Você está na página 1de 2

Mais que mil palavras

Para uma equipe, a ação do líder sempre diz mais que qualquer discurso

Autor: Fábio Violin

e-mail para contato: flviolin@hotmail.com

Nada é mais forte no aprendizado de uma pessoa do que o exemplo.


Discursos e teorias, por mais brilhantes que sejam, perduram menos na
nossa mente do que as ações marcantes que presenciamos. Nas Olimpíadas
de 1984, por exemplo, a maratonista americana Joan Benoit venceu a mais
difícil prova de longa distância e superou a favorita na época, a norueguesa
Grete Waitz. Para muitos, no entanto, o que ficou na memória foi a
perseverança e a determinação da corredora suíça Gabrielle Andersen-
Scheiss, que naquele mesmo dia arrastou-se cambaleando e sem forças
pelos 400 metros finais da prova. Incentivada pela multidão, Gabrielle
cruzou a linha de chegada de forma dramática, movida exclusivamente pelo
desejo de completar a prova, já que o corpo praticamente não respondia
mais ao comando do seu cérebro. Foi o 37o lugar mais aplaudido da história
das Olimpíadas. Muitos ainda se arrepiam ao recordar esse momento.

Todos nós temos a tendência de ouvir e seguir aqueles que nos


mostram, com ações e exemplos, os caminhos que devemos seguir e os
erros a ser evitados. Dentro das organizações não é diferente. Você
provavelmente conhece pessoas que são boas de discurso, que dizem ter
feito isso ou aquilo e dão a impressão de que são as donas da situação. Mas
é fácil perceber que seus atos não correspondem ao que pregam.

É justamente por essa razão que a gestão pelo exemplo deveria ser
tratada com a importância devida pelas empresas. Profissionais com esse
perfil precisam ser mais valorizados, pois seus gestos, comportamentos e
maneiras de lidar com os problemas transmitem uma imagem que é
processada e assimilada fortemente pelos funcionários e clientes. E isso é
fundamental para o sucesso dos negó cios e da empresa. Não há mais
espaço hoje em dia para aqueles que adotam o discurso do "faça o que eu
mando, mas não faça o que eu faço". As pessoas estão cada vez menos
tolerantes com aqueles que pregam a mudança e são os primeiros a
boicotá-la. Que afirmam ter o foco no cliente, mas na realidade o
tratamento é de descaso, arrogância e prepotência.

Trabalhe a força do exemplo positivo, pois assim você venderá mais


facilmente suas idéias e conquistará o comprometimento das pessoas. Certa
vez, uma senhora foi procurar a ajuda de Ghandi, o defensor da não-
violência. Ao ser recebida, disse a ele que seu filho sofria de diabetes, mas
não conseguia parar de comer açúcar. Decidiu então recorrer ao mestre.

- Peça, por favor, para que ele pare de comer açúcar - pediu ela.
Ghandi respondeu:

- Minha senhora, retorne daqui a duas semanas.

Passados 15 dias, a mulher voltou e imediatamente ouviu o mestre


aconselhar o menino a parar de comer açúcar. Intrigada, perguntou por que
ele não havia feito isso já da primeira vez. Gandhi a olhou nos olhos e disse:

- Minha senhora, como eu poderia pedir algo a ele se eu fazia


exatamente a mesma coisa?