P. 1
Teorias Humanistas 2

Teorias Humanistas 2

|Views: 2|Likes:
Publicado porJose Ferreira

More info:

Published by: Jose Ferreira on Sep 11, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/11/2013

pdf

text

original

CURSINHO PARA PSICÓLOG@S

Abordagens Humanistas, Sócio-Histórica e outras
Autor do material: Leonardo X. de L. e Silva Psicólogo Jurídico do TJPE e Ministerial do MPPE Alterações: Paulo Teixeira Psicólogo Jurídico do TJPE

ALGUMAS CARACTERÍSTICAS COMUNS DAS ABORDAGENS HUMANISTAS

A “ 3ª Força“
Ênfase no potencial humano crescimento ( metáfora da árvore )

para

o

Fenomenologia (E. Husserl, o pioneiro)
Método: (redução) fenomenológica (chegar essência das coisas, capturando o seu Sentido) O Ser como fenômeno aqui-e-agora, processual. à


Noções : Experiência, sentido e significados
Existencialismo (busca/vazio de sentido)

PSICOLOGIA HUMANISTA
Enxerga o homem como um todo complexo e organicamente integrado , cujas qualidades únicas vêm de sua configuração total, os humanistas rejeitam as concepções elementaristas e fragmentadoras da psique. (...) Daí o generalizado consenso, que alguns entendem como a característica mais marcante da visão de homem que a Psicologia Humanista apresenta, isto é, rejeitar concepções estáticas da natureza humana, considerada antes como algo fluido: uma tendência para crescer, um movimento de sair de si, um projetar-se, um devir, um incessante tornar-se, um contínuo processo de vir a ser. (Boainain Jr, 1994:8).

d) Um conjunto de proposições verdadeiras conectadas por relações fundamentais. e) Captar o sentido ou o significado da vivência para a pessoa em determinadas situações. do campo da Filosofia para o da Psicologia. . por ela experienciadas em seu existir cotidiano. o objetivo inicial de chegar à essência do próprio conhecimento passa a ser o de procurar a) Um elo de ligação entre as manifestações filosóficas e das condições do existir humano. b) Levantar os princípios filosóficos que estão subjacentes à situação relacional vivenciada pelo sujeito. c) Reconhecer o ser-no-mundo inconsciente e coletivo como uma prática da vida cotidiana. tendo com ela uma familiaridade imediata e pré-reflexiva. ao fazer a transposição do método fenomenológico. conceituais.Segundo Yolanda Cintrão Forghieri.FCC-MPPE-2006 02.

. É uma gestalt fluida e mutante. O Campo fenomenal é constituído por experiências conscientes (simbolizadas) e inconscientes (não-simbolizadas). É uma gestalt que está disponível à consciência. Subcepção : poder do organismo para discriminar e reagir a uma experiência não-simbolizada. Campo fenomenal : Estrutura de referência do indivíduo. a qual inclui tudo o que está acontecendo dentro do organismo em qualquer momento dado e que está potencialmente disponível para a consciência. um processo.ROGERS CONCEITOS IMPORTANTES ● Organismo : É o foco de toda a experiência. É sua realidade subjetiva.. que só pode ser conhecida pelo próprio indivíduo ou pela inferência empática. mas em qualquer momento dado é uma entidade específica” . mas não necessariamente consciente. ● ● ● ● . Self (autoconceito) : “ gestalt conceitual organizada e consistente composta por percepções das características do „eu‟ e pelas percepções dos relacionamentos do „eu‟ com os outros.

Isso é o que mais me agrada.. eu sou eu. isso é o que me faz dizer que vejo flores em você”. você é você. .. ● Compreensão empática.Nessa vida passageira.ROGERS CONDIÇÕES FACILITADORAS ● ● Congruência/autenticidade Consideração positiva incondicional ● “.

ROGERS OUTRAS NOÇÕES ● Psicoterapia Centra no Cliente : o terapeuta segue o movimento do cliente. Tendência atualizante (auto-atualização) : força que move o ser humano no sentido da manutenção e melhoria das potencialidades experimentadas. ● ● . Grupo de Encontro : grupo de crescimento potencializado pela energia grupal. utilizando-se de seus próprios sentimentos através das condições facilitadoras.

d) Do comportamento utilizada para reduzir as respostas de ansiedade dos clientes por meio do contra-condicionamento. motivos e defesas inconscientes por meio de técnicas como livre-associação e transferência. pensamentos b) De insight que enfatiza o oferecimento de um clima emocional de apoio para os clientes. . c) Que enfatiza a recuperação de conflitos. os quais desempenham um papel importante na determinação do ritmo e da orientação de sua terapia. e) Comportamental na qual um estímulo aversivo é conjugado com um outro que provoca uma resposta indesejável. também conhecida como centrada na pessoa. é uma terapia: a) Que enfatiza o reconhecer e modificar negativos e convicções mal-adaptadas.FCC-TJPA-2009 ● 04 – A Terapia Centrada no Cliente .

FRITZ PERLS  Críticas à Psicanálise  técnica e ideologia causalista  ênfase sobre o porquê (x como)  Crítica à intelectualização exacerbada . ocidental x vivência autêntica (acúmulo de conhecimentos x experiência) .típica da soc.

na 'berlinda' Cadeira Vazia: técnica de integração. .PERLS E A GESTALT-TERAPIA ALGUMAS NOÇÕES ● ● ● ● Organismo como totalidade Unidade organismo/meio Ênfase no aqui e agora / Figura e Fundo Como > Porquê ● ● Conscientização Experimentos – – Hot seat : estar no centro da ação.

meio da prática d) ao estudo da distinção entre as qualidades físicas. mentais e de personalidade.A Psicologia da Gestalt dedica-se amplamente a) aos processos de aquisição do conhecimento. c) a compreensão da personalidade por psicoterápica nos moldes Junguianos.FCC-TJPA-2009 13 . mais especificamente na forma de organização das experiências na mente. . b) à aprendizagem e à percepção. e) ao estudo do efeito da hereditariedade no desenvolvimento da personalidade neurótica. sugerindo que a combinação dos elementos sensoriais produz novos padrões com propriedades inexistentes nos elementos individuais.

e) de reunir e integrar as visões parciais sobre o paciente. a enfatizar a importância a) de reunir todos os fatores condicionantes da ação e a promover um processo de conscientização destas. b) de rejeitar a valorização do aqui e agora e pesquisar a experiência pregressa do paciente.A visão holística levou Frederich S. d) de propor a utilização da hipnoterapia como recurso adicional de investigação das fantasias emergentes no paciente. construídas por outras psicologias emergentes em sua época. Perls. na GestaltTerapia.FCC-TRE/SE-2007 15 . . c) da autopercepção presente e imediata que um indivíduo tem de seu meio.

. sua filosofi a aponta que a pessoa deve ser vi sta na sua total i dade . e o est ági o de el uci dação do materi al confessi onal . é baseada no exi stenci alismo. tem por fi nali dade a consci ênci a. assi m como acredi ta que o si ntoma é a doença e que não é vi a de acesso para a i nvestigação de l embranças passadas ou para a perspecti va exi stenci al do paci ente . do ponto de vi sta terapêutico. d) enfati za a função do corpo na anál ise do caráter e. na qual o i ndivíduo começa a retomar o materi al i nconsci ente. no qual se desenvolve mai or fami l i aridade e compreensão dos processos psíqui cos . de forma que a vi da atual deste possa ser mais satisfatória.FCC-TRT/SP-2004 16. recuperar e rei ntegrar materi ais i nconsci entes. A Gestalt-terapia a) está i nteressada em comportamentos reai s e não em estados interi ores ou antecedentes hi stóricos. e) é fenomenológica. i ncl ui as técni cas de respi ração e de l i beração emocional . através da análise da transferênci a estabel ecida com o anal i sta . b) aj uda o paciente a rel embrar. tem sua vi são de mundo baseada no hol i smo e n a Teori a do C ampo e. c) é um processo terapêutico composto por doi s estági os pri nci pais : o estági o analíti co. que consiste inicialmente em confissão. na terapi a e sua práti ca.

pulou do alto de uma árvore na tentativa de voar.. .UM POUCO SOBRE JACOB LEVY MORENO E SUA TEORIA. segundo ele próprio. brincando de ser “Deus” com alguns colegas.  Faleceu em 14 de maio em Nova Iorque.  Aos quatros anos.  Nasceu em 1889 em Bucarest. fraturando seu braço direito. do Sociodrama e da Psicoterapia de grupo. do Psicodrama. dirigida por Moreno.. Essa teria sido a primeira sessão de psicodrama privado.  Foi o criador do Teatro Espontâneo.

.  Objetiva estudar o funcionamento (ou dinâmica) das relações interpessoais e dos papéis. que permite ao indivíduo atuar dramaticamente em diversos papéis.SOCIODINÂMICA:  Sócio – Grupo e Dinâmica – Movimento.Role-Creating.  Método: O estudo do role-playing.  Role-Taking – Role-Playing. ou jogo de papéis.

de tal forma que a aplicação criteriosa possibilita quantificar as relações estudas. 3. 2. . Objetivo: Medir as relações afetivas entre pessoas. Etapas do Teste Sociométrico: A escolha do critério pelo grupo. O porquê das escolhas. Montagem do sociograma do grupo. Teste Sociométrico. Conceito: Socio – Grupo e metria – medição. 4. negativas e indiferentes. Teste da Mirada (Bustos). Métodos: o átomo social.SOCIOMETRIA:     1. Realizar escolhas positivas.

E o terceiro enfatiza o tratamento do grupo quando desempenha objetivos comuns. . o Psicodrama e o Sociodrama. O segundo é o tratamento do indivíduo e do grupo através da ação dramática.  O primeiro prioriza o tratamento das relações interpessoais no grupo.SOCIATRIA:  Conceito: Socio – grupo e atria – cura.  Método: A psicoterapia de grupo.  Objetivo: Terapeutizar as relações sociais.

que indica a correta percepção das relações. . é a capacidade de dar respostas novas a situações antigas e repostas adequadas a situações novas  Conserva cultural. de tal forma que as relações são limpas. o locus em que ela mergulha suas raízes  Fator tele.  Matriz de Identidade.PRINCIPAIS CONCEITOS  Espontaneidade/criatividade. características da transferência. é a “placenta social” da criança. sem distorções. produto pronto e acabado. é a cristalização de algo criado.

coloca seu mundo interno para fora. Surge um novo olhar sobre si mesmo e sobre suas relações. através da dramatização.  Categoria de momento: “aqui ..agora”..”.  Catarse de Integração. . desorganiza as estruturas conflitivas e as reorganiza de forma mais harmônica. revela a fantasia vivenciada na cena dramática ou nas sessões de psicodrama em geral.PRINCIPAIS CONCEITOS  O “como se. o processo em que o paciente.

.PRINCIPAIS TÉCNICAS  Duplo – Tem como objetivo entrar em contato com a emoção não verbalizada do paciente. Favorece ao insight. que paralelamente. Objetiva então trazer sentimentos não expressos ou outras cenas. melhor duplo será capaz de fazer. olhando para si. e às vezes até não conscientizada. Quanto mais o terapeuta estiver identificado com o paciente. de fora da cena. como uma fotografia ou um flash de um filme.  Solilóquio ou “pensar alto” – Consiste em se pedir ao paciente que “pense alto”. como se fosse possível haver um alto-falante em sua cabeça. habitam os pensamentos do paciente. atine com todos os aspectos presentes nela e com sua reação frente a estes aspectos.  Espelho – Consiste em terapeuta se colocar na postura física que o paciente assume em determinado momento. a fim de auxiliá -lo a expressá-la. O objetivo é permitir que o paciente.

através de imagens. pois.PRINCIPAIS TÉCNICAS  Inversão de papéis – Uma das técnicas mais conhecidas e mais utilizadas. conflitos. movimentos e falas dramáticas. o emergir de dados sobre o próprio papel que. formal ou estéril. qualquer sinal destoante do resto de sua comunicação. represente o papel de alguém.  Maximização – A proposta aqui é pedir ao paciente que maximize um gesto. tome o lugar do outro. seja na inversão de papéis  Concretização – Esta técnica consiste na materialização de objetos inanimados. uma postura corporal – enfim. Um dos recursos técnicos mais ricos do psicodrama. pede-se ao paciente que. não seria possível. uma forma verbal. . quando este está tomado por algum personagem. Propicia. emoções. em vez de apenas falar sobre esta pessoa . quando esta nos soa estereotipada. doenças orgânicas. partes corporais. sobre quem esteja falando. Basicamente. acelera uma catarse de integração. sem este distanciamento.  Técnica da entrevista – O diretor entrevista o paciente. inicialmente. ou seja. além da vivência do papel do outro. se bem conduzido.

pode ser uma cena real ou fictícia. * Mais utilizado em sessões de grupos auto-dirigidos ou que tenham um caráter mais didático.espaço para falar dos aspectos teóricos e técnicos da sessão.  Dramatização – a ação propriamente dita.ETAPAS DO PSICODRAMA  Aquecimento (específico e inespecífico) – preparação do indivíduo ou grupo para a ação em si. focando nos seus sentimentos em relação ao que vivenciou na sessão.  Compartilhar – Espaço onde cada um fala de si.  Processamento* . .

mas podem ter um papel ativo. interpretando outros papéis.ELEMENTOS DE UMA SESSÃO PSICODRAMÁTICA:  Palco – onde se realiza a cena dramática.. almofadas. .”.  Protagonista – Aquele que tem o seu drama vivenciado no grupo.  Plateia – Os outros integrantes do grupo que ficam como observadores da cena. utilizando objetos da sala.  Diretor – Terapeuta que dirige a cena e grupo como um todo. sendo convidados a participar da cena. auxilia o protagonista na elaboração de cena dramática..  Ego-auxiliar – Terapeuta que é uma espécie de braço direito do diretor. e a própria imaginação a partir do “como se.  Cenário – A montagem da cena.

explora mais minuciosamente os pecados do que as virtudes. “À medida que a personalidade se desdobra.ABRAHAM MASLOW ALGUMAS IDEIAS ● ● ● “A psicologia tem se detido mais nas fragilidades do que nas forças humanas.. ” Dedicou-se ao estudo da auto-realização e do desenvolvimento.. pela maturação e um ambiente benigno e pelos esforços ativos por parte da pessoa para realizar a sua natureza. os poderes criativos do ser humano se manifestam cada vez mais claramente” . .

 Necessidades inferiores => motivação de deficiência  Necessidades superiores => motivação de crescimento. . emergem necessidades novas e superiores.  À medida que as inferiores são satisfeitas.  Auto-realização: “o que um homem pode ser. ele deve ser” . mais preponderante é essa necessidade. Quando várias necessidades estão ativas. a mais inferior será mais compelidora.ABRAHAM MASLOW HIERARQUIA DE NECESSIDADES  Quando mais baixo o nível de uma necessidades na hierarquia.

PIRÂMIDE DE NECESSIDADES DE MASLOW .

. o sujeito tentará novas formas de agir. levando em consideração as especificidades do objeto. modificar suas estruturas antigas para poder dominar a nova situação. o novo elemento é incorporado e assimilado a um sistema já pronto. Assim. A assimilação se refere à tentativa do sujeito de solucionar uma determinada situação utilizando uma estrutura mental já formada. promovendo a adaptação cognitiva. então. Irá.PIAGET Adaptação Cognitiva : Quando o ambiente físico ou social colocam perturbações que rompem o estado de equilíbrio. A acomodação é o processo acionado quando as estruturas que o sujeito tem são inadequadas ou insuficientes para o novo elemento. Assim. o organismo buscará adaptações por meio de dois mecanismos: Assimilação e acomodação.

Supõe uma ativa e contínua interação do sujeito que aprende com o objeto de conhecimento. .PIAGET Perspectiva Interacionista : a adaptação do sujeito à realidade externa depende basicamente do conhecimento. A função do desenvolvimento cognitivo consiste em produzir estruturas lógicas que lhe permitam atuar sobre o mundo de formas cada vez mais complexas.

Pré-Operacional (2-7 anos) – aquisição da linguagem e da capacidade de representação de uma coisa por outra. egocentrismo. mistura de realidade e fantasia.PIAGET Desenvolvimento Cognitivo . desenvolvimento da linguagem egocêntrica para a linguagem socializada. .Sensório Motor: (0-24 meses ) – aquisição das 1as. de causalidade. . noções: de eu. tendência lúdica. de espaço. 1as séries temporais. de permanência dos objetos.

apesar de mudanças aparentes). Tais operações ainda dependem da realidade concreta.Operacional-Concreto (7-11/12 anos) – declínio do egocentrismo intelectual e incremento do pensamento lógico. sentimentos e necessidades diferentes dos seus. Evolução da interação social. A criança passa a perceber que as outras pessoas têm pensamentos. Tendência lúdica será substituída por tendência crítica (em que o pensamento não tolerará contradições).PIAGET . As ações passarão a ocorrer mentalmente. tornando a criança capaz de efetuar operações mentais pautadas por transformações reversíveis (toda operação pode ser invertida) que implicam na aquisição da noção de conservação ou invariância (objetos continuam sendo iguais a si mesmos. .

adquire capacidade de criticar os sistemas sociais e propor novos códigos de conduta.PIAGET . As operações mentais seguem os princípios da lógica formal: enriquece o conteúdo e a flexibilidade do pensamento.Operacional Formal ( 12 anos em diante) – o sujeito torna-se capaz de formar esquemas conceituais abstratos. Faz sucessão de hipóteses e as expressa por meio de proposições para depois testá-las. Busca de autonomia pela construção de valores morais próprios. Com isso. . A problemática básica deste momento do desenvolvimento é a construção da identidade e da autonomia pessoal.

em especial a linguagem. de acordo com Bonin (1996). os interesses de Vygotsky pela psicologia originam-se na preocupação com a gênese da cultura.A PSICOLOGIA SÓCIO-HISTÓRICA (OU HISTÓRICO-CULTURAL) Segundo aponta Molon (1995). tida como instrumento do pensamento. empenhou-se em criar uma nova teoria que abarcasse uma concepção de desenvolvimento cultural do ser humano por meio do uso de instrumentos2. Vygotsky. DUALISMOS COMBATIDOS: 1) NATURAL X SOCIAL 2) AUTONOMIA X DETERMINAÇÃO 3) INTERNO X EXTERNO 4) PSÍQUICO X ORGÂNICO 5) COMPORTAMENTO X SUBJETIVIDADE .

. do “processo de intervenção de um elemento intermediário numa relação” (Oliveira. as quais. Ou seja.A PSICOLOGIA SÓCIO-HISTÓRICA (OU HISTÓRICO-CULTURAL) Princípios do materialismo dialético para compreensão do aspecto cognitivo a partir da descrição e explicação das funções psicológicas superiores. 1993:26). ou seja. eram determinadas histórica e culturalmente. O que segundo Molon (1995) é um pressuposto norteador de toda a construção teórica de Vygotsky. Um dos conceitos fundamentais da psicologia sóciohistórica é o de mediação. propõe uma teoria marxista do funcionamento intelectual humano. na sua visão.

as assertivas de sua teoria são: a) o homem é um ser histórico-social ou. é na linguagem e por ela própria que o indivíduo é determinado e é determinante de outros indivíduos3. da interiorização da cultura e das relações sociais. um ser histórico-cultural.A PSICOLOGIA SÓCIO-HISTÓRICA (OU HISTÓRICO-CULTURAL) Deste modo. é por meio da relação com o outro e por ela própria que o indivíduo é determinado. c) a atividade mental é exclusivamente humana e é resultante da aprendizagem social. da sociogênese para a ontogênese (origem do homem) e da ontogênese para a microgênese (origem do indivíduo único). d) o desenvolvimento é um longo processo marcado por saltos qualitativos que ocorrem em três momentos: da filogênese (origem da espécie) para a sociogênese (origem da sociedade). b) o indivíduo é determinado nas interações sociais. mais abrangentemente. . o homem é moldado pela cultura que ele próprio cria. ou seja.

A PSICOLOGIA SÓCIO-HISTÓRICA (OU HISTÓRICO-CULTURAL) e) o desenvolvimento mental é. um processo sociogenético. f) a atividade cerebral superior não é simplesmente uma atividade nervosa ou neuronal superior. h) a linguagem é o principal mediador na formação e no desenvolvimento das funções psicológicas superiores. . g) a atividade cerebral é sempre mediada por instrumentos e signos. . mas uma atividade que interiorizou significados sociais derivados das atividades culturais e mediada por signos. em sua essência.

as quais permitem a formação e o desenvolvimento dos processos mentais superiores. musical e matemática. . escrita. a memória. de acordo com o contexto histórico da cultura. gestual.A PSICOLOGIA SÓCIO-HISTÓRICA (OU HISTÓRICO-CULTURAL) i) a linguagem compreende várias formas de expressão: oral. artística. a resolução de problemas e o comportamento assumem diferentes formas. a linguagem. a atenção voluntária. j) o processo de interiorização das funções psicológicas superiores é histórico. e as estruturas de percepção. as emoções. o pensamento. k) a cultura é interiorizada sob a forma de sistemas neurofísicos que constituem parte das atividades fisiológicas do cérebro.

o nível de desenvolvimento mental da criança (ZONA DE DESENVOLVIMENTO PROXIMAL). refere-se a tudo aquilo que a criança poderá realizar com a ajuda de outra pessoa que sabe mais. isto é. Esta última situação é a que melhor traduz. segundo Vygotsky.A PSICOLOGIA SÓCIO-HISTÓRICA (OU HISTÓRICO-CULTURAL) Ele considera a existência de dois níveis de desenvolvimento. às capacidades que estão se construindo. Um corresponde a tudo aquilo que a criança pode realizar sozinha e o outro. .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->