Você está na página 1de 51

Ressonânci

a
Magnética
da Coluna
Vertebral

Aluno: Thiago Muniz de Lima


 A coluna vertebral é o eixo ósseo do corpo, situada no dorso,
na linha mediana, capaz de sustentar, amortecer e transmitir
o peso corporal. Além disto, supre a flexibilidade necessária à
movimentação, protege a medula espinhal e forma com as
costelas e o esterno o tórax ósseo, que funciona como um
fole para os movimentos respiratórios.

 A coluna é formada de 33 vértebras: sendo 7 cervicais, 12


torácicas e 5 lombares; pelo sacro composto de 5 vértebras
fundidas e pelo cóccix formado de 4 vértebras rudimentares
fundidas entre si, sendo que a 1a. vértebra coccígea, um
pouco mais volumosa, se articula com o ápice do sacro
através de um disco intervertebral rudimentar.
 Todas as vértebras apresentam 7 elementos básicos:

  1. Corpo: É a maior parte da vértebra. É único e mediano e está


voltado para frente é representado por um segmento cilindro,
apresentando uma face superior e outra inferior.
  FUNÇÃO: Sustentação.
  2. Processo Espinhoso: É a parte do arco ósseo que se situa
medialmente e posteriormente.
  FUNÇÃO: Movimentação.
  3. Processo Transverso: São 2 prolongamento laterais, direito e
esquerdo, que se projetam transversalmente de cada lado do ponto
de união do pedículo com a lâmina.
  FUNÇÃO: Movimentação.
  4. Processos Articulares: São em número de quatro, dois superiores
e dois inferiores. São saliências que se destinam à articulação das
vértebras entre si.
  FUNÇÃO: Obstrução.
  5. Lâminas: São duas lâminas, uma direita e outra
esquerda, que ligam o processo espinhoso ao processo
transverso.
  FUNÇÃO: Proteção.

  6. Pedículos: São partes mais estreitadas, que ligam o


processo transverso ao corpo vertebral.
  FUNÇÃO: Proteção.

  7. Forame Vertebral: Situado posteriormente ao corpo


e limitado lateral e posteriormente pelo arco ósseo.
  FUNÇÃO: Proteção
Anatomia da Coluna
Curvaturas fisiológicas

Lordos
e

Cifose

Lordos
e
Cifose
Coluna Cervical
 Formada por sete vértebras, sendo as 2 primeiras atípicas,
denominadas atlas e axis respectivamente.

1. Corpo Vertebral
2. Processo transverso
3. Forame Transversário
4. Pedículo do Arco
Vertebral
5. Lâmina do Arco
Vertebral
6. Dente do Áxis
7. Processos Espinhosos
8. Articulações dos
Vista superior
Atlas

Vista inferior
Atlas
Vista
posterior Áxis

Vista
anterior Áxis
Ressonância de Coluna
Cervical
 Normalmente as principais indicações para o exame são:

Ø Hérnia de disco
Ø Patologias dos discos vertebrais
Ø Traumas
Ø Tumores

 Os protocolos usualmente aplicados são cortes sagitais e


axiais em T1 e T2.
Cortes Sagitais

Cortes orientados paralelos ao eixo medular


varrendo corpos medulares, forames de
conjugação e medula.
T1 Sagital

•Utilizado para
verificar a anatomia
muscular e óssea
Líquor

Medula
espinhal

Processo espinhoso

Corpos
vertebrais
Raiz nervosa
Disco intervertebral
T2 Sagital

O estudo da coluna
cervical pela RM é de
grande qualidade para
se avaliar discos
intervertebrais, a medula,
forames e transição
craniovertebral.
Corte sagital, ponderado em
T2
Facetas
Articulares
Ordem da direita para esquerda
Cortes Axiais

Cortes localizados nos espaços discais de interesse,


orientados paralelos aos discos e em perpendicular à linha
média.
Ordem Crânio - caudal
Coluna Torácica

 Formada por 12 vértebras,


com as quais se articulam os
arcos costais, é o maior
segmento da coluna
vertebral.
Coluna Torácica
O processo espinhoso não
é bifurcado e se apresenta
descendente e
pontiagudo. As vértebras
torácicas se articulam
com as costelas, sendo
que as superfícies
articulares dessas
vértebras são chamadas
fóveas e hemi-fóveas. As
fóveas podem estar
localizadas no corpo
vertebral, pedículo ou nos
processos transversos.
Ressonância da Coluna
Torácica
Cortes Sagitais

 Sequência Ponderada em T1

 Em geral, as solicitações
que apresentam essas
indicações devem ser
feitas com utilização de
meio de contraste.
 Cortes Ponderados em T2

A maior parte das


solicitações para esta
região estão relacionados
com a presença de
traumas, tumores locais,
metástases, absessos e
lesões medulares.
Corpo vertebral

Disco
intervertebral

Medula Espinhal

Flavum

Gordura epidural

Sequência em T2
Ligamento
longitudinal anterior

Ligamento longitudinal
posterior

Dura-máter

Gordura epidural

Sequência em
T1
Raiz Nervosa

Forâme Neural

Disco Intervertebral
Forâmem
neural

Pedículo
Cortes Axiais

 Sequência em T2

 Imagem axial de alta


resolução, mostrando
canal medular livre.
Corpo da vértebra

Ligamento longitudinal
posterior

Forâmem
neural

Medula espinhal
Disco
intervertebral

Articulação com a Fóvea costal


costela

Pedículo

Arco costal
Coluna Lombar
 Formada por 5 vértebras, articula-se distalmente com o
sacro.
 Apresenta um processo transverso bem desenvolvido
chamado apêndice costiforme. Pode ser diferenciado também
por não apresentar forame no processo transverso e nem a
fóvea costal.

1. Anel Fibroso
2. Núcleo Pulposo
3. Disco Intervertebral
4. Processo Articular Inferior
5. Incisura Vertebral Inferior
6. Forame Intervertebral
7. Incisura Vertebral
Superior
Cortes Sagitais

 Sequência ponderada em T1.

 Utilizada para verificar a


anatomia muscular e
óssea.
Cortes Sagitais
 Sequência ponderada em
T2

 As séries sagitais são


importantes para uma
boa visualização do
canal raquimedular e
da relação deste com
os discos invertebrais.
Apresentando bom
contraste entre liquido
e o tecido Muscular
Ordem: Da direita para esquerda
 Sequência ponderada em T2

 As séries axiais são muito


importantes para
avaliação das
compressões radiculares
centrais e foraminais.
Disco
Facetas
articulares

Lâmina
Músculo Psoas maior

Corpo
vertebral

Processo
transverso Pedículo
Medula
espinhal

Processo espinhoso
Muito Obrigado!!!