AS VANGUARDAS: RUPTURAS COM OS CÂNONES NAS ARTES PLÁSTICAS

No início do século XX, uma verdadeira explosão de experiências revolucionou as artes plástica. Este movimento cultural, o modernismo, irradiou de Paris que nessa altura era o centro artístico da Europa.

Essa mudança ficou marcada: • pelo dinamismo e euforia artísticos, devidos à multiplicação das actividades ligadas à arte, feitas pelos comerciantes e críticos de arte, pelas revistas e pelas exposições particulares à margem da arte oficial; • pelo novo homem, saído de uma sociedade citadina, ainda cheia de contradições, que exigiu o retorno às origens, numa atitude artística nova; • pela procura da pureza dos meios de expressão e pelo seu desligamento da realidade concreta, dando livre curso aos impulsos e aos sentimentos dos artistas, criando uma plástica que rejeitou as ideias e formas antigas e se baseou em princípios autónomos, revolucionários e individualistas.

O FAUVISMO
Constituiu a primeira vaga modernista. Esta caracteriza-se: • pelo primado da cor sobre a forma onde se perde a ilusão da terceira dimensão; • a expressão é dada pela violência das linhas e das cores; • a temática não é relevante e não tem qualquer conotação social, política ou outra. Destacaram-se: Henri Matisse, André Derain, Maurice de Vlaminck

Matisse, Retrato com Uma Lista Verde, 1905

Vlamink, O Rio, 1910

André Derain, A Ponte de Charing Cross, 1906

O EXPRESSIONISMO
Surgiu quase ao mesmo tempo em várias cidades alemãs (Dresden, Munique, Berlim) como tentativa de abalar a arte oficial. Afirmaram-se dois movimentos expressionistas – Die Brüke (A Ponte), nascido em Dresden, em 1905 e Der Blaue Reiter (O Cavaleiro Azul), nascido em Munique em 1911. Características: • e uma arte impulsiva e vincadamente individual; • utiliza grandes manchas de cor, intensas e contrastantes; • Temática pesada que evidencia a angústia, o desespero, a morte, o sexo e a miséria social.

Destacaram-se: Edvard Munch, George Rouault, Ernst Kirchner, Emil Nolde, Kandinsky,Franz Marc, August Macke e Paul Klee.

Munch, Angústia, 1893

Kirchner, Cena de uma Rua de Berlim, 1913

Franz Marc, Os Grandes Cavalos Azuis, 1911

O CUBISMO
Foi um movimento influenciado pelo geometrismo de Cézanne e pela estilização volumétrica da arte africana.

Picasso, Les Demoiselles d’ Avignon, 1907

Cubismo analítico – foi iniciado por Braque e Picasso em 1908. Características: • destruição completa das leis da perspectiva; • substituição da visão parcelar por uma visão total dos objectos representados, apresentados de frente, de lado, por cima, por baixo… estilhaçando o volume em vários planos que se justapõem. • as cores restringem-se a uma paleta de azuis, cinzentos e castanhos.

Braque, Casas d’ Estaque, 1908

Cubismo sintético – iniciado em 1911. Características: • utilização de uma paleta cromática variada; • aos materiais de pintura juntam-se objectos comuns: papéis, cartões, tecidos, madeira, corda… • Destacaram-se: Picasso, Braque, Juan Gris, Fernand Leger, Robert Delaunay etc.

Juan Gris, Fantomas, 1915

O ABSTRACCIONISMO Movimento que rejeita o tema ligado à realidade concreta, à descrição do visível. Procura uma linguagem universal. Abstraccionismo sensível ou lírico – foi desenvolvido por Kandinsky. Características: • a pintura deve retratar um estado de espírito e não a simples representação dos objectos; • as abstracções de forma e de cor, tal como a música, actuam directamente na alma. • composições meticulosas, correcta combinação de formas e cores.

Kandinsky, Composição, 1923

Abstraccionismo geométrico – foi desenvolvido por Piet Mondrian. Características: • supressão, na obra de arte, de toda a emotividade pessoal; • eliminação de todo o que é efémero e acessório; • a pintura é a mais matemática das artes, feita de linhas rectas e figuras geométricas elementares; • a arte deve exprimir a realidade pura.

Mondrian, Composição, 1911

O FUTURISMO
Criado pelo escritor Marinetti em 1909. Caracterizase pela rejeição total da estética do passado e pela exaltação da sociedade industrial. Características: admiração pela tecnologia moderna e pela velocidade; rejeição do passado e glorificação do futuro; representação do mundo industrial; representação do dinamismo através do simultaneísmo e da decomposição fragmentada. Destacam-se – Giacomo Balla, Umberto Boccioni, Gino Severini, Carlo Carrà, Marcel Duchamp e Robert Delaunay.

• • • • •

Boccioni, O Ruído da Rua Entra em Casa, 1911

Carlo Carrà, Manifestação Intervencionista, 1914

Robert Delaunay, Homenagem a Blériot, 1914

O DADAÍSMO
Movimento surgido em Zurique, em 1916. Recusa todos os modelos plásticos e a própria ideia de arte. Características: • negação da arte e do seu valor • criação de uma antiarte • propõem a via do inconsciente, do ilógico, do acaso, do absurdo, do irreal. • Destacaram-se – Max Ernst, Duchamp etc.

Marcel Duchamp, Fonte, 1917

SURREALISMO
Movimento estético nascido em França, em 1924. Fez a apologia da arte como mecanismo de projecção do inconsciente. Características: • • • • influência de Freud e da psicanálise; exploração do mundo interior, extrema disparidade de estilo dos surrealistas. Destacam-se – Hans Arp, Joan, Max Ernst, René Magritte, Salvador Dali.

Joan Miró, O Carnaval de Arlequim, 1924

Salvador Dali, A Persistência da Memória, 1931

René Magritte, Golconda, 1953

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful