P. 1
Passos Para o Dimensionamento de Um Elevador de Caneca

Passos Para o Dimensionamento de Um Elevador de Caneca

|Views: 651|Likes:
Publicado porSéfora Silvério

More info:

Published by: Séfora Silvério on Sep 10, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/15/2014

pdf

text

original

Passos para o dimensionamento de um elevador de caneca:  Régua;  Calculadora;  Tabela com as propriedades físicas dos materiais; Dados de entrada

:  Características dos materiais a serem transportados;  Peso específico (t/m3);  Altura de levantamento – H – (m);  Capacidade desejada – Q – (t/h);  Condições de operação;  Condição de serviço – contínuo ou intermitente

Definições e Cálculos   

Fazer desenhos de simulação dos elevadores e seus acessórios; Em função do material a ser transportado escolher o tipo de elevador e a localização do esticador (Tab. 4-04 do Manual FAÇO); Escolher a velocidade de operação das canecas em função do tipo de elevador a ser utilizado (Tab. 4-01 do Manual FAÇO);

 Escolher a série do elevador, em função da capacidade (t/h) e do peso especifico do material (t/m3) (Tab. 4 -02 do Manual do FAÇO);  Calcular a distância entre os centros dos tambores do elevador(L) em (m):

L = H +M +Q + 0,275

Onde: H = altura de elevação do material e M e Q são dimensões do transportador escolhido (ver Tab. 4-08 do manual FAÇO) Determinar as características dos principais componentes com base na serie do elevador escolhido (Tab. 4-05 do manual FAÇO); Calcular a potência do motor(N) em (HP):

4-08 do Manual FAÇO).Onde: V = velocidade da correia (m/s) η = rendimento P = Peso do material (Kg/m) L = distancia entre os centros dos tambores (m) (calculado no item anterior) D2 = diâmetro do tambor do pé (m) (Tab. Determinar as dimensões gerais do EC (Tab. 4 -06 do Manual FAÇO) . Onde: H = Altura de elevação do material (m) D2 = diâmetro do tambor do pé (m) (Tab. 4-07 do Manual FAÇO). 4-05 do Manual FAÇO) g = Peso especifico do material (t/m3) qc = capacidade de cada caneca (m3) (Tab. 4-05 do Manual FAÇO) g = Peso especifico do material (t/m3) qc = capacidade de cada caneca (m3) (Tab. Verificar a capacidade Q (t/h) do EC: Onde: V = velocidade da correia (m/s) g = Peso especifico do material (t/m3) qc = capacidade de cada caneca (m3) (Tab. 4 -06 do Manual FAÇO) C = passo das canecas (m)    Escolher o conjunto de acionamento tendo como base a serie escolhida e a potencia do motor calculado no item anterior (Tab. 4 -06 do Manual FAÇO) C = passo das canecas (m)  Cálculo das tensões efetiva e máxima da correia.

onde os grãos são descarregados por uma saída na lateral do equipamento. cerca de 1. A forma de descarga é periférica. a entrada de materiais no elevador de caneca é feita diretamente sobre a mesma provocando seu enchimento. 4-09 do Manual FAÇO)  Selecionar a correia (para os casos de EC de correia). 4-04:  Tipo Elevador SB – soja inteira. possui canecas espaçadas.ou seja. Seleção do elevador em função do material de acordo com o manual FAÇO Tab. 4-01:  Tipo do elevador: centrífugo operando a 1.50 m/s e trabalham com plano inclinado vertical. Característica do elevador de caneca: O elevador de caneca a ser projetado. velocidade média máxima.72 t/m3 .C = passo das canecas (m) Te = Tensão efetiva (Kg) T1 = Tensão máxima (Kg) K = Fator devido ao abraçamento da correia no tambor de acionamento (Tab. Pode ser denominado como Centrífugos de correia. suas canecas são fixadas diretamente na correia por parafusos. Condições de operação: trabalho de forma contínua. A descarga do material elevado é feita pela ação de força centrífuga desenvolvida quando as canecas passam ao redor do tambor de acionamento.50 m/s. Capacidade desejada: 60 t/h. A alimentação é feita de forma direta. Velocidade adequada das canecas de acordo com o Manual FAÇO Tab. Memorial de Cálculo: Peso específico da soja: 0. Possui características essenciais para o transporte de grãos de soja. ou seja. com espaçamento ideal para permitir o basculamento da caneca. Altura de levantamento: 24 m. .

 Passo das canecas (mm): 330.15 + 0.275 L = 24 +0.510 Q = 0.  Peso específico: 0.  Série n° E-1000.  Largura da correia (pol): 8.150 Características dos principais componentes do elevador Série n° E-1000 conforme o Manual Faço Tab.0 m3/h Cálculo entre os centros dos tambores do elevador (L) em metros: L = H +M +Q + 0. 4-02.Escolha da série do elevador conforme o Manual Faço Tab.935 m. Sendo: H = 24 m M = 0.15  Rotação (rpm):44 Cálculo da potencia do motor (N) em (HP): .  Capacidade (g) canecas cheias: 1912 gramas  Capacidade ((m3/h) com canecas 75% cheias): 8.05:  Caixa dimensões internas A x B (mm): 300x830.275 L= 24.  Velocidade (m/s): 1.  Diâmetro dos tambores (mm): D1 (cabeça) 500.4.72 t/m3.  Bitola n°: 12.510 +0. D2 (pé) 450.

54 kgf/m De acordo com a tabela 4-07.0085 m3 v = 1.58 kw P= P = 18.935m D2 = 0. escolho o motor de 10 HP com 04 conjuntos de acionamento de η = 95.N= Sendo: V = 1.72 t/m3 C = 0.45m = 18.8% Cálculo da capacidade do elevador de caneca: Q= Onde: qc = 0.15m/s Onde: )) = 9.33t/h Cálculo das tensões das tensões da correia: .54 kgf/m L = 24.33m = 25.15m/s γ = 0.

36 kgf Tensão Máxima: T1 = ) .Tensão Efetiva: ( )) Te = = 5.452.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->