamente sua capacidade de interpretação dos dados e sua criticidade. como: título e sub-título (se houver). palavras-chave. resumo em língua estrangeira. indo para os mais antigos e mais particulares. um trabalho científico contém as seguintes partes. desenvolvimento. Do ponto de vista da apresentação geral. lombada. nome do autor. capa. notas explicativas. • Elementos textuais: parte do trabalho em que é exposta a matéria: introdução. conclusão.

A norma NBR 6023:2003 define monografia como sendo “item não seriado. apêndices. técnicas. AS MODALIDADES DE TRABALHOS CIENTÍFICOS Os trabalhos de natureza científica embora tenham caráter universal nas suas estruturas lógicas e metodológicas. Cada um desses elementos deve ser estudado de forma específica. isto é. um artigo cientifico é também uma monografia. (NBR 6022:2003. e ambos são formas de trabalhos exigidas durante os cursos de graduação e de pósgraduação lato sensu (especialização). artigo científico é “parte de uma publicação com autoria declarada. Para tanto. O pesquisador deve ter a preocupação de consultar as diferentes normas da ABNT antes de publicar sua pesquisa. a) TRABALHO CIENTÍFICO E MONOGRAFIA De acordo com a NBR 6022:2003. anexos. Inferimos das leituras realizadas que monografia é o trabalho que reduz sua abordagem a um único assunto. em trabalho mais aprofundado e não serão abordados neste momento. a um único problema. métodos. item completo. com tratamento especificado. ou que se pretende completar em um número preestabelecido de partes separadas”. poderá contar com o auxílio de um profissional bibliotecário que fará a revisão de todo o aspecto normativo do trabalho. processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento”.10 referências. diferenciam-se em função de seus objetivos e da natureza do objeto abordado e em função de exigências específicas de cada área do saber humano onde as várias normas de natureza técnica devem adaptar-se adequadamente. Ou seja. glossário. constituído de uma só parte. que apresenta e discute idéias. NBR 15287:2005). . adequandoo às exigências da ABNT. tendo como característica a unicidade e delimitação do tema.

congressos. reuniões) e visam informar sobre o andamento de determinada pesquisa. . nas devidas fontes. Também chamado de monografia. estudo independente. d) RELATÓRIO DA PESQUISA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Segundo a norma NBR 15287:2005. (grifo do autor). projeto de pesquisa “compreende uma das fases da pesquisa. documental ou de campo. trabalho de graduação interdisciplinar – TGI. módulo. em que o aluno formula um projeto e passa a desenvolvê-lo cumprindo um cronograma nele estabelecido de comum acordo com seu orientador. Pode ser um trabalho teórico.11 b) TRABALHOS DIDÁTICOS Fazem parte intrínseca da formação técnica ou científica dos estudantes e os levam a buscar. devendo expressar conhecimento do assunto escolhido. curso. Neste relatório o aluno deve seguir o que foi proposto no projeto de pesquisa. Nesta categoria são incluídos os “comunicados científicos” que são trabalhos apresentados em eventos (fóruns. que deve ser obrigatoriamente emanado da disciplina. É nesta fase que além de ampliar seus conhecimentos. o aluno se iniciará no método da pesquisa e da reflexão. seminários. Não se exige originalidade nestes trabalhos. É a descrição da sua estrutura”. O graduando pode desenvolver um projeto pessoal. o que o qualifica é o uso correto do material preexistente. O relatório da pesquisa de iniciação científica é um tipo de relatório diferenciado pelo fato de que está vinculado a uma bolsa. c) TCC – TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO A norma NBR 14724:2005 estabelece os critérios de informação e apresentação de trabalhos acadêmicos e define “trabalhos acadêmicos – similares (trabalho de conclusão de curso – TCC. sob a supervisão de um orientador ou participar do desenvolvimento do projeto e pesquisa do próprio orientador. subsídio financeiro para que o aluno possa se dedicar mais intensamente às pesquisas e investigação. Deve ser feito sob a coordenação de um orientador”. Parte integrante da atividade curricular de muitos cursos de graduação. trabalho de conclusão de curso de especialização e/ou aperfeiçoamento e outros): Documento que representa o resultado do estudo. São acompanhados e avaliados por comissões especializadas. articulado ao próprio conteúdo do curso. elementos complementares àqueles adquiridos no próprio curso. programa e outros ministrados. por sua natureza única e específica.

passando a chamar-se “trabalho científico escrito” no século 20. f) ENSAIO TEÓRICO No ensaio há maior liberdade por parte do autor. . O relatório pode iniciar com uma retomada dos objetivos do próprio projeto. resumo é a “apresentação concisa dos pontos relevantes de um documento”. Por exemplo. o uso correto das normas técnicas da ABNT. São características desse tipo de trabalho: o rigor lógico. para avaliar o andamento dos projetos financiados ou simplesmente historiar seu desenvolvimento. exige grande informação cultural e muita maturidade intelectual. em seguida. Não se dispensa. Deve-se obedecer a norma NBR 15287:2005. É através delas que se toma conhecimento prévio do conteúdo do livro. pois essas terminologias variam conforme a época e o país.253) os termos aplicados aos diferentes trabalhos acadêmicos nem sempre tiveram os nomes que têm hoje. recensão de livros ou análise bibliográfica é uma síntese ou comentário de livros publicados e são feitos em revistas especializadas das várias áreas da ciência. a denominação “método das ciências sociais” surgiu na terceira década do século 19. quando especifica com maiores detalhes o documento em análise. g) RELATÓRIOS TÉCNICOS DE PESQUISA Trata-se comumente de exigência institucional de quem financia bolsas ou projetos. Ainda segundo esta norma. passando. Segundo Salomon (2004. devendo ser encerrado com a programação das próximas etapas da continuidade da pesquisa. mas sem apresentar dados e também pode ser informativo. p. Para NBR 6028:2003. a coerência de argumentação. obviamente. quando cita os pontos principais do documento. no sentido de defender determinada posição sem que tenha de se apoiar no rigoroso e objetivo aparato de documentação empírica e bibliográfica. Pode ser indicativo. Resenha. à descrição das atividades realizadas e dos resultados obtidos. o resumo pode ser crítico. das artes e da filosofia.12 e) RESUMOS E RESENHAS Resumo é um trabalho de extração de idéias. também chamado de resenha.

p. . Claro que isto também levou a uma maior projeção intelectual e profissional de quem possui os melhores títulos. 253) o uso de novos termos para designar velhas coisas. participativa. a mola propulsora e o caminho mais óbvio para quem inicia uma produção acadêmica e científica. p. bastando que se dê o passo inicial e que o estudante-pesquisador se inquiete diante dos ensinamentos básicos das grades curriculares e busque novos caminhos. a documentação é a mola real de qualquer trabalho científico e da própria formação superior”. da saúde ou da educação. especificamente na coleta de dados. humanas ou exatas. existe pesquisa científica e inúmeras possibilidades de novas descobertas. pelo qual todos nós um dia passamos. Essa última é. enfatizando que “é possível realizar pesquisa científica [. ainda se ensina pouco em nossos cursos superiores brasileiros ‘como se usa uma biblioteca’ e. juntamente com a reestruturação do ensino e dos sistemas de formação profissional. já nas primeiras séries. no entanto.. PARA CONSTRUIR CONHECIMENTO NOVO Segundo Salomon (2007. ali se faz ciência e ali se inicia a jornada científica.. curiosa. Para o estudante-pesquisador.. O mundo competitivo em que vivemos exige do estudante.13 No contexto dessa evolução Salomon (Ibid.. uma atitude inquisitiva. provocou reformas e reformulação de conceitos. abordagens e até mesmo dos rituais das solenidades de formaturas.infelizmente. bibliotecas e bancos de dados” mas completa dizendo que: “. sem dúvida. Em qualquer das ciências. em que a pesquisa se faz necessária e imprescindível desde aquele primeiro experimento com o grão de feijão posto em um chumaço de algodão. Infere-se dessa afirmação que o trabalho de pesquisa científica exige grande empenho por parte dos interessados..] freqüentando apenas os centros de documentação.254) destaca a importância do bibliotecário e da documentação como fundamentais no processo de construção do trabalho acadêmico.

somente para contar pontos nas avaliações de currículo e constar em citações bibliográficas. pesquisado e divulgado na comunidade científica. pois para sobressair-se neste mundo competitivo. em todos os sentidos da palavra. e foi isso que eles viveram. de falta de energia. trocando apenas a posição das palavras. [que] será seguida pela grande “experiência”. em detrimento da qualidade com o que está sendo feito. p. “. os anos de compromisso. É isso o que nos dizem os adultos. sem critérios de conteúdo. Na opinião de Waters alguns teóricos tentam suprimir na juventude acadêmica a expectativa de novas descobertas. inovação ou qualidade. Este é o grande perigo da vida acadêmica e do pesquisador: cair na tentação de publicar incessantemente. fazendo diferença na vida das pessoas. em especial. um obcecado pela desconstrução da teoria do conhecimento que propõe a busca por novas idéias de uma forma conveniente somente à sua própria vontade de poder. mas. os mesmos métodos. e o que o preocupa. que em 1913 escreveu: Cada vez mais somos assaltados pelo seguinte sentimento: nossa juventude é nada mais que uma noite passageira. de empobrecimento das idéias.. cita Benjamin Franklin. Muitos pesquisadores estão preocupados em publicar indistintamente.75). Assim é a vida. preocupado com a falta de curiosidade e interesse da maioria dos jovens pela pesquisa.. O que Waters enfatiza. o que conta mais é a inovação. Nesta categoria ele cita Stanley Fish (reitor de uma conceituada universidade americana). Fish e seus seguidores temem a idéia de algo novo. é a corrida pelo status. temendo perderem o posto de “deuses” do saber.. pelo poder.14 Waters (2006.. . à pesquisa acadêmica. E este é um caminho que o estudantepesquisador deve procurar evitar. Para Waters. que não tenha sido criação deles. repetindo as mesmas idéias.

5. 160. NBR 15287: informação apresentação. Metodologia do trabalho científico. ______. rev. 2007. Rio de Janeiro: 2003. São Paulo. Rio de Janeiro: 2002. Como fazer uma monografia. São Paulo: Cortez. 2009. Marcos. 23.htm>. Disponível em: <http://www. Imperatriz. ______. São Paulo: Martins Fontes. 2008. ed. São Paulo: Atlas. 21. 2007. 2009.revistapesquisa. n. ______. pouca luz. 11. . jun. Disponível em: <http://www. ed.. LAKATOS. e atual. Rio de Janeiro: 2005. como se faz.15 REFERENCIAS ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS.cnpq. Rio de Janeiro: 2005. Adeus.fapesp. 2009. Revista Pesquisa Fapesp.br/index. MA: Solimar de Oliveira Lima. Marina de Andrade. Acesso em: 16 jun.php?art=3871&bd=1&pg=3&lg>. Bolsas. ______. e documentação: projeto de pesquisa: BAGNO. ed. Eva Maria. Pesquisa na escola: o que é. MUITO calor. São Paulo: Ed. SALOMON. Acesso em: 16 jun. Metodologia científica. Délcio Vieira. NBR 6022: informação e documentação: artigo em publicação periódica científica impressa: apresentação. CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO. LIMA. SEVERINO. MARCONI. 2004. NBR 14724: informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. Loyola. ed. NBR 6028: informação e documentação: resumo: apresentação..br/bolsas/index. Antonio Joaquim. 1998. Solimar Oliveira. NBR 6023: informação e documentação: referências: elaboração. Einstein: elaboração de monografias de iniciação de pesquisas científicas. Rio de Janeiro: 2003.

Gilson Luiz. Leonardo.com>. <http://www. da UNESP. Tradução Luiz Henrique de A. 2006.pesquisapsi.16 STERN. 2009. São Paulo: Ed. WATERS. ed. Inimigos da esperança: publicar. A lógica científica. Disponível em: VOLPATO. 2. Dutra. Botucatu: Gilson Luiz Volpato. 2006. . Lindsay. Acesso em: 15 jun. perecer e o eclipse da erudição. Dicas para redação científica.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->