Você está na página 1de 1

“...

quem ama é sempre muito


escravo, mas não obedece nunca de
verdade.”Guimarães Rosa in Grande
Sertão: Veredas

FUNGO FOGO escorre clareia

Cobre meu corpo


Em luz – Aparecer!
Mas é meu coração que sangra

Massageado desejo
Amor é como arado
– onde passa deixa a marca
Se sou Terra ei de reconstruir
Novo mato em mim vai crescer – e nenhum espaço sobrará
para a semente recindir...

Mas não sou terra...

& meu corpo húmus tão frágil


É cerâmica mal moldada
Fico trincado e rebaixado...

Carrego cicatrizes de peso Desilusão...

Pois não conheço o amor não.

(12-1-2003)