Você está na página 1de 30
A Regulação e o Mercado de Agrotóxicos no Brasil José Agenor Alvares da Silva Diretor da

A Regulação e o Mercado de Agrotóxicos no Brasil

José Agenor Alvares da Silva Diretor da ANVISA

A Regulação e o Mercado de Agrotóxicos no Brasil José Agenor Alvares da Silva Diretor da
A Regulação e o Mercado de Agrotóxicos no Brasil José Agenor Alvares da Silva Diretor da
Agrotóxicos Por que regular?

Agrotóxicos Por que regular?

Agrotóxicos Por que regular?
Agrotóxicos Por que regular?
Agrotóxicos Por que regular?
Agrotóxicos Por que regular?
Agrotóxicos Por que regular?
Agrotóxicos Por que regular?
Agrotóxicos Por que regular?
Agrotóxicos Por que regular?

Agrotóxicos

Art. 2º Lei 7.802/89 consideram-se agrotóxicos e afins:

a) os produtos e os agentes de processos físicos, químicos ou biológicos, destinados ao uso nos setores de produção, no armazenamento e beneficiamento de produtos agrícolas, nas pastagens, na proteção de florestas, nativas ou implantadas, e de outros ecossistemas e também de ambientes urbanos, hídricos e industriais, cuja finalidade seja alterar a composição da flora ou da fauna, a fim de preservá-las da ação danosa de seres vivos considerados nocivos;

Constituição Federal Art. 196 A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantida mediante

Constituição Federal

Art. 196 A saúde é direito de todos e dever do

Estado, garantida

mediante

políticas sociais

e

econômicas, que visem a redução do risco de doença

e

de

outros agravos

e

o

acesso universal

e

igualitário às ações e serviços para sua promoção,

proteção e recuperação

Constituição Federal Art. 196 A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantida mediante
Constituição Federal Art. 196 A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantida mediante
Constituição Federal Art. 200 Ao sistema único de saúde compete , além de outras atribuições, nos

Constituição Federal

Art. 200 Ao sistema único de saúde compete, além de outras atribuições, nos termos da lei

II

-

executar as ações de vigilância sanitária e epidemiológica, bem como as de saúde do trabalhador

  • VI - fiscalizar e inspecionar alimentos, compreendido o controle de seu teor nutricional, bem como bebidas e águas para consumo humano

    • VII - participar do controle e fiscalização da produção, transporte, guarda e utilização de substâncias e produtos psicoativos, tóxicos e radioativos

Constituição Federal Art. 200 Ao sistema único de saúde compete , além de outras atribuições, nos
Constituição Federal Art. 200 Ao sistema único de saúde compete , além de outras atribuições, nos
O papel da ANVISA na regulação de agrotóxicos Lei 7.802/89 – Art. 3 • Os agrotóxicos

O papel da ANVISA na regulação de agrotóxicos

Lei 7.802/89 – Art. 3

Os agrotóxicos, seus componentes e afins deverão ser registrados de acordo com as diretrizes e exigências dos órgãos federais responsáveis pelos setores de saúde, do meio ambiente e da agricultura.

O papel da ANVISA na regulação de agrotóxicos Lei 7.802/89 – Art. 3 • Os agrotóxicos
O papel da ANVISA na regulação de agrotóxicos Lei 7.802/89 – Art. 3 • Os agrotóxicos
O papel da ANVISA na regulação de agrotóxicos Decreto 4074/04 – art. 2° e seguintes Cabe

O papel da ANVISA na regulação de agrotóxicos

Decreto 4074/04 – art. 2° e seguintes

Cabe aos Ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Saúde e do Meio Ambiente, no âmbito de suas respectivas áreas de competências, dentre outras:

estabelecer as diretrizes e exigências relativas a dados e informações a serem apresentados pelo requerente para registro e reavaliação de registro dos agrotóxicos, seus componentes e afins

controlar, fiscalizar e inspecionar a produção, a importação e a exportação dos agrotóxicos, seus componentes e afins, bem como os respectivos estabelecimentos

O papel da ANVISA na regulação de agrotóxicos Decreto 4074/04 – art. 2° e seguintes Cabe
O papel da ANVISA na regulação de agrotóxicos Decreto 4074/04 – art. 2° e seguintes Cabe
REAVALIAÇÃO REAVALIAÇÃO EMPRESA SOLICITA REGISTRO EMPRESA EMPRESA SOLICITA REGISTRO EMPRESA SOLICITA SOLICITA REGISTRO REGISTRO MAPA ANVISA
REAVALIAÇÃO
REAVALIAÇÃO
EMPRESA SOLICITA REGISTRO
EMPRESA
EMPRESA SOLICITA REGISTRO
EMPRESA SOLICITA
SOLICITA REGISTRO
REGISTRO
MAPA
ANVISA
IBAMA
Dossiê
Dossiê
Dossiê
Dossiê
Dossiê
Dossiê
Dossiê
Dossiê
Dossiê
Dossiê
Dossiê
Dossiê
Agronômico
Agronômico
Agronômico
Agronômico
Toxicológico
Toxicológico
Toxicológico
Toxicológico
Ambiental
Ambiental
Ambiental
Ambiental
Conclusões
Conclusões
Conclusões
toxicológicas
ambientais
agronômicas
Dados de
impacto na
população
RESTRIÇÃO ou
RESTRIÇÃO ou
Resultado
Resultado
Resultado
Resultado dodododo Pleito
Pleito
Pleito
Pleito
EXCLUSÃO
EXCLUSÃO
REAVALIAÇÃO REAVALIAÇÃO EMPRESA SOLICITA REGISTRO EMPRESA EMPRESA SOLICITA REGISTRO EMPRESA SOLICITA SOLICITA REGISTRO REGISTRO MAPA ANVISA
REAVALIAÇÃO REAVALIAÇÃO EMPRESA SOLICITA REGISTRO EMPRESA EMPRESA SOLICITA REGISTRO EMPRESA SOLICITA SOLICITA REGISTRO REGISTRO MAPA ANVISA
O papel da ANVISA na regulação de agrotóxicos regulamentar, controlar e fiscalizar os produtos e serviços

O papel da ANVISA na regulação de agrotóxicos

regulamentar, controlar e fiscalizar os produtos e serviços que envolvam riscos à saúde humana, na sua área de competência

propor, acompanhar e avaliar as atividades de monitoramento dos resíduos de agrotóxicos, componentes e afins, drogas veterinárias e outras substâncias tóxicas em alimentos

O papel da ANVISA na regulação de agrotóxicos regulamentar, controlar e fiscalizar os produtos e serviços
O papel da ANVISA na regulação de agrotóxicos regulamentar, controlar e fiscalizar os produtos e serviços
Aspectos sanitários da avaliação de agrotóxicos Verificação da possibilidade de autorização de registro de produtos, frente

Aspectos sanitários da avaliação de agrotóxicos

Verificação da possibilidade de autorização de registro de produtos, frente aos perigos para a saúde dos trabalhadores, dos consumidores e da população em geral

Condições para a proibição do registro de agrotóxicos – Lei 7.802/89

Quando não houver antídoto ou tratamento eficaz no Brasil Quando revelarem características teratogênicas, carcinogênicas ou mutagênicas Quando causarem distúrbios hormonais e danos ao aparelho reprodutor Quando se revelam mais perigosos para o homem do que em animais de laboratório Quando são mais tóxicos do que outros agrotóxicos registrados para a mesma finalidade

Aspectos sanitários da avaliação de agrotóxicos Verificação da possibilidade de autorização de registro de produtos, frente
Aspectos sanitários da avaliação de agrotóxicos Verificação da possibilidade de autorização de registro de produtos, frente
Taxa de Crescimento das Vendas do Mercado, ano base 2000 (mundo x Brasil) 200 150 (%)

Taxa de Crescimento das Vendas do Mercado, ano base 2000 (mundo x Brasil)

200 150 (%) 100 50 0 -50 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008
200
150
(%)
100
50
0
-50
2000
2001
2002
2003 2004
2005 2006
2007
2008 2009
2010
Brasil
0
-8
%
-24
%
24
%
76
%
70
%
57 115
%
%
184
%
162 190
%
%
Mundo
0
1
%
-2
%
17
%
41
47
%
49
68
98
%
%
%
%
94
%
93
%

Fonte: Relatório Mercado de Agrotóxicos ANVISA- UFPR 2012

Taxa de Crescimento das Vendas do Mercado, ano base 2000 (mundo x Brasil) 200 150 (%)
Taxa de Crescimento das Vendas do Mercado, ano base 2000 (mundo x Brasil) 200 150 (%)
Estimativas da participação mundial do Brasil e dos EUA no mercado mundial de agrotóxicos - produtos

Estimativas da participação mundial do Brasil e dos EUA no mercado mundial de agrotóxicos - produtos formulados (US$) - 2010

Estimativas da participação mundial do Brasil e dos EUA no mercado mundial de agrotóxicos - produtos
Estimativas da participação mundial do Brasil e dos EUA no mercado mundial de agrotóxicos - produtos

EUA; 17%

Brasil; 19%

Mundo; 64%

Elaborado a partir de Phillips McDougall/UIPP (2011); Sindag (2011); CropLife (2011) Fonte: Relatório Mercado de Agrotóxicos ANVISA- UFPR 2012

Estimativas da participação mundial do Brasil e dos EUA no mercado mundial de agrotóxicos - produtos
Estimativas da participação mundial do Brasil e dos EUA no mercado mundial de agrotóxicos - produtos

Elaborado a partir dos relatórios anuais das empresas até 2010

Fonte: Relatório Mercado de Agrotóxicos ANVISA- UFPR 2012

VENDAS MUNDIAIS DE AGROTÓXICOS (US$ milhões)

Elaborado a partir dos relatórios anuais das empresas até 2010 Fonte: Relatório Mercado de Agrotóxicos ANVISA-
Elaborado a partir dos relatórios anuais das empresas até 2010 Fonte: Relatório Mercado de Agrotóxicos ANVISA-
     

Variação

Participação

Ano

2009

2010

2009-10

em 2010

Syngenta

8.491

 
  • 8.878 5%

19%

Bayer

7.565

 
  • 7.284 -4%

15%

Basf

5.085

 
  • 5.348 5%

11%

Monsanto

4.427

 
  • 2.891 -35%

6%

Dow

4.522

 
  • 4.869 8%

10%

DuPont

2.845

 
  • 3.119 10%

7%

6 Maiores

32.936

32.388

-2%

68%

MAI

2.042

 
  • 2.180 7%

5%

Nufarm

2.329

 
  • 1.930 -17%

4%

Sumitomo

2.262

 
  • 2.274 1%

5%

Arysta

1.032

 
  • 1.161 13%

2%

FMC

1.052

 
  • 1.242 18%

2%

Cheminova

934

 
  • 934 0%

2%

United Phosphorus

795

 
  • 925 16%

2%

7 Especializadas

10.445

10.646

2%

22%

13 Maiores

43.381

43.034

-1%

90%

Outras Empresas

4.820

4.782

-1%

10%

Vendas Totais

48.201

47.816

-1%

100%

Elaborado a partir dos Relatórios das Empresas (2º sem. 2010. e 1º sem. 2011) declarados à ANVISA

Fonte: Relatório Mercado de Agrotóxicos ANVISA- UFPR 2012

Elaborado a partir dos Relatórios das Empresas (2º sem. 2010. e 1º sem. 2011) declarados à

Participação de produtos com e sem comercialização, Brasil

(2° semestre de 2010 e 1° semestre de 2011)

1.214

50%

Elaborado a partir dos Relatórios das Empresas (2º sem. 2010. e 1º sem. 2011) declarados à

1.212

50%

  • Produtos que não tiveram vendas no período

  • Produtos que tiveram vendas no período

Elaborado a partir dos Relatórios das Empresas (2º sem. 2010. e 1º sem. 2011) declarados à
Elaborado a partir dos Relatórios das Empresas (2º sem. 2010. e 1º sem. 2011) declarados à
Número de empresas que não comercializaram produtos no 2 sem. 2010 e 1 (130 empresas) sem.

Número de empresas que não comercializaram

produtos no 2

sem. 2010 e 1

(130 empresas)

sem. 2011

Número de empresas que não comercializaram produtos no 2 sem. 2010 e 1 (130 empresas) sem.
Número de empresas que não comercializaram produtos no 2 sem. 2010 e 1 (130 empresas) sem.
Número de empresas que não comercializaram produtos no 2 sem. 2010 e 1 (130 empresas) sem.
Exemplo da empresa NUFARM Maiores unidades geradoras de caixa na empresa e seus valores intangíveis: Brasil

Exemplo da empresa NUFARM

Maiores unidades geradoras de caixa na empresa e seus valores intangíveis:

Brasil – US$ 297 milhões

EUA – US$ 178 milhões

comércio de sementes – US$ 70 milhões

UK e Holanda – US$65 milhões

AH Marks business – US$ 44 milhões

Austrália – US$ 42 milhões

França – US$ 28 milhões (p. 79)

38% do valor da empresa correspondem aos registros de produtos

(US$ 1,9 bilhões, 2010)

16% do valor da empresa correspondem aos registros no Brasil

16% do valor da empresa correspondem aos registros no Brasil

89

89

produtos registrados no país

produtos registrados no país

41

41

comercializados no 2º sem. 2010 e 1º sem. 2011

comercializados no 2º sem. 2010 e 1º sem. 2011

Parte do Relatório Anual Nufarm, 2010

Fonte: Relatório Mercado de Agrotóxicos ANVISA- UFPR 2012

Exemplo da empresa NUFARM Maiores unidades geradoras de caixa na empresa e seus valores intangíveis: Brasil
Exemplo da empresa NUFARM Maiores unidades geradoras de caixa na empresa e seus valores intangíveis: Brasil
Exemplo da empresa NUFARM “The major CGUs and their intangible value is as follows: Brazil $297

Exemplo da empresa NUFARM

“The major CGUs and their intangible value is as follows:

Brazil $297 million, USA $178 million, seeds business $70 million, UK and Holland $65 million, AH Marks business $44 million, Australia $42 million and France $28 million. (p. 79)”

38% do valor da empresa correspondem aos registros de produtos (US$ 1,9 bilhões, 2010)

16% do valor da empresa correspondem aos registros no Brasil

  • 89 produtos registrados no Brasil

  • 41 produtos comercializados no 2º sem. 2010 e 1º sem. 2011

Parte do Relatório Anual Nufarm, Annual Report, 2010 Fonte: Relatório Mercado de Agrotóxicos ANVISA- UFPR 2012

Exemplo da empresa NUFARM “The major CGUs and their intangible value is as follows: Brazil $297
Exemplo da empresa NUFARM “The major CGUs and their intangible value is as follows: Brazil $297
Mercado de Agrotóxicos no Brasil N° Produtos Vendas Vendas empresas informados (ton produto) (US$ – 2010)

Mercado de Agrotóxicos no Brasil

Produtos

Vendas

Vendas

empresas

informados

(ton produto)

(US$ – 2010)

130

2.426

936. 000

7,3 bilhões

53% dos registrantes de agrotóxicos no Brasil possuem apenas escritórios

Mercado de Agrotóxicos no Brasil N° Produtos Vendas Vendas empresas informados (ton produto) (US$ – 2010)
Mercado de Agrotóxicos no Brasil N° Produtos Vendas Vendas empresas informados (ton produto) (US$ – 2010)
Taxas e prazos de registro Taxa de registro (US$) Prazo de validade do registro País IA/Produto

Taxas e prazos de registro

 

Taxa de registro (US$)

 

Prazo de validade do registro

País

IA/Produto

Manutenção

Reavaliação

-

 

-

EUA

 

1,1 mil

100 a 425

150 mil

EUA

15

anos

a

630 mil

 

BRASIL

51 a 1.000

não possui

não possui

Brasil

indeterminado

-

 

-

-

-

UE

10

anos

Elaborado a partir das Legislações dos países

Fonte: Relatório Mercado de Agrotóxicos ANVISA- UFPR 2012

Taxas e prazos de registro Taxa de registro (US$) Prazo de validade do registro País IA/Produto
Taxas e prazos de registro Taxa de registro (US$) Prazo de validade do registro País IA/Produto

Fonte: Relatório Mercado de Agrotóxicos ANVISA- UFPR 2012

Fonte: Relatório Mercado de Agrotóxicos ANVISA- UFPR 2012 Capacidade ou Garantia Financeira PAÍS CARACTERÍSTICA Em fase

Capacidade ou Garantia Financeira

PAÍS

CARACTERÍSTICA

 

Em fase de regulação pela EPA

EUA

Mecanismos aceitos: Insurance option, Guarantee option, Surety-bond,

Letter-of-credit, Self-insurer

 

Em fase de implementação em vários países

UE

Obrigatória em: Bulgária, Eslováquia, Grécia, Hungria, Espanha, Rep. Checa

e Romênia

JAPÃO

Definido em nível local e regional

INDIA

Contratação de seguro obrigatório (Public Liability Act)

ARGENTINA

Seguro ambiental obrigatório

PARAGUAI

Fondo Nacional de Protección Fitosanitaria, previsto na Lei 123/91

BRASIL

Inexistente

Fonte: Relatório Mercado de Agrotóxicos ANVISA- UFPR 2012 Capacidade ou Garantia Financeira PAÍS CARACTERÍSTICA Em fase

Elaborado a partir das Legislações dos países

Fonte: Relatório Mercado de Agrotóxicos ANVISA- UFPR 2012 Capacidade ou Garantia Financeira PAÍS CARACTERÍSTICA Em fase
N técnicos na avaliação de agrotóxicos – Brasil Órgão Número de técnicos ANVISA 21 IBAMA 16

N técnicos na avaliação de agrotóxicos – Brasil

Órgão

Número de técnicos

ANVISA

21

IBAMA

16

MAPA

07

N°técnicos na avaliação de agrotóxicos – EPA/EUA – 854 técnicos

N técnicos na avaliação de agrotóxicos – Brasil Órgão Número de técnicos ANVISA 21 IBAMA 16
N técnicos na avaliação de agrotóxicos – Brasil Órgão Número de técnicos ANVISA 21 IBAMA 16
Aspectos sanitários dos programas de monitoramento e pós-registro de agrotóxicos Reavaliação toxicológica Sempre que houver avanço

Aspectos sanitários dos programas de monitoramento e pós-registro de agrotóxicos

Reavaliação toxicológica

Sempre que houver avanço do conhecimento científico, com suspeita de carcinogenicidade, mutagenicidade, neurotoxicidade e desregulação endócrina sobre determinado produto

Decisões internacionais de restrições ou banimento de produtos Alertas de organizações internacionais

Aspectos sanitários dos programas de monitoramento e pós-registro de agrotóxicos Reavaliação toxicológica Sempre que houver avanço
Aspectos sanitários dos programas de monitoramento e pós-registro de agrotóxicos Reavaliação toxicológica Sempre que houver avanço
Ingredientes ativos reavaliados de 2002 à abril de 2012 Vermelho : Laranja: Verde: banidos do Brasil

Ingredientes ativos reavaliados de 2002 à abril de 2012

Vermelho:

Laranja:

Verde:

banidos do Brasil indicados para banimento e reavaliação em andamento mantidos no mercado

ACEFATO

CAPTAN

CARBENDAZIM

CLORPIRIFÓS

MONOCROTOFÓS

DICOFOL

FOLPET

LINURON

LINDANO

FOSMETE

2,4 D

PROCLORAZ

METAMIDOFÓS

PENTACLOROFENOL

CLOROTALONIL

BROMETO DE METILA

CIHEXATINA

HEPTACLORO

TRICLORFOM

MSMA

ALDICARB

BENOMIL

EPOXICONAZOLE

METALDEÍDO

ALACLOR

ENDOSSULFAN

VINCLOZOLIN

TIOFANATO METÍLICO

PARATION METÍLICO

 

FORATO

Ingredientes ativos reavaliados de 2002 à abril de 2012 Vermelho : Laranja: Verde: banidos do Brasil
Ingredientes ativos reavaliados de 2002 à abril de 2012 Vermelho : Laranja: Verde: banidos do Brasil
Programa de Monitoramento de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos - PARA Distribuição das amostras segundo a

Programa de Monitoramento de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos - PARA

Distribuição das amostras segundo a presença ou a ausência de resíduos de

agrotóxicos analisados. PARA, 2010

Programa de Monitoramento de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos - PARA Distribuição das amostras segundo a
Programa de Monitoramento de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos - PARA Distribuição das amostras segundo a
Programa de Monitoramento de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos - PARA Distribuição das amostras segundo a
Fiscalizações 2009 a 2011 – 18 empresas fiscalizadas (24 unidades fabris) Principais irregularidades encontradas: Alterações não

Fiscalizações

2009 a 2011 – 18 empresas fiscalizadas (24 unidades fabris)

Principais irregularidades encontradas:

Alterações não autorizadas de formulações

Falta de controle de qualidade na produção de agrotóxicos

Indicações de misturas sem autorização

Reprocesso de produtos vencidos, sem garantia de qualidade e

segurança para a saúde pública

Fiscalizações 2009 a 2011 – 18 empresas fiscalizadas (24 unidades fabris) Principais irregularidades encontradas: Alterações não
Fiscalizações 2009 a 2011 – 18 empresas fiscalizadas (24 unidades fabris) Principais irregularidades encontradas: Alterações não
Multinacional de agrotóxicos altera fórmula sem autorização e culpa Anvisa CartaCapital teve acesso exclusivo a emails

Multinacional de agrotóxicos altera fórmula sem autorização e culpa Anvisa

CartaCapital teve acesso exclusivo a emails da empresa Dow AgroSciences, a quinta maior indústria de agrotóxicos

CartaCapital teve acesso exclusivo a emails da empresa Dow AgroSciences, a quinta maior indústria de agrotóxicos do mundo, nos quais a companhia admite ter feito alterações não autorizadas em diversos herbicidas em suas duas fábricas no Brasil - em Franco da Rocha e Jacareí, em São Paulo.

Mensagens internas de uma multinacional norte-americana do setor do agronegócio indicam uma trama de violações à legislação brasileira que poderiam resultar em complicações à saúde da população e ao meio ambiente, além de uma conspiração contra o governo.

CartaCapital teve acesso exclusivo a emails da empresa Dow AgroSciences, a quinta maior indústria de agrotóxicos do mundo, nos quais a companhia admite ter feito alterações não autorizadas em diversos herbicidas em suas duas fábricas no Brasil – em Franco da Rocha e Jacareí, em São Paulo. O documento também indica que ao saber de uma vistoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em suas instalações, a empresa montou uma estratégia para culpar os órgãos regulatórios pelo ocorrido.

“Multinacional de agrotóxicos altera fórmula sem autorização e culpa ANVISA”

Carta Capital, 23 de abril de 2012

As mudanças, descobertas em uma auditoria interna no final de 2009 e suspensas naquele ano, incluiam a adição de um antiespumante não autorizado a um herbicida de glifosato, além de modificações em produtos à base de macozeb e flumetsulam. “Em termos gerais, esses problemas envolvem variações mínimas na composição do produto que ocorreram durante anos, logo o produto feito nestes locais nem sempre seguiu o acordo confidencial de fórmula autorizado pelas autoridades reguladoras”, diz o email. (Veja abaixo a imagem, em inglês)

Para a empresa, no entanto, não houve aumento de toxicidade ou “significância para saúde, segurança ou do meio ambiente”.

Multinacional de agrotóxicos altera fórmula sem autorização e culpa Anvisa CartaCapital teve acesso exclusivo a emails
Multinacional de agrotóxicos altera fórmula sem autorização e culpa Anvisa CartaCapital teve acesso exclusivo a emails
Agência Nacional de Vigilância Sanitária diage@anvisa.gov.br http://portal.anvisa.gov.br/wps/portal/anvisa/home/agrotoxicos e toxicologia

Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Agência Nacional de Vigilância Sanitária diage@anvisa.gov.br http://portal.anvisa.gov.br/wps/portal/anvisa/home/agrotoxicos e toxicologia

diage@anvisa.gov.br

http://portal.anvisa.gov.br/wps/portal/anvisa/home/agrotoxicos e toxicologia

Agência Nacional de Vigilância Sanitária diage@anvisa.gov.br http://portal.anvisa.gov.br/wps/portal/anvisa/home/agrotoxicos e toxicologia
Agência Nacional de Vigilância Sanitária diage@anvisa.gov.br http://portal.anvisa.gov.br/wps/portal/anvisa/home/agrotoxicos e toxicologia