Você está na página 1de 4

REFLEXÃO DE TLM

Em TLM fiz esta planta com grande esforço e um pouco de


dificuldade porque pouco sabia de informática ou quase nada, mas
no final fiquei super contente e orgulhosa de mim mesma porque
superei todas as minhas expectativas.

Consegui um óptimo trabalho com tempo e em condições.

Apesar do formador exigir um pouco demais de todos os formandos,


de nos sobrecarregar com vários trabalhos e quase ao mesmo
tempo, consegui terminar na mesma a tempo e claro que não podia
deixar de o colocar no meu PRA.

Este trabalho também teve ajuda da minha parceira do lado na altura


a Mafalda, porque ela já percebia mais que eu de informática.

Seguidamente tem também a recolha dos materiais de laboratório


corrigido pelo formador.

Foi uma pesquisa em grande mas que também me fez aprender


muito. Vi e falamos sobre materiais que eu nunca tinha visto na vida
e não fazia ideia que existiam num laboratório.

Eu nunca ouvi falar antes numa autoclave, por exemplo. Para mim
era tudo palavrões.

Havia falado apenas na escola em tubos de ensaio e pouco mais.

Neste módulo falar em pipetas, agitador de tubos e centrífugas era


para mim era tudo desconhecido. Agora sim sei para que serve tudo
isso e sei também que um laboratório não funciona sem isso.

Se um dia mais tarde não trabalhar nesta área de controlo de


qualidade, me perguntarem se conheço ou sei o que são Freezes,
autoclaves, bancadas ou armazéns de químicos e para que servem,
certamente saberei explicar tudo direitinho porque já sei o que são,
para que servem e como funcionam.
Realizei também um trabalho sobre a esterilização, onde aprendi que
é o processo que promove completa eliminação ou destruição de
todas as formas de microrganismos: vírus, bactérias, fungos,
protozoários, esporos, para um aceitável nível de segurança
presentes no material utilizado, neste caso na autoclave. O processo
de esterilização pode ser físico, químico ou físico-químico.

A uma esterilização rápida é chamada de “flash”.

Falamos sobre métodos, autoclaves e também como montar uma


autoclave.

Na parte da montagem da autoclave a remoção do ar da câmara é


absolutamente crítica para o completo processo de autoclavação.

O ar pode ser removido activa ou passivamente.

De seguida falamos na manutenção, que qualquer material tem que


ter, na instalação do equipamento e na sua validação. Porque os
equipamentos devem ser validados para cada novo ciclo e novo tipo
de carga a ser esterilizado.

No final falamos da manutenção e limpeza da autoclave. Porque


muitas vezes a manutenção é vista como gasto adicional com os
equipamentos. Mas se não for assim não sabemos se estão sempre a
funcionar correctamente.

Para finalizar o módulo realizamos um trabalho de grupo sobre os


antibióticos.

Em grupos de três fizemos o trabalho sobre a Polimixina B. não


percebia nada disso e também não foi um trabalho que gostei muito
de o fazer. Mas o resultado não foi muito mau.

Certamente que aprendi algumas coisas com o trabalho, mas não foi
dos melhores nem foi o tipo de trabalho que me entusiasmasse.

Como acima referi não gostei muito de o fazer e tudo que aprendi foi
que a Polimixina B é um medicamento genérico consoante a Lei
9.787, de 1999. É um pó liófilo para solução injectável. Serve para
uso adulto e pediátrico, uso intramuscular, intravenoso e
intratecalindicações.

É usado em infecções agudas causadas por cepas susceptíveis de


pseudomonas aeruginosa, infecções de trato urinário, meninges e
sangue.

Pode ser também indicada para tratamento de sérias infecções


causadas por: Escherichia Coli; Aerobacter aerogenes,
especificamente no caso de bacteremias.

O uso deste medicamento é contra-indicado em caso de


hipersensibilidade conhecida ao sulfato de Polimixina B e/ou demais
componentes das formulações.Deve-se evitar o seu uso
acompanhado de relaxantes musculares curarínicos e outras drogas
neurotóxicas (éter, tubocuranina, succinilcolina, galamina,
decametano e citrato de sódio) pois podem precipitar depressão
respiratória.

E a sua venda é sob prescrição médica.

Sei que tudo isto faz sempre diferença nunca é demais aprender,
mas a verdade é que sempre que se ouvem estes nomes ninguém da
importância, ou porque não conhecem, nunca ouviram falar, não têm
quem lhes fale disto ou até mesmo não têm interesse em saber.

Foi um módulo bastante trabalhoso, mas sei que com ele evoluí
bastante e aprendi muito mesmo.

Aqui mostro com clareza todas as minhas competências adquiridas


neste módulo e sei que um dia mais tarde podem me servir para o
meu dia-a-dia.

Era um dos módulos que apesar de eu pensar que foi dos mais
maçadores, porque era muito à base de pesquisa, aprendi bastante e
voltaria a repeti-lo mas de forma diferente. Talvez com mais prática
e menos teoria ou pesquisa seria mais motivante.
Tânia faria 03/12/2008